Ana Fabyely KamsLITERATURA DE CORDEL E AEQUIVALÊNCIA DO ORAL E ESCRITO:A POESIA COMO MANIFESTAÇÃOPOPULARAcesse: www.desmaz...
 Influências europeias trazidos peloscolonizadores Nordeste Por volta de 1750 apareceram os primeirospoetas populares qu...
 Repentistas x Cordelistas As diversas vozes traduzem dramaticidade evivacidade às narrativas.VOZES
TRADIÇÕES ORAISAUTORIDADE DO TEXTOAUTORIDADE DO POETAVERDADE/BELEZA DO TEXTOMEMÓRIA
“É só repetindo, e repetindo sem parar, que osconhecimentos vão poder integrar-se na memóriadas pessoas, transformar-se em...
ESCRITO /TRANSCRITOPÚBLICOACEITARNÃOACEITAR
 Johannes Gutenberg Tipografia Instrumento de utilização para a elite; Poetas da oralidade utilizaram esta tecnologiapa...
PRENSA TIPOGRÁFICA DEGUTENBERG
 O cordel é conhecido como o “jornal do povo”.Ele faz registros de momentos históricos ou docontexto em que aconteceram o...
 No Brasil, principalmente no Nordeste brasileiroelas passaram a ser comercializadas em folhetinsexpostos em varal. E ent...
O Cordel brasileiro, continua a tradição de ser umtipo de poesia popular com origem oral e quedepois pode ser impressa em ...
O maior clássico do Cordel. O folheto maisvendido de todos os tempos.
 As vivas vozes poéticas estão trans(es)critasem folhetos expostos em bancadas, ou emlivros exibidos em estantes. A cria...
Os folhetos de cordel se fixaram no sistema produtivode editoração e consumo devido a 3 fatores:a) Existência amadurecida ...
 Os folhetos manifestaram-se na evolução da oralidadepara a escritura. A poesia oral e a poesia escrita, seentrecruzam, d...
"Cordel quer dizer barbanteOu senão mesmo cordão,Mas cordel-literaturaÉ a real expressãoComo fonte de culturaOu melhor poe...
Este material foi produzido para ser apresentadona Comunicação Oral do Congresso de Filosofiada UERR.Data de 07/06/2013Ace...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manifestação popular

2.522 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o processo de transcrição da Literatura de Cordel da Oralidade para a forma Escrita. A tradição Oral e Tradição Escrita.

Quem estiver interesse em fazer o download deste arquivo, é só comentar aí que eu irei disponibilizar. :)
Acesse o meu blog: http://www.desmazelas.com.br
e dê um like na página: http://www.facebook.com/Desmazelas

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
146
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura de Cordel e a equivalência do Oral e Escrito: A poesia como manifestação popular

  1. 1. Ana Fabyely KamsLITERATURA DE CORDEL E AEQUIVALÊNCIA DO ORAL E ESCRITO:A POESIA COMO MANIFESTAÇÃOPOPULARAcesse: www.desmazelas.com.br
  2. 2.  Influências europeias trazidos peloscolonizadores Nordeste Por volta de 1750 apareceram os primeirospoetas populares que narravam histórias emversos. Manifestação popularCORDELcantadadeclamada
  3. 3.  Repentistas x Cordelistas As diversas vozes traduzem dramaticidade evivacidade às narrativas.VOZES
  4. 4. TRADIÇÕES ORAISAUTORIDADE DO TEXTOAUTORIDADE DO POETAVERDADE/BELEZA DO TEXTOMEMÓRIA
  5. 5. “É só repetindo, e repetindo sem parar, que osconhecimentos vão poder integrar-se na memóriadas pessoas, transformar-se em tradição” (RiaLemaire, 2010)TRADIÇÃO
  6. 6. ESCRITO /TRANSCRITOPÚBLICOACEITARNÃOACEITAR
  7. 7.  Johannes Gutenberg Tipografia Instrumento de utilização para a elite; Poetas da oralidade utilizaram esta tecnologiapara produzir suas „folhas volantes‟ – que eramtextos cantados e declamados em praças efeiras.IMPRENSA
  8. 8. PRENSA TIPOGRÁFICA DEGUTENBERG
  9. 9.  O cordel é conhecido como o “jornal do povo”.Ele faz registros de momentos históricos ou docontexto em que aconteceram os fatos.
  10. 10.  No Brasil, principalmente no Nordeste brasileiroelas passaram a ser comercializadas em folhetinsexpostos em varal. E entre 1960 e 1970 passou aser empregada como Literatura de Cordel.
  11. 11. O Cordel brasileiro, continua a tradição de ser umtipo de poesia popular com origem oral e quedepois pode ser impressa em folhetos rústicos.
  12. 12. O maior clássico do Cordel. O folheto maisvendido de todos os tempos.
  13. 13.  As vivas vozes poéticas estão trans(es)critasem folhetos expostos em bancadas, ou emlivros exibidos em estantes. A criação da imprensa e de editoras, ao longodos tempos, apagou a existência de outrasformas de expressão.
  14. 14. Os folhetos de cordel se fixaram no sistema produtivode editoração e consumo devido a 3 fatores:a) Existência amadurecida da prática cantada;b) A presença das máquinas tipográficas no Nordeste;c) A apropriação, por parte dos poetas cantadores –emergentes poetas de cordel -, dessas novastecnologias de informação e comunicação. (Santos,2009, p. 19)
  15. 15.  Os folhetos manifestaram-se na evolução da oralidadepara a escritura. A poesia oral e a poesia escrita, seentrecruzam, de modo que a segunda se apresentacomo continuidade da primeira. No campo mercadológico, há um distanciamento entreas duas práticas, logo que a poesia de folhetos temsuas regras próprias de produção, circulação ecomercialização, diferentes das da poesia oral. (Sousa,2009)
  16. 16. "Cordel quer dizer barbanteOu senão mesmo cordão,Mas cordel-literaturaÉ a real expressãoComo fonte de culturaOu melhor poesia puraDos poetas do sertão. (...)”Alexandre Pavan
  17. 17. Este material foi produzido para ser apresentadona Comunicação Oral do Congresso de Filosofiada UERR.Data de 07/06/2013Acesse: www.desmazelas.com.br

×