SlideShare uma empresa Scribd logo
Poesias Escolhidas
Turma 23
AMIZADE
Mais que uma mão estendida
mais que um belo sorriso
mais do que a alegria de dividir
mais do que sonhar os mesmos sonhos
ou doer as mesmas dores
muito mais do que o silêncio que fala
ou da voz que cala, para ouvir
é, a amizade, o alimento
que nos sacia a alma
e nos é ofertado por alguém
que crê em nós
.
Desconhecido
Poesia "A Bola"
Cecília Meireles
A bela bola
rola:
a bela bola do Raul.
Bola amarela,
a da Arabela.
A do Raul,
azul.
Rola a amarela
e pula a azul.
A bola é mole,
é mole e rola.
A bola é bela,
é bela e pula.
É bela, rola e pula,
é mole, amarela, azul.
A de Raul é de Arabela,
Minha Timidez
Na presença de Amigos
São risos, caretas, brincadeiras...
A timidez não existe
Numa roda de Amigos.
Na presença de familiares
Normalmente o silêncio toma conta,
A falta de assunto fica em alta.
Na sua presença...
Há...
Como a sua presença me faz bem!
Mas...
Eu fico sem jeito
Sem ação,
Vem aquele frio na barriga...
O coração acelera,
O corpo treme,
Atropelo as palavras...
Isso são sintomas que você faz,
Com a
Minha Timidez!!!
Autor disconhesdo
METADE
Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca;
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio...
Que a música que eu ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza;
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante;
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade...
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece
E nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta
A um homem inundado de sentimentos;
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que cal
Saberás que não te amo e que te
amo
posto que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem uma metade de frio.
Eu te amo para começar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.
Te amo e não te amo como se
tivesse
em minhas mãos as chaves da
fortuna
e um incerto destino desafortunado.
Meu amor tem duas vidas para
amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo
A amizade consegue ser tão complexa...
Deixa uns desanimados, outros bem felizes...
É a alimentação dos fracos
É o reino dos fortes
Faz-nos cometer erros
Os fracos deixam se ir abaixo
Os fortes erguem sempre a cabeça
os assim assim assumem-os
Sem pensar conquistamos
O mundo geral
e construímos o nosso pequeno lugar
deixando brilhar cada estrelinha
Estrelinhas...
Doces, sensíveis, frias, ternurentas...
Mas sempre presentes em qualquer parte
Os donos da Amizade...
Nome desconhecido
O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.
Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...
Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!
Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...
Fernando Pessoa
Presságio
Ser gaúcho é uma dádiva, viver nessa terra de guerreiros por natureza não tem coisa
igual. Dizem que o sol nasce para todos, mas parece que ele brilha com mais vontade
em nossas terras com lindos campos verdes. Saborear o churrasco de domingo e
tomar um amargo chimarrão só pode ser coisa dos céus. Rio Grande Do Sul, terra de
lindas mulheres e homens maravilhosos. Lugar de pessoas hospitaleiras que sempre
recebem bem quem aqui vem nos visitar e acolhe com carinho aqueles que resolvem
ficar pelos pagos gaúchos daqui fazendo sua morada. Nossa cultura açoriana, o
trabalho de tecelagem em lã, o traje tipicamente gaúcho, a bravura de homens e
mulheres que são guerreiros por natureza, os casarios açorianos, isso e muito mais
você encontra aqui em nossa terra. Claro, eu não poderia deixar de citar o futebol
gaúcho neh, que é muito bem representado pelos times Internacional e Grêmio. Mesmo
sendo torcedora fanática do Inter, colorada de coração, perna, joelho, braço, nariz...
Reconhecer que são dois gigantes e dão seus respectivos shows quando estão em
campo. Parabéns ao nosso RS e a todos os gaúchos e gaúchas, afinal, “povo que não
tem virtude acaba por ser escravo” e que “Sirvam nossas façanhas de modelo a toda
Terra.
RIO GRANDE DO SUL
FRANCIANE COSTA
Quem Sabe um Dia
Quem sabe um dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!
Quem é que
Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!
Sabe amar
Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!
Um dia
Um mês
Um ano
Um(a) vida!
Mario Quintana
AMO-TE
AMO-TE quAnTO EM lArgO, AlTO E
prOfundO
Minh'AlMA AlcAnçA quAndO,
TrAnspOrTAdA,
sEnTE, AlOngAndO Os OlhOs dEsTE
MundO,
Os fins dO sEr, A grAçA EnTrEsOnhAdA.
AMO-TE A cAdA diA, hOrA E sEgundO
A luz dO sOl, nA nOiTE sOssEgAdA
E é TãO purA A pAixãO dE quE ME inundO
quAnTO O pudOr dOs quE nãO pEdEM
nAdA.
AMO-TE cOM A dOr, dAs vElhAs pEnAs
cOM sOrrisOs, cOM lágriMAs dE prEcE,
E A fé dE MinhA infânciA, ingênuA E
fOrTE.
AMO-TE ATé nAs cOisAs MAis pEquEnAs,
pOr TOdA vidA, E AssiM dEus O quisEr
AindA MAis TE AMArEi dEpOis dA MOrTE.
ElizAbETh bArrETT brOwning
AS BORBOLETAS
Vinicios de Morais
Brancas
Azuis
Amarelas
E pretas
Brincam
Na luz
As belas
Borboletas.
Borboletas brancas
São alegres e francas.
Borboletas azuis
Gostam muito de luz.
As amarelinhas
São tão bonitinhas!
E as pretas, então...
Oh, que escuridão!
Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.
É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.
Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes
Motivo
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.
Cecília Meireles
A fantasia
Para dourar a existência
Deus nos deu a fantasia;
Quadro vivo, que nos fala,
D'alma profunda harmonia.
Como um suave perfume,
Que com tudo se mistura;
Como o sol que flores cria,
E enche de vida a natura.
Como a lâmpada do templo
Nas trevas sozinha vela,
Mas se volta a luz do dia
Não se apaga, e sempre é bela.
Dos pais, do amigo na ausência,
Ela conserva a lembrança,
Aviva passados gozos,
E em nós desperta a esperança.
Por ela sonho acordado,
Subo ao céu, mil mundos gero;
Por ela às vezes dormindo
Mais feliz me considero.
Por ela, meu caro Lima,
Viverás sempre comigo;
Por ela sempre a teu lado
Estará o teu amigo.
Gonçalves de Magalhães
O importante da amizade
O importante da amizade não é conhecer o amigo;
e sim saber o que há dentro dele!...
Cada amigo novo que ganhamos na vida, nos aperfeiçoa
e enriquece, não pelo que nos dá, mas pelo
quanto descobrimos de nós mesmos.
Ser amigo não é coisa de um dia. São gestos, palavras,
sentimentos que se solidificam no tempo
e não se apagam jamais.
O amigo revela, desvenda, conforta.
É uma porta sempre aberta em qualquer situação.
O amigo na hora certa, é sol ao meio
dia, estrela na escuridão.
O amigo é bússola e rota no oceano,
porto seguro da tripulação.
O amigo é o milagre do calor humano
que Deus opera no coração.
Desconhecido
Abro os olhos na manhã
clara de París.
Da janela vejo o Sena
se espriguiçando
sob a Ponte de Alexandre
penetrando o útero
da cidade
fertilizando-a com brisas
geladas.
Essa cidade se traduz
por palavras
pela história
e pela essência
libertária.
Na Praça da Concórdia
Homens mulheres meninos
com o sol nos braços
gesticulam e posam
para fotos
pisando distraidas
a memória
dos revolucionários.
Por um instante
penso em Marat
e Danton
(corifeus da liberdade)
tento arquitetar um poema e me debruço
sobre a lavoura da silabas
soldo palavra a palavra
mas o poema me custa
Paris é maior
que meu poema
Paris é maior
que todos os poemas
desisto e me exatasio
agora com o Sena
escorrendo livre solto
histórico resoluto
pelo Canal de Saint Martin
coberto por um sol azul
aonde a tepidêz do verão
amorna ruas praças e avenidas
transmitindo uma vontade
imensa de se viver...
París é um poema imenso
completo belo
essencial.
POEMA QUASE CRONICA PARA PARÍS
A amizade consegue ser tão complexa...
Deixa uns desanimados, outros bem felizes...
É a alimentação dos fracos
É o reino dos fortes
Faz-nos cometer erros
Os fracos deixam se ir abaixo
Os fortes erguem sempre a cabeça
os assim assim assumem-os
Sem pensar conquistamos
O mundo geral
e construímos o nosso pequeno lugar
deixando brilhar cada estrelinha
Estrelinhas...
Doces, sensíveis, frias, ternurentas...
Mas sempre presentes em qualquer parte
Os donos da Amizade.
Autor Desconhecido..
Amizade
Soneto de Fidelidade
De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
Vinicius de Moraes
Nunca deixe
ninguém te dizer
que não pode
fazer alguma
coisa. Se você
tem um sonho tem
que correr atrás
dele. As pessoas
não conseguem
vencer e dizem
que você também
não vai vencer. Se
você quer uma
coisa corre atrás.
À Procura da Felicidade
Autor desconhecido
Pela luz dos olhos teus
Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.
Vinicius de Moraes

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Escolhendo Poesias

Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
VitorRibeiro261164
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
Carson Souza
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
Gisele Santos
 
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Mô...Moema Anita Conceição
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
claudia murta
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Carolina Loçasso Pereira
 
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.pptFIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
SAMARASILVANOGUEIRAP
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
Cassiano Santana
 
Figuras de linguagem 1
Figuras de linguagem 1Figuras de linguagem 1
Poemas ppt
Poemas pptPoemas ppt
Poemas ppt
piefohmania
 
Solteiros da sre
Solteiros da sreSolteiros da sre
Solteiros da sre
rejannesampaio
 
Grave-me atualizado.docx
Grave-me atualizado.docxGrave-me atualizado.docx
Grave-me atualizado.docx
AlineDosSantos45
 
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMASCarlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Ana Valeria Silva
 
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMASAMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
Khamia carvalho
 
Concurso poesia na corda 2010
Concurso poesia na corda 2010Concurso poesia na corda 2010
Concurso poesia na corda 2010
guestc77189d
 
Poemas de amor
Poemas de amorPoemas de amor
Poemas de amor
Alexandra Santos
 
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
Mirian Souza
 
Antologia livro
Antologia   livroAntologia   livro
Antologia livro
Brendda Neves
 
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagensPOESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
Terreza Lima
 
Figuras De Linguagem
Figuras De LinguagemFiguras De Linguagem
Figuras De Linguagem
Angela Santos
 

Semelhante a Escolhendo Poesias (20)

Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
 
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
Diamundialpoesia 100503060711-phpapp02
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.pptFIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
 
Figuras de linguagem 1
Figuras de linguagem 1Figuras de linguagem 1
Figuras de linguagem 1
 
Poemas ppt
Poemas pptPoemas ppt
Poemas ppt
 
Solteiros da sre
Solteiros da sreSolteiros da sre
Solteiros da sre
 
Grave-me atualizado.docx
Grave-me atualizado.docxGrave-me atualizado.docx
Grave-me atualizado.docx
 
Carlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMASCarlos drummond de andrade -POEMAS
Carlos drummond de andrade -POEMAS
 
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMASAMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
AMOR,ALEGRIAS E LAGRIMAS
 
Concurso poesia na corda 2010
Concurso poesia na corda 2010Concurso poesia na corda 2010
Concurso poesia na corda 2010
 
Poemas de amor
Poemas de amorPoemas de amor
Poemas de amor
 
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
OFICINA DE POEMAS (POWER POINT, WORD E INTERNET)
 
Antologia livro
Antologia   livroAntologia   livro
Antologia livro
 
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagensPOESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
 
Figuras De Linguagem
Figuras De LinguagemFiguras De Linguagem
Figuras De Linguagem
 

Mais de Cassiano Santana

Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
Cassiano Santana
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
Cassiano Santana
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
Cassiano Santana
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
Cassiano Santana
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
Cassiano Santana
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
Cassiano Santana
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
Cassiano Santana
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
Cassiano Santana
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
PasseioPasseio
Cartão de Páscoa
Cartão de PáscoaCartão de Páscoa
Cartão de Páscoa
Cassiano Santana
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
Cassiano Santana
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
Cassiano Santana
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
Cassiano Santana
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
Cassiano Santana
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
Cassiano Santana
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
Cassiano Santana
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
Cassiano Santana
 

Mais de Cassiano Santana (20)

Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
 
Alfabeto na Informática
Alfabeto na InformáticaAlfabeto na Informática
Alfabeto na Informática
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
 
Passeio
PasseioPasseio
Passeio
 
Cartão de Páscoa
Cartão de PáscoaCartão de Páscoa
Cartão de Páscoa
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
 
Campo e Cidade
Campo e CidadeCampo e Cidade
Campo e Cidade
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
 
Projeto Maps
Projeto MapsProjeto Maps
Projeto Maps
 

Último

livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 

Último (20)

livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 

Escolhendo Poesias

  • 2. AMIZADE Mais que uma mão estendida mais que um belo sorriso mais do que a alegria de dividir mais do que sonhar os mesmos sonhos ou doer as mesmas dores muito mais do que o silêncio que fala ou da voz que cala, para ouvir é, a amizade, o alimento que nos sacia a alma e nos é ofertado por alguém que crê em nós . Desconhecido
  • 3. Poesia "A Bola" Cecília Meireles A bela bola rola: a bela bola do Raul. Bola amarela, a da Arabela. A do Raul, azul. Rola a amarela e pula a azul. A bola é mole, é mole e rola. A bola é bela, é bela e pula. É bela, rola e pula, é mole, amarela, azul. A de Raul é de Arabela,
  • 4. Minha Timidez Na presença de Amigos São risos, caretas, brincadeiras... A timidez não existe Numa roda de Amigos. Na presença de familiares Normalmente o silêncio toma conta, A falta de assunto fica em alta. Na sua presença... Há... Como a sua presença me faz bem! Mas... Eu fico sem jeito Sem ação, Vem aquele frio na barriga... O coração acelera, O corpo treme, Atropelo as palavras... Isso são sintomas que você faz, Com a Minha Timidez!!! Autor disconhesdo
  • 5. METADE Que a força do medo que tenho Não me impeça de ver o que anseio; Que a morte de tudo em que acredito Não me tape os ouvidos e a boca; Porque metade de mim é o que eu grito, Mas a outra metade é silêncio... Que a música que eu ouço ao longe Seja linda, ainda que tristeza; Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada Mesmo que distante; Porque metade de mim é partida Mas a outra metade é saudade... Que as palavras que eu falo Não sejam ouvidas como prece E nem repetidas com fervor, Apenas respeitadas como a única coisa que resta A um homem inundado de sentimentos; Porque metade de mim é o que ouço Mas a outra metade é o que cal
  • 6. Saberás que não te amo e que te amo posto que de dois modos é a vida, a palavra é uma asa do silêncio, o fogo tem uma metade de frio. Eu te amo para começar a amar-te, para recomeçar o infinito e para não deixar de amar-te nunca: por isso não te amo ainda. Te amo e não te amo como se tivesse em minhas mãos as chaves da fortuna e um incerto destino desafortunado. Meu amor tem duas vidas para amar-te. Por isso te amo quando não te amo e por isso te amo quando te amo
  • 7. A amizade consegue ser tão complexa... Deixa uns desanimados, outros bem felizes... É a alimentação dos fracos É o reino dos fortes Faz-nos cometer erros Os fracos deixam se ir abaixo Os fortes erguem sempre a cabeça os assim assim assumem-os Sem pensar conquistamos O mundo geral e construímos o nosso pequeno lugar deixando brilhar cada estrelinha Estrelinhas... Doces, sensíveis, frias, ternurentas... Mas sempre presentes em qualquer parte Os donos da Amizade... Nome desconhecido
  • 8. O amor, quando se revela, Não se sabe revelar. Sabe bem olhar p'ra ela, Mas não lhe sabe falar. Quem quer dizer o que sente Não sabe o que há de dizer. Fala: parece que mente... Cala: parece esquecer... Ah, mas se ela adivinhasse, Se pudesse ouvir o olhar, E se um olhar lhe bastasse P'ra saber que a estão a amar! Mas quem sente muito, cala; Quem quer dizer quanto sente Fica sem alma nem fala, Fica só, inteiramente! Mas se isto puder contar-lhe O que não lhe ouso contar, Já não terei que falar-lhe Porque lhe estou a falar... Fernando Pessoa Presságio
  • 9. Ser gaúcho é uma dádiva, viver nessa terra de guerreiros por natureza não tem coisa igual. Dizem que o sol nasce para todos, mas parece que ele brilha com mais vontade em nossas terras com lindos campos verdes. Saborear o churrasco de domingo e tomar um amargo chimarrão só pode ser coisa dos céus. Rio Grande Do Sul, terra de lindas mulheres e homens maravilhosos. Lugar de pessoas hospitaleiras que sempre recebem bem quem aqui vem nos visitar e acolhe com carinho aqueles que resolvem ficar pelos pagos gaúchos daqui fazendo sua morada. Nossa cultura açoriana, o trabalho de tecelagem em lã, o traje tipicamente gaúcho, a bravura de homens e mulheres que são guerreiros por natureza, os casarios açorianos, isso e muito mais você encontra aqui em nossa terra. Claro, eu não poderia deixar de citar o futebol gaúcho neh, que é muito bem representado pelos times Internacional e Grêmio. Mesmo sendo torcedora fanática do Inter, colorada de coração, perna, joelho, braço, nariz... Reconhecer que são dois gigantes e dão seus respectivos shows quando estão em campo. Parabéns ao nosso RS e a todos os gaúchos e gaúchas, afinal, “povo que não tem virtude acaba por ser escravo” e que “Sirvam nossas façanhas de modelo a toda Terra. RIO GRANDE DO SUL FRANCIANE COSTA
  • 10. Quem Sabe um Dia Quem sabe um dia Quem sabe um seremos Quem sabe um viveremos Quem sabe um morreremos! Quem é que Quem é macho Quem é fêmea Quem é humano, apenas! Sabe amar Sabe de mim e de si Sabe de nós Sabe ser um! Um dia Um mês Um ano Um(a) vida! Mario Quintana
  • 11.
  • 12. AMO-TE AMO-TE quAnTO EM lArgO, AlTO E prOfundO Minh'AlMA AlcAnçA quAndO, TrAnspOrTAdA, sEnTE, AlOngAndO Os OlhOs dEsTE MundO, Os fins dO sEr, A grAçA EnTrEsOnhAdA. AMO-TE A cAdA diA, hOrA E sEgundO A luz dO sOl, nA nOiTE sOssEgAdA E é TãO purA A pAixãO dE quE ME inundO quAnTO O pudOr dOs quE nãO pEdEM nAdA. AMO-TE cOM A dOr, dAs vElhAs pEnAs cOM sOrrisOs, cOM lágriMAs dE prEcE, E A fé dE MinhA infânciA, ingênuA E fOrTE. AMO-TE ATé nAs cOisAs MAis pEquEnAs, pOr TOdA vidA, E AssiM dEus O quisEr AindA MAis TE AMArEi dEpOis dA MOrTE. ElizAbETh bArrETT brOwning
  • 13. AS BORBOLETAS Vinicios de Morais Brancas Azuis Amarelas E pretas Brincam Na luz As belas Borboletas. Borboletas brancas São alegres e francas. Borboletas azuis Gostam muito de luz. As amarelinhas São tão bonitinhas! E as pretas, então... Oh, que escuridão!
  • 14. Enfim, depois de tanto erro passado Tantas retaliações, tanto perigo Eis que ressurge noutro o velho amigo Nunca perdido, sempre reencontrado. É bom sentá-lo novamente ao lado Com olhos que contêm o olhar antigo Sempre comigo um pouco atribulado E como sempre singular comigo. Um bicho igual a mim, simples e humano Sabendo se mover e comover E a disfarçar com o meu próprio engano. O amigo: um ser que a vida não explica Que só se vai ao ver outro nascer E o espelho de minha alma multiplica... Vinicius de Moraes
  • 15. Motivo Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem sou triste: sou poeta. Irmão das coisas fugidias, não sinto gozo nem tormento. Atravesso noites e dias no vento. Se desmorono ou se edifico, se permaneço ou me desfaço, — não sei, não sei. Não sei se fico ou passo. Sei que canto. E a canção é tudo. Tem sangue eterno a asa ritmada. E um dia sei que estarei mudo: — mais nada. Cecília Meireles
  • 16. A fantasia Para dourar a existência Deus nos deu a fantasia; Quadro vivo, que nos fala, D'alma profunda harmonia. Como um suave perfume, Que com tudo se mistura; Como o sol que flores cria, E enche de vida a natura. Como a lâmpada do templo Nas trevas sozinha vela, Mas se volta a luz do dia Não se apaga, e sempre é bela. Dos pais, do amigo na ausência, Ela conserva a lembrança, Aviva passados gozos, E em nós desperta a esperança. Por ela sonho acordado, Subo ao céu, mil mundos gero; Por ela às vezes dormindo Mais feliz me considero. Por ela, meu caro Lima, Viverás sempre comigo; Por ela sempre a teu lado Estará o teu amigo. Gonçalves de Magalhães
  • 17.
  • 18.
  • 19. O importante da amizade O importante da amizade não é conhecer o amigo; e sim saber o que há dentro dele!... Cada amigo novo que ganhamos na vida, nos aperfeiçoa e enriquece, não pelo que nos dá, mas pelo quanto descobrimos de nós mesmos. Ser amigo não é coisa de um dia. São gestos, palavras, sentimentos que se solidificam no tempo e não se apagam jamais. O amigo revela, desvenda, conforta. É uma porta sempre aberta em qualquer situação. O amigo na hora certa, é sol ao meio dia, estrela na escuridão. O amigo é bússola e rota no oceano, porto seguro da tripulação. O amigo é o milagre do calor humano que Deus opera no coração. Desconhecido
  • 20. Abro os olhos na manhã clara de París. Da janela vejo o Sena se espriguiçando sob a Ponte de Alexandre penetrando o útero da cidade fertilizando-a com brisas geladas. Essa cidade se traduz por palavras pela história e pela essência libertária. Na Praça da Concórdia Homens mulheres meninos com o sol nos braços gesticulam e posam para fotos pisando distraidas a memória dos revolucionários. Por um instante penso em Marat e Danton (corifeus da liberdade) tento arquitetar um poema e me debruço sobre a lavoura da silabas soldo palavra a palavra mas o poema me custa Paris é maior que meu poema Paris é maior que todos os poemas desisto e me exatasio agora com o Sena escorrendo livre solto histórico resoluto pelo Canal de Saint Martin coberto por um sol azul aonde a tepidêz do verão amorna ruas praças e avenidas transmitindo uma vontade imensa de se viver... París é um poema imenso completo belo essencial. POEMA QUASE CRONICA PARA PARÍS
  • 21. A amizade consegue ser tão complexa... Deixa uns desanimados, outros bem felizes... É a alimentação dos fracos É o reino dos fortes Faz-nos cometer erros Os fracos deixam se ir abaixo Os fortes erguem sempre a cabeça os assim assim assumem-os Sem pensar conquistamos O mundo geral e construímos o nosso pequeno lugar deixando brilhar cada estrelinha Estrelinhas... Doces, sensíveis, frias, ternurentas... Mas sempre presentes em qualquer parte Os donos da Amizade. Autor Desconhecido.. Amizade
  • 22.
  • 23. Soneto de Fidelidade De tudo ao meu amor serei atento Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure. Vinicius de Moraes
  • 24. Nunca deixe ninguém te dizer que não pode fazer alguma coisa. Se você tem um sonho tem que correr atrás dele. As pessoas não conseguem vencer e dizem que você também não vai vencer. Se você quer uma coisa corre atrás. À Procura da Felicidade Autor desconhecido
  • 25. Pela luz dos olhos teus Quando a luz dos olhos meus E a luz dos olhos teus Resolvem se encontrar Ai que bom que isso é meu Deus Que frio que me dá o encontro desse olhar Mas se a luz dos olhos teus Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar Meu amor, juro por Deus Que a luz dos olhos meus já não pode esperar Quero a luz dos olhos meus Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará Pela luz dos olhos teus Eu acho meu amor que só se pode achar Que a luz dos olhos meus precisa se casar. Vinicius de Moraes