SlideShare uma empresa Scribd logo
DANÇA ALÉM DO MOVIMENTO: BASE DA EVOLUÇÃO DA
MENTE, DO PENSAMENTO E DO COMPORTAMENTO NOS
SERES HUMANO

Clotildes Maria de Jesus Olveira Cazé
Mestra em Dança pela Escola de Dança/UFBA, especialista em Ginástica Rítmica pela UNOPAR e em
Psicopedagogia pela UFRJ e graduada em Educação Física pela UCSal.




O     livro El cérebro y el mito del yo: el papel de las neuronas en el pensamiento y el
      comportamiento humanos escrito por Rodolfo Llinás, com prólogo de Gabriel
Garcia Márquez, publicado em 2002 pela Editorial Norma em Bogotá, com 360 pá-
ginas, doze capítulos, título original “I of the vortex”, traduzido para o espanhol por
Eugenia Guzmán, sem tradução para o português, traz entendimentos referentes à evo-
lução e à natureza da mente com base em sua origem no processo de desenvolvimento
pelo mecanismo biológico de ensaio e erro em organismos com movimento ativo.
    Rodolfo Llinás, MD, PhD, é formado em medicina pela Universidade Javeriana
em Bogotá, Colômbia. Chefe do Departamento de Fisiologia e Neurociências da
Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, suas pesquisas tratam da
neurociência do nível molecular até o cognitivo.
    Questões referentes à importância do movimento intencional1 e suas implicações
na evolução do sistema nervoso e no funcionamento cerebral, englobando os PAF2 e
os movimentos complexos; a interação entre os aspectos emocionais e a consciência; a
interiorização dos universais mediante a interiorização da motricidade; as propriedades
intrínsecas das células nervosas; a aprendizagem e memória; a observação das qualias3
do ponto de vista neuronal; o desenvolvimento da linguagem como resultado do pensa-
mento abstrato e idéias referentes à mente coletiva são temas abordados por Llinás.
    A idéia discutida por Llinás é a aquisição do movimento ativo e suas implicações
no desenvolvimento da mente. Para ele, a aquisição do movimento está ligada à or-
ganização e à função dos cérebros e se baseia na integração da motricidade durante
a evolução pela ação das propriedades oscilatórias intrínsecas. Esta ação gera a co-
nectividade neuronal que, segundo Llinás, é à base do movimento. O autor explica a


1 Movimento intencional caracteriza-se por ser um movimento antecipatório, inteligente e dirigido para uma meta;
  é indispensável para que a ação aconteça (LLINÁS, 2002).
2 PAF: Os padrões de ações fixas são reflexos elaborados que agrupam reflexos inferiores em sinergias e quando
  ativados produzem movimentos bem delimitados e coordenados que permitem ao “si mesmo” economizar tempo
  pelo uso de estratégias e táticas que possibilitam escolhas adequadas à sobrevivência (LLINÁS, 2002).
3 Qualias se refere à qualidade das entidades, a experiência sensorial. Termo utilizado pelo filósofo Willar Quine
  para indicar o caráter subjetivo da sensação gerada pelo sistema nervoso (LLINÁS, 2002).


PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009                                                                  1
condição humana ao afirmar que os seres humanos nascem com um aparato padrão
que permite antecipar reações pela formação de imagens sensório-motoras, levando
a ações pré-motoras. Llinnás afirma ainda que este aparato foi precableado na espé-
cie pela ação da filogenia4 e da ontogenia5 e que a elaboração da realidade depende
do cooperativismo da função cerebral. Ele compara o cérebro a um “maestro” or-
questrando uma sinfonia em que cada instrumento tem afinação própria e todos os
componentes são necessários. Na função cerebral, assim como na música, o silêncio
é tão importante quanto o som. Esse “maestro” não tem a possibilidade de orques-
trar permanentemente todas as atividades realizadas pelo corpo em um mundo que
cambia a todo instante.
    Para Llinás, os seres humanos não têm cérebros, eles são o próprio cérebro. Este
pensamento é o ponto chave para o entendimento de função cerebral defendido por
Llinás. Desta forma, sua teoria coaduna com o pensamento de Lakoff e Johnson
(1999), ao afirmar que todas as informações chegam ao corpo via percepção e são
sensório-motoras, ocorre à formação de redes neuronais e um criterioso trabalho de
seleção de informação na rede pela capacidade da neuroplasticidade cerebral6.
    Llinás é monista7 e afirma que cérebro e mente são eventos inseparáveis, sendo
a mente um dos estados funcionais gerados pelo cérebro. O autor percebe a mente
como um estado consciente que gera imagens sensório-motoras, resultado da união
de toda informação sensorial capaz de produzir um estado que resulte em uma ação.
Nesse sentido, ele propõe que o cérebro opera como um sistema autorreferencial,
semicerrado, e sugere que o sistema nervoso evoluiu da necessidade dos animais se
moverem ativamente.
    Llinás corrobora a idéia de consciência e reforça a importância das conexões
neuronais no comportamento e no pensamento humano, afirma que seres com mo-
vimento ativo utilizam a capacidade antecipatória do cérebro para prever eventos
e antecipar respostas motoras para se mover com eficiência no ambiente. Assim, a
capacidade de predição é a função primordial do cérebro, sendo o “si mesmo”8 o
responsável pelas interações. O autor argumenta que o movimento é resultado das
interações preditivas entre cérebro e ambiente e que o cérebro não controla músculos
individuais; são as sinergias musculares e os coletivos musculares que “interessam” ao
cérebro, se constituindo na base do movimento. São estas interações que possibilitam
a reconfiguração dinâmica dos mapas neuronais, incide sobre o sistema motor e per-
mite que a ação dos coletivos musculares se organize de forma transitória e se dissol-
vam rapidamente segundo as necessidades do momento. Esta ação objetiva poupar
esforços e economizar tempo para o “si mesmo”.

4 Filogenia está relacionada à informação genética; tudo que foi desenvolvido ao longo do processo evolutivo, diz
  respeito à espécie. A capacidade de conhecimento, a capacidade de aprender.
5 Ontogenia se refere a tudo que acontece no desenvolvimento de uma vida. É o aprendizado contínuo e diz res-
  peito ao indivíduo; depende das interações entre o corpo e o ambiente.
6 Neuroplasticidade cerebral refere-se à capacidade de adaptabilidade a novas situações.
7 Monista: aquele que está ligado ao monismo. A palavra “monismo” é usada para indicar toda doutrina ou sistema
  de pensamento que afirme certa unidade de explicação (redução a um só princípio, a uma só causa, a uma só
  tendência ou direção) para um domínio limitado de idéias ou de fatos ( JACOB, 1990).
8 “Si mesmo”: o centro da predição que surge a partir das interações no cérebro entre o sistema motor e o emocional.


PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009                                                                    2
A idéia de Llinás se corporifica na propriedade intrínseca da oscilação. Para ele,
o conjunto de atividades neuronais que atuam de forma simultânea é a raiz neuro-
biológica da cognição. Parte do princípio que durante o desenvolvimento cerebral
“neurônios que disparam juntos, se conectam juntos” promovem a contemporalidade
da ação, sendo a própria consciência. A soma da conjunção espacial e temporal pos-
sibilita e potencializa a cognição; conhecer o mapa temporal implica compreender a
dinâmica da função cerebral; pela projeção geométrica da realidade do mundo exter-
no no “espaço funcional interno” do cérebro, cria-se uma espécie de realidade virtual.
     Llinás defende a idéia dos PAF, ratifica a importância das conexões sinápticas e
a formação de mapas neuronais a partir das informações perceptuais que chegam do
mundo externo em tempo real, possibilitando uma resposta adequada pela utilização
dos PAF em uma ação integrada de estratégia e tática a depender do contexto. Ele
afirma que o “si mesmo” não tem tempo de implementar respostas adequadas às ne-
cessidades do momento em situações que exijam respostas motoras imediatas.
     Além disso, Llinás explica que a capacidade de abstração do sistema nervoso é fun-
damental para a criação da imagem do “si mesmo” e para cancelar ou modificar um PAF.
Para ele, este é um princípio fundamental da função do sistema nervoso. A natureza des-
ses processos está registrado nos padrões filogenéticos adquiridos pelo sistema nervoso
ao longo do processo evolutivo; a intencionalidade é o detalhe pré-motor que impulsio-
na a obtenção de resultados mediante movimentos que expressem estados emocionais e
se refere ao ato consciente de escolher o que fazer antes mesmo de fazê-lo.
     Desse modo, o ser humano já nasce com os circuitos gerais que possibilitam a so-
brevivência. Estes se modificam durante a maturação e se especializam. Llinás explica
que não é necessário aprender os circuitos neuronais, pois o tálamo, o córtex e a conec-
tividade entre eles não é algo aprendido e sim herdado. Todavia, os PAF podem ser
modificados, aprendidos, recordados e aperfeiçoados ao longo da vida, podendo ocorrer
processos de especialização, pois eles estão ligados à memória e à repetição e dependem
da experiência das conexões sinápticas. As habilidades para certas ações dependem e es-
tão limitadas por um conglomerado de capacidades presentes no ser humano ao nascer.
Com a prática, essas habilidades podem desenvolver-se e serem facilitadas.
     Llinás considera as emoções como membros do PAF cuja execução é pré-motora.
A tomada de decisão, por exemplo, depende da interação do PAF com o “si mesmo”.
Ele entende que se o tônus muscular é a plataforma básica para executar movimentos,
as emoções são a plataforma pré-motora que impulsiona ou freia a maioria de nossas
ações. Lembra ainda que a geração da criatividade no cérebro é um processo não
racional; logo, a criatividade não nasce da razão.
     Esta idéia reporta a Damásio (2000) que percebe cognição e emoção como ações
de um mesmo corpo com uma única entrada, a percepção sensório-motora. Ele
aponta a tomada de decisão como um evento associado a fatos e mecanismos ligados
à regulação corporal; que os sentimentos e emoções são percepções diretas dos esta-
dos corporais e constituem um elo entre corpo e consciência. Isso reforça a idéia de
Llinás que o cérebro parece estar organizado em módulos funcionais, sendo esta uma
propriedade intrínseca do aparato cerebral.
     Llinás aborda a questão das qualias, a função e necessidade, a ligação com os PAF;
questiona se a ciência compreenderá os sentimentos e afirma que as qualias são es-
truturas funcionais simplificadas pelas propriedades intrínsecas dos circuitos neuronais


PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009                                         3
cerebrais. Em uma perspectiva evolutiva, percebe a importância das qualias no estudo
da função cerebral e refuta a idéia que somente as formas superiores de vida são dotadas
de qualias. Para ele, a relação entre as qualias e a estrutura evolutiva funcional cerebral é
intrínseca; sendo as qualias primordiais para a organização global do sistema nervoso.
     Compreender o jogo de interação entre filogenia e ontogenia na construção dos
seres que possuem movimento ativo justifica esta leitura por profissionais que atuam
em educação, especialmente os que trabalham com o corpo e as múltiplas possibili-
dades de aprendizagem.
     Perceber que estes conhecimentos podem reorganizar conceitos de ensino-apren-
dizagem, observando os fatores limitantes e a possibilidade de atuação consciente a
partir destes entendimentos de corpo é o que faz este livro interessante, mesmo não
tendo seu foco voltado para a educação. Todavia, é possível buscar uma pedagogia do
movimento, visando ao desenvolvimento das potencialidades humanas, começando
pelo entendimento dos fatores potencializadores e limitantes da função cerebral.
     Ao término da leitura percebe-se o diferencial da ação conjunta da filogenia e da
ontogenia no processo evolutivo da espécie humana e as suas implicações no contexto
de desenvolvimento da mente e da aquisição do movimento na construção do conheci-
mento. A filogenia e a ontogenia atuam conjuntamente na evolução da espécie. A filo-
genia, em seu trabalho de seleção natural, congrega aos aspectos genéticos tudo aquilo
que acontece ao longo do desenvolvimento de uma vida e é importante para a evolução
da espécie. A ontogenia é a responsável por estes eventos. É o aprendizado contínuo,
diz respeito ao indivíduo e depende das interações entre o corpo e o ambiente.
     Diante dos argumentos, entende-se que a mente é interativa, funciona em rede
pela conectividade, ampliando as capacidades cerebrais e buscando a unificação per-
ceptual. Em suma, para Llinás, o pensamento é a interiorização evolutiva do movi-
mento e acontece pela capacidade de predição do cérebro, sendo necessário para a
permanência da espécie na Terra.

Referências

DAMÁSIO, A. R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. Tradução de
Dora Vicente e Georgina Segurado. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
JACOB, A. Encyclopédie Philosophique Universelle. Paris: PUF, 1990.
LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Philosophy in the Flesh: the embodied mind and its
challenge to western thought. New York: Basic Books, 1999.
LLINÁS, R. El cérebro y el mito del yo: el papel de las neuronas en el pensamiento
y el comportamiento humanos. Tradução de Eugenia Guzmán. Bogotá: Editorial
Norma, 2002. 360 p.

Recebido em: 30 de setembro de 2007
Revisado em: 30de setembro de 2007
Aprovado em: 25 de abril de 2008

Endereço para correspondência
clocaze@yahoo.com.br.


PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009                                              4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínicaNeuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínica
Ana Lúcia Hennemann
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
Instituto Consciência GO
 
Etapa 5
Etapa 5Etapa 5
Cognicao humana para sala de aula
Cognicao humana para sala de aulaCognicao humana para sala de aula
Cognicao humana para sala de aula
Amyris Fernandez
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
Psicomotricidade
 
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
Amer Hamdan
 
01 neuropsicologia clínica
01 neuropsicologia clínica01 neuropsicologia clínica
01 neuropsicologia clínica
Joniferson Corvalan Rodrigues
 
Dificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de AprendizagemDificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de Aprendizagem
Sergio Luis dos Santos Lima
 
Funções perceptivas superiores
Funções perceptivas superioresFunções perceptivas superiores
Funções perceptivas superiores
Caio Maximino
 
Psicomotricidade e desenvolvimento motor
Psicomotricidade e desenvolvimento motorPsicomotricidade e desenvolvimento motor
Psicomotricidade e desenvolvimento motor
fernandoguilhermepriess
 
Cérebro social
Cérebro social Cérebro social
Cérebro social
anasophiapereira
 
Cérebro x Mente
Cérebro x MenteCérebro x Mente
Cérebro x Mente
Mayara Mônica
 
Aula de cerebro
Aula de cerebroAula de cerebro
Aula de cerebro
lourivalcaburite
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Caio Maximino
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
Rafael Savi
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
Lidiane Araújo de Moura
 
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
Jean-Jacques Pinto
 
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagemNeuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Ana Lúcia Hennemann
 
Princípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologiaPrincípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologia
Gisele Cortoni Calia
 
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el CerebroCOMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
IFRS - Campus Sertão
 

Mais procurados (20)

Neuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínicaNeuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínica
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
 
Etapa 5
Etapa 5Etapa 5
Etapa 5
 
Cognicao humana para sala de aula
Cognicao humana para sala de aulaCognicao humana para sala de aula
Cognicao humana para sala de aula
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
 
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica: Desenvolvimento Histórico e Perspe...
 
01 neuropsicologia clínica
01 neuropsicologia clínica01 neuropsicologia clínica
01 neuropsicologia clínica
 
Dificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de AprendizagemDificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de Aprendizagem
 
Funções perceptivas superiores
Funções perceptivas superioresFunções perceptivas superiores
Funções perceptivas superiores
 
Psicomotricidade e desenvolvimento motor
Psicomotricidade e desenvolvimento motorPsicomotricidade e desenvolvimento motor
Psicomotricidade e desenvolvimento motor
 
Cérebro social
Cérebro social Cérebro social
Cérebro social
 
Cérebro x Mente
Cérebro x MenteCérebro x Mente
Cérebro x Mente
 
Aula de cerebro
Aula de cerebroAula de cerebro
Aula de cerebro
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
 
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
Resumo da conferencia "PSICANÁLISE E NEUROCIÊNCIAS"
 
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagemNeuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
 
Princípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologiaPrincípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologia
 
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el CerebroCOMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
COMO O CÉREBRO APRENDE - Cómo Aprende el Cerebro
 

Semelhante a Dança além do movimento

Neuropsicologia disturbios de aprendizagem
Neuropsicologia disturbios de aprendizagemNeuropsicologia disturbios de aprendizagem
Neuropsicologia disturbios de aprendizagem
Luciene Oliveira
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
DouglasVasconcelosMa
 
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
conselhosade2
 
2800 9436-1-pb
2800 9436-1-pb2800 9436-1-pb
2800 9436-1-pb
Jéssica Guidolin
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
DouglasVasconcelosMa
 
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdfIntrodução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
ALFREDOGALLONETO
 
Bases psicomotoras retomando conceitos
Bases psicomotoras retomando conceitosBases psicomotoras retomando conceitos
Bases psicomotoras retomando conceitos
Anaí Peña
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
Amone Matandaudje
 
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervosoEstimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
UEM
 
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Juazeiro do Norte e Região do Cariri
 
Aula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).pptAula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).ppt
VitriaMaria56
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cognição
Raquel Salcedo Gomes
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducação
Foz Censupeg
 
Educação Matemática e Desenvolvimento Humano
Educação Matemática e Desenvolvimento HumanoEducação Matemática e Desenvolvimento Humano
Educação Matemática e Desenvolvimento Humano
Everton Vieira
 
Grupo rp
Grupo rpGrupo rp
Grupo rp
Everton Vieira
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
glauciacorreaperes
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
glauciacorreaperes
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educação
SimoneHelenDrumond
 
Slides de neuro
Slides de neuroSlides de neuro
Slides de neuro
eliseudeoliveira
 
As divergências na análse
As divergências na análseAs divergências na análse
As divergências na análse
Joao António Fernandes
 

Semelhante a Dança além do movimento (20)

Neuropsicologia disturbios de aprendizagem
Neuropsicologia disturbios de aprendizagemNeuropsicologia disturbios de aprendizagem
Neuropsicologia disturbios de aprendizagem
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
 
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
NEUROCIENCIA I (1).ppt aula explicativa 1
 
2800 9436-1-pb
2800 9436-1-pb2800 9436-1-pb
2800 9436-1-pb
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
 
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdfIntrodução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
Introdução-à-Neuropsicopedagogia-e-Neurofarmacologia.pdf
 
Bases psicomotoras retomando conceitos
Bases psicomotoras retomando conceitosBases psicomotoras retomando conceitos
Bases psicomotoras retomando conceitos
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
 
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervosoEstimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
 
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
 
Aula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).pptAula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).ppt
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cognição
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducação
 
Educação Matemática e Desenvolvimento Humano
Educação Matemática e Desenvolvimento HumanoEducação Matemática e Desenvolvimento Humano
Educação Matemática e Desenvolvimento Humano
 
Grupo rp
Grupo rpGrupo rp
Grupo rp
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educação
 
Slides de neuro
Slides de neuroSlides de neuro
Slides de neuro
 
As divergências na análse
As divergências na análseAs divergências na análse
As divergências na análse
 

Mais de Anderson Balbinot

Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kantMonografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
Anderson Balbinot
 
Anderson balbinot
Anderson balbinotAnderson balbinot
Anderson balbinot
Anderson Balbinot
 
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
Anderson Balbinot
 
Arendt thinking and_moral_considerations
Arendt thinking and_moral_considerationsArendt thinking and_moral_considerations
Arendt thinking and_moral_considerations
Anderson Balbinot
 
Conceitos de consciencia chalmers
Conceitos de consciencia chalmersConceitos de consciencia chalmers
Conceitos de consciencia chalmers
Anderson Balbinot
 
On the search for the neural correlate of consciousness
On the search for the neural correlate of consciousnessOn the search for the neural correlate of consciousness
On the search for the neural correlate of consciousnessAnderson Balbinot
 
Baner jovens pesquisadores
Baner jovens pesquisadoresBaner jovens pesquisadores
Baner jovens pesquisadores
Anderson Balbinot
 
Namorada automatica
Namorada automaticaNamorada automatica
Namorada automatica
Anderson Balbinot
 
Carne bits guimaraes
Carne bits guimaraesCarne bits guimaraes
Carne bits guimaraes
Anderson Balbinot
 
Mentes e maquinas
Mentes e maquinasMentes e maquinas
Mentes e maquinas
Anderson Balbinot
 
Samuel beckett-esperando-godot
Samuel beckett-esperando-godotSamuel beckett-esperando-godot
Samuel beckett-esperando-godot
Anderson Balbinot
 
A companion to the philosophy of mind
A companion to the philosophy of mindA companion to the philosophy of mind
A companion to the philosophy of mind
Anderson Balbinot
 
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
Anderson Balbinot
 
Relacoes interhemisfericas2
Relacoes interhemisfericas2Relacoes interhemisfericas2
Relacoes interhemisfericas2
Anderson Balbinot
 
Resumo da Pesquisa
Resumo da PesquisaResumo da Pesquisa
Resumo da Pesquisa
Anderson Balbinot
 

Mais de Anderson Balbinot (15)

Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kantMonografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
Monografia de como a felicidade não pode ser critério moral em kant
 
Anderson balbinot
Anderson balbinotAnderson balbinot
Anderson balbinot
 
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
O Programa Bolsa Família: lições da experiência alemã
 
Arendt thinking and_moral_considerations
Arendt thinking and_moral_considerationsArendt thinking and_moral_considerations
Arendt thinking and_moral_considerations
 
Conceitos de consciencia chalmers
Conceitos de consciencia chalmersConceitos de consciencia chalmers
Conceitos de consciencia chalmers
 
On the search for the neural correlate of consciousness
On the search for the neural correlate of consciousnessOn the search for the neural correlate of consciousness
On the search for the neural correlate of consciousness
 
Baner jovens pesquisadores
Baner jovens pesquisadoresBaner jovens pesquisadores
Baner jovens pesquisadores
 
Namorada automatica
Namorada automaticaNamorada automatica
Namorada automatica
 
Carne bits guimaraes
Carne bits guimaraesCarne bits guimaraes
Carne bits guimaraes
 
Mentes e maquinas
Mentes e maquinasMentes e maquinas
Mentes e maquinas
 
Samuel beckett-esperando-godot
Samuel beckett-esperando-godotSamuel beckett-esperando-godot
Samuel beckett-esperando-godot
 
A companion to the philosophy of mind
A companion to the philosophy of mindA companion to the philosophy of mind
A companion to the philosophy of mind
 
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
A consciência: algumas concepções atuais sobre sua natureza, funções e base n...
 
Relacoes interhemisfericas2
Relacoes interhemisfericas2Relacoes interhemisfericas2
Relacoes interhemisfericas2
 
Resumo da Pesquisa
Resumo da PesquisaResumo da Pesquisa
Resumo da Pesquisa
 

Último

Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 

Dança além do movimento

  • 1. DANÇA ALÉM DO MOVIMENTO: BASE DA EVOLUÇÃO DA MENTE, DO PENSAMENTO E DO COMPORTAMENTO NOS SERES HUMANO Clotildes Maria de Jesus Olveira Cazé Mestra em Dança pela Escola de Dança/UFBA, especialista em Ginástica Rítmica pela UNOPAR e em Psicopedagogia pela UFRJ e graduada em Educação Física pela UCSal. O livro El cérebro y el mito del yo: el papel de las neuronas en el pensamiento y el comportamiento humanos escrito por Rodolfo Llinás, com prólogo de Gabriel Garcia Márquez, publicado em 2002 pela Editorial Norma em Bogotá, com 360 pá- ginas, doze capítulos, título original “I of the vortex”, traduzido para o espanhol por Eugenia Guzmán, sem tradução para o português, traz entendimentos referentes à evo- lução e à natureza da mente com base em sua origem no processo de desenvolvimento pelo mecanismo biológico de ensaio e erro em organismos com movimento ativo. Rodolfo Llinás, MD, PhD, é formado em medicina pela Universidade Javeriana em Bogotá, Colômbia. Chefe do Departamento de Fisiologia e Neurociências da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, suas pesquisas tratam da neurociência do nível molecular até o cognitivo. Questões referentes à importância do movimento intencional1 e suas implicações na evolução do sistema nervoso e no funcionamento cerebral, englobando os PAF2 e os movimentos complexos; a interação entre os aspectos emocionais e a consciência; a interiorização dos universais mediante a interiorização da motricidade; as propriedades intrínsecas das células nervosas; a aprendizagem e memória; a observação das qualias3 do ponto de vista neuronal; o desenvolvimento da linguagem como resultado do pensa- mento abstrato e idéias referentes à mente coletiva são temas abordados por Llinás. A idéia discutida por Llinás é a aquisição do movimento ativo e suas implicações no desenvolvimento da mente. Para ele, a aquisição do movimento está ligada à or- ganização e à função dos cérebros e se baseia na integração da motricidade durante a evolução pela ação das propriedades oscilatórias intrínsecas. Esta ação gera a co- nectividade neuronal que, segundo Llinás, é à base do movimento. O autor explica a 1 Movimento intencional caracteriza-se por ser um movimento antecipatório, inteligente e dirigido para uma meta; é indispensável para que a ação aconteça (LLINÁS, 2002). 2 PAF: Os padrões de ações fixas são reflexos elaborados que agrupam reflexos inferiores em sinergias e quando ativados produzem movimentos bem delimitados e coordenados que permitem ao “si mesmo” economizar tempo pelo uso de estratégias e táticas que possibilitam escolhas adequadas à sobrevivência (LLINÁS, 2002). 3 Qualias se refere à qualidade das entidades, a experiência sensorial. Termo utilizado pelo filósofo Willar Quine para indicar o caráter subjetivo da sensação gerada pelo sistema nervoso (LLINÁS, 2002). PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009 1
  • 2. condição humana ao afirmar que os seres humanos nascem com um aparato padrão que permite antecipar reações pela formação de imagens sensório-motoras, levando a ações pré-motoras. Llinnás afirma ainda que este aparato foi precableado na espé- cie pela ação da filogenia4 e da ontogenia5 e que a elaboração da realidade depende do cooperativismo da função cerebral. Ele compara o cérebro a um “maestro” or- questrando uma sinfonia em que cada instrumento tem afinação própria e todos os componentes são necessários. Na função cerebral, assim como na música, o silêncio é tão importante quanto o som. Esse “maestro” não tem a possibilidade de orques- trar permanentemente todas as atividades realizadas pelo corpo em um mundo que cambia a todo instante. Para Llinás, os seres humanos não têm cérebros, eles são o próprio cérebro. Este pensamento é o ponto chave para o entendimento de função cerebral defendido por Llinás. Desta forma, sua teoria coaduna com o pensamento de Lakoff e Johnson (1999), ao afirmar que todas as informações chegam ao corpo via percepção e são sensório-motoras, ocorre à formação de redes neuronais e um criterioso trabalho de seleção de informação na rede pela capacidade da neuroplasticidade cerebral6. Llinás é monista7 e afirma que cérebro e mente são eventos inseparáveis, sendo a mente um dos estados funcionais gerados pelo cérebro. O autor percebe a mente como um estado consciente que gera imagens sensório-motoras, resultado da união de toda informação sensorial capaz de produzir um estado que resulte em uma ação. Nesse sentido, ele propõe que o cérebro opera como um sistema autorreferencial, semicerrado, e sugere que o sistema nervoso evoluiu da necessidade dos animais se moverem ativamente. Llinás corrobora a idéia de consciência e reforça a importância das conexões neuronais no comportamento e no pensamento humano, afirma que seres com mo- vimento ativo utilizam a capacidade antecipatória do cérebro para prever eventos e antecipar respostas motoras para se mover com eficiência no ambiente. Assim, a capacidade de predição é a função primordial do cérebro, sendo o “si mesmo”8 o responsável pelas interações. O autor argumenta que o movimento é resultado das interações preditivas entre cérebro e ambiente e que o cérebro não controla músculos individuais; são as sinergias musculares e os coletivos musculares que “interessam” ao cérebro, se constituindo na base do movimento. São estas interações que possibilitam a reconfiguração dinâmica dos mapas neuronais, incide sobre o sistema motor e per- mite que a ação dos coletivos musculares se organize de forma transitória e se dissol- vam rapidamente segundo as necessidades do momento. Esta ação objetiva poupar esforços e economizar tempo para o “si mesmo”. 4 Filogenia está relacionada à informação genética; tudo que foi desenvolvido ao longo do processo evolutivo, diz respeito à espécie. A capacidade de conhecimento, a capacidade de aprender. 5 Ontogenia se refere a tudo que acontece no desenvolvimento de uma vida. É o aprendizado contínuo e diz res- peito ao indivíduo; depende das interações entre o corpo e o ambiente. 6 Neuroplasticidade cerebral refere-se à capacidade de adaptabilidade a novas situações. 7 Monista: aquele que está ligado ao monismo. A palavra “monismo” é usada para indicar toda doutrina ou sistema de pensamento que afirme certa unidade de explicação (redução a um só princípio, a uma só causa, a uma só tendência ou direção) para um domínio limitado de idéias ou de fatos ( JACOB, 1990). 8 “Si mesmo”: o centro da predição que surge a partir das interações no cérebro entre o sistema motor e o emocional. PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009 2
  • 3. A idéia de Llinás se corporifica na propriedade intrínseca da oscilação. Para ele, o conjunto de atividades neuronais que atuam de forma simultânea é a raiz neuro- biológica da cognição. Parte do princípio que durante o desenvolvimento cerebral “neurônios que disparam juntos, se conectam juntos” promovem a contemporalidade da ação, sendo a própria consciência. A soma da conjunção espacial e temporal pos- sibilita e potencializa a cognição; conhecer o mapa temporal implica compreender a dinâmica da função cerebral; pela projeção geométrica da realidade do mundo exter- no no “espaço funcional interno” do cérebro, cria-se uma espécie de realidade virtual. Llinás defende a idéia dos PAF, ratifica a importância das conexões sinápticas e a formação de mapas neuronais a partir das informações perceptuais que chegam do mundo externo em tempo real, possibilitando uma resposta adequada pela utilização dos PAF em uma ação integrada de estratégia e tática a depender do contexto. Ele afirma que o “si mesmo” não tem tempo de implementar respostas adequadas às ne- cessidades do momento em situações que exijam respostas motoras imediatas. Além disso, Llinás explica que a capacidade de abstração do sistema nervoso é fun- damental para a criação da imagem do “si mesmo” e para cancelar ou modificar um PAF. Para ele, este é um princípio fundamental da função do sistema nervoso. A natureza des- ses processos está registrado nos padrões filogenéticos adquiridos pelo sistema nervoso ao longo do processo evolutivo; a intencionalidade é o detalhe pré-motor que impulsio- na a obtenção de resultados mediante movimentos que expressem estados emocionais e se refere ao ato consciente de escolher o que fazer antes mesmo de fazê-lo. Desse modo, o ser humano já nasce com os circuitos gerais que possibilitam a so- brevivência. Estes se modificam durante a maturação e se especializam. Llinás explica que não é necessário aprender os circuitos neuronais, pois o tálamo, o córtex e a conec- tividade entre eles não é algo aprendido e sim herdado. Todavia, os PAF podem ser modificados, aprendidos, recordados e aperfeiçoados ao longo da vida, podendo ocorrer processos de especialização, pois eles estão ligados à memória e à repetição e dependem da experiência das conexões sinápticas. As habilidades para certas ações dependem e es- tão limitadas por um conglomerado de capacidades presentes no ser humano ao nascer. Com a prática, essas habilidades podem desenvolver-se e serem facilitadas. Llinás considera as emoções como membros do PAF cuja execução é pré-motora. A tomada de decisão, por exemplo, depende da interação do PAF com o “si mesmo”. Ele entende que se o tônus muscular é a plataforma básica para executar movimentos, as emoções são a plataforma pré-motora que impulsiona ou freia a maioria de nossas ações. Lembra ainda que a geração da criatividade no cérebro é um processo não racional; logo, a criatividade não nasce da razão. Esta idéia reporta a Damásio (2000) que percebe cognição e emoção como ações de um mesmo corpo com uma única entrada, a percepção sensório-motora. Ele aponta a tomada de decisão como um evento associado a fatos e mecanismos ligados à regulação corporal; que os sentimentos e emoções são percepções diretas dos esta- dos corporais e constituem um elo entre corpo e consciência. Isso reforça a idéia de Llinás que o cérebro parece estar organizado em módulos funcionais, sendo esta uma propriedade intrínseca do aparato cerebral. Llinás aborda a questão das qualias, a função e necessidade, a ligação com os PAF; questiona se a ciência compreenderá os sentimentos e afirma que as qualias são es- truturas funcionais simplificadas pelas propriedades intrínsecas dos circuitos neuronais PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009 3
  • 4. cerebrais. Em uma perspectiva evolutiva, percebe a importância das qualias no estudo da função cerebral e refuta a idéia que somente as formas superiores de vida são dotadas de qualias. Para ele, a relação entre as qualias e a estrutura evolutiva funcional cerebral é intrínseca; sendo as qualias primordiais para a organização global do sistema nervoso. Compreender o jogo de interação entre filogenia e ontogenia na construção dos seres que possuem movimento ativo justifica esta leitura por profissionais que atuam em educação, especialmente os que trabalham com o corpo e as múltiplas possibili- dades de aprendizagem. Perceber que estes conhecimentos podem reorganizar conceitos de ensino-apren- dizagem, observando os fatores limitantes e a possibilidade de atuação consciente a partir destes entendimentos de corpo é o que faz este livro interessante, mesmo não tendo seu foco voltado para a educação. Todavia, é possível buscar uma pedagogia do movimento, visando ao desenvolvimento das potencialidades humanas, começando pelo entendimento dos fatores potencializadores e limitantes da função cerebral. Ao término da leitura percebe-se o diferencial da ação conjunta da filogenia e da ontogenia no processo evolutivo da espécie humana e as suas implicações no contexto de desenvolvimento da mente e da aquisição do movimento na construção do conheci- mento. A filogenia e a ontogenia atuam conjuntamente na evolução da espécie. A filo- genia, em seu trabalho de seleção natural, congrega aos aspectos genéticos tudo aquilo que acontece ao longo do desenvolvimento de uma vida e é importante para a evolução da espécie. A ontogenia é a responsável por estes eventos. É o aprendizado contínuo, diz respeito ao indivíduo e depende das interações entre o corpo e o ambiente. Diante dos argumentos, entende-se que a mente é interativa, funciona em rede pela conectividade, ampliando as capacidades cerebrais e buscando a unificação per- ceptual. Em suma, para Llinás, o pensamento é a interiorização evolutiva do movi- mento e acontece pela capacidade de predição do cérebro, sendo necessário para a permanência da espécie na Terra. Referências DAMÁSIO, A. R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. Tradução de Dora Vicente e Georgina Segurado. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. JACOB, A. Encyclopédie Philosophique Universelle. Paris: PUF, 1990. LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Philosophy in the Flesh: the embodied mind and its challenge to western thought. New York: Basic Books, 1999. LLINÁS, R. El cérebro y el mito del yo: el papel de las neuronas en el pensamiento y el comportamiento humanos. Tradução de Eugenia Guzmán. Bogotá: Editorial Norma, 2002. 360 p. Recebido em: 30 de setembro de 2007 Revisado em: 30de setembro de 2007 Aprovado em: 25 de abril de 2008 Endereço para correspondência clocaze@yahoo.com.br. PENSAR A PRÁTICA 12/1: 1-4, jan./abr. 2009 4