SlideShare uma empresa Scribd logo
O NASCIMENTO DA CIÊNCIA
              MODERNA
           Texto de Leda Miranda Huhne
                        UNIFOR - PPGA
      Linda Tavares - Fev / 2013
Sumário

1.   A cosmologia Aristotélica
2.   O Renascimento
3.   Galileu Galilei
4.   O nascimento da ciência moderna



                 Linda Tavares - Fev / 2013
A Cosmologia Aristotélica
      Os postulados iniciais de Aristóteles são:
                             i


    1- A Terra é imóvel, no centro do Universo;
                            ii


2- O Universo é esférico, finito e com uma estrutura
            supremamente ordenada.
                         Linda Tavares - Fev / 2013
A Cosmologia Aristotélica
A estes dois postulados, Aristóteles acrescenta
proposições complementares:
a) Há cinco elementos: éter, terra, água, fogo e ar;
b) O éter, elemento perfeito, compõe o mundo
supralunar, no qual reina a perfeição;
c) Os outros elementos, imperfeitos e alteráveis,
compõem o mundo sublunar;
d) Cada um dos elementos possui seu lugar natural:
_ para o éter: os céus;
_ para a terra e a água: o centro do Universo;
_ para o ar e o fogo: a região entre a Terra e o limite
superior do mundo sublunar.
                         Linda Tavares - Fev / 2013
A Cosmologia Aristotélica
e) Existem somente três movimentos naturais:
   _ o movimento circular uniforme, para os corpos
celestes;
  _ o movimento retilíneo em direção ao centro,
para os corpos graves;
  _ o movimento retilíneo afastando-se do centro,
para os corpos leves
i
f) Todo corpo sublunar que não estiver em seu lugar
natural tem tendência a voltar para ele pelo
movimento natural que lhe é próprio.

                        Linda Tavares - Fev / 2013
A Cosmologia Aristotélica
A teoria de Aristóteles não é, portanto, abstrata
como as teorias matemáticas da época.
Os corpos não são despidos de seu sentido empírico
para se formular um “tipo ideal”, ao contrario, são
considerados em sua natureza real. A chama sobe,
a terra desce, o Sol gira em torno da Terra.
Os fatos são tão óbvios que tornam ridículas
qualquer experiência que os comprove. Isto explica
como essa obra-prima da dialética sobreviveu por
mais de dois mil anos.


                        Linda Tavares - Fev / 2013
A Cosmologia Aristotélica

  Pierre Lucie diz: “ Daí decorre que
   a demonstração racional torna-se
           impossível. Aristóteles não
   demonstra, argumenta.Não tenta
provar , tenta convencer.A Física e a
 cosmologia aristotélica são obras de
    dialética.É , pois, por todas essas
razões que Aristóteles nunca recorre
                         a experiência.
              Linda Tavares - Fev / 2013
CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO




   Nascimento da sociedade             A burguesia mercantil
   pós –feudal , com                   se afirma e começa o
   desenvolvimento da                  processo de liberdade ,
   navegação, comércio, o              sem aos laços da
   começo do capitalismo.              servidão .


                             Linda Tavares - Fev / 2013
CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO


 O processo de Formação de
 Estados Nacionais com a
 política nas mãos dos reis,
 aliança do rei com a
 burguesia.

 -A necessidade de formação
 de uma burocracia, exercito
 e justiça nacional/unificado.

 -Desenvolvimento do
 comercio e a necessidade de
 unificação monetária, do
 sistema de pesos/medidas e
 de impostos e línguas.

                                 Linda Tavares - Fev / 2013
CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO




                                          O humanismo renascentista abalou
A Idade Média foi a era do
                                          as estruturas da Igreja Católica
teocentrismo, quando a vida
                                          Apostólica Romana. Muitos
girava em torno da religião, e
                                          intelectuais passaram a criticar
esse teocentrismo foi mudado na
                                          abertamente as doutrinas católicas.
Renascença, que deu lugar para
                                          Mesmo entre os religiosos surgiram
o humanismo e o
                                          pessoas que contestavam o poder
antropocentrismo,
                                          excessivo que a Igreja desempenhava
                                          na sociedade.
                                  Linda Tavares - Fev / 2013
Dentro de um contexto
      com tantas e
     extraordinárias
   transformações, se
  modificou também o
plano da racionalidade ,
    o plano do
  conhecimento...
         Linda Tavares - Fev / 2013
O grande acontecimento
    do renascimento:
O surgimento da ciência
      moderna e o
 personagem que mais
representa essa marco é
   Galileu Galilei.

         Linda Tavares - Fev / 2013
Galileu
           Galilei
           O 1º a
           formular o
           método
           Experimental

Linda Tavares - Fev / 2013
• O conhecimento não se utilizava de instrumentos para
seus estudos.
• Galileu cria a luneta para fazer observações celestes.
• Galileu descobre que a superfície da lua é áspera ,a Via
Láctea e as nebulosas.
• Galileu declara que tão incrível quanto descobrir as
maravilhas celestes é ter um instrumento cientifico.
                          Linda Tavares - Fev / 2013
“ não só a astronomia, como
  também a ciência como tal,
entraram numa nova fase de
 desenvolvimento, a fase que
      poderíamos chamar de
               instrumental.”
                            Koyré, pag 92



             Linda Tavares - Fev / 2013
Os 4 momentos do método de Galileu:

•   A observação imediata do fenômeno na sua
complexidade;

•Resolução dessa complexidade nos elementos simples
traduzíveis em relações quantitativas, ou em linguagem
matemática;

•Formulação de uma hipótese explicativa ( momento
teórico);

•Verificação da hipótese como cálculo e o
experimento – experimentação.



                           Linda Tavares - Fev / 2013
A dissolução dos Cosmos :
A nova ciência irá recusar a concepção herdada dos gregos
de que o universo forma um conjunto esférico, fechado sobre
si mesmo, internamente contido na esfera dos céus, a Terra
imóvel em seu centro.
Um universo ordenado e hierarquizado segundo graus de
perfeição:
O perfeito (o mundo dos céus, o mundo supra-lunar) e
O imperfeito (o mundo da Terra, o mundo sub-lunar).
Mundos irremediavelmente separados por serem realidades
distintas e opostas: suas regras de organização se oporiam
tão radicalmente como o que é perfeito, incorruptível e
imutável se opõe ao que é imperfeito, corruptível e mutável.

                             Linda Tavares - Fev / 2013
De um mundo de estrutura finito, hierarquicamente
ordenado de um mundo qualitativamente diferenciado
para um Universo aberto, indefinido e mesmo infinito ,
unificado pelas mesmas leis universais.


                           Linda Tavares - Fev / 2013
“ Ao apontar sua luneta para o alto,
 Galileu faz com que este mundo venha
                                abaixo.
       Com as descobertas de Galileu, o
 homem perde o seu lugar no Universo,
     perde a certeza dos céus depois da
          morte, perde a certeza de sua
    medicina.Perde a segurança de seu
 mundo ordenado, hierarquizado, onde
cada coisa ocupava o seu lugar próprio,
                segundo sua natureza.”
                       Huhne, pag 128

                 Linda Tavares - Fev / 2013
“A ciência moderna impôs a
dissociação, o divórcio entre duas
instâncias independentes e por vezes
rivais. A realidade estudada pelo sábio
não se dá conta de nossa preferência:
ela é indiferente ao bem e ao mal...”
                                 Gusdorf
Gusdorf afirma que a ciência não é
inocente e estamos sofrendo o perigo
de sua intervenção, pois não se trata de
um “saber imaculado, mas de um
meio de poder”.
                  Linda Tavares - Fev / 2013
Bibliografia

1. GALILEO´S BATTLE FOR THE HEAVENS. Direção: Peter Jones.
   Interpretes: Simon Callow,John Fraser,Cornelius Garret, Liev Schreiber.
   Roteiro : Dava Sobel. Música : Mark Adler. NOVA , 2002. Free Flash Video
   Player ( FLV and H.264 /MPEG-4)
2. GUSDORF, G. Galileu e o Advento da Ciência Moderna. Século XVIII, in:
   Agonia da Nossa Civilização, PP. Convívio, 1976.
3. KOYRÉ. A. A Contribuição Científica da Renascença in: texto de uma
   comunicação feita à XV Semana de Síntese ( 1º de junho de 1948) e publicada
   no vol. Da Quinzième Semanaine de Synthèse: Laa synthèse, idèe force de
   l´êvolution de la pensèc ( Paris, A. Michel, 1951)
4. LUCIE, P.A. A Gênese do Método Cientifico.RJ: Campus, 1978.
5. SIMON, Maria Célia. Galileu Galilei. In: HÜHNE, Leda Miranda (Org.).
   Metodologia Científica – Caderno de Textos e Técnicas. 4ª ed. Rio de Janeiro:
   Agir, 1990.
6. SIMON, Maria Célia. Uma síntese da Cosmologia Aristotélica. In:
   HÜHNE, Leda Miranda (Org.). Metodologia Científica – Caderno de Textos e
   Técnicas. 4ª ed. Rio de Janeiro: Agir, 1990.

                                     Linda Tavares - Fev / 2013

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação do curso
Apresentação do cursoApresentação do curso
Apresentação do curso
Fábio Mascarenhas
 
História da Ciência - Ciência Moderna
História da Ciência - Ciência ModernaHistória da Ciência - Ciência Moderna
História da Ciência - Ciência Moderna
Kelvin Oliveira
 
O nascimento da ciência moderna
O nascimento da ciência modernaO nascimento da ciência moderna
O nascimento da ciência moderna
Tony Oliveira
 
Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica
João Vitor
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
Alan
 
Blavatsky uma astrobiografia
Blavatsky uma astrobiografiaBlavatsky uma astrobiografia
Blavatsky uma astrobiografia
Fábio Mascarenhas
 
Astrologia - Palestra
Astrologia - PalestraAstrologia - Palestra
Astrologia - Palestra
Fábio Mascarenhas
 
A astrologia palestra
A astrologia   palestraA astrologia   palestra
A astrologia palestra
Fábio Mascarenhas
 
Filosofia cap. xii a ciencia antiga na +ëpoca imperial
Filosofia cap. xii   a ciencia antiga na +ëpoca imperialFilosofia cap. xii   a ciencia antiga na +ëpoca imperial
Filosofia cap. xii a ciencia antiga na +ëpoca imperial
Josemar Batista Aluno de Eliana Grupo IPÊ-EAD GEST
 
A astrologia nas grandes civilizações
A astrologia nas grandes civilizaçõesA astrologia nas grandes civilizações
A astrologia nas grandes civilizações
Fábio Mascarenhas
 
Material OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoioMaterial OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoio
eing2010
 
Novas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimentoNovas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimento
cebv
 
A Ciência Através dos Tempos
A Ciência Através dos TemposA Ciência Através dos Tempos
A Ciência Através dos Tempos
Lucas Campos
 
O Velho Modelo De Mundo
O Velho Modelo De MundoO Velho Modelo De Mundo
O Velho Modelo De Mundo
Gui Cadorim
 
A atlântida e o reino gigantes
A atlântida e o reino gigantesA atlântida e o reino gigantes
A atlântida e o reino gigantes
Alexandre Arau
 
Astronomia
AstronomiaAstronomia
Astronomia
guize
 
Slides física cemtl 2013
Slides física cemtl 2013Slides física cemtl 2013
Slides física cemtl 2013
Cleres Novais Novais
 
Astrologia e astronomia
Astrologia e astronomiaAstrologia e astronomia
Astrologia e astronomia
edson_fiorenza
 
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva históricaO lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
Samuel Viana
 
Evolucaodo conhecimento
Evolucaodo conhecimentoEvolucaodo conhecimento
Evolucaodo conhecimento
Petroleoecologia
 

Mais procurados (20)

Apresentação do curso
Apresentação do cursoApresentação do curso
Apresentação do curso
 
História da Ciência - Ciência Moderna
História da Ciência - Ciência ModernaHistória da Ciência - Ciência Moderna
História da Ciência - Ciência Moderna
 
O nascimento da ciência moderna
O nascimento da ciência modernaO nascimento da ciência moderna
O nascimento da ciência moderna
 
Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica Artigo de Divulgação Científica
Artigo de Divulgação Científica
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
 
Blavatsky uma astrobiografia
Blavatsky uma astrobiografiaBlavatsky uma astrobiografia
Blavatsky uma astrobiografia
 
Astrologia - Palestra
Astrologia - PalestraAstrologia - Palestra
Astrologia - Palestra
 
A astrologia palestra
A astrologia   palestraA astrologia   palestra
A astrologia palestra
 
Filosofia cap. xii a ciencia antiga na +ëpoca imperial
Filosofia cap. xii   a ciencia antiga na +ëpoca imperialFilosofia cap. xii   a ciencia antiga na +ëpoca imperial
Filosofia cap. xii a ciencia antiga na +ëpoca imperial
 
A astrologia nas grandes civilizações
A astrologia nas grandes civilizaçõesA astrologia nas grandes civilizações
A astrologia nas grandes civilizações
 
Material OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoioMaterial OBA Pt.1 - Material de apoio
Material OBA Pt.1 - Material de apoio
 
Novas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimentoNovas dimensões do conhecimento
Novas dimensões do conhecimento
 
A Ciência Através dos Tempos
A Ciência Através dos TemposA Ciência Através dos Tempos
A Ciência Através dos Tempos
 
O Velho Modelo De Mundo
O Velho Modelo De MundoO Velho Modelo De Mundo
O Velho Modelo De Mundo
 
A atlântida e o reino gigantes
A atlântida e o reino gigantesA atlântida e o reino gigantes
A atlântida e o reino gigantes
 
Astronomia
AstronomiaAstronomia
Astronomia
 
Slides física cemtl 2013
Slides física cemtl 2013Slides física cemtl 2013
Slides física cemtl 2013
 
Astrologia e astronomia
Astrologia e astronomiaAstrologia e astronomia
Astrologia e astronomia
 
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva históricaO lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
O lugar da humanidade no Universo - uma perspectiva histórica
 
Evolucaodo conhecimento
Evolucaodo conhecimentoEvolucaodo conhecimento
Evolucaodo conhecimento
 

Destaque

Cap 12 As Origens da Ciência Moderna
Cap 12   As Origens da Ciência ModernaCap 12   As Origens da Ciência Moderna
Cap 12 As Origens da Ciência Moderna
José Ferreira Júnior
 
Abordagem Histórica
Abordagem HistóricaAbordagem Histórica
Abordagem Histórica
Evandro Furlan Franciscatto
 
A física intuitiva
A física intuitivaA física intuitiva
A física intuitiva
Renato P. dos Santos
 
O estudo do movimento na Idade Média
O estudo do movimento na Idade MédiaO estudo do movimento na Idade Média
O estudo do movimento na Idade Média
Erandi Lima
 
1 ano
1 ano1 ano
Capítulo 3
Capítulo 3Capítulo 3
Capítulo 3
Leonardo Marques
 
Omovimento
OmovimentoOmovimento
Omovimento
Pelo Siro
 
História da ciência
História da ciênciaHistória da ciência
História da ciência
professoraivanilda
 
Galileu
GalileuGalileu
Galileu
Erandi Lima
 
Escola Aristotélica
Escola AristotélicaEscola Aristotélica
Escola Aristotélica
Rafael Azevedo Silva
 
Cronologia Da FíSica
Cronologia Da FíSicaCronologia Da FíSica
Cronologia Da FíSica
andre luis alcantara
 
Cosmologia do século XX: Aspectos históricos
Cosmologia do século XX: Aspectos históricosCosmologia do século XX: Aspectos históricos
Cosmologia do século XX: Aspectos históricos
Lucas Guimaraes
 
Seminario Bauman Final
Seminario Bauman FinalSeminario Bauman Final
Seminario Bauman Final
Clovis Castelo Junior , MSc
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
Weicker Gutierrez
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Marcelo Tiago Moreno
 
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
A Bíblia e a Ciência Moderna
A Bíblia e a Ciência ModernaA Bíblia e a Ciência Moderna
A Bíblia e a Ciência Moderna
Mateus Silva
 
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
3 filosofia moderna e iluminista   filosofia3 filosofia moderna e iluminista   filosofia
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
Daniele Rubim
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
William Ananias
 
Escolástica
EscolásticaEscolástica
Escolástica
Gabriel de Campos
 

Destaque (20)

Cap 12 As Origens da Ciência Moderna
Cap 12   As Origens da Ciência ModernaCap 12   As Origens da Ciência Moderna
Cap 12 As Origens da Ciência Moderna
 
Abordagem Histórica
Abordagem HistóricaAbordagem Histórica
Abordagem Histórica
 
A física intuitiva
A física intuitivaA física intuitiva
A física intuitiva
 
O estudo do movimento na Idade Média
O estudo do movimento na Idade MédiaO estudo do movimento na Idade Média
O estudo do movimento na Idade Média
 
1 ano
1 ano1 ano
1 ano
 
Capítulo 3
Capítulo 3Capítulo 3
Capítulo 3
 
Omovimento
OmovimentoOmovimento
Omovimento
 
História da ciência
História da ciênciaHistória da ciência
História da ciência
 
Galileu
GalileuGalileu
Galileu
 
Escola Aristotélica
Escola AristotélicaEscola Aristotélica
Escola Aristotélica
 
Cronologia Da FíSica
Cronologia Da FíSicaCronologia Da FíSica
Cronologia Da FíSica
 
Cosmologia do século XX: Aspectos históricos
Cosmologia do século XX: Aspectos históricosCosmologia do século XX: Aspectos históricos
Cosmologia do século XX: Aspectos históricos
 
Seminario Bauman Final
Seminario Bauman FinalSeminario Bauman Final
Seminario Bauman Final
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles1   o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
1 o nascimento da filosofia - dos pré-socráticos à aristóteles
 
A Bíblia e a Ciência Moderna
A Bíblia e a Ciência ModernaA Bíblia e a Ciência Moderna
A Bíblia e a Ciência Moderna
 
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
3 filosofia moderna e iluminista   filosofia3 filosofia moderna e iluminista   filosofia
3 filosofia moderna e iluminista filosofia
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 
Escolástica
EscolásticaEscolástica
Escolástica
 

Semelhante a Método nas Ciências - Linda Tavares

Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
Carla Teixeira
 
3ªaula
3ªaula3ªaula
3ªaula
3ªaula3ªaula
3ªaula
3ªaula3ªaula
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
CarlosdanielDacostad
 
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Anonymous4OgzTeI
 
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
Antonio Claudio Lage Buffara
 
1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt
BiancaFreitas81
 
1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt
francaraujo2
 
Física 1º ano parte 1
Física 1º ano   parte 1Física 1º ano   parte 1
Física 1º ano parte 1
Fabiana Gonçalves
 
UM SENTIDO PARA A VIDA
UM SENTIDO PARA A VIDAUM SENTIDO PARA A VIDA
UM SENTIDO PARA A VIDA
Ana Claudia Fernandes
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
cattonia
 
O modelo de cosmo
O modelo de cosmoO modelo de cosmo
O modelo de cosmo
dudulopescrd
 
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
Carlos Ribeiro
 
Vozes do cosmo marcelo barros
Vozes do cosmo   marcelo barrosVozes do cosmo   marcelo barros
Vozes do cosmo marcelo barros
gilbraz
 
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento OcidentalParadigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Alan
 
Teoria de Galileu Galilei
Teoria de Galileu GalileiTeoria de Galileu Galilei
Teoria de Galileu Galilei
momengtonoticia
 
Foco aula1-maria carolina
Foco  aula1-maria carolinaFoco  aula1-maria carolina
Foco aula1-maria carolina
Cristiane Tavolaro
 
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geralAg 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
Carlos Alberto Freire De Souza
 

Semelhante a Método nas Ciências - Linda Tavares (20)

Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
 
3ªaula
3ªaula3ªaula
3ªaula
 
3ªaula
3ªaula3ªaula
3ªaula
 
3ªaula
3ªaula3ªaula
3ªaula
 
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
 
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...Seminário -  Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
Seminário - Possíveis explorações da história da ciência nas aulas de física...
 
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
CLAUDIO BUFFARA - COMO A GEOMETRIA GREGA PROVOU A ESFERICIDADE DA TERRA?
 
1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt
 
1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt1. O que é ciência.ppt
1. O que é ciência.ppt
 
Física 1º ano parte 1
Física 1º ano   parte 1Física 1º ano   parte 1
Física 1º ano parte 1
 
UM SENTIDO PARA A VIDA
UM SENTIDO PARA A VIDAUM SENTIDO PARA A VIDA
UM SENTIDO PARA A VIDA
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
 
O modelo de cosmo
O modelo de cosmoO modelo de cosmo
O modelo de cosmo
 
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
 
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
A prática científica e a religião durante o Empirismo e o Iluminismo.
 
Vozes do cosmo marcelo barros
Vozes do cosmo   marcelo barrosVozes do cosmo   marcelo barros
Vozes do cosmo marcelo barros
 
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento OcidentalParadigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento Ocidental
 
Teoria de Galileu Galilei
Teoria de Galileu GalileiTeoria de Galileu Galilei
Teoria de Galileu Galilei
 
Foco aula1-maria carolina
Foco  aula1-maria carolinaFoco  aula1-maria carolina
Foco aula1-maria carolina
 
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geralAg 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
Ag 110223-papel da ciência-antigos e modernos sistema-uranografia geral
 

Método nas Ciências - Linda Tavares

  • 1. O NASCIMENTO DA CIÊNCIA MODERNA Texto de Leda Miranda Huhne UNIFOR - PPGA Linda Tavares - Fev / 2013
  • 2. Sumário 1. A cosmologia Aristotélica 2. O Renascimento 3. Galileu Galilei 4. O nascimento da ciência moderna Linda Tavares - Fev / 2013
  • 3. A Cosmologia Aristotélica Os postulados iniciais de Aristóteles são: i 1- A Terra é imóvel, no centro do Universo; ii 2- O Universo é esférico, finito e com uma estrutura supremamente ordenada. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 4. A Cosmologia Aristotélica A estes dois postulados, Aristóteles acrescenta proposições complementares: a) Há cinco elementos: éter, terra, água, fogo e ar; b) O éter, elemento perfeito, compõe o mundo supralunar, no qual reina a perfeição; c) Os outros elementos, imperfeitos e alteráveis, compõem o mundo sublunar; d) Cada um dos elementos possui seu lugar natural: _ para o éter: os céus; _ para a terra e a água: o centro do Universo; _ para o ar e o fogo: a região entre a Terra e o limite superior do mundo sublunar. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 5. A Cosmologia Aristotélica e) Existem somente três movimentos naturais: _ o movimento circular uniforme, para os corpos celestes; _ o movimento retilíneo em direção ao centro, para os corpos graves; _ o movimento retilíneo afastando-se do centro, para os corpos leves i f) Todo corpo sublunar que não estiver em seu lugar natural tem tendência a voltar para ele pelo movimento natural que lhe é próprio. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 6. A Cosmologia Aristotélica A teoria de Aristóteles não é, portanto, abstrata como as teorias matemáticas da época. Os corpos não são despidos de seu sentido empírico para se formular um “tipo ideal”, ao contrario, são considerados em sua natureza real. A chama sobe, a terra desce, o Sol gira em torno da Terra. Os fatos são tão óbvios que tornam ridículas qualquer experiência que os comprove. Isto explica como essa obra-prima da dialética sobreviveu por mais de dois mil anos. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 7. A Cosmologia Aristotélica Pierre Lucie diz: “ Daí decorre que a demonstração racional torna-se impossível. Aristóteles não demonstra, argumenta.Não tenta provar , tenta convencer.A Física e a cosmologia aristotélica são obras de dialética.É , pois, por todas essas razões que Aristóteles nunca recorre a experiência. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 8. CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO Nascimento da sociedade A burguesia mercantil pós –feudal , com se afirma e começa o desenvolvimento da processo de liberdade , navegação, comércio, o sem aos laços da começo do capitalismo. servidão . Linda Tavares - Fev / 2013
  • 9. CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO O processo de Formação de Estados Nacionais com a política nas mãos dos reis, aliança do rei com a burguesia. -A necessidade de formação de uma burocracia, exercito e justiça nacional/unificado. -Desenvolvimento do comercio e a necessidade de unificação monetária, do sistema de pesos/medidas e de impostos e línguas. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 10. CONTEXTO HISTÓRICO – O RENASCIMENTO O humanismo renascentista abalou A Idade Média foi a era do as estruturas da Igreja Católica teocentrismo, quando a vida Apostólica Romana. Muitos girava em torno da religião, e intelectuais passaram a criticar esse teocentrismo foi mudado na abertamente as doutrinas católicas. Renascença, que deu lugar para Mesmo entre os religiosos surgiram o humanismo e o pessoas que contestavam o poder antropocentrismo, excessivo que a Igreja desempenhava na sociedade. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 11. Dentro de um contexto com tantas e extraordinárias transformações, se modificou também o plano da racionalidade , o plano do conhecimento... Linda Tavares - Fev / 2013
  • 12. O grande acontecimento do renascimento: O surgimento da ciência moderna e o personagem que mais representa essa marco é Galileu Galilei. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 13. Galileu Galilei O 1º a formular o método Experimental Linda Tavares - Fev / 2013
  • 14. • O conhecimento não se utilizava de instrumentos para seus estudos. • Galileu cria a luneta para fazer observações celestes. • Galileu descobre que a superfície da lua é áspera ,a Via Láctea e as nebulosas. • Galileu declara que tão incrível quanto descobrir as maravilhas celestes é ter um instrumento cientifico. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 15. “ não só a astronomia, como também a ciência como tal, entraram numa nova fase de desenvolvimento, a fase que poderíamos chamar de instrumental.” Koyré, pag 92 Linda Tavares - Fev / 2013
  • 16. Os 4 momentos do método de Galileu: • A observação imediata do fenômeno na sua complexidade; •Resolução dessa complexidade nos elementos simples traduzíveis em relações quantitativas, ou em linguagem matemática; •Formulação de uma hipótese explicativa ( momento teórico); •Verificação da hipótese como cálculo e o experimento – experimentação. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 17. A dissolução dos Cosmos : A nova ciência irá recusar a concepção herdada dos gregos de que o universo forma um conjunto esférico, fechado sobre si mesmo, internamente contido na esfera dos céus, a Terra imóvel em seu centro. Um universo ordenado e hierarquizado segundo graus de perfeição: O perfeito (o mundo dos céus, o mundo supra-lunar) e O imperfeito (o mundo da Terra, o mundo sub-lunar). Mundos irremediavelmente separados por serem realidades distintas e opostas: suas regras de organização se oporiam tão radicalmente como o que é perfeito, incorruptível e imutável se opõe ao que é imperfeito, corruptível e mutável. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 18. De um mundo de estrutura finito, hierarquicamente ordenado de um mundo qualitativamente diferenciado para um Universo aberto, indefinido e mesmo infinito , unificado pelas mesmas leis universais. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 19. “ Ao apontar sua luneta para o alto, Galileu faz com que este mundo venha abaixo. Com as descobertas de Galileu, o homem perde o seu lugar no Universo, perde a certeza dos céus depois da morte, perde a certeza de sua medicina.Perde a segurança de seu mundo ordenado, hierarquizado, onde cada coisa ocupava o seu lugar próprio, segundo sua natureza.” Huhne, pag 128 Linda Tavares - Fev / 2013
  • 20. “A ciência moderna impôs a dissociação, o divórcio entre duas instâncias independentes e por vezes rivais. A realidade estudada pelo sábio não se dá conta de nossa preferência: ela é indiferente ao bem e ao mal...” Gusdorf Gusdorf afirma que a ciência não é inocente e estamos sofrendo o perigo de sua intervenção, pois não se trata de um “saber imaculado, mas de um meio de poder”. Linda Tavares - Fev / 2013
  • 21. Bibliografia 1. GALILEO´S BATTLE FOR THE HEAVENS. Direção: Peter Jones. Interpretes: Simon Callow,John Fraser,Cornelius Garret, Liev Schreiber. Roteiro : Dava Sobel. Música : Mark Adler. NOVA , 2002. Free Flash Video Player ( FLV and H.264 /MPEG-4) 2. GUSDORF, G. Galileu e o Advento da Ciência Moderna. Século XVIII, in: Agonia da Nossa Civilização, PP. Convívio, 1976. 3. KOYRÉ. A. A Contribuição Científica da Renascença in: texto de uma comunicação feita à XV Semana de Síntese ( 1º de junho de 1948) e publicada no vol. Da Quinzième Semanaine de Synthèse: Laa synthèse, idèe force de l´êvolution de la pensèc ( Paris, A. Michel, 1951) 4. LUCIE, P.A. A Gênese do Método Cientifico.RJ: Campus, 1978. 5. SIMON, Maria Célia. Galileu Galilei. In: HÜHNE, Leda Miranda (Org.). Metodologia Científica – Caderno de Textos e Técnicas. 4ª ed. Rio de Janeiro: Agir, 1990. 6. SIMON, Maria Célia. Uma síntese da Cosmologia Aristotélica. In: HÜHNE, Leda Miranda (Org.). Metodologia Científica – Caderno de Textos e Técnicas. 4ª ed. Rio de Janeiro: Agir, 1990. Linda Tavares - Fev / 2013