SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
SOLDAGEM 
Profº Villardo
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM E END 
3.1 - INTRODUÇÃO 
Os símbolos de soldagem constituem um importante meio técnico, em engenharia, para transmitir informações. Os símbolos fornecem todas as informações necessárias à soldagem, tais como: geometria e dimensões do chanfro, comprimento da solda, se a solda deve ser executada no campo, etc. 
Este item se baseia nas normas AWS A2.1, AWS A2.4 e NBR 5874, que tratam especificamente deste assunto.
SOLDAGEM 
Profº Villardo
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.2 - POSICIONAMENTO DOS SÍMBOLOS 
Os símbolos de soldagem são posicionados acima ou abaixo da linha de referência, dependendo da localização da seta em relação à junta, a saber: 
• símbolo abaixo da linha de referência corresponde a uma solda realizada no mesmo lado que a seta aponta. 
• símbolo acima da linha de referência corresponde a uma solda realizada do lado oposto ao que a seta aponta.
SOLDAGEM 
Profº Villardo
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
NOTA: 
Soldas envolvendo operações em ambos os lados da junta, possuem símbolo nos dois lados da linha de referência.
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.3 - SÍMBOLOS BÁSICOS DE SOLDA A simbologia básica referente à soldagem, divide as soldas em: 
•solda em chanfro; 
•solda em ângulo; 
•solda de fechamento ou de aresta; 
•solda de suporte e outros tipos de soldas. Em geral, os símbolos são semelhantes à configuração da solda a ser realizada.
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
Os símbolos de solda em ângulo, soldas em chanfros em meio V, em K, em J, em duplo J e com uma face convexa e soldas de fechamento ou de arestas entre uma peça curva ou flangeada e uma peça plana são, sempre, indicados com uma perna perpendicular à esquerda do símbolo. A figura apresenta os desenhos dos símbolos básicos de soldagem, os quais, na prática, podem ser executados por meio de um esquadro e alguns gabaritos correspondentes.
SOLDAGEM 
Profº Villardo
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.4 - SÍMBOLOS SUPLEMENTARES DE SOLDA 
Os símbolos suplementares são aqueles que detalham ou explicam alguma característica do cordão de solda. Em geral, são representados na linha de referência junto à linha de chamada.
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.5 - REPRESENTAÇÃO DOS SÍMBOLOS 
A linha de referência deve estar na 
horizontal e a linha de chamada deve 
fazer um ângulo de 60º com esta, 
segundo a figura 3.6. 
Figura 3.6 - Representação das linhas
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
Quando a linha de chamada é 
“quebrada”, significa que a mesma 
aponta para um membro específico da 
junta que deve ser.
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
Referências, tais como: especificações, processos de soldagem, número do procedimento, direções e outros dados, quando usados com um símbolo de soldagem, devem ser indicados na cauda do símbolo. Se tais referências não são usadas, a cauda poderá ser dispensada. 
Figura 3.8 - Emprego da cauda no símbolo
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.6 - JUNTAS DE ÂNGULO - SOLDAS EM ÂNGULO 
A penetração da raiz da solda em ângulo virá indicada entre parênteses.
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.7 - JUNTAS DE TOPO
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.8 - JUNTAS DE ÂNGULO EM “L” E EM “T” - SOLDAS EM CHANFRO COMBINADA COM SOLDA EM ÂNGULO
SOLDAGEM 
Profº Villardo 
3.8 - JUNTAS DE ÂNGULO EM “L” E EM “T” - SOLDAS EM CHANFRO COMBINADA COM SOLDA EM ÂNGULO (Cont.)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simbRoberto Villardo
 
Calculo de conicidade (1)
Calculo de conicidade (1)Calculo de conicidade (1)
Calculo de conicidade (1)Solange Ferrari
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasAilton Macedo Medeiros
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscasjcjaneiro
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASordenaelbass
 
Tabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosTabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosalexcavichiolli
 
Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simbRoberto Villardo
 
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e Informações
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e InformaçõesManual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e Informações
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e InformaçõesSandro Marques Solidario
 
95950 parafusos e-porcas
95950 parafusos e-porcas95950 parafusos e-porcas
95950 parafusos e-porcasMaicon da Luz
 
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMordenaelbass
 
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frio
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frioNbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frio
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frioejfelix
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESordenaelbass
 
Rolamentos e mancais
Rolamentos e mancaisRolamentos e mancais
Rolamentos e mancaisDaniel Garcia
 
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)Jupira Silva
 
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdfjulianocorrea17
 

Mais procurados (20)

Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simb
 
Calculo de conicidade (1)
Calculo de conicidade (1)Calculo de conicidade (1)
Calculo de conicidade (1)
 
A2.1 simbologia da soldagem
A2.1   simbologia da soldagemA2.1   simbologia da soldagem
A2.1 simbologia da soldagem
 
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargasNbr 8400   calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
Nbr 8400 calculo de equipamento para levantamento e movimentacao de cargas
 
Tabela roscas
Tabela roscasTabela roscas
Tabela roscas
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
 
Tabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furosTabelas para ajustes de eixos e furos
Tabelas para ajustes de eixos e furos
 
Tubulações industriais
Tubulações industriais Tubulações industriais
Tubulações industriais
 
Solda aula 1 - term e simb
Solda   aula 1 - term e simbSolda   aula 1 - term e simb
Solda aula 1 - term e simb
 
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e Informações
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e InformaçõesManual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e Informações
Manual Técnico Manutenção Industrial - Tabelas e Informações
 
95950 parafusos e-porcas
95950 parafusos e-porcas95950 parafusos e-porcas
95950 parafusos e-porcas
 
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
 
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frio
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frioNbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frio
Nbr 14762 dimensionamento de estruturas de aço perfis formados a frio
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
 
Calculo resistencia de solda
Calculo resistencia de soldaCalculo resistencia de solda
Calculo resistencia de solda
 
Rolamentos e mancais
Rolamentos e mancaisRolamentos e mancais
Rolamentos e mancais
 
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)
97792047 n-0059-simbolos-graficos-para-desenhos-de-tubulacao (2)
 
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
07 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
 
Aula prática 3-interferência-chavetas
Aula prática 3-interferência-chavetasAula prática 3-interferência-chavetas
Aula prática 3-interferência-chavetas
 
Roscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelasRoscas,parafusos porcas e arruelas
Roscas,parafusos porcas e arruelas
 

Semelhante a Símbolos de soldagem

2 termino simbologia1
2 termino simbologia12 termino simbologia1
2 termino simbologia1caiotecmec
 
Simbologia+da+solda
Simbologia+da+soldaSimbologia+da+solda
Simbologia+da+soldaLucas Silva
 
Soldagem a Arco Elétrico.pdf
Soldagem a Arco Elétrico.pdfSoldagem a Arco Elétrico.pdf
Soldagem a Arco Elétrico.pdfguizucka
 
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdf
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdfTS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdf
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdfARLANFERREIRANUNES
 
J untas soldadas
J untas soldadasJ untas soldadas
J untas soldadasBorgas Mota
 
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdfjulianocorrea17
 

Semelhante a Símbolos de soldagem (7)

2 termino simbologia1
2 termino simbologia12 termino simbologia1
2 termino simbologia1
 
2 termino simbologia1
2 termino simbologia12 termino simbologia1
2 termino simbologia1
 
Simbologia+da+solda
Simbologia+da+soldaSimbologia+da+solda
Simbologia+da+solda
 
Soldagem a Arco Elétrico.pdf
Soldagem a Arco Elétrico.pdfSoldagem a Arco Elétrico.pdf
Soldagem a Arco Elétrico.pdf
 
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdf
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdfTS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdf
TS 02 TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM.pdf
 
J untas soldadas
J untas soldadasJ untas soldadas
J untas soldadas
 
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
06 - TERMINOLOGIA DE SOLDAGEM.pdf
 

Mais de Roberto Villardo

Mais de Roberto Villardo (13)

Aula 1 conjuntos
Aula 1   conjuntosAula 1   conjuntos
Aula 1 conjuntos
 
Aula 6 - trat térmico
Aula 6 - trat térmicoAula 6 - trat térmico
Aula 6 - trat térmico
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Aula 3 diagr das fases
Aula 3   diagr das fasesAula 3   diagr das fases
Aula 3 diagr das fases
 
Aula 4 ferro
Aula 4   ferroAula 4   ferro
Aula 4 ferro
 
Aula de desenho 3 escalas
Aula de desenho 3   escalasAula de desenho 3   escalas
Aula de desenho 3 escalas
 
Aula de desenho 2 vistas
Aula de desenho 2   vistasAula de desenho 2   vistas
Aula de desenho 2 vistas
 
Solda aula 3- processos
Solda   aula 3- processosSolda   aula 3- processos
Solda aula 3- processos
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Aula 2 estrutura cristalina
Aula 2   estrutura cristalinaAula 2   estrutura cristalina
Aula 2 estrutura cristalina
 
Metalurgia - Aula 1 introdução-prop mecânicas
Metalurgia - Aula 1   introdução-prop mecânicasMetalurgia - Aula 1   introdução-prop mecânicas
Metalurgia - Aula 1 introdução-prop mecânicas
 
Minha aula metalografia
Minha aula   metalografiaMinha aula   metalografia
Minha aula metalografia
 
Aula de desenho 1
Aula de desenho 1Aula de desenho 1
Aula de desenho 1
 

Último

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Símbolos de soldagem

  • 2. SOLDAGEM Profº Villardo 3 - SIMBOLOGIA DE SOLDAGEM E END 3.1 - INTRODUÇÃO Os símbolos de soldagem constituem um importante meio técnico, em engenharia, para transmitir informações. Os símbolos fornecem todas as informações necessárias à soldagem, tais como: geometria e dimensões do chanfro, comprimento da solda, se a solda deve ser executada no campo, etc. Este item se baseia nas normas AWS A2.1, AWS A2.4 e NBR 5874, que tratam especificamente deste assunto.
  • 4. SOLDAGEM Profº Villardo 3.2 - POSICIONAMENTO DOS SÍMBOLOS Os símbolos de soldagem são posicionados acima ou abaixo da linha de referência, dependendo da localização da seta em relação à junta, a saber: • símbolo abaixo da linha de referência corresponde a uma solda realizada no mesmo lado que a seta aponta. • símbolo acima da linha de referência corresponde a uma solda realizada do lado oposto ao que a seta aponta.
  • 6. SOLDAGEM Profº Villardo NOTA: Soldas envolvendo operações em ambos os lados da junta, possuem símbolo nos dois lados da linha de referência.
  • 7. SOLDAGEM Profº Villardo 3.3 - SÍMBOLOS BÁSICOS DE SOLDA A simbologia básica referente à soldagem, divide as soldas em: •solda em chanfro; •solda em ângulo; •solda de fechamento ou de aresta; •solda de suporte e outros tipos de soldas. Em geral, os símbolos são semelhantes à configuração da solda a ser realizada.
  • 8. SOLDAGEM Profº Villardo Os símbolos de solda em ângulo, soldas em chanfros em meio V, em K, em J, em duplo J e com uma face convexa e soldas de fechamento ou de arestas entre uma peça curva ou flangeada e uma peça plana são, sempre, indicados com uma perna perpendicular à esquerda do símbolo. A figura apresenta os desenhos dos símbolos básicos de soldagem, os quais, na prática, podem ser executados por meio de um esquadro e alguns gabaritos correspondentes.
  • 10. SOLDAGEM Profº Villardo 3.4 - SÍMBOLOS SUPLEMENTARES DE SOLDA Os símbolos suplementares são aqueles que detalham ou explicam alguma característica do cordão de solda. Em geral, são representados na linha de referência junto à linha de chamada.
  • 11. SOLDAGEM Profº Villardo 3.5 - REPRESENTAÇÃO DOS SÍMBOLOS A linha de referência deve estar na horizontal e a linha de chamada deve fazer um ângulo de 60º com esta, segundo a figura 3.6. Figura 3.6 - Representação das linhas
  • 12. SOLDAGEM Profº Villardo Quando a linha de chamada é “quebrada”, significa que a mesma aponta para um membro específico da junta que deve ser.
  • 13. SOLDAGEM Profº Villardo Referências, tais como: especificações, processos de soldagem, número do procedimento, direções e outros dados, quando usados com um símbolo de soldagem, devem ser indicados na cauda do símbolo. Se tais referências não são usadas, a cauda poderá ser dispensada. Figura 3.8 - Emprego da cauda no símbolo
  • 14. SOLDAGEM Profº Villardo 3.6 - JUNTAS DE ÂNGULO - SOLDAS EM ÂNGULO A penetração da raiz da solda em ângulo virá indicada entre parênteses.
  • 15. SOLDAGEM Profº Villardo 3.7 - JUNTAS DE TOPO
  • 16. SOLDAGEM Profº Villardo 3.8 - JUNTAS DE ÂNGULO EM “L” E EM “T” - SOLDAS EM CHANFRO COMBINADA COM SOLDA EM ÂNGULO
  • 17. SOLDAGEM Profº Villardo 3.8 - JUNTAS DE ÂNGULO EM “L” E EM “T” - SOLDAS EM CHANFRO COMBINADA COM SOLDA EM ÂNGULO (Cont.)