SlideShare uma empresa Scribd logo
São Paulo | Rio de Janeiro | Brasília | Curitiba | Recife | Belo HorizontSão Paulo | Rio de Janeiro | Brasília | Curitiba | Recife | Belo Horizonte | Campo Grande
Londres | Lisboa | Xangai | Beijing | Nova Delhi | Miami | Buenos Aires |JohannesburgoLondres | Lisboa | Xangai | Beijing | Nova Delhi | Miami | Buenos Aires |Johannesburgo
ALGUNS FUNDAMENTOS DE DIREITOALGUNS FUNDAMENTOS DE DIREITO
INTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADOINTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADO
Durval de Noronha Goyos Jr.
Sócio Sênior - Noronha Advogados
Faculdade Anhanguera – Unidade Brigadeiro
21 de agosto de 2013
ÍNDICE
INTRODUÇÃO
-O Direito Internacional Público;
-Tratativas Internacionais;
-Conflito de Leis ou Direito Internacional Privado;
-Campos de Incidência do Direito Internacional Privado; e
-Conclusões.
CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL - ICONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL - I
“Direito internacional é o sistema de tratados e normas a reger
as relações internacionais entre Estados soberanos, da mesma
forma que a criar obrigações de natureza variada aos seus
sujeitos e a certas organizações, como a Organização das
Nações Unidas (ONU) e a Corte Internacional de Justiça.”
Durval de Noronha Goyos
Arbitration in The World
Trade Organization, página
5.
CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL -CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL -
IIII
“O conceito tradicional de direito internacional exclui
indivíduos e pessoas jurídicas de direito privado do seu
âmbito.”
Francisco Rezek
A expansão do conceito.

Recomendado para você

Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula

O documento introduz conceitos básicos do direito, distinguindo entre direito objetivo e subjetivo, positivo e natural, público e privado. Também apresenta as abordagens dogmática e zetética do direito, relacionando a ciência com a filosofia jurídica, e discute as disciplinas do direito e suas divisões.

Arbitragem resumo
Arbitragem resumoArbitragem resumo
Arbitragem resumo

A arbitragem é uma forma extrajudicial de resolução de conflitos sobre direitos patrimoniais disponíveis, na qual as partes transferem a solução do conflito para um terceiro chamado árbitro. A sentença arbitral tem efeito igual a uma sentença judicial e só pode ser anulada nos casos estritos previstos em lei. O árbitro deve agir com imparcialidade, independência, competência, diligência e discrição no desempenho de sua função.

direitoarbitragem resumosolução de conflitos
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5

1. O documento discute conceitos jurídicos fundamentais como direito natural e positivo, e direito objetivo e subjetivo. 2. Direito natural deriva da natureza e moral, enquanto direito positivo são normas criadas pelo Estado. 3. Direito objetivo são normas que regem a sociedade, e direito subjetivo confere poderes e faculdades às pessoas.

EXEMPLOS DA INTER-RELAÇÃO DE INDIVÍDUOS EEXEMPLOS DA INTER-RELAÇÃO DE INDIVÍDUOS E
PESSOAS JURÍDICAS NO DIREITO INTERNACIONALPESSOAS JURÍDICAS NO DIREITO INTERNACIONAL
1. Corte Européia de Direitos Humanos;
2. Comissão de Compensação da ONU para danos com o Iraque;
3. Corte de Justiça das Comunidades Européias;
4. Tribunal de Crimes de Guerra para Ruanda;
5. Corte “Internacional Criminal” Bósnia;
6. Corte Inter-Americana de Direitos Humanos;
7. Arbitragem no NAFTA; e
8. Arbitragem no Banco Mundial (âmbito do ICSID).
EXEMPLO – R.G. FELTMANEXEMPLO – R.G. FELTMAN
“International law is the body of law… which states feel bound to
observe… and which includes also:
a) the rules of law relating to the functioning of international
institutions or organizations, their relations with each other and their
relation with states and
b) certain rules of law relating to individuals and non-state entities
so far as the rights or duties of such individuals and non-state entities
are the concerns of the international community.”
 Falta, no direito internacional, a legitimidade do regimeFalta, no direito internacional, a legitimidade do regime
constitucional do direito municipal.constitucional do direito municipal.
 Falta, no direito internacional, um regime eficaz de sanções.Falta, no direito internacional, um regime eficaz de sanções.
 As visões de Pastor Ridruejo e de Hans Kelsen.As visões de Pastor Ridruejo e de Hans Kelsen.
DIFERENÇAS ENTRE DIREITO DOMÉSTICO EDIFERENÇAS ENTRE DIREITO DOMÉSTICO E
DIREITO INTERNACIONALDIREITO INTERNACIONAL
DISPUTA INTERNACIONALDISPUTA INTERNACIONAL
 Diferenças com a disputa doméstica.Diferenças com a disputa doméstica.
 Disputa é um desacordo sobre fatos ou leis entre duas ouDisputa é um desacordo sobre fatos ou leis entre duas ou
mais partes.mais partes.
 Limites das disputas no âmbito do direito internacional.Limites das disputas no âmbito do direito internacional.
 Nomenclatura – Disputa ou Controvérsia.Nomenclatura – Disputa ou Controvérsia.

Recomendado para você

Direito do Trabalho
Direito do TrabalhoDireito do Trabalho
Direito do Trabalho

Este documento descreve a história do Direito do Trabalho, desde as origens do trabalho humano na Antiguidade até o surgimento do Direito do Trabalho moderno. Inicialmente, o trabalho era visto como castigo e era realizado majoritariamente por escravos. Com o fim da escravidão, surgiram novas formas de relação de trabalho, dando origem aos primeiros direitos trabalhistas. O documento também aborda a evolução do Direito do Trabalho no Brasil.

direito
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)

O documento apresenta uma introdução ao estudo do direito, definindo conceitos como direito objetivo, direito subjetivo e divisões do direito positivo. Explica que o direito objetivo é o conjunto de leis que regem a sociedade e preveem sanções, enquanto o direito subjetivo é a faculdade de cada membro da sociedade invocar a lei a seu favor. Apresenta também a divisão do direito positivo entre direito público, que regula atividades do poder público, e direito privado, que regula atividades dos particul

direito civildireito constitucionaldireito público e privado
Aula Fontes Do Direito
Aula   Fontes Do DireitoAula   Fontes Do Direito
Aula Fontes Do Direito

O documento discute as fontes do direito no Brasil. Em 3 frases ou menos: 1) As fontes materiais do direito incluem fatores sociais, econômicos e políticos, enquanto as fontes formais dão forma às normas jurídicas válidas através da escrita. 2) A Constituição Federal está no topo da hierarquia das normas e todas as leis devem respeitar seus princípios. 3) Além das leis, a jurisprudência, doutrina, costumes e outros elementos também contribuem para

A CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇAA CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA
Situada em Haia, é o órgão judicial da ONU e o Tribunal
Internacional de mais alta hierarquia.
É composta de 15 Juízes.
Somente Estados podem ser partes dos casos sob sua
jurisdição, que diz respeito às questões objeto da Carta da ONU
ou de outras convenções.
O artigo 38 dos Estatutos da Corte Internacional de Justiça
dispõe:
(i) A corte, cuja função é decidir de acordo com o direito
internacional as disputas a ela submetidas, aplicam:
a) convenções internacionais;
b) o costume internacional geralmente aceito como lei;
c) os princípios de direito reconhecidos pelas nações
civilizadas; e
d) sem força jurisprudencial, as decisões judiciais e os
ensinamentos de juristas qualificados.
FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL – IINTERNACIONAL – I
FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL – IIINTERNACIONAL – II
A ilegalidade dos precedentes judiciais obrigatórios no
direito internacional.
A doutrina stare decisis do common law.
As tentativas de manipulação do sistema de resolução de
disputas da OMC pela aplicação ilegal da doutrina stare
decisis.
Os ensinamentos do Prof. Leonardo Nemer e de Malcom
Shaw.
As convenções internacionais são os únicos mecanismos
mediante os quais os Estados podem desenvolver o direito
internacional.
As convenções podem ser divididas em:
a) Tratados Bilaterais (entre dois países);
b) Tratados Multilaterais (entre mais de três países,
nos quais reservas NÃO são permitidas); e
c) Tratados Plurilaterais (entre mais de três países,
nos quais reservas SÃO permitidas).
FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL –INTERNACIONAL –
IIIIII

Recomendado para você

Slides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional iSlides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional i

O documento discute diferentes abordagens sobre o conceito de constituição, classificações de constituições e princípios de interpretação constitucional. Aborda também o poder constituinte, controle de constitucionalidade e eficácia das normas constitucionais.

Acesso à justiça
Acesso à justiçaAcesso à justiça
Acesso à justiça

O documento discute a história do sistema judiciário em Portugal e no Brasil colonial, destacando que desde a colonização o acesso à justiça era difícil devido à falta de estrutura e centralização. Também analisa problemas atuais como morosidade, formalismo excessivo e falta de recursos que dificultam o acesso à justiça, especialmente para os mais pobres. Defende que o acesso à justiça deve garantir a proteção efetiva dos direitos de todos.

acesso à justiça
Direito Internacional
Direito InternacionalDireito Internacional
Direito Internacional

1) O documento discute conceitos e características do Direito Internacional, incluindo sua evolução histórica e abrangência atual. 2) Aborda os fundamentos do Direito Internacional, incluindo as perspectivas jusnaturalista e positivista, e examina se o Direito Internacional pode ser considerado verdadeiramente um Direito. 3) Explora a relação entre o Direito Internacional e o Direito Interno dos Estados, com menção às teorias dualista e monista sobre como esses dois sistemas jurídicos se relacionam.

direito
 Art. 2 CVLT “Art. 2 CVLT “Convention means an international agreementConvention means an international agreement
concluded between states in written form andconcluded between states in written form and
governed by international law, whether embodiedgoverned by international law, whether embodied
in a single instrument or in two orin a single instrument or in two or
more relatedmore related instruments and whatever itsinstruments and whatever its
particular designation.”particular designation.”
 AlcanceAlcance
 Codificação de direito internacional preexistenteCodificação de direito internacional preexistente
 Art. 26 CVLTArt. 26 CVLT Pacta sunt ServandaPacta sunt Servanda
Bona FidesBona Fides
 Art. 27 CVLTArt. 27 CVLT Prevalência sobre direito domésticoPrevalência sobre direito doméstico
 Art. 46 CVLTArt. 46 CVLT exceções do art. 27exceções do art. 27
O CONCEITO DE TRATADO E A CONVENÇÃO DE VIENAO CONCEITO DE TRATADO E A CONVENÇÃO DE VIENA
SOBRE A LEI DOS TRATADOS (CVLT)SOBRE A LEI DOS TRATADOS (CVLT)
Estados e Organizações InternacionaisEstados e Organizações Internacionais
Natureza Jurídica do Estado (Convenção de Montevidéu de
1933):
a)População permanente;
b)Território definido;
c)Governo; e
d)Ser independente.
PERSONALIDADE DO DIREITOPERSONALIDADE DO DIREITO INTERNACIONALINTERNACIONAL
Crescimento do número de tratados internacionais.
O conflito entre tratados.
As resultantes antinomias:
a) Ratione materiae;
b) Ratione personae;
HIERARQUIA DOS TRATADOSHIERARQUIA DOS TRATADOS
Dificuldades para a resolução das antinomias. Paralelos com o direito
doméstico. A superioridade intrínseca. A inferioridade intrínseca.
NORMAS PARA A RESOLUÇÃO DENORMAS PARA A RESOLUÇÃO DE
ANTINOMIASANTINOMIAS
LEX SUPERIOR REVOCAT INFERIORI
LEX POSTERIOR REVOCAT PRIORI
(limitação do artigo 30, 3 da CVLT)
LEX SPECIALIS DEROGAT GENERALIS
(só aplicável com dispositivo expresso conforme artigo 30, 2 da
CVLT)
A questão das antinomias ratione materiae

Recomendado para você

Recuperaçao e falencia
Recuperaçao e falenciaRecuperaçao e falencia
Recuperaçao e falencia

O documento discute os conceitos de insolvência e falência segundo a lei de recuperação e falência. Apresenta os pressupostos para a decretação da falência de um devedor, como a qualidade de empresário e o estado de insolvência. Também explica os sujeitos excluídos da lei e a classificação de credores no processo falimentar.

Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e ConstituiçãoAula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição

O documento discute o conceito de direito constitucional e constituição. Apresenta diferentes definições de constituição e classificações das mesmas de acordo com origem, forma, extensão, conteúdo, modo de elaboração, alterabilidade, correspondência com a realidade e finalidade. Explora também a origem do constitucionalismo e seu desenvolvimento ao longo da história.

direito constitucional e constituição
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza DantasHermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas

Este documento apresenta o programa de disciplina de Hermenêutica Jurídica ministrada na Faculdade de Direito. O programa aborda noções de hermenêutica e interpretação, métodos de interpretação jurídica, escolas de pensamento jurídico e hermenêutica constitucional.

A DIPLOMACIA, SUAS ATIVIDADES E FUNÇÕESA DIPLOMACIA, SUAS ATIVIDADES E FUNÇÕES
(i) Conceito:
“Diplomacia é a condução das relações internacionais de um Estado mediante
meios pacíficos, pelas autoridades governamentais constituídas, perante outros
Estados, organizações internacionais e outros sujeitos de direito internacional.”
Durval de Noronha Goyos
ii) Atividades:
a)Formulação da política externa; e
b)Implementação da política externa.
(iii) Funções:
a)Estabelecer canais de comunicação;
b)Negociação de tratados;
c)Obtenção de informações; e
d)Disseminação de informações.
A chamada “Diplomacia Comercial”
TRATATIVAS PRELIMINARES ÀS NEGOCIAÇÕESTRATATIVAS PRELIMINARES ÀS NEGOCIAÇÕES
INTERNACIONAISINTERNACIONAIS
 Concordância em que as negociações poderão ser satisfatórias
para as partes;
Concordância quanto a agenda; e
Forma leal e procedimentos das negociações.
CONFLITO DE LEIS OUCONFLITO DE LEIS OU
DIREITO INTERNACIONAL PRIVADODIREITO INTERNACIONAL PRIVADO
Direito Internacional Privado rege relações entre particulares
governados por legislação supranacional.
Conflito de Leis estuda as possibilidades, a
forma e o processo da aplicação extraterritorial
das leis.
QUANDO E COMO O SE APLICAQUANDO E COMO O SE APLICA
A LEI ESTRANGEIRAA LEI ESTRANGEIRA
Uma das partes numa disputa é domiciliada no estrangeiro;
Os eventos objetos de uma disputa poderão ter tomado lugar
no exterior;
O réu numa disputa pode ter ativos no exterior; e
Um ato jurídico pode ter sido criado de acordo com as leis
de um terceiro país.

Recomendado para você

Introdução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e PrivadoIntrodução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e Privado

Este documento apresenta o plano de aula de um curso básico de direito público e privado ministrado na Universidade Estadual de Goiás pelo professor Elder Leite. Inclui informações sobre o professor e sua formação, além de introduzir conceitos fundamentais de direito como direito objetivo, subjetivo e a divisão do direito positivo.

direito público e privado
Hermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptxHermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptx

O documento discute a hermenêutica jurídica e a interpretação jurídica. A hermenêutica jurídica é a ciência responsável por estudar métodos e princípios para interpretar normas jurídicas corretamente. A interpretação jurídica é a aplicação desses métodos e princípios para extrair o significado de texto legal em um caso concreto. Há várias regras legais, científicas e da jurisprudência que guiam a interpretação jurídica.

Direito Civil
Direito CivilDireito Civil
Direito Civil

O documento descreve um livro sobre Direito Civil que contém informações sobre: 1) A Lei de Introdução ao Código Civil e conceitos básicos como vigência, revogação e lacunas na lei; 2) Pessoas naturais e jurídicas; 3) Tópicos da Parte Geral do Direito Civil como domicílio, bens, fatos jurídicos e defeitos de negócios jurídicos.

direito
CONFLITO DE LEIS NO BRASIL ICONFLITO DE LEIS NO BRASIL I
LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO
BRASILEIRO
(DL 4657/42)
Artº 7º A lei do país do domicílio determina as regras quanto a personalidade, o
nome, a capacidade e os direitos de família.
Artº 8º Para regular os bens, aplica-se a lei do país em que estiverem situados.
Artº 9º Para regular as obrigações, aplica-se a lei do país onde se constituírem.
Artº 10º Para regular a sucessão, aplica-se a lei do domicílio do defunto.
Artº 11º Para regular as sociedades, aplica-se a lei do país onde se
constituíram.
Artº 12º É competente o judiciário brasileiro quando o réu for domiciliado
no Brasil ou ali tiver que ser cumprida a obrigação.
CONFLITO DE LEIS NO BRASIL IICONFLITO DE LEIS NO BRASIL II
LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO BRASILEIRO
(DL 4657/42)
Artº 13º A prova dos fatos ocorridos no estrangeiro deve ser
feita de acordo com as leis locais.
Artº 14º Quem invoca a lei estrangeira tem o ônus de
prová-la.
Artº 15º e Serão executadas no Brasil as sentenças estrangeiras
Artº 17º formalmente corretas, salvo as que
ofenderem a soberania nacional, a ordem pública e
os bons costumes.
CONFLITO DE LEIS NA UNIÃO EUROPÉIACONFLITO DE LEIS NA UNIÃO EUROPÉIA
CONVENÇÕES DE BRUXELAS, ROMA E DE LUGANOCONVENÇÕES DE BRUXELAS, ROMA E DE LUGANO
CONFLITOS EXTERNOS
São competentes os tribunais dos 27 Estados membros com
jurisdição exclusiva nos casos de:
 propriedade intelectual;
constituição de sociedades;
registros públicos; e
execução de sentenças.
CONFLITOS INTERNOS
CONFLITO DE LEIS NOS EUACONFLITO DE LEIS NOS EUA
CONFLITO INTERNO E CONFLITO EXTERNO
a. - Imóveis - Lei da situação do bem.
b. - Testes de:
1 - Contato;
2 - Relacionamento;
3 - Equilíbrio de interesses;
4 - Maior prejuízo; e
5 - Melhor lei.

Recomendado para você

Aula 1 teoria geral do processo
Aula 1   teoria geral do processoAula 1   teoria geral do processo
Aula 1 teoria geral do processo

O documento discute o significado e conceitos fundamentais do direito processual. Resume que o direito processual é o ramo do direito público que define as regras e princípios da atividade jurisdicional do Estado para solucionar conflitos de forma ordenada. Também discute que o processo é o instrumento através do qual as partes podem buscar a tutela jurisdicional de um juiz imparcial para a proteção de seus direitos.

Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...

O documento discute regras sobre administração e extinção de condomínios edilícios no Brasil. Ele explica que a assembleia geral de condôminos aprova o orçamento, a contribuição e as prestações de contas, e elege o síndico. Também descreve que certas obras no condomínio dependem da aprovação de uma maioria ou dois terços dos condôminos, e que a extinção pode ocorrer por reconstrução ou venda em caso de destruição da edificação.

Aulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional PúblicoAulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional Público

O documento discute os benefícios e desafios da globalização, incluindo a intensificação das relações entre os povos e a diminuição das distâncias espaciais e temporais. No entanto, também reconhece os problemas causados pela globalização, como a criminalidade transfronteiriça, as crises econômicas e a proteção dos direitos humanos.

direito internacional; direito; international law;
LEGISLAÇÃO CHINESA SOBRE CONFLITO DE LEISLEGISLAÇÃO CHINESA SOBRE CONFLITO DE LEIS
EM VIGOR DESDE 1 DE ABRIL DE 2011EM VIGOR DESDE 1 DE ABRIL DE 2011
Aceita escolha de leis estrangeiras para regular relações
civis.
Desde que não seja mandatória a regência da lei chinesa para o
caso.
Em questões de ordem pública, aplica-se a lei chinesa:
Pessoas físicas: lei de residência
Pessoas jurídicas: lei do local de constituição
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
-Comércio Exterior;
-Societário e Investimentos;
-Bancário e Seguros;
-Tributário;
-Contratos;
-Direito da Competição e do Consumo;
-Propriedade Intelectual / Tecnologia;
-Família e Sucessões;
-Criminal;
-Contencioso; e
-Internet
Direito Doméstico / Direito de Terceiros Países
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO
DIREITO INTERNACIONALDIREITO INTERNACIONAL
PÚBLICOPÚBLICO
•Diplomacia;
•Negociações comerciais soberanas;
•Agências Multilaterais;
•Tribunal Penal Internal;
•Contencioso (CIJ – OMC); e
•Direitos Humanos.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
•Contratos;
•Garantias;
•Conflitos de Lei;
•Defesa comercial;
•Negociações comerciais; e
•Direito Comercial Regional e Multilateral.
COMÉRCIO EXTERIOR

Recomendado para você

Slide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuitoSlide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuito

O Direito Ambiental é um ramo do Direito que possui interligação com outros ramos, como o Direito Constitucional, Direito Penal, Direito Civil, e Direito Administrativo, por exemplo. Em nossa Constituição de 1988, o artigo 225 disciplina: “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.” Podemos também vincular o Direito Ambiental com o Direito Econômico, ao vislumbrarmos as fortes demandas para compatibilizar o desenvolvimento econômico com a preservação do meio ambiente, gerando também um desenvolvimento social. A cada dia, mais Operadores do Direito Ambiental serão demandados pelos diversos players que atuam em áreas que se interrelacionam. Quer aprender mais sobre o assunto? Inscreva-se para assistir às videoaulas em sua casa ou no trabalho, baixando também os conteúdos dos e-books em pdf.

curso online direito ambiental gratuitocurso direito ambiental gratuito videoaulascurso direito ambiental gratuito com certificado
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...

O documento discute a personalidade internacional de diferentes atores no direito internacional. O Estado-nação é o principal sujeito de direito internacional, mas organizações internacionais também possuem alguma personalidade. Outros atores como povos, movimentos e entidades podem eventualmente ter personalidade internacional limitada reconhecida.

Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...

1) O documento discute a história do direito internacional, desde os tempos antigos até os dias atuais, destacando os principais momentos e teorias que influenciaram seu desenvolvimento. 2) A Idade Média viu a Igreja exercer grande influência sobre o direito internacional, enquanto a Paz de Vestfália (1648) estabeleceu os conceitos modernos de Estado-nação e soberania estatal. 3) No século XX, a criação da Sociedade das Nações e da Organização das Nações Unidas consolid

CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
CONTENCIOSO
•Conflito de Leis;
•Judicial;
•Administrativo;
•Arbitragem doméstica; e
•Arbitragem internacional.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
SOCIETÁRIO E INVESTIMENTOS
-Constituição de empresas;
-Acordos de acionistas;
-Estatutos sociais;
-Contratos sociais;
-Desinvestimentos;
-Dividendos e lucros; e
-Bolsas de valores e mercados de
capitais.
CAMPOS INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
BANCÁRIO E SEGUROS
•Contratos de Empréstimo;
•Contratos de Financiamento;
•Contratos de Seguro;
•Contratos de Resseguro;
•Contratos de Seguro Garantia; e
•Contratos nos Mercados Capitais.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
-Planejamento tributário;
-Acordos de bitributação; e
- Paraísos fiscais.
TRIBUTÁRIO

Recomendado para você

Direito, 12º ano
Direito, 12º anoDireito, 12º ano
Direito, 12º ano

Este documento descreve a comunidade internacional e o direito internacional e comunitário. Apresenta as organizações internacionais, fontes do direito internacional e estrutura da União Europeia, incluindo suas instituições como o Parlamento Europeu, Conselho da União Europeia e Comissão Europeia. Explica também os princípios que regem as relações entre o direito comunitário e o direito interno dos Estados-membros.

12ºanodireitoresumos
Bens no di pr
Bens no di prBens no di pr
Bens no di pr

A normativa brasileira trata dos bens no Direito Internacional Privado segundo a lei do país onde estão localizados, com exceções para bens móveis em trânsito, que seguem a lei do domicílio do proprietário, e penhores, regidos pela lei do domicílio do possuidor no momento da constituição. Bens como navios, aeronaves e embarcações também têm regra específica, seguindo a lei do país de matrícula ou abandeiramento.

Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostilaDireito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila

O documento discute o que é direito ambiental no Brasil, incluindo a legislação, princípios e um resumo breve. Ele fornece links para as páginas do site, Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn e Youtube dos Advogados de Direito Ambiental.

principios direito ambientaldireito ambientalcursos direito ambiental
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
CONTRATOS
• Contratos de representação;
•Contratos de distribuição;
• Contratos de serviços;
• Contratos de vendas;
• Contratos de construção;
• Contratos de fornecimento; e
• Contratos imobiliários.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
DIREITO DA COMPETIÇÃO E DO CONSUMO
•Planejamento;
•Aconselhamento;
•Redação de garantias;
•Representação perante órgãos reguladores; e
•Contencioso administrativo, arbitral e judicial.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
PROPRIEDADE INTELECTUAL - TECNOLOGIA
•Aconselhamento doméstico e multilateral;
•Marcas;
•Patentes;
•Proteção de programas; e
•Direitos autorais.
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
FAMÍLIA E SUCESSÕES
-Pactos anti-nupciais;
- Testamentos;
-Testamentos biológicos;
- Casamentos;
-Inventários;
-Divórcios; e
- Adoções.

Recomendado para você

Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014

Este documento descreve um programa de estudo no exterior de 18 dias na Holanda, Luxemburgo, França e Alemanha para estudantes de Direito da PUC-SP. O programa inclui 15 horas de aula na Universidade de Estrasburgo, 15 visitas técnicas, 5 passeios culturais, 2 jantares e hospedagem em hotéis. O custo total é de EUR 3240 e as inscrições devem ser feitas até 30 de setembro de 2013.

Apostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigaçõesApostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigações

1) O documento discute o Direito das Obrigações, que regula as relações jurídicas patrimoniais entre pessoas. 2) Uma obrigação consiste no vínculo entre credor e devedor, onde o devedor deve cumprir uma prestação ao credor. 3) As obrigações possuem elementos subjetivos (credor e devedor), objetivo (a prestação) e o vínculo jurídico entre eles.

Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada

Este documento discute as principais questões ambientais contemporâneas e fontes formais do direito ambiental. As principais questões incluem o esgarçamento da camada de ozônio, aquecimento global e mudanças climáticas, perda da biodiversidade e escassez de água. As fontes formais internacionais discutidas são conferências sobre meio ambiente realizadas pelas Nações Unidas desde 1972.

CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
• Fraudes;
•Crimes financeiros;
•Crimes cibernéticos; e
•Crimes contra a pessoa.
CRIMINAL
CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO
INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO
•Proteção de dados;
•Negócios em linha;
•Assinatura digital;
•Segurança cibernética;
•Comércio Eletrônico; e
•Contratos.
INTERNET
OBRIGADO!OBRIGADO!
DURVAL DE NORONHADURVAL DE NORONHA
GOYOS JR.GOYOS JR.
dng@noronhaadvogados.com.brdng@noronhaadvogados.com.br
www.noronhaadvogados.com.brwww.noronhaadvogados.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 15
Aula 15Aula 15
NOÇÕES DE DIREITO
NOÇÕES DE DIREITONOÇÕES DE DIREITO
NOÇÕES DE DIREITO
URCAMP
 
Aula Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
Aula   Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De DireitoAula   Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
Aula Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
Grupo VAHALI
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula
jovenniu
 
Arbitragem resumo
Arbitragem resumoArbitragem resumo
Arbitragem resumo
Pitágoras
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Direito do Trabalho
Direito do TrabalhoDireito do Trabalho
Direito do Trabalho
Adeildo Caboclo
 
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Elder Leite
 
Aula Fontes Do Direito
Aula   Fontes Do DireitoAula   Fontes Do Direito
Aula Fontes Do Direito
Grupo VAHALI
 
Slides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional iSlides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional i
Keziah Silva Pinto
 
Acesso à justiça
Acesso à justiçaAcesso à justiça
Acesso à justiça
Dimensson Costa Santos
 
Direito Internacional
Direito InternacionalDireito Internacional
Direito Internacional
Adeildo Caboclo
 
Recuperaçao e falencia
Recuperaçao e falenciaRecuperaçao e falencia
Recuperaçao e falencia
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e ConstituiçãoAula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Tércio De Santana
 
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza DantasHermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Luís Rodolfo A. de Souza Dantas
 
Introdução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e PrivadoIntrodução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e Privado
Elder Leite
 
Hermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptxHermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptx
Clodomiro Nascimento Jr
 
Direito Civil
Direito CivilDireito Civil
Direito Civil
Adeildo Caboclo
 
Aula 1 teoria geral do processo
Aula 1   teoria geral do processoAula 1   teoria geral do processo
Aula 1 teoria geral do processo
Wesley André
 
Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Jordano Santos Cerqueira
 

Mais procurados (20)

Aula 15
Aula 15Aula 15
Aula 15
 
NOÇÕES DE DIREITO
NOÇÕES DE DIREITONOÇÕES DE DIREITO
NOÇÕES DE DIREITO
 
Aula Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
Aula   Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De DireitoAula   Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
Aula Apres. Do Curso E Conceito E Fontes De Direito
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula
 
Arbitragem resumo
Arbitragem resumoArbitragem resumo
Arbitragem resumo
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Direito do Trabalho
Direito do TrabalhoDireito do Trabalho
Direito do Trabalho
 
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
Introdução ao Estudo do Direito (FIG parte 1)
 
Aula Fontes Do Direito
Aula   Fontes Do DireitoAula   Fontes Do Direito
Aula Fontes Do Direito
 
Slides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional iSlides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional i
 
Acesso à justiça
Acesso à justiçaAcesso à justiça
Acesso à justiça
 
Direito Internacional
Direito InternacionalDireito Internacional
Direito Internacional
 
Recuperaçao e falencia
Recuperaçao e falenciaRecuperaçao e falencia
Recuperaçao e falencia
 
Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e ConstituiçãoAula 01 - Direito Constitucional e Constituição
Aula 01 - Direito Constitucional e Constituição
 
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza DantasHermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
Hermenêutica Jurídica - Slides das Aulas do Prof. Luís Rodolfo de Souza Dantas
 
Introdução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e PrivadoIntrodução ao Direito Público e Privado
Introdução ao Direito Público e Privado
 
Hermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptxHermenêutica jurídica slide.pptx
Hermenêutica jurídica slide.pptx
 
Direito Civil
Direito CivilDireito Civil
Direito Civil
 
Aula 1 teoria geral do processo
Aula 1   teoria geral do processoAula 1   teoria geral do processo
Aula 1 teoria geral do processo
 
Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...Direito Civil IV - Aula 18   condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
Direito Civil IV - Aula 18 condomínio edilício (cont.), enfiteuse, superfíc...
 

Destaque

Aulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional PúblicoAulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional Público
Luciano Meneguetti
 
Slide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuitoSlide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuito
Unichristus Centro Universitário
 
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Marcos Relvas.'.
 
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Marcos Relvas.'.
 
Direito, 12º ano
Direito, 12º anoDireito, 12º ano
Direito, 12º ano
Raquel Tavares
 
Bens no di pr
Bens no di prBens no di pr
Bens no di pr
dipr-ufrgs
 
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostilaDireito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Parentoni Santos Nascimento Advocacia Ambiental
 
Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014
Daniel Amgarten
 
Apostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigaçõesApostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigações
Direito Faclions
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Editora Juspodivm
 
Direito das obrigações
Direito das obrigaçõesDireito das obrigações
Direito das obrigações
Agassis Rodrigues
 
10 1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
10   1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe10   1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
10 1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
Henrique Araújo
 
Apostila de direito internacional publico
Apostila de direito internacional publicoApostila de direito internacional publico
Apostila de direito internacional publico
Direito Fesv Mlo
 
Questionário temas 1 à 8
Questionário temas 1 à 8Questionário temas 1 à 8
Questionário temas 1 à 8
Douglas Machado
 
direito-internacional-privado
direito-internacional-privadodireito-internacional-privado
direito-internacional-privado
Hélio Gonçalves
 
Direito Administrativo slide 1
Direito Administrativo slide 1Direito Administrativo slide 1
Direito Administrativo slide 1
Por las calles
 
Direito administrativo
Direito administrativoDireito administrativo
Direito administrativo
Superprovas Software
 

Destaque (17)

Aulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional PúblicoAulas de Direito Internacional Público
Aulas de Direito Internacional Público
 
Slide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuitoSlide curso direito ambiental gratuito
Slide curso direito ambiental gratuito
 
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
Direito das Relações Internacionais - Personalidade Internacional, ONU, Conse...
 
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
Direito das Relações Internacionais - Histórico, Direitos Humanos e Composiçã...
 
Direito, 12º ano
Direito, 12º anoDireito, 12º ano
Direito, 12º ano
 
Bens no di pr
Bens no di prBens no di pr
Bens no di pr
 
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostilaDireito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
 
Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014Apresentação public international law pucsp_2014
Apresentação public international law pucsp_2014
 
Apostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigaçõesApostila direito das obrigações
Apostila direito das obrigações
 
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizadaManual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
Manual de Direito Ambiental (2014) - 4a ed.: Revista, ampliada e atualizada
 
Direito das obrigações
Direito das obrigaçõesDireito das obrigações
Direito das obrigações
 
10 1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
10   1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe10   1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
10 1001 questoes comentadas direito internacional publico cespe
 
Apostila de direito internacional publico
Apostila de direito internacional publicoApostila de direito internacional publico
Apostila de direito internacional publico
 
Questionário temas 1 à 8
Questionário temas 1 à 8Questionário temas 1 à 8
Questionário temas 1 à 8
 
direito-internacional-privado
direito-internacional-privadodireito-internacional-privado
direito-internacional-privado
 
Direito Administrativo slide 1
Direito Administrativo slide 1Direito Administrativo slide 1
Direito Administrativo slide 1
 
Direito administrativo
Direito administrativoDireito administrativo
Direito administrativo
 

Semelhante a Fundamentos de Direito Internacional Público e Privado

Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDBDireito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
Marcos Relvas.'.
 
direint002
direint002direint002
direint002
biancacmd
 
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_eadOab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
Slide DIPr-Revisaço.pptx
Slide DIPr-Revisaço.pptxSlide DIPr-Revisaço.pptx
Slide DIPr-Revisaço.pptx
TatianaFirminoDamas
 
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Fábio Peres
 
Slides - Direito Internacional Privado.pdf
Slides - Direito Internacional Privado.pdfSlides - Direito Internacional Privado.pdf
Slides - Direito Internacional Privado.pdf
SaraHarris45
 
Tratados
TratadosTratados
Tratados
Felipe Hiago
 
Contratos
ContratosContratos
Contratos
Zito Zartielly
 
internacional internacional internacional internacional internacional interna...
internacional internacional internacional internacional internacional interna...internacional internacional internacional internacional internacional interna...
internacional internacional internacional internacional internacional interna...
SaraHarris45
 
Direito internacional privado_10º_semestre
Direito internacional privado_10º_semestreDireito internacional privado_10º_semestre
Direito internacional privado_10º_semestre
Elvis Fischer
 
Direito internacional (introdução)
 Direito internacional (introdução) Direito internacional (introdução)
Direito internacional (introdução)
Laisy Quesado
 
53497909 oab-apostila-direito-internacional
53497909 oab-apostila-direito-internacional53497909 oab-apostila-direito-internacional
53497909 oab-apostila-direito-internacional
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
Slide 9 DIP.pptx
Slide 9 DIP.pptxSlide 9 DIP.pptx
Slide 9 DIP.pptx
TatianaFirminoDamas
 
Guia de estudo de dip
Guia de estudo de dipGuia de estudo de dip
Guia de estudo de dip
José Rodrigues
 
As fontes do direito internacional
As fontes do direito internacionalAs fontes do direito internacional
As fontes do direito internacional
Direito Fesv Mlo
 
Internpublicoeprivado2014noçoesger
Internpublicoeprivado2014noçoesgerInternpublicoeprivado2014noçoesger
Internpublicoeprivado2014noçoesger
Renata Assunção
 
RESUMO DE ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
RESUMO DE  ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)RESUMO DE  ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
RESUMO DE ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
114 dia a-coinc
114 dia a-coinc114 dia a-coinc
114 dia a-coinc
Karlos Walentin
 
Aula2
Aula2Aula2
Dir com int. resumo parcial de aulas np2
Dir com int.   resumo parcial de aulas np2Dir com int.   resumo parcial de aulas np2
Dir com int. resumo parcial de aulas np2
Leo Costa
 

Semelhante a Fundamentos de Direito Internacional Público e Privado (20)

Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDBDireito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
Direito das Relações Internacionais - Influências e LINDB
 
direint002
direint002direint002
direint002
 
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_eadOab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
Oab 2011 direito_internacional_leonardo_aula_25-05-11_parte1_finalizado_ead
 
Slide DIPr-Revisaço.pptx
Slide DIPr-Revisaço.pptxSlide DIPr-Revisaço.pptx
Slide DIPr-Revisaço.pptx
 
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013Direito internacional público   luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
Direito internacional público luis fernando kuyven - 1º semestre 2013
 
Slides - Direito Internacional Privado.pdf
Slides - Direito Internacional Privado.pdfSlides - Direito Internacional Privado.pdf
Slides - Direito Internacional Privado.pdf
 
Tratados
TratadosTratados
Tratados
 
Contratos
ContratosContratos
Contratos
 
internacional internacional internacional internacional internacional interna...
internacional internacional internacional internacional internacional interna...internacional internacional internacional internacional internacional interna...
internacional internacional internacional internacional internacional interna...
 
Direito internacional privado_10º_semestre
Direito internacional privado_10º_semestreDireito internacional privado_10º_semestre
Direito internacional privado_10º_semestre
 
Direito internacional (introdução)
 Direito internacional (introdução) Direito internacional (introdução)
Direito internacional (introdução)
 
53497909 oab-apostila-direito-internacional
53497909 oab-apostila-direito-internacional53497909 oab-apostila-direito-internacional
53497909 oab-apostila-direito-internacional
 
Slide 9 DIP.pptx
Slide 9 DIP.pptxSlide 9 DIP.pptx
Slide 9 DIP.pptx
 
Guia de estudo de dip
Guia de estudo de dipGuia de estudo de dip
Guia de estudo de dip
 
As fontes do direito internacional
As fontes do direito internacionalAs fontes do direito internacional
As fontes do direito internacional
 
Internpublicoeprivado2014noçoesger
Internpublicoeprivado2014noçoesgerInternpublicoeprivado2014noçoesger
Internpublicoeprivado2014noçoesger
 
RESUMO DE ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
RESUMO DE  ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)RESUMO DE  ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
RESUMO DE ahyrton oab_direito_internacional_1_parte (1)
 
114 dia a-coinc
114 dia a-coinc114 dia a-coinc
114 dia a-coinc
 
Aula2
Aula2Aula2
Aula2
 
Dir com int. resumo parcial de aulas np2
Dir com int.   resumo parcial de aulas np2Dir com int.   resumo parcial de aulas np2
Dir com int. resumo parcial de aulas np2
 

Mais de Noronha Advogados

UBE - História e Realizações
UBE - História e RealizaçõesUBE - História e Realizações
UBE - História e Realizações
Noronha Advogados
 
Oportunidades no Mercado Português
Oportunidades no Mercado PortuguêsOportunidades no Mercado Português
Oportunidades no Mercado Português
Noronha Advogados
 
Apresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
Apresentação dos Escritórios de Noronha AdvogadosApresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
Apresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
Noronha Advogados
 
Divulgação do livro da FEB na Itália
Divulgação do livro da FEB na ItáliaDivulgação do livro da FEB na Itália
Divulgação do livro da FEB na Itália
Noronha Advogados
 
O ambiente Legal e Econômico na China
O ambiente Legal e Econômico na ChinaO ambiente Legal e Econômico na China
O ambiente Legal e Econômico na China
Noronha Advogados
 
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no BrasilBancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
Noronha Advogados
 
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
Noronha Advogados
 
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
Noronha Advogados
 
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
Noronha Advogados
 
Oil Gas Clipping - January 2016
Oil Gas Clipping - January 2016Oil Gas Clipping - January 2016
Oil Gas Clipping - January 2016
Noronha Advogados
 
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORSIMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
Noronha Advogados
 
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de BragançaPresidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
Noronha Advogados
 
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacionalBrasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
Noronha Advogados
 
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia SauditaUBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
Noronha Advogados
 
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
Noronha Advogados
 
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscalFATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
Noronha Advogados
 
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
Noronha Advogados
 
Oil Gas Clipping - September
Oil Gas Clipping - SeptemberOil Gas Clipping - September
Oil Gas Clipping - September
Noronha Advogados
 
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libroAmbasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
Noronha Advogados
 
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
Noronha Advogados
 

Mais de Noronha Advogados (20)

UBE - História e Realizações
UBE - História e RealizaçõesUBE - História e Realizações
UBE - História e Realizações
 
Oportunidades no Mercado Português
Oportunidades no Mercado PortuguêsOportunidades no Mercado Português
Oportunidades no Mercado Português
 
Apresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
Apresentação dos Escritórios de Noronha AdvogadosApresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
Apresentação dos Escritórios de Noronha Advogados
 
Divulgação do livro da FEB na Itália
Divulgação do livro da FEB na ItáliaDivulgação do livro da FEB na Itália
Divulgação do livro da FEB na Itália
 
O ambiente Legal e Econômico na China
O ambiente Legal e Econômico na ChinaO ambiente Legal e Econômico na China
O ambiente Legal e Econômico na China
 
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no BrasilBancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
Bancos internacionais incentivam adesão ao programa de anistia fiscal no Brasil
 
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
Promulgado Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Conse...
 
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
Promulgado Acordo de Cooperação Econômica e Tecnológica entre o Governo da Re...
 
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
Brasil adere à convenção "apostila", simplificando o uso de documentos estran...
 
Oil Gas Clipping - January 2016
Oil Gas Clipping - January 2016Oil Gas Clipping - January 2016
Oil Gas Clipping - January 2016
 
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORSIMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
IMPROVEMENT IN BRAZIL’S CURRENT TRANSACTIONS REASSURES INVESTORS
 
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de BragançaPresidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
Presidente da UBE homenageia Dom Duarte de Bragança
 
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacionalBrasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
Brasil da señales de gran actividad en el comercio internacional
 
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia SauditaUBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
UBE - Condenação à morte de poeta na Arábia Saudita
 
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
Editada Medida Provisória que altera o imposto sobre ganho de capitais em 2016
 
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscalFATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
FATCA - O programa que visa combater a evasão fiscal
 
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
Os Desafios da União Brasileira de Escritores (UBE)
 
Oil Gas Clipping - September
Oil Gas Clipping - SeptemberOil Gas Clipping - September
Oil Gas Clipping - September
 
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libroAmbasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
Ambasciatore del Brasile Ricardo Neiva per ocasione del lancio del libro
 
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
Parole del Signor Mario Giro sotto segretario di stato per gli affari esteri ...
 

Fundamentos de Direito Internacional Público e Privado

  • 1. São Paulo | Rio de Janeiro | Brasília | Curitiba | Recife | Belo HorizontSão Paulo | Rio de Janeiro | Brasília | Curitiba | Recife | Belo Horizonte | Campo Grande Londres | Lisboa | Xangai | Beijing | Nova Delhi | Miami | Buenos Aires |JohannesburgoLondres | Lisboa | Xangai | Beijing | Nova Delhi | Miami | Buenos Aires |Johannesburgo ALGUNS FUNDAMENTOS DE DIREITOALGUNS FUNDAMENTOS DE DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADOINTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADO Durval de Noronha Goyos Jr. Sócio Sênior - Noronha Advogados Faculdade Anhanguera – Unidade Brigadeiro 21 de agosto de 2013
  • 2. ÍNDICE INTRODUÇÃO -O Direito Internacional Público; -Tratativas Internacionais; -Conflito de Leis ou Direito Internacional Privado; -Campos de Incidência do Direito Internacional Privado; e -Conclusões.
  • 3. CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL - ICONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL - I “Direito internacional é o sistema de tratados e normas a reger as relações internacionais entre Estados soberanos, da mesma forma que a criar obrigações de natureza variada aos seus sujeitos e a certas organizações, como a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Corte Internacional de Justiça.” Durval de Noronha Goyos Arbitration in The World Trade Organization, página 5.
  • 4. CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL -CONCEITO DE DIREITO INTERNACIONAL - IIII “O conceito tradicional de direito internacional exclui indivíduos e pessoas jurídicas de direito privado do seu âmbito.” Francisco Rezek A expansão do conceito.
  • 5. EXEMPLOS DA INTER-RELAÇÃO DE INDIVÍDUOS EEXEMPLOS DA INTER-RELAÇÃO DE INDIVÍDUOS E PESSOAS JURÍDICAS NO DIREITO INTERNACIONALPESSOAS JURÍDICAS NO DIREITO INTERNACIONAL 1. Corte Européia de Direitos Humanos; 2. Comissão de Compensação da ONU para danos com o Iraque; 3. Corte de Justiça das Comunidades Européias; 4. Tribunal de Crimes de Guerra para Ruanda; 5. Corte “Internacional Criminal” Bósnia; 6. Corte Inter-Americana de Direitos Humanos; 7. Arbitragem no NAFTA; e 8. Arbitragem no Banco Mundial (âmbito do ICSID).
  • 6. EXEMPLO – R.G. FELTMANEXEMPLO – R.G. FELTMAN “International law is the body of law… which states feel bound to observe… and which includes also: a) the rules of law relating to the functioning of international institutions or organizations, their relations with each other and their relation with states and b) certain rules of law relating to individuals and non-state entities so far as the rights or duties of such individuals and non-state entities are the concerns of the international community.”
  • 7.  Falta, no direito internacional, a legitimidade do regimeFalta, no direito internacional, a legitimidade do regime constitucional do direito municipal.constitucional do direito municipal.  Falta, no direito internacional, um regime eficaz de sanções.Falta, no direito internacional, um regime eficaz de sanções.  As visões de Pastor Ridruejo e de Hans Kelsen.As visões de Pastor Ridruejo e de Hans Kelsen. DIFERENÇAS ENTRE DIREITO DOMÉSTICO EDIFERENÇAS ENTRE DIREITO DOMÉSTICO E DIREITO INTERNACIONALDIREITO INTERNACIONAL
  • 8. DISPUTA INTERNACIONALDISPUTA INTERNACIONAL  Diferenças com a disputa doméstica.Diferenças com a disputa doméstica.  Disputa é um desacordo sobre fatos ou leis entre duas ouDisputa é um desacordo sobre fatos ou leis entre duas ou mais partes.mais partes.  Limites das disputas no âmbito do direito internacional.Limites das disputas no âmbito do direito internacional.  Nomenclatura – Disputa ou Controvérsia.Nomenclatura – Disputa ou Controvérsia.
  • 9. A CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇAA CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA Situada em Haia, é o órgão judicial da ONU e o Tribunal Internacional de mais alta hierarquia. É composta de 15 Juízes. Somente Estados podem ser partes dos casos sob sua jurisdição, que diz respeito às questões objeto da Carta da ONU ou de outras convenções.
  • 10. O artigo 38 dos Estatutos da Corte Internacional de Justiça dispõe: (i) A corte, cuja função é decidir de acordo com o direito internacional as disputas a ela submetidas, aplicam: a) convenções internacionais; b) o costume internacional geralmente aceito como lei; c) os princípios de direito reconhecidos pelas nações civilizadas; e d) sem força jurisprudencial, as decisões judiciais e os ensinamentos de juristas qualificados. FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL – IINTERNACIONAL – I
  • 11. FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL – IIINTERNACIONAL – II A ilegalidade dos precedentes judiciais obrigatórios no direito internacional. A doutrina stare decisis do common law. As tentativas de manipulação do sistema de resolução de disputas da OMC pela aplicação ilegal da doutrina stare decisis. Os ensinamentos do Prof. Leonardo Nemer e de Malcom Shaw.
  • 12. As convenções internacionais são os únicos mecanismos mediante os quais os Estados podem desenvolver o direito internacional. As convenções podem ser divididas em: a) Tratados Bilaterais (entre dois países); b) Tratados Multilaterais (entre mais de três países, nos quais reservas NÃO são permitidas); e c) Tratados Plurilaterais (entre mais de três países, nos quais reservas SÃO permitidas). FONTES DO DIREITOFONTES DO DIREITO INTERNACIONAL –INTERNACIONAL – IIIIII
  • 13.  Art. 2 CVLT “Art. 2 CVLT “Convention means an international agreementConvention means an international agreement concluded between states in written form andconcluded between states in written form and governed by international law, whether embodiedgoverned by international law, whether embodied in a single instrument or in two orin a single instrument or in two or more relatedmore related instruments and whatever itsinstruments and whatever its particular designation.”particular designation.”  AlcanceAlcance  Codificação de direito internacional preexistenteCodificação de direito internacional preexistente  Art. 26 CVLTArt. 26 CVLT Pacta sunt ServandaPacta sunt Servanda Bona FidesBona Fides  Art. 27 CVLTArt. 27 CVLT Prevalência sobre direito domésticoPrevalência sobre direito doméstico  Art. 46 CVLTArt. 46 CVLT exceções do art. 27exceções do art. 27 O CONCEITO DE TRATADO E A CONVENÇÃO DE VIENAO CONCEITO DE TRATADO E A CONVENÇÃO DE VIENA SOBRE A LEI DOS TRATADOS (CVLT)SOBRE A LEI DOS TRATADOS (CVLT)
  • 14. Estados e Organizações InternacionaisEstados e Organizações Internacionais Natureza Jurídica do Estado (Convenção de Montevidéu de 1933): a)População permanente; b)Território definido; c)Governo; e d)Ser independente. PERSONALIDADE DO DIREITOPERSONALIDADE DO DIREITO INTERNACIONALINTERNACIONAL
  • 15. Crescimento do número de tratados internacionais. O conflito entre tratados. As resultantes antinomias: a) Ratione materiae; b) Ratione personae; HIERARQUIA DOS TRATADOSHIERARQUIA DOS TRATADOS Dificuldades para a resolução das antinomias. Paralelos com o direito doméstico. A superioridade intrínseca. A inferioridade intrínseca.
  • 16. NORMAS PARA A RESOLUÇÃO DENORMAS PARA A RESOLUÇÃO DE ANTINOMIASANTINOMIAS LEX SUPERIOR REVOCAT INFERIORI LEX POSTERIOR REVOCAT PRIORI (limitação do artigo 30, 3 da CVLT) LEX SPECIALIS DEROGAT GENERALIS (só aplicável com dispositivo expresso conforme artigo 30, 2 da CVLT) A questão das antinomias ratione materiae
  • 17. A DIPLOMACIA, SUAS ATIVIDADES E FUNÇÕESA DIPLOMACIA, SUAS ATIVIDADES E FUNÇÕES (i) Conceito: “Diplomacia é a condução das relações internacionais de um Estado mediante meios pacíficos, pelas autoridades governamentais constituídas, perante outros Estados, organizações internacionais e outros sujeitos de direito internacional.” Durval de Noronha Goyos ii) Atividades: a)Formulação da política externa; e b)Implementação da política externa. (iii) Funções: a)Estabelecer canais de comunicação; b)Negociação de tratados; c)Obtenção de informações; e d)Disseminação de informações. A chamada “Diplomacia Comercial”
  • 18. TRATATIVAS PRELIMINARES ÀS NEGOCIAÇÕESTRATATIVAS PRELIMINARES ÀS NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAISINTERNACIONAIS  Concordância em que as negociações poderão ser satisfatórias para as partes; Concordância quanto a agenda; e Forma leal e procedimentos das negociações.
  • 19. CONFLITO DE LEIS OUCONFLITO DE LEIS OU DIREITO INTERNACIONAL PRIVADODIREITO INTERNACIONAL PRIVADO Direito Internacional Privado rege relações entre particulares governados por legislação supranacional. Conflito de Leis estuda as possibilidades, a forma e o processo da aplicação extraterritorial das leis.
  • 20. QUANDO E COMO O SE APLICAQUANDO E COMO O SE APLICA A LEI ESTRANGEIRAA LEI ESTRANGEIRA Uma das partes numa disputa é domiciliada no estrangeiro; Os eventos objetos de uma disputa poderão ter tomado lugar no exterior; O réu numa disputa pode ter ativos no exterior; e Um ato jurídico pode ter sido criado de acordo com as leis de um terceiro país.
  • 21. CONFLITO DE LEIS NO BRASIL ICONFLITO DE LEIS NO BRASIL I LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO BRASILEIRO (DL 4657/42) Artº 7º A lei do país do domicílio determina as regras quanto a personalidade, o nome, a capacidade e os direitos de família. Artº 8º Para regular os bens, aplica-se a lei do país em que estiverem situados. Artº 9º Para regular as obrigações, aplica-se a lei do país onde se constituírem. Artº 10º Para regular a sucessão, aplica-se a lei do domicílio do defunto. Artº 11º Para regular as sociedades, aplica-se a lei do país onde se constituíram. Artº 12º É competente o judiciário brasileiro quando o réu for domiciliado no Brasil ou ali tiver que ser cumprida a obrigação.
  • 22. CONFLITO DE LEIS NO BRASIL IICONFLITO DE LEIS NO BRASIL II LEI DE INTRODUÇÃO ÀS NORMAS DO DIREITO BRASILEIRO (DL 4657/42) Artº 13º A prova dos fatos ocorridos no estrangeiro deve ser feita de acordo com as leis locais. Artº 14º Quem invoca a lei estrangeira tem o ônus de prová-la. Artº 15º e Serão executadas no Brasil as sentenças estrangeiras Artº 17º formalmente corretas, salvo as que ofenderem a soberania nacional, a ordem pública e os bons costumes.
  • 23. CONFLITO DE LEIS NA UNIÃO EUROPÉIACONFLITO DE LEIS NA UNIÃO EUROPÉIA CONVENÇÕES DE BRUXELAS, ROMA E DE LUGANOCONVENÇÕES DE BRUXELAS, ROMA E DE LUGANO CONFLITOS EXTERNOS São competentes os tribunais dos 27 Estados membros com jurisdição exclusiva nos casos de:  propriedade intelectual; constituição de sociedades; registros públicos; e execução de sentenças. CONFLITOS INTERNOS
  • 24. CONFLITO DE LEIS NOS EUACONFLITO DE LEIS NOS EUA CONFLITO INTERNO E CONFLITO EXTERNO a. - Imóveis - Lei da situação do bem. b. - Testes de: 1 - Contato; 2 - Relacionamento; 3 - Equilíbrio de interesses; 4 - Maior prejuízo; e 5 - Melhor lei.
  • 25. LEGISLAÇÃO CHINESA SOBRE CONFLITO DE LEISLEGISLAÇÃO CHINESA SOBRE CONFLITO DE LEIS EM VIGOR DESDE 1 DE ABRIL DE 2011EM VIGOR DESDE 1 DE ABRIL DE 2011 Aceita escolha de leis estrangeiras para regular relações civis. Desde que não seja mandatória a regência da lei chinesa para o caso. Em questões de ordem pública, aplica-se a lei chinesa: Pessoas físicas: lei de residência Pessoas jurídicas: lei do local de constituição
  • 26. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO -Comércio Exterior; -Societário e Investimentos; -Bancário e Seguros; -Tributário; -Contratos; -Direito da Competição e do Consumo; -Propriedade Intelectual / Tecnologia; -Família e Sucessões; -Criminal; -Contencioso; e -Internet Direito Doméstico / Direito de Terceiros Países
  • 27. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONALDIREITO INTERNACIONAL PÚBLICOPÚBLICO •Diplomacia; •Negociações comerciais soberanas; •Agências Multilaterais; •Tribunal Penal Internal; •Contencioso (CIJ – OMC); e •Direitos Humanos.
  • 28. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO •Contratos; •Garantias; •Conflitos de Lei; •Defesa comercial; •Negociações comerciais; e •Direito Comercial Regional e Multilateral. COMÉRCIO EXTERIOR
  • 29. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO CONTENCIOSO •Conflito de Leis; •Judicial; •Administrativo; •Arbitragem doméstica; e •Arbitragem internacional.
  • 30. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO SOCIETÁRIO E INVESTIMENTOS -Constituição de empresas; -Acordos de acionistas; -Estatutos sociais; -Contratos sociais; -Desinvestimentos; -Dividendos e lucros; e -Bolsas de valores e mercados de capitais.
  • 31. CAMPOS INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO BANCÁRIO E SEGUROS •Contratos de Empréstimo; •Contratos de Financiamento; •Contratos de Seguro; •Contratos de Resseguro; •Contratos de Seguro Garantia; e •Contratos nos Mercados Capitais.
  • 32. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO -Planejamento tributário; -Acordos de bitributação; e - Paraísos fiscais. TRIBUTÁRIO
  • 33. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO CONTRATOS • Contratos de representação; •Contratos de distribuição; • Contratos de serviços; • Contratos de vendas; • Contratos de construção; • Contratos de fornecimento; e • Contratos imobiliários.
  • 34. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO DIREITO DA COMPETIÇÃO E DO CONSUMO •Planejamento; •Aconselhamento; •Redação de garantias; •Representação perante órgãos reguladores; e •Contencioso administrativo, arbitral e judicial.
  • 35. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO PROPRIEDADE INTELECTUAL - TECNOLOGIA •Aconselhamento doméstico e multilateral; •Marcas; •Patentes; •Proteção de programas; e •Direitos autorais.
  • 36. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO FAMÍLIA E SUCESSÕES -Pactos anti-nupciais; - Testamentos; -Testamentos biológicos; - Casamentos; -Inventários; -Divórcios; e - Adoções.
  • 37. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO • Fraudes; •Crimes financeiros; •Crimes cibernéticos; e •Crimes contra a pessoa. CRIMINAL
  • 38. CAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITOCAMPOS DE INCIDÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL PRIVADOINTERNACIONAL PRIVADO •Proteção de dados; •Negócios em linha; •Assinatura digital; •Segurança cibernética; •Comércio Eletrônico; e •Contratos. INTERNET
  • 39. OBRIGADO!OBRIGADO! DURVAL DE NORONHADURVAL DE NORONHA GOYOS JR.GOYOS JR. dng@noronhaadvogados.com.brdng@noronhaadvogados.com.br www.noronhaadvogados.com.brwww.noronhaadvogados.com.br