SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula III –  Teoria da Comunicação II PROF. : JULIANO BORGES E RAQUEL TIMPONI Meios de comunicação de massa Efeitos a longo prazo Efeitos a curto prazo => Efeitos a longo prazo
Diferenças entre os velhos e os novos paradigmas não mais pautada   Comunicação  construção da imagem  nos efeitos da mídia  da realidade social em público específico Influencia o modo como o destinatário organiza a  imagem do ambiente
Diferenças entre os velhos e os novos paradigmas: Velho  X  Novo - Estudo de casos individuais  - Cobertura global do sistema de  (Campanhas)  mídias  em áreas temáticas - Dados levantados por entrev.  - Metodologias integradas com o público Observações e medição de  - O indivíduo modifica a própria  mudanças de postura e opinião  representação da realidade Efeito nas atitudes, valores,  - Efeito cognitivo sobre o sistema comportamento dos destinatários  de conhecimento do indivíduo  sobre o consumo de CM. Efeitos pontuais de cada msg  - Efeitos cumulativos (a longo prazo)
Segundo o Dicionário de Comunicação –  de Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Guimarães Barbosa Importantes estudos sobre EFEITOS da comunicação de massa -> se voltam para a forma de CONSTRUÇÃO DE IMAGEM da realidade social. Descam-se 3 pesquisas sobre os efeitos: 1) Agenda setting 2) Newsmaking 3) Gatekeeper
Agenda Setting Hipótese –> as pessoas passam a agendar os assuntos e conversas em função do que é veiculado pela mídia. Veículos de comunicação de massa -> determinam  temas  sobre os quais o público falará, discutirá. Mc Combs e Shaw – ampliam o sentido ->  além das notícias nos dizerem  sobre o que  pensar, também nos dizem  como  pensar. ( Seleção de  assuntos e enquadramento da notícia  – de acordo com a política editorial do veículo)
Maxwell McCombs e Donald Shaw ->  The Agenda Setting Function of Mass Media  (1972).  Investigam capacidade de agendamento dos  media  na campanha presidencial de 1968 nos Estados Unidos, eleitores de  Chapel Hill. =>  TV, jornal,revista informativa e editorial.   Questões  chaves da campanha com o conteúdo expresso pelos  medias . C onfirmam que a mídia tem a capacidade de influenciar a projeção dos acontecimentos na opinião pública. Essência da pesquisa em 1922, por Walter Lippmann -> obra clássica  Public Opinion  (destacava o papel da imprensa no enquadramento da atenção dos leitores em direção a temas por ela impostos como "de maior interesse coletivo”).  Lang Lang 1966 falava da hierarquização temática dos meios de comunicação (centram a atenção em algumas questões, sugerem o que o público deve pensar, saber, sentir) Todos estes estudos já identificavam a coincidência dos temas da mídia e dos temas das conversas interpessoais, mas não conceitualizavam como  agenda setting .  Mc Combs e Shaw (1972)
Agenda Setting Efeito social da mídia – enxurrada de informações – seleção, disposição e incidência, dando ênfase em algumas notícias (manchetes). Determina temas que o público discutirá e falará (por revistas, livros, jornais impressos, radio, tv) Agências passam informações para jornalistas e acabam divulgando as mesmas notícias, com tratamento diferente em canais diversos. Influencia dos meios de comunicação no cotidiano das pessoas –infinidade de informações disseminadas por esses canais. Definem o que as pessoas abordarão. Também atuam nas leis indiretamente (se fala de muitos crimes, a discussão no senado será de segurança). A agenda interpessoal reforça a dos  media , pois as pessoas acabam conversando sobre o que é exposto pelos meios de comunicação.
Importância dos meios na opinião pública A mídia agente modificador da realidade social =>  aponta para o público receptor o quê se deve ser informado -> poder sobre a opinião pública  Influência dos meios de comunicação no cotidiano das pessoas. -> PAUTAM as conversas interpessoais Hierarquização dos assuntos que devem ser pensados/falados. Realidade social -> representada por um  cenário montado  pelos meios de comunicação de massa. As pessoas têm tendência para incluir ou excluir dos seus próprios conhecimentos aquilo que os  mass media  incluem ou excluem do seu próprio conteúdo
Perception Model:
Newsmaking – de 1972/1981 Meios informativos controlam e geram acontecimentos ->  seleção  por  valores , ligados supostamente ao  interesse público .  Às vezes têm interesses políticos e econômicos por trás.  Ex.: Cobertura ou não de um evento na TV, abordagem de um candidato político que esteja apoiando ou não  (Rede Globo). Nesse processo -> a maior parte do  público  aceita os valores sem crítica - >  constrói a partir da mídia  uma visão da realidade
Valores da notícia e interesse público Hierarquia das pautas : 1.1) Fatos de incontestável interesse geral Ex. Queda do muro de Berlim, Tsunami Notícias de utilidade pública, que afetam a vida 1.2) Notícias de utilidade pública (afeta a vida cotidiana)  Ex. Saúde ( epidemia, dengue,  prazo para vacina contra gripe suína); educação ( mudanças do Enem para acesso pelo vestibular); legislação (alteração da Lei Rouanet). Etc.  2) Acontecimento de grade comoção pública (Morte da Princesa Diana, Queda do avião da Air France no Brasil, julgamento da morte da menina Isabella Nardoni)  Critérios de importância e valor das notícias : Ineditismo ( furo) Improbabilidade Interesse Apelo Valor da noticia  – tem a ver com conteúdo, critérios do produto, público e concorrência.
Gatekeeper ( ing.) Guardião do portão. Na indústria cultural é profissional da empresa de comunicação que tem o poder de decisão sobre o que será apresentado para o grande público ( oque interrompe e o que deixa passar). Influencia a cultura de massa - > decide os assuntos que serão focados, os artistas que terão mais destaque na mídia, as músicas mais divulgadas nas rádios ( o que a indústria impõe).  Lançador de tendências ( trendsetter ). Tem presença marcante na mídia e influência sobre a opinião pública  exerce influência sobre o gosto do público, modismos, sucesso de determinados artistas. Controle no processo de produção das mensagens da comunicação de massa Escolhas -> Filtragem do fluxo de informações -> passa por diversos portões (gates) A decisão é o que o  gatekeeper  seleciona (o assunto que vai ser focalizado ou não). Pode ser o editor de revista ou jornal, diretor de programação de emissoras de Tv e rádio, diretor artístico de gravadoras fonográficas e de casas de espetáculo Organização e estrutura -> características técnicas de cada meio determinam a reprodução da realidade social fornecida pelos veículos.
Kurt Lewin - (1947) White 1950 – Mr. Gate – jornalista que analisava numa cidade de 100 mil habitantes quantas notícias vinham de agências – filtro institucional Breed (1955)-  linha editorial política de um veículo –problemas de distorção informativa involuntaria de acordo com a linha e burocracia do veículo – manipulação da informação – E a imparcialidade?
Bibliografia consultada WOLF, MAURO.  Teoria das comunicações de massa . Trad. Karina Jannini. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008. MATTELART, M; A.  História das teorias da comunicação . Trad. Luiz Paulo Rouanet. 5ª Ed. São Paulo: Loyola, 2002.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria hipodermica
Teoria hipodermicaTeoria hipodermica
Teoria hipodermica
Weicker Gutierrez
 
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda SettingAula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
Elizeu Nascimento Silva
 
Teoria da Agenda Setting - Jeffcoult
Teoria da Agenda Setting  - JeffcoultTeoria da Agenda Setting  - Jeffcoult
Teoria da Agenda Setting - Jeffcoult
Jefferson Sampaio
 
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria FuncionalistaAula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Elizeu Nascimento Silva
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica
nanasimao
 
Abordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
Abordagem Empírica De Campo Efeitos LimitadosAbordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
Abordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
Valéria da Costa
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
richard_romancini
 
Aula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de LasswellAula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de Lasswell
Elizeu Nascimento Silva
 
Teoria hipodérmica outras abordagens
Teoria hipodérmica outras abordagensTeoria hipodérmica outras abordagens
Teoria hipodérmica outras abordagens
rodcassio
 
Teorias do Jornalismo (4).ppt
Teorias do Jornalismo (4).pptTeorias do Jornalismo (4).ppt
Teorias do Jornalismo (4).ppt
GabrielFcchio
 
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_GatekeepingAula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Elizeu Nascimento Silva
 
Teoria Organizacional do Jornalismo
Teoria Organizacional do JornalismoTeoria Organizacional do Jornalismo
Teoria Organizacional do Jornalismo
higginha
 
Teorias da Comunicação
Teorias da ComunicaçãoTeorias da Comunicação
Teorias da Comunicação
José Lopes
 
Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]Teoria da influência [efeitos limitados]
Panorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das ComunicaçãoPanorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das Comunicação
Marcelo Freire
 
Teoria Culturológica
Teoria CulturológicaTeoria Culturológica
Teoria Culturológica
nanasimao
 
Teorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--ConceitosTeorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--Conceitos
Omec
 
Teoria Funcionalista
Teoria FuncionalistaTeoria Funcionalista
Teoria Funcionalista
nanasimao
 
Newsmaking
NewsmakingNewsmaking
Newsmaking
Jennyffer Mesquita
 
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar MorinA teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
Aline Lisboa
 

Mais procurados (20)

Teoria hipodermica
Teoria hipodermicaTeoria hipodermica
Teoria hipodermica
 
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda SettingAula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
Aula 02 Teorias do Jornalismo_Agenda Setting
 
Teoria da Agenda Setting - Jeffcoult
Teoria da Agenda Setting  - JeffcoultTeoria da Agenda Setting  - Jeffcoult
Teoria da Agenda Setting - Jeffcoult
 
Aula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria FuncionalistaAula 04 - Teoria Funcionalista
Aula 04 - Teoria Funcionalista
 
Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica Teoria Hipodermica
Teoria Hipodermica
 
Abordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
Abordagem Empírica De Campo Efeitos LimitadosAbordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
Abordagem Empírica De Campo Efeitos Limitados
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
 
Aula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de LasswellAula 03 - Modelo de Lasswell
Aula 03 - Modelo de Lasswell
 
Teoria hipodérmica outras abordagens
Teoria hipodérmica outras abordagensTeoria hipodérmica outras abordagens
Teoria hipodérmica outras abordagens
 
Teorias do Jornalismo (4).ppt
Teorias do Jornalismo (4).pptTeorias do Jornalismo (4).ppt
Teorias do Jornalismo (4).ppt
 
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_GatekeepingAula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
Aula 03 – Teorias do Jornalismo_Gatekeeping
 
Teoria Organizacional do Jornalismo
Teoria Organizacional do JornalismoTeoria Organizacional do Jornalismo
Teoria Organizacional do Jornalismo
 
Teorias da Comunicação
Teorias da ComunicaçãoTeorias da Comunicação
Teorias da Comunicação
 
Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]Teoria da influência [efeitos limitados]
Teoria da influência [efeitos limitados]
 
Panorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das ComunicaçãoPanorama das Teorias das Comunicação
Panorama das Teorias das Comunicação
 
Teoria Culturológica
Teoria CulturológicaTeoria Culturológica
Teoria Culturológica
 
Teorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--ConceitosTeorias da Comunicação--Conceitos
Teorias da Comunicação--Conceitos
 
Teoria Funcionalista
Teoria FuncionalistaTeoria Funcionalista
Teoria Funcionalista
 
Newsmaking
NewsmakingNewsmaking
Newsmaking
 
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar MorinA teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
A teoria culturológica - abordagem de Edgar Morin
 

Semelhante a Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper

Relações com a Imprensa
Relações com a ImprensaRelações com a Imprensa
Relações com a Imprensa
weca.lab
 
GATE KEEPER
GATE KEEPERGATE KEEPER
GATE KEEPER
Carla Ferreira
 
Aula 2_3 Teoria da Comunicação
Aula 2_3 Teoria da ComunicaçãoAula 2_3 Teoria da Comunicação
Aula 2_3 Teoria da Comunicação
Luciana Ferreira
 
Aula historia assessoria comunicacao 2011
Aula historia assessoria comunicacao 2011Aula historia assessoria comunicacao 2011
Aula historia assessoria comunicacao 2011
Thais De Mendonça Jorge
 
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
Lucidalva Lopes Dos Anjos
 
Aula5 Teoria da Comunicação
Aula5 Teoria da ComunicaçãoAula5 Teoria da Comunicação
Aula5 Teoria da Comunicação
Luciana Ferreira
 
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas MidiasComunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
Governo de Sergipe
 
Dossiê “mídia e política”
Dossiê “mídia e política”Dossiê “mídia e política”
Dossiê “mídia e política”
Heron Carvalho
 
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptxA-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
JoseCastillo523000
 
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
Cinthia Mendonça
 
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
LarissaMolina4
 
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
Samuel Barros
 
Jornal e as Novas Mídias
Jornal e as Novas MídiasJornal e as Novas Mídias
Jornal e as Novas Mídias
Ruy Ferrari
 
Construção da notícia
Construção da notíciaConstrução da notícia
Construção da notícia
weca.lab
 
Midia e democracia: uma analise comparativa
Midia e democracia: uma analise comparativaMidia e democracia: uma analise comparativa
Midia e democracia: uma analise comparativa
Carolina Matos
 
Guia Comunicar Ciência - Manual teórico
Guia Comunicar Ciência - Manual teóricoGuia Comunicar Ciência - Manual teórico
Guia Comunicar Ciência - Manual teórico
Associação Viver a Ciência
 
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_ArtigoA Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
Janete Cahet
 
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuais
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuaisMídia tática como conceito operativo nas artes visuais
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuais
NuvemArteeCrtica
 
Os mass media géneros
Os mass media génerosOs mass media géneros
Os mass media géneros
Helena Coutinho
 
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
+ Mosaico Negócios & Comunicação
 

Semelhante a Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper (20)

Relações com a Imprensa
Relações com a ImprensaRelações com a Imprensa
Relações com a Imprensa
 
GATE KEEPER
GATE KEEPERGATE KEEPER
GATE KEEPER
 
Aula 2_3 Teoria da Comunicação
Aula 2_3 Teoria da ComunicaçãoAula 2_3 Teoria da Comunicação
Aula 2_3 Teoria da Comunicação
 
Aula historia assessoria comunicacao 2011
Aula historia assessoria comunicacao 2011Aula historia assessoria comunicacao 2011
Aula historia assessoria comunicacao 2011
 
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
050420111147 cadernonovasaliancas.capitulo3 (1) CRV
 
Aula5 Teoria da Comunicação
Aula5 Teoria da ComunicaçãoAula5 Teoria da Comunicação
Aula5 Teoria da Comunicação
 
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas MidiasComunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
Comunicação Organizacional, Softares Sociais, Novas Midias
 
Dossiê “mídia e política”
Dossiê “mídia e política”Dossiê “mídia e política”
Dossiê “mídia e política”
 
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptxA-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
A-Influencia-dos-Meios-de-Comunicacao-no-Interesse-Publico 33333.pptx
 
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
As Eleições 2010 em 140 caracteres: O Twitter como ferramenta de comunicação ...
 
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
1 Agenda-setting mccombs e shall.pptx
 
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
Telejornalismo, Agenda-Setting e Twitter: possibilidade metodológica para o t...
 
Jornal e as Novas Mídias
Jornal e as Novas MídiasJornal e as Novas Mídias
Jornal e as Novas Mídias
 
Construção da notícia
Construção da notíciaConstrução da notícia
Construção da notícia
 
Midia e democracia: uma analise comparativa
Midia e democracia: uma analise comparativaMidia e democracia: uma analise comparativa
Midia e democracia: uma analise comparativa
 
Guia Comunicar Ciência - Manual teórico
Guia Comunicar Ciência - Manual teóricoGuia Comunicar Ciência - Manual teórico
Guia Comunicar Ciência - Manual teórico
 
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_ArtigoA Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
A Teoria do Agendamento na Atuação da Imprensa Sergipana_Artigo
 
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuais
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuaisMídia tática como conceito operativo nas artes visuais
Mídia tática como conceito operativo nas artes visuais
 
Os mass media géneros
Os mass media génerosOs mass media géneros
Os mass media géneros
 
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais Jornalismo em internet e Mídias Sociais
Jornalismo em internet e Mídias Sociais
 

Aula 3 Teoria Ii Agenda, Newsmaking E Gatekeeper

  • 1. Aula III – Teoria da Comunicação II PROF. : JULIANO BORGES E RAQUEL TIMPONI Meios de comunicação de massa Efeitos a longo prazo Efeitos a curto prazo => Efeitos a longo prazo
  • 2. Diferenças entre os velhos e os novos paradigmas não mais pautada Comunicação construção da imagem nos efeitos da mídia da realidade social em público específico Influencia o modo como o destinatário organiza a imagem do ambiente
  • 3. Diferenças entre os velhos e os novos paradigmas: Velho X Novo - Estudo de casos individuais - Cobertura global do sistema de (Campanhas) mídias em áreas temáticas - Dados levantados por entrev. - Metodologias integradas com o público Observações e medição de - O indivíduo modifica a própria mudanças de postura e opinião representação da realidade Efeito nas atitudes, valores, - Efeito cognitivo sobre o sistema comportamento dos destinatários de conhecimento do indivíduo sobre o consumo de CM. Efeitos pontuais de cada msg - Efeitos cumulativos (a longo prazo)
  • 4. Segundo o Dicionário de Comunicação – de Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Guimarães Barbosa Importantes estudos sobre EFEITOS da comunicação de massa -> se voltam para a forma de CONSTRUÇÃO DE IMAGEM da realidade social. Descam-se 3 pesquisas sobre os efeitos: 1) Agenda setting 2) Newsmaking 3) Gatekeeper
  • 5. Agenda Setting Hipótese –> as pessoas passam a agendar os assuntos e conversas em função do que é veiculado pela mídia. Veículos de comunicação de massa -> determinam temas sobre os quais o público falará, discutirá. Mc Combs e Shaw – ampliam o sentido -> além das notícias nos dizerem sobre o que pensar, também nos dizem como pensar. ( Seleção de assuntos e enquadramento da notícia – de acordo com a política editorial do veículo)
  • 6. Maxwell McCombs e Donald Shaw -> The Agenda Setting Function of Mass Media (1972). Investigam capacidade de agendamento dos media na campanha presidencial de 1968 nos Estados Unidos, eleitores de Chapel Hill. => TV, jornal,revista informativa e editorial. Questões chaves da campanha com o conteúdo expresso pelos medias . C onfirmam que a mídia tem a capacidade de influenciar a projeção dos acontecimentos na opinião pública. Essência da pesquisa em 1922, por Walter Lippmann -> obra clássica Public Opinion (destacava o papel da imprensa no enquadramento da atenção dos leitores em direção a temas por ela impostos como "de maior interesse coletivo”). Lang Lang 1966 falava da hierarquização temática dos meios de comunicação (centram a atenção em algumas questões, sugerem o que o público deve pensar, saber, sentir) Todos estes estudos já identificavam a coincidência dos temas da mídia e dos temas das conversas interpessoais, mas não conceitualizavam como agenda setting . Mc Combs e Shaw (1972)
  • 7. Agenda Setting Efeito social da mídia – enxurrada de informações – seleção, disposição e incidência, dando ênfase em algumas notícias (manchetes). Determina temas que o público discutirá e falará (por revistas, livros, jornais impressos, radio, tv) Agências passam informações para jornalistas e acabam divulgando as mesmas notícias, com tratamento diferente em canais diversos. Influencia dos meios de comunicação no cotidiano das pessoas –infinidade de informações disseminadas por esses canais. Definem o que as pessoas abordarão. Também atuam nas leis indiretamente (se fala de muitos crimes, a discussão no senado será de segurança). A agenda interpessoal reforça a dos media , pois as pessoas acabam conversando sobre o que é exposto pelos meios de comunicação.
  • 8. Importância dos meios na opinião pública A mídia agente modificador da realidade social => aponta para o público receptor o quê se deve ser informado -> poder sobre a opinião pública Influência dos meios de comunicação no cotidiano das pessoas. -> PAUTAM as conversas interpessoais Hierarquização dos assuntos que devem ser pensados/falados. Realidade social -> representada por um cenário montado pelos meios de comunicação de massa. As pessoas têm tendência para incluir ou excluir dos seus próprios conhecimentos aquilo que os mass media incluem ou excluem do seu próprio conteúdo
  • 10. Newsmaking – de 1972/1981 Meios informativos controlam e geram acontecimentos -> seleção por valores , ligados supostamente ao interesse público . Às vezes têm interesses políticos e econômicos por trás. Ex.: Cobertura ou não de um evento na TV, abordagem de um candidato político que esteja apoiando ou não (Rede Globo). Nesse processo -> a maior parte do público aceita os valores sem crítica - > constrói a partir da mídia uma visão da realidade
  • 11. Valores da notícia e interesse público Hierarquia das pautas : 1.1) Fatos de incontestável interesse geral Ex. Queda do muro de Berlim, Tsunami Notícias de utilidade pública, que afetam a vida 1.2) Notícias de utilidade pública (afeta a vida cotidiana) Ex. Saúde ( epidemia, dengue, prazo para vacina contra gripe suína); educação ( mudanças do Enem para acesso pelo vestibular); legislação (alteração da Lei Rouanet). Etc. 2) Acontecimento de grade comoção pública (Morte da Princesa Diana, Queda do avião da Air France no Brasil, julgamento da morte da menina Isabella Nardoni) Critérios de importância e valor das notícias : Ineditismo ( furo) Improbabilidade Interesse Apelo Valor da noticia – tem a ver com conteúdo, critérios do produto, público e concorrência.
  • 12. Gatekeeper ( ing.) Guardião do portão. Na indústria cultural é profissional da empresa de comunicação que tem o poder de decisão sobre o que será apresentado para o grande público ( oque interrompe e o que deixa passar). Influencia a cultura de massa - > decide os assuntos que serão focados, os artistas que terão mais destaque na mídia, as músicas mais divulgadas nas rádios ( o que a indústria impõe). Lançador de tendências ( trendsetter ). Tem presença marcante na mídia e influência sobre a opinião pública exerce influência sobre o gosto do público, modismos, sucesso de determinados artistas. Controle no processo de produção das mensagens da comunicação de massa Escolhas -> Filtragem do fluxo de informações -> passa por diversos portões (gates) A decisão é o que o gatekeeper seleciona (o assunto que vai ser focalizado ou não). Pode ser o editor de revista ou jornal, diretor de programação de emissoras de Tv e rádio, diretor artístico de gravadoras fonográficas e de casas de espetáculo Organização e estrutura -> características técnicas de cada meio determinam a reprodução da realidade social fornecida pelos veículos.
  • 13. Kurt Lewin - (1947) White 1950 – Mr. Gate – jornalista que analisava numa cidade de 100 mil habitantes quantas notícias vinham de agências – filtro institucional Breed (1955)- linha editorial política de um veículo –problemas de distorção informativa involuntaria de acordo com a linha e burocracia do veículo – manipulação da informação – E a imparcialidade?
  • 14. Bibliografia consultada WOLF, MAURO. Teoria das comunicações de massa . Trad. Karina Jannini. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008. MATTELART, M; A. História das teorias da comunicação . Trad. Luiz Paulo Rouanet. 5ª Ed. São Paulo: Loyola, 2002.