SlideShare uma empresa Scribd logo
Castanheiro O castanheiro é uma árvore longeva, de folha caduca, que pode atingir mais de um milhar de anos de idade. As suas folhas têm entre 10 a 20 centímetros, são dentadas, mais claras na página inferior e translúcidas quando trespassadas pela luz solar. Os seus frutos são as conhecidas e apreciadas castanhas.  Aos 8, 10 anos de idade, o castanheiro já dá fruto, no entanto só depois dos 20 é que a frutificação passa a ser um fenómeno regular. A sua produção mantém-se elevada mesmo quando já está em idade avançada (o que significa 600 anos de idade ou mais). Até aos 50 a 60 anos de idade, o seu crescimento é bastante rápido, retardando depois até ao fim da vida. Pode atingir os 45 metros de altura e a sua copa pode chegar aos 30 a 40 metros de diâmetro.  Existem 2 tipos de castanheiro - o bravo e o manso - consoante a forma de regeneração e o tipo de exploração que se pretende. A um povoamento de castanheiros mansos, vocacionados para produzir castanhas, dá-se o nome de "souto" e a um povoamento vocacionado para produzir madeira, dá-se frequentemente o nome de "castiçal".
Localização do Castanheiro Podemos encontrar 12 espécies de castanheiro numa vasta extensão que passa pela Europa, Euro-Ásia e zona atlântica do norte da América. Toda a orla norte do Mediterrâneo, de Portugal ao Cáucaso, é ocupada pela espécie mais significativa - a. O castanheiro americano (a segunda em importância), era comum na parte oriental dos E.U.A. até ao momento em que foi atacada por uma praga que praticamente a aniquilou. Em Itália, a área florestada com castanheiros é das maiores da Europa, atingindo várias centenas de milhares de hectares. O castanheiro também tem expressão em Espanha, França, Córsega, ex - Jugoslávia, Roménia, Hungria, Grécia, Turquia, e ainda em zonas montanhosas de Marrocos e Argélia. Foi também introduzido na Madeira, Açores e Canárias. Em Portugal continental, o castanheiro está espalhado um pouco por todo o país, muito embora se tenha assistido durante este século a uma clara diminuição da área ocupada por esta espécie. Hoje em dia, a sua presença mais significativa verifica-se na região a norte do Tejo. É essencialmente em zonas com altitudes superiores a 500 metros e com baixas temperaturas no inverno, que esta árvore encontra as condições necessárias para o seu desenvolvimento. É o que acontece nos distritos de Vila Real, Bragança, Guarda e Alto Alentejo. Em Portugal, a área total de castanheiro ronda presentemente os 35 mil hectares.  Ao nível de povoamentos, há a destacar a região do noroeste transmontano, onde existem cerca de 12.500 e a serra de S. Mamede, considerada "um verdadeiro santuário do castanheiro".
Origem A espécie que existe em Portugal é também a que predomina na Europa - a  Castanea sativa . Há conhecimentos e sinais de existir no território português há já muitos séculos, pelo que é considerada como uma espécie indígena. Contudo, há quem pense que terá sido introduzida na península ibérica, provavelmente, durante a época dos romanos .
Regeneração Ambos os tipos de castanheiro (bravo e manso) podem ser criados em viveiros e ambos nascem a partir do fruto - a castanha. A diferenciação dá-se por volta dos 3-4 anos de vida, quando para obter um castanheiro manso é necessário proceder à enxertia de um bravo. Em Portugal existem predominantemente cerca de 20 variedades de castanheiro manso, mas, no total, são conhecidas mais de uma centena. O castanheiro manso destina-se à produção de fruto. O bravo è cultivado em alto fuste ou talhadia, de forma a poder-se-lhe extrair peças de madeira de dimensões adequadas, que quanto maiores, mais valiosas são. O valor desta madeira é tão grande que, hoje, as peças de madeira de castanho, com o objectivo de produção de mobiliário de qualidade, são vendidas ao quilograma.  No caso de se optar pela enxertia, ela tanto pode ser efectuada no viveiro como depois da plantação. Outra técnica utilizada na regeneração dos castanheiros é a da multiplicação vegetativa com estacaria de árvores previamente seleccionadas e resistentes às pragas. Após o primeiro período de vida em viveiro, os castanheiros mansos deverão ser plantados a um compasso que pode variar entre os 10 e os 15 metros, de forma a dar espaço suficiente para que as suas copas cresçam sem se tocarem.  Os tratamentos a efectuar depois da plantação são muito semelhantes ao efectuados em qualquer árvore de fruto. É necessário mobilizar o solo antes da plantação, sem esquecer as fertilizações químicas e orgânicas.  O castanheiro é uma árvore que tem em cada pé, simultaneamente, flores masculinas e flores femininas. Floresce no período que vai de Maio a Junho e os frutos amadurecem nos meses de Outubro e Novembro. É das flores femininas, que estão agrupadas em 2 ou 3 no interior duma cápsula espinhosa, a que se dão nome de "ouriço", que resultam as castanhas. Depois da maturação completa, o ouriço abre em 4 partes, dele se desprendendo o fruto, que tanto pode ser no número de 1, 2 ou 3.
Curiosidades Desde o Paleolítico que o castanheiro acompanha o Homem e tem para ele uma importância crucial. As tribos pré-romanas chamavam-lhe a árvore do pão, já que o seu fruto, a castanha, era um alimento rico e um importante meio de subsistência para os exércitos em campanha. Pode-se mesmo afirmar que foi um dos mais importantes farináceos em muitas regiões, antes da chegada da batata e do milho à Europa. Era utilizada na alimentação dos Homens e dos animais, era um complemento importante na agricultura e, em muitos casos, o pão dos mais desfavorecidos. Os entendidos dizem que as variedades portuguesas de castanheiro produzem as melhores castanhas que se conhecem, e são muito consideradas no comércio mundial, nomeadamente em núcleos da emigração portuguesa.  A par de todas as manifestações culturais, salientam-se os castanheiros notáveis que permanecem de pé no distrito da Guarda. São autênticos exemplares, com dimensões inacreditáveis, como o de Guilhafonso e o da Arrifana. O primeiro, com idade estimada em 400 anos, tem uma altura de 19 metros, o que lhe permite ser considerado o maior exemplar da Europa que, em 1987, produziu meia tonelada de castanha da variedade Rebordã, conforme refere Sanches Pereira em "O Castanheiro na Beira Interior". Digno de referência é, igualmente, o "Castanheiro Velho", na Arrifana, que possui um tronco considerado o mais grosso de todos os castanheiros existentes no país, com um perímetro de 13 metros e 20 centímetros. Trata-se de uma imponente árvore que deverá ter uma idade de cerca de dois mil anos, atendendo a que o autor Taborda de Morias lhe atribuiu, em 1937, na obra "Árvores Notáveis de Portugal", 1139 anos. Embora diferentes e com dimensões normais, são também únicos os "Castanheiros Gémeos" de Famalicão da Serra, ainda no concelho da Guarda. Trata-se de duas árvores adultas, separadas na base e no cimo do tronco, mas unidas a meio, em consequência de um «processo de enxertia natural de encosto», refere Cameira Serra no seu livro.  Na Beira Interior são frequentes as terras cujos nomes estão ligados ao castanheiro. No nosso distrito encontram localidades com denominação inerente ao castanheiro. Em poucos exemplos, constatamos isso mesmo: Souto (Sabugal), Monte Soito (Guarda), Castanheira (em Trancoso, em Manteigas, na Guarda e em Gouveia), Souto Maior (Trancoso), Soito do Bispo (Guarda), são um pequeno número de tantos nomes de lugares onde o castanheiro teve um papel importante na toponímia.
Os  Castanheiros  são mais vistos no norte do país e mais ou menos no centro do país .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

"O Dragão"
"O Dragão" "O Dragão"
"O Dragão"
IsabelPereira2010
 
Resumo da obra
Resumo da obraResumo da obra
Resumo da obra
manuela016
 
Diálogo verbos introdutores
Diálogo verbos introdutoresDiálogo verbos introdutores
Diálogo verbos introdutores
abrigada
 
De tarde - Cesário Verde
De tarde - Cesário VerdeDe tarde - Cesário Verde
De tarde - Cesário Verde
Silvia Raquel Freitas Vieira
 
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
As Vozes
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis SepúlvedaHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
Lurdes Augusto
 
Símbolos de portugal: Bandeira e Hino
Símbolos de portugal: Bandeira e HinoSímbolos de portugal: Bandeira e Hino
Símbolos de portugal: Bandeira e Hino
Ensinar Português Andaluzia
 
Frequência absoluta e moda
Frequência absoluta e modaFrequência absoluta e moda
Frequência absoluta e moda
Ministério da Educação
 
A liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge LetriaA liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge Letria
M José Buenavida
 
Fada
FadaFada
Os direitos as crianças luiísa ducla soares
Os direitos as crianças   luiísa ducla soaresOs direitos as crianças   luiísa ducla soares
Os direitos as crianças luiísa ducla soares
Be Moinho Das Leituras
 
A maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundoA maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundo
beebgondomar Judite
 
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
bibliotecap
 
Textos de opinião dos alunos 9.ºano
Textos de opinião dos alunos 9.ºanoTextos de opinião dos alunos 9.ºano
Textos de opinião dos alunos 9.ºano
becastanheiradepera
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
BibliotecadaEscoladaPonte
 
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voarHistória de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
Biblioteca Escolar Delfim Santos
 
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoaFicha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Rita Ribeiro
 
Teatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São MartinhoTeatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São Martinho
bjcp
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
Claudia Cravo
 
Estuario do sado
Estuario do sadoEstuario do sado
Estuario do sado
EscolaFonteJoana
 

Mais procurados (20)

"O Dragão"
"O Dragão" "O Dragão"
"O Dragão"
 
Resumo da obra
Resumo da obraResumo da obra
Resumo da obra
 
Diálogo verbos introdutores
Diálogo verbos introdutoresDiálogo verbos introdutores
Diálogo verbos introdutores
 
De tarde - Cesário Verde
De tarde - Cesário VerdeDe tarde - Cesário Verde
De tarde - Cesário Verde
 
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
Opinião dos Alunos Sobre Redes Sociais.
 
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis SepúlvedaHistória de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar, de Luis Sepúlveda
 
Símbolos de portugal: Bandeira e Hino
Símbolos de portugal: Bandeira e HinoSímbolos de portugal: Bandeira e Hino
Símbolos de portugal: Bandeira e Hino
 
Frequência absoluta e moda
Frequência absoluta e modaFrequência absoluta e moda
Frequência absoluta e moda
 
A liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge LetriaA liberdade o que é? José Jorge Letria
A liberdade o que é? José Jorge Letria
 
Fada
FadaFada
Fada
 
Os direitos as crianças luiísa ducla soares
Os direitos as crianças   luiísa ducla soaresOs direitos as crianças   luiísa ducla soares
Os direitos as crianças luiísa ducla soares
 
A maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundoA maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundo
 
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
Guião de leitura da obra a fada oriana (1)
 
Textos de opinião dos alunos 9.ºano
Textos de opinião dos alunos 9.ºanoTextos de opinião dos alunos 9.ºano
Textos de opinião dos alunos 9.ºano
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
 
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voarHistória de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
História de uma gaivota e do gato que a essinou a voar
 
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoaFicha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
Ficha de-preparac3a7c3a3o-para-o-teste-de-portugues-pc3a1scoa
 
Teatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São MartinhoTeatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São Martinho
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
 
Estuario do sado
Estuario do sadoEstuario do sado
Estuario do sado
 

Destaque

A viagem da castanha1
A viagem da castanha1A viagem da castanha1
A viagem da castanha1
Helena Gonçalves
 
Projeto a girafa
Projeto a girafaProjeto a girafa
Projeto a girafa
Sacramento-Carvalho
 
Castanha
CastanhaCastanha
Castanha
Joana
 
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
Escarlett Coronado
 
O livro das castanhas
O livro das castanhasO livro das castanhas
O livro das castanhas
Albertina Pereira
 
O castanheiro
O castanheiroO castanheiro
O castanheiro
Ana Duarte
 
Atividades de natal 2013 cópia
Atividades de natal 2013   cópiaAtividades de natal 2013   cópia
Atividades de natal 2013 cópia
casmaria
 
Castanhas plantar preço rentabilidade
Castanhas plantar preço rentabilidadeCastanhas plantar preço rentabilidade
Castanhas plantar preço rentabilidade
Plubee
 
Na Hora do Recreio power point
Na Hora do Recreio power pointNa Hora do Recreio power point
Na Hora do Recreio power point
Sacramento-Carvalho
 
Creche RECOMEÇAR
Creche RECOMEÇARCreche RECOMEÇAR
Creche RECOMEÇAR
guestc81113
 
Castanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
Castanheiro E Tilia TâNia E VanessaCastanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
Castanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
Bruno Reimão
 
Joana e o castanheiro mágico
Joana e o castanheiro mágicoJoana e o castanheiro mágico
Joana e o castanheiro mágico
Filipa Pinto Gonçalves
 
Atividade nataldepfrances
Atividade nataldepfrancesAtividade nataldepfrances
Atividade nataldepfrances
eb23sroque
 
São Martinho
São MartinhoSão Martinho
São Martinho
be23ceb
 
Apresentação vitaminas lipossoluveis
Apresentação vitaminas lipossoluveisApresentação vitaminas lipossoluveis
Apresentação vitaminas lipossoluveis
ingrid2x
 
Pedido de colaboração aos pais
Pedido de colaboração aos paisPedido de colaboração aos pais
Pedido de colaboração aos pais
Sacramento-Carvalho
 
Novo pedido de colaboração aos pais
Novo pedido de colaboração aos paisNovo pedido de colaboração aos pais
Novo pedido de colaboração aos pais
Sacramento-Carvalho
 
Planificação atividades de natal
Planificação atividades de natalPlanificação atividades de natal
Planificação atividades de natal
Fernanda Oliveira
 
Mirtilo preco-rentabilidade-plantar
Mirtilo preco-rentabilidade-plantarMirtilo preco-rentabilidade-plantar
Mirtilo preco-rentabilidade-plantar
Plubee
 
A castanha
A castanhaA castanha
A castanha
Isabel Pinheiro
 

Destaque (20)

A viagem da castanha1
A viagem da castanha1A viagem da castanha1
A viagem da castanha1
 
Projeto a girafa
Projeto a girafaProjeto a girafa
Projeto a girafa
 
Castanha
CastanhaCastanha
Castanha
 
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
14411837 fichas-refuerzo-3-anos-anaya
 
O livro das castanhas
O livro das castanhasO livro das castanhas
O livro das castanhas
 
O castanheiro
O castanheiroO castanheiro
O castanheiro
 
Atividades de natal 2013 cópia
Atividades de natal 2013   cópiaAtividades de natal 2013   cópia
Atividades de natal 2013 cópia
 
Castanhas plantar preço rentabilidade
Castanhas plantar preço rentabilidadeCastanhas plantar preço rentabilidade
Castanhas plantar preço rentabilidade
 
Na Hora do Recreio power point
Na Hora do Recreio power pointNa Hora do Recreio power point
Na Hora do Recreio power point
 
Creche RECOMEÇAR
Creche RECOMEÇARCreche RECOMEÇAR
Creche RECOMEÇAR
 
Castanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
Castanheiro E Tilia TâNia E VanessaCastanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
Castanheiro E Tilia TâNia E Vanessa
 
Joana e o castanheiro mágico
Joana e o castanheiro mágicoJoana e o castanheiro mágico
Joana e o castanheiro mágico
 
Atividade nataldepfrances
Atividade nataldepfrancesAtividade nataldepfrances
Atividade nataldepfrances
 
São Martinho
São MartinhoSão Martinho
São Martinho
 
Apresentação vitaminas lipossoluveis
Apresentação vitaminas lipossoluveisApresentação vitaminas lipossoluveis
Apresentação vitaminas lipossoluveis
 
Pedido de colaboração aos pais
Pedido de colaboração aos paisPedido de colaboração aos pais
Pedido de colaboração aos pais
 
Novo pedido de colaboração aos pais
Novo pedido de colaboração aos paisNovo pedido de colaboração aos pais
Novo pedido de colaboração aos pais
 
Planificação atividades de natal
Planificação atividades de natalPlanificação atividades de natal
Planificação atividades de natal
 
Mirtilo preco-rentabilidade-plantar
Mirtilo preco-rentabilidade-plantarMirtilo preco-rentabilidade-plantar
Mirtilo preco-rentabilidade-plantar
 
A castanha
A castanhaA castanha
A castanha
 

Semelhante a Castanheiro

Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
Lordboy007
 
Dia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdfDia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdf
AndreMorais38
 
Trabalho de sustentabilidade
Trabalho de sustentabilidadeTrabalho de sustentabilidade
Trabalho de sustentabilidade
Xande Menegussi
 
Criando Raízes
Criando RaízesCriando Raízes
Criando Raízes
Turma8B
 
GR junho2018
GR junho2018GR junho2018
GR junho2018
Agricultura Sao Paulo
 
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
Amílcar Duarte
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
martinstania16
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
ninatania16
 
Patrimonio Portugues Floresta A Proteger
Patrimonio Portugues   Floresta A ProtegerPatrimonio Portugues   Floresta A Proteger
Patrimonio Portugues Floresta A Proteger
andmatos
 
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º jIberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
sofiasimao
 
ApresentaçãO Univap Reflo. E Viveiro
ApresentaçãO Univap Reflo. E ViveiroApresentaçãO Univap Reflo. E Viveiro
Azinheira ( Vegetação)
Azinheira ( Vegetação)Azinheira ( Vegetação)
Azinheira ( Vegetação)
FloraCosta
 
Minhocultura 2
Minhocultura 2Minhocultura 2
Minhocultura 2
Nathaliafalcao1
 
Minhocultura 2
Minhocultura 2Minhocultura 2
Minhocultura 2
Nathaliafalcao1
 
Trabalho Biologia
Trabalho Biologia Trabalho Biologia
Trabalho Biologia
PorfSIlva
 
Árvores do RS
Árvores do RSÁrvores do RS
Árvores do RS
Elisângela Ribas
 
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Armindo Rosa
 
Trabalho de geografia chaparral
Trabalho de geografia   chaparralTrabalho de geografia   chaparral
Trabalho de geografia chaparral
Rodrigo Florentino
 
Hortalicas nao-convencionais
Hortalicas nao-convencionaisHortalicas nao-convencionais
Hortalicas nao-convencionais
Joyce Muzy
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
Alyne Regina Ruggiero
 

Semelhante a Castanheiro (20)

Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Dia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdfDia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdf
 
Trabalho de sustentabilidade
Trabalho de sustentabilidadeTrabalho de sustentabilidade
Trabalho de sustentabilidade
 
Criando Raízes
Criando RaízesCriando Raízes
Criando Raízes
 
GR junho2018
GR junho2018GR junho2018
GR junho2018
 
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
2012 breves notas sobre a citricultura portuguesa-pages40to44from agrotec--3_...
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
 
Floresta
FlorestaFloresta
Floresta
 
Patrimonio Portugues Floresta A Proteger
Patrimonio Portugues   Floresta A ProtegerPatrimonio Portugues   Floresta A Proteger
Patrimonio Portugues Floresta A Proteger
 
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º jIberica seca, humida   trabalho da patrícia - 5º j
Iberica seca, humida trabalho da patrícia - 5º j
 
ApresentaçãO Univap Reflo. E Viveiro
ApresentaçãO Univap Reflo. E ViveiroApresentaçãO Univap Reflo. E Viveiro
ApresentaçãO Univap Reflo. E Viveiro
 
Azinheira ( Vegetação)
Azinheira ( Vegetação)Azinheira ( Vegetação)
Azinheira ( Vegetação)
 
Minhocultura 2
Minhocultura 2Minhocultura 2
Minhocultura 2
 
Minhocultura 2
Minhocultura 2Minhocultura 2
Minhocultura 2
 
Trabalho Biologia
Trabalho Biologia Trabalho Biologia
Trabalho Biologia
 
Árvores do RS
Árvores do RSÁrvores do RS
Árvores do RS
 
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do AlgarvePatrimónio varietal de fruteiras da região do Algarve
Património varietal de fruteiras da região do Algarve
 
Trabalho de geografia chaparral
Trabalho de geografia   chaparralTrabalho de geografia   chaparral
Trabalho de geografia chaparral
 
Hortalicas nao-convencionais
Hortalicas nao-convencionaisHortalicas nao-convencionais
Hortalicas nao-convencionais
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
 

Castanheiro

  • 1. Castanheiro O castanheiro é uma árvore longeva, de folha caduca, que pode atingir mais de um milhar de anos de idade. As suas folhas têm entre 10 a 20 centímetros, são dentadas, mais claras na página inferior e translúcidas quando trespassadas pela luz solar. Os seus frutos são as conhecidas e apreciadas castanhas. Aos 8, 10 anos de idade, o castanheiro já dá fruto, no entanto só depois dos 20 é que a frutificação passa a ser um fenómeno regular. A sua produção mantém-se elevada mesmo quando já está em idade avançada (o que significa 600 anos de idade ou mais). Até aos 50 a 60 anos de idade, o seu crescimento é bastante rápido, retardando depois até ao fim da vida. Pode atingir os 45 metros de altura e a sua copa pode chegar aos 30 a 40 metros de diâmetro. Existem 2 tipos de castanheiro - o bravo e o manso - consoante a forma de regeneração e o tipo de exploração que se pretende. A um povoamento de castanheiros mansos, vocacionados para produzir castanhas, dá-se o nome de "souto" e a um povoamento vocacionado para produzir madeira, dá-se frequentemente o nome de "castiçal".
  • 2. Localização do Castanheiro Podemos encontrar 12 espécies de castanheiro numa vasta extensão que passa pela Europa, Euro-Ásia e zona atlântica do norte da América. Toda a orla norte do Mediterrâneo, de Portugal ao Cáucaso, é ocupada pela espécie mais significativa - a. O castanheiro americano (a segunda em importância), era comum na parte oriental dos E.U.A. até ao momento em que foi atacada por uma praga que praticamente a aniquilou. Em Itália, a área florestada com castanheiros é das maiores da Europa, atingindo várias centenas de milhares de hectares. O castanheiro também tem expressão em Espanha, França, Córsega, ex - Jugoslávia, Roménia, Hungria, Grécia, Turquia, e ainda em zonas montanhosas de Marrocos e Argélia. Foi também introduzido na Madeira, Açores e Canárias. Em Portugal continental, o castanheiro está espalhado um pouco por todo o país, muito embora se tenha assistido durante este século a uma clara diminuição da área ocupada por esta espécie. Hoje em dia, a sua presença mais significativa verifica-se na região a norte do Tejo. É essencialmente em zonas com altitudes superiores a 500 metros e com baixas temperaturas no inverno, que esta árvore encontra as condições necessárias para o seu desenvolvimento. É o que acontece nos distritos de Vila Real, Bragança, Guarda e Alto Alentejo. Em Portugal, a área total de castanheiro ronda presentemente os 35 mil hectares. Ao nível de povoamentos, há a destacar a região do noroeste transmontano, onde existem cerca de 12.500 e a serra de S. Mamede, considerada "um verdadeiro santuário do castanheiro".
  • 3. Origem A espécie que existe em Portugal é também a que predomina na Europa - a Castanea sativa . Há conhecimentos e sinais de existir no território português há já muitos séculos, pelo que é considerada como uma espécie indígena. Contudo, há quem pense que terá sido introduzida na península ibérica, provavelmente, durante a época dos romanos .
  • 4. Regeneração Ambos os tipos de castanheiro (bravo e manso) podem ser criados em viveiros e ambos nascem a partir do fruto - a castanha. A diferenciação dá-se por volta dos 3-4 anos de vida, quando para obter um castanheiro manso é necessário proceder à enxertia de um bravo. Em Portugal existem predominantemente cerca de 20 variedades de castanheiro manso, mas, no total, são conhecidas mais de uma centena. O castanheiro manso destina-se à produção de fruto. O bravo è cultivado em alto fuste ou talhadia, de forma a poder-se-lhe extrair peças de madeira de dimensões adequadas, que quanto maiores, mais valiosas são. O valor desta madeira é tão grande que, hoje, as peças de madeira de castanho, com o objectivo de produção de mobiliário de qualidade, são vendidas ao quilograma.  No caso de se optar pela enxertia, ela tanto pode ser efectuada no viveiro como depois da plantação. Outra técnica utilizada na regeneração dos castanheiros é a da multiplicação vegetativa com estacaria de árvores previamente seleccionadas e resistentes às pragas. Após o primeiro período de vida em viveiro, os castanheiros mansos deverão ser plantados a um compasso que pode variar entre os 10 e os 15 metros, de forma a dar espaço suficiente para que as suas copas cresçam sem se tocarem. Os tratamentos a efectuar depois da plantação são muito semelhantes ao efectuados em qualquer árvore de fruto. É necessário mobilizar o solo antes da plantação, sem esquecer as fertilizações químicas e orgânicas. O castanheiro é uma árvore que tem em cada pé, simultaneamente, flores masculinas e flores femininas. Floresce no período que vai de Maio a Junho e os frutos amadurecem nos meses de Outubro e Novembro. É das flores femininas, que estão agrupadas em 2 ou 3 no interior duma cápsula espinhosa, a que se dão nome de "ouriço", que resultam as castanhas. Depois da maturação completa, o ouriço abre em 4 partes, dele se desprendendo o fruto, que tanto pode ser no número de 1, 2 ou 3.
  • 5. Curiosidades Desde o Paleolítico que o castanheiro acompanha o Homem e tem para ele uma importância crucial. As tribos pré-romanas chamavam-lhe a árvore do pão, já que o seu fruto, a castanha, era um alimento rico e um importante meio de subsistência para os exércitos em campanha. Pode-se mesmo afirmar que foi um dos mais importantes farináceos em muitas regiões, antes da chegada da batata e do milho à Europa. Era utilizada na alimentação dos Homens e dos animais, era um complemento importante na agricultura e, em muitos casos, o pão dos mais desfavorecidos. Os entendidos dizem que as variedades portuguesas de castanheiro produzem as melhores castanhas que se conhecem, e são muito consideradas no comércio mundial, nomeadamente em núcleos da emigração portuguesa. A par de todas as manifestações culturais, salientam-se os castanheiros notáveis que permanecem de pé no distrito da Guarda. São autênticos exemplares, com dimensões inacreditáveis, como o de Guilhafonso e o da Arrifana. O primeiro, com idade estimada em 400 anos, tem uma altura de 19 metros, o que lhe permite ser considerado o maior exemplar da Europa que, em 1987, produziu meia tonelada de castanha da variedade Rebordã, conforme refere Sanches Pereira em "O Castanheiro na Beira Interior". Digno de referência é, igualmente, o "Castanheiro Velho", na Arrifana, que possui um tronco considerado o mais grosso de todos os castanheiros existentes no país, com um perímetro de 13 metros e 20 centímetros. Trata-se de uma imponente árvore que deverá ter uma idade de cerca de dois mil anos, atendendo a que o autor Taborda de Morias lhe atribuiu, em 1937, na obra "Árvores Notáveis de Portugal", 1139 anos. Embora diferentes e com dimensões normais, são também únicos os "Castanheiros Gémeos" de Famalicão da Serra, ainda no concelho da Guarda. Trata-se de duas árvores adultas, separadas na base e no cimo do tronco, mas unidas a meio, em consequência de um «processo de enxertia natural de encosto», refere Cameira Serra no seu livro. Na Beira Interior são frequentes as terras cujos nomes estão ligados ao castanheiro. No nosso distrito encontram localidades com denominação inerente ao castanheiro. Em poucos exemplos, constatamos isso mesmo: Souto (Sabugal), Monte Soito (Guarda), Castanheira (em Trancoso, em Manteigas, na Guarda e em Gouveia), Souto Maior (Trancoso), Soito do Bispo (Guarda), são um pequeno número de tantos nomes de lugares onde o castanheiro teve um papel importante na toponímia.
  • 6. Os Castanheiros são mais vistos no norte do país e mais ou menos no centro do país .