SlideShare uma empresa Scribd logo
Texto
Áureo
Objetivos
 Apresentar a pureza e a humildade do obreiro
aprovado por Deus.
 Explicar as expressões “vaso de honra” e “vaso de
desonra”.
 Propor uma postura ministerial equilibrada.
 Aplicar o conteúdo aprendido à vida pessoal.
Verdade
Prática
O pastor precisa cuidar das ovelhas
do Sumo Pastor com o mesmo zelo
que um obreiro aprovado por Deus
cuida de sua família.
Como se identifica
Um obreiro
Aprovado?
LEITURA BÍBLICA
2 Tm 2.1-4
1 - Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em
Cristo Jesus.
2 - E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste,
confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também
ensinarem os outros.
3 - Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado
de Jesus Cristo.
4 - Ninguém que milita se embaraça com negócio desta
vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.
LEITURA BÍBLICA
2 Tm 2.5-8
5 - E, se alguém também milita, não é coroado se não
militar legitimamente.
6 - O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar
dos frutos.
7 - Considera o que digo, porque o Senhor te dará
entendimento em tudo.
8 - Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da
descendência de Davi, ressuscitou dos mortos, segundo
o meu evangelho;
LEITURA BÍBLICA
2 Tm 2.9-11
9 - pelo que sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor;
mas a palavra de Deus não está presa.
10 - Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que
também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus
com glória eterna.
11 - Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com
ele viveremos;
LEITURA BÍBLICA
2 Tm 2.12-14
12 - se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos,
também ele nos negará;
13 - se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si
mesmo.
14 - Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do
Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada
aproveitam e são para perversão dos ouvintes.
LEITURA BÍBLICA
2 Tm 2.15-18
15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que
não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da
verdade.
16 - Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior
impiedade.
17 - E a palavra desses roerá como gangrena; entre os quais são
Himeneu e Fileto;
18 - os quais se desviaram da verdade, dizendo que a
ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.
O obreiro aprovado por Deus é
equilibrado, vivendo em pureza e
humildade diante do Senhor e
diante dos homens.
I - OBREIROS
APROVADOS POR DEUS
• As três metáforas:
• Soldado – disciplina;
• Atleta – Fidelidade a regras;
• Agricultor – Trabalho árduo e sem holofotes,
digno de recompensa da colheita.
I - OB R EIR OS
APROVADOS POR DEUS
• Pregam e ensinam sem engano:
• ensinam sem a intensão de manipular as pessoas
em seus ensinos, como Paulo que pregava o
Evangelho que havia transformado sua própria
vida.
• o centro da mensagem é o mistério de Deus
revelado em Cristo (Cl 2.2).
• Obediência à revelação de Deus e não revelações
próprias e humanas, com intuito de se promover
(1 Jo 4.6; 2 Pe 1.16).
I - OBREIROS
APROVADOS POR DEUS
• Pregam com pureza:
• Mensagem cristocêntrica.
• Não visar lucro e bens financeiros: “cobiçoso e
de torpe ganância” (1 Tm 3.3; 1 Pe 5.2).
• A recompensa a ser buscada é o prazer de
fazer a vontade de Deus por gratidão.
I - OB R EIR OS
A PR OVA D OS POR D EU S
• Não buscam a glória de homens:
• exemplo de Paulo que não buscava o
elogio/bajulação e reconhecimento de homens –
“glória dos homens” (1 Ts 2.6).
• o cuidado com a busca de grandes públicos e
holofotes.
• exemplo de Cristo.
I - OB R EIR OS
A PR OVA D OS POR D EU S
II -DOIS TIPOS DE VASOS
Duas citações bíblicas e uma metáfora
(v.19-21):
• Primeira citação: Nm 16.5;
• Segunda citação: junção de Nm 16.26 e Is 26.13;
• Metáfora: vaso de honra e vaso de desonra.
II -DOIS TIPOS DE VASOS
Isaías 26
13 Ó SENHOR Deus nosso, já outros senhores têm
tido domínio sobre nós; porém, por ti só, nos
lembramos de teu nome.
Duas citações bíblicas (Filhos de Coré) e
uma metáfora:
• Primeira citação: Nm 16.5;
• Segunda citação: junção de Nm 16.26 e Is 26.13;
• Metáfora: vaso de honra e vaso de desonra.
II -DOIS TIPOS DE VASOS
LEITURA BÍBLICA
2Tm 2: 20 - 21
20 Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro
e de prata, mas também de pau e de barro; uns para
honra, outros, porém, para desonra.
21 De sorte que, se alguém se purificar destas coisas,
será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do
Senhor, e preparado para toda a boa obra.
• Vasos de honra (2.20):
• de forma didática, Paulo faz uso da analogia do
vaso para demonstrar os dois tipos de pessoas
que existiam na igreja de Éfeso.
• o vaso de honra simboliza as pessoas que
mantêm firme o testemunho e não se afastam da
fé.
• Este é o tipo de vaso que Deus usa em benefício
de seu reino.
• Na casa de Deus, um vaso de barro pode se
tornar um vaso de ouro.
II -DOIS TIPOS DE VASOS
• Vaso de desonra:
• do outro lado, tem o vaso de desonra, que simboliza
os falsos mestres, na carta representados por
Himeneu e Fileto (2.17). Himeneu também foi
mencionado em 1 Timóteo 1.20.
• crentes infiéis que causam problemas e escândalos
na Casa do Senhor.
• semelhança com a parábola do trigo e do joio, citada
por Jesus (Mt 13.24-30).
II -DOIS TIPOS DE VASOS
III - REJEITANDO AS
DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS
LEITURA BÍBLICA
2Tm 2: 22 - 24
22 Foge também das paixões da mocidade; e segue a
justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração
puro, invocam o Senhor.
23 E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo
que produzem contendas.
24 E ao servo do Senhor não convém contender, mas
sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;
• Rejeitando “questões loucas”:
• Eram as questões levantadas pelos falsos mestres,
que traziam confusão e não edificavam ninguém (1
Tm 1.3, 6,7).
• Contexto posterior: “ressurreição já aconteceu” –
perspectiva de vida futura.
• o obreiro deve rejeitar questionamentos que não
edificam (2 Tm 2.23).
• foco nas questões primárias e não nas secundárias.
• O diálogo é a menor distância entre as pessoas.
III - REJEITANDO AS
DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS
I TIMÓTEO 1
3 Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que
ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não
ensinem outra doutrina,
6 Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs
contendas;
7 Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem
o que dizem nem o que afirmam.
Irmão JIN

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Pastor Natalino Das Neves
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
Joel Silva
 
Os cálices amargos do ministério
Os cálices amargos do ministérioOs cálices amargos do ministério
Os cálices amargos do ministério
Pastor Marcello Rocha
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
Joel Silva
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
Joel Silva
 
o cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião purao cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião pura
Ailton da Silva
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Erberson Pinheiro
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
Grupo Espírita Cristão
 
Estudos o amigo do noivo
Estudos  o amigo do noivoEstudos  o amigo do noivo
Estudos o amigo do noivo
Joel Silva
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
Antonio Rodrigues
 
Priorizando o discipulado
Priorizando o discipuladoPriorizando o discipulado
Priorizando o discipulado
Antonio Rodrigues
 
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempoLição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Erberson Pinheiro
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
Antonio Rodrigues
 
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espíritoLição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Erberson Pinheiro
 
03
0303
Estudos pastores fiéis e infiéis
Estudos  pastores fiéis e infiéisEstudos  pastores fiéis e infiéis
Estudos pastores fiéis e infiéis
Joel Silva
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
JUERP
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 

Mais procurados (19)

PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Os cálices amargos do ministério
Os cálices amargos do ministérioOs cálices amargos do ministério
Os cálices amargos do ministério
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
 
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
o cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião purao cuidado ao falar e a religião pura
o cuidado ao falar e a religião pura
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
 
Estudos o amigo do noivo
Estudos  o amigo do noivoEstudos  o amigo do noivo
Estudos o amigo do noivo
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
 
Priorizando o discipulado
Priorizando o discipuladoPriorizando o discipulado
Priorizando o discipulado
 
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempoLição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
Lição 5 - Ansiedade, a antecipação do tempo
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
 
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espíritoLição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
Lição 1- As obras da carne e o fruto do espírito
 
03
0303
03
 
Estudos pastores fiéis e infiéis
Estudos  pastores fiéis e infiéisEstudos  pastores fiéis e infiéis
Estudos pastores fiéis e infiéis
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 

Destaque

Publicidade 20.01.14
Publicidade 20.01.14Publicidade 20.01.14
Publicidade 20.01.14
Diego Moreau
 
Construindo a casa de Deus (Atualiza)
Construindo a casa de Deus (Atualiza)Construindo a casa de Deus (Atualiza)
Construindo a casa de Deus (Atualiza)
celulapapucaia
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
O ministério de pastor
O ministério de pastorO ministério de pastor
O ministério de pastor
Adenísio dos Reis
 
Podemos Confiar nos Pastores?
Podemos Confiar nos Pastores?Podemos Confiar nos Pastores?
Podemos Confiar nos Pastores?
ASD Remanescentes
 
Casa de Deus
Casa de DeusCasa de Deus
Casa de Deus
Glauber Menezes
 
A armadura de deus
A armadura de deusA armadura de deus
A armadura de deus
Daladier Lima
 

Destaque (7)

Publicidade 20.01.14
Publicidade 20.01.14Publicidade 20.01.14
Publicidade 20.01.14
 
Construindo a casa de Deus (Atualiza)
Construindo a casa de Deus (Atualiza)Construindo a casa de Deus (Atualiza)
Construindo a casa de Deus (Atualiza)
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
O ministério de pastor
O ministério de pastorO ministério de pastor
O ministério de pastor
 
Podemos Confiar nos Pastores?
Podemos Confiar nos Pastores?Podemos Confiar nos Pastores?
Podemos Confiar nos Pastores?
 
Casa de Deus
Casa de DeusCasa de Deus
Casa de Deus
 
A armadura de deus
A armadura de deusA armadura de deus
A armadura de deus
 

Semelhante a Aula 08 aprovados por deus em cristo jesus irmão jin

Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo JesusAprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Ailton da Silva
 
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesusLição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
Regio Davis
 
Lição 8 3º Trim. 2015
Lição 8  3º Trim. 2015Lição 8  3º Trim. 2015
Lição 8 3º Trim. 2015
Rogerio Rieling
 
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo JesusAprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Antonio Fernandes
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
Samarone Melo
 
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
Joel Silva
 
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
Joel Silva
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
Pr. Gerson Eller
 
Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11
Capelania Militar Evangélica
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
Lourinaldo Serafim
 
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejasLBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
Natalino das Neves Neves
 
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
Natalino das Neves Neves
 
Lição 6 conselhos gerais
Lição 6    conselhos geraisLição 6    conselhos gerais
Lição 6 conselhos gerais
Pr. Gerson Eller
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
Cesar Oliveira
 
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho cridoConselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
pralucianaevangelista
 
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃOLBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
Natalino das Neves Neves
 
Eu sei em quem tenho crido
Eu sei em quem tenho cridoEu sei em quem tenho crido
Eu sei em quem tenho crido
Ailton da Silva
 
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃOPRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
MINISTERIO IPCA.
 

Semelhante a Aula 08 aprovados por deus em cristo jesus irmão jin (20)

Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo JesusAprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
 
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesusLição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
Lição 08 - Aprovados por deus em cristo jesus
 
Lição 8 3º Trim. 2015
Lição 8  3º Trim. 2015Lição 8  3º Trim. 2015
Lição 8 3º Trim. 2015
 
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo JesusAprovados por Deus em Cristo Jesus
Aprovados por Deus em Cristo Jesus
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
EBD CPAD Lições bíblicas 3° trimestre2015 aula 8 aprovado por Deus em Cristo ...
 
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
APROVADO POR DEUS EM CRISTO JESUS - LIÇÃO 8
 
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 08.pptx
 
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos3º trimestre 2015 lição 08 adultos
3º trimestre 2015 lição 08 adultos
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
 
Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
 
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejasLBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
 
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
2015 3 TRI LIÇÃO 8 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
 
Lição 6 conselhos gerais
Lição 6    conselhos geraisLição 6    conselhos gerais
Lição 6 conselhos gerais
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
 
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho cridoConselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
Conselhos Gerais e Eu Sei em quem tenho crido
 
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃOLBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
LBJ LIÇÃO 9 - CORAGEM EM MEIO À PERSEGUIÇÃO
 
Eu sei em quem tenho crido
Eu sei em quem tenho cridoEu sei em quem tenho crido
Eu sei em quem tenho crido
 
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃOPRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
PRINCÍPIOS DE OBEDIÊNCIA E SUBMISSÃO
 

Mais de Jeronimo Nunes

licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptxlicao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
Jeronimo Nunes
 
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptxLicao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
Jeronimo Nunes
 
Do you speak global
Do you speak globalDo you speak global
Do you speak global
Jeronimo Nunes
 
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jinO nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
Jeronimo Nunes
 
Escatologia bíblica jin 17 jan final
Escatologia bíblica jin 17 jan finalEscatologia bíblica jin 17 jan final
Escatologia bíblica jin 17 jan final
Jeronimo Nunes
 
Lição 10 o líder diante da chegada da morte jin
Lição 10   o líder diante da chegada da morte jinLição 10   o líder diante da chegada da morte jin
Lição 10 o líder diante da chegada da morte jin
Jeronimo Nunes
 
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jinApostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
Jeronimo Nunes
 
A ressurreição de jesus irmão jin ibe
A ressurreição de jesus   irmão jin ibeA ressurreição de jesus   irmão jin ibe
A ressurreição de jesus irmão jin ibe
Jeronimo Nunes
 
A morte de jesus final Irmão JIN
A morte de jesus final Irmão JINA morte de jesus final Irmão JIN
A morte de jesus final Irmão JIN
Jeronimo Nunes
 
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
Jeronimo Nunes
 
Manual xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
Manual  xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principlesManual  xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
Manual xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
Jeronimo Nunes
 
Dicionário de estudos bíblicos
Dicionário de estudos bíblicosDicionário de estudos bíblicos
Dicionário de estudos bíblicos
Jeronimo Nunes
 
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jinO exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
Jeronimo Nunes
 
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó aula irm jin final
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó  aula irm jin finalIbe 19 jan pragas divinas e faraó  aula irm jin final
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó aula irm jin final
Jeronimo Nunes
 
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Jeronimo Nunes
 
O sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a DeusO sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a Deus
Jeronimo Nunes
 
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JINCAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
Jeronimo Nunes
 
Família, um projeto de Deus (JIN).ppt
Família, um projeto de Deus (JIN).pptFamília, um projeto de Deus (JIN).ppt
Família, um projeto de Deus (JIN).ppt
Jeronimo Nunes
 
Eliseu e a escola de profetas (JIN)
Eliseu e a escola de profetas (JIN)Eliseu e a escola de profetas (JIN)
Eliseu e a escola de profetas (JIN)
Jeronimo Nunes
 
Os milagres de Eliseu (JIN)
Os milagres de  Eliseu (JIN)Os milagres de  Eliseu (JIN)
Os milagres de Eliseu (JIN)
Jeronimo Nunes
 

Mais de Jeronimo Nunes (20)

licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptxlicao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
licao-01-paulo-e-a-igreja-em-filipos.pptx
 
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptxLicao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
Licao 1 - As Obras da Carne e o Fruto do Espirito JIN.pptx
 
Do you speak global
Do you speak globalDo you speak global
Do you speak global
 
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jinO nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
O nascimento de jesus ibe 512 irmão jin
 
Escatologia bíblica jin 17 jan final
Escatologia bíblica jin 17 jan finalEscatologia bíblica jin 17 jan final
Escatologia bíblica jin 17 jan final
 
Lição 10 o líder diante da chegada da morte jin
Lição 10   o líder diante da chegada da morte jinLição 10   o líder diante da chegada da morte jin
Lição 10 o líder diante da chegada da morte jin
 
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jinApostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
 
A ressurreição de jesus irmão jin ibe
A ressurreição de jesus   irmão jin ibeA ressurreição de jesus   irmão jin ibe
A ressurreição de jesus irmão jin ibe
 
A morte de jesus final Irmão JIN
A morte de jesus final Irmão JINA morte de jesus final Irmão JIN
A morte de jesus final Irmão JIN
 
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
31 maio as limitações dos discípulos irmão jin final
 
Manual xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
Manual  xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principlesManual  xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
Manual xsara-and-xsara-picasso-bsi-operating-principles
 
Dicionário de estudos bíblicos
Dicionário de estudos bíblicosDicionário de estudos bíblicos
Dicionário de estudos bíblicos
 
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jinO exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
O exemplo pessoal na educação dos filhos aula jin
 
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó aula irm jin final
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó  aula irm jin finalIbe 19 jan pragas divinas e faraó  aula irm jin final
Ibe 19 jan pragas divinas e faraó aula irm jin final
 
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
 
O sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a DeusO sacrifício que agrada a Deus
O sacrifício que agrada a Deus
 
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JINCAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
CAP CTA Jerônimo Inácio Nunes JIN
 
Família, um projeto de Deus (JIN).ppt
Família, um projeto de Deus (JIN).pptFamília, um projeto de Deus (JIN).ppt
Família, um projeto de Deus (JIN).ppt
 
Eliseu e a escola de profetas (JIN)
Eliseu e a escola de profetas (JIN)Eliseu e a escola de profetas (JIN)
Eliseu e a escola de profetas (JIN)
 
Os milagres de Eliseu (JIN)
Os milagres de  Eliseu (JIN)Os milagres de  Eliseu (JIN)
Os milagres de Eliseu (JIN)
 

Último

O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 

Último (20)

O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 

Aula 08 aprovados por deus em cristo jesus irmão jin

  • 1.
  • 2.
  • 4. Objetivos  Apresentar a pureza e a humildade do obreiro aprovado por Deus.  Explicar as expressões “vaso de honra” e “vaso de desonra”.  Propor uma postura ministerial equilibrada.  Aplicar o conteúdo aprendido à vida pessoal.
  • 5. Verdade Prática O pastor precisa cuidar das ovelhas do Sumo Pastor com o mesmo zelo que um obreiro aprovado por Deus cuida de sua família.
  • 6. Como se identifica Um obreiro Aprovado?
  • 7. LEITURA BÍBLICA 2 Tm 2.1-4 1 - Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. 2 - E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. 3 - Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. 4 - Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.
  • 8. LEITURA BÍBLICA 2 Tm 2.5-8 5 - E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente. 6 - O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos. 7 - Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo. 8 - Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dos mortos, segundo o meu evangelho;
  • 9. LEITURA BÍBLICA 2 Tm 2.9-11 9 - pelo que sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa. 10 - Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna. 11 - Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;
  • 10. LEITURA BÍBLICA 2 Tm 2.12-14 12 - se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; 13 - se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo. 14 - Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes.
  • 11. LEITURA BÍBLICA 2 Tm 2.15-18 15 - Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 16 - Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade. 17 - E a palavra desses roerá como gangrena; entre os quais são Himeneu e Fileto; 18 - os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.
  • 12. O obreiro aprovado por Deus é equilibrado, vivendo em pureza e humildade diante do Senhor e diante dos homens.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 17. • As três metáforas: • Soldado – disciplina; • Atleta – Fidelidade a regras; • Agricultor – Trabalho árduo e sem holofotes, digno de recompensa da colheita. I - OB R EIR OS APROVADOS POR DEUS
  • 18. • Pregam e ensinam sem engano: • ensinam sem a intensão de manipular as pessoas em seus ensinos, como Paulo que pregava o Evangelho que havia transformado sua própria vida. • o centro da mensagem é o mistério de Deus revelado em Cristo (Cl 2.2). • Obediência à revelação de Deus e não revelações próprias e humanas, com intuito de se promover (1 Jo 4.6; 2 Pe 1.16). I - OBREIROS APROVADOS POR DEUS
  • 19. • Pregam com pureza: • Mensagem cristocêntrica. • Não visar lucro e bens financeiros: “cobiçoso e de torpe ganância” (1 Tm 3.3; 1 Pe 5.2). • A recompensa a ser buscada é o prazer de fazer a vontade de Deus por gratidão. I - OB R EIR OS A PR OVA D OS POR D EU S
  • 20. • Não buscam a glória de homens: • exemplo de Paulo que não buscava o elogio/bajulação e reconhecimento de homens – “glória dos homens” (1 Ts 2.6). • o cuidado com a busca de grandes públicos e holofotes. • exemplo de Cristo. I - OB R EIR OS A PR OVA D OS POR D EU S
  • 21. II -DOIS TIPOS DE VASOS
  • 22. Duas citações bíblicas e uma metáfora (v.19-21): • Primeira citação: Nm 16.5; • Segunda citação: junção de Nm 16.26 e Is 26.13; • Metáfora: vaso de honra e vaso de desonra. II -DOIS TIPOS DE VASOS Isaías 26 13 Ó SENHOR Deus nosso, já outros senhores têm tido domínio sobre nós; porém, por ti só, nos lembramos de teu nome.
  • 23. Duas citações bíblicas (Filhos de Coré) e uma metáfora: • Primeira citação: Nm 16.5; • Segunda citação: junção de Nm 16.26 e Is 26.13; • Metáfora: vaso de honra e vaso de desonra. II -DOIS TIPOS DE VASOS
  • 24. LEITURA BÍBLICA 2Tm 2: 20 - 21 20 Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. 21 De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.
  • 25. • Vasos de honra (2.20): • de forma didática, Paulo faz uso da analogia do vaso para demonstrar os dois tipos de pessoas que existiam na igreja de Éfeso. • o vaso de honra simboliza as pessoas que mantêm firme o testemunho e não se afastam da fé. • Este é o tipo de vaso que Deus usa em benefício de seu reino. • Na casa de Deus, um vaso de barro pode se tornar um vaso de ouro. II -DOIS TIPOS DE VASOS
  • 26.
  • 27.
  • 28. • Vaso de desonra: • do outro lado, tem o vaso de desonra, que simboliza os falsos mestres, na carta representados por Himeneu e Fileto (2.17). Himeneu também foi mencionado em 1 Timóteo 1.20. • crentes infiéis que causam problemas e escândalos na Casa do Senhor. • semelhança com a parábola do trigo e do joio, citada por Jesus (Mt 13.24-30). II -DOIS TIPOS DE VASOS
  • 29.
  • 30. III - REJEITANDO AS DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS
  • 31. LEITURA BÍBLICA 2Tm 2: 22 - 24 22 Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. 23 E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. 24 E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;
  • 32. • Rejeitando “questões loucas”: • Eram as questões levantadas pelos falsos mestres, que traziam confusão e não edificavam ninguém (1 Tm 1.3, 6,7). • Contexto posterior: “ressurreição já aconteceu” – perspectiva de vida futura. • o obreiro deve rejeitar questionamentos que não edificam (2 Tm 2.23). • foco nas questões primárias e não nas secundárias. • O diálogo é a menor distância entre as pessoas. III - REJEITANDO AS DISSENSÕES E QUESTÕES LOUCAS I TIMÓTEO 1 3 Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem outra doutrina, 6 Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas; 7 Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.
  • 33.
  • 34.
  • 35.