SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
• Fundada em 29 de junho de 1995 no município de Leme – São Paulo
• Registrada às fls 49/50 do Livro A, sob o número de ordem 117, no Primeiro Cartório de Registro de Imóveis, Títulos
e Documentos - Leme – São Paulo.
• Razão Social: 1º Denominação: Associação de Mulheres Aliança Feminina de Leme (1995 – 2004).
2° Denominação: Associação Aliança Feminina (2004 – 2017).
Atualmente: Associação Aliança de Saúde e Cidadania
• CNPJ n 00.762.817/0001-05
• Inscrição municipal nº 11.718. (Leme – São Paulo)
• Inscrição estadual nº 149.473.863.111 (São Paulo – São Paulo)
• Declarada de Utilidade Pública Municipal, Lei nº 2.187 de 22/11/1995.
• Declarada de Utilidade Pública Estadual Lei 10.463 de 1/1/99,
• Declarada de Utilidade Pública Federal Portaria 1090 de17/06/05- DOU 20/06/05
• Registrada no Conselho Municipal de Assistência Social sob nº 11/98 –(LEME)
• Registrado no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Leme - COMUCRA, nº 06/99.
• Registro no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS conforme resolução n° 199, publicado no Diário Oficial
da União em 12/8/99,
• Registro no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo n° 24.707.
• Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social – CEAS – DOU 13/04/2006
Dados Institucionais
Quem somos
A Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC é uma organização privada sem fins econômicos de finalidade pública.
Desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e pesquisa. A instituição desenvolve ações de forma
integrada e intersetorial na prevenção de doenças e promoção de saúde, objetivando levar um atendimento humanizado,
técnico e de qualidade, garantindo a defesa e garantias de direitos básicos da população em situações de vulnerabilidade e
risco social.
A Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC desenvolve e executa programas, cursos e projetos, com o escopo de
incorporação dos excluídos à uma saúde de qualidade, ao mercado de trabalho, e principalmente, resgatando a dignidade da
pessoa humana. Com isso, a sociedade recebe um cidadão mais preparado e consciente de seus deveres e direitos, pois
acreditamos que este, após ser “acolhido”, de forma tão ampla e transformadora, se torna um agente transformador e
multiplicador no meio onde vive, colaborando assim, para um crescimento e melhoria da sociedade como um todo, por meio
de uma abordagem empreendedora e sustentável aos reais problemas sociais.
A organização surgiu em meados nos anos 90, durante o início de
toda uma revolução social e implantação, de fato, do Terceiro Setor
no Brasil. Por meio, de um grupo de mulheres, engajadas em
serem agentes transformadoras, lideradas por um sonho de uma
mulher muito à frente do seu tempo, forte e determinada a
disseminar, o exercício permanente da fraternidade e voluntariado,
através da medicina social e de família, prestando atendimento
digno, equânime e integral aos segmentos mais vulneráveis da
população feminina..
E esse sonho começou a criar formas na cidade de
Leme – SP, com a fundação em 29/07/1995 da
Associação de Mulheres Aliança Feminina de
Leme.
Um sonho que se tornou um projeto de inclusão
social e resgate da cidadania e saúde.
Como surgimos
Dra. Edith Selma Pereira Guerra, médica – ginecologista /obstetra, formada pela Faculdade de
Medicina de Jundiaí, especializada em Saúde da Mulher e Ginecologia Endócrina pela Escola Paulista
de Medicina, IBCC, especializada em Saúde da Família pelo INSTITUTO EL CUBA (Havana, Cuba),
fundadora e presidente da Associação. Nasceu em Indiana, interior de São Paulo, de família pobre,
sem pai, caçula de 08 irmãos, viveu sua infância em um Lar para crianças desamparadas. Conheceu
sua família na pré-adolescência. Casou-se aos 15 anos, aos 19 anos já estava sozinha com 2 filhos,
obteve o apoio sempre presente da mãe, Sra. Anizia (in memorian), que com ela trabalhava na lavoura
de dia e estudava no supletivo a noite.
Sempre temente a Deus e com amor, apoio e parceria de seus três filhos, Gláucia, Kleber e Gabriel,
seus amigos/irmãos Djalma, Dione e filhos, Kamilla e Djalma Neto, fez da instituição sua missão de
vida.
Idealizadora
" Tenho muito que agradecer a Deus, aos Amigos e a Sociedade que me permitiram realizar o sonho de ser
médica, mesmo com todas as dificuldades encontradas pelo caminho".
Missão
Oferecer Excelência na gestão e
desenvolvimento de ações integradas de
saúde, integração social, cidadania, ensino e
pesquisa na geração e disseminação de
qualidade de vida e desenvolvimento humano.
De forma sustentável, com responsabilidade
social, voluntariado e parcerias, de maneira
decisiva e qualificada às necessidades da
população garantindo a integralização dos
Sistemas de Saúde e consequente melhoria na
qualidade de vida.
Identidade Organizacional
Visão
Ser referência na gestão e desenvolvimento de
ações integradas de saúde, com a
disseminação de boas práticas, conhecimento
e capacitação de forma sustentável,
empreendedora, inovadora e tecnológica.
Promovendo constante melhoria na promoção
de saúde e prevenção doenças, bem como, ser
reconhecida nacional e internacionalmente
pelo comprometimento com a saúde da
mulher, dignidade da pessoa humana e
responsabilidade social.
Valores
Justiça, Autonomia, Excelência,
Conhecimento, Boas Práticas,
Cooperação, Humanismo,
Solidariedade, Fraternidade,
Sustentabilidade,
Responsabilidade Social.
• Promoção de saúde e prevenção de doenças;
• Capacitação dos agentes envolvidos, por meio, de cursos e
palestras;
• Disseminação do voluntariado;
• Valorização da dignidade da pessoa Humana;
• Captação de recursos, de forma autossustentável, como
prestação de bens, serviços e produtos;
• Captação e mobilização de recursos públicos e privados;
• Busca da melhoria de qualidade na gestão e atendimento dos
critérios de excelência: liderança, estratégias, foco no
colaboradores, informação e análise, gestão de pessoas, gestão
de processos e resultado da organização;
• Exercer a política de humanização do atendimento;
• Otimizar o uso da capacidade instalada;
• Otimizar a utilização dos recursos disponíveis;
•Valorizar os colaboradores envolvidos no processo,
fortalecendo sua motivação, o autodesenvolvimento e o
crescimento profissional, incentivando-os para a mudança das
práticas e melhorias dos serviços de saúde ofertados a
população;
• Promover a excelência em atendimento visando à satisfação
dos stakeholders;
• Aprimorar a qualidade do serviço prestado;
• Melhorias constantes nas condições de trabalho;
•Adequar os serviços ao ambiente, respeitando a privacidade e
promovendo a ambiência acolhedora;
• Resgatar os fundamentos básicos que norteiam as práticas de
saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), reconhecendo os
gestores, colaboradores e usuários como sujeitos ativos das
ações de saúde;
• Possibilitar a readequação e o aperfeiçoamento profissional
dos recursos humanos existentes e a disponibilização de
profissionais para suprir os déficits existentes;
• Formar e capacitar os recursos humanos envolvidos, bem
como disponibilizar novos profissionais sempre que se fizer
necessário;
• Oferecer a melhor alternativa assistencial disponível para as
demandas dos usuários, considerando a disponibilidade
assistencial do momento;
•Aperfeiçoar os recursos tecnológicos existentes e implantar
significativas melhorias na área;
• Implantar um sistema efetivo de metas e indicadores.
Preceitos Organizacional
• Conselho de Segurança Publica –CONSEG/Jardim São Luis – Destaque do Ano na área da saúde –social
• Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – Relevantes serviços prestados a comunidade
• Conselho de Segurança Publica –CONSEG/Jardim São Luis – Destaque do Ano na área da saúde –social
• Secretaria de Estado dos Negócios de Segurança Pública –Policia Militar S.P- Desafios da Mulher Moderna
• Grande Reconhecimento Maçônico Paulista – Pelo testemunho de desempenho, vocação pela liberdade, realizações
pela Pátria, enobrecimento da Humanidade
• Centro de Tradições de Santo Amaro- CETRASA- Destaque do ano na área da saúde e participação comunitária
• XII Edição Troféu Mulheres em &ol Maior - Destaque do ano na área da saúde e participação comunitária
• Associação Comercial de São Paulo – Distrital Santo Amaro- Destaque do ano na área da saúde e participação
comunitária e instituição empreendedora
• Sub-prefeitura de Santo Amaro – Prêmio Competência 2006
• Prefeitura de São Paulo – CEU Campo Limpo- Prêmio Mulher Ação 2006 “10 MULHERES QUE SÃO 10”
• Secretaria de Estado dos Negócios de Segurança Pública –Policia Militar São Paulo – Comando de Policiamento da
Capital – Dia Internacional Da Mulher
• Câmara Municipal De São Paulo – Título de Cidadã Paulistana
Prêmios & Reconhecimentos
Jornal Estado de S.P
Jornal Diário de S.P
Jornal da Tarde
Aliança na Mídia
Jornal Folha de S.P
Este escopo do projeto evidencia o caminho a ser adotado para a consolidação de ações de atenção à
saúde, retratando um conjunto de informações da Instituição, referentes à sua organização, processos e
resultados, destacando ainda os princípios relevantes das ações éticas e de responsabilidade social
Escopo do Projeto
OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS)
Durante a Conferência das ções Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio + 20, acordou-se, no documento final da
Conferência, que um conjunto de metas seria desenvolvido com vistas à promoção do desenvolvimento sustentável, com base
nos avanços dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – cuja data limite para serem alcançados foi o final do ano
de 2015. O documento afirma que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) deveriam ter embasamento científico
para a criação de metas e para a utilização de indicadores que aferem corretamente seu progresso. O texto determinou ainda
a criação dos processos que estabeleceram estes objetivos.
Focos de Atuação
A capacidade de imaginar e buscar a concretização de um futuro melhor, através do planejamento das
ações e os passos necessários com gestão especializada, baseado no somatório dos esforços de todos,
resume no processo de inovação junto à sociedade.
Torna-se importante destacar os períodos de evolução e concretização de ações em prol do processo
gradativo de construção de liderança e conhecimento do cenário da saúde publica.
Liderança Organizacional
Em relação ao processo de reestruturação dos aparelhos de saúde do município devem ser avaliadas as
diretrizes que representam a essência da instituição (missão, visão e valores), bem como o escopo de
planejamento estratégico, manual de organização, orçamento e programa financeiro. Estes documentos
devem divulgados para todos os colaboradores do hospital, estando disponíveis para consulta, através do
sistema de gestão de qualidade. O organograma, mapa estratégico e as diretrizes essenciais da instituição
também devem divulgados a todos os colaboradores, estando fixados em locais estratégicos.
Liderança Organizacional
Acreditamos que a estruturação e condução da entidade são primordiais para assegurar a sustentabilidade, por meio de
uma gestão transparente e agregadora de valor, correlacionada com seus princípios de ética e responsabilidade
corporativa. A Gestão tem um papel fundamental na organização de processos para que os profissionais das equipes
compreendam os recursos necessários para garantir a qualidade de atenção à saúde, em prol do nosso paciente.
Liderança Organizacional
O planejamento estratégico pensa a instituição como um todo em sua relação com o ambiente onde está inserida, numa
perspectiva de futuro; é ver o todo e atrelar a ele as partes. Para elaboração do planejamento estratégico é utilizado o
framework OKR que foca a gestão de resultados norteando as ações com clareza e garantir o alinhamento estratégico, o
que propicia interligar os objetivos que a instituição precisa alcançar e “ser reconhecido como referência na prestação de
serviços assistenciais e de saúde pública. Os objetivos estão estruturados em diversas perspectivas: institucional,
financeira, social, processos internos, aprendizagem e crescimento.
Planejamento Estratégico
NÚCLEO DE REFERÊNCIA A SAÚDE DA
MULHER – Hospital Aliança Feminina “Dra
Edith S. P. Guerra”
1.Programas de Prevenção de
doenças e Promoção de saúde:
1.1 “Primeira Infância” – meninas
de 0 a 09 anos;
1.2 “Ajudando Adolescer” –
meninas de 10 a 19 anos;
1.3 “Mulher, Diga NÃO ao
Câncer” – mulheres de 20 a 44
anos;
1.4 “Anos Dourados” – mulheres
acima de 44 anos:
1.4.1“Coração Valente”;
1.5 “Planejando sua Família”.
2.Programa Melhor Acolhimento
2.1 Aliança de Diagnóstico – “Doutor Djalma Ferreira da Silva Jr”;
2.2 Aliança Feminina de Medicina Reparadora – “Dra. Dione
Nehme Ammon”.
3.Programa de Ensino e Conhecimento
3.1Centro de Estudos e Pesquisas “Professor Doutor Nelson
Lourenço de Maia”.
Nossa Causa
Nossa Causa
Amor Desigualdade Solidariedade Histórias
3.Aliança de empreendedorismo e cooperativismo feminino – “Saber para
empreender”
4.Troféu “Aliança”;
5.Selo “Aliança Feminina Empreendedora”;
6.Cursos de capacitação;
7.Seminários, Encontros e Palestras
1.Aliança de Investimento – “Aqui
solidariedade tem Nome”
1.1Parcerias com empresas privadas
de responsabilidade social;
1.2Patrocínios de pessoa física ou
jurídica;
1.3Doações
2.Aliança de Captação de Recursos:
2.1Gestão de Equipamentos de
Saúde Pública;
2.2Importação e venda de produtos
NÚCLEO DE SUSTABILIDADE INSTITUCIONAL
NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL
1.Aliança a Mulher vitimada – “Maria pede Socorro” – Aquela
que se transformou, transformando seu mundo.
2.Aliança de Voluntariado – Senhora “Darci Deida Ferreira da
Silva” – Matemática do Amor
Foco no Cliente
O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) deverá se criado na última etapa com o objetivo de mensurar a qualidade dos
serviços prestados através de pesquisas de satisfação dos usuários e atendimento no próprio setor. Dentre as funções
que o setor realiza estão: Direcionar um desenvolvimento mais claro das ações de atendimento à administração;
Assegurar ao paciente a sua atuação no processo de melhoria dos serviços oferecidos; Mensurar e divulgar indicadores
de atendimento dos instrumentos de qualidade para que a satisfação do paciente seja sempre constante e contribuir
através das pesquisas de satisfação com a excelência dos serviços prestados.
A instituição é voltada para o bem estar do paciente, através da adoção de práticas inovadoras para a garantia da
segurança assistencial, atendimento humanizado, profissionalismo e ética. Essa política possibilita o Acompanhamento
completo do paciente, e integração entre as equipes multidisciplinares na busca do acolhimento e cuidados necessários
desde a internação até a alta hospitalar, visando assegurar o bem estar e/ou a continuidade do tratamento.
Foco no Paciente
Os avanços tecnológicos, as novas práticas de atendimento, o processo de hotelaria, a humanização, ética, da utilização e
otimização dos recursos técnicos, dentre outros, evidenciam fatores de crescimento e aplicabilidade das novas tendências
de crescimento sustentável.
Nos próximos anos, em consequência do processo de planejamento estratégico, será realizada uma análise global e,
então, definidos os processos que agregam valor à Instituição, com a elaboração de ações de impacto na melhoria da
gestão hospitalar e no controle de riscos inerentes aos processos assistenciais do sistema de atenção à saúde.
Gestão de Processos
Investimentos no serviço de Tecnologia da Informação são realizados para que os colabores contem com um serviço de
qualidade e segurança das informações. Com a implantação de Software de Gestão Hospitalar, os pacientes devem com
apenas um cadastro no banco de dados do hospital, com a integração dos módulos os Serviços de Ambulatório,
Diagnóstico, Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico e suprimentos podem localizá-lo de forma rápida agilizando assim os
processos de apoio à vida.
Tendo em vista a perspectiva de mapeamento de processos, fluxos, indicadores estratégicos, setoriais e de processos, são
implantadas ferramentas administrativa e técnica de suporte das atividades e ações realizadas com vista a tomada de
decisões, conforme as diretrizes da instituição.
Gestão de Processos
O setor de Gestão de Pessoas desenvolverá processos e políticas que valorizem o colaborador de maneira que ele possa
crescer profissionalmente com constância. Entendemos que o desenvolvimento pleno das competências de cada um
tornará a Instituição um lugar sempre melhor para se trabalhar. O conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes de
todos os colaboradores é o ferramental necessário para conseguirmos cumprir os objetivos corporativos e pessoais de
crescimento e melhoria contínua.
O que buscamos é a excelência em nossos serviços, baseada na busca do melhor perfil profissional através do
recrutamento e seleção, do treinamento e desenvolvimento constantes e em condições cada vez melhores no ambiente
de trabalho, sempre aliadas à preocupação com o bem estar dos colaboradores.
Gestão de Pessoas
Em relação ao processo de gerenciamento de cadeia logística junto aos fornecedores e prestadores de serviços,
estabeleceremos ações para garantir processos transparentes de concorrência e cumprimento de normas legais e fiscais.
A avaliação dos fornecedores da organização é preconizada segundo as normatizações gerais e específicas do setor
hospitalar.
Em torno desta sistemática ocorre a seleção de fornecedores de insumos com o auxílio de comissões especializadas de
acordo com as normas reguladoras : Comissão de Padronização de medicamentos e materiais, Comissão de Nutrição
Parenteral e Enteral, Comissão de Custos, Comissão de Farmácia Clínica e Comissão Nutricional. Assim, é verificado o
alinhamento dos fornecedores às políticas de gestão de qualidade e de responsabilidade social da Instituição através da
realização de testes e análise dos insumos.
Relacionamento com Fornecedores
A responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa
com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o
desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras,
respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais.
A Associação Aliança de Saúde e Cidadania acredita na responsabilidade social como forma de transparecer a ética nas
relações e na forma de conduzir o norte da filantropia. Somos corresponsáveis por transformar a sociedade na qual
fazermos parte, em um lugar melhor e mais digno.
Responsabilidade social
Dentro da perspectiva financeira atrelada ao planejamento estratégico, dispomos de dois objetivos estratégicos para a
garantia de execução do nosso projeto:
1) Garantir o cumprimento orçamentário adequado com o acompanhamento mensal da evolução da receita, despesa e
resultado, sendo importante destacar o gerenciamento de custos.
2) Assegurar o adequado fluxo financeiro com o acompanhamento mensal do tempo médio de recebimento, tempo
médio de pagamento aos fornecedores e prestadores de serviços e também em relação ao procedimento de
contingenciamento de despesas vinculado ao gerenciamento de risco do hospital.
Resultados Financeiros
Os pilares que sustentam a base de atuação da Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC se referem
a Saúde e a Responsabilidade Social, objetivando contribuir com o avanço do sistema de saúde, através da
proposição de novas práticas e tecnologias. A instituição mantém projetos estruturados com o ente público
na forma de parcerias, além de apoiar e cultivar ações de assistência à comunidade.
A manutenção e sustentabilidade se dá por meio de prestação de bens, serviços e produtos; parcerias com
empresas de responsabilidade social; sociedade civil organizada e ente público.
Dessa forma, alcança um o duplo propósito: oferecer bens e serviços de excelência ao mercado de forma
sustentável e ao mesmo tempo, fomentarmos o desenvolvimento social.
Serviços de Excelência, Boas Práticas, Saúde, Educação e Justiça Social são os preceitos básicos que somados
aos valores organizacionais, norteiam as ações e os colaboradores da organização.
Mediante o envolvimento e compartilhamento integrado de ações de todos os colaboradores, a instituição
busca praticar uma assistência segura, digna, equânime, respeitando e atendendo as necessidades de cada
um, com objetivo de levar um atendimento humanizado, técnico e de qualidade.
Manutenção e Sustentabilidade
Obrigado pela atenção
www.aalianca.org.br
facebook.com/associacaoaliancadesaudeecidadania/
contato@aalianca.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...Educação
 
Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)GlauciaAS
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialtommymarras
 
Revista Saúde Família nº 29
Revista Saúde Família nº 29Revista Saúde Família nº 29
Revista Saúde Família nº 29gikapp88
 
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSA
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSAMANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSA
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSAMauro Moraes
 
Caderno de educacao_popular_e_saude
Caderno de educacao_popular_e_saudeCaderno de educacao_popular_e_saude
Caderno de educacao_popular_e_saudeAline Morais Lisa
 
Minha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasMinha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasSmds Santa Cruz
 
A ação dos acs nos cuidados de saúde
A ação dos acs nos cuidados de saúdeA ação dos acs nos cuidados de saúde
A ação dos acs nos cuidados de saúdepriarod
 
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016Daniel Veras, PhD
 
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...Universidade Federal de Uberlândia
 
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO-
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO- TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO-
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO- Rosane Domingues
 
O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012Alinebrauna Brauna
 
A politica nacional da assistencia social
A politica nacional da assistencia socialA politica nacional da assistencia social
A politica nacional da assistencia socialRaymunda Sousa
 
Informe saúde outubro (1)
Informe saúde outubro (1)Informe saúde outubro (1)
Informe saúde outubro (1)neepssuerj
 
O trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeO trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeCamila Rodrigues
 

Mais procurados (19)

Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
Serviço Social - Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos-SCFV / s...
 
Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade social
 
Boletim pcri especial saude
Boletim pcri especial saudeBoletim pcri especial saude
Boletim pcri especial saude
 
Revista Saúde Família nº 29
Revista Saúde Família nº 29Revista Saúde Família nº 29
Revista Saúde Família nº 29
 
Manual cuidado populalcao_rua
Manual cuidado populalcao_ruaManual cuidado populalcao_rua
Manual cuidado populalcao_rua
 
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSA
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSAMANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSA
MANUAL DO CUIDADOR DA PESSOAS IDOSA
 
Caderno de educacao_popular_e_saude
Caderno de educacao_popular_e_saudeCaderno de educacao_popular_e_saude
Caderno de educacao_popular_e_saude
 
Minha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem DrogasMinha Santa Cruz sem Drogas
Minha Santa Cruz sem Drogas
 
A ação dos acs nos cuidados de saúde
A ação dos acs nos cuidados de saúdeA ação dos acs nos cuidados de saúde
A ação dos acs nos cuidados de saúde
 
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016
A_DINÂMICA_DA_POBREZA_EM_SANTO_ANDRÉ_2013_a_2016
 
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...
Seminário da matéria de Organização dos estudos acadêmicos- Agente comunitári...
 
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO-
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO- TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO-
TJ-SP 2017 - Matéria- CONCURSO ASSISTENTE SOCIAL JUDICIÁRIO-
 
Competencia dos acs
Competencia dos acsCompetencia dos acs
Competencia dos acs
 
O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012
 
A politica nacional da assistencia social
A politica nacional da assistencia socialA politica nacional da assistencia social
A politica nacional da assistencia social
 
Informe saúde outubro (1)
Informe saúde outubro (1)Informe saúde outubro (1)
Informe saúde outubro (1)
 
Curso de Qualificação - Agentes Comunitários de Saúde
Curso de Qualificação - Agentes Comunitários de SaúdeCurso de Qualificação - Agentes Comunitários de Saúde
Curso de Qualificação - Agentes Comunitários de Saúde
 
O trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúdeO trabalho do agente comunitário de saúde
O trabalho do agente comunitário de saúde
 

Semelhante a Apresentacao Associação Aliança de Saúde e Cidadania

Portfólio jarede viana
Portfólio jarede vianaPortfólio jarede viana
Portfólio jarede vianajaredeviana
 
Manual da boas practicas
Manual da boas practicasManual da boas practicas
Manual da boas practicasANAMSIGOT
 
Manual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaManual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaLetícia Spina Tapia
 
Manual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaManual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaLetícia Spina Tapia
 
Família: Participação Cidadã
Família: Participação CidadãFamília: Participação Cidadã
Família: Participação CidadãVocação
 
Relatório Anual 2012 - Associação Arte Despertar
Relatório Anual 2012 - Associação Arte DespertarRelatório Anual 2012 - Associação Arte Despertar
Relatório Anual 2012 - Associação Arte DespertarArte Despertar
 
Relatório de estágio 2014
Relatório de estágio 2014Relatório de estágio 2014
Relatório de estágio 2014O Paixao
 
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...FCVSA
 
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saude
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saudeQualidade na gestão local de serviços e ações de saude
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saudeJose Vilton
 
Experiências da Educação Popular na Formação Profissional
Experiências da Educação Popular na Formação ProfissionalExperiências da Educação Popular na Formação Profissional
Experiências da Educação Popular na Formação Profissional Edson Felix Dos Santos
 
A atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPSA atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPSIsabela Ferreira
 
Análise de conjuntura ivete
Análise de conjuntura iveteAnálise de conjuntura ivete
Análise de conjuntura iveteJoana D'Arc
 
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violência
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violênciaProtocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violência
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violênciaJuninho Spina
 
18 caderno de textos subsidios para o debate
18  caderno de textos subsidios para o debate18  caderno de textos subsidios para o debate
18 caderno de textos subsidios para o debateAlinebrauna Brauna
 

Semelhante a Apresentacao Associação Aliança de Saúde e Cidadania (20)

Artigo raquel sam2010
Artigo raquel sam2010Artigo raquel sam2010
Artigo raquel sam2010
 
Portfólio jarede viana
Portfólio jarede vianaPortfólio jarede viana
Portfólio jarede viana
 
Manual da boas practicas
Manual da boas practicasManual da boas practicas
Manual da boas practicas
 
Manual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaManual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosa
 
Manual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosaManual boas praticas para pessoa idosa
Manual boas praticas para pessoa idosa
 
Família: Participação Cidadã
Família: Participação CidadãFamília: Participação Cidadã
Família: Participação Cidadã
 
Relatório Anual 2012 - Associação Arte Despertar
Relatório Anual 2012 - Associação Arte DespertarRelatório Anual 2012 - Associação Arte Despertar
Relatório Anual 2012 - Associação Arte Despertar
 
Relatório de estágio 2014
Relatório de estágio 2014Relatório de estágio 2014
Relatório de estágio 2014
 
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
Associação projeto paz e união vislumbrando o exercício da cidadania em cidad...
 
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saude
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saudeQualidade na gestão local de serviços e ações de saude
Qualidade na gestão local de serviços e ações de saude
 
Renas Ser Ierp
Renas Ser IerpRenas Ser Ierp
Renas Ser Ierp
 
Experiências da Educação Popular na Formação Profissional
Experiências da Educação Popular na Formação ProfissionalExperiências da Educação Popular na Formação Profissional
Experiências da Educação Popular na Formação Profissional
 
A atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPSA atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPS
 
Análise de conjuntura ivete
Análise de conjuntura iveteAnálise de conjuntura ivete
Análise de conjuntura ivete
 
Ipiranga Com Estilo #58
Ipiranga Com Estilo #58Ipiranga Com Estilo #58
Ipiranga Com Estilo #58
 
Pcri ata premio
Pcri ata premioPcri ata premio
Pcri ata premio
 
Diretrizes do Programa de Governo Geraldo Alckmin 2008
Diretrizes do Programa de Governo Geraldo Alckmin 2008Diretrizes do Programa de Governo Geraldo Alckmin 2008
Diretrizes do Programa de Governo Geraldo Alckmin 2008
 
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violência
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violênciaProtocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violência
Protocolo de atenção integral a crianças e adolescentes vítimas de violência
 
18 caderno de textos subsidios para o debate
18  caderno de textos subsidios para o debate18  caderno de textos subsidios para o debate
18 caderno de textos subsidios para o debate
 
Redenção2009
Redenção2009Redenção2009
Redenção2009
 

Último

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 

Último (10)

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 

Apresentacao Associação Aliança de Saúde e Cidadania

  • 1.
  • 2. • Fundada em 29 de junho de 1995 no município de Leme – São Paulo • Registrada às fls 49/50 do Livro A, sob o número de ordem 117, no Primeiro Cartório de Registro de Imóveis, Títulos e Documentos - Leme – São Paulo. • Razão Social: 1º Denominação: Associação de Mulheres Aliança Feminina de Leme (1995 – 2004). 2° Denominação: Associação Aliança Feminina (2004 – 2017). Atualmente: Associação Aliança de Saúde e Cidadania • CNPJ n 00.762.817/0001-05 • Inscrição municipal nº 11.718. (Leme – São Paulo) • Inscrição estadual nº 149.473.863.111 (São Paulo – São Paulo) • Declarada de Utilidade Pública Municipal, Lei nº 2.187 de 22/11/1995. • Declarada de Utilidade Pública Estadual Lei 10.463 de 1/1/99, • Declarada de Utilidade Pública Federal Portaria 1090 de17/06/05- DOU 20/06/05 • Registrada no Conselho Municipal de Assistência Social sob nº 11/98 –(LEME) • Registrado no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Leme - COMUCRA, nº 06/99. • Registro no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS conforme resolução n° 199, publicado no Diário Oficial da União em 12/8/99, • Registro no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo n° 24.707. • Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social – CEAS – DOU 13/04/2006 Dados Institucionais
  • 3. Quem somos A Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC é uma organização privada sem fins econômicos de finalidade pública. Desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e pesquisa. A instituição desenvolve ações de forma integrada e intersetorial na prevenção de doenças e promoção de saúde, objetivando levar um atendimento humanizado, técnico e de qualidade, garantindo a defesa e garantias de direitos básicos da população em situações de vulnerabilidade e risco social. A Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC desenvolve e executa programas, cursos e projetos, com o escopo de incorporação dos excluídos à uma saúde de qualidade, ao mercado de trabalho, e principalmente, resgatando a dignidade da pessoa humana. Com isso, a sociedade recebe um cidadão mais preparado e consciente de seus deveres e direitos, pois acreditamos que este, após ser “acolhido”, de forma tão ampla e transformadora, se torna um agente transformador e multiplicador no meio onde vive, colaborando assim, para um crescimento e melhoria da sociedade como um todo, por meio de uma abordagem empreendedora e sustentável aos reais problemas sociais.
  • 4. A organização surgiu em meados nos anos 90, durante o início de toda uma revolução social e implantação, de fato, do Terceiro Setor no Brasil. Por meio, de um grupo de mulheres, engajadas em serem agentes transformadoras, lideradas por um sonho de uma mulher muito à frente do seu tempo, forte e determinada a disseminar, o exercício permanente da fraternidade e voluntariado, através da medicina social e de família, prestando atendimento digno, equânime e integral aos segmentos mais vulneráveis da população feminina.. E esse sonho começou a criar formas na cidade de Leme – SP, com a fundação em 29/07/1995 da Associação de Mulheres Aliança Feminina de Leme. Um sonho que se tornou um projeto de inclusão social e resgate da cidadania e saúde. Como surgimos
  • 5. Dra. Edith Selma Pereira Guerra, médica – ginecologista /obstetra, formada pela Faculdade de Medicina de Jundiaí, especializada em Saúde da Mulher e Ginecologia Endócrina pela Escola Paulista de Medicina, IBCC, especializada em Saúde da Família pelo INSTITUTO EL CUBA (Havana, Cuba), fundadora e presidente da Associação. Nasceu em Indiana, interior de São Paulo, de família pobre, sem pai, caçula de 08 irmãos, viveu sua infância em um Lar para crianças desamparadas. Conheceu sua família na pré-adolescência. Casou-se aos 15 anos, aos 19 anos já estava sozinha com 2 filhos, obteve o apoio sempre presente da mãe, Sra. Anizia (in memorian), que com ela trabalhava na lavoura de dia e estudava no supletivo a noite. Sempre temente a Deus e com amor, apoio e parceria de seus três filhos, Gláucia, Kleber e Gabriel, seus amigos/irmãos Djalma, Dione e filhos, Kamilla e Djalma Neto, fez da instituição sua missão de vida. Idealizadora " Tenho muito que agradecer a Deus, aos Amigos e a Sociedade que me permitiram realizar o sonho de ser médica, mesmo com todas as dificuldades encontradas pelo caminho".
  • 6. Missão Oferecer Excelência na gestão e desenvolvimento de ações integradas de saúde, integração social, cidadania, ensino e pesquisa na geração e disseminação de qualidade de vida e desenvolvimento humano. De forma sustentável, com responsabilidade social, voluntariado e parcerias, de maneira decisiva e qualificada às necessidades da população garantindo a integralização dos Sistemas de Saúde e consequente melhoria na qualidade de vida. Identidade Organizacional Visão Ser referência na gestão e desenvolvimento de ações integradas de saúde, com a disseminação de boas práticas, conhecimento e capacitação de forma sustentável, empreendedora, inovadora e tecnológica. Promovendo constante melhoria na promoção de saúde e prevenção doenças, bem como, ser reconhecida nacional e internacionalmente pelo comprometimento com a saúde da mulher, dignidade da pessoa humana e responsabilidade social. Valores Justiça, Autonomia, Excelência, Conhecimento, Boas Práticas, Cooperação, Humanismo, Solidariedade, Fraternidade, Sustentabilidade, Responsabilidade Social.
  • 7. • Promoção de saúde e prevenção de doenças; • Capacitação dos agentes envolvidos, por meio, de cursos e palestras; • Disseminação do voluntariado; • Valorização da dignidade da pessoa Humana; • Captação de recursos, de forma autossustentável, como prestação de bens, serviços e produtos; • Captação e mobilização de recursos públicos e privados; • Busca da melhoria de qualidade na gestão e atendimento dos critérios de excelência: liderança, estratégias, foco no colaboradores, informação e análise, gestão de pessoas, gestão de processos e resultado da organização; • Exercer a política de humanização do atendimento; • Otimizar o uso da capacidade instalada; • Otimizar a utilização dos recursos disponíveis; •Valorizar os colaboradores envolvidos no processo, fortalecendo sua motivação, o autodesenvolvimento e o crescimento profissional, incentivando-os para a mudança das práticas e melhorias dos serviços de saúde ofertados a população; • Promover a excelência em atendimento visando à satisfação dos stakeholders; • Aprimorar a qualidade do serviço prestado; • Melhorias constantes nas condições de trabalho; •Adequar os serviços ao ambiente, respeitando a privacidade e promovendo a ambiência acolhedora; • Resgatar os fundamentos básicos que norteiam as práticas de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), reconhecendo os gestores, colaboradores e usuários como sujeitos ativos das ações de saúde; • Possibilitar a readequação e o aperfeiçoamento profissional dos recursos humanos existentes e a disponibilização de profissionais para suprir os déficits existentes; • Formar e capacitar os recursos humanos envolvidos, bem como disponibilizar novos profissionais sempre que se fizer necessário; • Oferecer a melhor alternativa assistencial disponível para as demandas dos usuários, considerando a disponibilidade assistencial do momento; •Aperfeiçoar os recursos tecnológicos existentes e implantar significativas melhorias na área; • Implantar um sistema efetivo de metas e indicadores. Preceitos Organizacional
  • 8. • Conselho de Segurança Publica –CONSEG/Jardim São Luis – Destaque do Ano na área da saúde –social • Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – Relevantes serviços prestados a comunidade • Conselho de Segurança Publica –CONSEG/Jardim São Luis – Destaque do Ano na área da saúde –social • Secretaria de Estado dos Negócios de Segurança Pública –Policia Militar S.P- Desafios da Mulher Moderna • Grande Reconhecimento Maçônico Paulista – Pelo testemunho de desempenho, vocação pela liberdade, realizações pela Pátria, enobrecimento da Humanidade • Centro de Tradições de Santo Amaro- CETRASA- Destaque do ano na área da saúde e participação comunitária • XII Edição Troféu Mulheres em &ol Maior - Destaque do ano na área da saúde e participação comunitária • Associação Comercial de São Paulo – Distrital Santo Amaro- Destaque do ano na área da saúde e participação comunitária e instituição empreendedora • Sub-prefeitura de Santo Amaro – Prêmio Competência 2006 • Prefeitura de São Paulo – CEU Campo Limpo- Prêmio Mulher Ação 2006 “10 MULHERES QUE SÃO 10” • Secretaria de Estado dos Negócios de Segurança Pública –Policia Militar São Paulo – Comando de Policiamento da Capital – Dia Internacional Da Mulher • Câmara Municipal De São Paulo – Título de Cidadã Paulistana Prêmios & Reconhecimentos
  • 9. Jornal Estado de S.P Jornal Diário de S.P Jornal da Tarde Aliança na Mídia Jornal Folha de S.P
  • 10. Este escopo do projeto evidencia o caminho a ser adotado para a consolidação de ações de atenção à saúde, retratando um conjunto de informações da Instituição, referentes à sua organização, processos e resultados, destacando ainda os princípios relevantes das ações éticas e de responsabilidade social Escopo do Projeto
  • 11. OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (ODS) Durante a Conferência das ções Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio + 20, acordou-se, no documento final da Conferência, que um conjunto de metas seria desenvolvido com vistas à promoção do desenvolvimento sustentável, com base nos avanços dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – cuja data limite para serem alcançados foi o final do ano de 2015. O documento afirma que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) deveriam ter embasamento científico para a criação de metas e para a utilização de indicadores que aferem corretamente seu progresso. O texto determinou ainda a criação dos processos que estabeleceram estes objetivos.
  • 13. A capacidade de imaginar e buscar a concretização de um futuro melhor, através do planejamento das ações e os passos necessários com gestão especializada, baseado no somatório dos esforços de todos, resume no processo de inovação junto à sociedade. Torna-se importante destacar os períodos de evolução e concretização de ações em prol do processo gradativo de construção de liderança e conhecimento do cenário da saúde publica. Liderança Organizacional
  • 14. Em relação ao processo de reestruturação dos aparelhos de saúde do município devem ser avaliadas as diretrizes que representam a essência da instituição (missão, visão e valores), bem como o escopo de planejamento estratégico, manual de organização, orçamento e programa financeiro. Estes documentos devem divulgados para todos os colaboradores do hospital, estando disponíveis para consulta, através do sistema de gestão de qualidade. O organograma, mapa estratégico e as diretrizes essenciais da instituição também devem divulgados a todos os colaboradores, estando fixados em locais estratégicos. Liderança Organizacional
  • 15. Acreditamos que a estruturação e condução da entidade são primordiais para assegurar a sustentabilidade, por meio de uma gestão transparente e agregadora de valor, correlacionada com seus princípios de ética e responsabilidade corporativa. A Gestão tem um papel fundamental na organização de processos para que os profissionais das equipes compreendam os recursos necessários para garantir a qualidade de atenção à saúde, em prol do nosso paciente. Liderança Organizacional
  • 16. O planejamento estratégico pensa a instituição como um todo em sua relação com o ambiente onde está inserida, numa perspectiva de futuro; é ver o todo e atrelar a ele as partes. Para elaboração do planejamento estratégico é utilizado o framework OKR que foca a gestão de resultados norteando as ações com clareza e garantir o alinhamento estratégico, o que propicia interligar os objetivos que a instituição precisa alcançar e “ser reconhecido como referência na prestação de serviços assistenciais e de saúde pública. Os objetivos estão estruturados em diversas perspectivas: institucional, financeira, social, processos internos, aprendizagem e crescimento. Planejamento Estratégico
  • 17. NÚCLEO DE REFERÊNCIA A SAÚDE DA MULHER – Hospital Aliança Feminina “Dra Edith S. P. Guerra” 1.Programas de Prevenção de doenças e Promoção de saúde: 1.1 “Primeira Infância” – meninas de 0 a 09 anos; 1.2 “Ajudando Adolescer” – meninas de 10 a 19 anos; 1.3 “Mulher, Diga NÃO ao Câncer” – mulheres de 20 a 44 anos; 1.4 “Anos Dourados” – mulheres acima de 44 anos: 1.4.1“Coração Valente”; 1.5 “Planejando sua Família”. 2.Programa Melhor Acolhimento 2.1 Aliança de Diagnóstico – “Doutor Djalma Ferreira da Silva Jr”; 2.2 Aliança Feminina de Medicina Reparadora – “Dra. Dione Nehme Ammon”. 3.Programa de Ensino e Conhecimento 3.1Centro de Estudos e Pesquisas “Professor Doutor Nelson Lourenço de Maia”. Nossa Causa
  • 18. Nossa Causa Amor Desigualdade Solidariedade Histórias 3.Aliança de empreendedorismo e cooperativismo feminino – “Saber para empreender” 4.Troféu “Aliança”; 5.Selo “Aliança Feminina Empreendedora”; 6.Cursos de capacitação; 7.Seminários, Encontros e Palestras 1.Aliança de Investimento – “Aqui solidariedade tem Nome” 1.1Parcerias com empresas privadas de responsabilidade social; 1.2Patrocínios de pessoa física ou jurídica; 1.3Doações 2.Aliança de Captação de Recursos: 2.1Gestão de Equipamentos de Saúde Pública; 2.2Importação e venda de produtos NÚCLEO DE SUSTABILIDADE INSTITUCIONAL NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1.Aliança a Mulher vitimada – “Maria pede Socorro” – Aquela que se transformou, transformando seu mundo. 2.Aliança de Voluntariado – Senhora “Darci Deida Ferreira da Silva” – Matemática do Amor
  • 19. Foco no Cliente O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) deverá se criado na última etapa com o objetivo de mensurar a qualidade dos serviços prestados através de pesquisas de satisfação dos usuários e atendimento no próprio setor. Dentre as funções que o setor realiza estão: Direcionar um desenvolvimento mais claro das ações de atendimento à administração; Assegurar ao paciente a sua atuação no processo de melhoria dos serviços oferecidos; Mensurar e divulgar indicadores de atendimento dos instrumentos de qualidade para que a satisfação do paciente seja sempre constante e contribuir através das pesquisas de satisfação com a excelência dos serviços prestados.
  • 20. A instituição é voltada para o bem estar do paciente, através da adoção de práticas inovadoras para a garantia da segurança assistencial, atendimento humanizado, profissionalismo e ética. Essa política possibilita o Acompanhamento completo do paciente, e integração entre as equipes multidisciplinares na busca do acolhimento e cuidados necessários desde a internação até a alta hospitalar, visando assegurar o bem estar e/ou a continuidade do tratamento. Foco no Paciente
  • 21. Os avanços tecnológicos, as novas práticas de atendimento, o processo de hotelaria, a humanização, ética, da utilização e otimização dos recursos técnicos, dentre outros, evidenciam fatores de crescimento e aplicabilidade das novas tendências de crescimento sustentável. Nos próximos anos, em consequência do processo de planejamento estratégico, será realizada uma análise global e, então, definidos os processos que agregam valor à Instituição, com a elaboração de ações de impacto na melhoria da gestão hospitalar e no controle de riscos inerentes aos processos assistenciais do sistema de atenção à saúde. Gestão de Processos
  • 22. Investimentos no serviço de Tecnologia da Informação são realizados para que os colabores contem com um serviço de qualidade e segurança das informações. Com a implantação de Software de Gestão Hospitalar, os pacientes devem com apenas um cadastro no banco de dados do hospital, com a integração dos módulos os Serviços de Ambulatório, Diagnóstico, Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico e suprimentos podem localizá-lo de forma rápida agilizando assim os processos de apoio à vida. Tendo em vista a perspectiva de mapeamento de processos, fluxos, indicadores estratégicos, setoriais e de processos, são implantadas ferramentas administrativa e técnica de suporte das atividades e ações realizadas com vista a tomada de decisões, conforme as diretrizes da instituição. Gestão de Processos
  • 23. O setor de Gestão de Pessoas desenvolverá processos e políticas que valorizem o colaborador de maneira que ele possa crescer profissionalmente com constância. Entendemos que o desenvolvimento pleno das competências de cada um tornará a Instituição um lugar sempre melhor para se trabalhar. O conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes de todos os colaboradores é o ferramental necessário para conseguirmos cumprir os objetivos corporativos e pessoais de crescimento e melhoria contínua. O que buscamos é a excelência em nossos serviços, baseada na busca do melhor perfil profissional através do recrutamento e seleção, do treinamento e desenvolvimento constantes e em condições cada vez melhores no ambiente de trabalho, sempre aliadas à preocupação com o bem estar dos colaboradores. Gestão de Pessoas
  • 24. Em relação ao processo de gerenciamento de cadeia logística junto aos fornecedores e prestadores de serviços, estabeleceremos ações para garantir processos transparentes de concorrência e cumprimento de normas legais e fiscais. A avaliação dos fornecedores da organização é preconizada segundo as normatizações gerais e específicas do setor hospitalar. Em torno desta sistemática ocorre a seleção de fornecedores de insumos com o auxílio de comissões especializadas de acordo com as normas reguladoras : Comissão de Padronização de medicamentos e materiais, Comissão de Nutrição Parenteral e Enteral, Comissão de Custos, Comissão de Farmácia Clínica e Comissão Nutricional. Assim, é verificado o alinhamento dos fornecedores às políticas de gestão de qualidade e de responsabilidade social da Instituição através da realização de testes e análise dos insumos. Relacionamento com Fornecedores
  • 25. A responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais. A Associação Aliança de Saúde e Cidadania acredita na responsabilidade social como forma de transparecer a ética nas relações e na forma de conduzir o norte da filantropia. Somos corresponsáveis por transformar a sociedade na qual fazermos parte, em um lugar melhor e mais digno. Responsabilidade social
  • 26. Dentro da perspectiva financeira atrelada ao planejamento estratégico, dispomos de dois objetivos estratégicos para a garantia de execução do nosso projeto: 1) Garantir o cumprimento orçamentário adequado com o acompanhamento mensal da evolução da receita, despesa e resultado, sendo importante destacar o gerenciamento de custos. 2) Assegurar o adequado fluxo financeiro com o acompanhamento mensal do tempo médio de recebimento, tempo médio de pagamento aos fornecedores e prestadores de serviços e também em relação ao procedimento de contingenciamento de despesas vinculado ao gerenciamento de risco do hospital. Resultados Financeiros
  • 27. Os pilares que sustentam a base de atuação da Associação Aliança de Saúde e Cidadania – AASC se referem a Saúde e a Responsabilidade Social, objetivando contribuir com o avanço do sistema de saúde, através da proposição de novas práticas e tecnologias. A instituição mantém projetos estruturados com o ente público na forma de parcerias, além de apoiar e cultivar ações de assistência à comunidade. A manutenção e sustentabilidade se dá por meio de prestação de bens, serviços e produtos; parcerias com empresas de responsabilidade social; sociedade civil organizada e ente público. Dessa forma, alcança um o duplo propósito: oferecer bens e serviços de excelência ao mercado de forma sustentável e ao mesmo tempo, fomentarmos o desenvolvimento social. Serviços de Excelência, Boas Práticas, Saúde, Educação e Justiça Social são os preceitos básicos que somados aos valores organizacionais, norteiam as ações e os colaboradores da organização. Mediante o envolvimento e compartilhamento integrado de ações de todos os colaboradores, a instituição busca praticar uma assistência segura, digna, equânime, respeitando e atendendo as necessidades de cada um, com objetivo de levar um atendimento humanizado, técnico e de qualidade. Manutenção e Sustentabilidade