SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 86
FIGURAS DE
LINGUAGEM



 Prof.: Carol Loçasso Pereira
TIPOS DE
     LINGUAGEM

• DENOTATIVA: sentido real (dicionário)

     Ex: Minha geladeira quebrou.

• CONOTATIVA: sentido figurado

     Ex: Minha namorada é uma geladeira.
ONOMATOPEIA
IMITAÇÃO DE SONS



          BUMMM
Plunct, plact, zumm,
Não vai a lugar nenhum..
ASSONÂNCIA
REPETIÇÃO DE VOGAIS



           AAAAAA
A minha alma tá armada
E apontada para a cara
Do sossego (sego...)
Pois paz sem voz
Pois paz sem voz
Não é paz é medo, (medo)
ALITERAÇÃO
REPETIÇÃO DE CONSOANTES



            RRRRRRR
penso que pena que seja pouco
só penso em pensamento
quem pode me procurar de cá de lá


vale beijinho, beijo, beijoca
o b da brincadeira, brinquedo, balbuciar

tin-tirim-tirim (2x)” tim-tirim
My love lua da lenda longe me leva lá
SÍMILE - COMPARAÇÃO
É TÃO CERTO
QUANTO O CALOR DO FOGO
JÁ NÃO TENHO ESCOLHA
E PARTICIPO DO SEU JOGO


Não consigo dizer se é bom ou mau


Assim como o ar me parece vital


Onde quer que eu vá
o que quer que eu faça
sem você não tem graça
METÁFORA
AMOR É UM LIVRO – SEXO É ESPORTE


SEXO É ESCOLHA – AMOR É SORTE
AMOR É PENSAMENTO, TEOREMA
AMOR É NOVELA – SEXO É CINEMA
SEXO É IMAGINAÇÃO, FANTASIA
AMOR É PROSA – SEXO É POESIA
METONÍMIA
 SUBSTITUIÇÃO
POLISSÍNDETO
   MUITAS CONJUNÇÕES

E...
       E...
              E...
                     E...
                            E...
Disseste que se tua voz
Tivesse força igual à imensa dor que sentes
Teu grito acordaria não só a tua casa
Mas a vizinhança inteira


E há tempos nem os santos
Têm ao certo a medida da maldade
E há tempos são os jovens que adoecem
E há tempos o encanto está ausente
E há ferrugem nos sorrisos
E só o acaso estende os braços
quem procura abrigo e proteção
ASSÍNDETO
 SEM CONJUNÇÃO
EU NÃO SOU SEU, EU NÃO SOU DE NINGUÉM
VOCÊ NÃO É MINHA, EU NÃO TENHO NINGUÉM
NÓS SOMOS LIVRES...


VOCÊ NÃO MANDA EM MIM, EU NÃO MANDO EM VOCÊ
VOCÊ SÓ FAZ O QUE QUER, EU SÓ FAÇO O QUE QUERO
NÓS SOMOS LIVRES...


SE A GENTE TÁ ASSIM COMENDO CAPIM
É PORQUE A GENTE QUER, SE NÃO QUISER
NÓS SOMOS LIVRES...
PLEONASMO
REITERAÇÃO DE IDEIAS
“Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã”
ANTÍTESE

APROXIMAR OPOSTOS
Uma noite longa
pra uma vida curta
mas já não me importa,
basta poder te ajudar

E são tantas marcas
 que já fazem parte
Do que eu sou agora
Mas ainda sei me virar

Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando
vê se não vai demorar
Luz E Sombras
Voz E Silêncio
Razão, Coração
Você E Eu


Gelo E Fogo
Maldição E Beleza
Dor, Cura
                    No Tênue Laço Que Envolve Os Sonhos
Eu E Você
                    Sob O Fino Véu Que Protege Os Segredos
                    No Sol Ardente Que Abrasa Os Desejos
                    Na Brisa Suave Que Abranda Os Temores


                    Caminhamos Juntos, Lado A Lado
                    Somos Opostos Que Se Atraem
                    E Se Um Dia Fomos Dois, Hoje Somos Mais...
                    Somos Um...
PARADOXO
FUNDIR OPOSTOS
MUDARAM AS ESTAÇÕES
NADA MUDOU
MAS EU SEI
QUE ALGUMA COISA ACONTECEU
ESTÁ TUDO ASSIM TÃO DIFERENTE

SE LEMBRA QUANDO A GENTE
CHEGOU UM DIA ACREDITAR
QUE TUDO ERA PRA SEMPRE
SEM SABER QUE O PRA SEMPRE
SEMPRE ACABA
NEOLOGISMO
CRIAÇÃO DE PALAVRAS
O que é que eu faço
Se é você que eu venero
Ainda te amo,
meu amor, ainda te quero
E ter você, paixão pra vida inteira
Te carinhar , minha linda sereia...
GRADAÇÃO




SEQUÊNCIA DE IDEIAS
Setenta (não)
Noventa (não)
Cento e cinquenta (não)
Trezentos (não)
Quinhentos (não)
Setecentos e noventa (não)
Oitocentos (não)
Novecentos (não)
Uma milha....
IRONIA
“A solução pro nosso povo eu vou dar
Negócio bom assim ninguém nunca viu
Tá tudo pronto aqui é só vir pegar
A solução é alugar o Brasil”
PROSOPOPEIA




PERSONIFICAÇÃO
“O vento beija meus cabelos

As ondas lambem minhas
 pernas

O sol abraça o meu corpo

Meu coração canta feliz”
ECOS

REPETIÇÃO DE
 PALAVRAS
Que vês? Que vês quando me vês?


Quando a mentira acabar
HIPÉRBOLE




  EXAGERO
“Paixão cruel, desenfreada
Te trago mil rosas roubadas ...”
Pra desculpar minhas mentiras
Minhas mancadas
Exagerado, jogado aos seus pés
Eu sou mesmo exagerado
Adoro um amor inventado
EUFEMISMO




ABRANDAMENTO
Ah...deixa essa boneca
Faça-me o favor
Deixe isso tudo
E vem brincar de amor
De amor, hey, hey, hey
De amor
Dez anos passaram
E cresceram meus irmãos
E os anjos levaram
minha mãe pelas mãos...
HIPÉRBATO

INVERSÃO SINTÁTICA
“ Ouviram do Ipiranga as margens
     plácidas
 De um povo heróico o brado
retumbante”
   As margens plácidas do Ipiranga
              ouviram
   o brado retumbante de um povo heróico
ANÁFORA

MESMO INÍCIO
Quando não tinha nada, eu quis
Quando tudo era ausência, esperei
Quando tive frio, tremi
Quando tive coragem, liguei
PARONOMÁSIA

PALAVRAS PARECIDAS
Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei
demais
Hoje me sinto mais forte,
mais feliz, quem sabe...
Só levo a certeza de que muito pouco
sei,
ou nada sei...

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz para poder sorrir
É preciso a chuva para florir
ELIPSE
OMISSÃO DE TERMO
 IDENTIFICÁVEL
Ela achou meu cabelo engraçado
Proibida pra mim NO WAY !
Disse que nao podia ficar,
mas levou a serio o que eu falei

Eu vou fazer de tudo que eu puder
Eu vou roubar essa mulher pra mim
Eu posso te ligar a qualquer hora
Mas eu nem sei seu nome

Se não eu quem vai fazer você feliz ?
Se não eu quem vai fazer você feliz ?
ZEUGMA
OMISSÃO DE TERMO QUE JÁ
      APARECEU
“NEM ELE ENTENDE A NÓS, NEM NÓS A
               ELE.”
                               Camões
     (omissão de entendemos)
PERÍFRASE
  APELIDO
CIDADE MARAVILHOSA
CHEIA DE ENCANTOS MIL
CIDADE MARAVILHOSA
CORAÇÃO DO MEU BRASIL
SILEPSE
CONCORDÂNCIA
 IDEOLÓGICA
“O que me parece inexplicável é
 que os brasileiros persistamos
 em comer essa coisinha verde
 e mole que se derrete na boca
 (...)”
                 Manuel Bandeira
ANACOLUTO
TERMO SOLTO NA FRASE
“Olha, eu, até de longe, com os
 olhos fechados, o senhor não
 me engana.”
                   Guimarães Rosa
QUIASMO
PALAVRAS EM FORMA DE
         “X”
“No meio do caminho tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho”
            Carlos Drummond de Andrade
APÓSTROFE
INVOCAÇÃO DE ALGO
“Minha Senhora Dona, um menino
 nasceu: o mundo tornou a
 começar.”
                Guimarães Rosa
LÍTOTES
DIZER ALGO POR MEIO DA
    NEGAÇÃO DO SEU
      CONTRÁRIO
Ele não é nada bobo.
     (= esperto)

Ela não é nada feia.
     (= bonita)
CATACRESE
 EMPRÉSTIMO
O pé da mesa estava quebrado.

Quando embarquei no avião, fui
 dominado pelo medo.
SINESTESIA
MISTURA DE SENSAÇÕES
Um áspero sabor de indiferença a
 atormentava.
OUTROS
EXEMPLOS
Eu   sou   a luz das estrelas
Eu   sou   a cor do luar
Eu   sou   as coisas da vida
Eu   sou   o medo de amar

Eu sou o medo do fraco
A força da imaginação
O blefe do jogador
Eu sou, eu fui, eu vou
Entre no meu carro
        Nós vamos rodar
 E seremos passageiros à noite
 E veremos a cidade em trapos
    E veremos o vazio do céu
Sob os cacos dos subúrbios daqui
 Mas essa noite tudo soa tão bem
Muda,
que quando a gente muda
o mundo muda com a gente.
A gente muda o mundo na mudança da mente.
E quando a mente muda a gente anda pra frente.
E quando a gente manda ninguém manda na gente.
Na mudança de atitude não há mal que não se
mude nem doença sem cura.
Na mudança de postura a gente fica mais seguro,
na mudança do presente a gente molda o futuro!
Jackie foi nascer numa cabana em Noa Noa

Sol do Taiti na pele, now boa

Seu pai cruzou o mar, duas filhas na canoa

Côco pra beber e leite de leoa

Jackie é uma menina tão bonita que enjoa

Enjôo de vertigem, viagem de avião

Hálito de virgem, dois olhos de amêndoa

Vaca, cadela, macaca, gazela

Linda toda, toda linda ela

Toda beleza se reconhece nela

Jackie Tequila coca-cola e água

Égua, língua, mingua minha mágoa oh oh yeh
EIE,
IIIIIIIIIII
IE
IEIEIEIEIEEEEE
Vamos celebrar nossa justiça
ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e sequestros
Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia e toda a afetação
Todo roubo e toda a indiferença
Vamos celebrar epidemias:É a festa da
torcida campeã
Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração
Há soldados armados, amados ou não
quase todos na rua, indeciso cordão
É como não sentir calor em Cuiabá
Ou como no Arpoador não ver o mar
É como não morrer de raiva com a política
Ignorar que a tarde vai vadia e mítica
E como ver televisão e não dormir
Ver um bichano pelo chão e não sorrir
É como não provar o nectar de um lindo amor
Depois que o coração detecta a mais fina flor
Não alimento
amor por telefone
Isso é ilusão
Não adianta falar de
amor ao telefone
Isso é ilusão
              (Tele-fome)
E, SÃO PAULO
E, SÃO PAULO
SÃO PAULO TERRA BOA
SÃO PAULO DA GAROA
Complicada e perfeitinha
você me apareceu
era tudo que eu queria
estrela da sorte
Quando à noite ela surgia
meu bem você cresceu
meu namoro é na folhinha
mulher de fases
Você é a escada na minha subida
Você é o amor da minha vida


É o meu abrir de olhos o amanhecer
Verdade que me leva a viver
Você é a espera na janela
A ave que vem de longe tão bela


A esperança que arde em calor
Você é a tradução do que é o amor
Teus sinais me confundem da cabeça
aos pés
mas por dentro eu te devoro.
  Teu olhar não me diz exato quem tu és
              mesmo assim eu te devoro,

Te devoraria
a qualquer preço porque te ignoro ou te
 conheço
quando chove ou quando faz frio
EU NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS
Ainda há de haver saída
Nenhuma idéia vale uma vida

Quando não houver esperança

Quando não restar nem ilusão

Ainda há de haver esperança

cada um de nós, algo de uma
criança

Enquanto houver sol, enquanto
houver sol
Ainda haverá

Enquanto houver sol, enquanto
houver sol
CONTROLANDO A
MINHA MALUQUEZ


MISTURADA COM
MINHA LUCIDEZ
Penso no que faço
no que fiz
e no que vou fazer
Hoje o seu retrato
só me mostra o que eu quero
esquecer
Quando o sol se for meu amor vou
onde você for
Quando o sol se for a luz indicará
você pra mim
Então já era
Eu vou fazer de um jeito
que ela não vai esquecer
Se for já era
Eu vou fazer de um jeito
que ela não vai esquecer

Se for já era
Eu vou fazer de um jeito
que ela não vai esquecer
FALOU, MOÇADA!!!

    Até a próxima!
          Beijos...
               Carol

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Keu Oliveira
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem slideFiguras de linguagem slide
Figuras de linguagem slideIvana Bastos
 
Figura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoFigura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoJuliana Oliveira
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Cláudia Heloísa
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Josie Ubiali
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoElaine Blogger
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoJoyce de Oliveira
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slideJaciara Mota
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguisticaMarcia Simone
 
Conjunções coordenativas
Conjunções coordenativasConjunções coordenativas
Conjunções coordenativasBlog Estudo
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poemaionasilva
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASJaicinha
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras colveromachado
 

Mais procurados (20)

Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem slideFiguras de linguagem slide
Figuras de linguagem slide
 
Figura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativoFigura de linguagem conotativo x denotativo
Figura de linguagem conotativo x denotativo
 
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
Figuras de linguagem: 25 propagandas. Exercício 2.
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumo
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem   slideFiguras de linguagem   slide
Figuras de linguagem slide
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Conjunções coordenativas
Conjunções coordenativasConjunções coordenativas
Conjunções coordenativas
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Pronomes
PronomesPronomes
Pronomes
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMAS
 
Estrutura das palavras
Estrutura das palavras Estrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Semelhante a Figuras de linguagem

Semelhante a Figuras de linguagem (20)

Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
 
Figuras linguagem
Figuras linguagemFiguras linguagem
Figuras linguagem
 
Figuras De Linguagem
Figuras De LinguagemFiguras De Linguagem
Figuras De Linguagem
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEMFIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
 
Figuras de linguagem 1
Figuras de linguagem 1Figuras de linguagem 1
Figuras de linguagem 1
 
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.pptFIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
FIGURAS DE LINGUAGEM.ppt
 
Figuras linguagem[1]
Figuras linguagem[1]Figuras linguagem[1]
Figuras linguagem[1]
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de Linguagem
Figuras de Linguagem Figuras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustrados
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
 
Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias Escolhendo Poesias
Escolhendo Poesias
 
Calendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_roselyCalendário julho 2010_rosely
Calendário julho 2010_rosely
 
Leituras
LeiturasLeituras
Leituras
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
 
Filipa Duarte
Filipa Duarte Filipa Duarte
Filipa Duarte
 
Desejos obscuros livro i
Desejos obscuros livro iDesejos obscuros livro i
Desejos obscuros livro i
 
Gerações poéticas
Gerações poéticasGerações poéticas
Gerações poéticas
 
Poemas de amor
Poemas de amorPoemas de amor
Poemas de amor
 
Cardápio DalheMongo
Cardápio DalheMongoCardápio DalheMongo
Cardápio DalheMongo
 

Mais de Carolina Loçasso Pereira (14)

Os tipos de discurso
Os tipos de discursoOs tipos de discurso
Os tipos de discurso
 
Aulão 19 08
Aulão 19 08Aulão 19 08
Aulão 19 08
 
Aulão 19 08
Aulão 19 08Aulão 19 08
Aulão 19 08
 
A literatura na idade média e o humanismo
A literatura na idade média e o humanismoA literatura na idade média e o humanismo
A literatura na idade média e o humanismo
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)A linguagem literária (1º ano)
A linguagem literária (1º ano)
 
Modernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geraçãoModernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geração
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
 
Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.
 
Análise de Obras.
Análise de Obras.Análise de Obras.
Análise de Obras.
 

Último

Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 

Último (20)

Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 

Figuras de linguagem

  • 1. FIGURAS DE LINGUAGEM Prof.: Carol Loçasso Pereira
  • 2. TIPOS DE LINGUAGEM • DENOTATIVA: sentido real (dicionário) Ex: Minha geladeira quebrou. • CONOTATIVA: sentido figurado Ex: Minha namorada é uma geladeira.
  • 4. Plunct, plact, zumm, Não vai a lugar nenhum..
  • 6. A minha alma tá armada E apontada para a cara Do sossego (sego...) Pois paz sem voz Pois paz sem voz Não é paz é medo, (medo)
  • 8. penso que pena que seja pouco só penso em pensamento quem pode me procurar de cá de lá vale beijinho, beijo, beijoca o b da brincadeira, brinquedo, balbuciar tin-tirim-tirim (2x)” tim-tirim My love lua da lenda longe me leva lá
  • 10. É TÃO CERTO QUANTO O CALOR DO FOGO JÁ NÃO TENHO ESCOLHA E PARTICIPO DO SEU JOGO Não consigo dizer se é bom ou mau Assim como o ar me parece vital Onde quer que eu vá o que quer que eu faça sem você não tem graça
  • 12. AMOR É UM LIVRO – SEXO É ESPORTE SEXO É ESCOLHA – AMOR É SORTE AMOR É PENSAMENTO, TEOREMA AMOR É NOVELA – SEXO É CINEMA SEXO É IMAGINAÇÃO, FANTASIA AMOR É PROSA – SEXO É POESIA
  • 14.
  • 15. POLISSÍNDETO MUITAS CONJUNÇÕES E... E... E... E... E...
  • 16. Disseste que se tua voz Tivesse força igual à imensa dor que sentes Teu grito acordaria não só a tua casa Mas a vizinhança inteira E há tempos nem os santos Têm ao certo a medida da maldade E há tempos são os jovens que adoecem E há tempos o encanto está ausente E há ferrugem nos sorrisos E só o acaso estende os braços quem procura abrigo e proteção
  • 18. EU NÃO SOU SEU, EU NÃO SOU DE NINGUÉM VOCÊ NÃO É MINHA, EU NÃO TENHO NINGUÉM NÓS SOMOS LIVRES... VOCÊ NÃO MANDA EM MIM, EU NÃO MANDO EM VOCÊ VOCÊ SÓ FAZ O QUE QUER, EU SÓ FAÇO O QUE QUERO NÓS SOMOS LIVRES... SE A GENTE TÁ ASSIM COMENDO CAPIM É PORQUE A GENTE QUER, SE NÃO QUISER NÓS SOMOS LIVRES...
  • 20. “Todo dia ela faz tudo sempre igual Me sacode às seis horas da manhã Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã”
  • 22. Uma noite longa pra uma vida curta mas já não me importa, basta poder te ajudar E são tantas marcas que já fazem parte Do que eu sou agora Mas ainda sei me virar Eu tô na lanterna dos afogados Eu tô te esperando vê se não vai demorar
  • 23. Luz E Sombras Voz E Silêncio Razão, Coração Você E Eu Gelo E Fogo Maldição E Beleza Dor, Cura No Tênue Laço Que Envolve Os Sonhos Eu E Você Sob O Fino Véu Que Protege Os Segredos No Sol Ardente Que Abrasa Os Desejos Na Brisa Suave Que Abranda Os Temores Caminhamos Juntos, Lado A Lado Somos Opostos Que Se Atraem E Se Um Dia Fomos Dois, Hoje Somos Mais... Somos Um...
  • 25. MUDARAM AS ESTAÇÕES NADA MUDOU MAS EU SEI QUE ALGUMA COISA ACONTECEU ESTÁ TUDO ASSIM TÃO DIFERENTE SE LEMBRA QUANDO A GENTE CHEGOU UM DIA ACREDITAR QUE TUDO ERA PRA SEMPRE SEM SABER QUE O PRA SEMPRE SEMPRE ACABA
  • 27. O que é que eu faço Se é você que eu venero Ainda te amo, meu amor, ainda te quero E ter você, paixão pra vida inteira Te carinhar , minha linda sereia...
  • 29. Setenta (não) Noventa (não) Cento e cinquenta (não) Trezentos (não) Quinhentos (não) Setecentos e noventa (não) Oitocentos (não) Novecentos (não) Uma milha....
  • 31. “A solução pro nosso povo eu vou dar Negócio bom assim ninguém nunca viu Tá tudo pronto aqui é só vir pegar A solução é alugar o Brasil”
  • 33. “O vento beija meus cabelos As ondas lambem minhas pernas O sol abraça o meu corpo Meu coração canta feliz”
  • 35. Que vês? Que vês quando me vês? Quando a mentira acabar
  • 37. “Paixão cruel, desenfreada Te trago mil rosas roubadas ...” Pra desculpar minhas mentiras Minhas mancadas Exagerado, jogado aos seus pés Eu sou mesmo exagerado Adoro um amor inventado
  • 39. Ah...deixa essa boneca Faça-me o favor Deixe isso tudo E vem brincar de amor De amor, hey, hey, hey De amor
  • 40. Dez anos passaram E cresceram meus irmãos E os anjos levaram minha mãe pelas mãos...
  • 42. “ Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante” As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um povo heróico
  • 44. Quando não tinha nada, eu quis Quando tudo era ausência, esperei Quando tive frio, tremi Quando tive coragem, liguei
  • 46. Ando devagar porque já tive pressa E levo esse sorriso porque já chorei demais Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe... Só levo a certeza de que muito pouco sei, ou nada sei... Conhecer as manhas e as manhãs O sabor das massas e das maçãs É preciso amor pra poder pulsar É preciso paz para poder sorrir É preciso a chuva para florir
  • 47. ELIPSE OMISSÃO DE TERMO IDENTIFICÁVEL
  • 48. Ela achou meu cabelo engraçado Proibida pra mim NO WAY ! Disse que nao podia ficar, mas levou a serio o que eu falei Eu vou fazer de tudo que eu puder Eu vou roubar essa mulher pra mim Eu posso te ligar a qualquer hora Mas eu nem sei seu nome Se não eu quem vai fazer você feliz ? Se não eu quem vai fazer você feliz ?
  • 49. ZEUGMA OMISSÃO DE TERMO QUE JÁ APARECEU
  • 50. “NEM ELE ENTENDE A NÓS, NEM NÓS A ELE.” Camões (omissão de entendemos)
  • 52. CIDADE MARAVILHOSA CHEIA DE ENCANTOS MIL CIDADE MARAVILHOSA CORAÇÃO DO MEU BRASIL
  • 54. “O que me parece inexplicável é que os brasileiros persistamos em comer essa coisinha verde e mole que se derrete na boca (...)” Manuel Bandeira
  • 56. “Olha, eu, até de longe, com os olhos fechados, o senhor não me engana.” Guimarães Rosa
  • 58. “No meio do caminho tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho” Carlos Drummond de Andrade
  • 60. “Minha Senhora Dona, um menino nasceu: o mundo tornou a começar.” Guimarães Rosa
  • 61. LÍTOTES DIZER ALGO POR MEIO DA NEGAÇÃO DO SEU CONTRÁRIO
  • 62. Ele não é nada bobo. (= esperto) Ela não é nada feia. (= bonita)
  • 64. O pé da mesa estava quebrado. Quando embarquei no avião, fui dominado pelo medo.
  • 66. Um áspero sabor de indiferença a atormentava.
  • 68. Eu sou a luz das estrelas Eu sou a cor do luar Eu sou as coisas da vida Eu sou o medo de amar Eu sou o medo do fraco A força da imaginação O blefe do jogador Eu sou, eu fui, eu vou
  • 69. Entre no meu carro Nós vamos rodar E seremos passageiros à noite E veremos a cidade em trapos E veremos o vazio do céu Sob os cacos dos subúrbios daqui Mas essa noite tudo soa tão bem
  • 70. Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda a gente anda pra frente. E quando a gente manda ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura. Na mudança de postura a gente fica mais seguro, na mudança do presente a gente molda o futuro!
  • 71. Jackie foi nascer numa cabana em Noa Noa Sol do Taiti na pele, now boa Seu pai cruzou o mar, duas filhas na canoa Côco pra beber e leite de leoa Jackie é uma menina tão bonita que enjoa Enjôo de vertigem, viagem de avião Hálito de virgem, dois olhos de amêndoa Vaca, cadela, macaca, gazela Linda toda, toda linda ela Toda beleza se reconhece nela Jackie Tequila coca-cola e água Égua, língua, mingua minha mágoa oh oh yeh
  • 73. Vamos celebrar nossa justiça ganância e a difamação Vamos celebrar os preconceitos O voto dos analfabetos Comemorar a água podre E todos os impostos Queimadas, mentiras e sequestros Nosso castelo de cartas marcadas O trabalho escravo Nosso pequeno universo Toda a hipocrisia e toda a afetação Todo roubo e toda a indiferença Vamos celebrar epidemias:É a festa da torcida campeã Vamos celebrar a fome Não ter a quem ouvir Não se ter a quem amar Vamos alimentar o que é maldade Vamos machucar o coração
  • 74. Há soldados armados, amados ou não quase todos na rua, indeciso cordão
  • 75. É como não sentir calor em Cuiabá Ou como no Arpoador não ver o mar É como não morrer de raiva com a política Ignorar que a tarde vai vadia e mítica E como ver televisão e não dormir Ver um bichano pelo chão e não sorrir É como não provar o nectar de um lindo amor Depois que o coração detecta a mais fina flor
  • 76. Não alimento amor por telefone Isso é ilusão Não adianta falar de amor ao telefone Isso é ilusão (Tele-fome)
  • 77. E, SÃO PAULO E, SÃO PAULO SÃO PAULO TERRA BOA SÃO PAULO DA GAROA
  • 78. Complicada e perfeitinha você me apareceu era tudo que eu queria estrela da sorte Quando à noite ela surgia meu bem você cresceu meu namoro é na folhinha mulher de fases
  • 79. Você é a escada na minha subida Você é o amor da minha vida É o meu abrir de olhos o amanhecer Verdade que me leva a viver Você é a espera na janela A ave que vem de longe tão bela A esperança que arde em calor Você é a tradução do que é o amor
  • 80. Teus sinais me confundem da cabeça aos pés mas por dentro eu te devoro. Teu olhar não me diz exato quem tu és mesmo assim eu te devoro, Te devoraria a qualquer preço porque te ignoro ou te conheço quando chove ou quando faz frio
  • 81. EU NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS
  • 82. Ainda há de haver saída Nenhuma idéia vale uma vida Quando não houver esperança Quando não restar nem ilusão Ainda há de haver esperança cada um de nós, algo de uma criança Enquanto houver sol, enquanto houver sol Ainda haverá Enquanto houver sol, enquanto houver sol
  • 84. Penso no que faço no que fiz e no que vou fazer Hoje o seu retrato só me mostra o que eu quero esquecer Quando o sol se for meu amor vou onde você for Quando o sol se for a luz indicará você pra mim
  • 85. Então já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer Se for já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer Se for já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer
  • 86. FALOU, MOÇADA!!! Até a próxima! Beijos... Carol