SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 58
RESÍDUOS SÓLIDOS DA
CONSTRUÇÃO CIVIL
São Paulo – 26 de Maio de 2014
DEFINIÇÃO
Segundo Resolução 307 - Conama
3
Resíduos provenientes de construções,
reformas, reparos e demolições de obras de
construção civil, e os resultantes da
preparação e da escavação de terrenos.
• Popularmente chamados de entulhos de obras, caliça ou metralha.
• Exemplos: tijolos, concreto, solos, rochas, metais, tintas, madeiras,
gesso, vidros, plásticos, fiação elétrica, entre outros.
CENÁRIO BRASILEIRO
5
Segundo dados do IBGE apenas
72,44% dos municipios
brasileiros, possuem serviço de
manejo de residuos da
construção civil.
6
Estimativa da quantidade coletada de Resíduos da Construção Civil
nas diferentes regiões do Brasil (toneladas/dia) em 2011
Fonte: Plano Nacional de Resíduos Sólidos (2011)
Total:
99.354
toneladas/dia
7
Fonte:Portal do Governo de Belo Horizonte
Usina de Reciclagem localizada no coração de BH, uma modelo em
questão de parametros de reciclagem e qualidade em
reaproveitamento.
8
Fonte: Portal UOL
Aumento significativo na produção de residuos e descarte de forma
indevida em Manaus/AM.
REGULAMENTAÇÃO
10
O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) é um
órgão público federal consultivo e deliberativo e tem a
finalidade de assessorar, estudar e propor diretrizes de
políticas governamentais para o meio ambiente e para os
recursos naturais.
CONAMA
11
DEFINE, CLASSIFICA E ESTABELECE OS POSSÍVEIS DESTINOS
FINAIS DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO
ATRIBUI RESPONSABILIDADES PARA O PODER PÚBLICO
MUNICIPAL E TAMBÉM PARA OS GERADORES DE RESÍDUOS
NO QUE SE REFERE À SUA DESTINAÇÃO
ESTABELECE DIRETRIZES, CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS
PARA A GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL
 Resolução n° 307
12
Um dos principais aspectos da Resolução CONAMA nº
307 é priorizar a não-geração de resíduos sólidos e proibir
a disposição final em locais inadequados como aterros
sanitários, bota-foras, lotes vagos, encostas e áreas
protegidas por lei.
 Resolução n° 307
13
ABNT NBR 10004
Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus potenciais ao meio
ambiente e à saúde pública.
ABNT NBR 10005
Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para a obtenção de extrato lixiviado de
resíduos sólidos.
ABNT NBR 10006
Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para obtenção de extrato solubilizado
de resíduos sólidos.
 Normas Técnicas ABNT/NBR
14
ABNT NBR 15112
Áreas de transbordo e triagem de resíduos da construção civil e resíduos
volumosos.
ABNT NBR 15113
Aterros de resíduos sólidos da construção civil classe A e de resíduos inertes.
ABNT NBR 15114
Áreas de reciclagem de resíduos sólidos da construção civil classe A.
• Normas ABNT/NBR que fixam os requisitos mínimos exigíveis para
projeto, implantação e operação:
15
 Normas Técnicas ABNT/NBR
ABNT NBR 15116
Esta Norma estabelece os requisitos para o emprego de agregados reciclados
de resíduos sólidos da construção civil.
ABNT NBR 15115
Esta Norma estabelece os critérios para execução de camadas de reforço do
subleito, sub-base e base de pavimentos, bem como camada de
revestimento primário, com agregado reciclado de resíduo sólido da
construção civil, denominado agregado reciclado, em obras de
pavimentação.
CONCEITUAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO
Segundo a Resolução nº 307 CONAMA
17
CLASSE A
CLASSE B
CLASSE C
CLASSE D
 Resíduos reutilizáveis e recicláveis
18
CONCEITUAÇÃO
CLASSE A
Destino : Usinas de reciclagem ou aterros de residuos da Construção Civil
 Resíduos recicláveis para outras destinações
19
CONCEITUAÇÃO
CLASSE B
Destino : Encaminhados a empresas, cooperativas licenciadas de
reciclagem
20
CONCEITUAÇÃO
 Resíduos sem tecnologias e/ou economicamente
viáveis pare reciclagem
CLASSE C
Modificação na
Resolução 307 do
Conama (Maio/2011)
Destino : Destinados em conformidade com as
normais técnicas específicas.
Associação Brasileira dos Fabricantes
de Chapas para Drywall
1. Utilização como regulador de pega na produção de
cimento;
2. Reaproveitamento nas fábricas de gesso ou
transformação em gesso agrícola, atuando como
corretivo do solo e fonte de enxofre.
22
CONCEITUAÇÃO
 Resíduos perigosos
CLASSE D
Destino : Destinados em conformidade com as normais técnicas específicas.
CONCEITUAÇÃO
GERENCIAMENTO
24
25
 GERADORES DE RESÍDUOS
• Pessoa Física
• Pessoa Jurídica
Fonte: Canteiro Digital
26
 Pequenos Geradores
Fonte: Portal Remoeste.
CARACTERIZAÇÃO TRIAGEM ACONDICIONAMENTO TRANSPORTE DESTINAÇÃO
27
 Grandes Geradores
• PLANO DE GERENCIAMENTO
Fonte: Portal Bhaz
28
• QUANTIFICAR O VOLUME E OS TIPOS
DE RESÍDUOS
• AVERIGUAR REAPROVEITAMENTO
• ORDENAR CANTEIRO DE OBRAS
 Grandes Geradores
Fonte: Jornal Mauá
Fonte: Portal 2014
29
• TREINAR EQUIPE PARA O MANEJO
CORRETO
• FORNECEDORES DE DISPOSITIVOS E
ACESSÓRIOS
 Grandes Geradores
Fonte: Sinduscon
30
• TRANSPORTE E ACONDICIONAMENTO INICIAL
 Grandes Geradores
Fonte: Sinduscon
31
• TRANSPORTE E ACONDICIONAMENTO FINAL
 Grandes Geradores
32
• TRANSPORTADORAS
 Grandes Geradores
CONCEITUAÇÃO
PERDAS NO CANTEIRO
DE OBRAS
34
TRANSPORTE
SUPERPRODUÇÃO
MATERIAIS
DEFEITUOSOS
MANUTENÇÃO DE
ESTOQUE
PROCESSAMENTO
FONTES DAS PERDAS
NO CANTEIRO DE
OBRAS
MECANISMOS PARA
MINIMIZAR PERDAS NO
CANTEIRO
35
36
 Produção de argamassa em quantidade suficiente;
37
 Transporte de materiais;
Fonte:http://www.portaldosequipamentos.com.br/
38
 Armazenamento de materiais mais frágeis;
 Armazenamento adequado do cimento;
Fonte:http://www.abcp.org.br
39
 Organização e limpeza.
Fonte: Equipe de Obra
CONCEITUAÇÃO
VISITA TÉCNICA
Obra - Even paulista Tower
41
• Primeiro contato direto entre o grupo e
o tema;
• Mesmo sem conhecimentos sobre, foi
possível vizualizar os procedimentos a
serem adotados pelas empresas.
42
Fonte:Própria autoria.
43
Fonte: Própria autoria.
44
 Relatório de Inspeção Ambiental
Rev:
03
Folha:
1/2
OBRA:
ENG.º OBRA:
FACILITADOR DA OBRA:
DATA: 09/05/2014
ITEM ITENS A VERIFICAR NOTA
1 Limpeza da calçada e entornos da obra 10
Condições do lava rodas (modelo adotado)
Previsão do lava rodas e betoneiras no PGR
Condições das caçambas: existência de fita refletiva e número
cadastro Limpurb
NA
Sinalização para divulgar o acesso as baias/caçambas e/ou bag´s NA
Aobra implantou o sistema de retirada de reciclaveis em Bag's NA
Coleta seletiva dos resíduos xcaçambas e baias 10
Altura dos resíduos na caçamba NA
Cobertura e identificação de baias e bags e caçambas de gesso NA
Locação das árvores conforme projeto aprovado pela prefeitura 10
Proteção das árvores/Existência de acúmulos de materiais sobre
raízes e troncos
10
Aobra possui o relatório de vistoria da Agrotexas atualizado e com
os planos de ação monitorados
10
6 Método adotado de avaliação 10
Classe A- Entulho, Blocos de Concreto, Azulejos, Cerâmicas,
Argamassas e etc
10
Classe B - Plásticos, Papel, Papelão, Madeira e Gesso 10
Classe C - Mix 10
Classe D - Restos de tintas, Solventes, Óleos Desmoldantes,
EPI's contaminados com estes produtos.
10
8 Sinalizações ambientais de acordo padrão Even 10
9
Verificar a utilização de caixas com pó de serra/areia embaixo de
maquinários que utilizam óleo diesel e armazenamento dos
mesmos
10
Evidenciar o formulário F SUS 008 preenchido conforme PO SUS
NA
3
7
Atende
Atende
Atende
N/ACanteiro não adotou ação vizinho
Atende. Evidenciado sinalização de gestão
ambiental no canteiro.
Aobra adota medidas de prevenção contra poluição do solo?
Atende. Evidenciado lona para contenção de
vazamentos na baia de produtos quimicos.
F SUS 001
Anexo:
PO SUS 001RELATÓRIO DE INSPEÇÃO AMBIENTAL
Atende. Evidenciada coleta seletiva no canteiro
4
2 10
PAULISTA TOWER
N/Ao canteiro não possui bag no canteiro.
ATENDE - 10 EVERSON SOUSA SOARES
5
EVIDÊNCIAS DO CANTEIRO
N/ANão há caçamba no canteiro.
N/ANão há caçamba no canteiro.
As calçadas e ruas estão limpas?
Existe a rotina de definição do "funcionário destaque do mês"?
Atende. Evidenciado colaborador referente ao
mês de setembro/2013
Atende
Evidenciada calçadas limpas.
Lava rodas implantado no canteiro.
N/ANão há caçamba no canteiro.
N/ANão há caçamba no canteiro.
Atende
Atende. Evidenciada proteção das arvores.
Atende. Ultimo relatório realizado em Ago/2013
Aobra identifica e controla os efluentes gerados no canteiro?
As árvores que constam no PCA(SP e RJ) ou Licença de
Supressão Vegetal (BH) estão em bom estado de conservação ?
Os residuos das baias e caçambas estão separados de acordo
com a identificação?
As caçambas, baias, bag´s para destinação de resíduos estão em
boas condições e respeitam os limites de capacidade, Possuem a
devida identificação ?
Aobra apresenta sinalizações no padrão Even de educação
ambiental para conscientizar os colaboradores na obra sobre:
Coleta seletiva e diminuição de geração de resíduos?
Aobra armazena e destina os resíduos conforme o PGR?
OBSERVAÇÕES ADICIONAIS
CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO
REGULAR - 5
NÃO ATENDE - 0
DESCRIÇÃO
MARCOS TAKESHI MURATA
Fonte: Construtora Even
CONCEITUAÇÃO
RECICLAGEM
46
COLETA DOS RESÍDUOS
Fonte: http://www.premium.com.br/veja-mais/sustentabilidade/
47
PROCESSAMENTO DOS RESÍDUOS
 Descontaminação
48
Fonte: http://www.Ecomundibrasil.com
49
 Processamento na própria fonte de geração
Fonte: Portal Cidade Olímpica - RJ
50
 Processamento fora da fonte de geração
Método mais utilizado no Brasil
Contratos de serviços com empresas de transporte e/ou
reciclagem
51
PROCEDIMENTO DE RECICLAGEM
52
 Reciclagem do Entulho
• Recepção/ Seleção
• Classe A • Classe B
53
 Reciclagem do Entulho
• Britagem
Fonte: http://www.solostocks.com.br/
54
 Aplicação do agregado reciclado
Fonte:http://www.prefeitura.sp.gov.br
Fonte:http://www.desmontec.com
CLASSE A
CLASSE B
55
 "Reciclagem" do Gesso
Fonte:http://www.sulgesso.com/
56
 Aterros Sanitários
Fonte:http://percolado.blogspot.com.br
57
 Aterros Sanitários
Fonte:http://percolado.blogspot.com.br
CONCEITUAÇÃO
CONCLUSÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento coleta seletiva (muito bom)
Treinamento coleta seletiva (muito bom)Treinamento coleta seletiva (muito bom)
Treinamento coleta seletiva (muito bom)
Ane Costa
 
Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclar
lidia76
 
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valleAula 2 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valle
Lxa Alx
 

Mais procurados (20)

Cartilha coleta seletiva
Cartilha coleta seletivaCartilha coleta seletiva
Cartilha coleta seletiva
 
Residuos Industriais
Residuos IndustriaisResiduos Industriais
Residuos Industriais
 
Slide coleta seletiva
Slide coleta seletivaSlide coleta seletiva
Slide coleta seletiva
 
Treinamento coleta seletiva (muito bom)
Treinamento coleta seletiva (muito bom)Treinamento coleta seletiva (muito bom)
Treinamento coleta seletiva (muito bom)
 
NBR 10844/1989
NBR 10844/1989NBR 10844/1989
NBR 10844/1989
 
Aula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislaçãoAula 1 normas e legislação
Aula 1 normas e legislação
 
Aula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMCAula de Gestão Ambiental - UMC
Aula de Gestão Ambiental - UMC
 
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitárioLivro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
 
Aula 5 reciclagem
Aula 5  reciclagemAula 5  reciclagem
Aula 5 reciclagem
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Esgotamento sanitario
Esgotamento sanitarioEsgotamento sanitario
Esgotamento sanitario
 
Aula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água fria
 
Aula 4 dimensionamento
Aula 4   dimensionamentoAula 4   dimensionamento
Aula 4 dimensionamento
 
Nbr13969
Nbr13969Nbr13969
Nbr13969
 
Aula 11 introdução tratamento de efluentes - prof. nelson (area 1) - 06.10
Aula 11   introdução tratamento de efluentes - prof. nelson (area 1) - 06.10Aula 11   introdução tratamento de efluentes - prof. nelson (area 1) - 06.10
Aula 11 introdução tratamento de efluentes - prof. nelson (area 1) - 06.10
 
Dimensionamento de pátio de compostagem
Dimensionamento de pátio de compostagemDimensionamento de pátio de compostagem
Dimensionamento de pátio de compostagem
 
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOSCLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS
 
Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclar
 
Aia 03 (2)
Aia 03 (2)Aia 03 (2)
Aia 03 (2)
 
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valleAula 2 leg. ambiental_claudia do valle
Aula 2 leg. ambiental_claudia do valle
 

Destaque (9)

Cartilha residuos-da-construcao-civil
Cartilha residuos-da-construcao-civilCartilha residuos-da-construcao-civil
Cartilha residuos-da-construcao-civil
 
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / PersonagemAnimação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
 
Como ser escritor no brasil
Como ser escritor no brasilComo ser escritor no brasil
Como ser escritor no brasil
 
As 100 frases da mudança
As 100 frases da mudançaAs 100 frases da mudança
As 100 frases da mudança
 
William Blake - Literatura
William Blake - LiteraturaWilliam Blake - Literatura
William Blake - Literatura
 
Manual de Segurança e saúde no trabalho - Industria Grafica
Manual de Segurança e saúde no trabalho - Industria GraficaManual de Segurança e saúde no trabalho - Industria Grafica
Manual de Segurança e saúde no trabalho - Industria Grafica
 
Life and Poems of William Blake
Life and Poems of William BlakeLife and Poems of William Blake
Life and Poems of William Blake
 
Modelo de Roteiro
Modelo de RoteiroModelo de Roteiro
Modelo de Roteiro
 
William Blake
William BlakeWilliam Blake
William Blake
 

Semelhante a Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil

Residuo construcaocivil
Residuo construcaocivil Residuo construcaocivil
Residuo construcaocivil
Wagner Alves
 
Art estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
Art  estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...Art  estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
Art estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
Petiano Camilo Bin
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
samaerne
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
claudinor
 
2º art blocos de vedação com entulho abreu et al. (2009)
2º art  blocos de vedação com entulho   abreu et al. (2009)2º art  blocos de vedação com entulho   abreu et al. (2009)
2º art blocos de vedação com entulho abreu et al. (2009)
Petiano Camilo Bin
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
FecomercioSP
 
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
Petiano Camilo Bin
 

Semelhante a Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil (20)

Gestão de Residuos no canteiro de obra.
Gestão de Residuos no canteiro de obra.Gestão de Residuos no canteiro de obra.
Gestão de Residuos no canteiro de obra.
 
01 pesquisa 01
01 pesquisa 0101 pesquisa 01
01 pesquisa 01
 
Residuo construcaocivil
Residuo construcaocivil Residuo construcaocivil
Residuo construcaocivil
 
Art estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
Art  estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...Art  estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
Art estudo de caso da utilização do rcd (resíduos de construção e demolição)...
 
2015_12_03_-_Sinduscon_PR_e_CGLR_CC[66761].pdf
2015_12_03_-_Sinduscon_PR_e_CGLR_CC[66761].pdf2015_12_03_-_Sinduscon_PR_e_CGLR_CC[66761].pdf
2015_12_03_-_Sinduscon_PR_e_CGLR_CC[66761].pdf
 
7183 26053-2-pb
7183 26053-2-pb7183 26053-2-pb
7183 26053-2-pb
 
Solos cimento
Solos cimentoSolos cimento
Solos cimento
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
Breno palma 16 00
Breno palma 16 00Breno palma 16 00
Breno palma 16 00
 
Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.Apresentação aterro sanitário.
Apresentação aterro sanitário.
 
Aterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestraAterro sanitário palestra
Aterro sanitário palestra
 
2º art blocos de vedação com entulho abreu et al. (2009)
2º art  blocos de vedação com entulho   abreu et al. (2009)2º art  blocos de vedação com entulho   abreu et al. (2009)
2º art blocos de vedação com entulho abreu et al. (2009)
 
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuvaVALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
 
PNRS
PNRS PNRS
PNRS
 
Projeto central de tratamento de residuos residuo zero
Projeto central de tratamento de residuos residuo zeroProjeto central de tratamento de residuos residuo zero
Projeto central de tratamento de residuos residuo zero
 
Palestra resotec holcim
Palestra resotec holcimPalestra resotec holcim
Palestra resotec holcim
 
Aproveitamento de agua de chuva first flush
Aproveitamento de agua de chuva first flushAproveitamento de agua de chuva first flush
Aproveitamento de agua de chuva first flush
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
 
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
A reciclagem de resíduos de construção e demolição no brasil 1986 2008 (panor...
 

Último (6)

SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 

Trabalho - Resíduos Sólidos da Construção Civil

  • 1. RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL São Paulo – 26 de Maio de 2014
  • 3. 3 Resíduos provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, e os resultantes da preparação e da escavação de terrenos. • Popularmente chamados de entulhos de obras, caliça ou metralha. • Exemplos: tijolos, concreto, solos, rochas, metais, tintas, madeiras, gesso, vidros, plásticos, fiação elétrica, entre outros.
  • 5. 5 Segundo dados do IBGE apenas 72,44% dos municipios brasileiros, possuem serviço de manejo de residuos da construção civil.
  • 6. 6 Estimativa da quantidade coletada de Resíduos da Construção Civil nas diferentes regiões do Brasil (toneladas/dia) em 2011 Fonte: Plano Nacional de Resíduos Sólidos (2011) Total: 99.354 toneladas/dia
  • 7. 7 Fonte:Portal do Governo de Belo Horizonte Usina de Reciclagem localizada no coração de BH, uma modelo em questão de parametros de reciclagem e qualidade em reaproveitamento.
  • 8. 8 Fonte: Portal UOL Aumento significativo na produção de residuos e descarte de forma indevida em Manaus/AM.
  • 10. 10 O Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) é um órgão público federal consultivo e deliberativo e tem a finalidade de assessorar, estudar e propor diretrizes de políticas governamentais para o meio ambiente e para os recursos naturais. CONAMA
  • 11. 11 DEFINE, CLASSIFICA E ESTABELECE OS POSSÍVEIS DESTINOS FINAIS DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO ATRIBUI RESPONSABILIDADES PARA O PODER PÚBLICO MUNICIPAL E TAMBÉM PARA OS GERADORES DE RESÍDUOS NO QUE SE REFERE À SUA DESTINAÇÃO ESTABELECE DIRETRIZES, CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS PARA A GESTÃO DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL  Resolução n° 307
  • 12. 12 Um dos principais aspectos da Resolução CONAMA nº 307 é priorizar a não-geração de resíduos sólidos e proibir a disposição final em locais inadequados como aterros sanitários, bota-foras, lotes vagos, encostas e áreas protegidas por lei.  Resolução n° 307
  • 13. 13 ABNT NBR 10004 Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus potenciais ao meio ambiente e à saúde pública. ABNT NBR 10005 Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para a obtenção de extrato lixiviado de resíduos sólidos. ABNT NBR 10006 Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para obtenção de extrato solubilizado de resíduos sólidos.  Normas Técnicas ABNT/NBR
  • 14. 14 ABNT NBR 15112 Áreas de transbordo e triagem de resíduos da construção civil e resíduos volumosos. ABNT NBR 15113 Aterros de resíduos sólidos da construção civil classe A e de resíduos inertes. ABNT NBR 15114 Áreas de reciclagem de resíduos sólidos da construção civil classe A. • Normas ABNT/NBR que fixam os requisitos mínimos exigíveis para projeto, implantação e operação:
  • 15. 15  Normas Técnicas ABNT/NBR ABNT NBR 15116 Esta Norma estabelece os requisitos para o emprego de agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil. ABNT NBR 15115 Esta Norma estabelece os critérios para execução de camadas de reforço do subleito, sub-base e base de pavimentos, bem como camada de revestimento primário, com agregado reciclado de resíduo sólido da construção civil, denominado agregado reciclado, em obras de pavimentação.
  • 17. Segundo a Resolução nº 307 CONAMA 17 CLASSE A CLASSE B CLASSE C CLASSE D
  • 18.  Resíduos reutilizáveis e recicláveis 18 CONCEITUAÇÃO CLASSE A Destino : Usinas de reciclagem ou aterros de residuos da Construção Civil
  • 19.  Resíduos recicláveis para outras destinações 19 CONCEITUAÇÃO CLASSE B Destino : Encaminhados a empresas, cooperativas licenciadas de reciclagem
  • 20. 20 CONCEITUAÇÃO  Resíduos sem tecnologias e/ou economicamente viáveis pare reciclagem CLASSE C Modificação na Resolução 307 do Conama (Maio/2011) Destino : Destinados em conformidade com as normais técnicas específicas.
  • 21. Associação Brasileira dos Fabricantes de Chapas para Drywall 1. Utilização como regulador de pega na produção de cimento; 2. Reaproveitamento nas fábricas de gesso ou transformação em gesso agrícola, atuando como corretivo do solo e fonte de enxofre.
  • 22. 22 CONCEITUAÇÃO  Resíduos perigosos CLASSE D Destino : Destinados em conformidade com as normais técnicas específicas.
  • 24. 24
  • 25. 25  GERADORES DE RESÍDUOS • Pessoa Física • Pessoa Jurídica Fonte: Canteiro Digital
  • 27. CARACTERIZAÇÃO TRIAGEM ACONDICIONAMENTO TRANSPORTE DESTINAÇÃO 27  Grandes Geradores • PLANO DE GERENCIAMENTO Fonte: Portal Bhaz
  • 28. 28 • QUANTIFICAR O VOLUME E OS TIPOS DE RESÍDUOS • AVERIGUAR REAPROVEITAMENTO • ORDENAR CANTEIRO DE OBRAS  Grandes Geradores Fonte: Jornal Mauá Fonte: Portal 2014
  • 29. 29 • TREINAR EQUIPE PARA O MANEJO CORRETO • FORNECEDORES DE DISPOSITIVOS E ACESSÓRIOS  Grandes Geradores Fonte: Sinduscon
  • 30. 30 • TRANSPORTE E ACONDICIONAMENTO INICIAL  Grandes Geradores Fonte: Sinduscon
  • 31. 31 • TRANSPORTE E ACONDICIONAMENTO FINAL  Grandes Geradores
  • 36. 36  Produção de argamassa em quantidade suficiente;
  • 37. 37  Transporte de materiais; Fonte:http://www.portaldosequipamentos.com.br/
  • 38. 38  Armazenamento de materiais mais frágeis;  Armazenamento adequado do cimento; Fonte:http://www.abcp.org.br
  • 39. 39  Organização e limpeza. Fonte: Equipe de Obra
  • 41. 41 • Primeiro contato direto entre o grupo e o tema; • Mesmo sem conhecimentos sobre, foi possível vizualizar os procedimentos a serem adotados pelas empresas.
  • 44. 44  Relatório de Inspeção Ambiental Rev: 03 Folha: 1/2 OBRA: ENG.º OBRA: FACILITADOR DA OBRA: DATA: 09/05/2014 ITEM ITENS A VERIFICAR NOTA 1 Limpeza da calçada e entornos da obra 10 Condições do lava rodas (modelo adotado) Previsão do lava rodas e betoneiras no PGR Condições das caçambas: existência de fita refletiva e número cadastro Limpurb NA Sinalização para divulgar o acesso as baias/caçambas e/ou bag´s NA Aobra implantou o sistema de retirada de reciclaveis em Bag's NA Coleta seletiva dos resíduos xcaçambas e baias 10 Altura dos resíduos na caçamba NA Cobertura e identificação de baias e bags e caçambas de gesso NA Locação das árvores conforme projeto aprovado pela prefeitura 10 Proteção das árvores/Existência de acúmulos de materiais sobre raízes e troncos 10 Aobra possui o relatório de vistoria da Agrotexas atualizado e com os planos de ação monitorados 10 6 Método adotado de avaliação 10 Classe A- Entulho, Blocos de Concreto, Azulejos, Cerâmicas, Argamassas e etc 10 Classe B - Plásticos, Papel, Papelão, Madeira e Gesso 10 Classe C - Mix 10 Classe D - Restos de tintas, Solventes, Óleos Desmoldantes, EPI's contaminados com estes produtos. 10 8 Sinalizações ambientais de acordo padrão Even 10 9 Verificar a utilização de caixas com pó de serra/areia embaixo de maquinários que utilizam óleo diesel e armazenamento dos mesmos 10 Evidenciar o formulário F SUS 008 preenchido conforme PO SUS NA 3 7 Atende Atende Atende N/ACanteiro não adotou ação vizinho Atende. Evidenciado sinalização de gestão ambiental no canteiro. Aobra adota medidas de prevenção contra poluição do solo? Atende. Evidenciado lona para contenção de vazamentos na baia de produtos quimicos. F SUS 001 Anexo: PO SUS 001RELATÓRIO DE INSPEÇÃO AMBIENTAL Atende. Evidenciada coleta seletiva no canteiro 4 2 10 PAULISTA TOWER N/Ao canteiro não possui bag no canteiro. ATENDE - 10 EVERSON SOUSA SOARES 5 EVIDÊNCIAS DO CANTEIRO N/ANão há caçamba no canteiro. N/ANão há caçamba no canteiro. As calçadas e ruas estão limpas? Existe a rotina de definição do "funcionário destaque do mês"? Atende. Evidenciado colaborador referente ao mês de setembro/2013 Atende Evidenciada calçadas limpas. Lava rodas implantado no canteiro. N/ANão há caçamba no canteiro. N/ANão há caçamba no canteiro. Atende Atende. Evidenciada proteção das arvores. Atende. Ultimo relatório realizado em Ago/2013 Aobra identifica e controla os efluentes gerados no canteiro? As árvores que constam no PCA(SP e RJ) ou Licença de Supressão Vegetal (BH) estão em bom estado de conservação ? Os residuos das baias e caçambas estão separados de acordo com a identificação? As caçambas, baias, bag´s para destinação de resíduos estão em boas condições e respeitam os limites de capacidade, Possuem a devida identificação ? Aobra apresenta sinalizações no padrão Even de educação ambiental para conscientizar os colaboradores na obra sobre: Coleta seletiva e diminuição de geração de resíduos? Aobra armazena e destina os resíduos conforme o PGR? OBSERVAÇÕES ADICIONAIS CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO REGULAR - 5 NÃO ATENDE - 0 DESCRIÇÃO MARCOS TAKESHI MURATA Fonte: Construtora Even
  • 46. 46 COLETA DOS RESÍDUOS Fonte: http://www.premium.com.br/veja-mais/sustentabilidade/
  • 49. 49  Processamento na própria fonte de geração Fonte: Portal Cidade Olímpica - RJ
  • 50. 50  Processamento fora da fonte de geração Método mais utilizado no Brasil Contratos de serviços com empresas de transporte e/ou reciclagem
  • 52. 52  Reciclagem do Entulho • Recepção/ Seleção • Classe A • Classe B
  • 53. 53  Reciclagem do Entulho • Britagem Fonte: http://www.solostocks.com.br/
  • 54. 54  Aplicação do agregado reciclado Fonte:http://www.prefeitura.sp.gov.br Fonte:http://www.desmontec.com CLASSE A CLASSE B
  • 55. 55  "Reciclagem" do Gesso Fonte:http://www.sulgesso.com/