SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
ESBOÇO
• CAPÍTULO 1: A ALEGRIA EM GLORIFICAR A
CRISTO NA ATITUDE E NO SOFRIMENTO
• CAPÍTULO 2: A ALEGRIA EM IMITAR A CRISTO,
O MODELO E NA PRÁTICA
• CAPÍTULO 3: A ALEGRIA NA SALVAÇÃO E NO
GALARDÃO EM CRISTO
• CAPÍTULO 4: A ALEGRIA DE SERVIR A CRISTO
CAPÍTULO 3 – A ALEGRIA DE SERVIR A
CRISTO
• Se estamos buscando alegria na vida Cristã, a
carta de Paulo aos Filipenses é chave. Paulo
refere ao conceito de “alegria” em 16 ocasiões
na carta.
• Em particular, o capítulo quatro se considera o
“capítulo da alegria” da Bíblia. Nos exorta que se
buscamos alegria, devemos buscar fora de nós
mesmos para sua fonte.
• A vida presente nos oferece satisfação
temporária porque as coisas terrenas vem e vão.
Paulo indica que a alegria que dura vem de uma
relação íntima com Deus.
TUDO QUE É VERDADEIRO
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
No versículo cinco, Paulo
diz, “Seja a vossa
moderação conhecida
de todos os homens” A
moderação é a
qualidade intrínseca da
alegria. Tem a ver em
não insistir em direitos
individuais mas em
considerar o bem do
próximo. Devemos
mostrar esta qualidade
não somente aos irmãos
na fé, mas “a todos”, é
dizer aos não
convertidos também.
A mentira destrói
relações, fomentando
suspeita e falta de
confiança. Não pode
haver alegria nisso, não
é verdade? É importante
notar que a qualidade
da ‘verdade’ é a
primeira que Paulo
menciona.
Falar de moderação é
uma coisa. Praticar é
outra coisa
Moderação é altruísmo e
respeito pelos outros (Fp
2:1-4). Raramente
mencionada nos escritos
de Paulo, a amabilidade é
algo que se espera dos
cristãos e dos líderes da
igreja.
TUDO QUE É HONESTO
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
Paulo enfatiza outro
motivo de alegria. É a
presença constante de
Deus em nossas vidas,
em toda circunstância
que nos apresente.
Em nossa honestidade,
reconhecemos que Deus
é a fonte de alegria que
flui do discípulo fiel.
Se queremos manter a
alegria, devemos ter
valores honestos e
piedosos.
Nosso falar, nossa
atitude, nossas ações
devem ser repletos de
respeito.
Se respondêssemos
como Jesus em qualquer
situação, avançaremos
em alegria verdadeira.
Paulo havia aprendido
estar contente em toda
circunstância porque
assimilou em focar não
no que temos ou não
temos, mas no que
devemos fazer.
Prosperidade pode gerar
uma segurança falsa que
nos tira a alegria
verdadeira.
TUDO QUE É JUSTO
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
Paulo está falando de
encontrar nossa alegria
em ser livre de
preocupação
Paulo insiste que não
nos preocupemos “por
nada”. O importante é
não ser auto-centrado
mas Deus-centrado.
Assim não nos cedemos
a ansiedade. Mais bem
devemos submeter
nossas inquietações a
Deus que nos cuida.
Se algo não anda bem
em nossa relação com
Deus, devemos resolvê-
lo para que não impeça
a alegria que Deus quer
que tenhamos.
Nossa consciência é
uma dádiva de Deus.
Não temos a fortaleza
por natureza própria
mas Cristo nos a injeta
quando dependemos de
suas promessas. Então
sentimos a alegria
verdadeira de que Paulo
nos fala. Alegria
verdadeira vem da
presença do Espírito de
Cristo e a união íntima
com o Senhor por meio
da obra do Espírito
Santo.
TUDO QUE É PURO
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
O puro diante de Deus é
depender dEle para a
fundação da alegria
verdadeira. O antídoto a
inquietude não é mais
esforço pessoal, nem
tampouco inatividade o
apatia, mas oração
seguida com ação
O impuro em nosso
corpo físico nos pode
envenenar. O mesmo
passa com o impacto
negativo dos vícios em
nossa mente. No
contexto dos Filipenses
temos visto que havia
muita impureza pagã
que influenciava a
cultura greco-romana do
primeiro século. Paulo
insiste que o antitóxico
da infecção que resulta
do pecado é a aplicação
do puro
O puro provem da
comunhão expressa em
compartilhar.
Foi motivado pela
alegria e resultou em
ainda mais alegria. Isso
é um exemplo de
construir alegria sobre
alegria
TUDO QUE É AMÁVEL
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
No coração de ser
amãvel está a condição
de ser um com Deus em
amor
Uma vez mais
aprendemos o que
Paulo está ensinando
por meio de considerar
a inversa qualidade que
seria ‘tristeza’. Sabemos
que a tristeza é
acompanhado de dor e
relações rotas
Tem o significado de ser
‘amável para’, é dizer
‘ser amável em relação
com o próximo’.
Havia muitos intentos da
parte dos inimigos do
evangelho de
desacreditar a
credibilidade e a
apostolicidade de Paulo
de qualquer maneira.
Paulo estava entre a
espada e a parede. Se
aceitasse as dádivas, o
consideraria codicioso.
Mas se não aceitasse, o
acusaria de ser
orgulhoso
TUDO QUE É DE BOA FAMA
A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA
Também usado apena
aqui no Novo
Testamento, é o mesmo
que louvável
O inverso de um bom
testemunho é
‘desprezível’ que nos
leva a condição do
coração e os
pensamentos ao que
Paulo refere no v. 7.
Um mal nome resulta
em falta de respeito,
que resulta em
incapacidade de ganhar
a confiança das pessoas
Paulo exorta que os
Filipenses sigam o
ensinamento e o
exemplo dele mesmo e
ele afirma que estão
fazendo bem. Deus
proverá a necessidades,
tanto material como
espiritual, não
necessariamente de
todo o mundo, mas de
seu povo em particular
que temos privilégios
especiais.
A PRÁTICA DA ALEGRIA EM SERVIR A
CRISTO
• Podemos dizer, com toda sinceridade, que temos
aprendido a estar contente seja qual seja a
situação na que nos encontramos?
• Qual é o segredo do contentamento na vida
cristã? Como aprendemos a estar contentes
quando passamos por tempos difíceis? E quais
são os retos de manter contentamento
verdadeiro em tempos de abundância e benção?
• Paulo nos exorta aprender a estarmos contentes
em ambas circunstâncias. Mas, como?
CONTENTAMENTO NA NECESSIDADE
• É uma chamada a ser ‘autocontente’ não tanto por que
podemos tirar a nós mesmos da miséria que
acompanha as dificuldades mas porque temos o poder
de Deus para vencer os ataques que nos apresentam.
• Não significa que devemos aceitar a condição sem
buscar um remédio. Tampouco significa ser indiferente.
Não devemos buscar sofrimento para algum motivo de
piedade falsa. Lutas se apresentam sem buscá-las
ativamente
• Não permitindo que as lutas sejam o fator
determinante em nossas vidas senão acordemos que
nosso Deus poderoso se oferece a controlar as
condições de luta que se nos apresentam justo no
momento que o necessitamos
CONTENTAMENTO NA ABUNDÂNCIA
• Pelo que Paulo fala de estar contente não
somente quando houver necessidade. O
interessante é que nos diz que ele tem
aprendido estar contente em tempos de
abundância também.
• Reconhece que tanto dificuldade como em
plenitude nos poderiam tirar o contentamento
• Paulo vivia abundância de benção no que
havia cumprido em seu ministério. Depois de
sua conversão
É MAIS FACIL ESTAR CONTENTE NA
ABUNDÂNCIA OU NA NECESSIDADE?
• Nossa primeira reação seria responder que é mais fácil
estar contente em situações de abundância. Mas Paulo
nos faz reconsiderar a resposta. Ele está apresentando
um fato aos que tem sido muito abençoado.
• O problema é que muitas vezes a abundância começa a
controlar nossa vida porque temos a tendência de
duvidar-nos de Deus e depender mais em nossa
plenitude. Muitas vezes escutamos pessoas dizendo,
“Tenho saúde. Tenho conta bancária. As relações
familiares e com amigos são boas, para que necessito
de Deus?”
• Quando temos necessidades, não devemos
permitir que a situação controle nossa vida
senão que devemos dirigir as circunstâncias a
Deus para que os controle a nosso favor
como somente Ele pode.
• Na abundância não devemos deixar que a
plenitude controle nossa vida mas devemos
fazer como nos ensina Paulo em dar-lhe
graças a Deus de quem vem toda bênçãos e
pedir-lhe que nos ajude a manter nossos
olhos firmes nEle e não em nós mesmos.
CONCLUSÃO
• A carta é eminentemente prática, tanto para os irmãos
na igreja em Filipos como para cristãos hoje. Desde o
início da carta até suas palavras finais, Paulo ensina de
maneira profunda o que é a alegria cristã.
• O que é único das saudações finais de Paulo nesta carta
é que no versículo 22 ele manda saudações dos da casa
de César. Que impacto tinha Paulo em seu testemunho
do evangelho da alegria! Sem dúvida estes são os que
se entregaram ao Senhor como resultado direto do
encarceramento do apóstolo Paulo. Terão sido
soldados e escravos, juntos com suas famílias e
também família de César mesmo o Imperador Nero!
• Portanto, devemos aprender com Paulo a
expressar nossa gratidão a Deus sua
generosidade e cuidado para conosco.
• Devemos aprender a importância das pessoas
que servem ao evangelho de maneira verdadeira,
pois elas ajudam que o ministério tenha
prosperidade.
• A confiança em Deus e o direcionamento dos
nossos caminhos para com Cristo é a melhor
escolha, pois ele sim estará ao nosso lado hoje e
sempre, nos protegendo, nos cuidando,
atendendo nossas necessidades, e nós como
bons filhos, devemos agradecer e retribuir!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a FILIPENSES, O EVANGELHO DA ALEGRIA ESTUDO 4.pptx

Apostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaApostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaClaudia araujo
 
Estudo de pg 19/01
Estudo de pg 19/01Estudo de pg 19/01
Estudo de pg 19/01filipewill
 
Quem domina a sua mente
Quem domina a sua menteQuem domina a sua mente
Quem domina a sua menteVilma Longuini
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaNatalino das Neves Neves
 
2.a experiência de receber revelação na palavra
2.a experiência de receber revelação na palavra2.a experiência de receber revelação na palavra
2.a experiência de receber revelação na palavraJr Buzinely
 
Deus é nossa luz parte 2
Deus é nossa luz   parte 2Deus é nossa luz   parte 2
Deus é nossa luz parte 2sorjonatas
 
1. todos recebemos da sua plenitude
1. todos recebemos da sua plenitude1. todos recebemos da sua plenitude
1. todos recebemos da sua plenitudeTiagoRibeiro255530
 
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerEliel Pimenta Pimenta
 
Discipulado Avançado - MDA COMEJE
Discipulado Avançado - MDA COMEJEDiscipulado Avançado - MDA COMEJE
Discipulado Avançado - MDA COMEJESocorro Trindade
 
Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012cynthiapalmas
 
Discipulado ciclo básico ieadp aula 04 - caruaru- 2014
Discipulado ciclo básico ieadp   aula 04 - caruaru- 2014Discipulado ciclo básico ieadp   aula 04 - caruaru- 2014
Discipulado ciclo básico ieadp aula 04 - caruaru- 2014Arthur Luna
 

Semelhante a FILIPENSES, O EVANGELHO DA ALEGRIA ESTUDO 4.pptx (20)

Alegrai vos no senhor
Alegrai vos no senhorAlegrai vos no senhor
Alegrai vos no senhor
 
Cristo a nossa alegria
Cristo a nossa alegriaCristo a nossa alegria
Cristo a nossa alegria
 
Apostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaApostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mda
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 
Apostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mdaApostila para discipulado mda
Apostila para discipulado mda
 
Watchman nee ansiedade
Watchman nee   ansiedadeWatchman nee   ansiedade
Watchman nee ansiedade
 
Estudo de pg 19/01
Estudo de pg 19/01Estudo de pg 19/01
Estudo de pg 19/01
 
Quem domina a sua mente
Quem domina a sua menteQuem domina a sua mente
Quem domina a sua mente
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
 
2.a experiência de receber revelação na palavra
2.a experiência de receber revelação na palavra2.a experiência de receber revelação na palavra
2.a experiência de receber revelação na palavra
 
Lição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagraçãoLição 10 - O jovem e a consagração
Lição 10 - O jovem e a consagração
 
Deus é nossa luz parte 2
Deus é nossa luz   parte 2Deus é nossa luz   parte 2
Deus é nossa luz parte 2
 
1. todos recebemos da sua plenitude
1. todos recebemos da sua plenitude1. todos recebemos da sua plenitude
1. todos recebemos da sua plenitude
 
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecerCinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
Cinco coisas que_o_cristao_nao_pode_esquecer
 
Socializar
SocializarSocializar
Socializar
 
Discipulado avançado
Discipulado avançadoDiscipulado avançado
Discipulado avançado
 
Discipulado Avançado - MDA COMEJE
Discipulado Avançado - MDA COMEJEDiscipulado Avançado - MDA COMEJE
Discipulado Avançado - MDA COMEJE
 
Maturidade Espiritual
Maturidade EspiritualMaturidade Espiritual
Maturidade Espiritual
 
Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012
 
Discipulado ciclo básico ieadp aula 04 - caruaru- 2014
Discipulado ciclo básico ieadp   aula 04 - caruaru- 2014Discipulado ciclo básico ieadp   aula 04 - caruaru- 2014
Discipulado ciclo básico ieadp aula 04 - caruaru- 2014
 

Mais de Adina Silva

A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptx
A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptxA Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptx
A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptx
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptxA Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptx
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptx
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptxA Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptx
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - ANA.pptx
A Mulher que Deus usa - ANA.pptxA Mulher que Deus usa - ANA.pptx
A Mulher que Deus usa - ANA.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptx
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptxA Mulher que Deus usa - RUTE.pptx
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptx
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptxA Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptx
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptx
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptxA Mulher que Deus usa - RAABE.pptx
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - LIA.pptx
A Mulher que Deus usa - LIA.pptxA Mulher que Deus usa - LIA.pptx
A Mulher que Deus usa - LIA.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa - EVA.pptx
A Mulher que Deus usa - EVA.pptxA Mulher que Deus usa - EVA.pptx
A Mulher que Deus usa - EVA.pptxAdina Silva
 
A Mulher que Deus usa.pptx
A Mulher que Deus usa.pptxA Mulher que Deus usa.pptx
A Mulher que Deus usa.pptxAdina Silva
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxAdina Silva
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptxAdina Silva
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptxAdina Silva
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptxAdina Silva
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptxAdina Silva
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptxAdina Silva
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptxAdina Silva
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptxAdina Silva
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptxAdina Silva
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptxAdina Silva
 

Mais de Adina Silva (20)

A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptx
A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptxA Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptx
A Mulher que Deus usa - HULDA E MIRIÃ.pptx
 
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptx
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptxA Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptx
A Mulher que Deus usa - A VIÚVA DE SEREPTA.pptx
 
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptx
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptxA Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptx
A Mulher que Deus usa - ABIGAIL.pptx
 
A Mulher que Deus usa - ANA.pptx
A Mulher que Deus usa - ANA.pptxA Mulher que Deus usa - ANA.pptx
A Mulher que Deus usa - ANA.pptx
 
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptx
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptxA Mulher que Deus usa - RUTE.pptx
A Mulher que Deus usa - RUTE.pptx
 
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptx
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptxA Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptx
A Mulher que Deus usa - DÉBORA.pptx
 
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptx
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptxA Mulher que Deus usa - RAABE.pptx
A Mulher que Deus usa - RAABE.pptx
 
A Mulher que Deus usa - LIA.pptx
A Mulher que Deus usa - LIA.pptxA Mulher que Deus usa - LIA.pptx
A Mulher que Deus usa - LIA.pptx
 
A Mulher que Deus usa - EVA.pptx
A Mulher que Deus usa - EVA.pptxA Mulher que Deus usa - EVA.pptx
A Mulher que Deus usa - EVA.pptx
 
A Mulher que Deus usa.pptx
A Mulher que Deus usa.pptxA Mulher que Deus usa.pptx
A Mulher que Deus usa.pptx
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 3.pptx
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 5.pptx
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 2.pptx
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 1.pptx
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 2.pptx
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 5.pptx
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 6.pptx
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 7.pptx
 
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptxSÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE MULHERES COM ESPADAS - ESTUDO 4.pptx
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptxFabianoHaider1
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 

Último (8)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

FILIPENSES, O EVANGELHO DA ALEGRIA ESTUDO 4.pptx

  • 1.
  • 2. ESBOÇO • CAPÍTULO 1: A ALEGRIA EM GLORIFICAR A CRISTO NA ATITUDE E NO SOFRIMENTO • CAPÍTULO 2: A ALEGRIA EM IMITAR A CRISTO, O MODELO E NA PRÁTICA • CAPÍTULO 3: A ALEGRIA NA SALVAÇÃO E NO GALARDÃO EM CRISTO • CAPÍTULO 4: A ALEGRIA DE SERVIR A CRISTO
  • 3. CAPÍTULO 3 – A ALEGRIA DE SERVIR A CRISTO • Se estamos buscando alegria na vida Cristã, a carta de Paulo aos Filipenses é chave. Paulo refere ao conceito de “alegria” em 16 ocasiões na carta. • Em particular, o capítulo quatro se considera o “capítulo da alegria” da Bíblia. Nos exorta que se buscamos alegria, devemos buscar fora de nós mesmos para sua fonte. • A vida presente nos oferece satisfação temporária porque as coisas terrenas vem e vão. Paulo indica que a alegria que dura vem de uma relação íntima com Deus.
  • 4. TUDO QUE É VERDADEIRO A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA No versículo cinco, Paulo diz, “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens” A moderação é a qualidade intrínseca da alegria. Tem a ver em não insistir em direitos individuais mas em considerar o bem do próximo. Devemos mostrar esta qualidade não somente aos irmãos na fé, mas “a todos”, é dizer aos não convertidos também. A mentira destrói relações, fomentando suspeita e falta de confiança. Não pode haver alegria nisso, não é verdade? É importante notar que a qualidade da ‘verdade’ é a primeira que Paulo menciona. Falar de moderação é uma coisa. Praticar é outra coisa Moderação é altruísmo e respeito pelos outros (Fp 2:1-4). Raramente mencionada nos escritos de Paulo, a amabilidade é algo que se espera dos cristãos e dos líderes da igreja.
  • 5. TUDO QUE É HONESTO A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA Paulo enfatiza outro motivo de alegria. É a presença constante de Deus em nossas vidas, em toda circunstância que nos apresente. Em nossa honestidade, reconhecemos que Deus é a fonte de alegria que flui do discípulo fiel. Se queremos manter a alegria, devemos ter valores honestos e piedosos. Nosso falar, nossa atitude, nossas ações devem ser repletos de respeito. Se respondêssemos como Jesus em qualquer situação, avançaremos em alegria verdadeira. Paulo havia aprendido estar contente em toda circunstância porque assimilou em focar não no que temos ou não temos, mas no que devemos fazer. Prosperidade pode gerar uma segurança falsa que nos tira a alegria verdadeira.
  • 6. TUDO QUE É JUSTO A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA Paulo está falando de encontrar nossa alegria em ser livre de preocupação Paulo insiste que não nos preocupemos “por nada”. O importante é não ser auto-centrado mas Deus-centrado. Assim não nos cedemos a ansiedade. Mais bem devemos submeter nossas inquietações a Deus que nos cuida. Se algo não anda bem em nossa relação com Deus, devemos resolvê- lo para que não impeça a alegria que Deus quer que tenhamos. Nossa consciência é uma dádiva de Deus. Não temos a fortaleza por natureza própria mas Cristo nos a injeta quando dependemos de suas promessas. Então sentimos a alegria verdadeira de que Paulo nos fala. Alegria verdadeira vem da presença do Espírito de Cristo e a união íntima com o Senhor por meio da obra do Espírito Santo.
  • 7. TUDO QUE É PURO A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA O puro diante de Deus é depender dEle para a fundação da alegria verdadeira. O antídoto a inquietude não é mais esforço pessoal, nem tampouco inatividade o apatia, mas oração seguida com ação O impuro em nosso corpo físico nos pode envenenar. O mesmo passa com o impacto negativo dos vícios em nossa mente. No contexto dos Filipenses temos visto que havia muita impureza pagã que influenciava a cultura greco-romana do primeiro século. Paulo insiste que o antitóxico da infecção que resulta do pecado é a aplicação do puro O puro provem da comunhão expressa em compartilhar. Foi motivado pela alegria e resultou em ainda mais alegria. Isso é um exemplo de construir alegria sobre alegria
  • 8. TUDO QUE É AMÁVEL A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA No coração de ser amãvel está a condição de ser um com Deus em amor Uma vez mais aprendemos o que Paulo está ensinando por meio de considerar a inversa qualidade que seria ‘tristeza’. Sabemos que a tristeza é acompanhado de dor e relações rotas Tem o significado de ser ‘amável para’, é dizer ‘ser amável em relação com o próximo’. Havia muitos intentos da parte dos inimigos do evangelho de desacreditar a credibilidade e a apostolicidade de Paulo de qualquer maneira. Paulo estava entre a espada e a parede. Se aceitasse as dádivas, o consideraria codicioso. Mas se não aceitasse, o acusaria de ser orgulhoso
  • 9. TUDO QUE É DE BOA FAMA A QUALIDADE PENSANDO BEM A PRÁTICA Também usado apena aqui no Novo Testamento, é o mesmo que louvável O inverso de um bom testemunho é ‘desprezível’ que nos leva a condição do coração e os pensamentos ao que Paulo refere no v. 7. Um mal nome resulta em falta de respeito, que resulta em incapacidade de ganhar a confiança das pessoas Paulo exorta que os Filipenses sigam o ensinamento e o exemplo dele mesmo e ele afirma que estão fazendo bem. Deus proverá a necessidades, tanto material como espiritual, não necessariamente de todo o mundo, mas de seu povo em particular que temos privilégios especiais.
  • 10. A PRÁTICA DA ALEGRIA EM SERVIR A CRISTO • Podemos dizer, com toda sinceridade, que temos aprendido a estar contente seja qual seja a situação na que nos encontramos? • Qual é o segredo do contentamento na vida cristã? Como aprendemos a estar contentes quando passamos por tempos difíceis? E quais são os retos de manter contentamento verdadeiro em tempos de abundância e benção? • Paulo nos exorta aprender a estarmos contentes em ambas circunstâncias. Mas, como?
  • 11. CONTENTAMENTO NA NECESSIDADE • É uma chamada a ser ‘autocontente’ não tanto por que podemos tirar a nós mesmos da miséria que acompanha as dificuldades mas porque temos o poder de Deus para vencer os ataques que nos apresentam. • Não significa que devemos aceitar a condição sem buscar um remédio. Tampouco significa ser indiferente. Não devemos buscar sofrimento para algum motivo de piedade falsa. Lutas se apresentam sem buscá-las ativamente • Não permitindo que as lutas sejam o fator determinante em nossas vidas senão acordemos que nosso Deus poderoso se oferece a controlar as condições de luta que se nos apresentam justo no momento que o necessitamos
  • 12. CONTENTAMENTO NA ABUNDÂNCIA • Pelo que Paulo fala de estar contente não somente quando houver necessidade. O interessante é que nos diz que ele tem aprendido estar contente em tempos de abundância também. • Reconhece que tanto dificuldade como em plenitude nos poderiam tirar o contentamento • Paulo vivia abundância de benção no que havia cumprido em seu ministério. Depois de sua conversão
  • 13. É MAIS FACIL ESTAR CONTENTE NA ABUNDÂNCIA OU NA NECESSIDADE? • Nossa primeira reação seria responder que é mais fácil estar contente em situações de abundância. Mas Paulo nos faz reconsiderar a resposta. Ele está apresentando um fato aos que tem sido muito abençoado. • O problema é que muitas vezes a abundância começa a controlar nossa vida porque temos a tendência de duvidar-nos de Deus e depender mais em nossa plenitude. Muitas vezes escutamos pessoas dizendo, “Tenho saúde. Tenho conta bancária. As relações familiares e com amigos são boas, para que necessito de Deus?”
  • 14. • Quando temos necessidades, não devemos permitir que a situação controle nossa vida senão que devemos dirigir as circunstâncias a Deus para que os controle a nosso favor como somente Ele pode. • Na abundância não devemos deixar que a plenitude controle nossa vida mas devemos fazer como nos ensina Paulo em dar-lhe graças a Deus de quem vem toda bênçãos e pedir-lhe que nos ajude a manter nossos olhos firmes nEle e não em nós mesmos.
  • 15. CONCLUSÃO • A carta é eminentemente prática, tanto para os irmãos na igreja em Filipos como para cristãos hoje. Desde o início da carta até suas palavras finais, Paulo ensina de maneira profunda o que é a alegria cristã. • O que é único das saudações finais de Paulo nesta carta é que no versículo 22 ele manda saudações dos da casa de César. Que impacto tinha Paulo em seu testemunho do evangelho da alegria! Sem dúvida estes são os que se entregaram ao Senhor como resultado direto do encarceramento do apóstolo Paulo. Terão sido soldados e escravos, juntos com suas famílias e também família de César mesmo o Imperador Nero!
  • 16. • Portanto, devemos aprender com Paulo a expressar nossa gratidão a Deus sua generosidade e cuidado para conosco. • Devemos aprender a importância das pessoas que servem ao evangelho de maneira verdadeira, pois elas ajudam que o ministério tenha prosperidade. • A confiança em Deus e o direcionamento dos nossos caminhos para com Cristo é a melhor escolha, pois ele sim estará ao nosso lado hoje e sempre, nos protegendo, nos cuidando, atendendo nossas necessidades, e nós como bons filhos, devemos agradecer e retribuir!