SlideShare uma empresa Scribd logo
Contabilidade e o Mercado de Trabalho
Fábio Marcelino Guilhon
Professor – Luciano Fernandes
Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI
Gestão Financeira – Contabilidade Básica
31/05/16
RESUMO
O Objetivo do trabalho é descrever o cenário do profissional contábil junto aos clientes de perfil
empreendedor, atuação do contador nas empresas que estão iniciando e como o profissional
contábil pode ajudar a empresa a crescer e se desenvolver. Através da pesquisa de situações que
abordam experiências na vida contábil, será possível transcrever as dificuldades e cuidados
inerentes ao profissional contábil.
Palavras-chave: Contador. Empreendedor. Contábil.
1. INTRODUÇÃO
Existem vários segmentos em que o pleiteante ao exercício da profissão contábil poderá
optar, em sua especialização. Neste trabalho estaremos tratando especificamente dos aspectos da
relação profissional, do contador e o empreendedor.
O profissional contábil exerce um importante papel nesta parceria, pois tem a qualificação
técnica e faz o papel do moderador, de forma a conter o ímpeto do empreendedor. Este ímpeto de
empreender sem considerar os impactos contábeis, muitas vezes pode prejudicar a empresa ou até
mesmo inviabilizá-la, ao ponto de fechar as portas. Neste aspecto, podemos considerar que o
contador e o empreendedor podem formar uma “dupla perfeita”, misturando a ousadia e entusiasmo
empreendedor com a técnica e o comedimento do contador.
Ao desenvolver o trabalho ilustrando este cenário de atuação do profissional contábil,
iremos ressaltar os pontos principais para o sucesso da atuação do contador, lidando com o cliente
de perfil empreendedor.
2. PROFISSIONAL CONTÁBIL JUNTO AOS PERFIS EMPREENDEDORES
2.1. CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
2
Uma das teorias mais aceitas atualmente é promovida pelo estudioso Robert D. Hisrich, em
sua obra “Empreendedorismo”. De acordo com ele, o empreendedorismo é o processo de
criar algo diferente e com valor, aplicando-se ao tempo e ao esforço necessário, assumindo
os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes, tendo por consequência,
recompensas da satisfação pessoal e econômica.
Importante destacar também que o empreendedorismo é o principal fator promotor do
desenvolvimento econômico e social de uma nação. Um dos principais papeis do
empreendedor é identificar oportunidades, se agarrar a elas e buscar os recursos para
transformá-las em um negócio lucrativamente escalável. (MENTALIDADE
EMPREENDEDORA, 2015).
2.2. DADOS RELACIONADOS AO EMPREENDEDORISMO
Foram contabilizados, em 2009, aproximadamente 19 milhões de empreendedoras no
Brasil. Em 2011, o número chegou a 27 milhões.
A ‘Global Entrepreneurship Monitor’ destacou em uma pesquisa que 34% dos brasileiros
adultos são empreendedores.
No Brasil, apenas 14% de quem empreende têm formação superior. 30% não concluíram o
ensino fundamental.
Nos países desenvolvidos, 58% dos empreendedores possuem formação superior.
37 milhões de trabalhos no país estão associados a negócios acima de 10 funcionários.
(MENTALIDADE EMPREENDEDORA, 2015).
2.3. A PARCERIA ENTRE CONTADOR E O EMPREENDEDOR
Para Rincaweski (2014, p. 33):
O empreendedor de sucesso já descobriu o valor de uma boa parceria na hora de formalizar
o seu negócio. Ele sabe que o sucesso de seu projeto depende fundamentalmente da análise
de um profissional contábil. Você, este profissional, pode comprovar isso facilmente apenas
verificando a sua carteira de clientes, perceberá que o empreendedor bem-sucedido é aquele
que o procura com mais frequência e é mais crítico que os demais empresários. É aquele
que dá valor a uma análise técnica sobre um novo projeto, pois sabe que não basta ter uma
boa ideia, ela tem que ter consistência e ser viável financeiramente. Que, para materializar
um novo projeto, ele necessita de muitas pessoas para ajudá-lo e, dentre elas, um dos mais
importantes é o contador.
O contador é a pessoa que faz a leitura das ideias do empreendedor, convertendo-as em
números. É ele quem materializa a figura jurídica da empresa, que fará com que uma
simples ideia vire realidade.
Para Rincaweski (2014, p. 34):
Para o empreendedor, a criação de uma empresa é quase como a geração de um filho. O
empreendedor sonha com ela e faz inúmeros planos para o futuro. Cabe, então, ao contador
fazer o acompanhamento dessa gestação, o parto, como também o acompanhamento
durante toda a sua existência. Durante esse tempo, surgem vários imprevistos (doenças)
causados pela interação dessa empresa com o mercado (meio ambiente), que, se não forem
tratados adequadamente com doses pontuais de decisões estratégicas (medicamentos),
3
definidas através de indicadores econômicos e financeiros (exames específicos), poderão
causar até a falência (morte) da empresa.
Seguindo esse raciocínio, podemos dizer que o contador ocupa na empresa um papel
semelhante ao que o médico representa na vida de uma pessoa, ou seja, orienta, previne e
trata da saúde da empresa.
Para Rincaweski (2014, p. 34):
Cabe ao contador, também, fazer o papel de mau, segurando um pouco o ímpeto do
empreendedor na sua ânsia de colocar em prática seus novos projetos. Muitas vezes a ideia
é muito boa, mas o momento não é adequado. Muitas vezes a ideia é excelente, mas faltam
recursos humanos e financeiros, outras vezes, o projeto é inviável mesmo, e é dever do
contador, de forma sincera e direta, fazer o comunicado do fato ao sempre otimista,
empreendedor.
O contador não é nenhum oráculo que faz previsões futuristas. Ele simplesmente faz sua
análise baseado em dados concretos, pois os números não mentem se forem corretamente
interpretados, é claro.
Não falo somente de grandes empreendedores, falo de todos aqueles que, de alguma forma,
souberam enxergar uma oportunidade e criaram empresas que podemos chamar, no
popular, de ‘redondas’. São aquelas empresas que têm sustentação financeira, que
atravessaram seguidas crises e se transformam diariamente em busca da excelência. Essas
empresas existem e são elas que geram a riqueza de uma nação.
3. ATUAÇÃO DO CONTADOR NAS EMPRESAS QUE ESTÃO INICIANDO
3.1. CONTADOR: FONTE DE INFORMAÇÃO PARA QUEM ESTÁ INICIANDO
Os últimos anos foram de muito progresso para o empreendedorismo brasileiro. Além do
grande crescimento no número de novas empresas, mais negócios foram criados por
oportunidade e não por necessidade (que é o caso dos empreendedores que não têm outra
opção de renda).
Neste cenário, destacam-se as micro e pequenas empresas. Com o apoio de programas do
governo, tanto com incentivos financeiros quanto fiscais, os microempresários puderam sair
da ilegalidade para criar seus negócios, pagar impostos e garantir benefícios e direitos,
como aposentadoria e seguro saúde. Mais do que isso, com o ambiente favorável, são essas
as empresas que mais crescem e mais faturam no país.
Mas a receita do sucesso não está baseada apenas em melhorias nacionais ou apoio federal:
grande parte do salto empreendedor brasileiro está na figura do contador. Com um número
cada vez maior de empresas legalizadas, o contador tornou-se um dos melhores
conselheiros para empresários, principalmente aqueles que estão iniciando sua jornada.
Assim, nos próximos parágrafos, iremos nos aprofundar na importância da assessoria
contábil e o que você deve procurar em um contador. (ALTAIR ALVES:
CONTABILIDADE, FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014).
3.2. INFORMAÇÕES CONTÁBEIS NO ESTÁGIO INICIAL DA EMPRESA
O papel do contador se dá de duas formas: quando você cria uma empresa, é ele que irá
decidir, a partir do seu modelo de negócios, qual o melhor enquadramento fiscal para o seu
negócio. Este enquadramento é que irá determinar sua faixa de imposto, ou seja, se ele será
Simples, lucro real ou lucro presumido. A depender do tamanho da sua empresa, o imposto
impacta diretamente na sua margem de lucro. Ou seja, é fundamental que você seja bem
assessorado para não perder vantagem diante do mercado.
Outra função do contador é auxiliar sua empresa a tomar as melhores decisões de negócio.
Por exemplo, quando você decidir contratar um funcionário é preciso entender que o custo
4
daquele funcionário não se restringe apenas ao salário, mas, também a todos os impostos
que sua empresa é obrigada a pagar, mais férias e décimo-terceiro salário. Fazer esta conta
corretamente te ajudará a planejar seu fluxo de caixa e a entender de que forma sua empresa
poderá crescer. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E
EMPREENDEDORISMO, 2014).
3.3. O QUE O EMPREENDEDOR DEVE BUSCAR EM UM CONTADOR
Dito isso, você pode imaginar que o contador ideal para o seu negócio terá um perfil mais
técnico, com amplo domínio sobre tributações e números. Apesar de não estar errado, saiba
que as características que devem ser buscadas neste tipo de profissional vão muito além
deste conhecimento técnico.
Ao longo do tempo, um contador é capaz de acumular experiências (de cases empresariais
de sucesso) que irão ajudar seus clientes a criar empresas mais sustentáveis. Por ter acesso
aos principais números do negócio, bons contadores podem sugerir melhorias de gestão e
até incrementos em produtos ou serviços em busca de uma maior lucratividade. Escolher
um contador que conheça sobre vários segmentos de atuação, neste sentido, deixará sua
empresa bem amparada em todos os setores do empreendimento e até em negociações com
clientes e parceiros. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E
EMPREENDEDORISMO, 2014).
[...] Infelizmente, em busca de economia, muitos empreendedores não valorizam o papel do
contador, relegando a ele apenas tarefas técnicas e recusando-se a arcar com o preço justo
para contar com este apoio tão necessário. Se for para o lado oposto e buscar em um
contador um verdadeiro parceiro para o seu negócio, valorizando seus serviços à altura,
você terá muito mais do que as tributações em dia, mas um negócio com gestão mais
eficiente e com mais chances de sucesso. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE,
FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014).
4. COMO O PROFISSIONAL CONTÁBIL PODE AJUDAR A EMPRESA A CRESCER E
SE DESENVOLVER
4.1. O CONTADOR E O DESENVOLVIMENTO DE UMA EMPRESA
Para Rincaweski (2014, p. 10):
Destaco que, sem sombra de dúvidas, a parte mais gratificante do exercício da profissão
contábil é poder trabalhar diretamente com empreendedores dos mais variados ramos de
atividade, participar do nascimento de pequenas empresas e, ver que é possível sim, com
muito trabalho, planejamento e dedicação, criar uma empresa do zero, fazê-la crescer e
torná-la uma grande empresa, gerando empregos e riqueza.
Para Rincaweski (2014, p. 54):
Em pequenas e médias empresas, o problema é ainda maior. Muitas, no intuito de
economizar, acabam delegando várias funções importantes para uma única pessoa, sem
assegurar um treinamento adequado mínimo. Isso ocorre, por exemplo, nas áreas de
recursos humanos, financeira e fiscal. Para uma pequena empresa, sem dúvida, no início
essa é a única maneira possível de organização e, na maioria dos casos, é o próprio
empreendedor que acumula as funções. Isso se torna um problema maior quando a empresa
começa a crescer e essa área continua sendo a última a receber atenção, e não na medida da
5
sua importância. Tal displicência pode, por vezes, custar caro ao empresário, por conta de
rompimentos de parcerias importantes, assim como por severas punições na esfera fiscal.
Uma sequência de erros e mal-entendidos pode minar qualquer relação comercial, mas
frequentemente o empresário só se dá conta disso quando a bomba já estourou. Depois,
sente-se traído por não ter sido informado sobre a gravidade do problema. Porém, fazendo
uma pequena reflexão, poderá constatar que recebeu vários sinais quanto à situação, os
quais não foram interpretados corretamente ou permaneceram tratados como assunto sem
importância.
Para Rincaweski (2014, p. 55):
O problema é ainda maior nas áreas fiscal e de pessoal: com o tempo, são criadas
verdadeiras bombas–relógio, que podem ser acionadas sem qualquer aviso, com efeito
devastador para as finanças de uma empresa, chegando até mesmo à falência.
Mencionei este assunto com o intuito de mostrar que, ao final, todo desajuste acaba
estourando na empresa contábil ou na contabilidade das empresas, ou seja, com tantas
falhas na produção do material para relatórios contábeis e fiscais, existe grande
probabilidade de o empresário desconhecer o real valor de sua empresa. Da mesma forma,
não terá in- formações confiáveis para a tomada de decisões importantes dentro da
organização.
4.2. DESENVOLVIMENTO DE UMA EMPRESA EM TEMPO DE CRISE
O ano de 2016 começou e com ele as pespectivas das pessoas físicas e jurídicas para os
próximos 366 dias que virão. Muitas, inclusive, estão tentando fazer previsões a respeito do
cenário econômico deste ano, uma vez que em 2014 a economia brasileira cresceu 0,1%,
ficando estagnada. Em 2015 houve queda do Produto Interno Bruto – PIB de
aproximadamente 3,5%, inflação na casa de 10% e desemprego em trajetória alta, mesmo
no fim do ano. O cenário foi assustador!
Para agravar situação, parece haver certo consenso de que ainda não estamos no fundo do
poço. Se 2015 foi difícil em razão da necessidade do governo de implementar medidas do
ajuste fiscal, que têm por meta aumentar as receitas e reduzir as despesas governamentais,
2016 promete ser muito mais obscuro em todos os setores, já que nem as receitas cresceram
e nem as despesas decresceram. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016).
Portanto, diante de tantas incertezas na economia, um fato é certo: 2016 será um ano
angustiante para as empresas, de forma geral, por conta de vários fatores, com destaque
para a queda da demanda de produtos e serviços, aumento da carga tributária, inflação,
desemprego, alta do dólar, juros altos, reajuste das tarifas públicas, entre inúmeros outros
fatores.
Neste contexto, a Contabilidade, é um sistema útil de síntese de informação, não tendo
nenhuma outra Ciência igual ou semelhante em um momento tão crítico, afinal só ela é
capaz de oferecer aos empresários informações e dados sobre comportamento de custos
fixos e variáveis, planejamentos tributários, preços, demonstrações financeiras e pareceres
contábeis: um verdadeiro poder informacional para as empresas de todos os portes e
segmentos. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016).
Para o presidente do Conselho Federal de Contabilidade – CFC, José Martonio Alves
Coelho [foto], na gestão 2016/2017, em momentos de desafios econômicos, ter e saber usar
a Contabilidade é um privilégio e os empresários não podem abrir mão desta ferramenta.
Em entrevista à Revista Dedução, ele comenta que tem, independente da crise que assola o
País, o contador será ainda mais valorizado neste ano: ‘Tenho a responsabilidade de hoje
representar a maior instituição contábil brasileira e uma classe forte, com mais de 530 mil
profissionais. Assumi mais uma vez o comando do CFC com a mesma disposição e com o
propósito de zelar pela profissão e, dessa forma, contribuir para o crescimento e
6
aprimoramento das Ciências Contábeis. No que depender do meu empenho e dedicação, o
ano de 2016 será marcado pela maior visibilidade e valorização da profissão contábil no
contexto nacional’. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016).
Para a Contabilidade crescer e se valorizar é mais do que fundamental, na avaliação de
Clara, e, para isso, cada profissional precisa ter ciência de seu valor. ‘Que tenha consciência
da importância da profissão, pois só quem pode valorizá-la somos nós, para depois a
sociedade, empresários e órgãos também reconhecerem e conhecerem o que realmente faz
um contador’, diz enfatizando que é importante ainda os órgãos que legislam convocar os
contadores para participar da construção das leis, ‘pois nós somos os profissionais que
conhecem o tema na teoria e na prática, e que operacionalizam estas normas’.
Mas engana-se quem pensa que 2015 foi um ano perdido. Na análise de Araújo, pelo menos
na área contábil, o ano de 2015 foi especial para o Brasil, graças ao avanço e conquistas na
implantação das Normas Internacionais de Contabilidade no País. O saldo positivo foi
percebido não somente nas organizações do mercado nacional como internacional, que
passaram a ter uma nova visão contábil e houve uma melhora gradual na qualidade das
informações, de forma constante e sem volta. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016).
No parecer do líder do CRCSP, a carreira do profissional da Contabilidade é uma das mais
nobres e valorizadas porque a ciência e a riqueza das informações geradas demonstra a real
situação das organizações. ‘A Contabilidade é a base sólida para a tomada de decisões no
mundo dos negócios, ela é fundamental no desenvolvimento de um País’, comenta. ‘É
preciso resgatar a credibilidade de um país que tem grande potencial de desenvolvimento,
especialmente nos negócios. A Contabilidade fez e fará sempre parte desse
desenvolvimento. A aplicação da Ciência Contábil tem total condição de dar o suporte e
oferecer a estrutura necessária para o crescimento sustentável do Brasil. Sem dúvida, as
tomadas de decisões cada vez mais dependerão dos resultados apresentados pela
Contabilidade’, reforça o presidente do CRC SP. Empreendedor de sucesso já descobriu o
valor de uma boa parceria na hora de formalizar o seu negócio. Ele sabe que o sucesso de
seu projeto depende fundamentalmente da análise de um profissional contábil. (REVISTA
DEDUÇÃO, 2016).
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ao longo deste trabalho podemos concluir que o profissional contábil é uma peça
fundamental na vida da empresa e do empreendedor. Mesmo antes da constituição da empresa, na
formatação do plano de negócio, a participação do contador é fundamental, pois os conhecimentos
fiscais e tributários são essenciais para dar credibilidade e confiabilidade neste plano.
Em época de crise econômica, a importância de uma assessoria contábil ainda aumenta, as
ações precisam ser “cirúrgicas”, onde a recuperação de qualquer deslize é muito difícil.
As empresas que querem trilhar caminhos menos sinuosos, precisam do profissional contábil
como um “guia”, conduzindo ao lado do empreendedor o rumo da empresa.
REFERÊNCIAS
7
EQUIPE DE REDAÇÃO DO MENTALIDADE EMPREENDEDORA. Empreendedorismo
Definição. Disponível em:
<http://mentalidadeempreendedora.com.br/empreendedorismo/empreendedorismo-definicao-
mentalidade-empreendedora>. Acesso em: 21 de mai. 2016.
RINCAWESKI, Isaac. Contador e Empreendedor: uma dupla perfeita: Conversando sobre o
mundo da Contabilidade: Blumenau, SC: Edição do Autor, 2014.
ALVES, Altair. Contador: a principal fonte de informações para quem está começando no mundo
do empreendedorismo, 2014. Disponível em:< http://www.altairalves.com.br/blog/contador-
principal-fonte-para-quem-esta-comecando. Acesso em: 21 de mai. 2014.
REVISTA DEDUÇÃO. O papel da Contabilidade em um ano de crise Definição. Disponível em:
<http://www.deducao.com.br/noticia/1807-o-papel-da-contabilidade-em-um-ano-de-crise>. Acesso
em: 21 de mai. 2016.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual capacidade jovemempreendedor (2)
Manual capacidade jovemempreendedor (2)Manual capacidade jovemempreendedor (2)
Manual capacidade jovemempreendedor (2)
CRIST1976
 
Manual do Jovem Empreendedor
Manual do Jovem EmpreendedorManual do Jovem Empreendedor
Manual do Jovem Empreendedor
Rodrigo Mesquita
 
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 20084a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
gestao em hipermídia Pós-graduação
 
Profissão contábil
Profissão contábil Profissão contábil
Profissão contábil
Vinicius Carneiro
 
Silvia kassai
Silvia kassaiSilvia kassai
Silvia kassai
MauricioJanioTorresX
 
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
Cristiano Machado
 
6. conjuntura
6. conjuntura6. conjuntura
6. conjuntura
PAULO Moreira
 
Cap 01 a.administracao.financeira
Cap 01 a.administracao.financeiraCap 01 a.administracao.financeira
Cap 01 a.administracao.financeira
capitulocontabil
 
Ser Empreendedor
Ser EmpreendedorSer Empreendedor
Ser Empreendedor
Luis Rasquilha
 
Marketing Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
Marketing  Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...Marketing  Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
Marketing Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
Cristiano Machado
 
Palestra Comece Certo 2009
Palestra Comece Certo 2009Palestra Comece Certo 2009
Palestra Comece Certo 2009
SEBRAE MS
 
Os dez pecados mortais do marketing
Os dez pecados mortais do marketingOs dez pecados mortais do marketing
Os dez pecados mortais do marketing
Blogotipos - Diário das Marcas
 
Roberta
RobertaRoberta
Roberta
Luisa Alves
 
Plano de Negócios
Plano de NegóciosPlano de Negócios
Plano de Negócios
Milton Henrique do Couto Neto
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49
SINDIMETAL RS
 
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Ramon Ubaldo Waldir da Silva Júnior, MBA
 
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
martaluciaschaedler
 
Auros didatica principal
Auros didatica principalAuros didatica principal
Auros didatica principal
aurosgestao
 
Relevância e abrangência do marketing jurídico
Relevância e abrangência do marketing jurídicoRelevância e abrangência do marketing jurídico
Relevância e abrangência do marketing jurídico
Marco Antonio P. Gonçalves
 
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano MartinsEmpreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
Roger Mafra
 

Mais procurados (20)

Manual capacidade jovemempreendedor (2)
Manual capacidade jovemempreendedor (2)Manual capacidade jovemempreendedor (2)
Manual capacidade jovemempreendedor (2)
 
Manual do Jovem Empreendedor
Manual do Jovem EmpreendedorManual do Jovem Empreendedor
Manual do Jovem Empreendedor
 
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 20084a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
4a Aula Gestao Empresarial 2 Abr 2008
 
Profissão contábil
Profissão contábil Profissão contábil
Profissão contábil
 
Silvia kassai
Silvia kassaiSilvia kassai
Silvia kassai
 
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
Marketing Empreendedor: Revisão bibliográfica de uma nova visão do marketing ...
 
6. conjuntura
6. conjuntura6. conjuntura
6. conjuntura
 
Cap 01 a.administracao.financeira
Cap 01 a.administracao.financeiraCap 01 a.administracao.financeira
Cap 01 a.administracao.financeira
 
Ser Empreendedor
Ser EmpreendedorSer Empreendedor
Ser Empreendedor
 
Marketing Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
Marketing  Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...Marketing  Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
Marketing Empreendedor - Como Pequenas Empresas e Empreendedores Fazem Marke...
 
Palestra Comece Certo 2009
Palestra Comece Certo 2009Palestra Comece Certo 2009
Palestra Comece Certo 2009
 
Os dez pecados mortais do marketing
Os dez pecados mortais do marketingOs dez pecados mortais do marketing
Os dez pecados mortais do marketing
 
Roberta
RobertaRoberta
Roberta
 
Plano de Negócios
Plano de NegóciosPlano de Negócios
Plano de Negócios
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49
 
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
 
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
Marta livro: os protagonistas nos processos de abertura de empresas ...
 
Auros didatica principal
Auros didatica principalAuros didatica principal
Auros didatica principal
 
Relevância e abrangência do marketing jurídico
Relevância e abrangência do marketing jurídicoRelevância e abrangência do marketing jurídico
Relevância e abrangência do marketing jurídico
 
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano MartinsEmpreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
Empreendedorismo - FATEC 2006 - Tomas Sparano Martins
 

Semelhante a Contabilidade e o mercado de trabalho

Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptxConceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Ricardo Santos
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Professora Patricia Lima
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Michelle Celestino
 
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
Adriano Alves de Aquino
 
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario juniorPalestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Universidade de Pernambuco
 
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
IOB News
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
Homero Alves de Lima
 
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
Rodrigo Pereira Melo
 
Consultoria empreendedora Sempree
Consultoria empreendedora SempreeConsultoria empreendedora Sempree
Consultoria empreendedora Sempree
Sempree - Saber Empreendedor
 
Guia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
Guia | Criar e Manter uma Empresa EficienteGuia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
Guia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
Procenge
 
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVAE book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
Siqueira & Associados Auditores Independentes
 
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
Elizabeth Custodio
 
Atps administração financeira.doc
Atps administração financeira.docAtps administração financeira.doc
Atps administração financeira.doc
Giseli Cristina Silva
 
Análise e Planejamento Financeiro
Análise e Planejamento FinanceiroAnálise e Planejamento Financeiro
Análise e Planejamento Financeiro
consulte
 
Contabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolganteContabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolgante
raffaedavila
 
Contabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolganteContabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolgante
raffaedavila
 
Obrigacoes do gestor
Obrigacoes do gestorObrigacoes do gestor
Obrigacoes do gestor
Vakuva Jose
 
Gestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completoGestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completo
Eduardo Faraco
 
A Função Estratégica do Contador nas Empresas
A Função Estratégica do Contador nas EmpresasA Função Estratégica do Contador nas Empresas
A Função Estratégica do Contador nas Empresas
HS CONTÁBIL LTDA
 
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015altApresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
Fernanda Bueno
 

Semelhante a Contabilidade e o mercado de trabalho (20)

Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptxConceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O SUCESSOS DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO COMÉRC...
 
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario juniorPalestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
Palestra como montar e gerir uma empresa na visao de um empresario junior
 
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
REVISTA DA LIVRARIA IOB Agosto/2015
 
Aula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismoAula 01 empreendedorismo
Aula 01 empreendedorismo
 
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
Iae aula 09 plano de negócio 2012-1
 
Consultoria empreendedora Sempree
Consultoria empreendedora SempreeConsultoria empreendedora Sempree
Consultoria empreendedora Sempree
 
Guia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
Guia | Criar e Manter uma Empresa EficienteGuia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
Guia | Criar e Manter uma Empresa Eficiente
 
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVAE book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
E book PMEs e GOVERNANÇA CORPORATIVA
 
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
Empreendedorismo teleaula 4_tema_5
 
Atps administração financeira.doc
Atps administração financeira.docAtps administração financeira.doc
Atps administração financeira.doc
 
Análise e Planejamento Financeiro
Análise e Planejamento FinanceiroAnálise e Planejamento Financeiro
Análise e Planejamento Financeiro
 
Contabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolganteContabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolgante
 
Contabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolganteContabilidade, uma profissão empolgante
Contabilidade, uma profissão empolgante
 
Obrigacoes do gestor
Obrigacoes do gestorObrigacoes do gestor
Obrigacoes do gestor
 
Gestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completoGestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completo
 
A Função Estratégica do Contador nas Empresas
A Função Estratégica do Contador nas EmpresasA Função Estratégica do Contador nas Empresas
A Função Estratégica do Contador nas Empresas
 
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015altApresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
Apresentação fbcm para pm es, meis e profissionais liberais agosto 2015alt
 

Contabilidade e o mercado de trabalho

  • 1. Contabilidade e o Mercado de Trabalho Fábio Marcelino Guilhon Professor – Luciano Fernandes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão Financeira – Contabilidade Básica 31/05/16 RESUMO O Objetivo do trabalho é descrever o cenário do profissional contábil junto aos clientes de perfil empreendedor, atuação do contador nas empresas que estão iniciando e como o profissional contábil pode ajudar a empresa a crescer e se desenvolver. Através da pesquisa de situações que abordam experiências na vida contábil, será possível transcrever as dificuldades e cuidados inerentes ao profissional contábil. Palavras-chave: Contador. Empreendedor. Contábil. 1. INTRODUÇÃO Existem vários segmentos em que o pleiteante ao exercício da profissão contábil poderá optar, em sua especialização. Neste trabalho estaremos tratando especificamente dos aspectos da relação profissional, do contador e o empreendedor. O profissional contábil exerce um importante papel nesta parceria, pois tem a qualificação técnica e faz o papel do moderador, de forma a conter o ímpeto do empreendedor. Este ímpeto de empreender sem considerar os impactos contábeis, muitas vezes pode prejudicar a empresa ou até mesmo inviabilizá-la, ao ponto de fechar as portas. Neste aspecto, podemos considerar que o contador e o empreendedor podem formar uma “dupla perfeita”, misturando a ousadia e entusiasmo empreendedor com a técnica e o comedimento do contador. Ao desenvolver o trabalho ilustrando este cenário de atuação do profissional contábil, iremos ressaltar os pontos principais para o sucesso da atuação do contador, lidando com o cliente de perfil empreendedor. 2. PROFISSIONAL CONTÁBIL JUNTO AOS PERFIS EMPREENDEDORES 2.1. CONCEITO DE EMPREENDEDORISMO
  • 2. 2 Uma das teorias mais aceitas atualmente é promovida pelo estudioso Robert D. Hisrich, em sua obra “Empreendedorismo”. De acordo com ele, o empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, aplicando-se ao tempo e ao esforço necessário, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes, tendo por consequência, recompensas da satisfação pessoal e econômica. Importante destacar também que o empreendedorismo é o principal fator promotor do desenvolvimento econômico e social de uma nação. Um dos principais papeis do empreendedor é identificar oportunidades, se agarrar a elas e buscar os recursos para transformá-las em um negócio lucrativamente escalável. (MENTALIDADE EMPREENDEDORA, 2015). 2.2. DADOS RELACIONADOS AO EMPREENDEDORISMO Foram contabilizados, em 2009, aproximadamente 19 milhões de empreendedoras no Brasil. Em 2011, o número chegou a 27 milhões. A ‘Global Entrepreneurship Monitor’ destacou em uma pesquisa que 34% dos brasileiros adultos são empreendedores. No Brasil, apenas 14% de quem empreende têm formação superior. 30% não concluíram o ensino fundamental. Nos países desenvolvidos, 58% dos empreendedores possuem formação superior. 37 milhões de trabalhos no país estão associados a negócios acima de 10 funcionários. (MENTALIDADE EMPREENDEDORA, 2015). 2.3. A PARCERIA ENTRE CONTADOR E O EMPREENDEDOR Para Rincaweski (2014, p. 33): O empreendedor de sucesso já descobriu o valor de uma boa parceria na hora de formalizar o seu negócio. Ele sabe que o sucesso de seu projeto depende fundamentalmente da análise de um profissional contábil. Você, este profissional, pode comprovar isso facilmente apenas verificando a sua carteira de clientes, perceberá que o empreendedor bem-sucedido é aquele que o procura com mais frequência e é mais crítico que os demais empresários. É aquele que dá valor a uma análise técnica sobre um novo projeto, pois sabe que não basta ter uma boa ideia, ela tem que ter consistência e ser viável financeiramente. Que, para materializar um novo projeto, ele necessita de muitas pessoas para ajudá-lo e, dentre elas, um dos mais importantes é o contador. O contador é a pessoa que faz a leitura das ideias do empreendedor, convertendo-as em números. É ele quem materializa a figura jurídica da empresa, que fará com que uma simples ideia vire realidade. Para Rincaweski (2014, p. 34): Para o empreendedor, a criação de uma empresa é quase como a geração de um filho. O empreendedor sonha com ela e faz inúmeros planos para o futuro. Cabe, então, ao contador fazer o acompanhamento dessa gestação, o parto, como também o acompanhamento durante toda a sua existência. Durante esse tempo, surgem vários imprevistos (doenças) causados pela interação dessa empresa com o mercado (meio ambiente), que, se não forem tratados adequadamente com doses pontuais de decisões estratégicas (medicamentos),
  • 3. 3 definidas através de indicadores econômicos e financeiros (exames específicos), poderão causar até a falência (morte) da empresa. Seguindo esse raciocínio, podemos dizer que o contador ocupa na empresa um papel semelhante ao que o médico representa na vida de uma pessoa, ou seja, orienta, previne e trata da saúde da empresa. Para Rincaweski (2014, p. 34): Cabe ao contador, também, fazer o papel de mau, segurando um pouco o ímpeto do empreendedor na sua ânsia de colocar em prática seus novos projetos. Muitas vezes a ideia é muito boa, mas o momento não é adequado. Muitas vezes a ideia é excelente, mas faltam recursos humanos e financeiros, outras vezes, o projeto é inviável mesmo, e é dever do contador, de forma sincera e direta, fazer o comunicado do fato ao sempre otimista, empreendedor. O contador não é nenhum oráculo que faz previsões futuristas. Ele simplesmente faz sua análise baseado em dados concretos, pois os números não mentem se forem corretamente interpretados, é claro. Não falo somente de grandes empreendedores, falo de todos aqueles que, de alguma forma, souberam enxergar uma oportunidade e criaram empresas que podemos chamar, no popular, de ‘redondas’. São aquelas empresas que têm sustentação financeira, que atravessaram seguidas crises e se transformam diariamente em busca da excelência. Essas empresas existem e são elas que geram a riqueza de uma nação. 3. ATUAÇÃO DO CONTADOR NAS EMPRESAS QUE ESTÃO INICIANDO 3.1. CONTADOR: FONTE DE INFORMAÇÃO PARA QUEM ESTÁ INICIANDO Os últimos anos foram de muito progresso para o empreendedorismo brasileiro. Além do grande crescimento no número de novas empresas, mais negócios foram criados por oportunidade e não por necessidade (que é o caso dos empreendedores que não têm outra opção de renda). Neste cenário, destacam-se as micro e pequenas empresas. Com o apoio de programas do governo, tanto com incentivos financeiros quanto fiscais, os microempresários puderam sair da ilegalidade para criar seus negócios, pagar impostos e garantir benefícios e direitos, como aposentadoria e seguro saúde. Mais do que isso, com o ambiente favorável, são essas as empresas que mais crescem e mais faturam no país. Mas a receita do sucesso não está baseada apenas em melhorias nacionais ou apoio federal: grande parte do salto empreendedor brasileiro está na figura do contador. Com um número cada vez maior de empresas legalizadas, o contador tornou-se um dos melhores conselheiros para empresários, principalmente aqueles que estão iniciando sua jornada. Assim, nos próximos parágrafos, iremos nos aprofundar na importância da assessoria contábil e o que você deve procurar em um contador. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014). 3.2. INFORMAÇÕES CONTÁBEIS NO ESTÁGIO INICIAL DA EMPRESA O papel do contador se dá de duas formas: quando você cria uma empresa, é ele que irá decidir, a partir do seu modelo de negócios, qual o melhor enquadramento fiscal para o seu negócio. Este enquadramento é que irá determinar sua faixa de imposto, ou seja, se ele será Simples, lucro real ou lucro presumido. A depender do tamanho da sua empresa, o imposto impacta diretamente na sua margem de lucro. Ou seja, é fundamental que você seja bem assessorado para não perder vantagem diante do mercado. Outra função do contador é auxiliar sua empresa a tomar as melhores decisões de negócio. Por exemplo, quando você decidir contratar um funcionário é preciso entender que o custo
  • 4. 4 daquele funcionário não se restringe apenas ao salário, mas, também a todos os impostos que sua empresa é obrigada a pagar, mais férias e décimo-terceiro salário. Fazer esta conta corretamente te ajudará a planejar seu fluxo de caixa e a entender de que forma sua empresa poderá crescer. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014). 3.3. O QUE O EMPREENDEDOR DEVE BUSCAR EM UM CONTADOR Dito isso, você pode imaginar que o contador ideal para o seu negócio terá um perfil mais técnico, com amplo domínio sobre tributações e números. Apesar de não estar errado, saiba que as características que devem ser buscadas neste tipo de profissional vão muito além deste conhecimento técnico. Ao longo do tempo, um contador é capaz de acumular experiências (de cases empresariais de sucesso) que irão ajudar seus clientes a criar empresas mais sustentáveis. Por ter acesso aos principais números do negócio, bons contadores podem sugerir melhorias de gestão e até incrementos em produtos ou serviços em busca de uma maior lucratividade. Escolher um contador que conheça sobre vários segmentos de atuação, neste sentido, deixará sua empresa bem amparada em todos os setores do empreendimento e até em negociações com clientes e parceiros. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014). [...] Infelizmente, em busca de economia, muitos empreendedores não valorizam o papel do contador, relegando a ele apenas tarefas técnicas e recusando-se a arcar com o preço justo para contar com este apoio tão necessário. Se for para o lado oposto e buscar em um contador um verdadeiro parceiro para o seu negócio, valorizando seus serviços à altura, você terá muito mais do que as tributações em dia, mas um negócio com gestão mais eficiente e com mais chances de sucesso. (ALTAIR ALVES: CONTABILIDADE, FINANÇAS E EMPREENDEDORISMO, 2014). 4. COMO O PROFISSIONAL CONTÁBIL PODE AJUDAR A EMPRESA A CRESCER E SE DESENVOLVER 4.1. O CONTADOR E O DESENVOLVIMENTO DE UMA EMPRESA Para Rincaweski (2014, p. 10): Destaco que, sem sombra de dúvidas, a parte mais gratificante do exercício da profissão contábil é poder trabalhar diretamente com empreendedores dos mais variados ramos de atividade, participar do nascimento de pequenas empresas e, ver que é possível sim, com muito trabalho, planejamento e dedicação, criar uma empresa do zero, fazê-la crescer e torná-la uma grande empresa, gerando empregos e riqueza. Para Rincaweski (2014, p. 54): Em pequenas e médias empresas, o problema é ainda maior. Muitas, no intuito de economizar, acabam delegando várias funções importantes para uma única pessoa, sem assegurar um treinamento adequado mínimo. Isso ocorre, por exemplo, nas áreas de recursos humanos, financeira e fiscal. Para uma pequena empresa, sem dúvida, no início essa é a única maneira possível de organização e, na maioria dos casos, é o próprio empreendedor que acumula as funções. Isso se torna um problema maior quando a empresa começa a crescer e essa área continua sendo a última a receber atenção, e não na medida da
  • 5. 5 sua importância. Tal displicência pode, por vezes, custar caro ao empresário, por conta de rompimentos de parcerias importantes, assim como por severas punições na esfera fiscal. Uma sequência de erros e mal-entendidos pode minar qualquer relação comercial, mas frequentemente o empresário só se dá conta disso quando a bomba já estourou. Depois, sente-se traído por não ter sido informado sobre a gravidade do problema. Porém, fazendo uma pequena reflexão, poderá constatar que recebeu vários sinais quanto à situação, os quais não foram interpretados corretamente ou permaneceram tratados como assunto sem importância. Para Rincaweski (2014, p. 55): O problema é ainda maior nas áreas fiscal e de pessoal: com o tempo, são criadas verdadeiras bombas–relógio, que podem ser acionadas sem qualquer aviso, com efeito devastador para as finanças de uma empresa, chegando até mesmo à falência. Mencionei este assunto com o intuito de mostrar que, ao final, todo desajuste acaba estourando na empresa contábil ou na contabilidade das empresas, ou seja, com tantas falhas na produção do material para relatórios contábeis e fiscais, existe grande probabilidade de o empresário desconhecer o real valor de sua empresa. Da mesma forma, não terá in- formações confiáveis para a tomada de decisões importantes dentro da organização. 4.2. DESENVOLVIMENTO DE UMA EMPRESA EM TEMPO DE CRISE O ano de 2016 começou e com ele as pespectivas das pessoas físicas e jurídicas para os próximos 366 dias que virão. Muitas, inclusive, estão tentando fazer previsões a respeito do cenário econômico deste ano, uma vez que em 2014 a economia brasileira cresceu 0,1%, ficando estagnada. Em 2015 houve queda do Produto Interno Bruto – PIB de aproximadamente 3,5%, inflação na casa de 10% e desemprego em trajetória alta, mesmo no fim do ano. O cenário foi assustador! Para agravar situação, parece haver certo consenso de que ainda não estamos no fundo do poço. Se 2015 foi difícil em razão da necessidade do governo de implementar medidas do ajuste fiscal, que têm por meta aumentar as receitas e reduzir as despesas governamentais, 2016 promete ser muito mais obscuro em todos os setores, já que nem as receitas cresceram e nem as despesas decresceram. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016). Portanto, diante de tantas incertezas na economia, um fato é certo: 2016 será um ano angustiante para as empresas, de forma geral, por conta de vários fatores, com destaque para a queda da demanda de produtos e serviços, aumento da carga tributária, inflação, desemprego, alta do dólar, juros altos, reajuste das tarifas públicas, entre inúmeros outros fatores. Neste contexto, a Contabilidade, é um sistema útil de síntese de informação, não tendo nenhuma outra Ciência igual ou semelhante em um momento tão crítico, afinal só ela é capaz de oferecer aos empresários informações e dados sobre comportamento de custos fixos e variáveis, planejamentos tributários, preços, demonstrações financeiras e pareceres contábeis: um verdadeiro poder informacional para as empresas de todos os portes e segmentos. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016). Para o presidente do Conselho Federal de Contabilidade – CFC, José Martonio Alves Coelho [foto], na gestão 2016/2017, em momentos de desafios econômicos, ter e saber usar a Contabilidade é um privilégio e os empresários não podem abrir mão desta ferramenta. Em entrevista à Revista Dedução, ele comenta que tem, independente da crise que assola o País, o contador será ainda mais valorizado neste ano: ‘Tenho a responsabilidade de hoje representar a maior instituição contábil brasileira e uma classe forte, com mais de 530 mil profissionais. Assumi mais uma vez o comando do CFC com a mesma disposição e com o propósito de zelar pela profissão e, dessa forma, contribuir para o crescimento e
  • 6. 6 aprimoramento das Ciências Contábeis. No que depender do meu empenho e dedicação, o ano de 2016 será marcado pela maior visibilidade e valorização da profissão contábil no contexto nacional’. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016). Para a Contabilidade crescer e se valorizar é mais do que fundamental, na avaliação de Clara, e, para isso, cada profissional precisa ter ciência de seu valor. ‘Que tenha consciência da importância da profissão, pois só quem pode valorizá-la somos nós, para depois a sociedade, empresários e órgãos também reconhecerem e conhecerem o que realmente faz um contador’, diz enfatizando que é importante ainda os órgãos que legislam convocar os contadores para participar da construção das leis, ‘pois nós somos os profissionais que conhecem o tema na teoria e na prática, e que operacionalizam estas normas’. Mas engana-se quem pensa que 2015 foi um ano perdido. Na análise de Araújo, pelo menos na área contábil, o ano de 2015 foi especial para o Brasil, graças ao avanço e conquistas na implantação das Normas Internacionais de Contabilidade no País. O saldo positivo foi percebido não somente nas organizações do mercado nacional como internacional, que passaram a ter uma nova visão contábil e houve uma melhora gradual na qualidade das informações, de forma constante e sem volta. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016). No parecer do líder do CRCSP, a carreira do profissional da Contabilidade é uma das mais nobres e valorizadas porque a ciência e a riqueza das informações geradas demonstra a real situação das organizações. ‘A Contabilidade é a base sólida para a tomada de decisões no mundo dos negócios, ela é fundamental no desenvolvimento de um País’, comenta. ‘É preciso resgatar a credibilidade de um país que tem grande potencial de desenvolvimento, especialmente nos negócios. A Contabilidade fez e fará sempre parte desse desenvolvimento. A aplicação da Ciência Contábil tem total condição de dar o suporte e oferecer a estrutura necessária para o crescimento sustentável do Brasil. Sem dúvida, as tomadas de decisões cada vez mais dependerão dos resultados apresentados pela Contabilidade’, reforça o presidente do CRC SP. Empreendedor de sucesso já descobriu o valor de uma boa parceria na hora de formalizar o seu negócio. Ele sabe que o sucesso de seu projeto depende fundamentalmente da análise de um profissional contábil. (REVISTA DEDUÇÃO, 2016). 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao longo deste trabalho podemos concluir que o profissional contábil é uma peça fundamental na vida da empresa e do empreendedor. Mesmo antes da constituição da empresa, na formatação do plano de negócio, a participação do contador é fundamental, pois os conhecimentos fiscais e tributários são essenciais para dar credibilidade e confiabilidade neste plano. Em época de crise econômica, a importância de uma assessoria contábil ainda aumenta, as ações precisam ser “cirúrgicas”, onde a recuperação de qualquer deslize é muito difícil. As empresas que querem trilhar caminhos menos sinuosos, precisam do profissional contábil como um “guia”, conduzindo ao lado do empreendedor o rumo da empresa. REFERÊNCIAS
  • 7. 7 EQUIPE DE REDAÇÃO DO MENTALIDADE EMPREENDEDORA. Empreendedorismo Definição. Disponível em: <http://mentalidadeempreendedora.com.br/empreendedorismo/empreendedorismo-definicao- mentalidade-empreendedora>. Acesso em: 21 de mai. 2016. RINCAWESKI, Isaac. Contador e Empreendedor: uma dupla perfeita: Conversando sobre o mundo da Contabilidade: Blumenau, SC: Edição do Autor, 2014. ALVES, Altair. Contador: a principal fonte de informações para quem está começando no mundo do empreendedorismo, 2014. Disponível em:< http://www.altairalves.com.br/blog/contador- principal-fonte-para-quem-esta-comecando. Acesso em: 21 de mai. 2014. REVISTA DEDUÇÃO. O papel da Contabilidade em um ano de crise Definição. Disponível em: <http://www.deducao.com.br/noticia/1807-o-papel-da-contabilidade-em-um-ano-de-crise>. Acesso em: 21 de mai. 2016.