SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
 Tema: Deus e o Casamento
 Texto: Mt 19.1-12
O Casamento é “a união corporal e espiritual mais profunda
entre o homem e a mulher”.
Quando criou o homem, Deus declarou que ele não estaria
completo sem uma companheira.
“O Casamento relega outros vínculos humanos a um papel
secundário”.
“E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só;
far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.” (Gn 2.18)
Deus criou o casamento como uma união exclusiva entre um
homem e uma mulher.
Uma união total (física, emocional, intelectual e espiritual),
que exclui a infidelidade.
“A união física no casamento tem um sentido espiritual por ir
além de si mesma até a unidade total do marido e da
mulher”, como Cristo e a igreja.
“Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à
sua mulher, e serão ambos uma carne.” (Gn 2.24; Mt 19.5; Ef 5.31)
Cristo declarou que no princípio o Pai planejou este
relacionamento exclusivo.
Para Jesus o casamento é uma união indissolúvel, em que dois se
tornam um e que somente a morte pode separá-los.
“Portanto, o que Deus ajuntou, não o separe o homem.” (Mc
10.5-9).
Diferentemente das sociedades antigas, para Deus homens e
mulheres são iguais: “uma só carne”.
Paulo mostra a mútua dependência entre os gêneros, na relação
do casamento (1 Co 11.11,12), elevando as mulheres a uma
posição de igual dignidade com os homens.
“Todavia, nem o varão é sem a mulher, nem a mulher sem o
varão, no SENHOR. Porque, como a mulher provém do varão,
assim também o varão provém da mulher, mas tudo vem de
Deus. ” (1 Co 11.11,12)
Apesar de terem o mesmo valor, homem e mulher recebem
de Deus papéis diferentes no casamento.
Há uma hierarquia de função e de autoridade e não de valor
e isto é determinado pela ordem da criação (1 Co 11.8,9).
“Porque o varão não provém da mulher, mas a mulher do varão.
Porque também o varão não foi criado por causa da mulher,
mas a mulher por causa do varão” (1 Co 11.8,9)
Ao homem o Criador deu o papel de cabeça da família e à sua
esposa, de sua auxiliadora.
A subordinação da esposa ao marido deve ser de boa
vontade, pois Deus coloca sobre o marido a responsabilidade
pelo bem-estar do relacionamento conjugal (1 Tm 3.4-5).
Os filhos devem igualmente honrar pai e mãe (Ex 20.12; Rm
1.30; Ef 6.2).
“que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em
sujeição, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe
governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de
Deus?)”. (1 Tm 3.4,5)
Deus permitiu ao homem dar o divórcio se encontrasse na
mulher “coisa indecente” - alguma conduta sexual imprópria
e grave (Dt 24.1).
O Senhor regulamenta o divórcio, mas não o recomenda, nem
o aprova. O profeta Malaquias anuncia: “Deus odeia o
divórcio” (Ml 2.16) e condena a infidelidade. O divórcio é
apenas uma permissão e não um mandamento.
“Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela,
então, será que, se não achar graça em seus olhos, por nela
achar coisa feia, ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na
sua mão, e a despedirá da sua casa.” (Dt 24.1)
Quais os motivos válidos para o divórcio? Jesus aponta a
intenção original de Deus (Mt 19.4; Mc 10.6), a
indissolubilidade.
O casamento é o padrão estabelecido por Deus para o
relacionamento sexual pessoal.
Cristo coloca o divórcio e o novo casamento na categoria de
adultério (Mt 19.9). Quebrar o mandamento: “Não
adulterarás” (Ex 20.14) é uma infidelidade a uma aliança.
Ao afirmar que Moisés permitiu o divórcio “por causa da
dureza dos corações” Jesus afirma que o divórcio é uma
expressão da pecaminosidade humana.
O Criador afirma que odeia o divórcio (Ml 2.16).
Até mesmo a opção “não sendo por causa de prostituição”
deve ser visto apenas como uma permissão, pois o caminho
do perdão e da reconciliação é sempre o recomendado por
Cristo (Lc 17.4).
“Pois eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel, e
aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de
vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e não sejais infiéis.” (Lc
17.4 ARA)
Entre os gregos o homem e a mulher poderiam pedir o
divórcio. Em Israel, apenas o homem. Mas Deus diz que o
cristão, mesmo casado com uma não crente, não deve querer
o divórcio (1 Co 7.12,13).
Assim, se for possível, o casamento deve ser preservado
sempre, mesmo havendo divergências religiosas entre os
cônjuges. O cônjuge incrédulo pode ser conduzido a Cristo
pelo comportamento do crente (1 Pe 3.1).
“SEMELHANTEMENTE vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos
próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à
palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem
palavra” (1 Pe 3.1)
Aos ministros do evangelho Paulo ordena veementemente
que sejam “maridos de uma só mulher” (1 Tm 3.2; Tt 1.6).
Cristo fala de três tipos de eunucos: a) o congenitamente
defeituoso; b) o fisicamente incapacitado; c) o abstinente
voluntário.
“Convém pois que o bispo seja irrepreensível, marido de uma
mulher, vigilante, sério, honesto, hospitaleiro, apto para
ensinar” (1 Tm 3.2)
Quem não pode escolher uma esposa e manter com ela um
relacionamento vitalício não deve casar.
Jesus afirmou que isto não é para todos, mas para aqueles
que tem condições para isto, pela graça divina.
Não é pecado não casar, mas casar e desfazer este
compromisso por qualquer tolice.
O casamento, aos olhos de Deus é uma união total e
exclusiva entre um homem e uma mulher.
Os cônjuges devem viver em fidelidade e dedicação um ao
outro enquanto os dois viverem, pois o Senhor não aprova
o divórcio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O divórcio lição 07 para ebd
O divórcio   lição 07 para ebdO divórcio   lição 07 para ebd
O divórcio lição 07 para ebd
joseph2012sky
 

Mais procurados (19)

Divorcio
DivorcioDivorcio
Divorcio
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
O casamento misto
O casamento mistoO casamento misto
O casamento misto
 
Heterossexual
HeterossexualHeterossexual
Heterossexual
 
Lição o divórcio
Lição   o divórcioLição   o divórcio
Lição o divórcio
 
O divórcio lição 07 para ebd
O divórcio   lição 07 para ebdO divórcio   lição 07 para ebd
O divórcio lição 07 para ebd
 
1 Tessalonicenses 5
1 Tessalonicenses 51 Tessalonicenses 5
1 Tessalonicenses 5
 
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para criançasPaciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
 
A Condição humana e espiritualidade cristã - Agostinho x Pelágio
A Condição humana e espiritualidade cristã - Agostinho x PelágioA Condição humana e espiritualidade cristã - Agostinho x Pelágio
A Condição humana e espiritualidade cristã - Agostinho x Pelágio
 
Cards Sacramentos
Cards SacramentosCards Sacramentos
Cards Sacramentos
 
Publicação 6 a arte do casamento
Publicação 6   a arte do casamentoPublicação 6   a arte do casamento
Publicação 6 a arte do casamento
 
Casamento nos tempos bíblico
Casamento nos tempos bíblicoCasamento nos tempos bíblico
Casamento nos tempos bíblico
 
Familias imperfeitas 2
Familias imperfeitas 2Familias imperfeitas 2
Familias imperfeitas 2
 
A infidelidade conjugal
A infidelidade conjugalA infidelidade conjugal
A infidelidade conjugal
 
Sacramento reconciliação 2015
Sacramento reconciliação 2015Sacramento reconciliação 2015
Sacramento reconciliação 2015
 
1 ebd 2017 lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias
1 ebd 2017   lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias1 ebd 2017   lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias
1 ebd 2017 lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias
 
Segunda carta aos corintios 13
Segunda carta aos corintios 13Segunda carta aos corintios 13
Segunda carta aos corintios 13
 
LIÇÃO 03 - ESPERANDO A VOLTA DE JESUS
LIÇÃO 03 - ESPERANDO A VOLTA DE JESUSLIÇÃO 03 - ESPERANDO A VOLTA DE JESUS
LIÇÃO 03 - ESPERANDO A VOLTA DE JESUS
 
Deus é Perdoador
Deus é PerdoadorDeus é Perdoador
Deus é Perdoador
 

Semelhante a Deus e o casamento

I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
FreiSauloSilva
 
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRILição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
Gérson Fagundes da Cunha
 
Alicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento felizAlicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento feliz
antonio ferreira
 
A família protestante vivendo na dinâmica do espírito
A família protestante vivendo na dinâmica do espíritoA família protestante vivendo na dinâmica do espírito
A família protestante vivendo na dinâmica do espírito
Vilmar Nascimento
 

Semelhante a Deus e o casamento (20)

I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
 
A Aliança de Deus no Casamento
A Aliança de Deus no CasamentoA Aliança de Deus no Casamento
A Aliança de Deus no Casamento
 
Lição 7
Lição 7Lição 7
Lição 7
 
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominicalO divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
 
A arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amadoA arte de amar e ser amado
A arte de amar e ser amado
 
EBD 2022.pptx
EBD 2022.pptxEBD 2022.pptx
EBD 2022.pptx
 
O Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptxO Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptx
 
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRILição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº2 - Casamento uma união vitálicia (13 de abril de 2013) - 2º TRI
 
EBD 2022.pptx
EBD 2022.pptxEBD 2022.pptx
EBD 2022.pptx
 
Causas de maldicao Parte III 19
Causas de maldicao Parte III 19Causas de maldicao Parte III 19
Causas de maldicao Parte III 19
 
2 casamento religioso
2 casamento religioso2 casamento religioso
2 casamento religioso
 
PALESTRA-PARA-CASAIS.pdf
PALESTRA-PARA-CASAIS.pdfPALESTRA-PARA-CASAIS.pdf
PALESTRA-PARA-CASAIS.pdf
 
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADELBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
 
LIÇÃO 4 - A SUTILEZA DA NORMALIZAÇÃO DO DIVÓRCIO.pptx
LIÇÃO 4 - A SUTILEZA DA NORMALIZAÇÃO DO DIVÓRCIO.pptxLIÇÃO 4 - A SUTILEZA DA NORMALIZAÇÃO DO DIVÓRCIO.pptx
LIÇÃO 4 - A SUTILEZA DA NORMALIZAÇÃO DO DIVÓRCIO.pptx
 
Alicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento felizAlicerces para um casamento feliz
Alicerces para um casamento feliz
 
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textosCasamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
Casamento: um presente dado no Éden_Lição_original_912013_com_textos
 
Casamento familia
Casamento familiaCasamento familia
Casamento familia
 
A família protestante vivendo na dinâmica do espírito
A família protestante vivendo na dinâmica do espíritoA família protestante vivendo na dinâmica do espírito
A família protestante vivendo na dinâmica do espírito
 
Lar cristao
Lar cristaoLar cristao
Lar cristao
 

Mais de Joel Silva

Mais de Joel Silva (20)

A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
 
Colossences 4
Colossences 4Colossences 4
Colossences 4
 
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsComo devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãs
 
Dominando a ira
Dominando a iraDominando a ira
Dominando a ira
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Doutrina ii corintios
Doutrina  ii corintiosDoutrina  ii corintios
Doutrina ii corintios
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizades
 
Doutrina o trigo e joio
Doutrina  o trigo e joioDoutrina  o trigo e joio
Doutrina o trigo e joio
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (10)

Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 

Deus e o casamento

  • 1.
  • 2.  Tema: Deus e o Casamento  Texto: Mt 19.1-12
  • 3. O Casamento é “a união corporal e espiritual mais profunda entre o homem e a mulher”. Quando criou o homem, Deus declarou que ele não estaria completo sem uma companheira. “O Casamento relega outros vínculos humanos a um papel secundário”. “E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele.” (Gn 2.18)
  • 4. Deus criou o casamento como uma união exclusiva entre um homem e uma mulher. Uma união total (física, emocional, intelectual e espiritual), que exclui a infidelidade. “A união física no casamento tem um sentido espiritual por ir além de si mesma até a unidade total do marido e da mulher”, como Cristo e a igreja. “Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” (Gn 2.24; Mt 19.5; Ef 5.31)
  • 5. Cristo declarou que no princípio o Pai planejou este relacionamento exclusivo. Para Jesus o casamento é uma união indissolúvel, em que dois se tornam um e que somente a morte pode separá-los. “Portanto, o que Deus ajuntou, não o separe o homem.” (Mc 10.5-9).
  • 6. Diferentemente das sociedades antigas, para Deus homens e mulheres são iguais: “uma só carne”. Paulo mostra a mútua dependência entre os gêneros, na relação do casamento (1 Co 11.11,12), elevando as mulheres a uma posição de igual dignidade com os homens. “Todavia, nem o varão é sem a mulher, nem a mulher sem o varão, no SENHOR. Porque, como a mulher provém do varão, assim também o varão provém da mulher, mas tudo vem de Deus. ” (1 Co 11.11,12)
  • 7. Apesar de terem o mesmo valor, homem e mulher recebem de Deus papéis diferentes no casamento. Há uma hierarquia de função e de autoridade e não de valor e isto é determinado pela ordem da criação (1 Co 11.8,9). “Porque o varão não provém da mulher, mas a mulher do varão. Porque também o varão não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do varão” (1 Co 11.8,9)
  • 8. Ao homem o Criador deu o papel de cabeça da família e à sua esposa, de sua auxiliadora. A subordinação da esposa ao marido deve ser de boa vontade, pois Deus coloca sobre o marido a responsabilidade pelo bem-estar do relacionamento conjugal (1 Tm 3.4-5). Os filhos devem igualmente honrar pai e mãe (Ex 20.12; Rm 1.30; Ef 6.2). “que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)”. (1 Tm 3.4,5)
  • 9. Deus permitiu ao homem dar o divórcio se encontrasse na mulher “coisa indecente” - alguma conduta sexual imprópria e grave (Dt 24.1). O Senhor regulamenta o divórcio, mas não o recomenda, nem o aprova. O profeta Malaquias anuncia: “Deus odeia o divórcio” (Ml 2.16) e condena a infidelidade. O divórcio é apenas uma permissão e não um mandamento. “Quando um homem tomar uma mulher e se casar com ela, então, será que, se não achar graça em seus olhos, por nela achar coisa feia, ele lhe fará escrito de repúdio, e lho dará na sua mão, e a despedirá da sua casa.” (Dt 24.1)
  • 10. Quais os motivos válidos para o divórcio? Jesus aponta a intenção original de Deus (Mt 19.4; Mc 10.6), a indissolubilidade. O casamento é o padrão estabelecido por Deus para o relacionamento sexual pessoal. Cristo coloca o divórcio e o novo casamento na categoria de adultério (Mt 19.9). Quebrar o mandamento: “Não adulterarás” (Ex 20.14) é uma infidelidade a uma aliança.
  • 11. Ao afirmar que Moisés permitiu o divórcio “por causa da dureza dos corações” Jesus afirma que o divórcio é uma expressão da pecaminosidade humana. O Criador afirma que odeia o divórcio (Ml 2.16). Até mesmo a opção “não sendo por causa de prostituição” deve ser visto apenas como uma permissão, pois o caminho do perdão e da reconciliação é sempre o recomendado por Cristo (Lc 17.4). “Pois eu detesto o divórcio, diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e não sejais infiéis.” (Lc 17.4 ARA)
  • 12. Entre os gregos o homem e a mulher poderiam pedir o divórcio. Em Israel, apenas o homem. Mas Deus diz que o cristão, mesmo casado com uma não crente, não deve querer o divórcio (1 Co 7.12,13). Assim, se for possível, o casamento deve ser preservado sempre, mesmo havendo divergências religiosas entre os cônjuges. O cônjuge incrédulo pode ser conduzido a Cristo pelo comportamento do crente (1 Pe 3.1). “SEMELHANTEMENTE vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra” (1 Pe 3.1)
  • 13. Aos ministros do evangelho Paulo ordena veementemente que sejam “maridos de uma só mulher” (1 Tm 3.2; Tt 1.6). Cristo fala de três tipos de eunucos: a) o congenitamente defeituoso; b) o fisicamente incapacitado; c) o abstinente voluntário. “Convém pois que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sério, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar” (1 Tm 3.2)
  • 14. Quem não pode escolher uma esposa e manter com ela um relacionamento vitalício não deve casar. Jesus afirmou que isto não é para todos, mas para aqueles que tem condições para isto, pela graça divina. Não é pecado não casar, mas casar e desfazer este compromisso por qualquer tolice.
  • 15. O casamento, aos olhos de Deus é uma união total e exclusiva entre um homem e uma mulher. Os cônjuges devem viver em fidelidade e dedicação um ao outro enquanto os dois viverem, pois o Senhor não aprova o divórcio.

Notas do Editor

  1. Jesus está no período chamado “ministério na Peréia” (caps. 19,20). Havia duas correntes: Shammai dizia que era a infidelidade conjugal. Hillel dizia que eram coisas triviais, como queimar comida, falar alto, etc.
  2. Foi o Criador quem criou o casamento como algo bom e até necessário para o homem.
  3. Quebrar o mandamento: “Não adulterarás” (Ex 20.14) é uma infidelidade a uma aliança, um ato grave e pecaminoso.
  4. Quem não pode escolher uma esposa e manter com ela um relacionamento vitalício não deve aventurar-se no casamento. Os discípulos disseram: “assim não convém casar”.