SlideShare uma empresa Scribd logo
O Segundo Reinado é a fase da História
do Brasil que corresponde ao governo
            de D. Pedro II


     Inicia no ano 1840 e tem seu
        término em 1889 com a
      Proclamação da República.
       Foi marcado por muitas
     mudanças sociais, políticas e
         econômicas no Brasil.
• Antecipação da maioridade de
  Dom Pedro II;
• Dom Pedro imperador aos 14
  anos;
• Manobra política do Partido
  Liberal;
• Uma alternativa ao governo
  regencial que era apontado na
  época como a principal causa
  das frequentes rebeliões,
  agitações sociais do país.
As disputas políticas entre progressistas
(Feijó) e regressistas (Araújo Lima), durante
 as regências, resultaram posteriormente no
 Partido Liberal e no Partido Conservador.
Liberais                 Conservadores
  • Profissionais liberais   • Grandes comerciantes,
   urbanos, latifundiários    latifundiários ligados ao
 ligados a produção para o        mercado externo,
      mercado interno.            burocracia estatal.




“ Nada   mais conservador que um liberal, nada mais
           liberal do que um conservador”
                - Luzias e Saquaresmas
O PAPEL DO      AUTONOMIA             PODER
                    REI          POLÍTICA           JUDICIÁRIO

                                Descentralização
                                administrativa e
                 O rei reina,   certa autonomia
                                                   Eleição popular
   LIBERAIS       mas não        das províncias.
                                                   dos magistrados
                  governa       Menos poder na
                                     mão do
                                   Imperador
                O rei reina e
                                 Centralização
                 governa a                          Manutenção da
                                   política e
CONSERVADORES    partir do                         independência do
                                administração na
                   poder                            Poder Judiciário
                                     Corte
                moderador
• Disputas políticas e violência eleitoral:
  “ELEIÇÕES DO CACETE”
• Dom Pedro II: Conciliação
Nada de mexer nas   Nem no trabalho
     grandes           escravo!
  propriedades!
• Revolução liberal e federalista;
• Partido da Praia: Grupo de liberais
  • A sede das reuniões era localizada na Rua da Praia, o que deu
    origem ao nome.
• Motivos:
  • Domínio dos portugueses no comércio;
  • Crise na economia açucareira;
  • Reação à nomeação de presidente conservador para a província.
• Desfecho:
  • Chegaram a ocupar parte de Recife, mas não conseguiram depor o
    governo;
  • Em 1850 o governo conseguiu sufocar a revolta com a Guarda
    Nacional. A “paz imperial” voltou a reinar.
• Tríplice Aliança (Brasil,
   Argentina e Uruguai) x
            Paraguai
 • Disputas pelo controle da
     bacia do rio da Prata
   • Derrota paraguaia e
      destruição do país
• Fortalecimento do exército
           brasileiro


                                Crédito: Allmaps
• Cafeicultura: Século XIX
   • Principal produto de exportação do Brasil
   • Produção brasileira = metade da produção mundial
• Transferência do centro
   econômico brasileiro do
   Nordeste para o Sudeste           Barões do Café
                                O novo cafeicultor utilizava
• Importância política dos      em sua fazenda métodos mais
       “barões do café”         racionais e modernos de
                                produção agrícola. Admitia a
  • Urbanização: aumento        substituição de mão-de-obra
         demográfico            escrava por imigrantes.
• Modernização: casarões,
    teatros, jornais e salões
           literários
     • Estradas de ferro
• Imigração européia:
  • Italianos, espanhóis e alemães em busca de uma vida melhor;
  • Necessidade de mão de obra para as lavouras de café.
• Processos de abolição
  da escravatura:
  • Movimento
    abolicionista
  • Revoltas, fugas e
    insurreições dos
    escravos
  • Pressões inglesas
    • 1845: Bill Aberdeen
    • 1850: Lei Eusébio de
      Queiroz
• 1871: Lei do Ventre Livre ou Lei Rio Branco
• 1885: Lei dos Sexagenários ou Lei Saraiva-Cotegipe
• 13/05/1888: Lei Áurea

        “1º É declarada extinta, desde a data desta Lei, a
                  escravidão no Brasil.”
• 1870 (RJ): O “Manifesto Republicano” publicado em um
  novo jornal, “A República”. Criticava a falta de liberdade
  e o absolutismo de Dom Pedro II.
• 1873 (SP): Criação do Partido Republicano Paulista (PRP)
  • A partir desse momento o movimento ganhou forças, apoiado no
    poder econômico pelos cafeicultores e na ação pelos estudantes e
    professores de Direito.


  Aos poucos o ideal republicano se difundiu pelo país,
 conquistando adeptos entre as camadas da população. O
movimento ganhou um importante impulso durante a crise
                       do Império
Exército




            Império


População              Igreja
 Descontentamento com a corrupção existente na corte.
             Insatisfação com a proibição, imposta pela monarquia,
              pela qual os oficiais do Exércitos não podiam dar
              declarações na imprensa sem prévia autorização do
              Ministro da Guerra


             A classe média brasileira desejava mais liberdade e
              maior participação nos assuntos políticos do país.
             Cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter
População
              maior poder político, já que tinham grande poder
              econômico.




             Interferência de D. Pedro II em questões religiosas,
              gerando um descontentamento nas lideranças da Igreja
              Católica no país;
• No dia 15 de
  novembro de 1889,
  militares liderados
  pelo Marechal
  Deodoro da Fonseca,
  tomaram o Ministério
  da Guerra e
  estabeleceram um
  governo provisório.
“O povo
   assistiu,
bestializado,
       à
Proclamação
      da
 República”
 - Aristides
    Lobo
• De 1889 à 1930, estende-se o período da primeira
  República Brasileira.
• O governo do Marechal Deodoro da Fonseca é
  tradicionalmente dividido em dois períodos:
  • Governo Provisório: da Proclamação da Republica, em novembro
    de 1889, até 1891;
  • Governo Constitucional: de fevereiro a outubro de 1991, pois foi
    eleito segundo as regras estabelecidas pela Constituição
    republicana recém aprovada.


    Foi um governo marcado pelo autoritarismo e pela
   tendência centralizadora, que colocou em constante
  choque os poderes executivo e legislativo, este último
             dominado pelos latifundiários.
Promulgada a Primeira Constituição
Republicana:
• O voto não era mais censitário, porém
  a maioria não votava ( mulheres,
  analfabetos, militares de baixa patente
  ficavam de fora)
• O voto não era secreto;
• Federalismo
• Três poderes;
• Separação Estado e Igreja.
• Governo liderado por Floriano
  Peixoto:
  • Ditadura de Salvação Nacional:
    Fez um governo nacionalista e
    centralizador. Tornou-se o
    “Marechal de Ferro".
  • Entre seus atos, estatizou a
    moeda, estimulou a indústria e
    baixou os preços de imóveis e de
    alimentos.
  • Intensificou a repressão aos que
    ainda davam apoio a monarquia.
• Oligarquia, do grego: “Exercido por poucas pessoas,
  pertencentes a um grupo social dominante ou uma família
  poderosa.”
• Implantado pelo presidente Prudente de Moraes
  (1894-1998)
• Retirou o exército do poder e neste período o poder
  esteve nas mãos das grandes famílias latifundiárias,
  filiadas ao Partido Republicano de cada estado, sob a
  direção dos cafeicultores paulistas.
• Política do Café com Leite
• Estes políticos saiam dos seguintes partidos:
  • Partido Republicano Paulista(PRP)
  • Partido Republicano Mineiro(PRM).


Estes dois partidos controlavam as eleições e mantinham-se
no poder de maneira alternada.

• Privilegiou a região Sudeste e em contrapartida as outras
  regiões foram esquecidas e tiveram seus problemas
  sociais agravados.
Política do Café com Leite
Em geral grandes proprietários
de terras, os coronéis
controlavam os eleitores em
seu município de influência.
• Voto de Cabresto: Como o
  voto era aberto, a maioria dos
  eleitores ficava sujeita às
  pressões exercidas por esses
  chefes políticos locais. Os
  eleitores acabavam votando
  nos candidatos indicados
  pelos coronéis.
  • Curral Eleitoral.
• Implantada por Campos Salles (1898-1902)

                      Governo Federal
                       (PRP + PRM)

                                             Apoio

Verbas e Obras       Governo Estadual
                       (Deputados e
                        Senadores)

                                             Votos de
                                             Cabrestos
                         Governo
                        Municipal
                        (Coronéis)
• Em suma, era uma troca de favores políticos entre
  governadores e presidente. O presidente apoiava os
  candidatos dos partidos governistas nos estados,
  enquanto estes políticos davam suporte a candidatura
  presidencial e também durante a época do governo
Brasil: Do II Reinado à República Velha.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Kaíne Colodetti
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
Edenilson Morais
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Portal do Vestibulando
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)
Isaquel Silva
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fatima Freitas
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
Daniel Alves Bronstrup
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Elaine Bogo Pavani
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Elaine Bogo Pavani
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
Rodrigo Luiz
 
A crise no império romano
A crise no império romanoA crise no império romano
A crise no império romano
Nilton Silva Jardim Junior
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Isaquel Silva
 
9º ano Brasil República
9º ano Brasil República9º ano Brasil República
9º ano Brasil República
Expedito Martins
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Fatima Freitas
 
Governo dilma e temer
Governo dilma e temerGoverno dilma e temer
Governo dilma e temer
AndressonSimplicio
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Ramiro Bicca
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
Isaquel Silva
 
Atividade ditadura de história 3º ano ensino médio
Atividade ditadura  de história 3º ano ensino médioAtividade ditadura  de história 3º ano ensino médio
Atividade ditadura de história 3º ano ensino médio
Atividades Diversas Cláudia
 

Mais procurados (20)

Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)A República Velha (1889-1930)
A República Velha (1889-1930)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
3° ano Brasil República Velha
3° ano   Brasil República Velha3° ano   Brasil República Velha
3° ano Brasil República Velha
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
A crise no império romano
A crise no império romanoA crise no império romano
A crise no império romano
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
 
9º ano Brasil República
9º ano Brasil República9º ano Brasil República
9º ano Brasil República
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Governo dilma e temer
Governo dilma e temerGoverno dilma e temer
Governo dilma e temer
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
Atividade ditadura de história 3º ano ensino médio
Atividade ditadura  de história 3º ano ensino médioAtividade ditadura  de história 3º ano ensino médio
Atividade ditadura de história 3º ano ensino médio
 

Semelhante a Brasil: Do II Reinado à República Velha.

República velha
República velhaRepública velha
República velha
Marcia Klein
 
República Velha - características gerais
República Velha - características geraisRepública Velha - características gerais
República Velha - características gerais
carlosbidu
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
guesta48e0f
 
Crtl V Crtl C
Crtl V Crtl CCrtl V Crtl C
Crtl V Crtl C
historiaduzentosedois
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Edilene Ruth Pereira
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Pérysson Nogueira
 
O Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro IIO Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro II
Edilene Ruth Pereira
 
Primeiro Reinado e Regencias
Primeiro Reinado e RegenciasPrimeiro Reinado e Regencias
Primeiro Reinado e Regencias
Alexandre Protásio
 
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptxPERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
GustavoLeme25
 
Estrutura Político Legislativa na República Velha
Estrutura Político Legislativa na República VelhaEstrutura Político Legislativa na República Velha
Estrutura Político Legislativa na República Velha
Gisele Finatti Baraglio
 
Hist cap 13
Hist cap 13Hist cap 13
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espadaPrimeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
ArthurRomanof1
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
carlosbidu
 
Formação do estado republicano revolução de 30 e primeira guerra mundial
Formação do estado republicano   revolução de 30 e primeira guerra mundialFormação do estado republicano   revolução de 30 e primeira guerra mundial
Formação do estado republicano revolução de 30 e primeira guerra mundial
Nilberte
 
oasegundoareinado.pdf
oasegundoareinado.pdfoasegundoareinado.pdf
oasegundoareinado.pdf
ketlenIsabelle
 
REPÚBLICA VELHA.pptx
REPÚBLICA VELHA.pptxREPÚBLICA VELHA.pptx
REPÚBLICA VELHA.pptx
Rosangela Leite
 
Proclamação da República no Brasil ano 1889
Proclamação da República no Brasil  ano 1889Proclamação da República no Brasil  ano 1889
Proclamação da República no Brasil ano 1889
Ricardo Diniz campos
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
Daniel Alves Bronstrup
 
Segundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
Segundo Reinado: Consolidação e Questões InternasSegundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
Segundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
valeria908734
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
Rosani Becker
 

Semelhante a Brasil: Do II Reinado à República Velha. (20)

República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
República Velha - características gerais
República Velha - características geraisRepública Velha - características gerais
República Velha - características gerais
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
 
Crtl V Crtl C
Crtl V Crtl CCrtl V Crtl C
Crtl V Crtl C
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
O Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro IIO Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro II
 
Primeiro Reinado e Regencias
Primeiro Reinado e RegenciasPrimeiro Reinado e Regencias
Primeiro Reinado e Regencias
 
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptxPERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
PERÍODO REGENCIAL E SEGUNDO REINADO.pptx
 
Estrutura Político Legislativa na República Velha
Estrutura Político Legislativa na República VelhaEstrutura Político Legislativa na República Velha
Estrutura Político Legislativa na República Velha
 
Hist cap 13
Hist cap 13Hist cap 13
Hist cap 13
 
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espadaPrimeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
 
Formação do estado republicano revolução de 30 e primeira guerra mundial
Formação do estado republicano   revolução de 30 e primeira guerra mundialFormação do estado republicano   revolução de 30 e primeira guerra mundial
Formação do estado republicano revolução de 30 e primeira guerra mundial
 
oasegundoareinado.pdf
oasegundoareinado.pdfoasegundoareinado.pdf
oasegundoareinado.pdf
 
REPÚBLICA VELHA.pptx
REPÚBLICA VELHA.pptxREPÚBLICA VELHA.pptx
REPÚBLICA VELHA.pptx
 
Proclamação da República no Brasil ano 1889
Proclamação da República no Brasil  ano 1889Proclamação da República no Brasil  ano 1889
Proclamação da República no Brasil ano 1889
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
Segundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
Segundo Reinado: Consolidação e Questões InternasSegundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
Segundo Reinado: Consolidação e Questões Internas
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 

Brasil: Do II Reinado à República Velha.

  • 1.
  • 2. O Segundo Reinado é a fase da História do Brasil que corresponde ao governo de D. Pedro II Inicia no ano 1840 e tem seu término em 1889 com a Proclamação da República. Foi marcado por muitas mudanças sociais, políticas e econômicas no Brasil.
  • 3.
  • 4.
  • 5. • Antecipação da maioridade de Dom Pedro II; • Dom Pedro imperador aos 14 anos; • Manobra política do Partido Liberal; • Uma alternativa ao governo regencial que era apontado na época como a principal causa das frequentes rebeliões, agitações sociais do país.
  • 6. As disputas políticas entre progressistas (Feijó) e regressistas (Araújo Lima), durante as regências, resultaram posteriormente no Partido Liberal e no Partido Conservador.
  • 7. Liberais Conservadores • Profissionais liberais • Grandes comerciantes, urbanos, latifundiários latifundiários ligados ao ligados a produção para o mercado externo, mercado interno. burocracia estatal. “ Nada mais conservador que um liberal, nada mais liberal do que um conservador” - Luzias e Saquaresmas
  • 8. O PAPEL DO AUTONOMIA PODER REI POLÍTICA JUDICIÁRIO Descentralização administrativa e O rei reina, certa autonomia Eleição popular LIBERAIS mas não das províncias. dos magistrados governa Menos poder na mão do Imperador O rei reina e Centralização governa a Manutenção da política e CONSERVADORES partir do independência do administração na poder Poder Judiciário Corte moderador
  • 9. • Disputas políticas e violência eleitoral: “ELEIÇÕES DO CACETE” • Dom Pedro II: Conciliação
  • 10. Nada de mexer nas Nem no trabalho grandes escravo! propriedades!
  • 11. • Revolução liberal e federalista; • Partido da Praia: Grupo de liberais • A sede das reuniões era localizada na Rua da Praia, o que deu origem ao nome. • Motivos: • Domínio dos portugueses no comércio; • Crise na economia açucareira; • Reação à nomeação de presidente conservador para a província. • Desfecho: • Chegaram a ocupar parte de Recife, mas não conseguiram depor o governo; • Em 1850 o governo conseguiu sufocar a revolta com a Guarda Nacional. A “paz imperial” voltou a reinar.
  • 12. • Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai) x Paraguai • Disputas pelo controle da bacia do rio da Prata • Derrota paraguaia e destruição do país • Fortalecimento do exército brasileiro Crédito: Allmaps
  • 13.
  • 14. • Cafeicultura: Século XIX • Principal produto de exportação do Brasil • Produção brasileira = metade da produção mundial
  • 15.
  • 16. • Transferência do centro econômico brasileiro do Nordeste para o Sudeste Barões do Café O novo cafeicultor utilizava • Importância política dos em sua fazenda métodos mais “barões do café” racionais e modernos de produção agrícola. Admitia a • Urbanização: aumento substituição de mão-de-obra demográfico escrava por imigrantes. • Modernização: casarões, teatros, jornais e salões literários • Estradas de ferro
  • 17.
  • 18. • Imigração européia: • Italianos, espanhóis e alemães em busca de uma vida melhor; • Necessidade de mão de obra para as lavouras de café.
  • 19. • Processos de abolição da escravatura: • Movimento abolicionista • Revoltas, fugas e insurreições dos escravos • Pressões inglesas • 1845: Bill Aberdeen • 1850: Lei Eusébio de Queiroz
  • 20. • 1871: Lei do Ventre Livre ou Lei Rio Branco • 1885: Lei dos Sexagenários ou Lei Saraiva-Cotegipe • 13/05/1888: Lei Áurea “1º É declarada extinta, desde a data desta Lei, a escravidão no Brasil.”
  • 21. • 1870 (RJ): O “Manifesto Republicano” publicado em um novo jornal, “A República”. Criticava a falta de liberdade e o absolutismo de Dom Pedro II. • 1873 (SP): Criação do Partido Republicano Paulista (PRP) • A partir desse momento o movimento ganhou forças, apoiado no poder econômico pelos cafeicultores e na ação pelos estudantes e professores de Direito. Aos poucos o ideal republicano se difundiu pelo país, conquistando adeptos entre as camadas da população. O movimento ganhou um importante impulso durante a crise do Império
  • 22. Exército Império População Igreja
  • 23.  Descontentamento com a corrupção existente na corte.  Insatisfação com a proibição, imposta pela monarquia, pela qual os oficiais do Exércitos não podiam dar declarações na imprensa sem prévia autorização do Ministro da Guerra  A classe média brasileira desejava mais liberdade e maior participação nos assuntos políticos do país.  Cafeicultores do Oeste Paulista, que desejavam obter População maior poder político, já que tinham grande poder econômico.  Interferência de D. Pedro II em questões religiosas, gerando um descontentamento nas lideranças da Igreja Católica no país;
  • 24. • No dia 15 de novembro de 1889, militares liderados pelo Marechal Deodoro da Fonseca, tomaram o Ministério da Guerra e estabeleceram um governo provisório.
  • 25. “O povo assistiu, bestializado, à Proclamação da República” - Aristides Lobo
  • 26.
  • 27. • De 1889 à 1930, estende-se o período da primeira República Brasileira.
  • 28. • O governo do Marechal Deodoro da Fonseca é tradicionalmente dividido em dois períodos: • Governo Provisório: da Proclamação da Republica, em novembro de 1889, até 1891; • Governo Constitucional: de fevereiro a outubro de 1991, pois foi eleito segundo as regras estabelecidas pela Constituição republicana recém aprovada. Foi um governo marcado pelo autoritarismo e pela tendência centralizadora, que colocou em constante choque os poderes executivo e legislativo, este último dominado pelos latifundiários.
  • 29. Promulgada a Primeira Constituição Republicana: • O voto não era mais censitário, porém a maioria não votava ( mulheres, analfabetos, militares de baixa patente ficavam de fora) • O voto não era secreto; • Federalismo • Três poderes; • Separação Estado e Igreja.
  • 30. • Governo liderado por Floriano Peixoto: • Ditadura de Salvação Nacional: Fez um governo nacionalista e centralizador. Tornou-se o “Marechal de Ferro". • Entre seus atos, estatizou a moeda, estimulou a indústria e baixou os preços de imóveis e de alimentos. • Intensificou a repressão aos que ainda davam apoio a monarquia.
  • 31. • Oligarquia, do grego: “Exercido por poucas pessoas, pertencentes a um grupo social dominante ou uma família poderosa.” • Implantado pelo presidente Prudente de Moraes (1894-1998) • Retirou o exército do poder e neste período o poder esteve nas mãos das grandes famílias latifundiárias, filiadas ao Partido Republicano de cada estado, sob a direção dos cafeicultores paulistas. • Política do Café com Leite
  • 32. • Estes políticos saiam dos seguintes partidos: • Partido Republicano Paulista(PRP) • Partido Republicano Mineiro(PRM). Estes dois partidos controlavam as eleições e mantinham-se no poder de maneira alternada. • Privilegiou a região Sudeste e em contrapartida as outras regiões foram esquecidas e tiveram seus problemas sociais agravados.
  • 33. Política do Café com Leite
  • 34. Em geral grandes proprietários de terras, os coronéis controlavam os eleitores em seu município de influência. • Voto de Cabresto: Como o voto era aberto, a maioria dos eleitores ficava sujeita às pressões exercidas por esses chefes políticos locais. Os eleitores acabavam votando nos candidatos indicados pelos coronéis. • Curral Eleitoral.
  • 35. • Implantada por Campos Salles (1898-1902) Governo Federal (PRP + PRM) Apoio Verbas e Obras Governo Estadual (Deputados e Senadores) Votos de Cabrestos Governo Municipal (Coronéis)
  • 36. • Em suma, era uma troca de favores políticos entre governadores e presidente. O presidente apoiava os candidatos dos partidos governistas nos estados, enquanto estes políticos davam suporte a candidatura presidencial e também durante a época do governo