SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 55
1 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
2 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Métodos de projeções ortográficas 
Imagine a peça envolvida por um cubo, no qual 
cada face corresponderá a uma vista, ou seja, o que 
você estaria enxergando da peça se você estivesse 
olhando esta face de frente. Este cubo de vistas é 
então “planificado”, desdobrado. Desta forma é 
possível visualizar todos os lados da peça em uma 
folha de papel. 
A projeção ortográfica, na prática, pode ser 
feita de duas formas: 
- no primeiro diedro: imagine vendo a peça a partir 
de um dos lados do cubo. 
O desenho da vista será feito no lado 
oposta em que você se “localiza”
3 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
4 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
5 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
6 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
7 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
8 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
9 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
10 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
11 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
12 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
13 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
No terceiro diedro: imagine-se 
vendo a peça a partir de um 
dos lados do cubo. 
O desenho da vista será feito, 
no mesmo lado, em que você se 
“localiza”.
14 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Projeção das vistas no terceiro diedro
15 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
O conceito de vistas é aplicado 
para todos os seis lados possíveis do 
“cubo”. 
A diferença entre a representação 
no primeiro diedro e no terceiro diedro 
é simplesmente a inversão das posições 
das vistas no papel.
16 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
17 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Traçado das Projeções (VISTAS) 
Para desenhar à mão livre as projeções 
ortogonais de qualquer objeto, é conveniente seguir as 
recomendações seguintes: 
• Analisar, previamente, qual a melhor combinação de 
vistas que representa a peça, de modo que não 
apareça ou que apareça o menor número possível de 
linhas tracejadas. 
• Esboçar, com traço muito leve e fino (Lápis HB) o 
lugar de cada projeção, observando que as distâncias 
entre as vistas devem ser visualmente iguais.
18 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Traçado das Projeções (VISTAS) 
• A escolha da distância entre as vistas é importante 
porque, vistas excessivamente próximas ou 
excessivamente afastadas umas das outras, tiram a 
clareza e dificultam a interpretação do desenho. 
• Desenhar os detalhes resultantes das projeções 
ortogonais, trabalhando simultaneamente nas três 
vistas. 
• Apagar as linhas de guia feitas no início do 
desenho.
19 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Traçado das Projeções (VISTAS)...Continuação 
• Com o mesmo traço (contínuo e forte) acentuar 
em cada vista os detalhes visíveis. 
• Reforçar com traço definitivo (traço contínuo e 
forte) os contornos de cada vista. 
• Desenhar em cada vista, com traço médio, as 
linhas tracejadas correspondentes às arestas 
invisíveis. 
• Conferir cuidadosamente o desenho resultante.
20 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Traçado das Projeções (VISTAS)...Continuação 
A Figura a seguir, mostra as sucessivas 
fases para elaboração de um desenho à mão livre. 
Assim sendo, as vistas devem preservar: 
•Os mesmos comprimentos nas vistas de frente 
e superior. 
•As mesmas alturas nas vistas de frente e 
lateral. 
•As mesmas larguras nas vistas laterais e 
superiores
21 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
22 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Modelo
23 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Modelo
24 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 1
25 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercício em sala 
Peça 1 
=Vistas=
26 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
27 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercício em sala 
Peça 2 
=Vistas=
28 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Representação de Arestas Ocultas 
Como as representações de objetos tridimensionais, 
por meio de projeções ortogonais, são feitas por vistas 
tomadas por lados diferentes, dependendo da forma 
espacial do objeto, algumas de suas superfícies poderão 
ficar ocultas em relação ao sentido de observação. 
Observando a Figura 2.16 vê-se que a superfície “A” 
está oculta quando a peça é vista lateralmente (direção 3), 
enquanto a superfície “B” está oculta quando a peça é vista 
por cima (direção 2). Nestes casos, as arestas que estão 
ocultas em um determinado sentido de observação são 
representadas por linhas tracejadas. 
As linhas tracejadas são constituídas de pequenos 
traços de comprimento uniforme, espaçados de um terço de 
seu comprimento e levemente mais finas que as linhas 
cheias.
29 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
30 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
31 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
32 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
33 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 3
34 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercício em sala 
Peça 3 
=Vistas=
35 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 4
36 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 4 
=Vistas=
37 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 5
38 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Peça 5 
=Vistas=
39 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Representação de Superfícies Inclinadas 
A representação de superfícies inclinadas 
pode ser dividida em dois casos distintos: 
1 – Quando a superfície é perpendicular a um 
dos planos de projeção e inclinada em relação aos 
outros planos de projeção
40 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
41 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
A projeção resultante no plano que é 
perpendicular à superfície inclinada será um 
segmento de reta que corresponde à verdadeira 
grandeza da dimensão representada. 
Nos outros dois planos a superfície inclinada 
mantém a sua forma, mas sofre alteração da 
verdadeira grandeza em uma das direções da 
projeção resultante. 
A representação mantendo a forma e a 
verdadeira grandeza de qualquer superfície 
inclinada só será possível se o plano de projeção 
for paralelo à superfície.
42 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
43 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
44 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
45 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
46 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
47 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
48 
Profº Villardo 
Desenho Técnico
49 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercícios Propostos 
Nos desenhos abaixo, faça a identificação dos planos que compõem as 
formas espaciais das peças dadas e analise seus rebatimentos nas 
vistas correspondentes.
50 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercícios Propostos 
Nos desenhos abaixo, faça a identificação dos planos que compõem as 
formas espaciais das peças dadas e analise seus rebatimentos nas 
vistas correspondentes.
51 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Exercícios Propostos 
Aplicando as recomendações do item anterior desenhe as três 
vistas das peças mostradas abaixo tomando o cuidado para que tenham 
o menor número de linhas tracejadas possíveis.
52 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Dadas as peças abaixo, desenhe a vista que falta
53 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Dadas as peças abaixo, desenhe a vista que falta
54 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Dadas as peças abaixo, assinale os nos correspondentes
55 
Profº Villardo 
Desenho Técnico 
Dadas as peças abaixo, assinale os nos correspondentes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exercicios perspectiva
Exercicios perspectivaExercicios perspectiva
Exercicios perspectiva
Paula Pauleira
 
Aula 10 sistemas de projeções ortogonais
Aula 10   sistemas de projeções ortogonaisAula 10   sistemas de projeções ortogonais
Aula 10 sistemas de projeções ortogonais
Alyne Silva Lima
 
Desenho t+®cnico parte 2
Desenho t+®cnico parte 2Desenho t+®cnico parte 2
Desenho t+®cnico parte 2
Luciano Otavio
 
Apostila completa de_desenho_tecnico
Apostila completa de_desenho_tecnicoApostila completa de_desenho_tecnico
Apostila completa de_desenho_tecnico
Vivaldo Chagas
 
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções OrtogonaisAula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Gutierry Prates
 

Mais procurados (20)

Exercicios perspectiva
Exercicios perspectivaExercicios perspectiva
Exercicios perspectiva
 
DESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALADESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALA
 
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTODESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
 
Aula 10 sistemas de projeções ortogonais
Aula 10   sistemas de projeções ortogonaisAula 10   sistemas de projeções ortogonais
Aula 10 sistemas de projeções ortogonais
 
1.desenho projetivo e_perspectivas
1.desenho projetivo e_perspectivas1.desenho projetivo e_perspectivas
1.desenho projetivo e_perspectivas
 
Aula de desenho 3 escalas
Aula de desenho 3   escalasAula de desenho 3   escalas
Aula de desenho 3 escalas
 
Perspectiva isometrica
Perspectiva isometricaPerspectiva isometrica
Perspectiva isometrica
 
Desenho t+®cnico parte 2
Desenho t+®cnico parte 2Desenho t+®cnico parte 2
Desenho t+®cnico parte 2
 
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
 
Apostila completa de_desenho_tecnico
Apostila completa de_desenho_tecnicoApostila completa de_desenho_tecnico
Apostila completa de_desenho_tecnico
 
Exercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânicoExercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânico
 
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIODESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
 
Apostilacortesdimensionamento
ApostilacortesdimensionamentoApostilacortesdimensionamento
Apostilacortesdimensionamento
 
Aula 14 épura e ponto
Aula 14   épura e pontoAula 14   épura e ponto
Aula 14 épura e ponto
 
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções OrtogonaisAula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções Ortogonais
 
Desenho técnico tecnoblogue 2010/2011
Desenho técnico tecnoblogue 2010/2011Desenho técnico tecnoblogue 2010/2011
Desenho técnico tecnoblogue 2010/2011
 
Desenho Técnico
Desenho TécnicoDesenho Técnico
Desenho Técnico
 
Projecção
ProjecçãoProjecção
Projecção
 
Desenho tecnico
Desenho tecnicoDesenho tecnico
Desenho tecnico
 
Dea aula 03sistemaprojecao
Dea aula 03sistemaprojecaoDea aula 03sistemaprojecao
Dea aula 03sistemaprojecao
 

Destaque

Aula 2 Ferramentas De Desenho
Aula 2   Ferramentas De DesenhoAula 2   Ferramentas De Desenho
Aula 2 Ferramentas De Desenho
sayma vm
 
Apostila desenho t cnico e arquitet-nico
Apostila   desenho t cnico e arquitet-nicoApostila   desenho t cnico e arquitet-nico
Apostila desenho t cnico e arquitet-nico
Bianca Assis
 
Fundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnicoFundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnico
leobispo28
 
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustãoExercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
Thiego Tarante
 
Planificação de poliedros
Planificação de poliedrosPlanificação de poliedros
Planificação de poliedros
apnunes23
 
Aula 7 projeções ortog. a
Aula 7 projeções ortog. aAula 7 projeções ortog. a
Aula 7 projeções ortog. a
Lucas Barbosa
 

Destaque (20)

2 f info_exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos
2 f info_exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos2 f info_exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos
2 f info_exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos
 
Aula 2 Ferramentas De Desenho
Aula 2   Ferramentas De DesenhoAula 2   Ferramentas De Desenho
Aula 2 Ferramentas De Desenho
 
1 apres exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos_projetor
1 apres exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos_projetor1 apres exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos_projetor
1 apres exercicios_solidos-vistas-axonos_conceitos_projetor
 
2 _aula_fundamentos_do_desenho_t__cnico
2  _aula_fundamentos_do_desenho_t__cnico2  _aula_fundamentos_do_desenho_t__cnico
2 _aula_fundamentos_do_desenho_t__cnico
 
Aula 2 material, instrumentos
Aula 2   material, instrumentosAula 2   material, instrumentos
Aula 2 material, instrumentos
 
Apostila desenho t cnico e arquitet-nico
Apostila   desenho t cnico e arquitet-nicoApostila   desenho t cnico e arquitet-nico
Apostila desenho t cnico e arquitet-nico
 
Fundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnicoFundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnico
 
Material da segunda aula em word
Material da segunda aula em wordMaterial da segunda aula em word
Material da segunda aula em word
 
Aula15
Aula15Aula15
Aula15
 
Apostila de-geometria-descritiva-2012.1
Apostila de-geometria-descritiva-2012.1Apostila de-geometria-descritiva-2012.1
Apostila de-geometria-descritiva-2012.1
 
GD-2 planificações sólidos obliquos a4
GD-2 planificações sólidos obliquos a4GD-2 planificações sólidos obliquos a4
GD-2 planificações sólidos obliquos a4
 
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustãoExercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
Exercicios em sala projeto e arquitetura de veiculos motor á combustão
 
1 lista 3bim
1 lista 3bim1 lista 3bim
1 lista 3bim
 
1 f info-axono_automovel e axonos 1 e 2
1 f info-axono_automovel e axonos 1 e 21 f info-axono_automovel e axonos 1 e 2
1 f info-axono_automovel e axonos 1 e 2
 
Programação Orientada por Objectos - Aula 2
Programação Orientada por Objectos - Aula 2Programação Orientada por Objectos - Aula 2
Programação Orientada por Objectos - Aula 2
 
Exercicios desenho geometrico_9_ano
Exercicios desenho geometrico_9_anoExercicios desenho geometrico_9_ano
Exercicios desenho geometrico_9_ano
 
Planificação de poliedros
Planificação de poliedrosPlanificação de poliedros
Planificação de poliedros
 
Demonstração das Vistas de um Sólido Geometrico representado em Perspectiva
Demonstração das Vistas de um Sólido Geometrico representado em PerspectivaDemonstração das Vistas de um Sólido Geometrico representado em Perspectiva
Demonstração das Vistas de um Sólido Geometrico representado em Perspectiva
 
Aula 7 projeções ortog. a
Aula 7 projeções ortog. aAula 7 projeções ortog. a
Aula 7 projeções ortog. a
 
Aula de desenho 1
Aula de desenho 1Aula de desenho 1
Aula de desenho 1
 

Semelhante a Aula de desenho 2 vistas

05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
bluesky659
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
Kelly Maia
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
Dhonne's Schumack
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
Juliana Alves
 

Semelhante a Aula de desenho 2 vistas (20)

Desenho projetivo
Desenho projetivoDesenho projetivo
Desenho projetivo
 
AULA 3 - PERSPECTIVA MILITAR.pdf
AULA 3 - PERSPECTIVA MILITAR.pdfAULA 3 - PERSPECTIVA MILITAR.pdf
AULA 3 - PERSPECTIVA MILITAR.pdf
 
Aula 2 - Projeções, vistas, diedros (2).pptx
Aula 2 - Projeções, vistas, diedros (2).pptxAula 2 - Projeções, vistas, diedros (2).pptx
Aula 2 - Projeções, vistas, diedros (2).pptx
 
Aula25
Aula25Aula25
Aula25
 
Aula25
Aula25Aula25
Aula25
 
Aula05 ene073
Aula05 ene073Aula05 ene073
Aula05 ene073
 
CG7-Projecoes .pdf
CG7-Projecoes .pdfCG7-Projecoes .pdf
CG7-Projecoes .pdf
 
Aula24
Aula24Aula24
Aula24
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
Apostila de dicas
Apostila de dicasApostila de dicas
Apostila de dicas
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
noções de desenho técnico
noções de desenho técniconoções de desenho técnico
noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 noções de desenho técnico
05   noções de desenho técnico05   noções de desenho técnico
05 noções de desenho técnico
 
05 - Noções de Desenho Técnico.pdf
05 - Noções de Desenho Técnico.pdf05 - Noções de Desenho Técnico.pdf
05 - Noções de Desenho Técnico.pdf
 
Desenho técnico
Desenho técnicoDesenho técnico
Desenho técnico
 

Mais de Roberto Villardo (13)

Aula 1 conjuntos
Aula 1   conjuntosAula 1   conjuntos
Aula 1 conjuntos
 
Aula 6 - trat térmico
Aula 6 - trat térmicoAula 6 - trat térmico
Aula 6 - trat térmico
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Aula 3 diagr das fases
Aula 3   diagr das fasesAula 3   diagr das fases
Aula 3 diagr das fases
 
Aula 4 ferro
Aula 4   ferroAula 4   ferro
Aula 4 ferro
 
Solda aula 3- processos
Solda   aula 3- processosSolda   aula 3- processos
Solda aula 3- processos
 
Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simb
 
Solda aula 2 - simbologia
Solda   aula 2 - simbologiaSolda   aula 2 - simbologia
Solda aula 2 - simbologia
 
Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simb
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Metalurgia - Aula 1 introdução-prop mecânicas
Metalurgia - Aula 1   introdução-prop mecânicasMetalurgia - Aula 1   introdução-prop mecânicas
Metalurgia - Aula 1 introdução-prop mecânicas
 
Minha aula metalografia
Minha aula   metalografiaMinha aula   metalografia
Minha aula metalografia
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 

Aula de desenho 2 vistas

  • 1. 1 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 2. 2 Profº Villardo Desenho Técnico Métodos de projeções ortográficas Imagine a peça envolvida por um cubo, no qual cada face corresponderá a uma vista, ou seja, o que você estaria enxergando da peça se você estivesse olhando esta face de frente. Este cubo de vistas é então “planificado”, desdobrado. Desta forma é possível visualizar todos os lados da peça em uma folha de papel. A projeção ortográfica, na prática, pode ser feita de duas formas: - no primeiro diedro: imagine vendo a peça a partir de um dos lados do cubo. O desenho da vista será feito no lado oposta em que você se “localiza”
  • 3. 3 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 4. 4 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 5. 5 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 6. 6 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 7. 7 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 8. 8 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 9. 9 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 10. 10 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 11. 11 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 12. 12 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 13. 13 Profº Villardo Desenho Técnico No terceiro diedro: imagine-se vendo a peça a partir de um dos lados do cubo. O desenho da vista será feito, no mesmo lado, em que você se “localiza”.
  • 14. 14 Profº Villardo Desenho Técnico Projeção das vistas no terceiro diedro
  • 15. 15 Profº Villardo Desenho Técnico O conceito de vistas é aplicado para todos os seis lados possíveis do “cubo”. A diferença entre a representação no primeiro diedro e no terceiro diedro é simplesmente a inversão das posições das vistas no papel.
  • 16. 16 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 17. 17 Profº Villardo Desenho Técnico Traçado das Projeções (VISTAS) Para desenhar à mão livre as projeções ortogonais de qualquer objeto, é conveniente seguir as recomendações seguintes: • Analisar, previamente, qual a melhor combinação de vistas que representa a peça, de modo que não apareça ou que apareça o menor número possível de linhas tracejadas. • Esboçar, com traço muito leve e fino (Lápis HB) o lugar de cada projeção, observando que as distâncias entre as vistas devem ser visualmente iguais.
  • 18. 18 Profº Villardo Desenho Técnico Traçado das Projeções (VISTAS) • A escolha da distância entre as vistas é importante porque, vistas excessivamente próximas ou excessivamente afastadas umas das outras, tiram a clareza e dificultam a interpretação do desenho. • Desenhar os detalhes resultantes das projeções ortogonais, trabalhando simultaneamente nas três vistas. • Apagar as linhas de guia feitas no início do desenho.
  • 19. 19 Profº Villardo Desenho Técnico Traçado das Projeções (VISTAS)...Continuação • Com o mesmo traço (contínuo e forte) acentuar em cada vista os detalhes visíveis. • Reforçar com traço definitivo (traço contínuo e forte) os contornos de cada vista. • Desenhar em cada vista, com traço médio, as linhas tracejadas correspondentes às arestas invisíveis. • Conferir cuidadosamente o desenho resultante.
  • 20. 20 Profº Villardo Desenho Técnico Traçado das Projeções (VISTAS)...Continuação A Figura a seguir, mostra as sucessivas fases para elaboração de um desenho à mão livre. Assim sendo, as vistas devem preservar: •Os mesmos comprimentos nas vistas de frente e superior. •As mesmas alturas nas vistas de frente e lateral. •As mesmas larguras nas vistas laterais e superiores
  • 21. 21 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 22. 22 Profº Villardo Desenho Técnico Modelo
  • 23. 23 Profº Villardo Desenho Técnico Modelo
  • 24. 24 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 1
  • 25. 25 Profº Villardo Desenho Técnico Exercício em sala Peça 1 =Vistas=
  • 26. 26 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 27. 27 Profº Villardo Desenho Técnico Exercício em sala Peça 2 =Vistas=
  • 28. 28 Profº Villardo Desenho Técnico Representação de Arestas Ocultas Como as representações de objetos tridimensionais, por meio de projeções ortogonais, são feitas por vistas tomadas por lados diferentes, dependendo da forma espacial do objeto, algumas de suas superfícies poderão ficar ocultas em relação ao sentido de observação. Observando a Figura 2.16 vê-se que a superfície “A” está oculta quando a peça é vista lateralmente (direção 3), enquanto a superfície “B” está oculta quando a peça é vista por cima (direção 2). Nestes casos, as arestas que estão ocultas em um determinado sentido de observação são representadas por linhas tracejadas. As linhas tracejadas são constituídas de pequenos traços de comprimento uniforme, espaçados de um terço de seu comprimento e levemente mais finas que as linhas cheias.
  • 29. 29 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 30. 30 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 31. 31 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 32. 32 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 33. 33 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 3
  • 34. 34 Profº Villardo Desenho Técnico Exercício em sala Peça 3 =Vistas=
  • 35. 35 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 4
  • 36. 36 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 4 =Vistas=
  • 37. 37 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 5
  • 38. 38 Profº Villardo Desenho Técnico Peça 5 =Vistas=
  • 39. 39 Profº Villardo Desenho Técnico Representação de Superfícies Inclinadas A representação de superfícies inclinadas pode ser dividida em dois casos distintos: 1 – Quando a superfície é perpendicular a um dos planos de projeção e inclinada em relação aos outros planos de projeção
  • 40. 40 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 41. 41 Profº Villardo Desenho Técnico A projeção resultante no plano que é perpendicular à superfície inclinada será um segmento de reta que corresponde à verdadeira grandeza da dimensão representada. Nos outros dois planos a superfície inclinada mantém a sua forma, mas sofre alteração da verdadeira grandeza em uma das direções da projeção resultante. A representação mantendo a forma e a verdadeira grandeza de qualquer superfície inclinada só será possível se o plano de projeção for paralelo à superfície.
  • 42. 42 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 43. 43 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 44. 44 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 45. 45 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 46. 46 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 47. 47 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 48. 48 Profº Villardo Desenho Técnico
  • 49. 49 Profº Villardo Desenho Técnico Exercícios Propostos Nos desenhos abaixo, faça a identificação dos planos que compõem as formas espaciais das peças dadas e analise seus rebatimentos nas vistas correspondentes.
  • 50. 50 Profº Villardo Desenho Técnico Exercícios Propostos Nos desenhos abaixo, faça a identificação dos planos que compõem as formas espaciais das peças dadas e analise seus rebatimentos nas vistas correspondentes.
  • 51. 51 Profº Villardo Desenho Técnico Exercícios Propostos Aplicando as recomendações do item anterior desenhe as três vistas das peças mostradas abaixo tomando o cuidado para que tenham o menor número de linhas tracejadas possíveis.
  • 52. 52 Profº Villardo Desenho Técnico Dadas as peças abaixo, desenhe a vista que falta
  • 53. 53 Profº Villardo Desenho Técnico Dadas as peças abaixo, desenhe a vista que falta
  • 54. 54 Profº Villardo Desenho Técnico Dadas as peças abaixo, assinale os nos correspondentes
  • 55. 55 Profº Villardo Desenho Técnico Dadas as peças abaixo, assinale os nos correspondentes