SlideShare uma empresa Scribd logo
República Velha – República da espada
(1889 – 1930)
Primeira República do Brasil. república da espada
República velha
República da
Espada
(1889 – 1894)
República das
Oligarquias
(1894 – 1930)
Primeira República do Brasil. república da espada
 Modelo Liberal:
Defendido pelos cafeicultores;
Implantação do federalismo;
Influenciado pelo Positivismo;
A ordem levaria o país ao
progresso;
Estabelecer um estado
centralizado que organizaria a
nação.
 "O positivismo é uma corrente teórica
inspirada no ideal de progresso contínuo
da humanidade. O pensamento positivista
postula a existência de uma marcha
contínua e progressiva e que a
humanidade tende a progredir
constantemente. O progresso, que é uma
constatação histórica, deve ser sempre
reforçado, de acordo com o que Auguste
Comte, criador do positivismo, chamou de
Ciências Positivas.
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
O período que
correspondeu aos dois
governos iniciais do brasil.
Constituídos pelos
militares
Primeira República do Brasil. república da espada
 Fim do Poder Moderador;
 Refletir o Liberalismo;
 O país torna-se Estados Unidos do
Brasil;
 As províncias tornaram-se Estados
que ganham autonomia;
 Voto passou a ser direito, excluindo os
analfabetos, mendigos, mulheres,
soldados e menores de 21 anos.
 Mandato de presidente 4 anos;
 A igreja separou-se do Estado;
 Institui-se o registro de nascimento,
casamento e atestado de óbito.
Primeira República do Brasil. república da espada
 Marechal Deodoro da Fonseca (1889 – 1891)
 Marechal Floriano Peixoto (1891 – 1894)
 Rui Barbosa Como Ministro da Fazenda: Objetivo de estimular o crescimento
econômico, autorização
 Para fortalecer o crédito, permitiu que alguns bancos emitissem papel-
moeda para ser emprestados;
 A facilidade de crédito induziu o surgimento de empresas fantasmas,
cujas ações eram negociadas na bolsa de valores;
 Aumentar a inflação
 Crise financeira.
POLÍTICA DOS
GOVERNADORES
OLIGARQUIAS =
GOVERNO DE
POUCOS
Voto aberto; Atuação dos coronéis,
chefes políticos locai.,
Eleições caracterizadas pela fraude,
pois não havia uma justiça eleitoral.
Curral eleitoral” e “voto de Cabresto”.
Os eleitores votavam por vários
motivos: obediência, lealdade, gratidão
ou busca de algum favor. Rede de
favores, de clientelismo e de proteção
Sem garantia de direitos civis e
políticos, grande parte da população
buscava a proteção de um coronel.
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
Primeira República do Brasil. república da espada
“Esquema” político do “Café com Leite”
22
Nível Federal (União)
CAFÉ COM CAFÉ:
- Acordo + Aliança.
- Alternância: SP (PRP) x MG (PRM)
- Estados mais ricos: CAFÉ, gado...
- Maior Nº de eleitores.
- Maiores bancadas no Congresso.
- Conchavos políticos: oligarquias...
- Forças Políticas “secundárias”:
- Rio Grande do Sul.
- Rio, Bahia e PE.
-Choques (rachas): nas eleições de
1910 e 1930.
23
POLÍTICA DOS GOVERNADORES
- NÃO INTERVENÇÃO DO G.F. NOS ESTADOS.
- APOIO + RECURSOS DO D.F - ESTADOS.
- MANUTENÇÃO: OLIGARQUIAS ESTADUAIS.
- DEPUTADO + SENADOR – APOIAM O EXE.
- NÃO HÁ CHOQUE: EXEC x LEG..
-COMISSÃO VERIFICADORA DE PODERES.
OBS.: DIPLOMA ou “DEGOLA”...
- NO PIAUÍ: OLIGARQUIA PIRES FERREIRA...
24
25
CORONELISMO:
Experiência política típica da
Rep. Velha, caracterizado
pelos poderes político,
jurídico-policial, social e
econômico... dos grandes
proprietários de terras
(Coronéis), que exerciam o
controle político e a
autoridade a nível de
Município (Curral Eleitoral)
26
CAMPONÊS/SERTANEJO
Dependência: terra, água.
Empregos e proteção.
Dívida dos favores.
Ausência do Estado.
Sem assistência pública.
Situação de miséria,
seca...
Remédio, Hospitais...
- VOTO: moeda de troca.
VOTO DE
CABRESTO
POLÍTICA NA REPÚBLICA VELHA
Nível Municipal
CORONEL:
- Poderoso dono de TERRAS.
- Nomeava: Juiz e Delegado.
- Tinha seus Jagunços.
- “Dono” dos empregos...
- Controle econômico local.
- Influências na Capital.
- Relações de compadrio.
- Clientelismo: favores x voto.
- Apadrinhamento.
27
Coronelismo
O padre, o militar e o coronel, os três
poderes do Brasil arcaico (Rep.
Velha)
28
Primeira República do Brasil. república da espada
"A Revolta da Armada,
organizada pela Marinha,
aconteceu no Rio de Janeiro,
entre os anos de 1891 e 1894,
exigiu maior participação dos
marinheiros na república
brasileira e foi contrária à
concentração de poder nas
mãos dos presidentes da
república."
Essa truculência com que os militares
atuaram fez com que vários republicanos
rompessem o apoio com os militares no
poder. Havia dois grupos:
Um que defendia um governo constitucional,
baseado na lei e na ordem, com poderes
estabelecidos legalmente; e
Outro que era favorável à maior
concentração de poderes nas mãos do
presidente da república para consolidar o
novo governo e combater de forma rígida os
opositores e monarquistas.
Os parlamentares não lhe
concederam amplos poderes para
consolidar a república e combater os
seus inimigos.
Ordenou fechamento do congresso.
Gesto: autoritário.
Desencadeou a primeira Revolta da
Armada
Primeira República do Brasil. república da espada
 Floriano Peixoto era vice-presidente e
assumiu o poder.
 Deodoro fica dois anos no cargo.
 Militares exigem novas eleições;
 Assinaram um manifesto que exigia o
cumprimento da Constituição;
 Presos;
 Dessa vez, os revoltosos queriam lutar
pelo poder e não mais apenas reagir
ao autoritarismo e descumprimento das
leis por parte dos presidentes da
república.
 Aconteceu entre os anos de 1891 e 1894, no Rio de
Janeiro, e exigia maior participação da Marinha no governo
republicano.
 Foram duas revoltas, ambas ocorridas durante os
governos de Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, dois
militares do Exército.
 Os marinheiros foram contra a arbitrariedade dos
primeiros governos da república brasileira.
 Logo após a derrota, os remanescentes da Revolta da
Armada migraram para a Revolução Federalista, no Sul do
país.
Primeira República do Brasil. república da espada
Ocorreu no Estado do Rio Grande do Sul, o estado mais
instável do País no início da República;
Os republicanos e os liberais.
Forma
de
governar
Republicanos
Júlio de
Castilhos
centralizado no
Executivo
liberais
Partido
Federalista
Gaspar Silveira
Martins
Parlamentarismo
Era aliado de Floriano
Peixoto;
Desagradou aos
federalistas;
Castilho pede ajuda a
Floriano Peixoto;
Tropas Legalistas;
A Revolução Federalista foi um conflito ocorrido no Sul do
país entre republicanos e federalistas.
Os federalistas começaram a revolução ao resistirem à
nomeação de Júlio Castilhos como presidente do estado do
Rio Grande do Sul.
Aliança entre federalistas e a Revolta da Armada.
Castilhos contou com o apoio militar do governo Floriano
Peixoto.
A revolução terminou em 1895, quando o presidente
Prudente de Morais selou um acordo entre as duas partes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
isameucci
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
Valéria Shoujofan
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
eiprofessor
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Portal do Vestibulando
 
9º ano Brasil República
9º ano Brasil República9º ano Brasil República
9º ano Brasil República
Expedito Martins
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
alanac
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
Elton Zanoni
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Privada
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
Daniel Alves Bronstrup
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
isameucci
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
Wilton Moretto
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Lucas Cardoso
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
Edenilson Morais
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
dmflores21
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Professora Natália de Oliveira
 
Populismo na america-latina
Populismo na america-latinaPopulismo na america-latina
Populismo na america-latina
Norma Almeida
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
Aulas de História
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 

Mais procurados (20)

Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Governos Populistas
Governos PopulistasGovernos Populistas
Governos Populistas
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
9º ano Brasil República
9º ano Brasil República9º ano Brasil República
9º ano Brasil República
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)Era Vargas (1930-1945)
Era Vargas (1930-1945)
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
Populismo na america-latina
Populismo na america-latinaPopulismo na america-latina
Populismo na america-latina
 
O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 

Semelhante a Primeira República do Brasil. república da espada

Aula 18 república velha
Aula 18   república velhaAula 18   república velha
Aula 18 república velha
Jonatas Carlos
 
Republica Velha Brasil
Republica Velha BrasilRepublica Velha Brasil
Republica Velha Brasil
Gustavo Lopes de Faria
 
9 Brasil República
9 Brasil República9 Brasil República
9 Brasil República
profrogerio1
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
dayanbotelho2
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
dayanbotelho2
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
dayanbotelho2
 
A República Brasileira
A República BrasileiraA República Brasileira
A República Brasileira
Gilmar Rodrigues
 
Brasil Republica Velha - apogeu
Brasil Republica Velha - apogeuBrasil Republica Velha - apogeu
Brasil Republica Velha - apogeu
Alexandre Protásio
 
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptxbrasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
ssuserbbf4ed
 
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptxbrasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
ssuserbbf4ed
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
Aula república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
Aula   república velha (1889-1930) - resumo - história pensanteAula   república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
Aula república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
História Pensante
 
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.pptAULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
juventudetotal
 
Instituição da república
Instituição da repúblicaInstituição da república
Instituição da república
Leonardo Silva Costa
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
historiando
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
Elis Regina Torres Pereira
 
01
0101
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Yara Ribeiro
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
historiando
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
carlosbidu
 

Semelhante a Primeira República do Brasil. república da espada (20)

Aula 18 república velha
Aula 18   república velhaAula 18   república velha
Aula 18 república velha
 
Republica Velha Brasil
Republica Velha BrasilRepublica Velha Brasil
Republica Velha Brasil
 
9 Brasil República
9 Brasil República9 Brasil República
9 Brasil República
 
República da Espada
República da EspadaRepública da Espada
República da Espada
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
 
A República da Espada
A República da EspadaA República da Espada
A República da Espada
 
A República Brasileira
A República BrasileiraA República Brasileira
A República Brasileira
 
Brasil Republica Velha - apogeu
Brasil Republica Velha - apogeuBrasil Republica Velha - apogeu
Brasil Republica Velha - apogeu
 
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptxbrasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
 
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptxbrasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
brasil-primeirarepblica-130223132953-phpapp02.pptx
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
Brasil - Primeira república
 
Aula república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
Aula   república velha (1889-1930) - resumo - história pensanteAula   república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
Aula república velha (1889-1930) - resumo - história pensante
 
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.pptAULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
AULA DE HISTÓRIA SOBRE A REPÚBLICA VELHA.ppt
 
Instituição da república
Instituição da repúblicaInstituição da república
Instituição da república
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
01
0101
01
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 

Primeira República do Brasil. república da espada

  • 1. República Velha – República da espada (1889 – 1930)
  • 3. República velha República da Espada (1889 – 1894) República das Oligarquias (1894 – 1930)
  • 5.  Modelo Liberal: Defendido pelos cafeicultores; Implantação do federalismo; Influenciado pelo Positivismo; A ordem levaria o país ao progresso; Estabelecer um estado centralizado que organizaria a nação.
  • 6.  "O positivismo é uma corrente teórica inspirada no ideal de progresso contínuo da humanidade. O pensamento positivista postula a existência de uma marcha contínua e progressiva e que a humanidade tende a progredir constantemente. O progresso, que é uma constatação histórica, deve ser sempre reforçado, de acordo com o que Auguste Comte, criador do positivismo, chamou de Ciências Positivas.
  • 10. O período que correspondeu aos dois governos iniciais do brasil. Constituídos pelos militares
  • 12.  Fim do Poder Moderador;  Refletir o Liberalismo;  O país torna-se Estados Unidos do Brasil;  As províncias tornaram-se Estados que ganham autonomia;  Voto passou a ser direito, excluindo os analfabetos, mendigos, mulheres, soldados e menores de 21 anos.  Mandato de presidente 4 anos;  A igreja separou-se do Estado;  Institui-se o registro de nascimento, casamento e atestado de óbito.
  • 14.  Marechal Deodoro da Fonseca (1889 – 1891)  Marechal Floriano Peixoto (1891 – 1894)  Rui Barbosa Como Ministro da Fazenda: Objetivo de estimular o crescimento econômico, autorização
  • 15.  Para fortalecer o crédito, permitiu que alguns bancos emitissem papel- moeda para ser emprestados;  A facilidade de crédito induziu o surgimento de empresas fantasmas, cujas ações eram negociadas na bolsa de valores;  Aumentar a inflação  Crise financeira.
  • 18. Voto aberto; Atuação dos coronéis, chefes políticos locai., Eleições caracterizadas pela fraude, pois não havia uma justiça eleitoral. Curral eleitoral” e “voto de Cabresto”. Os eleitores votavam por vários motivos: obediência, lealdade, gratidão ou busca de algum favor. Rede de favores, de clientelismo e de proteção Sem garantia de direitos civis e políticos, grande parte da população buscava a proteção de um coronel.
  • 22. “Esquema” político do “Café com Leite” 22
  • 23. Nível Federal (União) CAFÉ COM CAFÉ: - Acordo + Aliança. - Alternância: SP (PRP) x MG (PRM) - Estados mais ricos: CAFÉ, gado... - Maior Nº de eleitores. - Maiores bancadas no Congresso. - Conchavos políticos: oligarquias... - Forças Políticas “secundárias”: - Rio Grande do Sul. - Rio, Bahia e PE. -Choques (rachas): nas eleições de 1910 e 1930. 23
  • 24. POLÍTICA DOS GOVERNADORES - NÃO INTERVENÇÃO DO G.F. NOS ESTADOS. - APOIO + RECURSOS DO D.F - ESTADOS. - MANUTENÇÃO: OLIGARQUIAS ESTADUAIS. - DEPUTADO + SENADOR – APOIAM O EXE. - NÃO HÁ CHOQUE: EXEC x LEG.. -COMISSÃO VERIFICADORA DE PODERES. OBS.: DIPLOMA ou “DEGOLA”... - NO PIAUÍ: OLIGARQUIA PIRES FERREIRA... 24
  • 25. 25
  • 26. CORONELISMO: Experiência política típica da Rep. Velha, caracterizado pelos poderes político, jurídico-policial, social e econômico... dos grandes proprietários de terras (Coronéis), que exerciam o controle político e a autoridade a nível de Município (Curral Eleitoral) 26
  • 27. CAMPONÊS/SERTANEJO Dependência: terra, água. Empregos e proteção. Dívida dos favores. Ausência do Estado. Sem assistência pública. Situação de miséria, seca... Remédio, Hospitais... - VOTO: moeda de troca. VOTO DE CABRESTO POLÍTICA NA REPÚBLICA VELHA Nível Municipal CORONEL: - Poderoso dono de TERRAS. - Nomeava: Juiz e Delegado. - Tinha seus Jagunços. - “Dono” dos empregos... - Controle econômico local. - Influências na Capital. - Relações de compadrio. - Clientelismo: favores x voto. - Apadrinhamento. 27
  • 28. Coronelismo O padre, o militar e o coronel, os três poderes do Brasil arcaico (Rep. Velha) 28
  • 30. "A Revolta da Armada, organizada pela Marinha, aconteceu no Rio de Janeiro, entre os anos de 1891 e 1894, exigiu maior participação dos marinheiros na república brasileira e foi contrária à concentração de poder nas mãos dos presidentes da república."
  • 31. Essa truculência com que os militares atuaram fez com que vários republicanos rompessem o apoio com os militares no poder. Havia dois grupos: Um que defendia um governo constitucional, baseado na lei e na ordem, com poderes estabelecidos legalmente; e Outro que era favorável à maior concentração de poderes nas mãos do presidente da república para consolidar o novo governo e combater de forma rígida os opositores e monarquistas.
  • 32. Os parlamentares não lhe concederam amplos poderes para consolidar a república e combater os seus inimigos. Ordenou fechamento do congresso. Gesto: autoritário. Desencadeou a primeira Revolta da Armada
  • 34.  Floriano Peixoto era vice-presidente e assumiu o poder.  Deodoro fica dois anos no cargo.  Militares exigem novas eleições;  Assinaram um manifesto que exigia o cumprimento da Constituição;  Presos;  Dessa vez, os revoltosos queriam lutar pelo poder e não mais apenas reagir ao autoritarismo e descumprimento das leis por parte dos presidentes da república.
  • 35.  Aconteceu entre os anos de 1891 e 1894, no Rio de Janeiro, e exigia maior participação da Marinha no governo republicano.  Foram duas revoltas, ambas ocorridas durante os governos de Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, dois militares do Exército.  Os marinheiros foram contra a arbitrariedade dos primeiros governos da república brasileira.  Logo após a derrota, os remanescentes da Revolta da Armada migraram para a Revolução Federalista, no Sul do país.
  • 37. Ocorreu no Estado do Rio Grande do Sul, o estado mais instável do País no início da República; Os republicanos e os liberais.
  • 39. Era aliado de Floriano Peixoto; Desagradou aos federalistas; Castilho pede ajuda a Floriano Peixoto; Tropas Legalistas;
  • 40. A Revolução Federalista foi um conflito ocorrido no Sul do país entre republicanos e federalistas. Os federalistas começaram a revolução ao resistirem à nomeação de Júlio Castilhos como presidente do estado do Rio Grande do Sul. Aliança entre federalistas e a Revolta da Armada. Castilhos contou com o apoio militar do governo Floriano Peixoto. A revolução terminou em 1895, quando o presidente Prudente de Morais selou um acordo entre as duas partes