SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
1_Donde vêm as guerras e contendas entre vós?
Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos
vossos membros guerreiam?
2_Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não
podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada
tendes, porque não pedis.
3_Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o
gastardes em vossos deleites.
4_Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é
inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser
ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
5_Ou pensais que em vão diz a escritura: O Espírito que
ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme?
• 6_Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste
aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes.
• 7_Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e
ele fugirá de vós.
• 8_Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós.
Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito
vacilante, purificai os corações.
• 9_Senti as vossas misérias, lamentai e chorai; torne-
se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria em
tristeza.
• 10_Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
• No vs. 1 Tiago nos mostra que naqueles dias havia
hostilidade no meio das comunidades cristãs da
época.
• Assim como temos hoje. Há divisões, rixas, e
competições na igreja de Cristo, infelizmente. Como
chega a acontecer isto? Por que é assim?
• “Donde vem as guerras e contendas?” A resposta
de Tiago é imediata: “Dos vossos deleites, que nos
vossos membros guerreiam”
• Deleites (hedonôn), que é hedonismo, a concepção
da vida segundo a qual o prazer é a finalidade, o bem
supremo da vida. É a glorificação dos sentidos.
• Os deleites estão na “carne”, no homem interior.
• Tiago o contrapõe ao homem sujeito a Deus (vs 7),
que põe o Diabo em fuga.
• “Cobiçais e nada tendes”.
• Desejar melhores condições de vida não é errado.
• É uma legitima aspiração humana.
• Mas, “cobiçar” aqui não é uma aspiração legitima.
• A consequências dos verbos no vs 2 esclarece
bem: cobiçar, matar, invejar, combater, fazer
guerras.
• Não são desejos inspirados por Deus.
• São inspirados por deleite, prazer.
• O “matais” não quer dizer que havia assassinatos
naquelas igrejas.
• A figura empregada pelo autor é de uma guerra entre
pessoas e nações, é como houvesse uma semelhança
nas igrejas o espirito de contendas carnal entre as
pessoas, uma natureza puramente humana.
• “Nada tendes, porque não pedis” é uma declaração
obvia, mas a sua continuação é alerta contra as
orações sem valor, mal direcionadas.
• O ensino de Jesus sobre a oração do sermão do
monte, (Mt 7:7-8)
• 7_ “...Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei
e abrir-se-vos-á.
• 8_ Pois todo o que pede, recebe; e quem busca,
acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á”.
• É em termos absolutos.
• “...todo o que pede, recebe...”
• São os deleites, os prazeres, que nos levam a pedir
mal, de forma desfocada da vontade Divina.
• Calvino certa vez disse, sobre este assunto “Queriam
fazer de Deus o ministro de suas próprias
concupiscências”.
• Os valores daqueles cristãos deveriam ser outros.
• Estavam, como a igreja de Laodicéia, apaixonadas por
valores mundanos, mas absolutamente
desinteressados pelos valores que, aos olhos de
Deus, realmente contam.
• Nos vs. 4, Tiago clama contra o amor ao mundo.
• Importa lembrar aqui que “mundo” não é as
pessoas. “Deus amou o mundo...” (Jo 3:16).
• Temos um sentido moral no termo: um sistema de
valores humanos pervertidos e organizados contra
Deus, como “Babilônia”, por exemplo.
• Não é possível amar a Deus e ao conjunto de valores
que se opõe a ele.
• Assim Tiago reclama: “Infiéis, não sabeis que a
amizade do mundo é inimizade contra Deus?”
• Tiago não nos deixa meio-termo: o amigo do mundo é
inimigo de Deus. O homem não precisa ser inimigo de
Deus. Ele se torna assim porque quer.
• Vs. 5 ”Ou pensais que em vão diz a escritura: O
Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até
o ciúme?”.
• O cristão não pode dividir se afeto, dando-o pela
metade a Deus e pela metade a outras coisas. Isto é
idolatria
• 6_Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste
aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes.
• É uma citação de Provérbios 3:34. Não devemos
orgulharmos. Está certo.
• Mas, o que faz esta declaração aqui?
• Não estaria deslocada?
• Qual o sentido de sua colocação neste lugar?
• A soberba, o orgulho e o desejo de autoconfiança sem
Deus que levam à amizade pelo mundo, deixando o
Senhor, em segundo plano. Tais pessoas, ele resiste.
• Não as aceita porque são amigas do mundo, e logo,
suas inimigas. Mas, “dá graça aos humildes”.
• No vs. 7_Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao
Diabo, e ele fugirá de vós.
• Deve ser visto dentro de uma perspectiva global, e não
fragmentada. Há neste vs duas frases que não
podem ser dissociadas/separadas:
• A 1ª frase é “Sujeitai-vos, pois a Deus;”
• A 2ª é “Mas resiste ao Diabo”.
• Temos aqui duas características que fazem parte da
vida do Cristão.
• Somos exortados a resistir ao Diabo (pelo Espírito)
porque assim fazendo ele fugirá de nós.
• Vale dizer, tem resistido ao Diabo na carne, e tem
sido derrotados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadeIBMemorialJC
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiroWander Sousa
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Maduraguestc5d870
 
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaLição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaÉder Tomé
 
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna Cacilda Barbosa Santiago
 
Slides batalha espiritual
Slides   batalha espiritualSlides   batalha espiritual
Slides batalha espiritualAbdias Barreto
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoÉder Tomé
 
Três campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualTrês campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualPaulo Roberto
 
Estudo para adolescentes
Estudo para adolescentesEstudo para adolescentes
Estudo para adolescentesEdson_2012.A-F
 
Maldição hereditaria
Maldição hereditariaMaldição hereditaria
Maldição hereditariaJoão Campos
 
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi DiscipularTreinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipularrevolucaoaje
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblicovalmarques
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiaisEscola Bíblica Sem Fronteiras
 

Mais procurados (20)

Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Do esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à quedaDo esfriamento espiritual à queda
Do esfriamento espiritual à queda
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaLição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
 
63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus
 
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna
A família cristã e os desafios da sociedade Pós-moderna
 
Slides batalha espiritual
Slides   batalha espiritualSlides   batalha espiritual
Slides batalha espiritual
 
A casa que deus quer - UMA PALAVRA PARA FAMÍLIA
A casa que deus quer - UMA PALAVRA PARA FAMÍLIAA casa que deus quer - UMA PALAVRA PARA FAMÍLIA
A casa que deus quer - UMA PALAVRA PARA FAMÍLIA
 
Plano da salvação
Plano da salvaçãoPlano da salvação
Plano da salvação
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
 
Deus, nós e a nossa família
Deus, nós  e  a  nossa  famíliaDeus, nós  e  a  nossa  família
Deus, nós e a nossa família
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Três campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualTrês campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritual
 
Estudo para adolescentes
Estudo para adolescentesEstudo para adolescentes
Estudo para adolescentes
 
Maldição hereditaria
Maldição hereditariaMaldição hereditaria
Maldição hereditaria
 
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi DiscipularTreinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
Fortalezas espirituais
Fortalezas espirituaisFortalezas espirituais
Fortalezas espirituais
 

Semelhante a Doutrina tiago 4 (parte 1)

O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANAO PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANASandra Dias
 
O perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humanaO perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humanaAilton da Silva
 
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014Pr. Andre Luiz
 
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaIsmael Isidio
 
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANALIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANALourinaldo Serafim
 
O Perigo da Busca Pela Autorrealização Humana
O Perigo da Busca Pela Autorrealização HumanaO Perigo da Busca Pela Autorrealização Humana
O Perigo da Busca Pela Autorrealização HumanaMateus Silva
 
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdf
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdfRomantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdf
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdfPastor Robson Colaço
 
Aprendendo a ter orações respondidas
Aprendendo a ter orações respondidasAprendendo a ter orações respondidas
Aprendendo a ter orações respondidasibcve
 
Guerras, contendas e_conflitos
Guerras, contendas e_conflitosGuerras, contendas e_conflitos
Guerras, contendas e_conflitosBatista Manancial
 
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido Hamilton Souza
 
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANANatalino das Neves Neves
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxSouzaRoberto
 

Semelhante a Doutrina tiago 4 (parte 1) (20)

Como ser-amigo-de-deus2
Como ser-amigo-de-deus2Como ser-amigo-de-deus2
Como ser-amigo-de-deus2
 
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANAO PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA
 
O perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humanaO perigo da busca pela autorrealização humana
O perigo da busca pela autorrealização humana
 
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014
O perigo da busca pela autorrealização humana - Lição 10 - 3°Tri.2014
 
Um inimigo precisa ser resistido
Um inimigo precisa ser resistidoUm inimigo precisa ser resistido
Um inimigo precisa ser resistido
 
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humanaLição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
Lição 10 – o perigo da busca pela autorrealização humana
 
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANALIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
 
Pensamentos de santo_agostinho
Pensamentos de santo_agostinhoPensamentos de santo_agostinho
Pensamentos de santo_agostinho
 
Jormi - Jornal Missionário n° 50
Jormi - Jornal Missionário n° 50Jormi - Jornal Missionário n° 50
Jormi - Jornal Missionário n° 50
 
O Perigo da Busca Pela Autorrealização Humana
O Perigo da Busca Pela Autorrealização HumanaO Perigo da Busca Pela Autorrealização Humana
O Perigo da Busca Pela Autorrealização Humana
 
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdf
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdfRomantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdf
Romantizando com o diabo - Um Amor Roxo.pdf
 
Aprendendo a ter orações respondidas
Aprendendo a ter orações respondidasAprendendo a ter orações respondidas
Aprendendo a ter orações respondidas
 
Guerras, contendas e_conflitos
Guerras, contendas e_conflitosGuerras, contendas e_conflitos
Guerras, contendas e_conflitos
 
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 - Um Inimigo que Precisa ser Resistido
 
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
2014 3 TRI LIÇÃO 10 - O PERIGO DA BUSCA PELA AUTOREALIZAÇÃO HUMANA
 
O pecado que rouba você de deus
O   pecado que   rouba você de deusO   pecado que   rouba você de deus
O pecado que rouba você de deus
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
 
PECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptxPECADO E INFERNO.pptx
PECADO E INFERNO.pptx
 
Vencendo as tentações.ppsx
Vencendo as  tentações.ppsxVencendo as  tentações.ppsx
Vencendo as tentações.ppsx
 
Vencendo pecado
Vencendo pecadoVencendo pecado
Vencendo pecado
 

Mais de Joel Silva

A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeJoel Silva
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Joel Silva
 
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsComo devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsJoel Silva
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamentoJoel Silva
 
Dominando a ira
Dominando a iraDominando a ira
Dominando a iraJoel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintiosJoel Silva
 
Doutrina ii corintios
Doutrina  ii corintiosDoutrina  ii corintios
Doutrina ii corintiosJoel Silva
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristãJoel Silva
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizadesJoel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
 
Colossences 4
Colossences 4Colossences 4
Colossences 4
 
Como devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãsComo devem se vestir as mulheres cristãs
Como devem se vestir as mulheres cristãs
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamento
 
Dominando a ira
Dominando a iraDominando a ira
Dominando a ira
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Doutrina ii corintios
Doutrina  ii corintiosDoutrina  ii corintios
Doutrina ii corintios
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizades
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024thandreola
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2emprego2
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfFrancisco Baptista
 

Último (11)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 

Doutrina tiago 4 (parte 1)

  • 1.
  • 2. 1_Donde vêm as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? 2_Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis. 3_Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. 4_Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. 5_Ou pensais que em vão diz a escritura: O Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme?
  • 3. • 6_Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes. • 7_Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós. • 8_Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações. • 9_Senti as vossas misérias, lamentai e chorai; torne- se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria em tristeza. • 10_Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
  • 4. • No vs. 1 Tiago nos mostra que naqueles dias havia hostilidade no meio das comunidades cristãs da época. • Assim como temos hoje. Há divisões, rixas, e competições na igreja de Cristo, infelizmente. Como chega a acontecer isto? Por que é assim? • “Donde vem as guerras e contendas?” A resposta de Tiago é imediata: “Dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam” • Deleites (hedonôn), que é hedonismo, a concepção da vida segundo a qual o prazer é a finalidade, o bem supremo da vida. É a glorificação dos sentidos. • Os deleites estão na “carne”, no homem interior.
  • 5. • Tiago o contrapõe ao homem sujeito a Deus (vs 7), que põe o Diabo em fuga. • “Cobiçais e nada tendes”. • Desejar melhores condições de vida não é errado. • É uma legitima aspiração humana. • Mas, “cobiçar” aqui não é uma aspiração legitima. • A consequências dos verbos no vs 2 esclarece bem: cobiçar, matar, invejar, combater, fazer guerras. • Não são desejos inspirados por Deus. • São inspirados por deleite, prazer.
  • 6. • O “matais” não quer dizer que havia assassinatos naquelas igrejas. • A figura empregada pelo autor é de uma guerra entre pessoas e nações, é como houvesse uma semelhança nas igrejas o espirito de contendas carnal entre as pessoas, uma natureza puramente humana. • “Nada tendes, porque não pedis” é uma declaração obvia, mas a sua continuação é alerta contra as orações sem valor, mal direcionadas.
  • 7. • O ensino de Jesus sobre a oração do sermão do monte, (Mt 7:7-8) • 7_ “...Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. • 8_ Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á”. • É em termos absolutos. • “...todo o que pede, recebe...” • São os deleites, os prazeres, que nos levam a pedir mal, de forma desfocada da vontade Divina. • Calvino certa vez disse, sobre este assunto “Queriam fazer de Deus o ministro de suas próprias concupiscências”.
  • 8. • Os valores daqueles cristãos deveriam ser outros. • Estavam, como a igreja de Laodicéia, apaixonadas por valores mundanos, mas absolutamente desinteressados pelos valores que, aos olhos de Deus, realmente contam. • Nos vs. 4, Tiago clama contra o amor ao mundo. • Importa lembrar aqui que “mundo” não é as pessoas. “Deus amou o mundo...” (Jo 3:16). • Temos um sentido moral no termo: um sistema de valores humanos pervertidos e organizados contra Deus, como “Babilônia”, por exemplo.
  • 9. • Não é possível amar a Deus e ao conjunto de valores que se opõe a ele. • Assim Tiago reclama: “Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus?” • Tiago não nos deixa meio-termo: o amigo do mundo é inimigo de Deus. O homem não precisa ser inimigo de Deus. Ele se torna assim porque quer. • Vs. 5 ”Ou pensais que em vão diz a escritura: O Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme?”. • O cristão não pode dividir se afeto, dando-o pela metade a Deus e pela metade a outras coisas. Isto é idolatria
  • 10. • 6_Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes. • É uma citação de Provérbios 3:34. Não devemos orgulharmos. Está certo. • Mas, o que faz esta declaração aqui? • Não estaria deslocada? • Qual o sentido de sua colocação neste lugar? • A soberba, o orgulho e o desejo de autoconfiança sem Deus que levam à amizade pelo mundo, deixando o Senhor, em segundo plano. Tais pessoas, ele resiste. • Não as aceita porque são amigas do mundo, e logo, suas inimigas. Mas, “dá graça aos humildes”.
  • 11. • No vs. 7_Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós. • Deve ser visto dentro de uma perspectiva global, e não fragmentada. Há neste vs duas frases que não podem ser dissociadas/separadas: • A 1ª frase é “Sujeitai-vos, pois a Deus;” • A 2ª é “Mas resiste ao Diabo”. • Temos aqui duas características que fazem parte da vida do Cristão. • Somos exortados a resistir ao Diabo (pelo Espírito) porque assim fazendo ele fugirá de nós. • Vale dizer, tem resistido ao Diabo na carne, e tem sido derrotados.