SlideShare uma empresa Scribd logo
“Não é a consciência do homem que lhe determina o
ser, mas, ao contrário, o seu ser social que lhe determina
a consciência.”
Biografia
Juventude
• Nasceu em Tréveris, no dia 5 de maio de 1818. Foi
um intelectual e revolucionário alemão, fundador da
doutrina comunista moderna.
• O pensamento de Marx influencia várias áreas,
especialmente Filosofia, Geografia, História,
Direito, Sociologia, Literatura, Pedagogia, Ciência
Política, Antropologia, Economia e Teologia.
Juventude
• Foi o segundo de nove filhos de uma família de origem judaica de classe
média que residia no antigo Reino da Prússia.
• Em 1830, ano em que eclodiram revoluções em diversos países europeus,
Marx iniciou seus estudos no Liceu Friedrich Wilhelm.
• Ingressou mais tarde na Universidade de Bonn para estudar Direito,
transferindo-se no ano seguinte para a Universidade de Berlim, onde o
filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel foi professor e reitor.
Juventude
• Em Berlim, Marx ingressou no Clube dos Doutores, perdendo seu interesse
pelo Direito e voltando-se para a Filosofia.
• Em 1841, obteve o título de doutor em Filosofia com uma tese sobre as
"Diferenças da Filosofia da Natureza em Demócrito e Epicuro”.
• Impedido de seguir uma carreira acadêmica, tornou-se, em 1842, redator-
chefe da Gazeta Renana, onde conheceu Friedrich Engels.
Envolvimento Político
• Marx casa-se no dia 19 de junho de 1843, com Jenny von
Westphalen.
• Em 1843, a Gazeta Renana foi fechada. Tendo perdido o
seu emprego de redator-chefe, Marx mudou-se para Paris.
Lá, assume a direção da publicação Anais Franco-Alemães
e é apresentado a diversas organizações socialistas.
• No mesmo ano, conhece a Liga dos Justos (que mais tarde
tornar-se-ia Liga dos Comunistas).
Envolvimento Político
• No seu período em Paris, intensificou os seus estudos no socialismo,
produzindo os Manuscritos de Paris.
• De Paris, Marx ajudou a editar uma publicação que contestava o regime
político alemão da época. Por conta disto, foi expulso da França em 1845.
Migrou então para Bruxelas, onde, juntamente com Engels redigiu o
Manifesto Comunista.
• Em 1848, foi expulso pelo governo belga. Junto com Engels, mudou-se para
Colônia, onde fundaram o jornal Nova Gazeta Renana.
Morte
• Em 1849, migrou para Londres, onde fixou residência
definitiva.
• Deprimido por conta da morte de sua esposa,
ocorrida em Dezembro de 1881, desenvolveu uma
série de problemas (como bronquite e pleurisia), que
causaram o seu falecimento em 1883.
• Foi enterrado na condição de apátrida, no Cemitério
de Highgate, em Londres.
Pensamento
Pensamento
• Em vida, suas ideias receberam pouca atenção de outros estudiosos.
• Nos primeiros anos após a morte de Marx, sua teoria obteve crescente
influência intelectual e política sobre os movimentos operários, e em menor
proporção, sobre os círculos acadêmicos ligados às ciências humanas.
• Marx foi herdeiro da filosofia alemã, considerado ao lado
de Kant, Nietzsche e Hegel (um de seus grandes representantes).
Pensamento
• Marx criticou ferozmente o sistema filosófico idealista de Hegel. Enquanto
que, para Hegel, da realidade se faz filosofia, para Marx a filosofia precisa incidir
sobre a realidade.
• A teoria marxista é, substancialmente, uma crítica radical das sociedades
capitalistas. Marx, se posiciona contra qualquer separação drástica entre
teoria e prática porque essas dimensões são abstrações mentais que, no plano
concreto, real, integram uma mesma totalidade complexa.
Pensamento
• Karl Marx compreende o trabalho como atividade fundante da humanidade e
o homem um ser social. Identifica suas relações de produção e suas relações
sociais como fundamentos de todo o processo de formação da humanidade.
• Esta compreensão e concepção do homem é radicalmente revolucionária em
todos os sentidos, pois é a partir dela que Marx irá identificar a alienação do
trabalho como a alienação fundante das demais.
Influências
• A filosofia alemã (Historicismo e Idealismo x Materialismo
Dialético) de Kant, Hegel e dos neo-hegelianos (como Feuerbach e outros);
• O Socialismo Utópico (sendo representado por Saint-Simon, Robert Owen,
Louis Blanc e Proudhon);
• E a economia política clássica britânica, representada por Adam
Smith, David Ricardo e outros. (Ideais de valor, divisão social do trabalho,
acumulação primitiva e mais-valia).
Metodologia
• Marx disseminou suas ideias através de inúmeras publicações. Geralmente,
suas críticas permeavam o idealismo especulativo hegeliano e a economia
política clássica.
• Em oposição a adeptos de ambos conceitos, Marx propunha a investigação
do desenvolvimento histórico das formas de produção e reprodução social,
partindo do concreto para o abstrato e do abstrato para o concreto.
Crítica à Religião
• Para Marx a crítica da religião é o pressuposto de toda crítica social, pois crê
que as concepções religiosas tendem a desresponsabilizar os homens pelas
consequências de seus atos.
• “A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração, assim
como é o espírito de uma situação carente de espírito. É o ópio do povo.”
- Crítica à Filosofia do Direito de Hegel.
Revolução
• Em geral, Marx considerava que toda revolução é necessariamente violenta,
ainda que isso dependa, em maior ou menor grau, da constrição ou abertura
do Estado.
• Nota-se que Marx não entende revolução enquanto algo como reconstruir a
sociedade a partir de um zero absoluto.
• A revolução proletária, que instauraria um novo regime sem classes, só
obteria sucesso pleno após a conclusão de um período de transição que Marx
denominou socialismo.
Crítica ao Anarquismo
• Criticou o anarquismo por julgar sua visão tida como ingênua.
• Para Marx, o anarquismo se objetiva em acabar com o Estado "por decreto”
ao invés de acabar com as condições sociais que fazem do Estado uma
necessidade e realidade.
• Posicionou-se a favor do liberalismo, não como solução para o proletariado,
mas como premissa para maturação das forças produtivas (produtividade do
trabalho).
Oposição
Oposição
Principais críticas ao Marxismo promovidas por sociólogos, filósofos e
economista desde as primeiras publicações de Karl Marx:
• Critica ao Historicismo e ao Não-Cientificismo, por Karl Popper;
• Crítica à configuração econômica proposta por Marx e à exclusão completa
do individualismo e do direito à propriedade privada, por Ludwig von Mises;
• Crítica à exclusão etiológica que compõe o homem, por Eric Voegelin.
Alunos Referências
• Gabriel Resende Miranda
• Giullia Hanna D. T. D. Santos
• Gustavo Souza Oliveira
• Letícia Finholdt Borges
• Rayssa Souza Araújo
• Tainara Gabriela Costa
• Thaís Ferreira de Menezes
• http://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Marx
• http://www.suapesquisa.com/biografias
/marx/
• http://educacao.uol.com.br/biografias/k
arl-marx.htm
• http://www.infoescola.com/sociologia/
karl-marx-e-o-marxismo/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marxismo
MarxismoMarxismo
Teoria Marxista
Teoria MarxistaTeoria Marxista
Teoria Marxista
Isabella Silva
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
A filosofia de karl marx
A filosofia de karl marxA filosofia de karl marx
A filosofia de karl marx
Victor Said
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
ESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURTESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURT
Marcioveras
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Conceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl MarxConceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl Marx
João Marcelo
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Emile Durkheim
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em WeberMax weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
Ivone Bezerra
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
Lucio Oliveira
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
Portal do Vestibulando
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
roberto mosca junior
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Juliana Corvino de Araújo
 
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedade
Silvia Cintra
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
Portal do Vestibulando
 
Aula 3 - Durkheim
Aula 3 - DurkheimAula 3 - Durkheim
Aula 3 - Durkheim
Mauricio Serafim
 
2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx
Felipe Hiago
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
A sociologia de Max Weber
A  sociologia de Max WeberA  sociologia de Max Weber
A sociologia de Max Weber
Alison Nunes
 

Mais procurados (20)

Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
 
Teoria Marxista
Teoria MarxistaTeoria Marxista
Teoria Marxista
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
A filosofia de karl marx
A filosofia de karl marxA filosofia de karl marx
A filosofia de karl marx
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
 
ESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURTESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURT
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Conceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl MarxConceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl Marx
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Emile Durkheim
 
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em WeberMax weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
Max weber-Educação, racionalização e burocratização em Weber
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
 
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedade
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Aula 3 - Durkheim
Aula 3 - DurkheimAula 3 - Durkheim
Aula 3 - Durkheim
 
2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
A sociologia de Max Weber
A  sociologia de Max WeberA  sociologia de Max Weber
A sociologia de Max Weber
 

Destaque

Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a MarxFilosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Rodrigo Moysés
 
Idealismo alemão
Idealismo alemãoIdealismo alemão
Idealismo alemão
Alexandre Misturini
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
Aparecida Mallagoli
 
Idealismo a lemão
Idealismo a lemãoIdealismo a lemão
Idealismo a lemão
Alexandre Misturini
 
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Sociedade alemã   a contribuição de max weberSociedade alemã   a contribuição de max weber
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Viviane Guerra
 
A pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismoA pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismo
ma.no.el.ne.ves
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Rodrigo Moysés
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Lucas Queiroz
 
Slides Romantismo
Slides RomantismoSlides Romantismo
Slides Romantismo
mix1981
 

Destaque (9)

Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a MarxFilosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
 
Idealismo alemão
Idealismo alemãoIdealismo alemão
Idealismo alemão
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
 
Idealismo a lemão
Idealismo a lemãoIdealismo a lemão
Idealismo a lemão
 
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Sociedade alemã   a contribuição de max weberSociedade alemã   a contribuição de max weber
Sociedade alemã a contribuição de max weber
 
A pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismoA pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismo
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Slides Romantismo
Slides RomantismoSlides Romantismo
Slides Romantismo
 

Semelhante a Karl Marx

Prottpln
ProttplnProttpln
Prottpln
breckenfeld
 
Karl marx - Biografia
Karl marx - BiografiaKarl marx - Biografia
Karl marx - Biografia
Andre Amaral
 
Cultura e ação apresentação
Cultura e ação   apresentaçãoCultura e ação   apresentação
Cultura e ação apresentação
Ana
 
APRESENTAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO.pptx
Rovani4237c
 
Sociologia - Karl Marx - Vida e Obra
Sociologia - Karl Marx  - Vida e ObraSociologia - Karl Marx  - Vida e Obra
Sociologia - Karl Marx - Vida e Obra
Carson Souza
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
Matheus Fellipe
 
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologiaKarl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
Mateus Paiva
 
Cultura e ação apresentação
Cultura e ação   apresentaçãoCultura e ação   apresentação
Cultura e ação apresentação
amorimanamaria
 
Pensadores anarquistas
Pensadores anarquistasPensadores anarquistas
Pensadores anarquistas
Cilmara Cristina Dos Santos
 
slide 2 (karl Marx).pptx
slide 2 (karl Marx).pptxslide 2 (karl Marx).pptx
slide 2 (karl Marx).pptx
LinaKelly3
 
Karl max
Karl   maxKarl   max
Karl max
breckenfeld
 
Karl marx esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
Karl marx   esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lêninKarl marx   esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
Karl marx esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
UJS_Maringa
 
Pensadores da sociologia alêrocha
Pensadores da sociologia alêrochaPensadores da sociologia alêrocha
Pensadores da sociologia alêrocha
breckenfeld
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
Eduaardo Mendes
 
4.Escola_de_Frankfurt
4.Escola_de_Frankfurt4.Escola_de_Frankfurt
4.Escola_de_Frankfurt
André Bonotto
 
KARL MARX
KARL MARXKARL MARX
KARL MARX
Thiago Pereira
 
Herbert Marcuse e a Teoria Crítica
Herbert Marcuse e a Teoria CríticaHerbert Marcuse e a Teoria Crítica
Herbert Marcuse e a Teoria Crítica
Karol Souza
 
Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
 Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar. Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Karl Marx e suas ideias
Karl Marx e suas ideiasKarl Marx e suas ideias
Karl Marx e suas ideias
Kelly Gonzatto
 
Escola de frankfurt (1)
Escola de frankfurt (1)Escola de frankfurt (1)
Escola de frankfurt (1)
alemisturini
 

Semelhante a Karl Marx (20)

Prottpln
ProttplnProttpln
Prottpln
 
Karl marx - Biografia
Karl marx - BiografiaKarl marx - Biografia
Karl marx - Biografia
 
Cultura e ação apresentação
Cultura e ação   apresentaçãoCultura e ação   apresentação
Cultura e ação apresentação
 
APRESENTAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO.pptx
 
Sociologia - Karl Marx - Vida e Obra
Sociologia - Karl Marx  - Vida e ObraSociologia - Karl Marx  - Vida e Obra
Sociologia - Karl Marx - Vida e Obra
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologiaKarl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
Karl marx: biografia, teoria e importância na sociologia
 
Cultura e ação apresentação
Cultura e ação   apresentaçãoCultura e ação   apresentação
Cultura e ação apresentação
 
Pensadores anarquistas
Pensadores anarquistasPensadores anarquistas
Pensadores anarquistas
 
slide 2 (karl Marx).pptx
slide 2 (karl Marx).pptxslide 2 (karl Marx).pptx
slide 2 (karl Marx).pptx
 
Karl max
Karl   maxKarl   max
Karl max
 
Karl marx esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
Karl marx   esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lêninKarl marx   esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
Karl marx esboço bibliográfico e exposição do marxismo - lênin
 
Pensadores da sociologia alêrocha
Pensadores da sociologia alêrochaPensadores da sociologia alêrocha
Pensadores da sociologia alêrocha
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
4.Escola_de_Frankfurt
4.Escola_de_Frankfurt4.Escola_de_Frankfurt
4.Escola_de_Frankfurt
 
KARL MARX
KARL MARXKARL MARX
KARL MARX
 
Herbert Marcuse e a Teoria Crítica
Herbert Marcuse e a Teoria CríticaHerbert Marcuse e a Teoria Crítica
Herbert Marcuse e a Teoria Crítica
 
Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
 Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar. Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
Sociologia da Educação. Durkheim,Marx & weber -Prof.Altair Aguilar.
 
Karl Marx e suas ideias
Karl Marx e suas ideiasKarl Marx e suas ideias
Karl Marx e suas ideias
 
Escola de frankfurt (1)
Escola de frankfurt (1)Escola de frankfurt (1)
Escola de frankfurt (1)
 

Mais de Gabriel Resende

Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do CapitalStephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Gabriel Resende
 
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do CapitalStephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Gabriel Resende
 
Keynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova EconomiaKeynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova Economia
Gabriel Resende
 
Keynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova EconomiaKeynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova Economia
Gabriel Resende
 
O Narcotráfico na América Latina
O Narcotráfico na América LatinaO Narcotráfico na América Latina
O Narcotráfico na América Latina
Gabriel Resende
 
Mountain Bike
Mountain BikeMountain Bike
Mountain Bike
Gabriel Resende
 
Mountain Bike
Mountain BikeMountain Bike
Mountain Bike
Gabriel Resende
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e Moçambique
Gabriel Resende
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e Moçambique
Gabriel Resende
 
Congado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e OrganizaçãoCongado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e Organização
Gabriel Resende
 
Congado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e OrganizaçãoCongado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e Organização
Gabriel Resende
 
Seções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - HipérboleSeções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - Hipérbole
Gabriel Resende
 
Seções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - HipérboleSeções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - Hipérbole
Gabriel Resende
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
Gabriel Resende
 
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Gabriel Resende
 
Martins Pena
Martins PenaMartins Pena
Martins Pena
Gabriel Resende
 
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Gabriel Resende
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
Gabriel Resende
 
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e BarrocoMúsica, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Gabriel Resende
 
Gás Natural
Gás NaturalGás Natural
Gás Natural
Gabriel Resende
 

Mais de Gabriel Resende (20)

Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do CapitalStephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
 
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do CapitalStephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
Stephen Gill - Hegemonia Global e o Poder Estrutural do Capital
 
Keynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova EconomiaKeynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova Economia
 
Keynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova EconomiaKeynes e a Nova Economia
Keynes e a Nova Economia
 
O Narcotráfico na América Latina
O Narcotráfico na América LatinaO Narcotráfico na América Latina
O Narcotráfico na América Latina
 
Mountain Bike
Mountain BikeMountain Bike
Mountain Bike
 
Mountain Bike
Mountain BikeMountain Bike
Mountain Bike
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e Moçambique
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e Moçambique
 
Congado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e OrganizaçãoCongado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e Organização
 
Congado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e OrganizaçãoCongado - Origens, Características e Organização
Congado - Origens, Características e Organização
 
Seções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - HipérboleSeções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - Hipérbole
 
Seções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - HipérboleSeções Cônicas - Hipérbole
Seções Cônicas - Hipérbole
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
 
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)
 
Martins Pena
Martins PenaMartins Pena
Martins Pena
 
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
Industrialização Brasileira - 1° Período (1500 - 1808)
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
 
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e BarrocoMúsica, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
Música, Artes Visuais, Dança e Teatro - Idade Média, Renascimento e Barroco
 
Gás Natural
Gás NaturalGás Natural
Gás Natural
 

Último

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 

Último (20)

Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 

Karl Marx

  • 1. “Não é a consciência do homem que lhe determina o ser, mas, ao contrário, o seu ser social que lhe determina a consciência.”
  • 3. Juventude • Nasceu em Tréveris, no dia 5 de maio de 1818. Foi um intelectual e revolucionário alemão, fundador da doutrina comunista moderna. • O pensamento de Marx influencia várias áreas, especialmente Filosofia, Geografia, História, Direito, Sociologia, Literatura, Pedagogia, Ciência Política, Antropologia, Economia e Teologia.
  • 4. Juventude • Foi o segundo de nove filhos de uma família de origem judaica de classe média que residia no antigo Reino da Prússia. • Em 1830, ano em que eclodiram revoluções em diversos países europeus, Marx iniciou seus estudos no Liceu Friedrich Wilhelm. • Ingressou mais tarde na Universidade de Bonn para estudar Direito, transferindo-se no ano seguinte para a Universidade de Berlim, onde o filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel foi professor e reitor.
  • 5. Juventude • Em Berlim, Marx ingressou no Clube dos Doutores, perdendo seu interesse pelo Direito e voltando-se para a Filosofia. • Em 1841, obteve o título de doutor em Filosofia com uma tese sobre as "Diferenças da Filosofia da Natureza em Demócrito e Epicuro”. • Impedido de seguir uma carreira acadêmica, tornou-se, em 1842, redator- chefe da Gazeta Renana, onde conheceu Friedrich Engels.
  • 6. Envolvimento Político • Marx casa-se no dia 19 de junho de 1843, com Jenny von Westphalen. • Em 1843, a Gazeta Renana foi fechada. Tendo perdido o seu emprego de redator-chefe, Marx mudou-se para Paris. Lá, assume a direção da publicação Anais Franco-Alemães e é apresentado a diversas organizações socialistas. • No mesmo ano, conhece a Liga dos Justos (que mais tarde tornar-se-ia Liga dos Comunistas).
  • 7. Envolvimento Político • No seu período em Paris, intensificou os seus estudos no socialismo, produzindo os Manuscritos de Paris. • De Paris, Marx ajudou a editar uma publicação que contestava o regime político alemão da época. Por conta disto, foi expulso da França em 1845. Migrou então para Bruxelas, onde, juntamente com Engels redigiu o Manifesto Comunista. • Em 1848, foi expulso pelo governo belga. Junto com Engels, mudou-se para Colônia, onde fundaram o jornal Nova Gazeta Renana.
  • 8. Morte • Em 1849, migrou para Londres, onde fixou residência definitiva. • Deprimido por conta da morte de sua esposa, ocorrida em Dezembro de 1881, desenvolveu uma série de problemas (como bronquite e pleurisia), que causaram o seu falecimento em 1883. • Foi enterrado na condição de apátrida, no Cemitério de Highgate, em Londres.
  • 10. Pensamento • Em vida, suas ideias receberam pouca atenção de outros estudiosos. • Nos primeiros anos após a morte de Marx, sua teoria obteve crescente influência intelectual e política sobre os movimentos operários, e em menor proporção, sobre os círculos acadêmicos ligados às ciências humanas. • Marx foi herdeiro da filosofia alemã, considerado ao lado de Kant, Nietzsche e Hegel (um de seus grandes representantes).
  • 11. Pensamento • Marx criticou ferozmente o sistema filosófico idealista de Hegel. Enquanto que, para Hegel, da realidade se faz filosofia, para Marx a filosofia precisa incidir sobre a realidade. • A teoria marxista é, substancialmente, uma crítica radical das sociedades capitalistas. Marx, se posiciona contra qualquer separação drástica entre teoria e prática porque essas dimensões são abstrações mentais que, no plano concreto, real, integram uma mesma totalidade complexa.
  • 12. Pensamento • Karl Marx compreende o trabalho como atividade fundante da humanidade e o homem um ser social. Identifica suas relações de produção e suas relações sociais como fundamentos de todo o processo de formação da humanidade. • Esta compreensão e concepção do homem é radicalmente revolucionária em todos os sentidos, pois é a partir dela que Marx irá identificar a alienação do trabalho como a alienação fundante das demais.
  • 13. Influências • A filosofia alemã (Historicismo e Idealismo x Materialismo Dialético) de Kant, Hegel e dos neo-hegelianos (como Feuerbach e outros); • O Socialismo Utópico (sendo representado por Saint-Simon, Robert Owen, Louis Blanc e Proudhon); • E a economia política clássica britânica, representada por Adam Smith, David Ricardo e outros. (Ideais de valor, divisão social do trabalho, acumulação primitiva e mais-valia).
  • 14. Metodologia • Marx disseminou suas ideias através de inúmeras publicações. Geralmente, suas críticas permeavam o idealismo especulativo hegeliano e a economia política clássica. • Em oposição a adeptos de ambos conceitos, Marx propunha a investigação do desenvolvimento histórico das formas de produção e reprodução social, partindo do concreto para o abstrato e do abstrato para o concreto.
  • 15. Crítica à Religião • Para Marx a crítica da religião é o pressuposto de toda crítica social, pois crê que as concepções religiosas tendem a desresponsabilizar os homens pelas consequências de seus atos. • “A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração, assim como é o espírito de uma situação carente de espírito. É o ópio do povo.” - Crítica à Filosofia do Direito de Hegel.
  • 16. Revolução • Em geral, Marx considerava que toda revolução é necessariamente violenta, ainda que isso dependa, em maior ou menor grau, da constrição ou abertura do Estado. • Nota-se que Marx não entende revolução enquanto algo como reconstruir a sociedade a partir de um zero absoluto. • A revolução proletária, que instauraria um novo regime sem classes, só obteria sucesso pleno após a conclusão de um período de transição que Marx denominou socialismo.
  • 17. Crítica ao Anarquismo • Criticou o anarquismo por julgar sua visão tida como ingênua. • Para Marx, o anarquismo se objetiva em acabar com o Estado "por decreto” ao invés de acabar com as condições sociais que fazem do Estado uma necessidade e realidade. • Posicionou-se a favor do liberalismo, não como solução para o proletariado, mas como premissa para maturação das forças produtivas (produtividade do trabalho).
  • 19. Oposição Principais críticas ao Marxismo promovidas por sociólogos, filósofos e economista desde as primeiras publicações de Karl Marx: • Critica ao Historicismo e ao Não-Cientificismo, por Karl Popper; • Crítica à configuração econômica proposta por Marx e à exclusão completa do individualismo e do direito à propriedade privada, por Ludwig von Mises; • Crítica à exclusão etiológica que compõe o homem, por Eric Voegelin.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Alunos Referências • Gabriel Resende Miranda • Giullia Hanna D. T. D. Santos • Gustavo Souza Oliveira • Letícia Finholdt Borges • Rayssa Souza Araújo • Tainara Gabriela Costa • Thaís Ferreira de Menezes • http://pt.wikipedia.org/wiki/Karl_Marx • http://www.suapesquisa.com/biografias /marx/ • http://educacao.uol.com.br/biografias/k arl-marx.htm • http://www.infoescola.com/sociologia/ karl-marx-e-o-marxismo/