SlideShare uma empresa Scribd logo
Crise econômica na Europa
                        e nos Estados Unidos




E suas influências no
Brasil
Introdução

O mundo entrou em nova e perigosa fase. Está surgindo uma
retroalimentação positiva entre bancos e países debilitados, com
efeito potencialmente catastrófico sobre os países da União Europeia e
a economia mundial

A crise econômica que vem abalando os Estados Unidos e a Europa está se
espalhando por todos os países, já que grande parte do globo depende dessas
potências, sendo assim eles administram a maior parte do comércio.




Existem vários países dependentes deles, por exemplo: o México que é muito
dependente dos Estados Unidos, ou seja, ele terá grandes chances de entrar em
uma crise econômica, pois o comércio estará abalado e não terá outras fontes de
lucro.
Europa
Estados
  Unidos




           Brasil
Crise nos Estados Unidos

 • O acordo que elevou o teto da dívida não colocou um fim na crise da maior
 economia do planeta;
 • Para piorar, no dia 05 de agosto a agência de avaliação de risco rebaixou a
 nota da dívida americana considerando que os títulos dos EUA não são mais
 tão confiáveis;
 • O que é a dívida dos EUA: Assim como outros países - inclusive o Brasil
 - o Tesouro norte-americano emite no mercado financeiro papéis
 respaldados pelo governo para financiar as atividades do governo federal,
 como pagamento de funcionários e fundos de previdência.
 • Para quem os EUA devem: Brasil, China, Japão, Reino Unido e os
 países exportadores de petróleo estão entre os maiores credores estrangeiros
 que detêm 32% dos títulos da dívida pública dos Estados Unidos;


                                                  Volte para o mapa ->
Crise na Europa


  • Quebra e prejuízo de vários bancos (ex. o suíço UBS, o franco-
    belga Dexia e o britânico Bradford & Bingley (B&B))
  • Alguns países, como a Grécia, gastaram mais capital do que
    conseguiram arrecadar com impostos, gerando enormes dívidas
  • Desvalorização do euro
  • Países em situação de risco - Portugal, Irlanda, Itália, Grécia
    e Espanha - que formam o chamado grupo dos PIIGS –
Impactos da crise no Brasil

EUA
Na avaliação do economista Miguel Daoud, da consultoria Global Financial
Advisor, um eventual calote dos EUA teria impactos econômicos no Brasil,
que vive momento de dólar baixo e forte consumo de importados.
Encareceria o custo de financiamento para bancos e empresas brasileiras,
que precisam captar dinheiro no exterior; valorizaria o dólar e aumentaria o
preço dos importados, o que geraria inflação; causaria também,
conseqüentemente, a necessidade de se aumentar ainda mais os juros para
controlar os preços.

Europa
A crise econômica que atinge a Europa não irá custar o emprego dos
brasileiros, nem causar um impacto nos investimentos dos países no Brasil.
Na verdade, o efeito esperado é o contrário, com o direcionamento dos
investimentos do exterior para o mercado brasileiro, na tentativa de
recuperar as perdas nos outros mercados.
                                                   Volte para o mapa ->
Quiz

1- A crise econômica que vem abalando os Estados Unidos e a Europa
está se espalhando por todos os países. Por que a crise afeta os países
que não estão envolvidos diretamente?

a) Por tentaram ajudar os EUA e a Europa, e se prejudicarem.
b) Por serem 2 grandes potências, servem de base para os outros
   países, portanto ao serem prejudicadas consequentemente afetam
   os outros.
c) Por vigança das potências para não ficarem por baixo
Quiz

2- Sobre os impactos da crise econômica em relação ao Brasil,
identifique a alternativa incorreta.

a) Com o direcionamento dos investimentos do exterior para o
mercado brasileiro, a taxa de desemprego irá diminuir
b) O dólar mais valorizado o que levaria ao aumento do preço dos
importados, o que geraria inflação.
c) Não iria afetar de uma forma bruta, já que o Brasil é um país
independente e não precisa de qualquer tipo de ajuda.
Quiz

3- “A Europa, sempre lembrada como uma região de altíssimo
desenvolvimento econômico e bem-estar social, agora tem sua
imagem associada a turbulências de mercado” Em relação à
crise por que o euro se desvaloriza ?

a) A possibilidade de que governos e empresas da região não
possam pagar suas dívidas faz com que boa parte dos
investidores não queira ficar exposta ao risco de ações e títulos
europeus. O movimento de procura por dólares e abandono do
euro, fez com que a cotação da moeda europeia atingisse
valores muito baixos
B) Não aconteceu uma desvalorização, o euro só aumentou
c) O euro não se desvalorizou por ser a moeda mais
importante/mais cara do mundo
Créditos

Gabriela Di Poggio – nº 10
Victor Moinhos – nº 29
Vitor Ricardo – nº 30
Yllana Marques – nº 31




Profº Parente – Geografia
Video



http://www.youtube.com/watch?v=y1KMVESmNuQ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
Associação Comercial de São Paulo
 
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Fundação de Economia e Estatística
 
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015
Igor Morais
 
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Fundação de Economia e Estatística
 
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Aloizio Mercadante
 
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
DenizecomZ
 
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à médiaRetrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Banco Pine
 
Apresentação do ministro Guido Mantega
Apresentação do ministro Guido MantegaApresentação do ministro Guido Mantega
Apresentação do ministro Guido Mantega
CartaCapital
 
Estratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a criseEstratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a crise
Carlos Rocha
 
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvelO mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
Fernando Alcoforado
 
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorialEconomia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
Associação Comercial de São Paulo
 
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
economiaufes
 
Ministro Guido
Ministro GuidoMinistro Guido
Ministro Guido
Luis Nassif
 
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
Grupo de Economia Política IE-UFRJ
 
Conjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica NacionalConjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica Nacional
Associação Comercial de São Paulo
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Fernando Alcoforado
 
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupaçãoTEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
LAESER IE/UFRJ
 

Mais procurados (20)

Apresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário EconomiaApresentação Seminário Economia
Apresentação Seminário Economia
 
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia Brasileira e Gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
 
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 44 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015A economia brasileira em 2015
A economia brasileira em 2015
 
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
Economia brasileira e gaúcha - Perspectivas 2015 e 2016
 
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
Análise de conjuntura - O Brasil e a crise - Maio de 2009
 
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 25 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014Economia brasileira em perspectiva   30.12.2014
Economia brasileira em perspectiva 30.12.2014
 
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à médiaRetrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
 
Apresentação do ministro Guido Mantega
Apresentação do ministro Guido MantegaApresentação do ministro Guido Mantega
Apresentação do ministro Guido Mantega
 
Estratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a criseEstratégia vencer em meio a crise
Estratégia vencer em meio a crise
 
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvelO mundo diante de uma crise econômica insolúvel
O mundo diante de uma crise econômica insolúvel
 
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorialEconomia brasileira: uma visão macro e setorial
Economia brasileira: uma visão macro e setorial
 
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 50 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFESBoletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
Boletim 49 - Grupo de conjuntura econômica da UFES
 
Ministro Guido
Ministro GuidoMinistro Guido
Ministro Guido
 
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 201...
 
Conjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica NacionalConjuntura Econômica Nacional
Conjuntura Econômica Nacional
 
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasilPec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
Pec 241 ameaça o desenvolvimento do brasil
 
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupaçãoTEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
TEC 2010 05 - Indicadores de desemprego e de subocupação
 

Semelhante a G8 - Crise econômica

Tainá, camila e catarina! favor não mexer
Tainá, camila e catarina! favor não mexerTainá, camila e catarina! favor não mexer
Tainá, camila e catarina! favor não mexer
Alberto Santiago
 
CURSO DE ATUALIDADES INICIO
CURSO DE ATUALIDADES INICIOCURSO DE ATUALIDADES INICIO
CURSO DE ATUALIDADES INICIO
ProfMario De Mori
 
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
Aléxia Fortes
 
Slides g1
Slides g1Slides g1
Slides g1
Alberto Santiago
 
Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014
Alexandre Misturini
 
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na EuropaA Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
Isabela Mendonça
 
A crise econômica ok definitivo
A crise econômica ok definitivoA crise econômica ok definitivo
A crise econômica ok definitivo
Isabela Mendonça
 
Crise 29 e 2008
Crise 29 e 2008Crise 29 e 2008
Crise 29 e 2008
Mario Lopes
 
Carta aos empresarios
Carta aos empresariosCarta aos empresarios
Carta aos empresarios
WesleydeSouzaAlmeida
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira SantosNotas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
A. Rui Teixeira Santos
 
Economia Portuguesa 2012
Economia Portuguesa 2012Economia Portuguesa 2012
Economia Portuguesa 2012
A. Rui Teixeira Santos
 
2corsi12a19
2corsi12a192corsi12a19
2corsi12a19
Edelson Paiva
 
Economia 2008
Economia 2008Economia 2008
Economia 2008
Luis Alberto Bassoli
 
Crise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIALCrise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIAL
izzidoro
 
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Alessandro de Moura
 
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptxCRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
IracemaCristinaFerna
 
Como surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundialComo surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundial
letieri11
 
Crise nos EUA
Crise nos EUACrise nos EUA
Crise nos EUA
Luis Alberto Bassoli
 

Semelhante a G8 - Crise econômica (20)

Tainá, camila e catarina! favor não mexer
Tainá, camila e catarina! favor não mexerTainá, camila e catarina! favor não mexer
Tainá, camila e catarina! favor não mexer
 
CURSO DE ATUALIDADES INICIO
CURSO DE ATUALIDADES INICIOCURSO DE ATUALIDADES INICIO
CURSO DE ATUALIDADES INICIO
 
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
Capas de-resvistas-atuais-1224097238017293-9
 
Slides g1
Slides g1Slides g1
Slides g1
 
Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014Crise mundial de 2014
Crise mundial de 2014
 
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na EuropaA Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
 
A crise econômica ok definitivo
A crise econômica ok definitivoA crise econômica ok definitivo
A crise econômica ok definitivo
 
Crise 29 e 2008
Crise 29 e 2008Crise 29 e 2008
Crise 29 e 2008
 
Carta aos empresarios
Carta aos empresariosCarta aos empresarios
Carta aos empresarios
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
 
Grupo 2
Grupo 2Grupo 2
Grupo 2
 
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira SantosNotas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
Notas sobre a Economia Portuguesa 2012, prof. doutor Rui Teixeira Santos
 
Economia Portuguesa 2012
Economia Portuguesa 2012Economia Portuguesa 2012
Economia Portuguesa 2012
 
2corsi12a19
2corsi12a192corsi12a19
2corsi12a19
 
Economia 2008
Economia 2008Economia 2008
Economia 2008
 
Crise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIALCrise econômica MUNDIAL
Crise econômica MUNDIAL
 
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
 
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptxCRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
CRISES FINANCEIRAS E PANDEMIAS 3 SERIE.pptx
 
Como surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundialComo surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundial
 
Crise nos EUA
Crise nos EUACrise nos EUA
Crise nos EUA
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

G8 - Crise econômica

  • 1. Crise econômica na Europa e nos Estados Unidos E suas influências no Brasil
  • 2. Introdução O mundo entrou em nova e perigosa fase. Está surgindo uma retroalimentação positiva entre bancos e países debilitados, com efeito potencialmente catastrófico sobre os países da União Europeia e a economia mundial A crise econômica que vem abalando os Estados Unidos e a Europa está se espalhando por todos os países, já que grande parte do globo depende dessas potências, sendo assim eles administram a maior parte do comércio. Existem vários países dependentes deles, por exemplo: o México que é muito dependente dos Estados Unidos, ou seja, ele terá grandes chances de entrar em uma crise econômica, pois o comércio estará abalado e não terá outras fontes de lucro.
  • 4. Crise nos Estados Unidos • O acordo que elevou o teto da dívida não colocou um fim na crise da maior economia do planeta; • Para piorar, no dia 05 de agosto a agência de avaliação de risco rebaixou a nota da dívida americana considerando que os títulos dos EUA não são mais tão confiáveis; • O que é a dívida dos EUA: Assim como outros países - inclusive o Brasil - o Tesouro norte-americano emite no mercado financeiro papéis respaldados pelo governo para financiar as atividades do governo federal, como pagamento de funcionários e fundos de previdência. • Para quem os EUA devem: Brasil, China, Japão, Reino Unido e os países exportadores de petróleo estão entre os maiores credores estrangeiros que detêm 32% dos títulos da dívida pública dos Estados Unidos; Volte para o mapa ->
  • 5. Crise na Europa • Quebra e prejuízo de vários bancos (ex. o suíço UBS, o franco- belga Dexia e o britânico Bradford & Bingley (B&B)) • Alguns países, como a Grécia, gastaram mais capital do que conseguiram arrecadar com impostos, gerando enormes dívidas • Desvalorização do euro • Países em situação de risco - Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha - que formam o chamado grupo dos PIIGS –
  • 6. Impactos da crise no Brasil EUA Na avaliação do economista Miguel Daoud, da consultoria Global Financial Advisor, um eventual calote dos EUA teria impactos econômicos no Brasil, que vive momento de dólar baixo e forte consumo de importados. Encareceria o custo de financiamento para bancos e empresas brasileiras, que precisam captar dinheiro no exterior; valorizaria o dólar e aumentaria o preço dos importados, o que geraria inflação; causaria também, conseqüentemente, a necessidade de se aumentar ainda mais os juros para controlar os preços. Europa A crise econômica que atinge a Europa não irá custar o emprego dos brasileiros, nem causar um impacto nos investimentos dos países no Brasil. Na verdade, o efeito esperado é o contrário, com o direcionamento dos investimentos do exterior para o mercado brasileiro, na tentativa de recuperar as perdas nos outros mercados. Volte para o mapa ->
  • 7. Quiz 1- A crise econômica que vem abalando os Estados Unidos e a Europa está se espalhando por todos os países. Por que a crise afeta os países que não estão envolvidos diretamente? a) Por tentaram ajudar os EUA e a Europa, e se prejudicarem. b) Por serem 2 grandes potências, servem de base para os outros países, portanto ao serem prejudicadas consequentemente afetam os outros. c) Por vigança das potências para não ficarem por baixo
  • 8. Quiz 2- Sobre os impactos da crise econômica em relação ao Brasil, identifique a alternativa incorreta. a) Com o direcionamento dos investimentos do exterior para o mercado brasileiro, a taxa de desemprego irá diminuir b) O dólar mais valorizado o que levaria ao aumento do preço dos importados, o que geraria inflação. c) Não iria afetar de uma forma bruta, já que o Brasil é um país independente e não precisa de qualquer tipo de ajuda.
  • 9. Quiz 3- “A Europa, sempre lembrada como uma região de altíssimo desenvolvimento econômico e bem-estar social, agora tem sua imagem associada a turbulências de mercado” Em relação à crise por que o euro se desvaloriza ? a) A possibilidade de que governos e empresas da região não possam pagar suas dívidas faz com que boa parte dos investidores não queira ficar exposta ao risco de ações e títulos europeus. O movimento de procura por dólares e abandono do euro, fez com que a cotação da moeda europeia atingisse valores muito baixos B) Não aconteceu uma desvalorização, o euro só aumentou c) O euro não se desvalorizou por ser a moeda mais importante/mais cara do mundo
  • 10. Créditos Gabriela Di Poggio – nº 10 Victor Moinhos – nº 29 Vitor Ricardo – nº 30 Yllana Marques – nº 31 Profº Parente – Geografia