SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
Rú
Da Rússia
dos
Czares à
Rússia
dos
Sovietes
No início da Guerra, a Rússia era um vasto império
Coroação      do    Czar
                                                             Nicolau II (1868 – 1918)
                                                             e da czarina Alexandra
                                                             Feodorovna




A Rússia era ainda uma monarquia absoluta, chefiada por um
czar que concentrava em si todos os poderes
Era uma sociedade sacralizada e hierarquizada. O clero ortodoxa tinha
grande peso na sociedade.
Rasputin
1864 - 1916
O czar, a Igreja e a aristocracia detinham a maioria das terras. Os
contrastes sociais eram grandes.
Os camponeses constituíam cerca de
  80% da população e viviam numa
  situação de extrema pobreza.

  Os operários (c. 3 milhões) viviam
  igualmente em situação precária.

  A burguesia tinha pouco poder e a
  classe média era praticamente
  inexistente.




Vasily Surikov
Velho Camponês na sua Horta
1882
Museu de S. Petersburgo
A agricultura era arcaica. A maior parte da população vivia nos campos e
praticava uma agricultura de subsistência. A produtividade era muito baixa.
A indústria era praticamente inexistente, concentrando-se em Moscovo, S. Petersburgo e
Baku, no Azerbaijão, nas margens do mar Cáspio.
A Rússia travava uma guerra com o Japão (1904 – 1905)
Em resposta, cresceu a vaga de insatisfação e revolta.




                                                          Cartaz do filme de
                                                         Sergei Eisenstein, O
                                                             Couraçado
                                                          Potemkim (1925)
Promoveram-se greves e formaram-se conselhos
(sovietes) de operários, camponeses e soldados.
Difundiram-se então as ideias revolucionárias.
Os sovietes eram próximos dos bolcheviques, facção do Partido Operário Social-
Democrata, liderados por Lenine desde o congresso de 1903, realizado na Bélgica.
O Czar promete criar um parlamento (Duma), legalizar os partidos políticos e redigir uma
constituição. No entanto, os contestatários promovem uma greve, em Novembro. Em
resposta, os sovietes foram ilegalizados e os seus chefes presos e exilados.
A Duma mantém-se em funcionamento até 1917, sob o controle da aristocracia e do czar.




                                   Czar Nicolau II presidindo à
                                  abertura da sessão da Duma.
A participação da Rússia na Iª Guerra Mundial vem agravar as dificuldades económicas e a
miséria popular.
As greves e manifestações sucedem-se por toda a Rússia.
A 12 de Março de 1917, os manifestantes invadem o Palácio Tauride, sede da Duma, em
Petrogrado, nova designação de S. Petersburgo.
Palácio Tauride   Formam-se
                  dois comités:

                  -Moderados

                  - sovietes
                  socialistas de
                  Petrogrado.
A 15 de Março o czar Nicolau II abdicou. A Duma nomeia um governo liberal parlamentar.
É a Revolução Burguesa.




                                                           O chefe do governo, Alexander
                                                   Kerensky (1881 – 1970), fotografado no
 O czar Nicolau II e o rei Jorge V de Inglaterra                        exílio americano.
 eram primos.
Lenine regressa do exílio e
exige     o poder para os
sovietes,    apelando     à
Revolução.
Lenine viajou disfarçado até
      chegar à Rússia.



Comboio em que Lenine
regressou do exílio.
Regresso a Portugal, vindo do exílio, de Álvaro Cunhal, após a revolução de 25 de Abril de 1974:
sob a inspiração de Lenine.
Vivem-se dias agitados, na chamada Revolução de Outubro.
A 7 de Novembro (25 Outubro), os bolcheviques, capturam
os membros do governo provisório e dissolvem a Duma.
O navio Aurora foi
decisivo no assalto ao
Palácio de Inverno.
O poder é entregue
ao Conselho dos
Comissários do Povo,
liderado por Lenine.
É o triunfo da
Revolução
Bolchevique.
É imediatamente assinada a
paz com a Alemanha
(tratado de Brest-Litovsk)
É abolida a propriedade privada. Os meios de produção (fábricas,
terras) são nacionalizados. As colheitas excedentárias são requisitadas
pelo Estado.
A Rússia entra num período de guerra civil (1918 – 1920):
Brancos contra Vermelhos.




   Desfile de tropas imperiais (Brancas)
Os Brancos contam com o apoio
dos aliados (França, Grã-Bretanha e
EUA)




   Tropas americanas em Vladivostok (1918)
Bolcheviques mortos em Vladivostok.
Vendo perigar a situação, Lenine adopta o
chamado comunismo de guerra (1918 –
1921):

- São ilegalizados todos os partidos
políticos, à excepção do partido Comunista
Bolchevique;

- é instaurada a censura;

- forma-se uma polícia política – Tcheka;

- são perseguidos e presos, torturados e
mortos os adversários políticos.
                                                         Dzerzhinsky,
                                             fundador da polícia secreta
É o período do Terror       Vermelho.            bolchevique, a Tcheka
Os Vermelhos vencem a guerra, mas o país está arruinado. A população está descontente.
Para evitar as revoltas populares, Lenine decreta, em 1921, medidas excepcionais: a Nova
Política Económica (NEP) adopta medidas excepcionais por um tempo limitado:
- São autorizadas pequenas unidades privadas de produção agrícola e industrial;
- a entrada de técnicos e capitais estrangeiros,
- alguma liberdade de comércio, como a venda livre de produtos agrícolas.
Em 1922 é fundada a URSS, sendo a Constituição aprovada em 1923.
Lenine morreu em 1924. o seu corpo está conservado num Mausoléu em Moscovo.
Sucedeu-lhe Josef Estaline (1878 – 1953)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolução de outubro de 1917
Revolução de outubro de 1917Revolução de outubro de 1917
Revolução de outubro de 1917
sofiamcardoso
 
Regresso ao Demoliberalismo
Regresso ao DemoliberalismoRegresso ao Demoliberalismo
Regresso ao Demoliberalismo
Rui Nobre
 
Aula 05 revolução russa
Aula 05  revolução russaAula 05  revolução russa
Aula 05 revolução russa
Fabiana Tonsis
 
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianov
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianovQuem foi lênin vladimir illitch-ulianov
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianov
marcosfm32
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
Carla Teixeira
 
A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)
Isaquel Silva
 
Estalinismo
EstalinismoEstalinismo
Estalinismo
ines7391
 

Mais procurados (20)

7.1.3 a regressão do demoliberalismo
7.1.3 a regressão do demoliberalismo7.1.3 a regressão do demoliberalismo
7.1.3 a regressão do demoliberalismo
 
Revolução de outubro de 1917
Revolução de outubro de 1917Revolução de outubro de 1917
Revolução de outubro de 1917
 
Biografia Lenine
Biografia LenineBiografia Lenine
Biografia Lenine
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Regresso ao Demoliberalismo
Regresso ao DemoliberalismoRegresso ao Demoliberalismo
Regresso ao Demoliberalismo
 
Aula 05 revolução russa
Aula 05  revolução russaAula 05  revolução russa
Aula 05 revolução russa
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
 
Processo de Independência do Brasil
Processo de Independência do BrasilProcesso de Independência do Brasil
Processo de Independência do Brasil
 
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianov
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianovQuem foi lênin vladimir illitch-ulianov
Quem foi lênin vladimir illitch-ulianov
 
Crise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da RepúblicaCrise do Império - Proclamação da República
Crise do Império - Proclamação da República
 
A 1º República
A 1º RepúblicaA 1º República
A 1º República
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
 
RevoluçãO Russa
RevoluçãO RussaRevoluçãO Russa
RevoluçãO Russa
 
A regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismoA regressão do demoliberalismo
A regressão do demoliberalismo
 
O estalinismo
O estalinismoO estalinismo
O estalinismo
 
A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)A Revolução Russa (1917)
A Revolução Russa (1917)
 
Revolução russa de 1917 pdf
Revolução russa de 1917 pdfRevolução russa de 1917 pdf
Revolução russa de 1917 pdf
 
Estalinismo
EstalinismoEstalinismo
Estalinismo
 

Destaque

A RevoluçãO Russa De 1917
A  RevoluçãO  Russa De 1917A  RevoluçãO  Russa De 1917
A RevoluçãO Russa De 1917
guestd47650
 
Colecao de mapas_conceituais
Colecao de mapas_conceituaisColecao de mapas_conceituais
Colecao de mapas_conceituais
claudia murta
 
Aula liberalismo
Aula liberalismoAula liberalismo
Aula liberalismo
Over Lane
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
marcosfm32
 
Socialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 anoSocialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 ano
AEDFL
 
Ferdinand de saussure
Ferdinand de saussureFerdinand de saussure
Ferdinand de saussure
Diana Barbosa
 
1 liberalismo e crise de 1929
1 liberalismo e crise de 19291 liberalismo e crise de 1929
1 liberalismo e crise de 1929
Fábio Ribeiro
 
PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917
josafaslima
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
Isabel Aguiar
 

Destaque (19)

A RevoluçãO Russa De 1917
A  RevoluçãO  Russa De 1917A  RevoluçãO  Russa De 1917
A RevoluçãO Russa De 1917
 
00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
 
Colecao de mapas_conceituais
Colecao de mapas_conceituaisColecao de mapas_conceituais
Colecao de mapas_conceituais
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
 
Fordismo
FordismoFordismo
Fordismo
 
O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX. http://b...
O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX. http://b...O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX. http://b...
O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX. http://b...
 
Aula liberalismo
Aula liberalismoAula liberalismo
Aula liberalismo
 
Apresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução RussaApresentação Revolução Russa
Apresentação Revolução Russa
 
Socialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 anoSocialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 ano
 
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 2
 
Ferdinand de saussure
Ferdinand de saussureFerdinand de saussure
Ferdinand de saussure
 
1 liberalismo e crise de 1929
1 liberalismo e crise de 19291 liberalismo e crise de 1929
1 liberalismo e crise de 1929
 
Estado e mercado power point
Estado e mercado power pointEstado e mercado power point
Estado e mercado power point
 
Revolução russa 9 ano
Revolução russa 9 anoRevolução russa 9 ano
Revolução russa 9 ano
 
PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917
 
Fordismo
FordismoFordismo
Fordismo
 
Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917Revolução Russa de 1917
Revolução Russa de 1917
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 1
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 1Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 1
Taylorismo, fordismo e toyotismo 3 1
 

Semelhante a Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes

Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
dmflores21
 
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacionalA revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
Evonaldo Gonçalves Vanny
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
luizinhovlr
 
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª IvanoskaRevolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
elaineoliver12
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
historiando
 
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anosRevolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Íris Ferreira
 
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
josafaslima
 

Semelhante a Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes (20)

Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia Império Russo, URSS e Rússia
Império Russo, URSS e Rússia
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
07 revolucao russa
07   revolucao russa07   revolucao russa
07 revolucao russa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacionalA revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
A revolução proletária e a crise do sistema capitalista internacional
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª IvanoskaRevolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
Revolução russa de 1917- 8ª série - Profª Ivanoska
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
A revolução russa
A revolução russaA revolução russa
A revolução russa
 
Revolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anosRevolução russa 9º anos e 3º anos
Revolução russa 9º anos e 3º anos
 
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
Roteiro de Aula - Revolução Russa de 1917
 

Mais de João Camacho

Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de SintraSemana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
João Camacho
 
Galeria imagens sobre Ensino na I Republica
Galeria imagens sobre Ensino na I RepublicaGaleria imagens sobre Ensino na I Republica
Galeria imagens sobre Ensino na I Republica
João Camacho
 
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
João Camacho
 
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
João Camacho
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
João Camacho
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
João Camacho
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
João Camacho
 

Mais de João Camacho (20)

Traditional plates of the north of portugal
Traditional plates of the north of portugalTraditional plates of the north of portugal
Traditional plates of the north of portugal
 
Gastronomia da região Centro de Portugal
Gastronomia da região Centro de PortugalGastronomia da região Centro de Portugal
Gastronomia da região Centro de Portugal
 
Gastronomia do Algarve (Gastronomy of the Algarve)
Gastronomia do Algarve (Gastronomy of the Algarve)Gastronomia do Algarve (Gastronomy of the Algarve)
Gastronomia do Algarve (Gastronomy of the Algarve)
 
Gastronomia da Madeira (Gastronomy of Madeira)
Gastronomia da Madeira (Gastronomy of Madeira)Gastronomia da Madeira (Gastronomy of Madeira)
Gastronomia da Madeira (Gastronomy of Madeira)
 
Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de SintraSemana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
Semana do Agrupamento na EB1/JI da Portela de Sintra
 
Semana agrupamento
Semana agrupamentoSemana agrupamento
Semana agrupamento
 
Tempo Poético
Tempo PoéticoTempo Poético
Tempo Poético
 
Galeria imagens sobre Ensino na I Republica
Galeria imagens sobre Ensino na I RepublicaGaleria imagens sobre Ensino na I Republica
Galeria imagens sobre Ensino na I Republica
 
Historia Colaborativa
Historia ColaborativaHistoria Colaborativa
Historia Colaborativa
 
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
Um olhar sobre Abril (Josué Rogério, 12º A)
 
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
Um olhar sobre Abril (André Santos, 12º A)
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
 
Um olhar sobre Abril
Um olhar sobre AbrilUm olhar sobre Abril
Um olhar sobre Abril
 
25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974
 
25 de Abril
25 de Abril25 de Abril
25 de Abril
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
 
Salgueiro Maia
Salgueiro MaiaSalgueiro Maia
Salgueiro Maia
 
Presos políticos
Presos políticosPresos políticos
Presos políticos
 
PIDE/DGS
PIDE/DGSPIDE/DGS
PIDE/DGS
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 

Da Rússia dos czares à Rússia dos sovietes

  • 2. No início da Guerra, a Rússia era um vasto império
  • 3. Coroação do Czar Nicolau II (1868 – 1918) e da czarina Alexandra Feodorovna A Rússia era ainda uma monarquia absoluta, chefiada por um czar que concentrava em si todos os poderes
  • 4. Era uma sociedade sacralizada e hierarquizada. O clero ortodoxa tinha grande peso na sociedade.
  • 6. O czar, a Igreja e a aristocracia detinham a maioria das terras. Os contrastes sociais eram grandes.
  • 7. Os camponeses constituíam cerca de 80% da população e viviam numa situação de extrema pobreza. Os operários (c. 3 milhões) viviam igualmente em situação precária. A burguesia tinha pouco poder e a classe média era praticamente inexistente. Vasily Surikov Velho Camponês na sua Horta 1882 Museu de S. Petersburgo
  • 8. A agricultura era arcaica. A maior parte da população vivia nos campos e praticava uma agricultura de subsistência. A produtividade era muito baixa.
  • 9. A indústria era praticamente inexistente, concentrando-se em Moscovo, S. Petersburgo e Baku, no Azerbaijão, nas margens do mar Cáspio.
  • 10. A Rússia travava uma guerra com o Japão (1904 – 1905)
  • 11.
  • 12. Em resposta, cresceu a vaga de insatisfação e revolta. Cartaz do filme de Sergei Eisenstein, O Couraçado Potemkim (1925)
  • 13. Promoveram-se greves e formaram-se conselhos (sovietes) de operários, camponeses e soldados. Difundiram-se então as ideias revolucionárias.
  • 14. Os sovietes eram próximos dos bolcheviques, facção do Partido Operário Social- Democrata, liderados por Lenine desde o congresso de 1903, realizado na Bélgica.
  • 15. O Czar promete criar um parlamento (Duma), legalizar os partidos políticos e redigir uma constituição. No entanto, os contestatários promovem uma greve, em Novembro. Em resposta, os sovietes foram ilegalizados e os seus chefes presos e exilados.
  • 16. A Duma mantém-se em funcionamento até 1917, sob o controle da aristocracia e do czar. Czar Nicolau II presidindo à abertura da sessão da Duma.
  • 17. A participação da Rússia na Iª Guerra Mundial vem agravar as dificuldades económicas e a miséria popular.
  • 18. As greves e manifestações sucedem-se por toda a Rússia.
  • 19. A 12 de Março de 1917, os manifestantes invadem o Palácio Tauride, sede da Duma, em Petrogrado, nova designação de S. Petersburgo.
  • 20. Palácio Tauride Formam-se dois comités: -Moderados - sovietes socialistas de Petrogrado.
  • 21. A 15 de Março o czar Nicolau II abdicou. A Duma nomeia um governo liberal parlamentar. É a Revolução Burguesa. O chefe do governo, Alexander Kerensky (1881 – 1970), fotografado no O czar Nicolau II e o rei Jorge V de Inglaterra exílio americano. eram primos.
  • 22. Lenine regressa do exílio e exige o poder para os sovietes, apelando à Revolução.
  • 23. Lenine viajou disfarçado até chegar à Rússia. Comboio em que Lenine regressou do exílio.
  • 24. Regresso a Portugal, vindo do exílio, de Álvaro Cunhal, após a revolução de 25 de Abril de 1974: sob a inspiração de Lenine.
  • 25. Vivem-se dias agitados, na chamada Revolução de Outubro. A 7 de Novembro (25 Outubro), os bolcheviques, capturam os membros do governo provisório e dissolvem a Duma.
  • 26. O navio Aurora foi decisivo no assalto ao Palácio de Inverno.
  • 27. O poder é entregue ao Conselho dos Comissários do Povo, liderado por Lenine. É o triunfo da Revolução Bolchevique.
  • 28.
  • 29. É imediatamente assinada a paz com a Alemanha (tratado de Brest-Litovsk)
  • 30. É abolida a propriedade privada. Os meios de produção (fábricas, terras) são nacionalizados. As colheitas excedentárias são requisitadas pelo Estado.
  • 31.
  • 32. A Rússia entra num período de guerra civil (1918 – 1920): Brancos contra Vermelhos. Desfile de tropas imperiais (Brancas)
  • 33. Os Brancos contam com o apoio dos aliados (França, Grã-Bretanha e EUA) Tropas americanas em Vladivostok (1918)
  • 34. Bolcheviques mortos em Vladivostok.
  • 35. Vendo perigar a situação, Lenine adopta o chamado comunismo de guerra (1918 – 1921): - São ilegalizados todos os partidos políticos, à excepção do partido Comunista Bolchevique; - é instaurada a censura; - forma-se uma polícia política – Tcheka; - são perseguidos e presos, torturados e mortos os adversários políticos. Dzerzhinsky, fundador da polícia secreta É o período do Terror Vermelho. bolchevique, a Tcheka
  • 36. Os Vermelhos vencem a guerra, mas o país está arruinado. A população está descontente. Para evitar as revoltas populares, Lenine decreta, em 1921, medidas excepcionais: a Nova Política Económica (NEP) adopta medidas excepcionais por um tempo limitado: - São autorizadas pequenas unidades privadas de produção agrícola e industrial; - a entrada de técnicos e capitais estrangeiros, - alguma liberdade de comércio, como a venda livre de produtos agrícolas.
  • 37. Em 1922 é fundada a URSS, sendo a Constituição aprovada em 1923.
  • 38. Lenine morreu em 1924. o seu corpo está conservado num Mausoléu em Moscovo.
  • 39. Sucedeu-lhe Josef Estaline (1878 – 1953)