SlideShare uma empresa Scribd logo
Como fazer orçamentos de obras 
Guia Prático 
Autor : Adalberto Steinberg 
dezembro de 2013
Sobre o autor 
Adalberto Steinberg é formado em arquitetura pela FAU–USP (1987), e também é técnico em 
processamento de dados (1980). 
Projetou e construiu várias residências e imóveis comerciais e participou do projeto e 
planejamento de vários edifícios. 
Tem trabalhado com orçamentos e planejamento de obras para construtoras, tendo atuado em 
vários empreendimentos, como por exemplo um conjunto habitacional com 464 apartamentos em 
Osasco-SP (2012). 
Desenvolveu o Planejax, um software online para gerenciamento de construtoras. 
Atualmente reside em São Carlos- SP. 
Apresentação 
Esta é uma introdução aos principais conceitos de orçamentos de obras, com enfoque especial na 
aplicação prática e no uso de sistemas informatizados. 
Destina-se a engenheiros, técnicos, tecnólogos, arquitetos ou qualquer profissional que precise 
fazer orçamentos e/ou controle de obras 
Por que fazer orçamentos? 
Em todo empreendimento se necessita saber seu custo, para responder perguntas como: 
A verba será suficiente? 
Vai dar lucro? 
Compensa usar materiais melhores para tentar vender mais caro? 
Onde vale mais a pena procurar maneiras de economizar? 
Além disso, a montagem do orçamento permite que se gere a lista de insumos (materiais e mão 
de obra) que vão ser utilizados, facilitando a programação de compras e contratos. 
Fazer o orçamento e planejamento da obra é um esforço que vale a pena. 
Chega de pedir materiais em cima da hora. Chega de desorganização. No mercado atual não se 
pode mais tolerar estouros absurdos de custos e prazos. 
A maioria das “surpresas” que acontecem no decorrer da obra na verdade não deveriam ser 
surpresas, pois são acontecimentos totalmente previsiveis. 
Quem não se dispõe a fazer um planejamento prévio com certeza vai ser mais tarde engolido pela 
correria, acabando por colocar a empresa ou a si mesmo em sério risco. 
1
Por isso eu o convido a seguir com atenção as próximas páginas, onde vou explicar passo a passo 
como entrar num novo nivel de qualidade e organização. 
O orçamentista 
O orçamentista precisa saber ler e interpretar projetos. 
Também precisa conhecer o processo de construção, se possível as ferramentas, equipamentos e 
condições gerais necessários, a produtividade de mão de obra e tudo em geral que possa gerar 
custo. 
O responsável pelo setor de orçamentos deve tentar compreender todos os aspectos do 
empreendimento, porque tudo influencia de uma maneira ou de outra no custo. 
O que se necessita para fazer orçamentos? 
É impossível orçar bem sem ter os projetos, e quanto mais detalhados estes forem, melhor 
tenderá a ser o orçamento. 
Se alguma coisa não estiver explicita nos projetos e memoriais, o orçamentista deverá “supor” o 
que será feito, o que convenhamos, não é a situação ideal. Mas contratar a execução de projetos 
de qualidade é uma decisão dos niveis superiores, e o orçamentista deverá tentar se adaptar de 
alguma maneira às condições que lhe forem dadas. 
Outro elemento importante é dispor de um bom sistema informatizado. O sistema é a principal 
ferramenta de trabalho do orçamentista. 
Orçamento Preliminar 
Agora, vamos entrar na parte prática. 
Em geral, se divide o orçamento em alguns níveis. O primeiro é o do empreendimento como um 
todo, que engloba itens como: 
– Terreno 
– Projetos 
– Taxas, impostos 
– Despesas administrativas 
– Despesas de comercialização (ex: marketing, comissões de vendas) 
– Despesas financeiras (ex: juros de financiamentos) 
– Obra 
Como podemos ver, o orçamento da obra é um sub-item do orçamento geral do empreendimento. 
Quando se está analisando a viabilidade econômica de realizar um projeto, é possível ter uma 
2
ideia aproximada de quanto vai custar a obra com base na área de construção, em planta. 
Por exemplo, se tivermos uma casa de 100 m2, e o custo por m2 for de R$ 1.000,00, basta 
multiplicar 100x1000, o que dá o total de R$ 100.000,00. 
Existem várias fontes desse índice de custo/m2. Uma delas é o CUB (Custo Unitário Básico), que 
é publicado periodicamente pelos Sinduscons (Sindicatos da Indústria da Construção Civil) dos 
diversos estados. 
Também existem revistas do setor da construção civil e arquitetura que publicam esses índices. 
Algumas fornecem valores diferentes de acordo com o padrão da construção, o tipo de uso, a 
quantidade de pavimentos, o acabamento etc. 
Orçamento Dividido por etapas - Porcentagens 
Uma primeira fase para detalhar o orçamento é dividir a obra em etapas (geralmente de 10 a 
20). 
Por exemplo: 
Despesas iniciais 
Terraplenagem 
Fundações 
Estrutura 
Alvenarias 
Revestimentos de paredes e tetos 
Pinturas 
Pisos 
Cobertura 
Esquadrias 
Instalações hidráulicas 
Instalações elétricas 
A cada uma destas etapas corresponde uma porcentagem do custo total. 
Essas porcentagens costumam manter um certo padrão. 
Você sabia que a alvenaria não costuma representar mais do que uns 5 a 10% do custo total de 
uma obra? 
Para ter uma ideia da porcentagem de cada etapa, consulte as revistas técnicas da área de 
construção. 
Também vale dar uma pesquisada na internet. 
As vezes é dada uma faixa de valores (%) para cada item, ao invés de um valor fixo, mas não 
esqueça que a soma de todos eles deve dar 100%. 
3
Orçamento Executivo 
A próxima fase da orçamentação será baseada nos projetos, e consiste em realizar os 
levantamentos quantitativos dos serviços e insumos que serão necessários. 
Insumos são basicamente os materiais, a mão de obra, e qualquer despesa que possa incorrer 
para a execução do serviço. 
Assim, temos por exemplo o serviço alvenaria, e dentro dele os insumos tijolo, argamassa, 
pedreiro e servente. A argamassa pode ser considerada um serviço auxiliar, e dentro dela estão a 
a areia, o cimento e a cal. 
Deste modo, nosso trabalho fica dividido em duas partes principais: 
1- Levantamento da quantidade de m2 dos serviços, neste caso a alvenaria 
2 – Montagem das tabelas de insumos correspondentes ao serviço, que chamamos de CPUs. 
Composições de Preços Unitários - CPUs 
Vamos considerar agora o caso do assentamento de pisos cerâmicos. 
Para cada metro quadrado de piso, precisaremos também de uma certa quantidade de argamassa 
colante, rejunte e horas de pedreiro ou azulejista, alem de uma certa quantidade a mais do 
próprio piso por conta das perdas nos cortes. 
Nesse caso será útil montamos uma tabela ou planilha com essas quantidades proporcionais, ou 
índices, de modo que quando tivermos a quantidade total de piso já se calcule automaticamente 
as quantidades desses insumos. 
Esse tipo de tabela é chamado de CPU - composição de preços unitários (ou também composição 
de custos). 
Em principio todo software de orçamentos possui a funcionalidade para armazenar CPUs em seu 
banco de dados. 
CPUs – Como saber os Índices? 
Entenda como são calculados esses índices 
Vamos dizer que serão feitos 100m2 de piso cerâmico, sobre base já regularizada. 
O que devemos fazer é anotar tudo o que se for gastando até o termino do serviço. 
Quantos metros de piso, sacos de argamassa, quantos dias de pedreiro e servente etc. 
4
Se por exemplo, forem gastos 21,5 sacos (de 20kg) de argamassa colante, vamos calcular: 
21,5x20 = 430kg 
Dividindo 430 por 100, que é a quantidade de metros, concluiremos que se gasta em média 
4,3kg de argamassa por m2 de piso. 
Este é um tipo de anotação que toda construtora deve fazer para ter seus índices de maneira 
confiável. 
Assim, nas próxima vez em que se for fazer esse serviço, já sabendo quantos quilos de 
argamassa se gasta por m2, então só é necessário multiplicar a quantidade de metros pelo indice 
de 4,3kg/m2. 
O mesmo raciocínio vale para os outros insumos. 
Enquanto ainda não tiver esses dados coletados, você pode usar as tabelas de fontes como por 
exemplo o Sinapi: 
Para acessar a base do Sinapi: 
http://www1.caixa.gov.br/gov/gov_social/municipal/programa_des_urbano/SINAPI/index.asp 
clique em Pesquisa de Insumos e Composições Analíticas. 
Note que a tabela contém o item cimento branco, mas ao invés disso você provavelmente usará 
rejunte flexível. 
Talvez a mão de obra seja por empreitada de m2 e não por hora como consta na tabela, 
Então a dica é sempre analisar as tabelas para ver se condizem com a situação especifica da sua 
obra, e adaptar se necessário. 
Esta é uma tabela similar, da FDE: 
5
Para acessar a base da Fde: 
http://www.fde.sp.gov.br/PagesPublic/InternaFornecedores.aspx?contextmenu=listpre 
Veja que o índice de argamassa é 5kg na tabela da Fde, enquanto na do Sinapi é 4,5kg. Ai fica 
pra você decidir qual vai usar. Mas o tira-teima mesmo vai ser quando você calcular seus próprios 
índices. 
Estimativa de concreto armado 
Vou dar um exemplo de estimativa relativa a estruturas de concreto armado, enquanto ainda não 
se tem os projetos executivos. 
Pode-se fazer uma previsão rápida de volume de concreto total em uma estrutura de concreto 
armado, multiplicando a área de lajes por algo entre 0,17 e 0,2 (consulte seu calculista). Assim, a 
partir apenas da área de lajes, poderemos ter uma ideia também dos pilares e vigas. 
6
E para ter ideia da quantidade de aço (em kg), pode-se multiplicar a quantidade de concreto por 
100. Assim, em 10m3 de concreto se usaria 1.000kg de aço. 
Listas simples 
São listas em que não se necessita utilizar CPUs, pois já são obtidas diretamente dos projetos em 
que tenham sido feitas tabelas de materiais. 
Exemplos: 
1- Estrutura de concreto, com projeto executivo 
Os projetos estruturais de concreto armado já vêm com tabelas de quantidades de aço, divididos 
por bitola, assim como volumes de concreto e áreas de forma para cada pavimento ou etapa. 
Veja as tabelas a seguir: 
Observação: poderá ser possível adquirir menor quantidade de formas, dependendo da 
quantidade de reutilizações. Essa é uma possibilidade que você deverá investigar. 
2 - Alvenaria Estrutural 
Os projetos de alvenaria estrutural também já devem vir com as quantidades de materiais: 
blocos com seus diversos tamanhos e resistências, canaletas, volume de graute, quantidade de 
aço etc. 
7
3 – Instalações Hidráulicas 
Exemplo de lista de instalações hidráulicas: 
8
4 - Instalações Elétricas 
Exemplo de lista de instalações elétricas: 
Importante: Peça que o projetista mande os quantitativos de preferência separados por 
pavimentos, ou pela sequência de execução, pois isso vai facilitar o planejamento das compras. 
Que tal misturar listas simples com cpus? 
As vezes pode ser conveniente utilizar as CPUs e as listas simples combinadas para orçar o 
mesmo serviço. 
Por exemplo: na execução de telhado podemos fazer parte do orçamento em lista (estrutura do 
telhado) e parte em m2 (cobrimento). 
O seu software de orçamentos provavelmente vai exigir que todos os serviços tenham a lista de 
materiais na forma de Cpus. Nesse caso se quiser fazer uma lista simples basta dar o valor 1 para 
a quantidade do serviço. Deste modo, as quantidades dos insumos não serão afetadas. 
Sobre o Cadastro dos Insumos 
Em qualquer sistema de orçamentos é necessário fazer o cadastro dos insumos. 
Um cuidado importante que se deve ter é não cadastrar mais de uma vez o mesmo insumo. 
Às vezes descrições ligeiramente diferentes podem confundir os usuários do sistema. 
Por isso é bom que haja na empresa uma pessoa encarregada de autorizar a inclusão de novos 
insumos, para verificar se ele realmente ainda não existe no banco de dados. 
9
Técnicas práticas de quantificação dos serviços 
Em etapas como instalações hidráulicas e elétricas normalmente vamos depender da chegada dos 
projetos com os quantitativos. Enquanto não se dispuser desses projetos, o melhor é deixar a 
etapa como porcentagem mesmo, a não ser que se tenha experiência para estimar esses valores. 
Na maioria das outras etapas já dá pra fazer o levantamento até mesmo a partir da planta de 
prefeitura. 
A seguir vou falar sobre algumas dessas etapas. 
Revestimentos 
Este é um exemplo de planilha para quantificação de revestimentos de pisos e tetos: 
Revestimentos Areas de pisos Tetos Rodapes Roda-bruta 
ceramico contra- emboço ceramico tetos 
local perimetro piso + m corr h= gesso 
10 
+ pint 0,10 
Internos Dorm 1 17,10 15,06 15,06 15,06 15,06 1,71 
Pav sala/sj 29,20 38,42 38,42 38,42 33,63 2,92 
Terreo hall 3,80 0,90 0,90 0,90 0,90 3,80 3,80 
deposito 6,24 1,78 1,78 1,78 2,67 0,62 
cozinha 14,40 12,92 12,92 12,92 12,92 14,40 
servico 6,45 5,04 5,04 5,04 5,04 6,45 
wc1 9,40 5,40 5,40 5,40 5,40 9,40 
Lavabo 1 6,40 2,47 2,47 2,47 2,47 0,64 6,40 
Lavabo 2 6,20 2,28 2,28 2,28 2,28 0,62 6,20 
garagem 16,07 29,61 29,61 29,61 29,61 1,61 
salao 18,90 21,17 21,17 21,17 21,17 1,89 18,90 
Total Terreo 135,05 135,05 135,05 131,15 13,81 65,55 
Internos Dorm 2 14,40 12,92 12,92 12,92 1,44 
Pav Dorm 3 15,60 15,19 15,19 15,19 1,56 
Superior circ sup 15,28 11,90 7,02 11,90 1,53 
wc2 8,00 3,51 3,60 3,60 8,00 
Total Sup 43,52 38,73 0,00 43,61 4,53 8,00
E este é para os revestimentos de paredes: 
Revestimentos Areas de paredes 
A coluna “área de parede” é o resultado da multiplicação do “perímetro” pela “altura”. 
Seria uma boa prática desenhar para cada pavimento uma planta de levantamento quantitativo. 
Nesta planta faça a anotação do perímetro e da área de cada compartimento, juntamente com a 
especificação dos revestimentos de paredes, pisos e tetos. 
11 
emboço emboço emboço emboço 
local perimetro altura + pint + m corr azulejo grafiato 
+ pint 
Internos Dorm 1 17,10 2,80 47,88 
Pav sala/sj 29,20 2,80 81,76 
Terreo hall 3,80 2,80 10,64 
deposito 6,24 2,80 17,47 
cozinha 14,40 2,80 40,32 
servico 6,45 2,80 18,06 
wc1 9,40 2,80 26,32 
Lavabo 1 6,40 2,80 17,92 
Lavabo 2 6,20 2,80 17,36 
garagem 16,07 2,80 45,00 
salao 18,90 2,80 52,92 
Total Terreo 55,64 200,03 84,70 35,28 
Internos Dorm 2 14,40 2,80 40,32 
Pav Dorm 3 15,60 2,80 43,68 
Superior circ sup 15,28 2,80 42,78 
wc2 8,00 2,80 22,40 
espelhos esc 0,90 2,80 
Total Sup 0,00 126,78 22,40 0,00 
Externos Ext – terreo 66,90 2,95 197,36 
Ext – sup 30,60 2,95 90,27 
Muros 
alven e revest 1 lado 62,75 2,00 125,50 
revest lado de tras 30,00 2,00 60,00
Alvenaria 
Para o levantamento da alvenaria pode-se medir todos os comprimentos das paredes e multiplicar 
pela altura (pé-direito). 
Uma outra técnica que desenvolvi é a seguinte: 
Somar as áreas dos cômodos de cada pavimento e subtrair da 
área externa do pavimento. Assim teremos a área de paredes, 
em planta. 
Em seguida dividir o valor obtido pela espessura das paredes e 
multiplicar pela altura. 
Deste modo, obteremos a área de alvenaria a executar. 
Continuando com o exemplo, teremos: 
Alvenaria terreo sup 
areas externas 148,90 49,91 
areas internas 135,05 43,52 
areas externas menos areas internas 13,85 6,39 
espessura das paredes 0,15 0,15 
comprimento das paredes em planta 92,33 42,60 
altura das paredes 2,80 2,80 
area de paredes 258,53 119,28 
A vantagem é que se pode aproveitar a tabela utilizada no levantamento dos revestimentos e ter 
um resultado muito rápido. 
Se quiser ser exato no levantamento, lembre-se de descontar as áreas de vãos (portas e janelas) 
e pilares e acrescentar perdas (quebras, desperdícios etc). Ha quem prefira não dar nem os 
descontos nem os acréscimos, ficando uns pelos outros. Ai fica a seu critério. 
De qualquer maneira, lembre-se de manter um registro da área cheia, para medição da mão de 
obra. 
Telhados 
Nos telhados, não esqueça de acrescentar os beirais e a porcentagem para a inclinação. 
12
Lista de Insumos e Tabela ABC 
Quando você tiver feito todo o levantamento, o seu sistema deverá ser capaz de calcular a lista 
de insumos totalizados. 
Isso significa por exemplo que você sai saber o total de cimento a ser usado na obra, já somados 
todos os serviços em que ele consta. 
Se a lista estiver em ordem do valor total a ser gasto em cada insumo, do maior para o menor, 
ela terá o nome de tabela ABC, ou curva ABC. 
O termo ABC se refere ao fato de que podemos dividir a lista em 3 categorias: 
A – Alguns poucos insumos que pesam mais no orçamento 
B – Aqueles de valores intermediários 
C – Uma quantidade grande de insumos com pouco peso no custo geral. 
A ideia é concentrar os esforços de planejamento e negociação principalmente na faixa A, e em 
segundo lugar na faixa B. 
Assim como se pode fazer a tabela ABC dos insumos, também se pode fazer a tabela ABC dos 
serviços. 
Conclusão e exemplo prático 
O orçamento é normalmente o primeiro passo no planejamento geral da obra. 
Em seguida se faz o cronograma, que é a distribuição dos serviços e seus gastos correspondentes 
ao longo do tempo. 
Mas isso é assunto para um próximo curso. 
Agora veja o exemplo de um orçamento feito com base em um anteprojeto, portanto ainda sem 
os projetos executivos, mas onde já foi possível prever uma grande quantidade de itens. 
As tabelas de levantamentos de serviços são as mesmas que já apresentei. 
O sistema utilizado foi o Planejax. 
13
14
15
16
ORÇAMENTO - Residência 
Demonstração Area: 198,81 m2 
Grupo / Serviço Qte Un Vlr Unit 
Mat 
Vlr Unit 
M.Obra 
Total 
Mat 
Total 
M.Obra Valor % 
1 Serviços Preliminares 
1.1 projetos e taxas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
1.2 canteiro de obras - 
despesas gerais 1.166,94 0,00 1.166,94 0,00 1.166,94 
Total 1.166,94 0,00 1.166,94 0,5 
2 Movimento de Terra 
2.1 limpeza do terreno 360,00 m2 5,00 0,00 1.800,00 0,00 1.800,00 
2.2 aterro 375,00 m3 10,00 0,00 3.750,00 0,00 3.750,00 
Total 5.550,00 0,00 5.550,00 2,6 
3 Fundações 
3.2 brocas diam 20cm 85,00 m 6,81 0,00 579,00 0,00 579,00 
3.3 muros de arrimo 100,00 m2 106,49 55,00 10.649,50 5.500,00 16.149,50 
Total 11.228,50 5.500,00 16.728,50 7,7 
4 Estruturas 
4.1 concreto armado 7,00 m3 573,59 500,00 4.015,10 3.500,00 7.515,10 
4.3 lajes treliçadas 168,13 m2 62,22 40,00 10.460,81 6.725,20 17.186,01 
Total 14.475,91 10.225,20 24.701,11 11,4 
5 Alvenarias 
5.1 alvenaria estrutural 377,81 m2 39,14 20,00 14.787,04 7.556,20 22.343,24 
5.2 muros e oitão 155,00 m2 25,02 20,00 3.878,09 3.100,00 6.978,09 
Total 18.665,13 10.656,20 29.321,33 13,5 
6 Revestimentos de Paredes e Forros 
6.1 chapisco e emboço 1.172,72 m2 4,57 20,00 5.358,89 23.454,40 28.813,29 
6.2 azulejos 107,49 m2 41,19 20,00 4.427,94 2.149,80 6.577,74 
6.3 moldura de gesso 73,55 m 10,00 0,00 735,50 0,00 735,50 
Total 10.522,33 25.604,20 36.126,53 16,7 
7 Pinturas 
7.1 massa corrida e pintura 
latex acrilico 501,57 m2 4,00 15,00 2.004,73 7.523,55 9.528,28 
7.1 pintura latex acrilico 
sem massa corrida 518,13 m2 3,72 10,00 1.928,48 5.181,30 7.109,78 
17
7.2 verniz 139,49 m2 4,70 10,00 656,27 1.394,90 2.051,17 
7.3 esmalte sintético 14,40 m2 9,39 10,00 135,27 144,00 279,27 
Total 4.724,74 14.243,75 18.968,49 8,8 
8 Pisos 
8.1 contrapiso 135,05 m2 6,87 20,00 928,33 2.701,00 3.629,33 
8.2 regularização de piso 176,30 m2 5,19 20,00 915,01 3.526,00 4.441,01 
8.3 piso ceramico 194,64 m2 25,83 20,00 5.026,97 3.892,80 8.919,77 
8.4 piso porcelanato m2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
8.5 soleiras 1,56 m2 215,10 20,00 335,55 31,20 366,75 
Total 7.205,87 10.151,00 17.356,87 8,0 
9 Coberturas 
9.2 telhado 143,00 m2 63,43 20,00 9.071,06 2.860,00 11.931,06 
9.3 calhas e rufos 30,00 m2 60,00 0,00 1.800,00 0,00 1.800,00 
Total 10.871,06 2.860,00 13.731,06 6,3 
10 Esquadrias e Vidros 
10.1 batentes de madeira 13,00 un 118,48 50,00 1.540,29 650,00 2.190,29 
10.2 portas de madeira 
internas 10,00 un 271,38 100,00 2.713,82 1.000,00 3.713,82 
10.2 portas de madeira 
externas 3,00 un 404,62 100,00 1.213,87 300,00 1.513,87 
10.3 janelas de metal 6.095,85 150,00 6.095,85 150,00 6.245,85 
10.4 vidro comum m2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
10.5 janelas de vidro 
temperado 10,86 350,00 0,00 3.801,00 0,00 3.801,00 
10.6 grades e portões 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
Total 15.364,83 2.100,00 17.464,83 8,1 
11 Instalações Hidraulicas 
11.1 agua fria 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
11.2 agua quente 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
11.3 esgoto e aguas pluvias 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
11.4 louças e metais 
sanitarios 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
11.99 Instalações Hidraulicas - 
estimativa por m2 198,00 m2 108,00 0,00 21.384,00 0,00 21.384,00 
Total 21.384,00 0,00 21.384,00 9,9 
12 Instalações Elétricas 
18
12.1 entrada de energia 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
12.2 conduites e caixinhas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
12.3 disjuntores 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
12.4 fiação vb 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
12.5 tomadas, interruptores e 
luminárias 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 
12.99 Instalações Elétricas - 
estimativa por m2 198,00 m2 72,00 0,00 14.256,00 0,00 14.256,00 
Total 14.256,00 0,00 14.256,00 6,6 
Total geral 135.415,31 81.340,35 216.755,66 
19
COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS – Residência Demonstração 
Serviços / Insumos Indice Un Prço Un Subtotal 
1.2 CANTEIRO DE OBRAS - DESPESAS GERAIS () 
1 CONTAINER 220 X 620CM P/ ESCRITORIO S/ DIVISORIAS 
TIPO CANTEIRO MOD. 1401 OU SIMILAR 3.00000000 MES 388,98 1.166,94 
Total 1.166,94 
2.1 LIMPEZA DO TERRENO (M2) 
1 Limpeza Mecanizada de Terreno Com Remoção do Material 1.00000000 M2 5,00 5,00 
Total 5,00 
2.2 ATERRO (M3) 
1 MATERIAL PARA ATERRO/ REATERRO (BARRO, ARGILA 
OU SAIBRO) - COM TRANSPORTE ATÉ 10 KM 1.00000000 M3 10,00 10,00 
Total 10,00 
3.2 BROCAS DIAM 20CM (M) 
1 ESTACA A TRADO (BROCA) DIAMETRO = 20 CM, EM 
CONCRETO MOLDADO IN LOCO, 1.00000000 M 6,81 6,81 
1.1 CONCRETO FCK=15MPA, PREPARO COM BETONEIRA, 
SEM LANCAMENTO 0.03141590 M3 216,83 6,81 
1.1.1 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 
1.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 
1.1.3 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 
1.1.4 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 
Total 6,81 
3.3 MUROS DE ARRIMO (M2) 
1 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e Lançamento 0.07000000 M3 500,00 35,00 
2 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 
3 
ALVENARIA DE EMBASAMENTO EM TIJOLOS 
CERAMICOS MACICOS 5X10X20CM, ASSENTADOS COM 
ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA) ESP 
20CM INCLUSIVE COLUNAS DE CONCRETO ARMADO A 
CADA 2M, CINTAS E BROCAS DE FUNDAÇÃO 
1.00000000 M2 106,49 106,49 
3.1 TIJOLO CERAMICO MACICO 5 X 10 X 20CM 159.00000000 UN 0,34 54,06 
3.2 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA 
MEDIA NAO PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.05700000 M3 431,02 24,57 
20
3.2.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 
3.2.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA 
ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 
3.2.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 
3.3 CONCRETO ARMADO FCK=15MPA 0.07000000 m3 573,59 40,15 
3.3.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 30.00000000 KG 3,61 108,30 
3.3.2 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 70.00000000 KG 3,39 237,30 
3.3.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 1.80000000 KG 6,20 11,16 
3.3.4 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 
3.3.5 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 
3.3.6 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 
3.3.7 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 
Total 161,49 
4.1 CONCRETO ARMADO (M3) 
1 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e Lançamento 1.00000000 M3 500,00 500,00 
2 CONCRETO ARMADO FCK=15MPA 1.00000000 m3 573,59 573,59 
2.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 30.00000000 KG 3,61 108,30 
2.2 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 70.00000000 KG 3,39 237,30 
2.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 1.80000000 KG 6,20 11,16 
2.4 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 
2.5 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 
2.6 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 
2.7 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 
Total 1.073,59 
4.3 LAJES TRELIçADAS (M2) 
1 Mão de Obra Montagem de Laje Pré C/ Concretagem 1.00000000 M2 40,00 40,00 
2 Laje Piso H12 1.00000000 m2 62,22 62,22 
2.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 1.00000000 KG 3,61 3,61 
2.2 CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK = 20,0 MPA 0.06000000 M3 269,31 16,16 
2.3 LAJE TRELICADA P/ PISO , H=10CM , P/ APOIO SIMPLES , 1.00000000 M2 26,69 26,69 
21
SOBRECARGA DE 200 KG/M2 , VAO LIVRE MAX 5,70M 
2.4 TABUA DE PINUS 1A QUALIDADE 20 X 300CM 1.00000000 UN 10,76 10,76 
2.5 Escoramento Metalico 1.00000000 M2 5,00 5,00 
Total 102,22 
5.1 ALVENARIA ESTRUTURAL (M2) 
1 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 
ALVENARIA EM BLOCO CERAMICO ESTRUTURAL 
14X19X29CM, E=14XM, ASSENTADO COM ARGAMASSA 
TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA). NAO INCLUI 
GROUT E ACO. 
1.00000000 M2 39,14 39,14 
2.1 BLOCO ESTRUTURAL CERAMICO - 14 X 19 X 29 CM - FBK 
> OU = 4,5MPA - NBR 15270 18.00000000 UN 1,99 35,82 
2.2 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA 
MEDIA NAO PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.01540000 M3 431,02 6,64 
2.2.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 
2.2.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA 
ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 
2.2.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 
Total 59,14 
5.2 MUROS E OITãO (M2) 
1 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 Alvenaria Com Coluna A Cada 2m 1.00000000 m2 25,02 25,02 
2.1 ACO CA-25 5/16" (7,94 MM) 0.78000000 KG 3,51 2,74 
2.2 ACO CA-60 - 5,0MM 0.50000000 KG 3,66 1,83 
2.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 0.05000000 KG 6,20 0,31 
2.4 BLOCO CERÂMICO (TIJOLO) FURADO 9 X 19 X 19 CM 0.02500000 MIL 685,00 17,13 
2.5 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA SEM 
PENEIRAR), PREPARO MANUAL 0.01400000 m3 215,51 3,02 
2.5.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 
2.5.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA 
ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 
2.5.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 
Total 45,02 
6.1 CHAPISCO E EMBOçO (M2) 
1 Mão de Obra Chapisco e Emboço 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 CHAPISCO TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA MEDIA), 1.00000000 M2 1,34 1,34 
22
ESPESSURA 0,5CM 
2.1 ARGAMASSA TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA MEDIA 
PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.00500000 M3 267,40 1,34 
2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.29700000 M3 53,00 68,74 
2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 473.00000000 KG 0,42 198,66 
3 
EMBOCO PAULISTA (MASSA UNICA) TRACO 1:2:8 
(CIMENTO, CAL E AREIA MEDIA), ESPESSURA 1,5CM, 
PREPARO MANUAL DA ARGAMASSA 
1.00000000 M2 3,23 3,23 
3.1 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA SEM 
PENEIRAR), PREPARO MANUAL 0.01500000 M3 215,51 3,23 
3.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 
3.1.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA 
ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 
3.1.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 
Total 24,57 
6.2 AZULEJOS (M2) 
1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) 
Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 
REVESTIMENTO CERAMICO (AZULEJO), ASSENTADO 
COM ARGAMASSA PRE-FABRICADA DE CIMENTO 
COLANTE, JUNTAS A PRUMO, INCLUINDO SERVICO DE 
REJUNTAMENTO 
1.00000000 M2 41,19 41,19 
2.1 REVESTIMENTO CERÂMICO ESMALTADO 1.05000000 M2 37,38 39,25 
2.2 ARGAMASSA OU CIMENTO COLANTE EM PO PARA 
FIXACAO DE PECAS CERAMICAS 4.50000000 KG 0,31 1,40 
2.3 Rejunte Flexivel 0.25000000 KG 2,20 0,55 
Total 61,19 
6.3 MOLDURA DE GESSO (M) 
1 Moldura de Gesso 7cm (teto) Instalada 1.00000000 M 10,00 10,00 
Total 10,00 
7.1 MASSA CORRIDA E PINTURA LATEX ACRILICO (M2) 
1 Mão de Obra Pintura Latex C/ Massa Corrida 1.00000000 M2 15,00 15,00 
2 TINTA PVA (LÁTEX) - REBOCO COM MASSA CORRIDA 1.00000000 M2 4,00 4,00 
2.1 TINTA LÁTEX - PVA (1a. LINHA / PREMIUM) 0.25000000 L 8,43 2,11 
2.2 SELADOR ACRÍLICO 0.20000000 L 5,91 1,18 
2.3 MASSA CORRIDA - PVA 0.27000000 L 2,62 0,71 
23
Total 19,00 
7.1 PINTURA LATEX ACRILICO SEM MASSA CORRIDA 
(M2) 
1 Mão de Obra Pintura Latex S/ Massa Corrida 1.00000000 M2 10,00 10,00 
2 TINTA ACRÍLICA - CONCRETO OU REBOCO SEM MASSA 
CORRIDA 1.00000000 M2 3,72 3,72 
2.1 TINTA ACRÍLICA FOSCA 0.25000000 L 10,16 2,54 
2.2 SELADOR ACRÍLICO 0.20000000 L 5,91 1,18 
Total 13,72 
7.2 VERNIZ (M2) 
1 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte Sintetico 1.00000000 M2 10,00 10,00 
2 PINTURA EM VERNIZ POLIURETANO BRILHANTE EM 
MADEIRA, TRES DEMAOS 1.00000000 M2 4,70 4,70 
2.1 LIXA P/ PAREDE OU MADEIRA 1.00000000 UN 0,44 0,44 
2.2 SOLVENTE DILUENTE A BASE DE AGUARRAS 0.05000000 L 7,40 0,37 
2.3 VERNIZ POLIURETANO BRILHANTE INCOLOR 0.07500000 GL 51,93 3,89 
Total 14,70 
7.3 ESMALTE SINTéTICO (M2) 
1 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte Sintetico 1.00000000 M2 10,00 10,00 
2 
PINTURA EM ESMALTE SINTETICO EM PECAS 
METALICAS UTILIZANDO REVOLVER/COMPRESSOR, 
DUAS DEMAOS, INCLUSO UMA DEMAO FUNDO OXIDO 
DE FERRO/ZARCAO 
1.00000000 m2 9,39 9,39 
2.1 TINNER 0.17600000 L 6,95 1,22 
2.2 FUNDO ANTICORROSIVO TIPO ZARCAO OU EQUIV 0.13200000 L 21,02 2,77 
2.3 LIXA P/ FERRO 0.55000000 UN 1,99 1,09 
2.4 TINTA ESMALTE SINTETICO FOSCO 0.17600000 L 24,44 4,30 
Total 19,39 
8.1 CONTRAPISO (M2) 
1 Mão de Obra Contrapiso de Concreto Entre 4 e 6cm C/ 
Apiloamento do Solo 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 CONTRAPISO/LASTRO CONCRETO 1:3:6 S/BETONEIRA 
E=5CM 1.00000000 M2 6,87 6,87 
2.1 CONCRETO NAO ESTRUTURAL, CONSUMO 150KG/M3, 
PREPARO COM BETONEIRA, SEM LANCAMENTO 0.05000000 M3 137,48 6,87 
2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (S/FRETE) 0.49000000 M3 53,00 25,97 
2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 150.00000000 KG 0,42 63,00 
24
2.1.3 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.98000000 M3 49,50 48,51 
Total 26,87 
8.2 REGULARIZAçãO DE PISO (M2) 
1 Mão de Obra Regularização de Piso 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 
REGULARIZACAO DE PISO/BASE EM ARGAMASSA 
TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA), ESPESSURA 2,0CM, 
PREPARO MANUAL 
1.00000000 M2 5,19 5,19 
2.1 ARGAMASSA TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA), PREPARO 
MANUAL 0.02000000 M3 259,51 5,19 
2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (S/FRETE) 1.04500000 M3 53,00 55,39 
2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 486.00000000 KG 0,42 204,12 
Total 25,19 
8.3 PISO CERAMICO (M2) 
1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) 
Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 
PISO CERAMICO PADRAO MEDIO PEI 4 ASSENTADO 
SOBRE ARGAMASSA DE CIMENTO COLANTE 
REJUNTADO COM CIMENTO BRANCO. 
1.00000000 M2 25,83 25,83 
2.1 ARGAMASSA OU CIMENTO COLANTE EM PO PARA 
FIXACAO DE PECAS CERAMICAS 4.50000000 KG 0,31 1,40 
2.2 CERAMICA ESMALTADA EXTRA OU 1A QUALIDADE P/ 
PISO PEI-4 - LINHA PADRAO MEDIO 1.05000000 M2 22,94 24,09 
2.3 CIMENTO BRANCO 0.25000000 KG 1,38 0,35 
Total 45,83 
8.5 SOLEIRAS (M2) 
1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) 
Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 
2 
PISO GRANITO ASSENTADO SOBRE ARGAMASSA 
CIMENTO / CAL / AREIA TRACO 1:0,25:3 INCLUSIVE 
REJUNTE EM CIMENTO 
1.00000000 M2 215,10 215,10 
2.1 CIMENTO BRANCO 0.75000000 KG 1,38 1,04 
2.2 GRANITO CINZA POLIDO PARA PISO E = 2 CM 1.00000000 M2 206,73 206,73 
2.3 ARGAMASSA CIMENTO/CAL/AREIA 1:0,25:3 - PREPARO 
MANUAL 0.02500000 M3 293,26 7,33 
2.3.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21000000 M3 53,00 64,13 
2.3.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA 
ARGAMASSA 61.00000000 KG 0,41 25,01 
25
2.3.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 486.00000000 KG 0,42 204,12 
Total 235,10 
9.2 TELHADO (M2) 
1 MADEIRA 2A QUALIDADE SERRADA NAO APARELHADA 0.01500000 M3 1.351,00 20,27 
2 Mão de Obra Cobertura de Telhas Cerâmicas 1.00000000 M2 20,00 20,00 
3 Cobertura em Telha Tegula, Com Ripas e Caibros ( Sem Tesouras 
e Terças) 1.00000000 m2 43,17 43,17 
3.1 CAIBRO DE PEROBA DO NORTE 5 X 6 CM - BRUTO 
(CUPIÚBA) 2.50000000 M 4,41 11,03 
3.2 RIPA DE PEROBA DO NORTE 1,5 CM X 5 CM - BRUTA 4.00000000 M 1,50 6,00 
3.3 Prego 22x48 0.05000000 KG 7,00 0,35 
3.4 PREGO DE ACO 15 X 15 C/ CABECA 0.05000000 KG 5,48 0,27 
3.5 Telha Tegula 10,4 Pç/m2 11.00000000 UN 2,32 25,52 
Total 83,43 
9.3 CALHAS E RUFOS (M2) 
1 Calhas Ou Rufos C/ Dobra e Instalação 1.00000000 M2 60,00 60,00 
Total 60,00 
10.1 BATENTES DE MADEIRA (UN) 
1 ADUELA/BATENTE 15 X 3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 
2,10M MADEIRA 1.00000000 un 168,48 168,48 
1.1 
ADUELA/BATENTE DUPLO/CAIXAO/GRADE CAIXA 15 X 
3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 2,10M MADEIRA 
IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 
1.00000000 JG 114,43 114,43 
1.2 PARAFUSO ROSCA SOBERBA ACO ZINC CABECA CHATA 
FENDA SIMPLES 7 X 65MM 6.00000000 UN 0,32 1,92 
1.3 Mão de Obra Colocação de Batente Ou Janela 1.00000000 UN 50,00 50,00 
1.4 ARGAMASSA CIMENTO/AREIA 1:4 - PREPARO MANUAL P 0.00980000 M3 217,75 2,13 
1.4.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM 
FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 
1.4.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 365.00000000 KG 0,42 153,30 
Total 168,48 
10.2 PORTAS DE MADEIRA INTERNAS (UN) 
1 
PORTA DE MADEIRA COMPENSADA LISA PARA 
CERA/VERNIZ, 0,60 A 0,90 X2,10M, INCLUSO ALIZAR 
(GUARNIÇÃO), DOBRADICA E FECHADURA INT 
1.00000000 UN 371,38 371,38 
1.1 ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM MADEIRA 
IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 9.80000000 M 5,93 58,11 
1.2 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 3" C/ ANEIS 3.00000000 UN 31,20 93,60 
26
1.3 FECHADURA EMBUTIR TP GORGES (CHAVE GRANDE) 
P/PORTA INTERNA, COMPLETA - LINHA POPULAR 1.00000000 CJ 22,86 22,86 
1.4 PORTA MADEIRA COMPENSADA LISA PARA CERA OU 
VERNIZ 70 X 210 X 3,5 CM 1.00000000 UN 96,00 96,00 
1.5 PREGO DE ACO 10 X 10 0.10000000 KG 8,08 0,81 
1.6 Mão de Obra Colocação de Porta de Madeira C/ Fechadura e 
Guarnições 1.00000000 UN 100,00 100,00 
Total 371,38 
10.2 PORTAS DE MADEIRA EXTERNAS (UN) 
1 
PORTA DE MADEIRA COMPENSADA ALMOFADADA 
PARA CERA/VERNIZ, 0,80 A 0,90 X2,10M, INCLUSO 
ALIZAR (GUARNIÇÃO), DOBRADICA E FECHADURA EXT 
1.00000000 UN 504,62 504,62 
1.1 ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM MADEIRA 
IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 9.80000000 M 5,93 58,11 
1.2 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 3" C/ ANEIS 1.00000000 UN 31,20 31,20 
1.3 FECHADURA EMBUTIR EXTERNA (C/ CILINDRO) 
COMPLETA - ACAB PADRAO MEDIO 1.00000000 CJ 89,14 89,14 
1.4 PORTA MADEIRA SEMI-OCA ALMOFADADA/REGIONAL 
2A / 80 X 210 X 3CM 1.00000000 UN 225,36 225,36 
1.5 PREGO DE ACO 10 X 10 0.10000000 KG 8,08 0,81 
1.6 Mão de Obra Colocação de Porta de Madeira C/ Fechadura e 
Guarnições 1.00000000 UN 100,00 100,00 
Total 504,62 
10.3 JANELAS DE METAL () 
1 Janela Veneziana de Correr Grade Classic 6 Folhas Branco 
Aluminium 1,20x2,00 Ref: 70226170 - Sasazaki 3.00000000 UN 2.031,95 6.095,85 
2 Mão de Obra Colocação de Batente Ou Janela 3.00000000 UN 50,00 150,00 
Total 6.245,85 
10.5 JANELAS DE VIDRO TEMPERADO () 
1 Janela Ou Porta de Vidro Temperado Completa Instalada 1.00000000 M2 350,00 350,00 
Total 350,00 
11.99 INSTALAçõES HIDRAULICAS - ESTIMATIVA POR M2 
(M2) 
1 Construção Padrão Normal 0.09000000 M2 1.200,00 108,00 
Total 108,00 
12.99 INSTALAçõES ELéTRICAS - ESTIMATIVA POR M2 (M2) 
1 Construção Padrão Normal 0.06000000 M2 1.200,00 72,00 
Total 72,00 
27
INSUMOS DA OBRA - Residência Demonstração 
insumo Qte Un 
Preço 
Padrão 
Atual 
Subtotal 
Atual 
Fornecedor 
Padrão Atual 
Data da 
Cotação 
1 ACO CA-25 5/16" (7,94 MM) 120,90 KG 3,51 424,36 SINAPI SP SD 1/4/13 
2 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 588,13 KG 3,61 2.123,15 SINAPI SP SD 1/4/13 
3 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 980,00 KG 3,39 3.322,20 SINAPI SP SD 1/4/13 
4 ACO CA-60 - 5,0MM 77,50 KG 3,66 283,65 SINAPI SP SD 1/4/13 
5 
ADUELA/BATENTE 
DUPLO/CAIXAO/GRADE CAIXA 15 
X 3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 
2,10M MADEIRA 
IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU 
SIMILAR 
13,00 JG 114,43 1.487,59 SINAPI SP SD 1/4/13 
6 
ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM 
MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA 
OU SIMILAR 
127,40 M 5,93 755,48 SINAPI SP SD 1/4/13 
7 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 
1,25MM - 9,60 G/M 32,95 KG 6,20 204,29 SINAPI SP SD 1/4/13 
8 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 15,21 M3 57,00 867,16 SINAPI SP SD 1/4/13 
9 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / 
FORNECEDOR (SEM FRETE) 52,84 M3 53,00 2.800,31 SINAPI SP SD 1/4/13 
10 
ARGAMASSA OU CIMENTO 
COLANTE EM PO PARA FIXACAO 
DE PECAS CERAMICAS 
1.359,59 KG 0,31 421,47 SINAPI SP SD 1/4/13 
11 BLOCO CERÂMICO (TIJOLO) 
FURADO 9 X 19 X 19 CM 3,88 MIL 685,00 2.654,38 SINAPI SP SD 1/4/13 
12 
BLOCO ESTRUTURAL CERAMICO - 
14 X 19 X 29 CM - FBK > OU = 
4,5MPA - NBR 15270 
6.800,58 UN 1,99 13.533,15 SINAPI SP SD 1/4/13 
13 CAIBRO DE PEROBA DO NORTE 5 X 
6 CM - BRUTO (CUPIÚBA) 357,50 M 4,41 1.576,58 PMSP 1/7/12 
14 CAL HIDRATADA, DE 1A. 
QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 5.695,17 KG 0,41 2.335,02 SINAPI SP SD 1/4/13 
15 Calhas Ou Rufos C/ Dobra e Instalação 30,00 M2 60,00 1.800,00 EMPREITEIRO 8/1/14 
16 
CERAMICA ESMALTADA EXTRA 
OU 1A QUALIDADE P/ PISO PEI-4 - 
LINHA PADRAO MEDIO 
204,37 M2 22,94 4.688,29 SINAPI SP SD 1/4/13 
17 CIMENTO BRANCO 49,83 KG 1,38 68,77 SINAPI SP SD 1/4/13 
18 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 
32 16.142,65 KG 0,42 6.779,91 SINAPI SP SD 1/4/13 
28
19 CONCRETO USINADO BOMBEADO 
FCK = 20,0 MPA 10,09 M3 269,31 2.716,75 SINAPI SP SD 1/4/13 
20 Construção Padrão Normal 29,70 M2 1.200,00 35.640,00 EMPREITEIRO 9/1/14 
21 
CONTAINER 220 X 620CM P/ 
ESCRITORIO S/ DIVISORIAS TIPO 
CANTEIRO MOD. 1401 OU SIMILAR 
3,00 MES 388,98 1.166,94 SINAPI SP SD 1/4/13 
22 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 
3" C/ ANEIS 33,00 UN 31,20 1.029,60 SINAPI SP SD 1/4/13 
23 Escoramento Metalico 168,13 M2 5,00 840,65 PINHAL 5/1/14 
24 
FECHADURA EMBUTIR EXTERNA 
(C/ CILINDRO) COMPLETA - ACAB 
PADRAO MEDIO 
3,00 CJ 89,14 267,42 SINAPI SP SD 1/4/13 
25 
FECHADURA EMBUTIR TP GORGES 
(CHAVE GRANDE) P/PORTA 
INTERNA, COMPLETA - LINHA 
POPULAR 
10,00 CJ 22,86 228,60 SINAPI SP SD 1/4/13 
26 FUNDO ANTICORROSIVO TIPO 
ZARCAO OU EQUIV 1,90 L 21,02 39,95 SINAPI SP SD 1/4/13 
27 GRANITO CINZA POLIDO PARA 
PISO E = 2 CM 1,56 M2 206,73 322,50 SINAPI SP SD 1/4/13 
28 Janela Ou Porta de Vidro Temperado 
Completa Instalada 10,86 M2 350,00 3.801,00 EMPREITEIRO 10/1/14 
29 
Janela Veneziana de Correr Grade 
Classic 6 Folhas Branco Aluminium 
1,20x2,00 Ref: 70226170 - Sasazaki 
3,00 UN 2.031,95 6.095,85 C&C 8/1/14 
30 
LAJE TRELICADA P/ PISO , 
H=10CM , P/ APOIO SIMPLES , 
SOBRECARGA DE 200 KG/M2 , VAO 
LIVRE MAXIMO DE 5,70M 
168,13 M2 26,69 4.487,39 SINAPI SP SD 1/4/13 
31 Limpeza Mecanizada de Terreno Com 
Remoção do Material 360,00 M2 5,00 1.800,00 BRAGATTO 8/1/14 
32 LIXA P/ FERRO 7,92 UN 1,99 15,76 SINAPI SP SD 1/4/13 
33 LIXA P/ PAREDE OU MADEIRA 139,49 UN 0,44 61,38 SINAPI SP SD 1/4/13 
34 MADEIRA 2A QUALIDADE 
SERRADA NAO APARELHADA 2,15 M3 1.351,00 2.897,90 SINAPI SP SD 1/4/13 
35 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou 
Revestimentos (azulejos) Ceramicos 303,69 M2 20,00 6.073,80 EMPREITEIRO 10/1/14 
36 Mão de Obra Chapisco e Emboço 1.172,72 M2 20,00 23.454,40 EMPREITEIRO 10/1/14 
37 Mão de Obra Cobertura de Telhas 
Cerâmicas 143,00 M2 20,00 2.860,00 EMPREITEIRO 9/1/14 
38 Mão de Obra Colocação de Batente Ou 
Janela 16,00 UN 50,00 800,00 EMPREITEIRO 10/1/14 
29
39 Mão de Obra Colocação de Porta de 
Madeira C/ Fechadura e Guarnições 13,00 UN 100,00 1.300,00 EMPREITEIRO 10/1/14 
40 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e 
Lançamento 14,00 M3 500,00 7.000,00 EMPREITEIRO 9/1/14 
41 Mão de Obra Contrapiso de Concreto 
Entre 4 e 6cm C/ Apiloamento do Solo 135,05 M2 20,00 2.701,00 EMPREITEIRO 9/1/14 
42 Mão de Obra Execução de Alvenaria 632,81 M2 20,00 12.656,20 EMPREITEIRO 9/1/14 
43 Mão de Obra Montagem de Laje Pré C/ 
Concretagem 168,13 M2 40,00 6.725,20 EMPREITEIRO 9/1/14 
44 Mão de Obra Pintura Latex C/ Massa 
Corrida 501,57 M2 15,00 7.523,55 EMPREITEIRO 9/1/14 
45 Mão de Obra Pintura Latex S/ Massa 
Corrida 518,13 M2 10,00 5.181,30 EMPREITEIRO 9/1/14 
46 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte 
Sintetico 153,89 M2 10,00 1.538,90 EMPREITEIRO 9/1/14 
47 Mão de Obra Regularização de Piso 176,30 M2 20,00 3.526,00 EMPREITEIRO 9/1/14 
48 MASSA CORRIDA - PVA 135,42 L 2,62 354,81 PMSP 1/7/12 
49 
MATERIAL PARA ATERRO/ 
REATERRO (BARRO, ARGILA OU 
SAIBRO) - COM TRANSPORTE ATÉ 
10 KM 
375,00 M3 10,00 3.750,00 BRAGATTO 8/1/14 
50 Moldura de Gesso 7cm (teto) Instalada 73,55 M 10,00 735,50 EMPREITEIRO 10/1/14 
51 
PARAFUSO ROSCA SOBERBA ACO 
ZINC CABECA CHATA FENDA 
SIMPLES 7 X 65MM 
78,00 UN 0,32 24,96 SINAPI SP SD 1/4/13 
52 
PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - 
POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR 
(SEM FRETE) 
3,48 M3 51,25 178,56 SINAPI SP SD 1/4/13 
53 
PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - 
POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR 
(SEM FRETE) 
17,07 M3 49,50 844,95 SINAPI SP SD 1/4/13 
54 
PORTA MADEIRA COMPENSADA 
LISA PARA CERA OU VERNIZ 70 X 
210 X 3,5 CM 
10,00 UN 96,00 960,00 SINAPI SP SD 1/4/13 
55 
PORTA MADEIRA SEMI-OCA 
ALMOFADADA/REGIONAL 2A / 80 X 
210 X 3CM 
3,00 UN 225,36 676,08 SINAPI SP SD 1/4/13 
56 Prego 22x48 7,15 KG 7,00 50,05 JORGE 1/6/13 
57 PREGO DE ACO 10 X 10 1,30 KG 8,08 10,50 SINAPI SP SD 1/4/13 
58 PREGO DE ACO 15 X 15 C/ CABECA 7,15 KG 5,48 39,18 SINAPI SP SD 1/4/13 
59 Rejunte Flexivel 26,87 KG 2,20 59,12 JORGE 6/1/14 
30
60 REVESTIMENTO CERÂMICO 
ESMALTADO 112,86 M2 37,38 4.218,88 PMSP 1/7/12 
61 RIPA DE PEROBA DO NORTE 1,5 CM 
X 5 CM - BRUTA 572,00 M 1,50 858,00 PMSP 1/7/12 
62 SELADOR ACRÍLICO 203,94 L 5,91 1.205,29 PMSP 1/7/12 
63 SOLVENTE DILUENTE A BASE DE 
AGUARRAS 6,97 L 7,40 51,61 SINAPI SP SD 1/4/13 
64 TABUA DE PINUS 1A QUALIDADE 
20 X 300CM 168,13 UN 10,76 1.809,08 SINAPI SP SD 1/4/13 
65 Telha Tegula 10,4 Pç/m2 1.573,00 UN 2,32 3.649,36 JORGE 7/1/14 
66 TIJOLO CERAMICO MACICO 5 X 10 
X 20CM 15.900,00 UN 0,34 5.406,00 SINAPI SP SD 1/4/13 
67 TINNER 2,53 L 6,95 17,61 FDE 1/4/13 
68 TINTA ACRÍLICA FOSCA 129,53 L 10,16 1.316,05 PMSP 1/7/12 
69 TINTA ESMALTE SINTETICO FOSCO 2,53 L 24,44 61,94 SINAPI SP SD 1/4/13 
70 TINTA LÁTEX - PVA (1a. LINHA / 
PREMIUM) 125,39 L 8,43 1.057,06 PMSP 1/7/12 
71 VERNIZ POLIURETANO 
BRILHANTE INCOLOR 10,46 GL 51,93 543,28 SINAPI SP SD 1/4/13 
Total 216.755,66 
31

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Etapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquiteturaEtapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquitetura
Mariana Azevedo
 
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações HidraulicasDimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Guilherme Camargos
 
Locação de obras
Locação de obrasLocação de obras
Locação de obras
Otavio Patricio
 
Aula 02 Planejamento e Controle de Obras
Aula 02 Planejamento e Controle de ObrasAula 02 Planejamento e Controle de Obras
Aula 02 Planejamento e Controle de Obras
Gabriel Do Nascimento Pereira
 
5 sistemas prediais_sanepar
5 sistemas prediais_sanepar5 sistemas prediais_sanepar
5 sistemas prediais_sanepar
Joel Lima Castro Filho
 
Curso orçamento de obras de construção civil módulo i rev
Curso orçamento de obras de construção civil   módulo i revCurso orçamento de obras de construção civil   módulo i rev
Curso orçamento de obras de construção civil módulo i rev
fernanda88650416
 
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de ObrasNoções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
Géssica Bueno
 
Fundamentos de arquitetura
Fundamentos de arquiteturaFundamentos de arquitetura
Fundamentos de arquitetura
Heldio Carneiro
 
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Djair Felix
 
Detalhamento de Telhado
Detalhamento de TelhadoDetalhamento de Telhado
Detalhamento de Telhado
danilosaccomori
 
Corte - Arquitetura
Corte - ArquiteturaCorte - Arquitetura
Corte - Arquitetura
hique314
 
Apostila - desenho técnico
Apostila  -  desenho técnico Apostila  -  desenho técnico
Apostila - desenho técnico
Yasmim Barbosa
 
Inst. agua fria predial hidraulica
Inst. agua fria predial   hidraulicaInst. agua fria predial   hidraulica
Inst. agua fria predial hidraulica
Priscilla Scura
 
Vigas e lajes de concreto armado
Vigas e lajes de concreto armadoVigas e lajes de concreto armado
Vigas e lajes de concreto armado
thiagolf7
 
Aula planta baixa
Aula planta baixaAula planta baixa
Aula planta baixa
Roberto Duran
 
Apostila arquitetura cad
Apostila arquitetura cadApostila arquitetura cad
Apostila arquitetura cad
Ananias Matos Santos
 
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho TécnicoAula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Ellen Assad
 
28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo
Família Schmidt
 
Aula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água fria
Andréa Camara
 
2 luos - taxa de ocupação
2   luos - taxa de ocupação2   luos - taxa de ocupação
2 luos - taxa de ocupação
Campinas Que Queremos
 

Mais procurados (20)

Etapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquiteturaEtapas de um projeto de arquitetura
Etapas de um projeto de arquitetura
 
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações HidraulicasDimensionamento de Tubulações Hidraulicas
Dimensionamento de Tubulações Hidraulicas
 
Locação de obras
Locação de obrasLocação de obras
Locação de obras
 
Aula 02 Planejamento e Controle de Obras
Aula 02 Planejamento e Controle de ObrasAula 02 Planejamento e Controle de Obras
Aula 02 Planejamento e Controle de Obras
 
5 sistemas prediais_sanepar
5 sistemas prediais_sanepar5 sistemas prediais_sanepar
5 sistemas prediais_sanepar
 
Curso orçamento de obras de construção civil módulo i rev
Curso orçamento de obras de construção civil   módulo i revCurso orçamento de obras de construção civil   módulo i rev
Curso orçamento de obras de construção civil módulo i rev
 
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de ObrasNoções de Orçamento e Planejamento de Obras
Noções de Orçamento e Planejamento de Obras
 
Fundamentos de arquitetura
Fundamentos de arquiteturaFundamentos de arquitetura
Fundamentos de arquitetura
 
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
 
Detalhamento de Telhado
Detalhamento de TelhadoDetalhamento de Telhado
Detalhamento de Telhado
 
Corte - Arquitetura
Corte - ArquiteturaCorte - Arquitetura
Corte - Arquitetura
 
Apostila - desenho técnico
Apostila  -  desenho técnico Apostila  -  desenho técnico
Apostila - desenho técnico
 
Inst. agua fria predial hidraulica
Inst. agua fria predial   hidraulicaInst. agua fria predial   hidraulica
Inst. agua fria predial hidraulica
 
Vigas e lajes de concreto armado
Vigas e lajes de concreto armadoVigas e lajes de concreto armado
Vigas e lajes de concreto armado
 
Aula planta baixa
Aula planta baixaAula planta baixa
Aula planta baixa
 
Apostila arquitetura cad
Apostila arquitetura cadApostila arquitetura cad
Apostila arquitetura cad
 
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho TécnicoAula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
 
28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo28 planta baixa e corte- passo a passo
28 planta baixa e corte- passo a passo
 
Aula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água fria
 
2 luos - taxa de ocupação
2   luos - taxa de ocupação2   luos - taxa de ocupação
2 luos - taxa de ocupação
 

Destaque

Monografia - Ariadne_v1
Monografia - Ariadne_v1Monografia - Ariadne_v1
Monografia - Ariadne_v1
Ariadne Mendonça
 
Cae software científico e de engenharia
Cae   software científico e de engenhariaCae   software científico e de engenharia
Cae software científico e de engenharia
Jaime Teixeira
 
Residuos construcao civil alternativas
Residuos construcao civil alternativasResiduos construcao civil alternativas
Residuos construcao civil alternativas
Eymard Breda
 
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho -  Resíduos Sólidos da Construção CivilTrabalho -  Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Tania Barboza
 
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção CivilGerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
licelopes
 
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdiMetodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
jose brasileiro junior
 
Apostila informática
Apostila informáticaApostila informática
Apostila informática
Mateus Conceição
 
Conteudo da biblioteca virtual online escola de software
Conteudo da biblioteca virtual online escola de softwareConteudo da biblioteca virtual online escola de software
Conteudo da biblioteca virtual online escola de software
Escola Hothes
 

Destaque (8)

Monografia - Ariadne_v1
Monografia - Ariadne_v1Monografia - Ariadne_v1
Monografia - Ariadne_v1
 
Cae software científico e de engenharia
Cae   software científico e de engenhariaCae   software científico e de engenharia
Cae software científico e de engenharia
 
Residuos construcao civil alternativas
Residuos construcao civil alternativasResiduos construcao civil alternativas
Residuos construcao civil alternativas
 
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho -  Resíduos Sólidos da Construção CivilTrabalho -  Resíduos Sólidos da Construção Civil
Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil
 
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção CivilGerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
Gerenciamento e Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção Civil
 
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdiMetodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
Metodologia de orcamento_de_obras_novo_conceito_para_o_bdi
 
Apostila informática
Apostila informáticaApostila informática
Apostila informática
 
Conteudo da biblioteca virtual online escola de software
Conteudo da biblioteca virtual online escola de softwareConteudo da biblioteca virtual online escola de software
Conteudo da biblioteca virtual online escola de software
 

Semelhante a Como fazer orcamentos de obras

Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilaçãoComo calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Edmar Rocha
 
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilaçãoComo calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Edmar Rocha
 
Orçamento de obras
Orçamento de obrasOrçamento de obras
Orçamento de obras
Wanderley Martins
 
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânicaWeb Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
Projetos e TI
 
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdfAUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
cesarcarlos20
 
Materiais e sistemas construtivos 01
Materiais e sistemas construtivos 01Materiais e sistemas construtivos 01
Materiais e sistemas construtivos 01
Matheus Adam da Silva
 

Semelhante a Como fazer orcamentos de obras (6)

Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilaçãoComo calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
 
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilaçãoComo calcular o quadro de iluminação e ventilação
Como calcular o quadro de iluminação e ventilação
 
Orçamento de obras
Orçamento de obrasOrçamento de obras
Orçamento de obras
 
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânicaWeb Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
Web Aula: Orçamento de obras civis e montagem eletromecânica
 
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdfAUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
AUBR_22-Aplicacao do REVIT em estudos de Viabilidade-1.pdf
 
Materiais e sistemas construtivos 01
Materiais e sistemas construtivos 01Materiais e sistemas construtivos 01
Materiais e sistemas construtivos 01
 

Como fazer orcamentos de obras

  • 1. Como fazer orçamentos de obras Guia Prático Autor : Adalberto Steinberg dezembro de 2013
  • 2. Sobre o autor Adalberto Steinberg é formado em arquitetura pela FAU–USP (1987), e também é técnico em processamento de dados (1980). Projetou e construiu várias residências e imóveis comerciais e participou do projeto e planejamento de vários edifícios. Tem trabalhado com orçamentos e planejamento de obras para construtoras, tendo atuado em vários empreendimentos, como por exemplo um conjunto habitacional com 464 apartamentos em Osasco-SP (2012). Desenvolveu o Planejax, um software online para gerenciamento de construtoras. Atualmente reside em São Carlos- SP. Apresentação Esta é uma introdução aos principais conceitos de orçamentos de obras, com enfoque especial na aplicação prática e no uso de sistemas informatizados. Destina-se a engenheiros, técnicos, tecnólogos, arquitetos ou qualquer profissional que precise fazer orçamentos e/ou controle de obras Por que fazer orçamentos? Em todo empreendimento se necessita saber seu custo, para responder perguntas como: A verba será suficiente? Vai dar lucro? Compensa usar materiais melhores para tentar vender mais caro? Onde vale mais a pena procurar maneiras de economizar? Além disso, a montagem do orçamento permite que se gere a lista de insumos (materiais e mão de obra) que vão ser utilizados, facilitando a programação de compras e contratos. Fazer o orçamento e planejamento da obra é um esforço que vale a pena. Chega de pedir materiais em cima da hora. Chega de desorganização. No mercado atual não se pode mais tolerar estouros absurdos de custos e prazos. A maioria das “surpresas” que acontecem no decorrer da obra na verdade não deveriam ser surpresas, pois são acontecimentos totalmente previsiveis. Quem não se dispõe a fazer um planejamento prévio com certeza vai ser mais tarde engolido pela correria, acabando por colocar a empresa ou a si mesmo em sério risco. 1
  • 3. Por isso eu o convido a seguir com atenção as próximas páginas, onde vou explicar passo a passo como entrar num novo nivel de qualidade e organização. O orçamentista O orçamentista precisa saber ler e interpretar projetos. Também precisa conhecer o processo de construção, se possível as ferramentas, equipamentos e condições gerais necessários, a produtividade de mão de obra e tudo em geral que possa gerar custo. O responsável pelo setor de orçamentos deve tentar compreender todos os aspectos do empreendimento, porque tudo influencia de uma maneira ou de outra no custo. O que se necessita para fazer orçamentos? É impossível orçar bem sem ter os projetos, e quanto mais detalhados estes forem, melhor tenderá a ser o orçamento. Se alguma coisa não estiver explicita nos projetos e memoriais, o orçamentista deverá “supor” o que será feito, o que convenhamos, não é a situação ideal. Mas contratar a execução de projetos de qualidade é uma decisão dos niveis superiores, e o orçamentista deverá tentar se adaptar de alguma maneira às condições que lhe forem dadas. Outro elemento importante é dispor de um bom sistema informatizado. O sistema é a principal ferramenta de trabalho do orçamentista. Orçamento Preliminar Agora, vamos entrar na parte prática. Em geral, se divide o orçamento em alguns níveis. O primeiro é o do empreendimento como um todo, que engloba itens como: – Terreno – Projetos – Taxas, impostos – Despesas administrativas – Despesas de comercialização (ex: marketing, comissões de vendas) – Despesas financeiras (ex: juros de financiamentos) – Obra Como podemos ver, o orçamento da obra é um sub-item do orçamento geral do empreendimento. Quando se está analisando a viabilidade econômica de realizar um projeto, é possível ter uma 2
  • 4. ideia aproximada de quanto vai custar a obra com base na área de construção, em planta. Por exemplo, se tivermos uma casa de 100 m2, e o custo por m2 for de R$ 1.000,00, basta multiplicar 100x1000, o que dá o total de R$ 100.000,00. Existem várias fontes desse índice de custo/m2. Uma delas é o CUB (Custo Unitário Básico), que é publicado periodicamente pelos Sinduscons (Sindicatos da Indústria da Construção Civil) dos diversos estados. Também existem revistas do setor da construção civil e arquitetura que publicam esses índices. Algumas fornecem valores diferentes de acordo com o padrão da construção, o tipo de uso, a quantidade de pavimentos, o acabamento etc. Orçamento Dividido por etapas - Porcentagens Uma primeira fase para detalhar o orçamento é dividir a obra em etapas (geralmente de 10 a 20). Por exemplo: Despesas iniciais Terraplenagem Fundações Estrutura Alvenarias Revestimentos de paredes e tetos Pinturas Pisos Cobertura Esquadrias Instalações hidráulicas Instalações elétricas A cada uma destas etapas corresponde uma porcentagem do custo total. Essas porcentagens costumam manter um certo padrão. Você sabia que a alvenaria não costuma representar mais do que uns 5 a 10% do custo total de uma obra? Para ter uma ideia da porcentagem de cada etapa, consulte as revistas técnicas da área de construção. Também vale dar uma pesquisada na internet. As vezes é dada uma faixa de valores (%) para cada item, ao invés de um valor fixo, mas não esqueça que a soma de todos eles deve dar 100%. 3
  • 5. Orçamento Executivo A próxima fase da orçamentação será baseada nos projetos, e consiste em realizar os levantamentos quantitativos dos serviços e insumos que serão necessários. Insumos são basicamente os materiais, a mão de obra, e qualquer despesa que possa incorrer para a execução do serviço. Assim, temos por exemplo o serviço alvenaria, e dentro dele os insumos tijolo, argamassa, pedreiro e servente. A argamassa pode ser considerada um serviço auxiliar, e dentro dela estão a a areia, o cimento e a cal. Deste modo, nosso trabalho fica dividido em duas partes principais: 1- Levantamento da quantidade de m2 dos serviços, neste caso a alvenaria 2 – Montagem das tabelas de insumos correspondentes ao serviço, que chamamos de CPUs. Composições de Preços Unitários - CPUs Vamos considerar agora o caso do assentamento de pisos cerâmicos. Para cada metro quadrado de piso, precisaremos também de uma certa quantidade de argamassa colante, rejunte e horas de pedreiro ou azulejista, alem de uma certa quantidade a mais do próprio piso por conta das perdas nos cortes. Nesse caso será útil montamos uma tabela ou planilha com essas quantidades proporcionais, ou índices, de modo que quando tivermos a quantidade total de piso já se calcule automaticamente as quantidades desses insumos. Esse tipo de tabela é chamado de CPU - composição de preços unitários (ou também composição de custos). Em principio todo software de orçamentos possui a funcionalidade para armazenar CPUs em seu banco de dados. CPUs – Como saber os Índices? Entenda como são calculados esses índices Vamos dizer que serão feitos 100m2 de piso cerâmico, sobre base já regularizada. O que devemos fazer é anotar tudo o que se for gastando até o termino do serviço. Quantos metros de piso, sacos de argamassa, quantos dias de pedreiro e servente etc. 4
  • 6. Se por exemplo, forem gastos 21,5 sacos (de 20kg) de argamassa colante, vamos calcular: 21,5x20 = 430kg Dividindo 430 por 100, que é a quantidade de metros, concluiremos que se gasta em média 4,3kg de argamassa por m2 de piso. Este é um tipo de anotação que toda construtora deve fazer para ter seus índices de maneira confiável. Assim, nas próxima vez em que se for fazer esse serviço, já sabendo quantos quilos de argamassa se gasta por m2, então só é necessário multiplicar a quantidade de metros pelo indice de 4,3kg/m2. O mesmo raciocínio vale para os outros insumos. Enquanto ainda não tiver esses dados coletados, você pode usar as tabelas de fontes como por exemplo o Sinapi: Para acessar a base do Sinapi: http://www1.caixa.gov.br/gov/gov_social/municipal/programa_des_urbano/SINAPI/index.asp clique em Pesquisa de Insumos e Composições Analíticas. Note que a tabela contém o item cimento branco, mas ao invés disso você provavelmente usará rejunte flexível. Talvez a mão de obra seja por empreitada de m2 e não por hora como consta na tabela, Então a dica é sempre analisar as tabelas para ver se condizem com a situação especifica da sua obra, e adaptar se necessário. Esta é uma tabela similar, da FDE: 5
  • 7. Para acessar a base da Fde: http://www.fde.sp.gov.br/PagesPublic/InternaFornecedores.aspx?contextmenu=listpre Veja que o índice de argamassa é 5kg na tabela da Fde, enquanto na do Sinapi é 4,5kg. Ai fica pra você decidir qual vai usar. Mas o tira-teima mesmo vai ser quando você calcular seus próprios índices. Estimativa de concreto armado Vou dar um exemplo de estimativa relativa a estruturas de concreto armado, enquanto ainda não se tem os projetos executivos. Pode-se fazer uma previsão rápida de volume de concreto total em uma estrutura de concreto armado, multiplicando a área de lajes por algo entre 0,17 e 0,2 (consulte seu calculista). Assim, a partir apenas da área de lajes, poderemos ter uma ideia também dos pilares e vigas. 6
  • 8. E para ter ideia da quantidade de aço (em kg), pode-se multiplicar a quantidade de concreto por 100. Assim, em 10m3 de concreto se usaria 1.000kg de aço. Listas simples São listas em que não se necessita utilizar CPUs, pois já são obtidas diretamente dos projetos em que tenham sido feitas tabelas de materiais. Exemplos: 1- Estrutura de concreto, com projeto executivo Os projetos estruturais de concreto armado já vêm com tabelas de quantidades de aço, divididos por bitola, assim como volumes de concreto e áreas de forma para cada pavimento ou etapa. Veja as tabelas a seguir: Observação: poderá ser possível adquirir menor quantidade de formas, dependendo da quantidade de reutilizações. Essa é uma possibilidade que você deverá investigar. 2 - Alvenaria Estrutural Os projetos de alvenaria estrutural também já devem vir com as quantidades de materiais: blocos com seus diversos tamanhos e resistências, canaletas, volume de graute, quantidade de aço etc. 7
  • 9. 3 – Instalações Hidráulicas Exemplo de lista de instalações hidráulicas: 8
  • 10. 4 - Instalações Elétricas Exemplo de lista de instalações elétricas: Importante: Peça que o projetista mande os quantitativos de preferência separados por pavimentos, ou pela sequência de execução, pois isso vai facilitar o planejamento das compras. Que tal misturar listas simples com cpus? As vezes pode ser conveniente utilizar as CPUs e as listas simples combinadas para orçar o mesmo serviço. Por exemplo: na execução de telhado podemos fazer parte do orçamento em lista (estrutura do telhado) e parte em m2 (cobrimento). O seu software de orçamentos provavelmente vai exigir que todos os serviços tenham a lista de materiais na forma de Cpus. Nesse caso se quiser fazer uma lista simples basta dar o valor 1 para a quantidade do serviço. Deste modo, as quantidades dos insumos não serão afetadas. Sobre o Cadastro dos Insumos Em qualquer sistema de orçamentos é necessário fazer o cadastro dos insumos. Um cuidado importante que se deve ter é não cadastrar mais de uma vez o mesmo insumo. Às vezes descrições ligeiramente diferentes podem confundir os usuários do sistema. Por isso é bom que haja na empresa uma pessoa encarregada de autorizar a inclusão de novos insumos, para verificar se ele realmente ainda não existe no banco de dados. 9
  • 11. Técnicas práticas de quantificação dos serviços Em etapas como instalações hidráulicas e elétricas normalmente vamos depender da chegada dos projetos com os quantitativos. Enquanto não se dispuser desses projetos, o melhor é deixar a etapa como porcentagem mesmo, a não ser que se tenha experiência para estimar esses valores. Na maioria das outras etapas já dá pra fazer o levantamento até mesmo a partir da planta de prefeitura. A seguir vou falar sobre algumas dessas etapas. Revestimentos Este é um exemplo de planilha para quantificação de revestimentos de pisos e tetos: Revestimentos Areas de pisos Tetos Rodapes Roda-bruta ceramico contra- emboço ceramico tetos local perimetro piso + m corr h= gesso 10 + pint 0,10 Internos Dorm 1 17,10 15,06 15,06 15,06 15,06 1,71 Pav sala/sj 29,20 38,42 38,42 38,42 33,63 2,92 Terreo hall 3,80 0,90 0,90 0,90 0,90 3,80 3,80 deposito 6,24 1,78 1,78 1,78 2,67 0,62 cozinha 14,40 12,92 12,92 12,92 12,92 14,40 servico 6,45 5,04 5,04 5,04 5,04 6,45 wc1 9,40 5,40 5,40 5,40 5,40 9,40 Lavabo 1 6,40 2,47 2,47 2,47 2,47 0,64 6,40 Lavabo 2 6,20 2,28 2,28 2,28 2,28 0,62 6,20 garagem 16,07 29,61 29,61 29,61 29,61 1,61 salao 18,90 21,17 21,17 21,17 21,17 1,89 18,90 Total Terreo 135,05 135,05 135,05 131,15 13,81 65,55 Internos Dorm 2 14,40 12,92 12,92 12,92 1,44 Pav Dorm 3 15,60 15,19 15,19 15,19 1,56 Superior circ sup 15,28 11,90 7,02 11,90 1,53 wc2 8,00 3,51 3,60 3,60 8,00 Total Sup 43,52 38,73 0,00 43,61 4,53 8,00
  • 12. E este é para os revestimentos de paredes: Revestimentos Areas de paredes A coluna “área de parede” é o resultado da multiplicação do “perímetro” pela “altura”. Seria uma boa prática desenhar para cada pavimento uma planta de levantamento quantitativo. Nesta planta faça a anotação do perímetro e da área de cada compartimento, juntamente com a especificação dos revestimentos de paredes, pisos e tetos. 11 emboço emboço emboço emboço local perimetro altura + pint + m corr azulejo grafiato + pint Internos Dorm 1 17,10 2,80 47,88 Pav sala/sj 29,20 2,80 81,76 Terreo hall 3,80 2,80 10,64 deposito 6,24 2,80 17,47 cozinha 14,40 2,80 40,32 servico 6,45 2,80 18,06 wc1 9,40 2,80 26,32 Lavabo 1 6,40 2,80 17,92 Lavabo 2 6,20 2,80 17,36 garagem 16,07 2,80 45,00 salao 18,90 2,80 52,92 Total Terreo 55,64 200,03 84,70 35,28 Internos Dorm 2 14,40 2,80 40,32 Pav Dorm 3 15,60 2,80 43,68 Superior circ sup 15,28 2,80 42,78 wc2 8,00 2,80 22,40 espelhos esc 0,90 2,80 Total Sup 0,00 126,78 22,40 0,00 Externos Ext – terreo 66,90 2,95 197,36 Ext – sup 30,60 2,95 90,27 Muros alven e revest 1 lado 62,75 2,00 125,50 revest lado de tras 30,00 2,00 60,00
  • 13. Alvenaria Para o levantamento da alvenaria pode-se medir todos os comprimentos das paredes e multiplicar pela altura (pé-direito). Uma outra técnica que desenvolvi é a seguinte: Somar as áreas dos cômodos de cada pavimento e subtrair da área externa do pavimento. Assim teremos a área de paredes, em planta. Em seguida dividir o valor obtido pela espessura das paredes e multiplicar pela altura. Deste modo, obteremos a área de alvenaria a executar. Continuando com o exemplo, teremos: Alvenaria terreo sup areas externas 148,90 49,91 areas internas 135,05 43,52 areas externas menos areas internas 13,85 6,39 espessura das paredes 0,15 0,15 comprimento das paredes em planta 92,33 42,60 altura das paredes 2,80 2,80 area de paredes 258,53 119,28 A vantagem é que se pode aproveitar a tabela utilizada no levantamento dos revestimentos e ter um resultado muito rápido. Se quiser ser exato no levantamento, lembre-se de descontar as áreas de vãos (portas e janelas) e pilares e acrescentar perdas (quebras, desperdícios etc). Ha quem prefira não dar nem os descontos nem os acréscimos, ficando uns pelos outros. Ai fica a seu critério. De qualquer maneira, lembre-se de manter um registro da área cheia, para medição da mão de obra. Telhados Nos telhados, não esqueça de acrescentar os beirais e a porcentagem para a inclinação. 12
  • 14. Lista de Insumos e Tabela ABC Quando você tiver feito todo o levantamento, o seu sistema deverá ser capaz de calcular a lista de insumos totalizados. Isso significa por exemplo que você sai saber o total de cimento a ser usado na obra, já somados todos os serviços em que ele consta. Se a lista estiver em ordem do valor total a ser gasto em cada insumo, do maior para o menor, ela terá o nome de tabela ABC, ou curva ABC. O termo ABC se refere ao fato de que podemos dividir a lista em 3 categorias: A – Alguns poucos insumos que pesam mais no orçamento B – Aqueles de valores intermediários C – Uma quantidade grande de insumos com pouco peso no custo geral. A ideia é concentrar os esforços de planejamento e negociação principalmente na faixa A, e em segundo lugar na faixa B. Assim como se pode fazer a tabela ABC dos insumos, também se pode fazer a tabela ABC dos serviços. Conclusão e exemplo prático O orçamento é normalmente o primeiro passo no planejamento geral da obra. Em seguida se faz o cronograma, que é a distribuição dos serviços e seus gastos correspondentes ao longo do tempo. Mas isso é assunto para um próximo curso. Agora veja o exemplo de um orçamento feito com base em um anteprojeto, portanto ainda sem os projetos executivos, mas onde já foi possível prever uma grande quantidade de itens. As tabelas de levantamentos de serviços são as mesmas que já apresentei. O sistema utilizado foi o Planejax. 13
  • 15. 14
  • 16. 15
  • 17. 16
  • 18. ORÇAMENTO - Residência Demonstração Area: 198,81 m2 Grupo / Serviço Qte Un Vlr Unit Mat Vlr Unit M.Obra Total Mat Total M.Obra Valor % 1 Serviços Preliminares 1.1 projetos e taxas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1.2 canteiro de obras - despesas gerais 1.166,94 0,00 1.166,94 0,00 1.166,94 Total 1.166,94 0,00 1.166,94 0,5 2 Movimento de Terra 2.1 limpeza do terreno 360,00 m2 5,00 0,00 1.800,00 0,00 1.800,00 2.2 aterro 375,00 m3 10,00 0,00 3.750,00 0,00 3.750,00 Total 5.550,00 0,00 5.550,00 2,6 3 Fundações 3.2 brocas diam 20cm 85,00 m 6,81 0,00 579,00 0,00 579,00 3.3 muros de arrimo 100,00 m2 106,49 55,00 10.649,50 5.500,00 16.149,50 Total 11.228,50 5.500,00 16.728,50 7,7 4 Estruturas 4.1 concreto armado 7,00 m3 573,59 500,00 4.015,10 3.500,00 7.515,10 4.3 lajes treliçadas 168,13 m2 62,22 40,00 10.460,81 6.725,20 17.186,01 Total 14.475,91 10.225,20 24.701,11 11,4 5 Alvenarias 5.1 alvenaria estrutural 377,81 m2 39,14 20,00 14.787,04 7.556,20 22.343,24 5.2 muros e oitão 155,00 m2 25,02 20,00 3.878,09 3.100,00 6.978,09 Total 18.665,13 10.656,20 29.321,33 13,5 6 Revestimentos de Paredes e Forros 6.1 chapisco e emboço 1.172,72 m2 4,57 20,00 5.358,89 23.454,40 28.813,29 6.2 azulejos 107,49 m2 41,19 20,00 4.427,94 2.149,80 6.577,74 6.3 moldura de gesso 73,55 m 10,00 0,00 735,50 0,00 735,50 Total 10.522,33 25.604,20 36.126,53 16,7 7 Pinturas 7.1 massa corrida e pintura latex acrilico 501,57 m2 4,00 15,00 2.004,73 7.523,55 9.528,28 7.1 pintura latex acrilico sem massa corrida 518,13 m2 3,72 10,00 1.928,48 5.181,30 7.109,78 17
  • 19. 7.2 verniz 139,49 m2 4,70 10,00 656,27 1.394,90 2.051,17 7.3 esmalte sintético 14,40 m2 9,39 10,00 135,27 144,00 279,27 Total 4.724,74 14.243,75 18.968,49 8,8 8 Pisos 8.1 contrapiso 135,05 m2 6,87 20,00 928,33 2.701,00 3.629,33 8.2 regularização de piso 176,30 m2 5,19 20,00 915,01 3.526,00 4.441,01 8.3 piso ceramico 194,64 m2 25,83 20,00 5.026,97 3.892,80 8.919,77 8.4 piso porcelanato m2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 8.5 soleiras 1,56 m2 215,10 20,00 335,55 31,20 366,75 Total 7.205,87 10.151,00 17.356,87 8,0 9 Coberturas 9.2 telhado 143,00 m2 63,43 20,00 9.071,06 2.860,00 11.931,06 9.3 calhas e rufos 30,00 m2 60,00 0,00 1.800,00 0,00 1.800,00 Total 10.871,06 2.860,00 13.731,06 6,3 10 Esquadrias e Vidros 10.1 batentes de madeira 13,00 un 118,48 50,00 1.540,29 650,00 2.190,29 10.2 portas de madeira internas 10,00 un 271,38 100,00 2.713,82 1.000,00 3.713,82 10.2 portas de madeira externas 3,00 un 404,62 100,00 1.213,87 300,00 1.513,87 10.3 janelas de metal 6.095,85 150,00 6.095,85 150,00 6.245,85 10.4 vidro comum m2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 10.5 janelas de vidro temperado 10,86 350,00 0,00 3.801,00 0,00 3.801,00 10.6 grades e portões 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Total 15.364,83 2.100,00 17.464,83 8,1 11 Instalações Hidraulicas 11.1 agua fria 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 11.2 agua quente 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 11.3 esgoto e aguas pluvias 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 11.4 louças e metais sanitarios 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 11.99 Instalações Hidraulicas - estimativa por m2 198,00 m2 108,00 0,00 21.384,00 0,00 21.384,00 Total 21.384,00 0,00 21.384,00 9,9 12 Instalações Elétricas 18
  • 20. 12.1 entrada de energia 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 12.2 conduites e caixinhas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 12.3 disjuntores 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 12.4 fiação vb 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 12.5 tomadas, interruptores e luminárias 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 12.99 Instalações Elétricas - estimativa por m2 198,00 m2 72,00 0,00 14.256,00 0,00 14.256,00 Total 14.256,00 0,00 14.256,00 6,6 Total geral 135.415,31 81.340,35 216.755,66 19
  • 21. COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS – Residência Demonstração Serviços / Insumos Indice Un Prço Un Subtotal 1.2 CANTEIRO DE OBRAS - DESPESAS GERAIS () 1 CONTAINER 220 X 620CM P/ ESCRITORIO S/ DIVISORIAS TIPO CANTEIRO MOD. 1401 OU SIMILAR 3.00000000 MES 388,98 1.166,94 Total 1.166,94 2.1 LIMPEZA DO TERRENO (M2) 1 Limpeza Mecanizada de Terreno Com Remoção do Material 1.00000000 M2 5,00 5,00 Total 5,00 2.2 ATERRO (M3) 1 MATERIAL PARA ATERRO/ REATERRO (BARRO, ARGILA OU SAIBRO) - COM TRANSPORTE ATÉ 10 KM 1.00000000 M3 10,00 10,00 Total 10,00 3.2 BROCAS DIAM 20CM (M) 1 ESTACA A TRADO (BROCA) DIAMETRO = 20 CM, EM CONCRETO MOLDADO IN LOCO, 1.00000000 M 6,81 6,81 1.1 CONCRETO FCK=15MPA, PREPARO COM BETONEIRA, SEM LANCAMENTO 0.03141590 M3 216,83 6,81 1.1.1 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 1.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 1.1.3 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 1.1.4 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 Total 6,81 3.3 MUROS DE ARRIMO (M2) 1 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e Lançamento 0.07000000 M3 500,00 35,00 2 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 3 ALVENARIA DE EMBASAMENTO EM TIJOLOS CERAMICOS MACICOS 5X10X20CM, ASSENTADOS COM ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA) ESP 20CM INCLUSIVE COLUNAS DE CONCRETO ARMADO A CADA 2M, CINTAS E BROCAS DE FUNDAÇÃO 1.00000000 M2 106,49 106,49 3.1 TIJOLO CERAMICO MACICO 5 X 10 X 20CM 159.00000000 UN 0,34 54,06 3.2 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA MEDIA NAO PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.05700000 M3 431,02 24,57 20
  • 22. 3.2.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 3.2.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 3.2.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 3.3 CONCRETO ARMADO FCK=15MPA 0.07000000 m3 573,59 40,15 3.3.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 30.00000000 KG 3,61 108,30 3.3.2 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 70.00000000 KG 3,39 237,30 3.3.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 1.80000000 KG 6,20 11,16 3.3.4 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 3.3.5 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 3.3.6 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 3.3.7 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 Total 161,49 4.1 CONCRETO ARMADO (M3) 1 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e Lançamento 1.00000000 M3 500,00 500,00 2 CONCRETO ARMADO FCK=15MPA 1.00000000 m3 573,59 573,59 2.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 30.00000000 KG 3,61 108,30 2.2 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 70.00000000 KG 3,39 237,30 2.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 1.80000000 KG 6,20 11,16 2.4 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.91260000 M3 57,00 52,02 2.5 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 293.00000000 KG 0,42 123,06 2.6 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.20900000 M3 51,25 10,71 2.7 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.62700000 M3 49,50 31,04 Total 1.073,59 4.3 LAJES TRELIçADAS (M2) 1 Mão de Obra Montagem de Laje Pré C/ Concretagem 1.00000000 M2 40,00 40,00 2 Laje Piso H12 1.00000000 m2 62,22 62,22 2.1 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 1.00000000 KG 3,61 3,61 2.2 CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK = 20,0 MPA 0.06000000 M3 269,31 16,16 2.3 LAJE TRELICADA P/ PISO , H=10CM , P/ APOIO SIMPLES , 1.00000000 M2 26,69 26,69 21
  • 23. SOBRECARGA DE 200 KG/M2 , VAO LIVRE MAX 5,70M 2.4 TABUA DE PINUS 1A QUALIDADE 20 X 300CM 1.00000000 UN 10,76 10,76 2.5 Escoramento Metalico 1.00000000 M2 5,00 5,00 Total 102,22 5.1 ALVENARIA ESTRUTURAL (M2) 1 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 ALVENARIA EM BLOCO CERAMICO ESTRUTURAL 14X19X29CM, E=14XM, ASSENTADO COM ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA). NAO INCLUI GROUT E ACO. 1.00000000 M2 39,14 39,14 2.1 BLOCO ESTRUTURAL CERAMICO - 14 X 19 X 29 CM - FBK > OU = 4,5MPA - NBR 15270 18.00000000 UN 1,99 35,82 2.2 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA MEDIA NAO PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.01540000 M3 431,02 6,64 2.2.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 2.2.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 2.2.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 Total 59,14 5.2 MUROS E OITãO (M2) 1 Mão de Obra Execução de Alvenaria 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 Alvenaria Com Coluna A Cada 2m 1.00000000 m2 25,02 25,02 2.1 ACO CA-25 5/16" (7,94 MM) 0.78000000 KG 3,51 2,74 2.2 ACO CA-60 - 5,0MM 0.50000000 KG 3,66 1,83 2.3 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 0.05000000 KG 6,20 0,31 2.4 BLOCO CERÂMICO (TIJOLO) FURADO 9 X 19 X 19 CM 0.02500000 MIL 685,00 17,13 2.5 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA SEM PENEIRAR), PREPARO MANUAL 0.01400000 m3 215,51 3,02 2.5.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 2.5.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 2.5.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 Total 45,02 6.1 CHAPISCO E EMBOçO (M2) 1 Mão de Obra Chapisco e Emboço 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 CHAPISCO TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA MEDIA), 1.00000000 M2 1,34 1,34 22
  • 24. ESPESSURA 0,5CM 2.1 ARGAMASSA TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA MEDIA PENEIRADA), PREPARO MECANICO 0.00500000 M3 267,40 1,34 2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.29700000 M3 53,00 68,74 2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 473.00000000 KG 0,42 198,66 3 EMBOCO PAULISTA (MASSA UNICA) TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA MEDIA), ESPESSURA 1,5CM, PREPARO MANUAL DA ARGAMASSA 1.00000000 M2 3,23 3,23 3.1 ARGAMASSA TRACO 1:2:8 (CIMENTO, CAL E AREIA SEM PENEIRAR), PREPARO MANUAL 0.01500000 M3 215,51 3,23 3.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 3.1.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 182.00000000 KG 0,41 74,62 3.1.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 182.00000000 KG 0,42 76,44 Total 24,57 6.2 AZULEJOS (M2) 1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 REVESTIMENTO CERAMICO (AZULEJO), ASSENTADO COM ARGAMASSA PRE-FABRICADA DE CIMENTO COLANTE, JUNTAS A PRUMO, INCLUINDO SERVICO DE REJUNTAMENTO 1.00000000 M2 41,19 41,19 2.1 REVESTIMENTO CERÂMICO ESMALTADO 1.05000000 M2 37,38 39,25 2.2 ARGAMASSA OU CIMENTO COLANTE EM PO PARA FIXACAO DE PECAS CERAMICAS 4.50000000 KG 0,31 1,40 2.3 Rejunte Flexivel 0.25000000 KG 2,20 0,55 Total 61,19 6.3 MOLDURA DE GESSO (M) 1 Moldura de Gesso 7cm (teto) Instalada 1.00000000 M 10,00 10,00 Total 10,00 7.1 MASSA CORRIDA E PINTURA LATEX ACRILICO (M2) 1 Mão de Obra Pintura Latex C/ Massa Corrida 1.00000000 M2 15,00 15,00 2 TINTA PVA (LÁTEX) - REBOCO COM MASSA CORRIDA 1.00000000 M2 4,00 4,00 2.1 TINTA LÁTEX - PVA (1a. LINHA / PREMIUM) 0.25000000 L 8,43 2,11 2.2 SELADOR ACRÍLICO 0.20000000 L 5,91 1,18 2.3 MASSA CORRIDA - PVA 0.27000000 L 2,62 0,71 23
  • 25. Total 19,00 7.1 PINTURA LATEX ACRILICO SEM MASSA CORRIDA (M2) 1 Mão de Obra Pintura Latex S/ Massa Corrida 1.00000000 M2 10,00 10,00 2 TINTA ACRÍLICA - CONCRETO OU REBOCO SEM MASSA CORRIDA 1.00000000 M2 3,72 3,72 2.1 TINTA ACRÍLICA FOSCA 0.25000000 L 10,16 2,54 2.2 SELADOR ACRÍLICO 0.20000000 L 5,91 1,18 Total 13,72 7.2 VERNIZ (M2) 1 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte Sintetico 1.00000000 M2 10,00 10,00 2 PINTURA EM VERNIZ POLIURETANO BRILHANTE EM MADEIRA, TRES DEMAOS 1.00000000 M2 4,70 4,70 2.1 LIXA P/ PAREDE OU MADEIRA 1.00000000 UN 0,44 0,44 2.2 SOLVENTE DILUENTE A BASE DE AGUARRAS 0.05000000 L 7,40 0,37 2.3 VERNIZ POLIURETANO BRILHANTE INCOLOR 0.07500000 GL 51,93 3,89 Total 14,70 7.3 ESMALTE SINTéTICO (M2) 1 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte Sintetico 1.00000000 M2 10,00 10,00 2 PINTURA EM ESMALTE SINTETICO EM PECAS METALICAS UTILIZANDO REVOLVER/COMPRESSOR, DUAS DEMAOS, INCLUSO UMA DEMAO FUNDO OXIDO DE FERRO/ZARCAO 1.00000000 m2 9,39 9,39 2.1 TINNER 0.17600000 L 6,95 1,22 2.2 FUNDO ANTICORROSIVO TIPO ZARCAO OU EQUIV 0.13200000 L 21,02 2,77 2.3 LIXA P/ FERRO 0.55000000 UN 1,99 1,09 2.4 TINTA ESMALTE SINTETICO FOSCO 0.17600000 L 24,44 4,30 Total 19,39 8.1 CONTRAPISO (M2) 1 Mão de Obra Contrapiso de Concreto Entre 4 e 6cm C/ Apiloamento do Solo 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 CONTRAPISO/LASTRO CONCRETO 1:3:6 S/BETONEIRA E=5CM 1.00000000 M2 6,87 6,87 2.1 CONCRETO NAO ESTRUTURAL, CONSUMO 150KG/M3, PREPARO COM BETONEIRA, SEM LANCAMENTO 0.05000000 M3 137,48 6,87 2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (S/FRETE) 0.49000000 M3 53,00 25,97 2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 150.00000000 KG 0,42 63,00 24
  • 26. 2.1.3 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 0.98000000 M3 49,50 48,51 Total 26,87 8.2 REGULARIZAçãO DE PISO (M2) 1 Mão de Obra Regularização de Piso 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 REGULARIZACAO DE PISO/BASE EM ARGAMASSA TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA), ESPESSURA 2,0CM, PREPARO MANUAL 1.00000000 M2 5,19 5,19 2.1 ARGAMASSA TRACO 1:3 (CIMENTO E AREIA), PREPARO MANUAL 0.02000000 M3 259,51 5,19 2.1.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (S/FRETE) 1.04500000 M3 53,00 55,39 2.1.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 486.00000000 KG 0,42 204,12 Total 25,19 8.3 PISO CERAMICO (M2) 1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 PISO CERAMICO PADRAO MEDIO PEI 4 ASSENTADO SOBRE ARGAMASSA DE CIMENTO COLANTE REJUNTADO COM CIMENTO BRANCO. 1.00000000 M2 25,83 25,83 2.1 ARGAMASSA OU CIMENTO COLANTE EM PO PARA FIXACAO DE PECAS CERAMICAS 4.50000000 KG 0,31 1,40 2.2 CERAMICA ESMALTADA EXTRA OU 1A QUALIDADE P/ PISO PEI-4 - LINHA PADRAO MEDIO 1.05000000 M2 22,94 24,09 2.3 CIMENTO BRANCO 0.25000000 KG 1,38 0,35 Total 45,83 8.5 SOLEIRAS (M2) 1 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) Ceramicos 1.00000000 M2 20,00 20,00 2 PISO GRANITO ASSENTADO SOBRE ARGAMASSA CIMENTO / CAL / AREIA TRACO 1:0,25:3 INCLUSIVE REJUNTE EM CIMENTO 1.00000000 M2 215,10 215,10 2.1 CIMENTO BRANCO 0.75000000 KG 1,38 1,04 2.2 GRANITO CINZA POLIDO PARA PISO E = 2 CM 1.00000000 M2 206,73 206,73 2.3 ARGAMASSA CIMENTO/CAL/AREIA 1:0,25:3 - PREPARO MANUAL 0.02500000 M3 293,26 7,33 2.3.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21000000 M3 53,00 64,13 2.3.2 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 61.00000000 KG 0,41 25,01 25
  • 27. 2.3.3 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 486.00000000 KG 0,42 204,12 Total 235,10 9.2 TELHADO (M2) 1 MADEIRA 2A QUALIDADE SERRADA NAO APARELHADA 0.01500000 M3 1.351,00 20,27 2 Mão de Obra Cobertura de Telhas Cerâmicas 1.00000000 M2 20,00 20,00 3 Cobertura em Telha Tegula, Com Ripas e Caibros ( Sem Tesouras e Terças) 1.00000000 m2 43,17 43,17 3.1 CAIBRO DE PEROBA DO NORTE 5 X 6 CM - BRUTO (CUPIÚBA) 2.50000000 M 4,41 11,03 3.2 RIPA DE PEROBA DO NORTE 1,5 CM X 5 CM - BRUTA 4.00000000 M 1,50 6,00 3.3 Prego 22x48 0.05000000 KG 7,00 0,35 3.4 PREGO DE ACO 15 X 15 C/ CABECA 0.05000000 KG 5,48 0,27 3.5 Telha Tegula 10,4 Pç/m2 11.00000000 UN 2,32 25,52 Total 83,43 9.3 CALHAS E RUFOS (M2) 1 Calhas Ou Rufos C/ Dobra e Instalação 1.00000000 M2 60,00 60,00 Total 60,00 10.1 BATENTES DE MADEIRA (UN) 1 ADUELA/BATENTE 15 X 3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 2,10M MADEIRA 1.00000000 un 168,48 168,48 1.1 ADUELA/BATENTE DUPLO/CAIXAO/GRADE CAIXA 15 X 3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 2,10M MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 1.00000000 JG 114,43 114,43 1.2 PARAFUSO ROSCA SOBERBA ACO ZINC CABECA CHATA FENDA SIMPLES 7 X 65MM 6.00000000 UN 0,32 1,92 1.3 Mão de Obra Colocação de Batente Ou Janela 1.00000000 UN 50,00 50,00 1.4 ARGAMASSA CIMENTO/AREIA 1:4 - PREPARO MANUAL P 0.00980000 M3 217,75 2,13 1.4.1 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 1.21600000 M3 53,00 64,45 1.4.2 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 365.00000000 KG 0,42 153,30 Total 168,48 10.2 PORTAS DE MADEIRA INTERNAS (UN) 1 PORTA DE MADEIRA COMPENSADA LISA PARA CERA/VERNIZ, 0,60 A 0,90 X2,10M, INCLUSO ALIZAR (GUARNIÇÃO), DOBRADICA E FECHADURA INT 1.00000000 UN 371,38 371,38 1.1 ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 9.80000000 M 5,93 58,11 1.2 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 3" C/ ANEIS 3.00000000 UN 31,20 93,60 26
  • 28. 1.3 FECHADURA EMBUTIR TP GORGES (CHAVE GRANDE) P/PORTA INTERNA, COMPLETA - LINHA POPULAR 1.00000000 CJ 22,86 22,86 1.4 PORTA MADEIRA COMPENSADA LISA PARA CERA OU VERNIZ 70 X 210 X 3,5 CM 1.00000000 UN 96,00 96,00 1.5 PREGO DE ACO 10 X 10 0.10000000 KG 8,08 0,81 1.6 Mão de Obra Colocação de Porta de Madeira C/ Fechadura e Guarnições 1.00000000 UN 100,00 100,00 Total 371,38 10.2 PORTAS DE MADEIRA EXTERNAS (UN) 1 PORTA DE MADEIRA COMPENSADA ALMOFADADA PARA CERA/VERNIZ, 0,80 A 0,90 X2,10M, INCLUSO ALIZAR (GUARNIÇÃO), DOBRADICA E FECHADURA EXT 1.00000000 UN 504,62 504,62 1.1 ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 9.80000000 M 5,93 58,11 1.2 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 3" C/ ANEIS 1.00000000 UN 31,20 31,20 1.3 FECHADURA EMBUTIR EXTERNA (C/ CILINDRO) COMPLETA - ACAB PADRAO MEDIO 1.00000000 CJ 89,14 89,14 1.4 PORTA MADEIRA SEMI-OCA ALMOFADADA/REGIONAL 2A / 80 X 210 X 3CM 1.00000000 UN 225,36 225,36 1.5 PREGO DE ACO 10 X 10 0.10000000 KG 8,08 0,81 1.6 Mão de Obra Colocação de Porta de Madeira C/ Fechadura e Guarnições 1.00000000 UN 100,00 100,00 Total 504,62 10.3 JANELAS DE METAL () 1 Janela Veneziana de Correr Grade Classic 6 Folhas Branco Aluminium 1,20x2,00 Ref: 70226170 - Sasazaki 3.00000000 UN 2.031,95 6.095,85 2 Mão de Obra Colocação de Batente Ou Janela 3.00000000 UN 50,00 150,00 Total 6.245,85 10.5 JANELAS DE VIDRO TEMPERADO () 1 Janela Ou Porta de Vidro Temperado Completa Instalada 1.00000000 M2 350,00 350,00 Total 350,00 11.99 INSTALAçõES HIDRAULICAS - ESTIMATIVA POR M2 (M2) 1 Construção Padrão Normal 0.09000000 M2 1.200,00 108,00 Total 108,00 12.99 INSTALAçõES ELéTRICAS - ESTIMATIVA POR M2 (M2) 1 Construção Padrão Normal 0.06000000 M2 1.200,00 72,00 Total 72,00 27
  • 29. INSUMOS DA OBRA - Residência Demonstração insumo Qte Un Preço Padrão Atual Subtotal Atual Fornecedor Padrão Atual Data da Cotação 1 ACO CA-25 5/16" (7,94 MM) 120,90 KG 3,51 424,36 SINAPI SP SD 1/4/13 2 ACO CA-50 1/4" (6,35 MM) 588,13 KG 3,61 2.123,15 SINAPI SP SD 1/4/13 3 ACO CA-50 5/16" (7,94 MM) 980,00 KG 3,39 3.322,20 SINAPI SP SD 1/4/13 4 ACO CA-60 - 5,0MM 77,50 KG 3,66 283,65 SINAPI SP SD 1/4/13 5 ADUELA/BATENTE DUPLO/CAIXAO/GRADE CAIXA 15 X 3,5CM P/ PORTA 0,60 A 1,20 X 2,10M MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 13,00 JG 114,43 1.487,59 SINAPI SP SD 1/4/13 6 ALIZAR / GUARNICAO 5 X 2CM MADEIRA IPE/MOGNO/CEREJEIRA OU SIMILAR 127,40 M 5,93 755,48 SINAPI SP SD 1/4/13 7 ARAME RECOZIDO 18 BWG - 1,25MM - 9,60 G/M 32,95 KG 6,20 204,29 SINAPI SP SD 1/4/13 8 AREIA GROSSA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 15,21 M3 57,00 867,16 SINAPI SP SD 1/4/13 9 AREIA MEDIA - POSTO JAZIDA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 52,84 M3 53,00 2.800,31 SINAPI SP SD 1/4/13 10 ARGAMASSA OU CIMENTO COLANTE EM PO PARA FIXACAO DE PECAS CERAMICAS 1.359,59 KG 0,31 421,47 SINAPI SP SD 1/4/13 11 BLOCO CERÂMICO (TIJOLO) FURADO 9 X 19 X 19 CM 3,88 MIL 685,00 2.654,38 SINAPI SP SD 1/4/13 12 BLOCO ESTRUTURAL CERAMICO - 14 X 19 X 29 CM - FBK > OU = 4,5MPA - NBR 15270 6.800,58 UN 1,99 13.533,15 SINAPI SP SD 1/4/13 13 CAIBRO DE PEROBA DO NORTE 5 X 6 CM - BRUTO (CUPIÚBA) 357,50 M 4,41 1.576,58 PMSP 1/7/12 14 CAL HIDRATADA, DE 1A. QUALIDADE, PARA ARGAMASSA 5.695,17 KG 0,41 2.335,02 SINAPI SP SD 1/4/13 15 Calhas Ou Rufos C/ Dobra e Instalação 30,00 M2 60,00 1.800,00 EMPREITEIRO 8/1/14 16 CERAMICA ESMALTADA EXTRA OU 1A QUALIDADE P/ PISO PEI-4 - LINHA PADRAO MEDIO 204,37 M2 22,94 4.688,29 SINAPI SP SD 1/4/13 17 CIMENTO BRANCO 49,83 KG 1,38 68,77 SINAPI SP SD 1/4/13 18 CIMENTO PORTLAND COMUM CP I- 32 16.142,65 KG 0,42 6.779,91 SINAPI SP SD 1/4/13 28
  • 30. 19 CONCRETO USINADO BOMBEADO FCK = 20,0 MPA 10,09 M3 269,31 2.716,75 SINAPI SP SD 1/4/13 20 Construção Padrão Normal 29,70 M2 1.200,00 35.640,00 EMPREITEIRO 9/1/14 21 CONTAINER 220 X 620CM P/ ESCRITORIO S/ DIVISORIAS TIPO CANTEIRO MOD. 1401 OU SIMILAR 3,00 MES 388,98 1.166,94 SINAPI SP SD 1/4/13 22 DOBRADICA LATAO CROMADO 3 X 3" C/ ANEIS 33,00 UN 31,20 1.029,60 SINAPI SP SD 1/4/13 23 Escoramento Metalico 168,13 M2 5,00 840,65 PINHAL 5/1/14 24 FECHADURA EMBUTIR EXTERNA (C/ CILINDRO) COMPLETA - ACAB PADRAO MEDIO 3,00 CJ 89,14 267,42 SINAPI SP SD 1/4/13 25 FECHADURA EMBUTIR TP GORGES (CHAVE GRANDE) P/PORTA INTERNA, COMPLETA - LINHA POPULAR 10,00 CJ 22,86 228,60 SINAPI SP SD 1/4/13 26 FUNDO ANTICORROSIVO TIPO ZARCAO OU EQUIV 1,90 L 21,02 39,95 SINAPI SP SD 1/4/13 27 GRANITO CINZA POLIDO PARA PISO E = 2 CM 1,56 M2 206,73 322,50 SINAPI SP SD 1/4/13 28 Janela Ou Porta de Vidro Temperado Completa Instalada 10,86 M2 350,00 3.801,00 EMPREITEIRO 10/1/14 29 Janela Veneziana de Correr Grade Classic 6 Folhas Branco Aluminium 1,20x2,00 Ref: 70226170 - Sasazaki 3,00 UN 2.031,95 6.095,85 C&C 8/1/14 30 LAJE TRELICADA P/ PISO , H=10CM , P/ APOIO SIMPLES , SOBRECARGA DE 200 KG/M2 , VAO LIVRE MAXIMO DE 5,70M 168,13 M2 26,69 4.487,39 SINAPI SP SD 1/4/13 31 Limpeza Mecanizada de Terreno Com Remoção do Material 360,00 M2 5,00 1.800,00 BRAGATTO 8/1/14 32 LIXA P/ FERRO 7,92 UN 1,99 15,76 SINAPI SP SD 1/4/13 33 LIXA P/ PAREDE OU MADEIRA 139,49 UN 0,44 61,38 SINAPI SP SD 1/4/13 34 MADEIRA 2A QUALIDADE SERRADA NAO APARELHADA 2,15 M3 1.351,00 2.897,90 SINAPI SP SD 1/4/13 35 Mão de Obra Assentamento de Pisos Ou Revestimentos (azulejos) Ceramicos 303,69 M2 20,00 6.073,80 EMPREITEIRO 10/1/14 36 Mão de Obra Chapisco e Emboço 1.172,72 M2 20,00 23.454,40 EMPREITEIRO 10/1/14 37 Mão de Obra Cobertura de Telhas Cerâmicas 143,00 M2 20,00 2.860,00 EMPREITEIRO 9/1/14 38 Mão de Obra Colocação de Batente Ou Janela 16,00 UN 50,00 800,00 EMPREITEIRO 10/1/14 29
  • 31. 39 Mão de Obra Colocação de Porta de Madeira C/ Fechadura e Guarnições 13,00 UN 100,00 1.300,00 EMPREITEIRO 10/1/14 40 Mão de Obra Concreto C/ Ferragem e Lançamento 14,00 M3 500,00 7.000,00 EMPREITEIRO 9/1/14 41 Mão de Obra Contrapiso de Concreto Entre 4 e 6cm C/ Apiloamento do Solo 135,05 M2 20,00 2.701,00 EMPREITEIRO 9/1/14 42 Mão de Obra Execução de Alvenaria 632,81 M2 20,00 12.656,20 EMPREITEIRO 9/1/14 43 Mão de Obra Montagem de Laje Pré C/ Concretagem 168,13 M2 40,00 6.725,20 EMPREITEIRO 9/1/14 44 Mão de Obra Pintura Latex C/ Massa Corrida 501,57 M2 15,00 7.523,55 EMPREITEIRO 9/1/14 45 Mão de Obra Pintura Latex S/ Massa Corrida 518,13 M2 10,00 5.181,30 EMPREITEIRO 9/1/14 46 Mão de Obra Pintura Verniz Ou Esmalte Sintetico 153,89 M2 10,00 1.538,90 EMPREITEIRO 9/1/14 47 Mão de Obra Regularização de Piso 176,30 M2 20,00 3.526,00 EMPREITEIRO 9/1/14 48 MASSA CORRIDA - PVA 135,42 L 2,62 354,81 PMSP 1/7/12 49 MATERIAL PARA ATERRO/ REATERRO (BARRO, ARGILA OU SAIBRO) - COM TRANSPORTE ATÉ 10 KM 375,00 M3 10,00 3.750,00 BRAGATTO 8/1/14 50 Moldura de Gesso 7cm (teto) Instalada 73,55 M 10,00 735,50 EMPREITEIRO 10/1/14 51 PARAFUSO ROSCA SOBERBA ACO ZINC CABECA CHATA FENDA SIMPLES 7 X 65MM 78,00 UN 0,32 24,96 SINAPI SP SD 1/4/13 52 PEDRA BRITADA N. 1 OU 19 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 3,48 M3 51,25 178,56 SINAPI SP SD 1/4/13 53 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM - POSTO PEDREIRA / FORNECEDOR (SEM FRETE) 17,07 M3 49,50 844,95 SINAPI SP SD 1/4/13 54 PORTA MADEIRA COMPENSADA LISA PARA CERA OU VERNIZ 70 X 210 X 3,5 CM 10,00 UN 96,00 960,00 SINAPI SP SD 1/4/13 55 PORTA MADEIRA SEMI-OCA ALMOFADADA/REGIONAL 2A / 80 X 210 X 3CM 3,00 UN 225,36 676,08 SINAPI SP SD 1/4/13 56 Prego 22x48 7,15 KG 7,00 50,05 JORGE 1/6/13 57 PREGO DE ACO 10 X 10 1,30 KG 8,08 10,50 SINAPI SP SD 1/4/13 58 PREGO DE ACO 15 X 15 C/ CABECA 7,15 KG 5,48 39,18 SINAPI SP SD 1/4/13 59 Rejunte Flexivel 26,87 KG 2,20 59,12 JORGE 6/1/14 30
  • 32. 60 REVESTIMENTO CERÂMICO ESMALTADO 112,86 M2 37,38 4.218,88 PMSP 1/7/12 61 RIPA DE PEROBA DO NORTE 1,5 CM X 5 CM - BRUTA 572,00 M 1,50 858,00 PMSP 1/7/12 62 SELADOR ACRÍLICO 203,94 L 5,91 1.205,29 PMSP 1/7/12 63 SOLVENTE DILUENTE A BASE DE AGUARRAS 6,97 L 7,40 51,61 SINAPI SP SD 1/4/13 64 TABUA DE PINUS 1A QUALIDADE 20 X 300CM 168,13 UN 10,76 1.809,08 SINAPI SP SD 1/4/13 65 Telha Tegula 10,4 Pç/m2 1.573,00 UN 2,32 3.649,36 JORGE 7/1/14 66 TIJOLO CERAMICO MACICO 5 X 10 X 20CM 15.900,00 UN 0,34 5.406,00 SINAPI SP SD 1/4/13 67 TINNER 2,53 L 6,95 17,61 FDE 1/4/13 68 TINTA ACRÍLICA FOSCA 129,53 L 10,16 1.316,05 PMSP 1/7/12 69 TINTA ESMALTE SINTETICO FOSCO 2,53 L 24,44 61,94 SINAPI SP SD 1/4/13 70 TINTA LÁTEX - PVA (1a. LINHA / PREMIUM) 125,39 L 8,43 1.057,06 PMSP 1/7/12 71 VERNIZ POLIURETANO BRILHANTE INCOLOR 10,46 GL 51,93 543,28 SINAPI SP SD 1/4/13 Total 216.755,66 31