SlideShare uma empresa Scribd logo
Colossences 1 (parte 2)
Quando nos ajoelhamos entendemos a majestade de Deus e a
limitação humana.
Um santo de joelhos enxerga mais longe que um filósofo na
ponta dos pés!
Abaixo vamos listar 4 pontos essenciais sobre a oração.
01) A oração deve expressar nossas necessidades.
• Embora Paulo estivesse preso, algemado ao corredor da
morte, prestes a ser decapitado, ele não perde tempo com
orações sobre necessidades físicas ou materiais.
• Ele concentra suas orações nas bênçãos espirituais.
• Warren Wiersbe escreveu: “As necessidades espirituais são
imensamente mais importantes do que as necessidades
materiais”.
• Se nossas orações estiverem distantes dos exemplos de Jesus
Cristo e do apóstolo Paulo, nos tornamos pagãos em nossas
atitudes e pensamentos.
D.A Carson levanta uma questão solene quando escreve:
Devemos nos perguntar o quanto de nossos pedidos que
normalmente apresentamos a Deus são diferentes dos
pedidos de Paulo.
Suponha que 80 ou 90% das nossas petições pedem a Deus
boa saúde, segurança nas estradas, um bom emprego, sucesso
em uma prova, pelas necessidades de nossos filhos, sucesso
na solicitação de um financiamento, e muitas outras coisas
deste tipo.
Quanto as orações de Paulo se parecem com as nossas?
Se em nada se parecem algo vai muito mal em nossa vida
espiritual.
02) A oração deve incluir aqueles que conhecemos
• As orações de Paulo não eram egoístas.
• Ele ora pelos cristãos em Colossos que não conhecia e jamais
havia visto.
• Podemos amar, chorar e erguer nosso clamor aos céus por
aqueles que nossos olhos ainda não viram.
• Pela oração podemos alcançar o mundo inteiro e não apenas
nosso “próprio mundo”.
• Pela oração podemos abençoar vidas que nunca conhecemos ou
pessoas que estão fora de nosso círculo de amizade , familiar ou
profissional.
• Gastamos muito tempo pedindo por nós mesmos ou pelas
pessoas que amamos e nos esquecemos totalmente de
orarmos pelo próximo, até mesmo quando este “próximo” é
um irmão ou irmã de nossa própria comunidade de fé.
• Oramos muito pouco pelas reais necessidades das pessoas e
pelos outros.
Colossences 1 (parte 2)
03) A oração deve ser regida por uma atitude perseverante
• Paulo não conhecia os irmãos em Colossos mas, orou por eles
sem cessar.
• Ele não desistia no meio do caminho.
• Embora tivesse muitos assuntos pessoais para se preocupar,
seu foco estava em rogar a Deus a favor de outras pessoas.
• Paulo nunca usou a velha desculpa tão comum para nós: “Eu
estava sem tempo para orar”.
04) A oração deve ser ousada na busca pela plenitude
• Paulo orava com ousadia e coragem!
• Ele não orava desconfiando do poder de Deus.
• Ele busca a face do Senhor cheio de confiança e pede para a
Igreja de Colossos: pleno conhecimento da Vontade de Deus -
(09); plena dignidade; plenitude na boa obra; pleno
conhecimento
• (10); plena perseverança ; plena paciência com alegria
• (11). Este é o modo como Paulo orava! Ele confiava no poder
de Deus!
OS FRUTOS DE UMA VIDA DIGNA (10,11)
Paulo cita que há 4 maneiras de vivermos uma vida digna
diante de Deus:
Em primeiro lugar:
• Quando vivemos para agradar a Deus em todas as coisas.
• Devemos nos esforçar para agradar a Deus em tudo o que
fazemos, falamos e pensamos.
• O fim principal do homem é glorificar a Deus em tudo!
• Quem busca apenas agradar aos homens não pode agradar a
Deus.
• Tenhamos muito cuidado para não ajustar nossas vidas para
alcançar apenas elogios humanos.
• Olhemos para o alto e digamos: Preciso agradar a Deus e
somente a Ele, mesmo que isto me custe críticas e
perseguições da parte dos homens.
Segundo lugar:
• Vivemos uma vida digna quando frutificamos em toda a boa
obra. Boas intenções e belas palavras nada valem.
• O cristão precisa dar bons frutos!
• Sua união com Cristo é comprovada através dos frutos (João
15:08).
Terceiro lugar:
• Vivemos uma vida digna quando crescemos no conhecimento
de Deus.
• Esse conhecimento não é teórico, mas experimental.
• É levar Deus a sério!
• É andar face a face com Deus, e esse conhecimento é
dinâmico e progressivo.
• O profeta Oséias diz que devemos conhecer e prosseguir em
conhecer a Deus (06:03).
Quarto lugar:
• Vivemos uma vida digna quando somos fortalecidos no poder
de Deus.
• Por que muitas vezes não fazemos o que é certo?
• Porque falta poder de Deus em nossas vidas!
• Por meio da oração alcançamos não apenas conhecimento da
vontade de Deus, mas também poder para realizá-la.
A capacitação por meio da oração – 11-12
• A oração nos capacita para enfrentarmos os grandes desafios
da vida.
• No verso 11 aparece a palavra grega “hupomone” que
significa perseverança.
• Esta palavra é uma das mais ricas do Novo Testamento, ela
fala de perseverança em meio às tribulações.
• O comentarista bíblico Willian Barclay esclarece que
“hupomone” não só significa perseverança, mas também uma
capacidade de suportar as dificuldades para transformar as
lutas em vitórias.
• Trata-se de uma perseverança triunfadora!
• É a capacidade de sair triunfante de qualquer problema ou
situação.
• Depois o apóstolo Paulo usa outra palavra no grego muito
importante: makrothymia.
• Esta palavra significa paciência, longanimidade.
• É um tipo de ânimo levado ao máximo de seu potencial.
• É a atitude de abençoar , de acolher e pagar o mal com o
bem.
• É orar pelos inimigos e abençoar aqueles que nos perseguem.
É a atitude de alguém que jamais perde a paciência.
• Além disso, esta pessoa não perde a alegria.
• A alegria cristã deve estar presente em todas as circunstâncias
da vida e diante de todas as pessoas.
• Paulo ora pedindo que os cristãos em Colossos tenham
perseverança, paciência extrema e alegria.
• É o cristão que passa pela tempestade da vida cantando e
louvando.
• É o cristão que atravessa o vale do sofrimento e das lágrimas
exultando a Deus.
• É o cristão que canta na prisão assim como Paulo e Silas –
Atos 16:25.
• Como Jó este cristão sabe que Deus inspira canções de louvor
até nas noites mais escuras.
• É importante ressaltar que esta alegria não é um sentimento
natural que nós mesmos criamos, mas algo que o Espírito
Santo produz em nós.
• Alegria é fruto do Espírito!
• E depois de tanta alegria vem a gratidão.
• Os cristãos em Colossos eram gratos assim como o apóstolo
Paulo.
• Alegria e gratidão... marcas de um cristão verdadeiro.
Próxima semana:
Capítulo 01:13-17
A MAGNÍFICA OBRA DE CRISTO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2021 2º trimestre jovem - lição 06
2021   2º trimestre jovem - lição 062021   2º trimestre jovem - lição 06
2021 2º trimestre jovem - lição 06
Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
Joel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
2021 1º trimestre jovens lição 12
2021 1º trimestre jovens lição 122021 1º trimestre jovens lição 12
2021 1º trimestre jovens lição 12
Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Joel Silva
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Pastor Natalino Das Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
Joel Silva
 
2021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 122021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 12
Joel Silva
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
Joel Silva
 
2021 1º trimestre jovens lição 11
2021 1º trimestre jovens lição 112021 1º trimestre jovens lição 11
2021 1º trimestre jovens lição 11
Joel Silva
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Pastor Natalino Das Neves
 
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igrejaLBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
Natalino das Neves Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 08
2021   2º trimestre jovem - lição 082021   2º trimestre jovem - lição 08
2021 2º trimestre jovem - lição 08
Joel Silva
 
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoraçãoLBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
Natalino das Neves Neves
 
2021 2º trimestre jovens lição 11
2021 2º trimestre jovens lição 112021 2º trimestre jovens lição 11
2021 2º trimestre jovens lição 11
Joel Silva
 
2021 2º trimestre jovem - lição 04
2021   2º trimestre jovem - lição 042021   2º trimestre jovem - lição 04
2021 2º trimestre jovem - lição 04
Joel Silva
 
2021 2º trimestre jovem - lição 09
2021   2º trimestre jovem - lição 092021   2º trimestre jovem - lição 09
2021 2º trimestre jovem - lição 09
Joel Silva
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
Natalino das Neves Neves
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
Joel Silva
 

Mais procurados (19)

2021 2º trimestre jovem - lição 06
2021   2º trimestre jovem - lição 062021   2º trimestre jovem - lição 06
2021 2º trimestre jovem - lição 06
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
2021 1º trimestre jovens lição 12
2021 1º trimestre jovens lição 122021 1º trimestre jovens lição 12
2021 1º trimestre jovens lição 12
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
2021 2º trimestre jovem - lição 02
2021   2º trimestre jovem - lição 022021   2º trimestre jovem - lição 02
2021 2º trimestre jovem - lição 02
 
2021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 122021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 12
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
 
2021 1º trimestre jovens lição 11
2021 1º trimestre jovens lição 112021 1º trimestre jovens lição 11
2021 1º trimestre jovens lição 11
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igrejaLBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
 
2021 2º trimestre jovem - lição 08
2021   2º trimestre jovem - lição 082021   2º trimestre jovem - lição 08
2021 2º trimestre jovem - lição 08
 
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoraçãoLBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração
 
2021 2º trimestre jovens lição 11
2021 2º trimestre jovens lição 112021 2º trimestre jovens lição 11
2021 2º trimestre jovens lição 11
 
2021 2º trimestre jovem - lição 04
2021   2º trimestre jovem - lição 042021   2º trimestre jovem - lição 04
2021 2º trimestre jovem - lição 04
 
2021 2º trimestre jovem - lição 09
2021   2º trimestre jovem - lição 092021   2º trimestre jovem - lição 09
2021 2º trimestre jovem - lição 09
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 

Semelhante a Colossences 1 (parte 2)

Colossenses - Cap. 01 parte 02
Colossenses - Cap. 01 parte 02Colossenses - Cap. 01 parte 02
Colossenses - Cap. 01 parte 02
Daniel M Junior
 
Do esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à quedaDo esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à queda
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
friezaespiritual-160117125016 (1).pdf
friezaespiritual-160117125016 (1).pdffriezaespiritual-160117125016 (1).pdf
friezaespiritual-160117125016 (1).pdf
Tiago Silva
 
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Eliel Pimenta Pimenta
 
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptxebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptxestudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
Tiago Silva
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
Joel Silva
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
Joel Silva
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
Joel Silva
 
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptxAula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
JosMauroPiresCoutinh
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
Joel Silva
 
Lição 11 - O jovem e a comunidade
Lição 11 - O jovem e a comunidadeLição 11 - O jovem e a comunidade
Lição 11 - O jovem e a comunidade
Natalino das Neves Neves
 
Crescendo na vida
Crescendo na vidaCrescendo na vida
Crescendo na vida
cibelefernoli
 
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptxEvangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
lindalva da cruz
 
Textos Cristaos
Textos CristaosTextos Cristaos
Textos Cristaos
Rafael2000a
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel Silva
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel de Oliveira
 
Paul washer o_unico_deus_verdadeiro
Paul washer o_unico_deus_verdadeiroPaul washer o_unico_deus_verdadeiro
Paul washer o_unico_deus_verdadeiro
Mateus Bragança
 
ministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdfministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdf
GerbesonOliveira
 
3-Crescimento Espiritual.pdf
3-Crescimento Espiritual.pdf3-Crescimento Espiritual.pdf
3-Crescimento Espiritual.pdf
fernando pereira
 

Semelhante a Colossences 1 (parte 2) (20)

Colossenses - Cap. 01 parte 02
Colossenses - Cap. 01 parte 02Colossenses - Cap. 01 parte 02
Colossenses - Cap. 01 parte 02
 
Do esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à quedaDo esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à queda
 
friezaespiritual-160117125016 (1).pdf
friezaespiritual-160117125016 (1).pdffriezaespiritual-160117125016 (1).pdf
friezaespiritual-160117125016 (1).pdf
 
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
 
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptxebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
ebd-2o-trimestre-licao-9-2018-adulto.pptx
 
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptxestudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptxAula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
Aula 5- O homem aprovado pela fé – Rev. Lucas Andrade.pptx
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 
Lição 11 - O jovem e a comunidade
Lição 11 - O jovem e a comunidadeLição 11 - O jovem e a comunidade
Lição 11 - O jovem e a comunidade
 
Crescendo na vida
Crescendo na vidaCrescendo na vida
Crescendo na vida
 
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptxEvangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
Evangelismo 21-10 -de-Aula.pptx
 
Textos Cristaos
Textos CristaosTextos Cristaos
Textos Cristaos
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
Paul washer o_unico_deus_verdadeiro
Paul washer o_unico_deus_verdadeiroPaul washer o_unico_deus_verdadeiro
Paul washer o_unico_deus_verdadeiro
 
ministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdfministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdf
 
3-Crescimento Espiritual.pdf
3-Crescimento Espiritual.pdf3-Crescimento Espiritual.pdf
3-Crescimento Espiritual.pdf
 

Mais de Joel Silva

A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
Joel Silva
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
Joel Silva
 
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsComo devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Joel Silva
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamento
Joel Silva
 
Dominando a ira
Dominando a iraDominando a ira
Dominando a ira
Joel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
Doutrina ii corintios
Doutrina  ii corintiosDoutrina  ii corintios
Doutrina ii corintios
Joel Silva
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
Joel Silva
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizades
Joel Silva
 
Doutrina o trigo e joio
Doutrina  o trigo e joioDoutrina  o trigo e joio
Doutrina o trigo e joio
Joel Silva
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 
Doutrina tiago 3 (parte 1)
Doutrina  tiago 3 (parte 1)Doutrina  tiago 3 (parte 1)
Doutrina tiago 3 (parte 1)
Joel Silva
 
Doutrina tiago 4 (parte 1)
Doutrina  tiago 4 (parte 1)Doutrina  tiago 4 (parte 1)
Doutrina tiago 4 (parte 1)
Joel Silva
 
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Doutrina  tiago 4 (parte 2)Doutrina  tiago 4 (parte 2)
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Joel Silva
 
Doutrina tiago 5
Doutrina  tiago 5Doutrina  tiago 5
Doutrina tiago 5
Joel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
 
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsComo devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãs
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamento
 
Dominando a ira
Dominando a iraDominando a ira
Dominando a ira
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Doutrina ii corintios
Doutrina  ii corintiosDoutrina  ii corintios
Doutrina ii corintios
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizades
 
Doutrina o trigo e joio
Doutrina  o trigo e joioDoutrina  o trigo e joio
Doutrina o trigo e joio
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
Doutrina tiago 3 (parte 1)
Doutrina  tiago 3 (parte 1)Doutrina  tiago 3 (parte 1)
Doutrina tiago 3 (parte 1)
 
Doutrina tiago 4 (parte 1)
Doutrina  tiago 4 (parte 1)Doutrina  tiago 4 (parte 1)
Doutrina tiago 4 (parte 1)
 
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Doutrina  tiago 4 (parte 2)Doutrina  tiago 4 (parte 2)
Doutrina tiago 4 (parte 2)
 
Doutrina tiago 5
Doutrina  tiago 5Doutrina  tiago 5
Doutrina tiago 5
 

Último

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 

Último (15)

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 

Colossences 1 (parte 2)

  • 2. Quando nos ajoelhamos entendemos a majestade de Deus e a limitação humana. Um santo de joelhos enxerga mais longe que um filósofo na ponta dos pés! Abaixo vamos listar 4 pontos essenciais sobre a oração.
  • 3. 01) A oração deve expressar nossas necessidades. • Embora Paulo estivesse preso, algemado ao corredor da morte, prestes a ser decapitado, ele não perde tempo com orações sobre necessidades físicas ou materiais. • Ele concentra suas orações nas bênçãos espirituais. • Warren Wiersbe escreveu: “As necessidades espirituais são imensamente mais importantes do que as necessidades materiais”. • Se nossas orações estiverem distantes dos exemplos de Jesus Cristo e do apóstolo Paulo, nos tornamos pagãos em nossas atitudes e pensamentos.
  • 4. D.A Carson levanta uma questão solene quando escreve: Devemos nos perguntar o quanto de nossos pedidos que normalmente apresentamos a Deus são diferentes dos pedidos de Paulo. Suponha que 80 ou 90% das nossas petições pedem a Deus boa saúde, segurança nas estradas, um bom emprego, sucesso em uma prova, pelas necessidades de nossos filhos, sucesso na solicitação de um financiamento, e muitas outras coisas deste tipo. Quanto as orações de Paulo se parecem com as nossas? Se em nada se parecem algo vai muito mal em nossa vida espiritual.
  • 5. 02) A oração deve incluir aqueles que conhecemos • As orações de Paulo não eram egoístas. • Ele ora pelos cristãos em Colossos que não conhecia e jamais havia visto. • Podemos amar, chorar e erguer nosso clamor aos céus por aqueles que nossos olhos ainda não viram. • Pela oração podemos alcançar o mundo inteiro e não apenas nosso “próprio mundo”. • Pela oração podemos abençoar vidas que nunca conhecemos ou pessoas que estão fora de nosso círculo de amizade , familiar ou profissional.
  • 6. • Gastamos muito tempo pedindo por nós mesmos ou pelas pessoas que amamos e nos esquecemos totalmente de orarmos pelo próximo, até mesmo quando este “próximo” é um irmão ou irmã de nossa própria comunidade de fé. • Oramos muito pouco pelas reais necessidades das pessoas e pelos outros.
  • 8. 03) A oração deve ser regida por uma atitude perseverante • Paulo não conhecia os irmãos em Colossos mas, orou por eles sem cessar. • Ele não desistia no meio do caminho. • Embora tivesse muitos assuntos pessoais para se preocupar, seu foco estava em rogar a Deus a favor de outras pessoas. • Paulo nunca usou a velha desculpa tão comum para nós: “Eu estava sem tempo para orar”.
  • 9. 04) A oração deve ser ousada na busca pela plenitude • Paulo orava com ousadia e coragem! • Ele não orava desconfiando do poder de Deus. • Ele busca a face do Senhor cheio de confiança e pede para a Igreja de Colossos: pleno conhecimento da Vontade de Deus - (09); plena dignidade; plenitude na boa obra; pleno conhecimento • (10); plena perseverança ; plena paciência com alegria • (11). Este é o modo como Paulo orava! Ele confiava no poder de Deus!
  • 10. OS FRUTOS DE UMA VIDA DIGNA (10,11) Paulo cita que há 4 maneiras de vivermos uma vida digna diante de Deus: Em primeiro lugar: • Quando vivemos para agradar a Deus em todas as coisas. • Devemos nos esforçar para agradar a Deus em tudo o que fazemos, falamos e pensamos. • O fim principal do homem é glorificar a Deus em tudo!
  • 11. • Quem busca apenas agradar aos homens não pode agradar a Deus. • Tenhamos muito cuidado para não ajustar nossas vidas para alcançar apenas elogios humanos. • Olhemos para o alto e digamos: Preciso agradar a Deus e somente a Ele, mesmo que isto me custe críticas e perseguições da parte dos homens.
  • 12. Segundo lugar: • Vivemos uma vida digna quando frutificamos em toda a boa obra. Boas intenções e belas palavras nada valem. • O cristão precisa dar bons frutos! • Sua união com Cristo é comprovada através dos frutos (João 15:08).
  • 13. Terceiro lugar: • Vivemos uma vida digna quando crescemos no conhecimento de Deus. • Esse conhecimento não é teórico, mas experimental. • É levar Deus a sério! • É andar face a face com Deus, e esse conhecimento é dinâmico e progressivo. • O profeta Oséias diz que devemos conhecer e prosseguir em conhecer a Deus (06:03).
  • 14. Quarto lugar: • Vivemos uma vida digna quando somos fortalecidos no poder de Deus. • Por que muitas vezes não fazemos o que é certo? • Porque falta poder de Deus em nossas vidas! • Por meio da oração alcançamos não apenas conhecimento da vontade de Deus, mas também poder para realizá-la.
  • 15. A capacitação por meio da oração – 11-12 • A oração nos capacita para enfrentarmos os grandes desafios da vida. • No verso 11 aparece a palavra grega “hupomone” que significa perseverança. • Esta palavra é uma das mais ricas do Novo Testamento, ela fala de perseverança em meio às tribulações. • O comentarista bíblico Willian Barclay esclarece que “hupomone” não só significa perseverança, mas também uma capacidade de suportar as dificuldades para transformar as lutas em vitórias.
  • 16. • Trata-se de uma perseverança triunfadora! • É a capacidade de sair triunfante de qualquer problema ou situação. • Depois o apóstolo Paulo usa outra palavra no grego muito importante: makrothymia. • Esta palavra significa paciência, longanimidade. • É um tipo de ânimo levado ao máximo de seu potencial. • É a atitude de abençoar , de acolher e pagar o mal com o bem.
  • 17. • É orar pelos inimigos e abençoar aqueles que nos perseguem. É a atitude de alguém que jamais perde a paciência. • Além disso, esta pessoa não perde a alegria. • A alegria cristã deve estar presente em todas as circunstâncias da vida e diante de todas as pessoas. • Paulo ora pedindo que os cristãos em Colossos tenham perseverança, paciência extrema e alegria. • É o cristão que passa pela tempestade da vida cantando e louvando. • É o cristão que atravessa o vale do sofrimento e das lágrimas exultando a Deus.
  • 18. • É o cristão que canta na prisão assim como Paulo e Silas – Atos 16:25. • Como Jó este cristão sabe que Deus inspira canções de louvor até nas noites mais escuras. • É importante ressaltar que esta alegria não é um sentimento natural que nós mesmos criamos, mas algo que o Espírito Santo produz em nós. • Alegria é fruto do Espírito! • E depois de tanta alegria vem a gratidão. • Os cristãos em Colossos eram gratos assim como o apóstolo Paulo. • Alegria e gratidão... marcas de um cristão verdadeiro.
  • 19. Próxima semana: Capítulo 01:13-17 A MAGNÍFICA OBRA DE CRISTO!