SlideShare uma empresa Scribd logo
FACULDADE DE MEDICINA 
UNINOVE
SISTEMA LOCOMOTOR 
ORTOPEDIA 
E TRAUMATOLOGIA 
PROF CAIO GONÇALVES DE SOUZA
Fisiologia do Tecido Ósseo e 
Cartilagem
Tecido Ósseo
Esqueleto
Tipos de Ossos 
• Ossos longos 
• Ossos largos ou laminares 
• Ossos curtos 
• Ossos sesamóides 
• Ossos Irregulares
Osso 
• Epífise (Apófise) 
• Metáfise 
• Diáfise
Osso 
• Osso esponjoso 
• Osso Cortical
Osso 
• Canal de Volkmann 
– Transversal 
• Canal de Havers 
– Longitudinal
Classificação Tecido Ósseo 
• Osso Primário 
– Imaturo 
• Osso Secundário 
– Lamelar
Osso Lamelar
Funções do Tecido Ósseo 
• Sustentação 
• Proteção dos órgãos internos 
• Reserva de Cálcio e Fósforo 
• Produção de células do sangue na medula óssea 
• Possibilitar a movimentação 
• Manutenção do equilíbrio ácido-base, através da absorção de 
sais alcalino
Composição do Tecido Ósseo 
• Componente celular 
– Tecido ósseo é vivo, logo permite mudanças em 
sua estrutura! 
• Matriz óssea 
– Matriz extracelular é endurecida pela presença de 
compostos de Cálcio em suas estruturas
Matriz Óssea 
• Parte inorgânica (65%) 
– cálcio e fosfato (hidroxiapatita) 
– íons de potássio, magnésio, citrato, sódio e 
bicarbonato 
• Parte orgânica (35%) 
– colágeno tipo I (90%) 
– glicoproteínas (sulfato de condroitina) 
– proteoglicanas
Hidroxiapatita 
• Ca10(PO4)6(OH)2
Resistência Mecânica 
• Arquitetura óssea (geometria) 
• Microarquitetura 
• Composição do tecido ósseo 
– Hidroxiapatita + Colágeno tipo 1
ARQUITETURA ÓSSEA 
• GEOMETRIA 
• MICROARQUITETURA 
LAMELAR E TRABECULAR
Células do Tecido Ósseo 
• Osteócitos 
– fundamental na manutenção da integridade da matriz 
óssea 
– localizados em cavidades ou lacunas dentro da matriz 
óssea 
– Originam-se de osteoblastos (quando estes são envolvidos 
completamente pela matriz óssea)
Células do Tecido Ósseo 
• Osteoblastos 
– Sintetizam a parte orgânica da matriz óssea 
– Responsáveis pela mineralização da matriz
Células do Tecido Ósseo
Células do Tecido Ósseo 
• Osteoclastos 
– Absorção e remodelação do tecido ósseo 
– Derivadas de monócitos
Células do Tecido Ósseo
Formação do Tecido Ósseo 
• Ossificação intramembranosa 
• Ossos laminares 
• Ossificação endocondral 
• Ossos longos 
• Forma cartilagem antes de mineralizar
Embriologia 
• Inicialmente se 
forma a cartilagem 
• Depois esta é 
mineralizada  
Osso
Embriologia
Remodelação Óssea 
• Interleucinas 1 e 6 
• TGF alfa (Transforming Growth Factors) 
• BMPs (Bone Morfogenetic Proteins) 
• FGFs (Fibroblasts Growth Factors) 
• PDGFs(Platelet Derived Growth Factors)
Vitamina D
Vitamina D
Vitamina D
Vitamina D 
• Nível ideal – 800 a 1.200 UI/dia 
• Fontes naturais 
– Gordura do leite 
– Fígado de peixes de águas frias 
• Produção natural 
– 7-dihidrocolesterol + UVB = colicalciferol
Vitamina D3 
Suplementação Oral 
• Suplementação de D3 ou D2 
–Fígado -> 25-hidrocolicalciferol 
(calcidiol) 
–Rins -> 1,25 dihidrocolicalciferol 
(calcitriol)
Vitamina D3 
Suplementação Oral 
• Doses de Manutenção 
– 400 to 800 IU diárias para jovens 
– 1000 to 2000 IU diárias para idosos e 
pessoas com baixa exposição ao Sol
Ações da Vitamina D 
• Absorção intestinal e Reabsorção tubular renal do 
Cálcio 
• Reduz os níveis de PTH 
• Estimula a osteogênese pelos osteoblastos 
• Ação antibiótica respiratória
Ações da Vitamina D 
• Modulação do equilíbrio 
• Aumenta a força muscular 
• Estimula a diferenciação e inibe a proliferação 
celular (Proteção contra câncer de mama, próstata 
e intestino)
Efeito do Cálcio e Vitamina D em taxa de fraturas 
não vertebrais em homens e mulheres saudáveis
Segurança da Vitamina D 
Low Ideal High Toxic 
0 30 60 90 
25(OH)D ng/mL 
Hipercalciúria 
Hipercalcemia 
Ampla margem de segurança 
10.000 IU/day for 6 months- no side 
effects 
(Vieth e col, Am J Clin Nutr 2001)
Cálcio
Cálcio 
• Mineral mais comum no corpo humano 
• 99% encontrado nos ossos 
• Nível sérico e extracelular não podem 
aumentar muito (precipitação)
Funções do Cálcio 
• Vasodilatação e vasoconstrição 
• Sinapses dos nervos 
• Contração muscular 
• Secreção de hormônios como a Insulina
Funções do Cálcio 
• Resistência mecânica do esqueleto 
• Contração muscular 
• Coagulação sanguínea 
• Secreção de hormômios 
• Secreção de neurotransmissores 
• Aderência celular
Ingestão diária recomendada 
Recommended Dietary Allowance (RDA) for Calcium 
Life Stage Age 
Males 
(mg/day) 
Females 
(mg/day) 
Infants 0-6 months 200 (AI) 200 (AI) 
Infants 6-12 months 260 (AI) 260 (AI) 
Children 1-3 years 700 700 
Children 4-8 years 1,000 1,000 
Children 9-13 years 1,300 1,300 
Adolescents 14-18 years 1,300 1,300 
Adults 19-50 years 1,000 1,000 
Adults 51-70 years 1,000 1,200 
Adults 71 years and older 1,200 1,200 
Pregnancy 14-18 years - 1,300 
Pregnancy 19-50 years - 1,000 
Breast-feeding 14-18 years - 1,300 
Breast-feeding 19-50 years - 1,000
Biodisponibilidade Dietética 
e Equivalência ao Leite 
ALIMENTOS g Ca mg 
Absor. 
(%) 
Absor. 
(mg) Equiv. 
LEITE 260 300 32,1 96,3 1 
FEIJÃO 177 50 15,6 7,8 12,3 
BRÓCOLIS 71 35 61,3 21,5 4,5 
COUVE 65 47 58,8 27,6 3,5 
ESPINAFRE 90 122 5,1 6,2 15,5
Alimentação 
DIETA “POBRE” 
DIETA HIPOCÁLCICA 
HIPOVITAMINOSE D 
DIETA “RUIM” 
VERDURA COSIDA 
DIETA HIPERPROTÊICA 
ALCOOLISMO 
INTOLERÂNCIA À LACTOSE 
DISTÚRBIOS GASTROINTESTINAIS
Suplementação de Cálcio 
 Administração 
após refeições leves 
Antes do almoço e jantar 
 Dose máxima de 550 mg/ tomada (- dieta) 
 Sais de Cálcio 
 Carbonato 
 Citrato 
Fosfato tribásico
Carbonato Citrato Fosfato Tribásico 
% Cálcio 
Elementar 
40,0% 24,1% 38,8% 
Estudos 
Disponíveis 
++++ ++ + 
A quem indicar?  Crianças e 
Adolescentes 
 Homens e 
mulheres de 
qualquer idade 
 Grávidas e 
lactantes 
 Acloridría 
 Neo Gástrica 
 Gastrite Atrófica 
 Cirurgia 
Bariátrica 
 Litíase Renal 
 Homens e Mulheres > 
70 anos com baixa 
ingestão de fósforo 
(raro) 
 Intolerância a Lactose 
 Institucionalizados 
 Dificuldade de se 
alimentar
Cartilagem Hialina
Cartilagem
Componentes 
• Condrócitos (células) 
• Matriz extracelular 
– Colágeno tipo 2 
– Agregado de proteoglicanos 
• Glicosaminoglicanas (GAGs) 
• Água
Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagens
Produção da Cartilagem
Proteoglicanas 
• Proteínas extracelulares ligadas a 
glicosaminoglicanos 
• Função: 
– Rigidez a matriz 
– Resistir a compressão 
– Preencher espaços
Proteoglicanos
Glicosaminoglicanos 
• Compostos polissacarídicos de longas 
cadeias não ramificadas 
• Componente importante dos tecidos 
conectivos e da cartilagem 
• Possuem alta quantidade de carga negativa, 
e por isso acabam atraindo cátions (Sódio) 
• Capacidade de atrair água (hidratar) a 
matriz
Glicosaminoglicanos 
• Sulfato de Condroitina 
• Queratan Sulfato (Keratan)
Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagens
A compressão da matriz libera água e diminui o volume 
da cartilagem. A descompressão restabelece o volume
Colágeno
Colágeno 
• Maior constituinte dos tecidos conectivos 
animais: 
– bovinos 
– suinos 
– peixes 
– aves
Colágeno 
• Gelatina = forma desnaturada de colágeno 
• Hidrólise enzimática solubiliza a gelatina 
• Solúvel em água fria 
• Grau farmacêutico e grau alimento
Colágeno 
• Colágeno Hidrolizado 
OU 
• Peptídeos de Colágeno 
• Colágeno tipo II não desnaturado
Colágeno Hidrolizado 
• Polipeptídeos (1 a 20 Kda) 
– Digeridos (peptidases) 
– Hidrolizados (enzimas FDA) 
• Pool de Oligopeptídeos (1 a 2 KDa) 
• Aminoácidos livres 
• Dipeptídeos, Tripeptídeos, Tetrapeptídeos
Mecanismo de ação 
 Aumento da expressão de genes dos maiores 
componentes da matrix extracelular: agrecan 
e colágeno tipo II 
 Podem prevenir a degradação da matrix da 
cartilagem pelo aumento da produção de 
agrecan e colágeno tipo II
Articulação 
Cartilagem hialina 
+ 
Líquido sinovial
Líquido sinovial 
• Lubrificação Articular 
• Menor estresse mecânico 
• Nutrição do condrócito 
• Agregação de 
Proteoglicanos e 
Glucosaminoglicanos.
Condrócito 
Proteoglicano Agrecano Matriz Cart. 
Extracelular 
Líquido sinovial Cartilagem normal 
Boa função articular 
Sinoviócitos
DÚVIDAS?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Adaptação celular
Adaptação celularAdaptação celular
Adaptação celular
José Luis Müller
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Leonardo Delgado
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Nathanael Amparo
 
04 Sistema Muscular
04   Sistema Muscular04   Sistema Muscular
04 Sistema Muscular
Maxsuell Lopes
 
História da Anatomia Humana
História da Anatomia Humana História da Anatomia Humana
História da Anatomia Humana
Ozimo Gama
 
Nós e Suturas
Nós e SuturasNós e Suturas
Lista de acidentes anatômicos ósseos
Lista de acidentes anatômicos ósseosLista de acidentes anatômicos ósseos
Lista de acidentes anatômicos ósseos
7 Book
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
pauloalambert
 
Introdução a anatomia
Introdução a anatomiaIntrodução a anatomia
Introdução a anatomia
Maxsuell Lopes
 
Anatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferiorAnatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferior
Caio Maximino
 
Aula Tecido Ósseo
Aula Tecido ÓsseoAula Tecido Ósseo
Aula Tecido Ósseo
Camila Carvalho
 
Traumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros InferioresTraumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros Inferiores
Caio Gonçalves de Souza
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
Patricia de Castilhos
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
Caio Maximino
 
Princípios de osteossíntese 2016
Princípios de osteossíntese 2016Princípios de osteossíntese 2016
Princípios de osteossíntese 2016
Luis Filipe Senna, MD, MSc
 
Aula 04 sistema muscular ok
Aula 04   sistema muscular okAula 04   sistema muscular ok
Aula 04 sistema muscular ok
Ed_Fis_2015
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
Johnny Martins
 
Inflamação
InflamaçãoInflamação
Inflamação
Safia Naser
 
Slides osteomioarticular
Slides osteomioarticularSlides osteomioarticular
Slides osteomioarticular
Ana Lucia Costa
 
Tecido óSseo
Tecido óSseoTecido óSseo
Tecido óSseo
Natalianeto
 

Mais procurados (20)

Adaptação celular
Adaptação celularAdaptação celular
Adaptação celular
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
04 Sistema Muscular
04   Sistema Muscular04   Sistema Muscular
04 Sistema Muscular
 
História da Anatomia Humana
História da Anatomia Humana História da Anatomia Humana
História da Anatomia Humana
 
Nós e Suturas
Nós e SuturasNós e Suturas
Nós e Suturas
 
Lista de acidentes anatômicos ósseos
Lista de acidentes anatômicos ósseosLista de acidentes anatômicos ósseos
Lista de acidentes anatômicos ósseos
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
 
Introdução a anatomia
Introdução a anatomiaIntrodução a anatomia
Introdução a anatomia
 
Anatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferiorAnatomia do membro inferior
Anatomia do membro inferior
 
Aula Tecido Ósseo
Aula Tecido ÓsseoAula Tecido Ósseo
Aula Tecido Ósseo
 
Traumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros InferioresTraumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros Inferiores
 
Sistema esquelético
Sistema esqueléticoSistema esquelético
Sistema esquelético
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
 
Princípios de osteossíntese 2016
Princípios de osteossíntese 2016Princípios de osteossíntese 2016
Princípios de osteossíntese 2016
 
Aula 04 sistema muscular ok
Aula 04   sistema muscular okAula 04   sistema muscular ok
Aula 04 sistema muscular ok
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
 
Inflamação
InflamaçãoInflamação
Inflamação
 
Slides osteomioarticular
Slides osteomioarticularSlides osteomioarticular
Slides osteomioarticular
 
Tecido óSseo
Tecido óSseoTecido óSseo
Tecido óSseo
 

Semelhante a Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagens

Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
Amália Beims
 
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1 2o. semestre.pptx
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1      2o. semestre.pptxfisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1      2o. semestre.pptx
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1 2o. semestre.pptx
JadiellJordan
 
Tecido ósseo certo
Tecido ósseo   certoTecido ósseo   certo
Tecido ósseo certo
Larissa Seabra
 
Tecido ósseo e muscular
Tecido ósseo e muscularTecido ósseo e muscular
Tecido ósseo e muscular
brandaobio
 
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdfAula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
TiagoNunes86467
 
Qumica alimentos mont'alverne
Qumica alimentos mont'alverneQumica alimentos mont'alverne
Qumica alimentos mont'alverne
Netto Paes
 
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
Madalena Infante
 
Bioq.clinica metab. mineral e osseo
Bioq.clinica   metab. mineral e osseoBioq.clinica   metab. mineral e osseo
Bioq.clinica metab. mineral e osseo
Adele Janie
 
Osteoporose
Osteoporose Osteoporose
Osteoporose
pauloalambert
 
Osteoporose
OsteoporoseOsteoporose
Osteoporose
pauloalambert
 
Alimentação+equilibrada
Alimentação+equilibradaAlimentação+equilibrada
Alimentação+equilibrada
Lucas Thiago
 
Vitaminas sais e nucleotideos
Vitaminas sais e nucleotideosVitaminas sais e nucleotideos
Vitaminas sais e nucleotideos
Adrianne Mendonça
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
César Milani
 
Sistema digestorio i
Sistema digestorio iSistema digestorio i
Sistema digestorio i
Juliana de Oliveira Rosa
 
Nh aula 3.3 - minerais
Nh   aula 3.3 - mineraisNh   aula 3.3 - minerais
Nh aula 3.3 - minerais
Eric Liberato
 
aulA.pdf
aulA.pdfaulA.pdf
aulA.pdf
radiologiahc
 
2010 03 2010 LacticíNios
2010 03 2010 LacticíNios2010 03 2010 LacticíNios
2010 03 2010 LacticíNios
Daniel Sousa
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
Caroline Ribeiro Pessanha
 
Nutrientes
NutrientesNutrientes
Nutrientes
wagneripo
 
Caso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
Caso clínico Osteoporose e Doença CelíacaCaso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
Caso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
Esther Botelho Soares
 

Semelhante a Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagens (20)

Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
 
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1 2o. semestre.pptx
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1      2o. semestre.pptxfisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1      2o. semestre.pptx
fisiologia do sistema osteoarticular - TIV - ênfase 1 2o. semestre.pptx
 
Tecido ósseo certo
Tecido ósseo   certoTecido ósseo   certo
Tecido ósseo certo
 
Tecido ósseo e muscular
Tecido ósseo e muscularTecido ósseo e muscular
Tecido ósseo e muscular
 
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdfAula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
Aula_Tecido_osseo_e_osteogenese_2009.pdf
 
Qumica alimentos mont'alverne
Qumica alimentos mont'alverneQumica alimentos mont'alverne
Qumica alimentos mont'alverne
 
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
Os alimentos como veículo de nutrientes [guardado automaticamente]
 
Bioq.clinica metab. mineral e osseo
Bioq.clinica   metab. mineral e osseoBioq.clinica   metab. mineral e osseo
Bioq.clinica metab. mineral e osseo
 
Osteoporose
Osteoporose Osteoporose
Osteoporose
 
Osteoporose
OsteoporoseOsteoporose
Osteoporose
 
Alimentação+equilibrada
Alimentação+equilibradaAlimentação+equilibrada
Alimentação+equilibrada
 
Vitaminas sais e nucleotideos
Vitaminas sais e nucleotideosVitaminas sais e nucleotideos
Vitaminas sais e nucleotideos
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
 
Sistema digestorio i
Sistema digestorio iSistema digestorio i
Sistema digestorio i
 
Nh aula 3.3 - minerais
Nh   aula 3.3 - mineraisNh   aula 3.3 - minerais
Nh aula 3.3 - minerais
 
aulA.pdf
aulA.pdfaulA.pdf
aulA.pdf
 
2010 03 2010 LacticíNios
2010 03 2010 LacticíNios2010 03 2010 LacticíNios
2010 03 2010 LacticíNios
 
Sistema Esquelético
Sistema EsqueléticoSistema Esquelético
Sistema Esquelético
 
Nutrientes
NutrientesNutrientes
Nutrientes
 
Caso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
Caso clínico Osteoporose e Doença CelíacaCaso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
Caso clínico Osteoporose e Doença Celíaca
 

Mais de Caio Gonçalves de Souza

Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Caio Gonçalves de Souza
 
Traumatologia Ortopédica
Traumatologia OrtopédicaTraumatologia Ortopédica
Traumatologia Ortopédica
Caio Gonçalves de Souza
 
Osteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e OsteoartriteOsteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e Osteoartrite
Caio Gonçalves de Souza
 
Infecções Osteoarticulares
Infecções OsteoarticularesInfecções Osteoarticulares
Infecções Osteoarticulares
Caio Gonçalves de Souza
 
Trauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros SuperioresTrauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros Superiores
Caio Gonçalves de Souza
 
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das FraturasPrincípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Caio Gonçalves de Souza
 
Fraturas Expostas
Fraturas ExpostasFraturas Expostas
Fraturas Expostas
Caio Gonçalves de Souza
 
Conceitos Iniciais da Ortopedia
Conceitos Iniciais da OrtopediaConceitos Iniciais da Ortopedia
Conceitos Iniciais da Ortopedia
Caio Gonçalves de Souza
 
Complicações Decorrentes de Fraturas
Complicações Decorrentes de FraturasComplicações Decorrentes de Fraturas
Complicações Decorrentes de Fraturas
Caio Gonçalves de Souza
 
Patologias da Coluna Vertebral
Patologias da Coluna VertebralPatologias da Coluna Vertebral
Patologias da Coluna Vertebral
Caio Gonçalves de Souza
 

Mais de Caio Gonçalves de Souza (10)

Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
 
Traumatologia Ortopédica
Traumatologia OrtopédicaTraumatologia Ortopédica
Traumatologia Ortopédica
 
Osteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e OsteoartriteOsteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e Osteoartrite
 
Infecções Osteoarticulares
Infecções OsteoarticularesInfecções Osteoarticulares
Infecções Osteoarticulares
 
Trauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros SuperioresTrauma dos Membros Superiores
Trauma dos Membros Superiores
 
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das FraturasPrincípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
Princípios de Consolidação e Tratamento das Fraturas
 
Fraturas Expostas
Fraturas ExpostasFraturas Expostas
Fraturas Expostas
 
Conceitos Iniciais da Ortopedia
Conceitos Iniciais da OrtopediaConceitos Iniciais da Ortopedia
Conceitos Iniciais da Ortopedia
 
Complicações Decorrentes de Fraturas
Complicações Decorrentes de FraturasComplicações Decorrentes de Fraturas
Complicações Decorrentes de Fraturas
 
Patologias da Coluna Vertebral
Patologias da Coluna VertebralPatologias da Coluna Vertebral
Patologias da Coluna Vertebral
 

Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagens

  • 2. SISTEMA LOCOMOTOR ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA PROF CAIO GONÇALVES DE SOUZA
  • 3. Fisiologia do Tecido Ósseo e Cartilagem
  • 6. Tipos de Ossos • Ossos longos • Ossos largos ou laminares • Ossos curtos • Ossos sesamóides • Ossos Irregulares
  • 7. Osso • Epífise (Apófise) • Metáfise • Diáfise
  • 8. Osso • Osso esponjoso • Osso Cortical
  • 9. Osso • Canal de Volkmann – Transversal • Canal de Havers – Longitudinal
  • 10. Classificação Tecido Ósseo • Osso Primário – Imaturo • Osso Secundário – Lamelar
  • 12. Funções do Tecido Ósseo • Sustentação • Proteção dos órgãos internos • Reserva de Cálcio e Fósforo • Produção de células do sangue na medula óssea • Possibilitar a movimentação • Manutenção do equilíbrio ácido-base, através da absorção de sais alcalino
  • 13. Composição do Tecido Ósseo • Componente celular – Tecido ósseo é vivo, logo permite mudanças em sua estrutura! • Matriz óssea – Matriz extracelular é endurecida pela presença de compostos de Cálcio em suas estruturas
  • 14. Matriz Óssea • Parte inorgânica (65%) – cálcio e fosfato (hidroxiapatita) – íons de potássio, magnésio, citrato, sódio e bicarbonato • Parte orgânica (35%) – colágeno tipo I (90%) – glicoproteínas (sulfato de condroitina) – proteoglicanas
  • 16. Resistência Mecânica • Arquitetura óssea (geometria) • Microarquitetura • Composição do tecido ósseo – Hidroxiapatita + Colágeno tipo 1
  • 17. ARQUITETURA ÓSSEA • GEOMETRIA • MICROARQUITETURA LAMELAR E TRABECULAR
  • 18. Células do Tecido Ósseo • Osteócitos – fundamental na manutenção da integridade da matriz óssea – localizados em cavidades ou lacunas dentro da matriz óssea – Originam-se de osteoblastos (quando estes são envolvidos completamente pela matriz óssea)
  • 19. Células do Tecido Ósseo • Osteoblastos – Sintetizam a parte orgânica da matriz óssea – Responsáveis pela mineralização da matriz
  • 21. Células do Tecido Ósseo • Osteoclastos – Absorção e remodelação do tecido ósseo – Derivadas de monócitos
  • 23. Formação do Tecido Ósseo • Ossificação intramembranosa • Ossos laminares • Ossificação endocondral • Ossos longos • Forma cartilagem antes de mineralizar
  • 24. Embriologia • Inicialmente se forma a cartilagem • Depois esta é mineralizada  Osso
  • 26. Remodelação Óssea • Interleucinas 1 e 6 • TGF alfa (Transforming Growth Factors) • BMPs (Bone Morfogenetic Proteins) • FGFs (Fibroblasts Growth Factors) • PDGFs(Platelet Derived Growth Factors)
  • 30. Vitamina D • Nível ideal – 800 a 1.200 UI/dia • Fontes naturais – Gordura do leite – Fígado de peixes de águas frias • Produção natural – 7-dihidrocolesterol + UVB = colicalciferol
  • 31. Vitamina D3 Suplementação Oral • Suplementação de D3 ou D2 –Fígado -> 25-hidrocolicalciferol (calcidiol) –Rins -> 1,25 dihidrocolicalciferol (calcitriol)
  • 32. Vitamina D3 Suplementação Oral • Doses de Manutenção – 400 to 800 IU diárias para jovens – 1000 to 2000 IU diárias para idosos e pessoas com baixa exposição ao Sol
  • 33. Ações da Vitamina D • Absorção intestinal e Reabsorção tubular renal do Cálcio • Reduz os níveis de PTH • Estimula a osteogênese pelos osteoblastos • Ação antibiótica respiratória
  • 34. Ações da Vitamina D • Modulação do equilíbrio • Aumenta a força muscular • Estimula a diferenciação e inibe a proliferação celular (Proteção contra câncer de mama, próstata e intestino)
  • 35. Efeito do Cálcio e Vitamina D em taxa de fraturas não vertebrais em homens e mulheres saudáveis
  • 36. Segurança da Vitamina D Low Ideal High Toxic 0 30 60 90 25(OH)D ng/mL Hipercalciúria Hipercalcemia Ampla margem de segurança 10.000 IU/day for 6 months- no side effects (Vieth e col, Am J Clin Nutr 2001)
  • 38. Cálcio • Mineral mais comum no corpo humano • 99% encontrado nos ossos • Nível sérico e extracelular não podem aumentar muito (precipitação)
  • 39. Funções do Cálcio • Vasodilatação e vasoconstrição • Sinapses dos nervos • Contração muscular • Secreção de hormônios como a Insulina
  • 40. Funções do Cálcio • Resistência mecânica do esqueleto • Contração muscular • Coagulação sanguínea • Secreção de hormômios • Secreção de neurotransmissores • Aderência celular
  • 41. Ingestão diária recomendada Recommended Dietary Allowance (RDA) for Calcium Life Stage Age Males (mg/day) Females (mg/day) Infants 0-6 months 200 (AI) 200 (AI) Infants 6-12 months 260 (AI) 260 (AI) Children 1-3 years 700 700 Children 4-8 years 1,000 1,000 Children 9-13 years 1,300 1,300 Adolescents 14-18 years 1,300 1,300 Adults 19-50 years 1,000 1,000 Adults 51-70 years 1,000 1,200 Adults 71 years and older 1,200 1,200 Pregnancy 14-18 years - 1,300 Pregnancy 19-50 years - 1,000 Breast-feeding 14-18 years - 1,300 Breast-feeding 19-50 years - 1,000
  • 42. Biodisponibilidade Dietética e Equivalência ao Leite ALIMENTOS g Ca mg Absor. (%) Absor. (mg) Equiv. LEITE 260 300 32,1 96,3 1 FEIJÃO 177 50 15,6 7,8 12,3 BRÓCOLIS 71 35 61,3 21,5 4,5 COUVE 65 47 58,8 27,6 3,5 ESPINAFRE 90 122 5,1 6,2 15,5
  • 43. Alimentação DIETA “POBRE” DIETA HIPOCÁLCICA HIPOVITAMINOSE D DIETA “RUIM” VERDURA COSIDA DIETA HIPERPROTÊICA ALCOOLISMO INTOLERÂNCIA À LACTOSE DISTÚRBIOS GASTROINTESTINAIS
  • 44. Suplementação de Cálcio  Administração após refeições leves Antes do almoço e jantar  Dose máxima de 550 mg/ tomada (- dieta)  Sais de Cálcio  Carbonato  Citrato Fosfato tribásico
  • 45. Carbonato Citrato Fosfato Tribásico % Cálcio Elementar 40,0% 24,1% 38,8% Estudos Disponíveis ++++ ++ + A quem indicar?  Crianças e Adolescentes  Homens e mulheres de qualquer idade  Grávidas e lactantes  Acloridría  Neo Gástrica  Gastrite Atrófica  Cirurgia Bariátrica  Litíase Renal  Homens e Mulheres > 70 anos com baixa ingestão de fósforo (raro)  Intolerância a Lactose  Institucionalizados  Dificuldade de se alimentar
  • 48. Componentes • Condrócitos (células) • Matriz extracelular – Colágeno tipo 2 – Agregado de proteoglicanos • Glicosaminoglicanas (GAGs) • Água
  • 51. Proteoglicanas • Proteínas extracelulares ligadas a glicosaminoglicanos • Função: – Rigidez a matriz – Resistir a compressão – Preencher espaços
  • 53. Glicosaminoglicanos • Compostos polissacarídicos de longas cadeias não ramificadas • Componente importante dos tecidos conectivos e da cartilagem • Possuem alta quantidade de carga negativa, e por isso acabam atraindo cátions (Sódio) • Capacidade de atrair água (hidratar) a matriz
  • 54. Glicosaminoglicanos • Sulfato de Condroitina • Queratan Sulfato (Keratan)
  • 56. A compressão da matriz libera água e diminui o volume da cartilagem. A descompressão restabelece o volume
  • 58. Colágeno • Maior constituinte dos tecidos conectivos animais: – bovinos – suinos – peixes – aves
  • 59. Colágeno • Gelatina = forma desnaturada de colágeno • Hidrólise enzimática solubiliza a gelatina • Solúvel em água fria • Grau farmacêutico e grau alimento
  • 60. Colágeno • Colágeno Hidrolizado OU • Peptídeos de Colágeno • Colágeno tipo II não desnaturado
  • 61. Colágeno Hidrolizado • Polipeptídeos (1 a 20 Kda) – Digeridos (peptidases) – Hidrolizados (enzimas FDA) • Pool de Oligopeptídeos (1 a 2 KDa) • Aminoácidos livres • Dipeptídeos, Tripeptídeos, Tetrapeptídeos
  • 62. Mecanismo de ação  Aumento da expressão de genes dos maiores componentes da matrix extracelular: agrecan e colágeno tipo II  Podem prevenir a degradação da matrix da cartilagem pelo aumento da produção de agrecan e colágeno tipo II
  • 63. Articulação Cartilagem hialina + Líquido sinovial
  • 64. Líquido sinovial • Lubrificação Articular • Menor estresse mecânico • Nutrição do condrócito • Agregação de Proteoglicanos e Glucosaminoglicanos.
  • 65. Condrócito Proteoglicano Agrecano Matriz Cart. Extracelular Líquido sinovial Cartilagem normal Boa função articular Sinoviócitos