SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Jequié-Ba
2014
SARA FRANKLIN CORREIA BAHIA
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
NOME DO CURSO
RELATORIO DE ESTAGIO CURRICULAR III
Melhorias na qualidade de vida do Idoso
Jequié
2014
RELATORIO DE ESTAGIO CURRICULAR III
Melhorias na qualidade de vida do Idoso
Trabalho de ........ apresentado à Universidade Norte do
Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para a
obtenção de média bimestral na disciplina de .........
Orientador: Prof.
SARA FRANKLIN CORREIA BAHIA
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO......................................................................................................................3
2 DESENVOLVIMENTO.........................................................................................................5
2.1 TÍTULO NÍVEL 2 – SEÇÃO SECUNDÁRIA............ Error! Bookmark not defined.
2.1.1 Título Nível 3 – Seção Terciária ............................ Error! Bookmark not defined.
2.1.1.1 Título nível 4 – Seção quaternária..................... Error! Bookmark not defined.
2.1.1.1.1 Título nível 5 – Seção quinária........................ Error! Bookmark not defined.
3 EXEMPLOS DE ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTOError! Bookmark not
defined.
3.1 EXEMPLO DE GRÁFICO .......................................... Error! Bookmark not defined.
3.2 EXEMPLO DE FIGURA ............................................. Error! Bookmark not defined.
3.3 EXEMPLO DE QUADRO ........................................... Error! Bookmark not defined.
3.4 EXEMPLO DE TABELA ............................................. Error! Bookmark not defined.
4 CONCLUSÃO.......................................................................................................................7
REFERÊNCIAS.......................................................................Error! Bookmark not defined.
APÊNDICES.............................................................................................................................8
APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados .........................8
ANEXOS ................................................................................................................................ 10
ANEXO A – Título do anexo................................................................................................ 10
3
1 INTRODUÇÃO
No município de Itiruçu situado no Sudoeste Baiano são desenvolvidas ações
sociais que visam uma melhor qualidade de vida para os seus cidadãos.
Estas ações são realizadas em uma instituição social denominada CRAS ( Centro
de Referência de Assistência Social). É uma instituição que se localiza em uma área
de fácil acesso e possui um grande espaço para serem desenvolvidas as atividades
propostas.
CRAs é uma unidade pública estatal descentralizada da Política Nacional de
Assistência Social (PNAS).
O CRAs atua como a principal porta de entrada do Sistema Único de Assistência
Social (SUAS), dada sua capilaridade nos territórios e é responsável pela
organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica nas áreas de
vulnerabilidade e risco social.
Além de ofertar serviços e ações de proteção básica, o CRAS possui a função de
gestão territorial da rede de assistência social básica, promovendo a organização e a
articulação das unidades a ele referenciadas e o gerenciamento dos processos nele
envolvidos.
O principal serviço ofertado pelo CRAS é o Serviço de Proteção e Atendimento
Integral à Família (PAIF), cuja execução é obrigatória e exclusiva. Este consiste em
um trabalho de caráter continuado que visa fortalecer a função protetiva das famílias,
prevenindo a ruptura de vínculos, promovendo o acesso e usufruto de direitos e
contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.
No CRAS contamos com profissionais que é parte fundamental para que o Serviço
Social prestado principalmente aos idosos seja de grande valia.
Podemos observar que há certa relutância dos idosos em participar das atividades
propostas pelos profissionais do CRAS. Mas, podemos notar também que há uma
busca contínua por essas pessoas, para que não haja total abandono que tanto
aflige o nosso meio.
Convivemos com profissionais que gostam do que fazem. Por este motivo há uma
interação de alunos e profissionais muito forte, e isso faz com que haja um nível de
desistência muito pequeno.
Os profissionais envolvidos neste projeto analisam cada aluno, seu histórico de vida,
4
sua vida familiar, acompanhamento de saúde. Com isso trazemos essas pessoas
para bem mais perto de nossos projetos, pois quando as pessoas sentem que
alguém se interessa por elas, que se preocupam com seus problemas ou que
encontram uma palavra de conforto, o normal é que se aproximem cada vez mais de
quem os faz bem e traz segurança. É visível em nossos meio idosos carentes de
atenção, carinho, companhia e de principalmente de amor.
5
2 DESENVOLVIMENTO
Sabemos que a população idosa vem crescendo no Brasil devido a
melhoria de vida que estas pessoas vem obtendo.
Desde a constituição Federal de 1988, a Assistência Social destaca-
se como importante fonte de melhoria das condições de vida deste setor
populacional. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística (IBGE),
sugere que a população idosa chegue a 64 milhões de pessoas em 2050, o que
corresponderia a 24,6 % do total de habitantes, e esses nossos perfis trazem
grandes impactos na sociedade brasileira.
Os objetivos do trabalho social pretendem induzir mudanças positivas
no funcionamento psicológico e social dos indivíduos, nas suas famílias, grupos e
ambientes de forma a diminuir as vulnerabilidades existentes e a providenciar
oportunidades para a existência de uma vida social mais satisfatória. A sua
intervenção, como defende Solomon (1976), baseia-se “[n]um processo no qual as
pessoas que pertencem a uma categoria social estigmatizada […] podem ser
ajudadas a desenvolver e promover as suas capacidades/habilidades no exercício
de influências interpessoais e na performance (desempenho) de papeis sociais
apreciados.
As atividades desenvolvidas por estes profissionais passam pelo determinar das
necessidades e problemas sociais, emocionais e econômicos das pessoas,
providenciando serviços de acordo com a especificidade dessas necessidades;
desenvolver recursos, programas e políticas sociais, de forma a satisfazer as
necessidades da comunidade; promover programas sociais e serviços
de saúde através da pesquisa e do encorajamento das comunidades e organizações
para se tornarem responsáveis pela identificação das suas necessidades bem como
dos auxílios que podem prestar à sociedade humana; ajudar as pessoas a promover
o seu funcionamento social e/ou pessoal através da disponibilização de serviços
inexistentes ou do encaminhamento para serviços já em funcionamento; coordenar e
trabalhar com organizações governamentais ou não governamentais, privadas,
cívicas, religiosas, empresariais e/ou comerciais para combater problemas sociais
através da conscientização e da aplicação de programas que deem resposta aos
referidos problemas; investigar, planear e desenvolver programas e políticas sociais
e de saúde.
6
No Centro de Referência de Assistência Social de Itiruçu são
desenvolvidas várias práticas pedagógicas e profissionalizantes. Mas, como o nosso
foco é o idoso podemos descrever com detalhes algumas atividades voltadas para
esta turma de 17 alunos assíduos que frequenta o CRAS todas as quartas-feiras nos
horários de 13h30min as 16h00min.
Temos atividades de artesanato, Canto Coral, e dança onde cada um
encontra o seu jeito e expressa suas emoções, além de haver uma grande interação.
No CRAS o Projeto de Melhorias na qualidade de vida dos Idosos foi
realizado com bastante empenho por todos os envolvidos.
As ações assistenciais foram desenvolvidas através de:
 Avaliações e tratamento fisioterápicos aos idosos;
 Atividades físicas;
 Palestra conscientizando sobre o mal de Parkinson;
 Palestra esclarecendo e conscientizando sobre o Câncer de Mama;
Com estes temas que foram abordados tivemos grande êxito com
nossos idosos assistidos, várias dúvidas foram esclarecidas e podemos notar que
para eles todas as atividades realizadas foram de grande valia, foi notável o
entusiasmo de cada um presente.
Como sabemos que a conscientização e o esclarecimento são de
grande importância para a prevenção de doenças. E com essas palestras onde além
dos palestrantes foram usados slides, data show e o mais importante algum portador
de algumas dessas doenças citadas acima que com muita simplicidade e sabedoria
adquirida através do tempo, pode mostrar que há sempre um caminho, um
tratamento, mas o importante mesmo é prevenir.
7
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS
Assim, podemos avaliar que o nosso projeto de Melhoria na qualidade de vida
dos Idosos foi muito satisfatório.
Foram abordados temas interessantes, que fazem parte do dia-a-dia de todos
nós.
Posso afirmar que esse período de experiência foi de grande aprendizado e
crescimento tanto intelectualmente quanto psicologicamente e emocionalmente.
É muito bom conviver com pessoas que tem histórias de vida interessantes e às
vezes surpreendentes para contar. Também é bom ter ouvintes que querem saber e
instruir a casa dia um pouco mais.
Fico muito lisonjeada de poder ter passado esses 03 meses de vivência puramente
humano com pessoas de tão bom caráter e de profissionais que se comprometem e
fazem de seu trabalho uma lição de vida.
Posso confessa que fiquei com lágrimas nos olhos durante o encerramento, pois eu
estava deixando ali pessoas que estavam contribuindo muito pra minha formação
profissional e humana. Mas sei que estarão em meu pensamento, em cada trabalho
que eu realizar, em cada ser que eu puder ajudar.
8
APÊNDICES
APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados
9
10
ANEXOS
ANEXO A – Título do anexo
11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Serviço Social Perguntas e Respostas - para iniciante
Serviço Social   Perguntas e Respostas - para inicianteServiço Social   Perguntas e Respostas - para iniciante
Serviço Social Perguntas e Respostas - para inicianteRosane Domingues
 
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPARAna Patricia Fernandes Oliveira
 
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.Rosane Domingues
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.Rosane Domingues
 
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO J
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO JRELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO J
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO Jsaneamentocastelodopiaui
 
Capa e contra capa do portfólio
Capa e contra capa do portfólioCapa e contra capa do portfólio
Capa e contra capa do portfólioLea Medeiros
 
Apresentação serviços do creas
Apresentação serviços do creasApresentação serviços do creas
Apresentação serviços do creasOrlei Almeida
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Jaqueline Sarges
 
Pim 1 -_finalizado
Pim 1 -_finalizadoPim 1 -_finalizado
Pim 1 -_finalizadoCarla Lee
 
Relatorio final de estagio saulo
Relatorio final de estagio sauloRelatorio final de estagio saulo
Relatorio final de estagio sauloSaulo Yuri
 

Mais procurados (20)

Serviço Social Perguntas e Respostas - para iniciante
Serviço Social   Perguntas e Respostas - para inicianteServiço Social   Perguntas e Respostas - para iniciante
Serviço Social Perguntas e Respostas - para iniciante
 
Cras paif
Cras paifCras paif
Cras paif
 
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
 
99b.guia orientador social
99b.guia orientador social99b.guia orientador social
99b.guia orientador social
 
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
 
Suas, cras, creas
Suas, cras, creasSuas, cras, creas
Suas, cras, creas
 
Projeto de intervenção
Projeto de intervençãoProjeto de intervenção
Projeto de intervenção
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
 
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO J
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO JRELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO J
RELATÓRIO MENSAL SIMPLIFICADO DE ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DO PRODUTO J
 
Pim v
Pim vPim v
Pim v
 
Oficio modelo convite
Oficio modelo   conviteOficio modelo   convite
Oficio modelo convite
 
VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
 
Capa e contra capa do portfólio
Capa e contra capa do portfólioCapa e contra capa do portfólio
Capa e contra capa do portfólio
 
Apresentação serviços do creas
Apresentação serviços do creasApresentação serviços do creas
Apresentação serviços do creas
 
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
Capa, contra capa, introdução ,conclusão, biografia,
 
Pim 1 -_finalizado
Pim 1 -_finalizadoPim 1 -_finalizado
Pim 1 -_finalizado
 
061 relatorio modelo
061 relatorio modelo061 relatorio modelo
061 relatorio modelo
 
Relatorio social adoção
Relatorio social adoçãoRelatorio social adoção
Relatorio social adoção
 
Relatorio final de estagio saulo
Relatorio final de estagio sauloRelatorio final de estagio saulo
Relatorio final de estagio saulo
 

Destaque

Relatorio de estagio iii
Relatorio de estagio iiiRelatorio de estagio iii
Relatorio de estagio iiiLeilany Campos
 
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015Ana Patricia Fernandes Oliveira
 
Modelo relatorio estagio unopar
Modelo relatorio estagio unoparModelo relatorio estagio unopar
Modelo relatorio estagio unoparRogerio Sena
 
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagioJefferson Pires
 
O trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoO trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoEmmanuelle Feitosa
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMORELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMOMayara Dos Santos Camuzzi
 
Modelo de Relatório de estagio supervisionado
Modelo de Relatório de estagio supervisionadoModelo de Relatório de estagio supervisionado
Modelo de Relatório de estagio supervisionadoFlavio Mello
 
Como elaborar um relatório de estágio
Como elaborar um relatório de estágioComo elaborar um relatório de estágio
Como elaborar um relatório de estágioMariajoao F Silva
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágiocristiane1981
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!Rogerio Sena
 
Modelo portfolio uninter
Modelo portfolio uninterModelo portfolio uninter
Modelo portfolio uninterRogerio Sena
 
Modelo portfólio unopar
Modelo portfólio unoparModelo portfólio unopar
Modelo portfólio unoparRogerio Sena
 

Destaque (13)

Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 
Relatorio de estagio iii
Relatorio de estagio iiiRelatorio de estagio iii
Relatorio de estagio iii
 
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015
Serviço Social Caracterização do Estágio Unopar 2015
 
Modelo relatorio estagio unopar
Modelo relatorio estagio unoparModelo relatorio estagio unopar
Modelo relatorio estagio unopar
 
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio
7 exemplo-3-de-relatorio-de-estagio
 
O trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educaçãoO trabalho do assistente social na educação
O trabalho do assistente social na educação
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMORELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
 
Modelo de Relatório de estagio supervisionado
Modelo de Relatório de estagio supervisionadoModelo de Relatório de estagio supervisionado
Modelo de Relatório de estagio supervisionado
 
Como elaborar um relatório de estágio
Como elaborar um relatório de estágioComo elaborar um relatório de estágio
Como elaborar um relatório de estágio
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
 
Modelo portfolio uninter
Modelo portfolio uninterModelo portfolio uninter
Modelo portfolio uninter
 
Modelo portfólio unopar
Modelo portfólio unoparModelo portfólio unopar
Modelo portfólio unopar
 

Semelhante a Relatório de estágio 2014

Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamento
Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamentoAcolhimento institucional. a maioridade e o desligamento
Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamentoRosane Domingues
 
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolar
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolarSessão de Educação para a saúde - Idade escolar
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolarLiteracia em Saúde
 
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...LOCIMAR MASSALAI
 
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdf
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdfdinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdf
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdfFernandaTeixeiradasi5
 
Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)GlauciaAS
 
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdfImaculadaConceiao
 
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdfImaculadaConceiao
 
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)GlauciaAS
 
Demencia terceira idade_vf
Demencia terceira idade_vfDemencia terceira idade_vf
Demencia terceira idade_vfRaquel Camelo
 
Cartilha-TEA.pdf
Cartilha-TEA.pdfCartilha-TEA.pdf
Cartilha-TEA.pdfAlbaMaYa2
 
Carla - DISSERTAÇÃO.pdf
Carla - DISSERTAÇÃO.pdfCarla - DISSERTAÇÃO.pdf
Carla - DISSERTAÇÃO.pdfantoniomatica
 
TCC Memorial de Documentário - Nós, Agentes de Saúde
TCC   Memorial de Documentário - Nós, Agentes de SaúdeTCC   Memorial de Documentário - Nós, Agentes de Saúde
TCC Memorial de Documentário - Nós, Agentes de SaúdeDedinha Ramos
 
UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso
 UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso
UFCD - 6559- Cuidados Saúde no IdosoNome Sobrenome
 
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...Eleni Cotinguiba
 
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUAL
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUALA IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUAL
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUALJonathan Amorim Perez
 

Semelhante a Relatório de estágio 2014 (20)

Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamento
Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamentoAcolhimento institucional. a maioridade e o desligamento
Acolhimento institucional. a maioridade e o desligamento
 
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolar
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolarSessão de Educação para a saúde - Idade escolar
Sessão de Educação para a saúde - Idade escolar
 
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...
Projeto de extensão com pessoas da terceira idade: PROJETO DE AÇÃO: DINÂMICAS...
 
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdf
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdfdinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdf
dinâmicas-de-convivênciainicia aulas.pdf
 
Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)Envelhecer com Direitos (TCC)
Envelhecer com Direitos (TCC)
 
Tese saúde
Tese saúdeTese saúde
Tese saúde
 
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
 
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
02012017121907-c5.carpina.16.a.20.01.2017.t7.m3.1.pdf
 
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)
JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E DIREITOS (TCC)
 
Demencia terceira idade_vf
Demencia terceira idade_vfDemencia terceira idade_vf
Demencia terceira idade_vf
 
TCC - Idosos
TCC - IdososTCC - Idosos
TCC - Idosos
 
Cartilha-TEA.pdf
Cartilha-TEA.pdfCartilha-TEA.pdf
Cartilha-TEA.pdf
 
Carla - DISSERTAÇÃO.pdf
Carla - DISSERTAÇÃO.pdfCarla - DISSERTAÇÃO.pdf
Carla - DISSERTAÇÃO.pdf
 
TCC Memorial de Documentário - Nós, Agentes de Saúde
TCC   Memorial de Documentário - Nós, Agentes de SaúdeTCC   Memorial de Documentário - Nós, Agentes de Saúde
TCC Memorial de Documentário - Nós, Agentes de Saúde
 
UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso
 UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso
UFCD - 6559- Cuidados Saúde no Idoso
 
A Familia
A FamiliaA Familia
A Familia
 
A familia
A familiaA familia
A familia
 
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...
Proteção Social X Desproteção Familiar: O Papel da Família da Sociedade e do ...
 
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUAL
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUALA IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUAL
A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA EM RELAÇÃO À REALIDADE DO IDOSO NA SOCIEDADE ATUAL
 
A familia
A familiaA familia
A familia
 

Relatório de estágio 2014

  • 1. Jequié-Ba 2014 SARA FRANKLIN CORREIA BAHIA SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO NOME DO CURSO RELATORIO DE ESTAGIO CURRICULAR III Melhorias na qualidade de vida do Idoso
  • 2. Jequié 2014 RELATORIO DE ESTAGIO CURRICULAR III Melhorias na qualidade de vida do Idoso Trabalho de ........ apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção de média bimestral na disciplina de ......... Orientador: Prof. SARA FRANKLIN CORREIA BAHIA
  • 3. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO......................................................................................................................3 2 DESENVOLVIMENTO.........................................................................................................5 2.1 TÍTULO NÍVEL 2 – SEÇÃO SECUNDÁRIA............ Error! Bookmark not defined. 2.1.1 Título Nível 3 – Seção Terciária ............................ Error! Bookmark not defined. 2.1.1.1 Título nível 4 – Seção quaternária..................... Error! Bookmark not defined. 2.1.1.1.1 Título nível 5 – Seção quinária........................ Error! Bookmark not defined. 3 EXEMPLOS DE ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTOError! Bookmark not defined. 3.1 EXEMPLO DE GRÁFICO .......................................... Error! Bookmark not defined. 3.2 EXEMPLO DE FIGURA ............................................. Error! Bookmark not defined. 3.3 EXEMPLO DE QUADRO ........................................... Error! Bookmark not defined. 3.4 EXEMPLO DE TABELA ............................................. Error! Bookmark not defined. 4 CONCLUSÃO.......................................................................................................................7 REFERÊNCIAS.......................................................................Error! Bookmark not defined. APÊNDICES.............................................................................................................................8 APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados .........................8 ANEXOS ................................................................................................................................ 10 ANEXO A – Título do anexo................................................................................................ 10
  • 4. 3 1 INTRODUÇÃO No município de Itiruçu situado no Sudoeste Baiano são desenvolvidas ações sociais que visam uma melhor qualidade de vida para os seus cidadãos. Estas ações são realizadas em uma instituição social denominada CRAS ( Centro de Referência de Assistência Social). É uma instituição que se localiza em uma área de fácil acesso e possui um grande espaço para serem desenvolvidas as atividades propostas. CRAs é uma unidade pública estatal descentralizada da Política Nacional de Assistência Social (PNAS). O CRAs atua como a principal porta de entrada do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), dada sua capilaridade nos territórios e é responsável pela organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica nas áreas de vulnerabilidade e risco social. Além de ofertar serviços e ações de proteção básica, o CRAS possui a função de gestão territorial da rede de assistência social básica, promovendo a organização e a articulação das unidades a ele referenciadas e o gerenciamento dos processos nele envolvidos. O principal serviço ofertado pelo CRAS é o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), cuja execução é obrigatória e exclusiva. Este consiste em um trabalho de caráter continuado que visa fortalecer a função protetiva das famílias, prevenindo a ruptura de vínculos, promovendo o acesso e usufruto de direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. No CRAS contamos com profissionais que é parte fundamental para que o Serviço Social prestado principalmente aos idosos seja de grande valia. Podemos observar que há certa relutância dos idosos em participar das atividades propostas pelos profissionais do CRAS. Mas, podemos notar também que há uma busca contínua por essas pessoas, para que não haja total abandono que tanto aflige o nosso meio. Convivemos com profissionais que gostam do que fazem. Por este motivo há uma interação de alunos e profissionais muito forte, e isso faz com que haja um nível de desistência muito pequeno. Os profissionais envolvidos neste projeto analisam cada aluno, seu histórico de vida,
  • 5. 4 sua vida familiar, acompanhamento de saúde. Com isso trazemos essas pessoas para bem mais perto de nossos projetos, pois quando as pessoas sentem que alguém se interessa por elas, que se preocupam com seus problemas ou que encontram uma palavra de conforto, o normal é que se aproximem cada vez mais de quem os faz bem e traz segurança. É visível em nossos meio idosos carentes de atenção, carinho, companhia e de principalmente de amor.
  • 6. 5 2 DESENVOLVIMENTO Sabemos que a população idosa vem crescendo no Brasil devido a melhoria de vida que estas pessoas vem obtendo. Desde a constituição Federal de 1988, a Assistência Social destaca- se como importante fonte de melhoria das condições de vida deste setor populacional. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística (IBGE), sugere que a população idosa chegue a 64 milhões de pessoas em 2050, o que corresponderia a 24,6 % do total de habitantes, e esses nossos perfis trazem grandes impactos na sociedade brasileira. Os objetivos do trabalho social pretendem induzir mudanças positivas no funcionamento psicológico e social dos indivíduos, nas suas famílias, grupos e ambientes de forma a diminuir as vulnerabilidades existentes e a providenciar oportunidades para a existência de uma vida social mais satisfatória. A sua intervenção, como defende Solomon (1976), baseia-se “[n]um processo no qual as pessoas que pertencem a uma categoria social estigmatizada […] podem ser ajudadas a desenvolver e promover as suas capacidades/habilidades no exercício de influências interpessoais e na performance (desempenho) de papeis sociais apreciados. As atividades desenvolvidas por estes profissionais passam pelo determinar das necessidades e problemas sociais, emocionais e econômicos das pessoas, providenciando serviços de acordo com a especificidade dessas necessidades; desenvolver recursos, programas e políticas sociais, de forma a satisfazer as necessidades da comunidade; promover programas sociais e serviços de saúde através da pesquisa e do encorajamento das comunidades e organizações para se tornarem responsáveis pela identificação das suas necessidades bem como dos auxílios que podem prestar à sociedade humana; ajudar as pessoas a promover o seu funcionamento social e/ou pessoal através da disponibilização de serviços inexistentes ou do encaminhamento para serviços já em funcionamento; coordenar e trabalhar com organizações governamentais ou não governamentais, privadas, cívicas, religiosas, empresariais e/ou comerciais para combater problemas sociais através da conscientização e da aplicação de programas que deem resposta aos referidos problemas; investigar, planear e desenvolver programas e políticas sociais e de saúde.
  • 7. 6 No Centro de Referência de Assistência Social de Itiruçu são desenvolvidas várias práticas pedagógicas e profissionalizantes. Mas, como o nosso foco é o idoso podemos descrever com detalhes algumas atividades voltadas para esta turma de 17 alunos assíduos que frequenta o CRAS todas as quartas-feiras nos horários de 13h30min as 16h00min. Temos atividades de artesanato, Canto Coral, e dança onde cada um encontra o seu jeito e expressa suas emoções, além de haver uma grande interação. No CRAS o Projeto de Melhorias na qualidade de vida dos Idosos foi realizado com bastante empenho por todos os envolvidos. As ações assistenciais foram desenvolvidas através de:  Avaliações e tratamento fisioterápicos aos idosos;  Atividades físicas;  Palestra conscientizando sobre o mal de Parkinson;  Palestra esclarecendo e conscientizando sobre o Câncer de Mama; Com estes temas que foram abordados tivemos grande êxito com nossos idosos assistidos, várias dúvidas foram esclarecidas e podemos notar que para eles todas as atividades realizadas foram de grande valia, foi notável o entusiasmo de cada um presente. Como sabemos que a conscientização e o esclarecimento são de grande importância para a prevenção de doenças. E com essas palestras onde além dos palestrantes foram usados slides, data show e o mais importante algum portador de algumas dessas doenças citadas acima que com muita simplicidade e sabedoria adquirida através do tempo, pode mostrar que há sempre um caminho, um tratamento, mas o importante mesmo é prevenir.
  • 8. 7 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS Assim, podemos avaliar que o nosso projeto de Melhoria na qualidade de vida dos Idosos foi muito satisfatório. Foram abordados temas interessantes, que fazem parte do dia-a-dia de todos nós. Posso afirmar que esse período de experiência foi de grande aprendizado e crescimento tanto intelectualmente quanto psicologicamente e emocionalmente. É muito bom conviver com pessoas que tem histórias de vida interessantes e às vezes surpreendentes para contar. Também é bom ter ouvintes que querem saber e instruir a casa dia um pouco mais. Fico muito lisonjeada de poder ter passado esses 03 meses de vivência puramente humano com pessoas de tão bom caráter e de profissionais que se comprometem e fazem de seu trabalho uma lição de vida. Posso confessa que fiquei com lágrimas nos olhos durante o encerramento, pois eu estava deixando ali pessoas que estavam contribuindo muito pra minha formação profissional e humana. Mas sei que estarão em meu pensamento, em cada trabalho que eu realizar, em cada ser que eu puder ajudar.
  • 9. 8 APÊNDICES APÊNDICE A – Instrumento de pesquisa utilizado na coleta de dados
  • 10. 9
  • 11. 10 ANEXOS ANEXO A – Título do anexo
  • 12. 11