SlideShare uma empresa Scribd logo
BRANCA DE
NEVE E OS
SETE ANÕES

W
illiam Crawford
professor prim
ário nos
E – Ilustração:
UA
S one S
im
chneider
Denzin - B
rasil
Branca de Neve
empenhou todas as suas
forças tentando aplicar
o que havia aprendido
na faculdade.

Para mostrar a
seriedade de seu
objetivo, ela converteu
a sala de jantar em uma
sala de aula e exigiu
que eles, os anões,
assistissem às aulas,
seis horas por dia.
Assim, todo dia, após uma longa jornada
de trabalho, os sete anões sentavam-se em
pequenas carteiras organizadas em fileiras,
e assistiam as aulas.
A princípio as coisas foram muito bem. Eles
tentavam ler todas as lições dos sete ou oito
livros que Branca de Neve lhes dava, e
respondiam as perguntas no final de cada
capítulo.
Eles tentavam seguir as regras de conduta que
Branca de Neve havia estabelecido. Eles não
ficavam conversando em classe. Eles pediam
licença para ir ao banheiro, beber água ou apontar
o lápis.
Assim foi por alguns dias. Os anões estavam
desejosos de aprender e agradar a professora.
Mas, antes que a primeira semana terminasse,
Branca de Neve se meteu em problemas.
Primeiro foi Dunga.
Dunga não era como os
demais anões. Ele tinha
orelhas enormes e roupas
demasiado grandes para ele.
Ele parecia diferente e seu
comportamento era um
tanto estranho. Como o
palhaço da classe, ele não
conseguia sentar-se quieto.
Branca de Neve estava segura
que ele era deficiente mental.
Ele certamente não poderia
ficar na classe pois distraía os
demais anões. Assim, mandou
Dunga brincar no lado de fora
durante o período de aula. –
“Não volte até que você
consiga sentar-se quieto”,
advertiu Branca de Neve.
Logo foi Feliz.
Feliz não podia fazer
exercícios porque se
distraía com qualquer
movimento ao seu redor e
achava graça em tudo.
Seus comentários e risadas
distraíam os demais tanto
quanto o fazia Dunga.
Assim, Branca de Neve
mandou que ele fosse
fazer companhia a
Dunga. – “Não volte
até que consiga
guardar silêncio”,
advertiu. E então
continuou com o
ensino apropriado aos
demais.
Não tardou muito até surgir outro
problema. Os anões não
conseguiam concentrar-se com os
espirros de Atchim. Branca de
Neve diagnosticou seu problema
como sendo sinusite crônica e
mandou que fosse à floresta
procurar alguma raiz, seiva ou
erva para fazer um chá que
controlasse seu problema. – “Não
volte até que se cure,” ela pediu.
As coisas foram bem por
mais alguns dias, até que
apareceu outro problema.
Zangado sentava-se sempre
quieto, em silêncio, fazendo
suas tarefas, mas ele nunca
parecia estar satisfeito com
a escola. Ele parecia estar de
mal humor, mas enquanto
não causasse problemas,
Branca de Neve suportaria
aquele comportamento. Até
que ele começou a queixarse em sussurros.
Branca de Neve ignorou o
comportamento, mas sua
murmuração tornava-se
cada vez mais audível, e logo
Zangado se queixava de
tudo – dos livros sem graça,
da quantidade de exercícios,
de ter que memorizar.
Branca de Neve não podia
permitir que seu
comportamento
influenciasse os demais,
assim, ela colocou-o para
fora. – “Não volte até que
possa mostrar algum
entusiasmo em classe,”
advertiu.
Agora só restavam três
anões na classe de
Branca de Neve. Com a
classe menor, ela tinha
certeza que poderia
ensinar melhor. Mas
logo surgiu outro
problema.
Soneca não conseguia
manter-se acordado.
Cansado do trabalho e
enfadado com as aulas,
ele cochilava e roncava,
em plena aula! Branca
de Neve teve que
mandá-lo à cama e, não
encontrando outra
alternativa,ordenou:
“Não volte até que
recupere o sono
perdido”.
Agora só ficaram Dengoso e
Mestre. Eles certamente não
eram do tipo que causavam
problemas, mas Dengoso não
tinha auto-estima. Branca de
Neve fazia curva nas suas
provas, mas mesmo fazendo
seu melhor, ele nunca tirava
nota 10 porque Mestre
sempre tirava nota muito
melhor que ele.
Ele perdeu tanto sua
autoconfiança que era
óbvio seu desequilíbrio
emocional. Branca de
Neve teve que pedir que
se retirasse também. –
“Não volte até que se
sinta seguro de si”,
disse ela.
Agora só ficou Mestre,
que fazia tudo certinho:
a leitura, os
questionários, os
exercícios. Ele era um
aluno exemplar. Se
apenas os outros seis
anões pudessem ser
como ele...
Mesmo depois que Branca
de Neve se mudou para o
chalé dos sete anões, sua
madrasta nunca deixou de
consultar seu espelho
mágico, o qual sempre
informava que Branca de
Neve era a mais linda de
todas.
Assim que ela localizou Branca de Neve, se
disfarçou de vendedora de livros e bateu na
porta do chalé. Branca de Neve
contou alguns dos
problemas que estava
tendo, e a
vendedora-madrasta
convenceu-a de que o que
ela realmente precisava era
de um exame que avaliasse as
habilidades dos anões para que
ela pudesse acomodá-los
apropriadamente.
Ela vendeu sete cópias
do Exame de
Desempenho
Padronizado para
Anões. E, como um
presente especial, ela
deu uma linda maçã,
bem vermelha e
envenenada à Branca
de Neve.
Ela agradeceu a vendedora, deu uma
mordida na linda maçã e caiu num sono
profundo.
Agora só o beijo do
Príncipe Encantado do
Ensino Efetivo poderá
despertá-la.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Graciliano ramos vidas secas
Graciliano ramos   vidas secasGraciliano ramos   vidas secas
Graciliano ramos vidas secas
Cícero Almeida
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neve
Veriaraujo
 
Maria castanha
Maria castanhaMaria castanha
Maria castanha
Celeste Pinheiro
 
Evangelho no lar com crianças (31)
Evangelho no lar com crianças (31)Evangelho no lar com crianças (31)
Evangelho no lar com crianças (31)
Fatoze
 
História do inverno (1)
História do inverno (1)História do inverno (1)
História do inverno (1)
Msaoal
 
Vindimas
VindimasVindimas
Vindimas
Fmbmrd
 
Já Nasceu O Menino Jesus..
Já Nasceu O Menino Jesus..Já Nasceu O Menino Jesus..
Já Nasceu O Menino Jesus..
Maria Borges
 
História da árvore de natal
História da árvore de natalHistória da árvore de natal
História da árvore de natal
labeques
 
Escola antiga
Escola antigaEscola antiga
Escola antiga
escolajoseaniceto
 
O coelho que não era da páscoa
O coelho que não era da páscoaO coelho que não era da páscoa
O coelho que não era da páscoa
preescolarlagares
 
Flor de mel apresentação Mafalda 1º p
Flor de mel  apresentação Mafalda 1º pFlor de mel  apresentação Mafalda 1º p
Flor de mel apresentação Mafalda 1º p
be-djoaoII
 
A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!
silviaholanda
 
Poesias de inverno
Poesias de invernoPoesias de inverno
Poesias de inverno
labeques
 
Bichos da-seda
Bichos da-sedaBichos da-seda
Bichos da-seda
Ana Sobral Gonçalves
 
Uma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito EspecialUma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito Especial
A. E. Júlio Brandão
 
SÍTIO DO PICA PAU AMARELO
SÍTIO DO PICA PAU AMARELOSÍTIO DO PICA PAU AMARELO
SÍTIO DO PICA PAU AMARELO
Dulcilene Figueiredo
 
Corpo humano e_casa
Corpo humano e_casaCorpo humano e_casa
Corpo humano e_casa
Acilu
 
Saladinha de queixas
Saladinha de queixasSaladinha de queixas
Saladinha de queixas
profcorujita
 
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdfMalala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
DarlissonDiogo
 
A semente da verdade
A semente da verdadeA semente da verdade
A semente da verdade
LuciaFrana4
 

Mais procurados (20)

Graciliano ramos vidas secas
Graciliano ramos   vidas secasGraciliano ramos   vidas secas
Graciliano ramos vidas secas
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neve
 
Maria castanha
Maria castanhaMaria castanha
Maria castanha
 
Evangelho no lar com crianças (31)
Evangelho no lar com crianças (31)Evangelho no lar com crianças (31)
Evangelho no lar com crianças (31)
 
História do inverno (1)
História do inverno (1)História do inverno (1)
História do inverno (1)
 
Vindimas
VindimasVindimas
Vindimas
 
Já Nasceu O Menino Jesus..
Já Nasceu O Menino Jesus..Já Nasceu O Menino Jesus..
Já Nasceu O Menino Jesus..
 
História da árvore de natal
História da árvore de natalHistória da árvore de natal
História da árvore de natal
 
Escola antiga
Escola antigaEscola antiga
Escola antiga
 
O coelho que não era da páscoa
O coelho que não era da páscoaO coelho que não era da páscoa
O coelho que não era da páscoa
 
Flor de mel apresentação Mafalda 1º p
Flor de mel  apresentação Mafalda 1º pFlor de mel  apresentação Mafalda 1º p
Flor de mel apresentação Mafalda 1º p
 
A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!
 
Poesias de inverno
Poesias de invernoPoesias de inverno
Poesias de inverno
 
Bichos da-seda
Bichos da-sedaBichos da-seda
Bichos da-seda
 
Uma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito EspecialUma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito Especial
 
SÍTIO DO PICA PAU AMARELO
SÍTIO DO PICA PAU AMARELOSÍTIO DO PICA PAU AMARELO
SÍTIO DO PICA PAU AMARELO
 
Corpo humano e_casa
Corpo humano e_casaCorpo humano e_casa
Corpo humano e_casa
 
Saladinha de queixas
Saladinha de queixasSaladinha de queixas
Saladinha de queixas
 
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdfMalala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
Malala Yousafzai - Eu Sou Malala.pdf
 
A semente da verdade
A semente da verdadeA semente da verdade
A semente da verdade
 

Destaque

A história da branca de neve (legendas)
A história da branca de neve (legendas)A história da branca de neve (legendas)
A história da branca de neve (legendas)
anarrcunha
 
Branca De Neve E Os Sete AnõEs
Branca De Neve E Os Sete AnõEsBranca De Neve E Os Sete AnõEs
Branca De Neve E Os Sete AnõEs
Eduarda Costa
 
Livro o menino que aprendeu a ver.
Livro o menino que aprendeu a ver.Livro o menino que aprendeu a ver.
Livro o menino que aprendeu a ver.
Bete Feliciano
 
Bruxa bruxa...
Bruxa bruxa...Bruxa bruxa...
Bruxa bruxa...
Bete Feliciano
 
Coisas que nao_tem_preco
Coisas que nao_tem_precoCoisas que nao_tem_preco
Coisas que nao_tem_preco
Bete Feliciano
 
Asa de Papel
Asa de PapelAsa de Papel
Asa de Papel
Bete Feliciano
 
O Boneco de Borracha
O Boneco de BorrachaO Boneco de Borracha
O Boneco de Borracha
Lais Renata
 
Se as criancas governassem o mundo
Se as criancas governassem o mundoSe as criancas governassem o mundo
Se as criancas governassem o mundo
Bete Feliciano
 
Leitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O TempoLeitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O Tempo
Bete Feliciano
 
Clact clact clact
Clact  clact    clactClact  clact    clact
Clact clact clact
Bete Feliciano
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anõesBranca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
NMBQ
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começa
Bete Feliciano
 
Diversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana BelinkyDiversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana Belinky
Bete Feliciano
 
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho PedagógicoPNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
ElieneDias
 
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemáticaPNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
ElieneDias
 
Retomada das regras do jogo textos de apoio
Retomada das regras do jogo   textos de apoioRetomada das regras do jogo   textos de apoio
Retomada das regras do jogo textos de apoio
Bete Feliciano
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
Bete Feliciano
 
Folha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os gruposFolha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os grupos
Bete Feliciano
 
Consciencia fonológica
Consciencia fonológicaConsciencia fonológica
Consciencia fonológica
Bete Feliciano
 
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel SoléObjetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Bete Feliciano
 

Destaque (20)

A história da branca de neve (legendas)
A história da branca de neve (legendas)A história da branca de neve (legendas)
A história da branca de neve (legendas)
 
Branca De Neve E Os Sete AnõEs
Branca De Neve E Os Sete AnõEsBranca De Neve E Os Sete AnõEs
Branca De Neve E Os Sete AnõEs
 
Livro o menino que aprendeu a ver.
Livro o menino que aprendeu a ver.Livro o menino que aprendeu a ver.
Livro o menino que aprendeu a ver.
 
Bruxa bruxa...
Bruxa bruxa...Bruxa bruxa...
Bruxa bruxa...
 
Coisas que nao_tem_preco
Coisas que nao_tem_precoCoisas que nao_tem_preco
Coisas que nao_tem_preco
 
Asa de Papel
Asa de PapelAsa de Papel
Asa de Papel
 
O Boneco de Borracha
O Boneco de BorrachaO Boneco de Borracha
O Boneco de Borracha
 
Se as criancas governassem o mundo
Se as criancas governassem o mundoSe as criancas governassem o mundo
Se as criancas governassem o mundo
 
Leitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O TempoLeitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O Tempo
 
Clact clact clact
Clact  clact    clactClact  clact    clact
Clact clact clact
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anõesBranca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começa
 
Diversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana BelinkyDiversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana Belinky
 
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho PedagógicoPNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
PNAIC - Matemática - Organização do Trabalho Pedagógico
 
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemáticaPNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
PNAIC - Matemática - Direitos da aprendizagem em matemática
 
Retomada das regras do jogo textos de apoio
Retomada das regras do jogo   textos de apoioRetomada das regras do jogo   textos de apoio
Retomada das regras do jogo textos de apoio
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
 
Folha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os gruposFolha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os grupos
 
Consciencia fonológica
Consciencia fonológicaConsciencia fonológica
Consciencia fonológica
 
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel SoléObjetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
Objetivos de Leitura de acordo com Isabel Solé
 

Semelhante a Branca de Neve e os Sete Anões

A Branca de Neve e os sete
A Branca de Neve e os sete A Branca de Neve e os sete
A Branca de Neve e os sete
belanata
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
belanata
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões  Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
belanata
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
belanata
 
Pra bom professor não existe mau aluno
Pra bom professor não existe mau alunoPra bom professor não existe mau aluno
Pra bom professor não existe mau aluno
Gi Barbosa - Ideia Criativa
 
Branca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
Branca de neve e os sete anões: Lígia e IsabelBranca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
Branca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
belanata
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
belanata
 
Isabela Gomes e Edite Porfírio
Isabela  Gomes e Edite PorfírioIsabela  Gomes e Edite Porfírio
Isabela Gomes e Edite Porfírio
belanata
 
A história de mary jones
A história de mary jonesA história de mary jones
A história de mary jones
maria joana
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1 -Tulipas vermelhas
Cap.1 -Tulipas vermelhasCap.1 -Tulipas vermelhas
Cap.1 -Tulipas vermelhas
vica-ferraz
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cei suzana campos tauil.visita
Cei suzana campos tauil.visitaCei suzana campos tauil.visita
Cei suzana campos tauil.visita
Flávia Uhlmann
 
Visita ao CEI Suzana Campos Tauil
Visita ao CEI Suzana Campos TauilVisita ao CEI Suzana Campos Tauil
Visita ao CEI Suzana Campos Tauil
Flávia Uhlmann
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neve
DuarteOlga
 
Textos dos alunos
Textos dos alunosTextos dos alunos
Textos dos alunos
becastanheiradepera
 
Tosco em versos
Tosco em versosTosco em versos

Semelhante a Branca de Neve e os Sete Anões (20)

A Branca de Neve e os sete
A Branca de Neve e os sete A Branca de Neve e os sete
A Branca de Neve e os sete
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões  Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Pra bom professor não existe mau aluno
Pra bom professor não existe mau alunoPra bom professor não existe mau aluno
Pra bom professor não existe mau aluno
 
Branca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
Branca de neve e os sete anões: Lígia e IsabelBranca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
Branca de neve e os sete anões: Lígia e Isabel
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Isabela Gomes e Edite Porfírio
Isabela  Gomes e Edite PorfírioIsabela  Gomes e Edite Porfírio
Isabela Gomes e Edite Porfírio
 
A história de mary jones
A história de mary jonesA história de mary jones
A história de mary jones
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
 
Cap.1 -Tulipas vermelhas
Cap.1 -Tulipas vermelhasCap.1 -Tulipas vermelhas
Cap.1 -Tulipas vermelhas
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
 
Cap.1
Cap.1Cap.1
Cap.1
 
Cei suzana campos tauil.visita
Cei suzana campos tauil.visitaCei suzana campos tauil.visita
Cei suzana campos tauil.visita
 
Visita ao CEI Suzana Campos Tauil
Visita ao CEI Suzana Campos TauilVisita ao CEI Suzana Campos Tauil
Visita ao CEI Suzana Campos Tauil
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neve
 
Textos dos alunos
Textos dos alunosTextos dos alunos
Textos dos alunos
 
Tosco em versos
Tosco em versosTosco em versos
Tosco em versos
 

Mais de Bete Feliciano

Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Bete Feliciano
 
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Bete Feliciano
 
Pauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1noPauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1no
Bete Feliciano
 
JOGO DO NIM
JOGO DO NIMJOGO DO NIM
JOGO DO NIM
Bete Feliciano
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Bete Feliciano
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Bete Feliciano
 
Calendário 2014
Calendário 2014Calendário 2014
Calendário 2014
Bete Feliciano
 
Slides Unidade 8
Slides Unidade 8Slides Unidade 8
Slides Unidade 8
Bete Feliciano
 
Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8
Bete Feliciano
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Bete Feliciano
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
Bete Feliciano
 
Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7
Bete Feliciano
 
Portifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - OrientaçõesPortifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - Orientações
Bete Feliciano
 
Amigo chocolate
Amigo chocolateAmigo chocolate
Amigo chocolate
Bete Feliciano
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Bete Feliciano
 
Slides
SlidesSlides
Pauta Unidade 6
Pauta Unidade 6Pauta Unidade 6
Pauta Unidade 6
Bete Feliciano
 
Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2
Bete Feliciano
 
Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1
Bete Feliciano
 
Unidade 5 10º e 11º encontro
Unidade 5   10º e 11º encontroUnidade 5   10º e 11º encontro
Unidade 5 10º e 11º encontro
Bete Feliciano
 

Mais de Bete Feliciano (20)

Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
 
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2
 
Pauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1noPauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1no
 
JOGO DO NIM
JOGO DO NIMJOGO DO NIM
JOGO DO NIM
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
 
Calendário 2014
Calendário 2014Calendário 2014
Calendário 2014
 
Slides Unidade 8
Slides Unidade 8Slides Unidade 8
Slides Unidade 8
 
Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
 
Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7
 
Portifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - OrientaçõesPortifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - Orientações
 
Amigo chocolate
Amigo chocolateAmigo chocolate
Amigo chocolate
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Pauta Unidade 6
Pauta Unidade 6Pauta Unidade 6
Pauta Unidade 6
 
Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2Unidade 5 - parte 2
Unidade 5 - parte 2
 
Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1Unidade 5 - parte 1
Unidade 5 - parte 1
 
Unidade 5 10º e 11º encontro
Unidade 5   10º e 11º encontroUnidade 5   10º e 11º encontro
Unidade 5 10º e 11º encontro
 

Último

A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 

Último (20)

A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 

Branca de Neve e os Sete Anões

  • 1. BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES W illiam Crawford professor prim ário nos E – Ilustração: UA S one S im chneider Denzin - B rasil
  • 2. Branca de Neve empenhou todas as suas forças tentando aplicar o que havia aprendido na faculdade. Para mostrar a seriedade de seu objetivo, ela converteu a sala de jantar em uma sala de aula e exigiu que eles, os anões, assistissem às aulas, seis horas por dia.
  • 3. Assim, todo dia, após uma longa jornada de trabalho, os sete anões sentavam-se em pequenas carteiras organizadas em fileiras, e assistiam as aulas.
  • 4. A princípio as coisas foram muito bem. Eles tentavam ler todas as lições dos sete ou oito livros que Branca de Neve lhes dava, e respondiam as perguntas no final de cada capítulo.
  • 5. Eles tentavam seguir as regras de conduta que Branca de Neve havia estabelecido. Eles não ficavam conversando em classe. Eles pediam licença para ir ao banheiro, beber água ou apontar o lápis.
  • 6. Assim foi por alguns dias. Os anões estavam desejosos de aprender e agradar a professora. Mas, antes que a primeira semana terminasse, Branca de Neve se meteu em problemas.
  • 7. Primeiro foi Dunga. Dunga não era como os demais anões. Ele tinha orelhas enormes e roupas demasiado grandes para ele. Ele parecia diferente e seu comportamento era um tanto estranho. Como o palhaço da classe, ele não conseguia sentar-se quieto.
  • 8. Branca de Neve estava segura que ele era deficiente mental. Ele certamente não poderia ficar na classe pois distraía os demais anões. Assim, mandou Dunga brincar no lado de fora durante o período de aula. – “Não volte até que você consiga sentar-se quieto”, advertiu Branca de Neve.
  • 9. Logo foi Feliz. Feliz não podia fazer exercícios porque se distraía com qualquer movimento ao seu redor e achava graça em tudo. Seus comentários e risadas distraíam os demais tanto quanto o fazia Dunga.
  • 10. Assim, Branca de Neve mandou que ele fosse fazer companhia a Dunga. – “Não volte até que consiga guardar silêncio”, advertiu. E então continuou com o ensino apropriado aos demais.
  • 11. Não tardou muito até surgir outro problema. Os anões não conseguiam concentrar-se com os espirros de Atchim. Branca de Neve diagnosticou seu problema como sendo sinusite crônica e mandou que fosse à floresta procurar alguma raiz, seiva ou erva para fazer um chá que controlasse seu problema. – “Não volte até que se cure,” ela pediu.
  • 12. As coisas foram bem por mais alguns dias, até que apareceu outro problema. Zangado sentava-se sempre quieto, em silêncio, fazendo suas tarefas, mas ele nunca parecia estar satisfeito com a escola. Ele parecia estar de mal humor, mas enquanto não causasse problemas, Branca de Neve suportaria aquele comportamento. Até que ele começou a queixarse em sussurros.
  • 13. Branca de Neve ignorou o comportamento, mas sua murmuração tornava-se cada vez mais audível, e logo Zangado se queixava de tudo – dos livros sem graça, da quantidade de exercícios, de ter que memorizar.
  • 14. Branca de Neve não podia permitir que seu comportamento influenciasse os demais, assim, ela colocou-o para fora. – “Não volte até que possa mostrar algum entusiasmo em classe,” advertiu.
  • 15. Agora só restavam três anões na classe de Branca de Neve. Com a classe menor, ela tinha certeza que poderia ensinar melhor. Mas logo surgiu outro problema.
  • 16. Soneca não conseguia manter-se acordado. Cansado do trabalho e enfadado com as aulas, ele cochilava e roncava, em plena aula! Branca de Neve teve que mandá-lo à cama e, não encontrando outra alternativa,ordenou: “Não volte até que recupere o sono perdido”.
  • 17. Agora só ficaram Dengoso e Mestre. Eles certamente não eram do tipo que causavam problemas, mas Dengoso não tinha auto-estima. Branca de Neve fazia curva nas suas provas, mas mesmo fazendo seu melhor, ele nunca tirava nota 10 porque Mestre sempre tirava nota muito melhor que ele.
  • 18. Ele perdeu tanto sua autoconfiança que era óbvio seu desequilíbrio emocional. Branca de Neve teve que pedir que se retirasse também. – “Não volte até que se sinta seguro de si”, disse ela.
  • 19. Agora só ficou Mestre, que fazia tudo certinho: a leitura, os questionários, os exercícios. Ele era um aluno exemplar. Se apenas os outros seis anões pudessem ser como ele...
  • 20. Mesmo depois que Branca de Neve se mudou para o chalé dos sete anões, sua madrasta nunca deixou de consultar seu espelho mágico, o qual sempre informava que Branca de Neve era a mais linda de todas.
  • 21. Assim que ela localizou Branca de Neve, se disfarçou de vendedora de livros e bateu na porta do chalé. Branca de Neve contou alguns dos problemas que estava tendo, e a vendedora-madrasta convenceu-a de que o que ela realmente precisava era de um exame que avaliasse as habilidades dos anões para que ela pudesse acomodá-los apropriadamente.
  • 22. Ela vendeu sete cópias do Exame de Desempenho Padronizado para Anões. E, como um presente especial, ela deu uma linda maçã, bem vermelha e envenenada à Branca de Neve.
  • 23. Ela agradeceu a vendedora, deu uma mordida na linda maçã e caiu num sono profundo.
  • 24. Agora só o beijo do Príncipe Encantado do Ensino Efetivo poderá despertá-la.