SlideShare uma empresa Scribd logo
Do amor ao acaso ou de um caso de
amor?
Ana FabyelyKams
Naquele dia, ele acordou e
procurou as malas. Não sabia por quê.
Na verdade, estava em busca das
chaves do carro. De alguma maneira,
achou que poderiam estar em algum
bolso dentro da mala que na noite
anterior deixou entre aberta meio caída
no chão. É porque assim que chegou
não pensou em guardá-las no seu
devido lugar, estava interessado em
abraçar sua esposa com a mais
profunda afeição que pudesse
demonstrar, e beijá-la como nunca
antes havia feito.
Um detalhe o qual não citei, é
que o homem não trabalhava em sua
cidade, por isso passava longos dias
fora de casa. Buscava uma forma que
trouxesse melhorias para sua vida
conjugal, digo, financeira. A mulher não
era daquelas que sofria
terminantemente cada segundo pela
falta do calor do marido, na verdade,
tentava manter o rosto calmo e
tranquilo todas as vezes que vizinhos
lhe perguntavam sobre a volta daquele
homem tão esforçado. Mas sempre que
o via sentia que o queria mais perto,
um pouco mais que da outra vez.
Faziam-se apaixonados, disso
não restavam dúvidas!
Acontece que na manhã
daquele dia ao acordar, ele se
preocupou em encontrar suas chaves,
pois estava atrasado, tinha que retomar
a rotina do trabalho, e não as achava
em lugar algum. Foi então que notou a
falta da mulher na casa, ia pedir-lhe
que o ajudasse a encontrá-las, mas
quando foi até a porta da entrada,
olhou na garagem e percebeu que o
carro havia sumido. Virou-se para o
sofá e ao lado, na mesinha havia um
bilhete que dizia: "Eu te amei, mas não
me espere! Use seu tempo para fazer
algo produtivo a si e não se permita
ficar alheio a ninguém. PS: Por favor,
leve este bilhete a vizinha do 34, ela
merece saber quais seriam as últimas
palavras do marido.". Ele olhou atônito
para aquele papel e não conseguia
classificar o que sentir no momento.
Correu até o apartamento 34 e viu uma
mulher sentada tomando uma caneca
de café na janela da frente, dava para
sentir o aroma da porta em que estava.
Pensou em mostrar o bilhete, mas viu
que ela era bonita demais para sofrer
um impacto desses logo pela manhã.
Ela estava levemente desarrumada e
com um estranho ar de felicidade ao se
libertar de algo que a aprisionava.
Perguntou se tinha um pouco de pó de
café para emprestar e como viu que ela
foi lhe foi solícita, sentou e conversou.
Enquanto olhava para ela, pensou
consigo: Se um novo amor nascer
deste momento, tomarei mais cuidado
com o tempo que me dedico ao
trabalho, quem mora no apartamento
ao lado, e também aonde deixo as
chaves do carro pago em parcelas.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Crônica: Do amor ao caso ou de um caso de amor?

A teia de Germano (primeiro capítulo)
A teia de Germano (primeiro capítulo)A teia de Germano (primeiro capítulo)
A teia de Germano (primeiro capítulo)
robertomundias
 
DemPeo (1)
DemPeo (1)DemPeo (1)
DemPeo (1)
biancadempeo
 
O homem dos meus livros evy maciel
O homem dos meus livros   evy macielO homem dos meus livros   evy maciel
O homem dos meus livros evy maciel
Aline Batista
 
O Taxista
O TaxistaO Taxista
O Taxista
Angelo Tomasini
 
QU4RTO DESAMP4RO
QU4RTO DESAMP4ROQU4RTO DESAMP4RO
QU4RTO DESAMP4RO
Danilo Barcelos
 
46900 espelho
46900 espelho46900 espelho
46900 espelho
Tabita Moreira
 
Espelho
EspelhoEspelho
Espelho
cepmaio
 
Liz fielding a lista de desejos de juliet
Liz fielding   a lista de desejos de julietLiz fielding   a lista de desejos de juliet
Liz fielding a lista de desejos de juliet
Karinearcega
 
Melhor gestão, melhor ensino
Melhor gestão, melhor ensinoMelhor gestão, melhor ensino
Melhor gestão, melhor ensino
Rita De Cássia Fiacadori
 
O Espelho
O EspelhoO Espelho
O Espelho
JNR
 
O espelho
O espelhoO espelho
Poema de amor
Poema de amorPoema de amor
Poema de amor
sandraluiz
 
Poema de amor
Poema de amorPoema de amor
Poema de amor
diego_d2
 
Skylar
SkylarSkylar
Skylar
Carla F
 
Fique com a morte
Fique com a morteFique com a morte
Fique com a morte
Dosvaldo Alves
 
Verão de 1944
Verão de 1944Verão de 1944
Verão de 1944
kmilalais
 
A dinâmica do amor
A dinâmica do amorA dinâmica do amor
A dinâmica do amor
Presentepravoce SOS
 
Espelho
EspelhoEspelho
Minha noiva e uma puta
Minha noiva e uma putaMinha noiva e uma puta
Minha noiva e uma puta
Angelo Tomasini
 
O Círculo do Amor...
O Círculo do Amor...O Círculo do Amor...
O Círculo do Amor...
Adilson P Motta Motta
 

Semelhante a Crônica: Do amor ao caso ou de um caso de amor? (20)

A teia de Germano (primeiro capítulo)
A teia de Germano (primeiro capítulo)A teia de Germano (primeiro capítulo)
A teia de Germano (primeiro capítulo)
 
DemPeo (1)
DemPeo (1)DemPeo (1)
DemPeo (1)
 
O homem dos meus livros evy maciel
O homem dos meus livros   evy macielO homem dos meus livros   evy maciel
O homem dos meus livros evy maciel
 
O Taxista
O TaxistaO Taxista
O Taxista
 
QU4RTO DESAMP4RO
QU4RTO DESAMP4ROQU4RTO DESAMP4RO
QU4RTO DESAMP4RO
 
46900 espelho
46900 espelho46900 espelho
46900 espelho
 
Espelho
EspelhoEspelho
Espelho
 
Liz fielding a lista de desejos de juliet
Liz fielding   a lista de desejos de julietLiz fielding   a lista de desejos de juliet
Liz fielding a lista de desejos de juliet
 
Melhor gestão, melhor ensino
Melhor gestão, melhor ensinoMelhor gestão, melhor ensino
Melhor gestão, melhor ensino
 
O Espelho
O EspelhoO Espelho
O Espelho
 
O espelho
O espelhoO espelho
O espelho
 
Poema de amor
Poema de amorPoema de amor
Poema de amor
 
Poema de amor
Poema de amorPoema de amor
Poema de amor
 
Skylar
SkylarSkylar
Skylar
 
Fique com a morte
Fique com a morteFique com a morte
Fique com a morte
 
Verão de 1944
Verão de 1944Verão de 1944
Verão de 1944
 
A dinâmica do amor
A dinâmica do amorA dinâmica do amor
A dinâmica do amor
 
Espelho
EspelhoEspelho
Espelho
 
Minha noiva e uma puta
Minha noiva e uma putaMinha noiva e uma puta
Minha noiva e uma puta
 
O Círculo do Amor...
O Círculo do Amor...O Círculo do Amor...
O Círculo do Amor...
 

Mais de Universidade Federal de Roraima

Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Universidade Federal de Roraima
 
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso FerrareziResenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
Universidade Federal de Roraima
 
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
Universidade Federal de Roraima
 
Dicionário de Bolso - Oswald de Andrade
Dicionário de Bolso - Oswald de AndradeDicionário de Bolso - Oswald de Andrade
Dicionário de Bolso - Oswald de Andrade
Universidade Federal de Roraima
 
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
Universidade Federal de Roraima
 
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
Universidade Federal de Roraima
 
Fundamento Histórico da Semântica Lexical
Fundamento Histórico da Semântica LexicalFundamento Histórico da Semântica Lexical
Fundamento Histórico da Semântica Lexical
Universidade Federal de Roraima
 
Análise de poemas - Thiago de Mello
Análise de poemas  - Thiago de MelloAnálise de poemas  - Thiago de Mello
Análise de poemas - Thiago de Mello
Universidade Federal de Roraima
 
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de SombrasOficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
Universidade Federal de Roraima
 
A Poesia como Manifestação Popular
A Poesia como Manifestação PopularA Poesia como Manifestação Popular
A Poesia como Manifestação Popular
Universidade Federal de Roraima
 
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
Universidade Federal de Roraima
 
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slideLDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
Universidade Federal de Roraima
 
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de BarrosClássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
Universidade Federal de Roraima
 
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
Universidade Federal de Roraima
 
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de BarrosDonzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
Universidade Federal de Roraima
 
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul ZumthorResenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
Universidade Federal de Roraima
 

Mais de Universidade Federal de Roraima (16)

Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
Bibliografia Rachel de Queiroz (SLIDE)
 
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso FerrareziResenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
Resenha do Livro: Semântica para a Educação Básica de Celso Ferrarezi
 
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
[Resenha] Afinal, o que é Literatura Infantil?
 
Dicionário de Bolso - Oswald de Andrade
Dicionário de Bolso - Oswald de AndradeDicionário de Bolso - Oswald de Andrade
Dicionário de Bolso - Oswald de Andrade
 
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
Literatura: a base para a formação do leitor (Resenha livro de Joseane Maia)
 
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
O Behaviorismo - Corrente teórica da psicologia [Pavlov & Watson]
 
Fundamento Histórico da Semântica Lexical
Fundamento Histórico da Semântica LexicalFundamento Histórico da Semântica Lexical
Fundamento Histórico da Semântica Lexical
 
Análise de poemas - Thiago de Mello
Análise de poemas  - Thiago de MelloAnálise de poemas  - Thiago de Mello
Análise de poemas - Thiago de Mello
 
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de SombrasOficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
Oficina de Tertúlia Literária na Escola e Teatro de Sombras
 
A Poesia como Manifestação Popular
A Poesia como Manifestação PopularA Poesia como Manifestação Popular
A Poesia como Manifestação Popular
 
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manife...
 
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slideLDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
LDB - (resumo) TÍTULO VIII - em slide
 
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de BarrosClássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
Clássicos do Cordel ed.2 : O Cachorro dos Mortos - Leandro Gomes de Barros
 
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
 
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de BarrosDonzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
Donzela Teodora (Cordel) de Leandro Gomes de Barros
 
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul ZumthorResenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
Resenha A performance, recepção, leitura de Paul Zumthor
 

Crônica: Do amor ao caso ou de um caso de amor?

  • 1. Do amor ao acaso ou de um caso de amor? Ana FabyelyKams Naquele dia, ele acordou e procurou as malas. Não sabia por quê. Na verdade, estava em busca das chaves do carro. De alguma maneira, achou que poderiam estar em algum bolso dentro da mala que na noite anterior deixou entre aberta meio caída no chão. É porque assim que chegou não pensou em guardá-las no seu devido lugar, estava interessado em abraçar sua esposa com a mais profunda afeição que pudesse demonstrar, e beijá-la como nunca antes havia feito. Um detalhe o qual não citei, é que o homem não trabalhava em sua cidade, por isso passava longos dias fora de casa. Buscava uma forma que trouxesse melhorias para sua vida conjugal, digo, financeira. A mulher não era daquelas que sofria terminantemente cada segundo pela falta do calor do marido, na verdade, tentava manter o rosto calmo e tranquilo todas as vezes que vizinhos lhe perguntavam sobre a volta daquele homem tão esforçado. Mas sempre que o via sentia que o queria mais perto, um pouco mais que da outra vez. Faziam-se apaixonados, disso não restavam dúvidas! Acontece que na manhã daquele dia ao acordar, ele se preocupou em encontrar suas chaves, pois estava atrasado, tinha que retomar a rotina do trabalho, e não as achava em lugar algum. Foi então que notou a falta da mulher na casa, ia pedir-lhe que o ajudasse a encontrá-las, mas quando foi até a porta da entrada, olhou na garagem e percebeu que o carro havia sumido. Virou-se para o sofá e ao lado, na mesinha havia um bilhete que dizia: "Eu te amei, mas não me espere! Use seu tempo para fazer algo produtivo a si e não se permita ficar alheio a ninguém. PS: Por favor, leve este bilhete a vizinha do 34, ela merece saber quais seriam as últimas palavras do marido.". Ele olhou atônito para aquele papel e não conseguia classificar o que sentir no momento. Correu até o apartamento 34 e viu uma mulher sentada tomando uma caneca de café na janela da frente, dava para sentir o aroma da porta em que estava. Pensou em mostrar o bilhete, mas viu que ela era bonita demais para sofrer um impacto desses logo pela manhã. Ela estava levemente desarrumada e com um estranho ar de felicidade ao se libertar de algo que a aprisionava. Perguntou se tinha um pouco de pó de café para emprestar e como viu que ela foi lhe foi solícita, sentou e conversou. Enquanto olhava para ela, pensou consigo: Se um novo amor nascer deste momento, tomarei mais cuidado com o tempo que me dedico ao trabalho, quem mora no apartamento ao lado, e também aonde deixo as chaves do carro pago em parcelas.