SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
ExcursãoMaria Beatriz Bernardez Amorim
Ronaldo Santos Santana
"Queremos atividades escolares vivas,
associadas ao interesse e ao profundo
devir das crianças, que sejam muito mais
do que um jogo ou um passatempo, que
sejam um trabalho autêntico, fruto de
uma necessidade, que se veja que é útil,
ao qual uma pessoa se entrega de todo o
coração e que, por todos esses motivos,
se torna um poderoso gerador de
dinamismo e de proveito pedagógico".
Célestin Freinet
Contexto Histórico
Ensino Tradicional
X
Escolas Anarquistas
Segundo, Pontuschka (2004)
A Atividade de Campo
 A Atividade de Campo de acordo com
KRASILCHIK, (2008) e MARANDINO (2009)
“As excursões apresentam uma importante
dimensão cognitiva [...] As relações de alunos e
professores fora do formalismo da sala de aula
acabam sofrendo modificações que perduram
[...]” (KRASILCHIK, 2008 P. 88)
Estudo do Meio
 O Estudo do Meio, De acordo com PONTUSCHKA e
BITTENCUORT, (2004) e BOSCOLO, (2007)
 O Estudo do Meio começa a ser utilizado nas escolas
públicas do estado de São Paulo a partir de 1960.
 Surgimento das “Escolas Livres”
“O estudo do meio não é um “papa-moscas” para
melhor veicular o programa e nem uma tentativa de
recuperar a curiosidade para fazer passar o resto de um
discurso. Ele não é nem pretexto, nem comodidade para
o docente. Ele é uma etapa fundamental para permitir
aos jovens consolidar seu envolvimento no tempo e no
espaço, apropriar-se de uma história e geografia
pertencente à sua realidade, para a formação de sua
personalidade. ” (I.C.E.M- Pédagogie Freinet, Ed. Syros,
Paris, 1984)
Fragmento retirado da Revista ORIENTAÇÃO – Instituto de Geografia, USP. Traduzido por: Circe Bittencourt
Como organizar uma Excursão/Atividade
de Campo/Estudo do Meio
1º Momento – a
articulação começa
...
2º momento - O
encontro dos
sujeitos sociais:
dissonâncias e
concordâncias.
3º momento - Visita
preliminar e a
opção pelo
percurso
4º momento – O
Planejamento
5º Momento – o
caderno de campo
6º momento - A
pesquisa de campo
reveladora da vida
6º Momento -
Retorno para a sala
de aula.
7º Momento-
Processo de criação
PONTUSCHKA, PAGANELLI e CACETE. PARA ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA. SÃO
PAULO: Cortez, p.173-212.
6º momento - A pesquisa de
campo reveladora da vida
Atividades IN LOCO
Entrevistas com os frequentadores do Meio.
Identificação e registro da Biodiversidade
Fauna
Flora
Avaliação do Espaço Físico
Analise dos atrativos do Local
Analise da Divulgação Cientifica no espaço
físico do meio
Avaliação da Interação Antrópica
Segundo Duarte et al., 2013
Exemplo de uma Sequência Didática
utilizando Estudo do Meio (EM) / Atividade de
Campo (AC) 001
 Anexo 01
Sequência didática 002
 Anexo 02
Entrevistas
Bacharelado e Licenciatura
em Geografia pela Usp.
Mestrado em Ciências pela
Usp, Professora da UNIP
Licenciatura pela
em Biologia pelo
Unasp. Mestrado
em Ciências pela
Usp.
Interdisciplinaridade e Estudo do Meio
 Quanto a capacidade de interdisciplinaridade os benéficos do estudo do meio
“...Proporciona uma aprendizagem significativa... um conhecimento que faça
sentido para ele, que ele perceba uma relação entre o conhecimento que já
está sistematizado com a realidade... se você for por um caminho apenas
disciplinar, muito fragmentado, ao passo que se você trabalhar com outros
professores de outras disciplinas você vai ter uma riqueza...No caso
disciplinar deve-se ter uma postura Interdisciplinar...” Dulcineia Boscolo
Por que você utiliza o Estudo do Meio?
 “primeira vez que eu fiz a atividade e vi o resultado da atividade e o
envolvimento dos alunos e a maturidade lidam com isso, e pensando na
proposta de formar cidadãos com determinadas responsabilidades
ambientais...” Enios Carlos
Quais as Limitações?
 “Acho que a limitação principal e que você assume uma responsabilidade,
você tira do ambiente escolar alunos, se tem custos, de você conseguir
agregar outros colegas dentro da atividade.” Enios Carlos
 “Falta de interesse dos educadores em geral da escola, gestão e seus
envolvidos e professores...Formação continuada dos professores, neste
sentido, muitas vezes deixa a desejar, nas escolas em geral, tanto em
particulares quanto publicas, no sentido de que se houvesse um trabalho
maior voltado a formação continuada, naquela própria escola, se valorizasse
mais a integração o dialogo maior entre as disciplinas, neste sentido
favoreceria...” Dulcineia Boscolo
Benefícios do Estudo do Meio
 Está de acordo com as propostas de Piaget e
Vygotsky
 Corrobora a argumentação
 È uma método que corrobora a ação ativa do
aluno
 Possibilita construção de conhecimento fora dos
“Muros da Escola”
Referências Bibliográficas
BOSCOLO, D. Projetos de estudo do meio em escolas públicas em Santana De
Parnaíba-SP. São Paulo, USP 2007.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental.
Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências. Brasília: MEC/SEF, 1997
FAZENDA, I.C.A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro:
efetividade ou ideologia ?. São Paulo, Loyola, 1979.
PONTUSCHKA, N. N. O conceito de Estudo do Meio transforma-se... em tempos
diferentes, em escolas diferentes, com professores diferentes. In: Vesentini, J.
REVISTA ORIENTAÇÃO. I.C.E.M- Pédagogie Freinet, Ed. Syros, Paris, 1984 – Instituto de Geografia, USP.
Traduzido por: Circe Bittencourt
SANTANA R.S PONTUSCHKA N.N. SCHUNEMAN H.E.S O ESTUDO DO MEIO COMO MÉTODO INTERDISCIPLINAR
NA EDUCAÇÃO BÁSICA. UNASP-SP. SÃO PAULO. 2013
W. (Org.). O ensino de geografia no século XXI. Campinas, SP: Papirus, 2004a, p.
249-288

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeMah1986mah
 
Robotica Educativa
Robotica EducativaRobotica Educativa
Robotica Educativaguest0aa7b2
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPwww.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
Instrumentos de Exploração Espacial
Instrumentos de Exploração EspacialInstrumentos de Exploração Espacial
Instrumentos de Exploração EspacialTânia Reis
 
Criando um cartão de visitas em Realidade Aumentada
Criando um cartão de visitas em Realidade AumentadaCriando um cartão de visitas em Realidade Aumentada
Criando um cartão de visitas em Realidade AumentadaMárcio Martins
 
Seleção por consequências: nível filogenético
Seleção por consequências: nível filogenéticoSeleção por consequências: nível filogenético
Seleção por consequências: nível filogenéticoMárcio Borges Moreira
 
Modelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseModelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseSilas Rocha
 
Slide sobre Nanotecnologia
Slide sobre Nanotecnologia Slide sobre Nanotecnologia
Slide sobre Nanotecnologia Aline
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADAJairo Felipe
 
Plano de aula oficina de variação final
Plano de aula oficina de variação finalPlano de aula oficina de variação final
Plano de aula oficina de variação finalmacenaquiteria
 
As tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteAs tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteCarlos Marcelo
 
O professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisO professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisanagabrielasmpa
 

Mais procurados (20)

Briefing
BriefingBriefing
Briefing
 
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
 
Robotica Educativa
Robotica EducativaRobotica Educativa
Robotica Educativa
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
Instrumentos de Exploração Espacial
Instrumentos de Exploração EspacialInstrumentos de Exploração Espacial
Instrumentos de Exploração Espacial
 
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
Cibercultura e Redes sociais - aula 01 - turma 03
 
Criando um cartão de visitas em Realidade Aumentada
Criando um cartão de visitas em Realidade AumentadaCriando um cartão de visitas em Realidade Aumentada
Criando um cartão de visitas em Realidade Aumentada
 
Modelo de banner
Modelo de bannerModelo de banner
Modelo de banner
 
Aula de Campo
Aula de CampoAula de Campo
Aula de Campo
 
Seleção por consequências: nível filogenético
Seleção por consequências: nível filogenéticoSeleção por consequências: nível filogenético
Seleção por consequências: nível filogenético
 
Modelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posseModelo cerimônia de posse
Modelo cerimônia de posse
 
Slide sobre Nanotecnologia
Slide sobre Nanotecnologia Slide sobre Nanotecnologia
Slide sobre Nanotecnologia
 
Culminancia projeto
Culminancia projetoCulminancia projeto
Culminancia projeto
 
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADARELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
RELATÓRIO DA AULA EXECUTADA
 
Plano de aula oficina de variação final
Plano de aula oficina de variação finalPlano de aula oficina de variação final
Plano de aula oficina de variação final
 
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIOPROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
PROJETO ESCOLAR AMBIENTAL COMUNITÁRIO
 
Plano de ação agua
Plano de ação aguaPlano de ação agua
Plano de ação agua
 
Caderno mais ideb prt
Caderno mais ideb prtCaderno mais ideb prt
Caderno mais ideb prt
 
As tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docenteAs tecnologias e a prática docente
As tecnologias e a prática docente
 
O professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitaisO professor e as novas tecnologias digitais
O professor e as novas tecnologias digitais
 

Destaque

Trabalho de T.E estudo do meio
Trabalho de T.E estudo do meioTrabalho de T.E estudo do meio
Trabalho de T.E estudo do meiocarlacepja4004
 
Projeto estudo do meio
Projeto estudo do meioProjeto estudo do meio
Projeto estudo do meioTainá Cruz
 
Roteiro para estudo do meio
Roteiro para estudo do meio Roteiro para estudo do meio
Roteiro para estudo do meio parquedaamizade
 
Apresentação power point excursão viagem porto alegre
Apresentação power point excursão viagem porto alegreApresentação power point excursão viagem porto alegre
Apresentação power point excursão viagem porto alegreEscolinha Fla Floripa
 
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação Básica
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação BásicaO Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação Básica
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação BásicaRonaldo Santana
 
Estudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaEstudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaJosenilza Paiva
 
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511Marcos BoDe
 
Aula-Passeio em Paquetá
Aula-Passeio em PaquetáAula-Passeio em Paquetá
Aula-Passeio em Paquetáprojetoarteando
 
Apresentação excursões
Apresentação excursõesApresentação excursões
Apresentação excursõespibidbio
 
Apresentação relato oral cópia i
Apresentação relato oral   cópia iApresentação relato oral   cópia i
Apresentação relato oral cópia igislainelieber04
 
Materia curso de policiamento turistico
Materia curso de policiamento turisticoMateria curso de policiamento turistico
Materia curso de policiamento turisticoRoberto Rabat Chame
 
Seminario de didactica geral g5
Seminario de  didactica geral g5Seminario de  didactica geral g5
Seminario de didactica geral g5Anjo Bernard
 
Roteiro de pesquisa 9]F Simione
Roteiro de pesquisa 9]F SimioneRoteiro de pesquisa 9]F Simione
Roteiro de pesquisa 9]F SimioneRonaldo Santana
 
Meu Primeiro Beijo.Situação de Aprendizagem
Meu Primeiro Beijo.Situação de AprendizagemMeu Primeiro Beijo.Situação de Aprendizagem
Meu Primeiro Beijo.Situação de AprendizagemMariwata
 
Apresentação guia verantur 2014
Apresentação   guia verantur 2014Apresentação   guia verantur 2014
Apresentação guia verantur 2014Verantur
 
Aula 1: Natureza da Ciência
Aula 1: Natureza da CiênciaAula 1: Natureza da Ciência
Aula 1: Natureza da CiênciaRonaldo Santana
 

Destaque (20)

Trabalho de T.E estudo do meio
Trabalho de T.E estudo do meioTrabalho de T.E estudo do meio
Trabalho de T.E estudo do meio
 
Projeto estudo do meio
Projeto estudo do meioProjeto estudo do meio
Projeto estudo do meio
 
Roteiro para estudo do meio
Roteiro para estudo do meio Roteiro para estudo do meio
Roteiro para estudo do meio
 
Estudo meio
Estudo meioEstudo meio
Estudo meio
 
Estudo do meio São Paulo 18
Estudo do meio São Paulo 18Estudo do meio São Paulo 18
Estudo do meio São Paulo 18
 
Apresentação power point excursão viagem porto alegre
Apresentação power point excursão viagem porto alegreApresentação power point excursão viagem porto alegre
Apresentação power point excursão viagem porto alegre
 
Projeto estudo do meio
Projeto estudo do meioProjeto estudo do meio
Projeto estudo do meio
 
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação Básica
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação BásicaO Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação Básica
O Estudo do Meio como método interdisciplinar na Educação Básica
 
Estudo dirigido didatica
Estudo dirigido didaticaEstudo dirigido didatica
Estudo dirigido didatica
 
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511
Apresentacao negocios up_2013_mrr_0511
 
Todo sobre el Video
Todo sobre el VideoTodo sobre el Video
Todo sobre el Video
 
Aula-Passeio em Paquetá
Aula-Passeio em PaquetáAula-Passeio em Paquetá
Aula-Passeio em Paquetá
 
Apresentação excursões
Apresentação excursõesApresentação excursões
Apresentação excursões
 
Apresentação relato oral cópia i
Apresentação relato oral   cópia iApresentação relato oral   cópia i
Apresentação relato oral cópia i
 
Materia curso de policiamento turistico
Materia curso de policiamento turisticoMateria curso de policiamento turistico
Materia curso de policiamento turistico
 
Seminario de didactica geral g5
Seminario de  didactica geral g5Seminario de  didactica geral g5
Seminario de didactica geral g5
 
Roteiro de pesquisa 9]F Simione
Roteiro de pesquisa 9]F SimioneRoteiro de pesquisa 9]F Simione
Roteiro de pesquisa 9]F Simione
 
Meu Primeiro Beijo.Situação de Aprendizagem
Meu Primeiro Beijo.Situação de AprendizagemMeu Primeiro Beijo.Situação de Aprendizagem
Meu Primeiro Beijo.Situação de Aprendizagem
 
Apresentação guia verantur 2014
Apresentação   guia verantur 2014Apresentação   guia verantur 2014
Apresentação guia verantur 2014
 
Aula 1: Natureza da Ciência
Aula 1: Natureza da CiênciaAula 1: Natureza da Ciência
Aula 1: Natureza da Ciência
 

Semelhante a Excursão e Estudo do Meio na Educação

CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EAD
CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EADCONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EAD
CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EADValmir Heckler
 
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE D...
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE   D...APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE   D...
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE D...Daniel Raber
 
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...Ronaldo Santana
 
07 pesquisafavaro
07 pesquisafavaro07 pesquisafavaro
07 pesquisafavarobchristie
 
Oficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptxOficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptxTaironeLima1
 
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...ProfessorPrincipiante
 
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalResumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalDaniella Bezerra
 
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalResumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalDaniella Bezerra
 
Proj. integrador (1)
Proj. integrador (1)Proj. integrador (1)
Proj. integrador (1)Bruna Gomes
 
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de GeografiaA aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de GeografiaCadernizando
 
Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...tefarroupilha
 
Proposta curricular de biologia cprp
Proposta curricular de  biologia cprpProposta curricular de  biologia cprp
Proposta curricular de biologia cprpfamiliaestagio
 
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...Marisa Correia
 
Proposta curricular de biologia
Proposta curricular de biologiaProposta curricular de biologia
Proposta curricular de biologiafamiliaestagio
 

Semelhante a Excursão e Estudo do Meio na Educação (20)

CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EAD
CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EADCONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EAD
CONSTITUIÇÃO DA EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS NA MODALIDADE EAD
 
Sensoriamento remoto como recurso para o estudo de ecologia na educação cient...
Sensoriamento remoto como recurso para o estudo de ecologia na educação cient...Sensoriamento remoto como recurso para o estudo de ecologia na educação cient...
Sensoriamento remoto como recurso para o estudo de ecologia na educação cient...
 
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE D...
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE   D...APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE   D...
APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA PROPOSTA DE UNIDADE D...
 
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
Realidade do ensino por investigação na práxis dos professores dos anos inici...
 
07 pesquisafavaro
07 pesquisafavaro07 pesquisafavaro
07 pesquisafavaro
 
Oficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptxOficina Estudo centro.pptx
Oficina Estudo centro.pptx
 
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...
POR QUE PEDAGOGIA? ESCOLHA DO CURSO E VIDA ACADÊMICA DE ALUNOS SEM EXPERIÊNCI...
 
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalResumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
 
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamentalResumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
Resumo parâmetros curriculares nacionais ciências naturais no ensino fundamental
 
Proj. integrador (1)
Proj. integrador (1)Proj. integrador (1)
Proj. integrador (1)
 
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de GeografiaA aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
A aula de campo como ferramenta de investigação do lugar no ensino de Geografia
 
Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...Atividades de campo no ensino das ciências...
Atividades de campo no ensino das ciências...
 
A internet
A internetA internet
A internet
 
Proposta curricular de biologia cprp
Proposta curricular de  biologia cprpProposta curricular de  biologia cprp
Proposta curricular de biologia cprp
 
Resumo Caderno III
Resumo Caderno IIIResumo Caderno III
Resumo Caderno III
 
Caderno III
Caderno IIICaderno III
Caderno III
 
Ficha 227
Ficha 227Ficha 227
Ficha 227
 
Poster Tomasnovo
Poster TomasnovoPoster Tomasnovo
Poster Tomasnovo
 
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...
AS CONCEÇÕES DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NO CONTE...
 
Proposta curricular de biologia
Proposta curricular de biologiaProposta curricular de biologia
Proposta curricular de biologia
 

Mais de Ronaldo Santana

Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaRonaldo Santana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)Ronaldo Santana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humanaRonaldo Santana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)Ronaldo Santana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...Ronaldo Santana
 
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...Ronaldo Santana
 
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosAula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosRonaldo Santana
 
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)Ronaldo Santana
 
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestre
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestreCronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestre
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestreRonaldo Santana
 
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano  ti 2 bimestreSistematica 2 ano  ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano ti 2 bimestreRonaldo Santana
 
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestreCronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestreRonaldo Santana
 
Sistematica 1 ano ti 2 bimestre
Sistematica 1 ano ti 2 bimestreSistematica 1 ano ti 2 bimestre
Sistematica 1 ano ti 2 bimestreRonaldo Santana
 
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestreCronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestreRonaldo Santana
 
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestre
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestreSistematica 1 ano exatas 2 bimestre
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestreRonaldo Santana
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Ronaldo Santana
 
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...Ronaldo Santana
 
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)Ronaldo Santana
 
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio AmbientalAula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio AmbientalRonaldo Santana
 
Desbravadores: Especialidade Sexualidade
Desbravadores: Especialidade SexualidadeDesbravadores: Especialidade Sexualidade
Desbravadores: Especialidade SexualidadeRonaldo Santana
 
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]Ronaldo Santana
 

Mais de Ronaldo Santana (20)

Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Reprodução (assexuada e sexuada)
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Embriologia animal/humana
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)
Aula 1º Ano Ensino Médio: Divisão Celular (Mitose e Meiose)
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
Aula 1º Ano Ensino Médio: O Núcleo, DNA e RNA (Estrutura, replicação/duplicaç...
 
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...
Ensino de Ciências para alunos surdos: das recomendações para o ensino de Ciê...
 
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosAula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
 
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)
Aula Biologia: Citologia II (organelas citoplasmáticas)
 
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestre
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestreCronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestre
Cronograma das aulas 2 ano ti 1 bimestre
 
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano  ti 2 bimestreSistematica 2 ano  ti 2 bimestre
Sistematica 2 ano ti 2 bimestre
 
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestreCronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano ti 2 bimestre
 
Sistematica 1 ano ti 2 bimestre
Sistematica 1 ano ti 2 bimestreSistematica 1 ano ti 2 bimestre
Sistematica 1 ano ti 2 bimestre
 
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestreCronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestre
Cronograma das aulas 1 ano exatas 2 bimestre
 
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestre
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestreSistematica 1 ano exatas 2 bimestre
Sistematica 1 ano exatas 2 bimestre
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
 
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
 
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)
Aula Biologia: Citologia I (Biologia Celular I)
 
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio AmbientalAula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
Aula de Biologia - Ensino Médio - 1° Ano - Desequilíbrio Ambiental
 
Desbravadores: Especialidade Sexualidade
Desbravadores: Especialidade SexualidadeDesbravadores: Especialidade Sexualidade
Desbravadores: Especialidade Sexualidade
 
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Sucessões ecológicas e Biomas [1° Ano do Ensino Médio]
 

Último

Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 

Último (20)

Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 

Excursão e Estudo do Meio na Educação

  • 1. ExcursãoMaria Beatriz Bernardez Amorim Ronaldo Santos Santana
  • 2. "Queremos atividades escolares vivas, associadas ao interesse e ao profundo devir das crianças, que sejam muito mais do que um jogo ou um passatempo, que sejam um trabalho autêntico, fruto de uma necessidade, que se veja que é útil, ao qual uma pessoa se entrega de todo o coração e que, por todos esses motivos, se torna um poderoso gerador de dinamismo e de proveito pedagógico". Célestin Freinet
  • 3. Contexto Histórico Ensino Tradicional X Escolas Anarquistas Segundo, Pontuschka (2004)
  • 4. A Atividade de Campo  A Atividade de Campo de acordo com KRASILCHIK, (2008) e MARANDINO (2009) “As excursões apresentam uma importante dimensão cognitiva [...] As relações de alunos e professores fora do formalismo da sala de aula acabam sofrendo modificações que perduram [...]” (KRASILCHIK, 2008 P. 88)
  • 5. Estudo do Meio  O Estudo do Meio, De acordo com PONTUSCHKA e BITTENCUORT, (2004) e BOSCOLO, (2007)  O Estudo do Meio começa a ser utilizado nas escolas públicas do estado de São Paulo a partir de 1960.  Surgimento das “Escolas Livres”
  • 6. “O estudo do meio não é um “papa-moscas” para melhor veicular o programa e nem uma tentativa de recuperar a curiosidade para fazer passar o resto de um discurso. Ele não é nem pretexto, nem comodidade para o docente. Ele é uma etapa fundamental para permitir aos jovens consolidar seu envolvimento no tempo e no espaço, apropriar-se de uma história e geografia pertencente à sua realidade, para a formação de sua personalidade. ” (I.C.E.M- Pédagogie Freinet, Ed. Syros, Paris, 1984) Fragmento retirado da Revista ORIENTAÇÃO – Instituto de Geografia, USP. Traduzido por: Circe Bittencourt
  • 7. Como organizar uma Excursão/Atividade de Campo/Estudo do Meio 1º Momento – a articulação começa ... 2º momento - O encontro dos sujeitos sociais: dissonâncias e concordâncias. 3º momento - Visita preliminar e a opção pelo percurso 4º momento – O Planejamento 5º Momento – o caderno de campo 6º momento - A pesquisa de campo reveladora da vida 6º Momento - Retorno para a sala de aula. 7º Momento- Processo de criação PONTUSCHKA, PAGANELLI e CACETE. PARA ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA. SÃO PAULO: Cortez, p.173-212.
  • 8. 6º momento - A pesquisa de campo reveladora da vida Atividades IN LOCO Entrevistas com os frequentadores do Meio. Identificação e registro da Biodiversidade Fauna Flora Avaliação do Espaço Físico
  • 9. Analise dos atrativos do Local Analise da Divulgação Cientifica no espaço físico do meio Avaliação da Interação Antrópica Segundo Duarte et al., 2013
  • 10. Exemplo de uma Sequência Didática utilizando Estudo do Meio (EM) / Atividade de Campo (AC) 001  Anexo 01
  • 12. Entrevistas Bacharelado e Licenciatura em Geografia pela Usp. Mestrado em Ciências pela Usp, Professora da UNIP Licenciatura pela em Biologia pelo Unasp. Mestrado em Ciências pela Usp.
  • 13. Interdisciplinaridade e Estudo do Meio  Quanto a capacidade de interdisciplinaridade os benéficos do estudo do meio “...Proporciona uma aprendizagem significativa... um conhecimento que faça sentido para ele, que ele perceba uma relação entre o conhecimento que já está sistematizado com a realidade... se você for por um caminho apenas disciplinar, muito fragmentado, ao passo que se você trabalhar com outros professores de outras disciplinas você vai ter uma riqueza...No caso disciplinar deve-se ter uma postura Interdisciplinar...” Dulcineia Boscolo
  • 14. Por que você utiliza o Estudo do Meio?  “primeira vez que eu fiz a atividade e vi o resultado da atividade e o envolvimento dos alunos e a maturidade lidam com isso, e pensando na proposta de formar cidadãos com determinadas responsabilidades ambientais...” Enios Carlos
  • 15. Quais as Limitações?  “Acho que a limitação principal e que você assume uma responsabilidade, você tira do ambiente escolar alunos, se tem custos, de você conseguir agregar outros colegas dentro da atividade.” Enios Carlos  “Falta de interesse dos educadores em geral da escola, gestão e seus envolvidos e professores...Formação continuada dos professores, neste sentido, muitas vezes deixa a desejar, nas escolas em geral, tanto em particulares quanto publicas, no sentido de que se houvesse um trabalho maior voltado a formação continuada, naquela própria escola, se valorizasse mais a integração o dialogo maior entre as disciplinas, neste sentido favoreceria...” Dulcineia Boscolo
  • 16. Benefícios do Estudo do Meio  Está de acordo com as propostas de Piaget e Vygotsky  Corrobora a argumentação  È uma método que corrobora a ação ativa do aluno  Possibilita construção de conhecimento fora dos “Muros da Escola”
  • 17. Referências Bibliográficas BOSCOLO, D. Projetos de estudo do meio em escolas públicas em Santana De Parnaíba-SP. São Paulo, USP 2007. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências. Brasília: MEC/SEF, 1997 FAZENDA, I.C.A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia ?. São Paulo, Loyola, 1979. PONTUSCHKA, N. N. O conceito de Estudo do Meio transforma-se... em tempos diferentes, em escolas diferentes, com professores diferentes. In: Vesentini, J. REVISTA ORIENTAÇÃO. I.C.E.M- Pédagogie Freinet, Ed. Syros, Paris, 1984 – Instituto de Geografia, USP. Traduzido por: Circe Bittencourt SANTANA R.S PONTUSCHKA N.N. SCHUNEMAN H.E.S O ESTUDO DO MEIO COMO MÉTODO INTERDISCIPLINAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA. UNASP-SP. SÃO PAULO. 2013 W. (Org.). O ensino de geografia no século XXI. Campinas, SP: Papirus, 2004a, p. 249-288