VERMIDIGESTORESSISTEMAS PARA ESCOLAS, ESPAÇO RURAL           E RESTAURAÇÃO              VERMICOMPOSTAGEM        MAIS AMBIE...
VERMIDIGESTORDEFINIÇÃO                   Um vermidigestor representa um sistema                    de tratamento da fracç...
DESCRIÇÃO E ESTRUTURAEste tipo de vermidigestores apresenta:   1 Compartimento para tratamento dos resíduos orgânicos.   ...
DESCRIÇÃO E ESTRUTURAEste tipo de vermidigestores apresenta ainda:   1 Porta.    Permite a visualização da estratificação...
COMPARTIMENTO PARA TRATAMENTO    Comprimento (m): 1,13    Largura (m): 0,65    Área superficial (m2): 0,73    Altura t...
COMPARTIMENTO PARA TRATAMENTOMINHOCAS À SUPERFÍCIE – NECESSIDADE DE   MINHOCAS À SUPERFÍCIE – NECESSIDADE DE         ADIÇÃ...
COMPARTIMENTO PARA DEPOSIÇÃO DEVERMICOMPOSTO                                           PORTA PARA RECOLHA DO VERMICOMPOSTO...
COMPARTIMENTO PARA DEPOSIÇÃO DEVERMICOMPOSTO  RECOLHA DO VERMICOMPOSTO   VERMICOMPOSTO RECOLHIDO
PORTA PARA VISUALIZAÇÃO    ESTRATIFICAÇÃO DOS MATERIAIS    Fundo: Vermicomposto.    Intermédio: Resíduos em     processa...
TAMPA                                                  ABERTURA DA TAMPA PARA COLOCAÇÃO DE                                ...
OUTRAS ESTRUTURASTORNEIRA E PUXADOR  TORNEIRA - RECOLHA DE LIXIVIADO DE           VERMICOMPOSTO               PUXADOR – SE...
OUTRAS ESTRUTURASORIFÍCOS PARA AREJAMENTO   ORIFÍCIOS PARA AREJAMENTO                                  Circulação de oxig...
QUANTIDADE DE MINHOCAS PRESENTE                    Irá aumentar ao longo do tempo, até                     estabilizar.  ...
QUANTIDADE DE RESÍDUOS TRATADAFASE INICIAL E FINAL                          Irá aumentar ao longo do tempo, até          ...
QUANTIDADE DE VERMICOMPOSTO PRODUZIDAFASE INICIAL E FINAL                                               VERMICOMPOSTO   I...
MANUTENÇÃOASPECTOS IMPORTANTES    Rega.     Manutenção dos valores de humidade. Existem processos desenvolvidos pela     ...
MANUTENÇÃOASPECTOS IMPORTANTES   Cobrir os resíduos para tratamento com o cartão humedecido e posteriormente com o    plá...
ALGUNS DOS SISTEMAS INSTALADOSESCOLA EB 2,3 ANTÓNIO DE SOUSA          AGOSTINHO              INSTITUTO DE PERMACULTURA
VERMIDIGESTOR   Prático.   Eficiente.   Ferramenta de educação e    sensibilização ambiental.   Transportável.   Enri...
VERMIDIGESTORESSISTEMAS PARA ESCOLAS, ESPAÇO RURAL E RESTAURAÇÃO            PARA UM FUTURO MAIS SUSTENTÁVEL
FUTURAMBESPECIALISTAS EM VERMICOMPOSTAGEM                                  CENTRO DE PESQUISA E INVESTIGAÇÃO              ...
FUTURAMB ESPECIALISTAS EM VERMICOMPOSTAGEMCentro de Pesquisa e Investigação em VermicompostagemUrb. das Oliveiras, lote 2,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço

522 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vermidigestor para Escolas, Restauração ou Espaço

  1. 1. VERMIDIGESTORESSISTEMAS PARA ESCOLAS, ESPAÇO RURAL E RESTAURAÇÃO VERMICOMPOSTAGEM MAIS AMBIENTE, MENOS RESÍDUOS MAIOR QUALIDADE E FERTILIDADE DO SOLO Nelson Lourenço B.Sc. M.Sc. Formador, consultor, investigador Especialista em Vermitecnologia FUTURAMB www.futuramb.com
  2. 2. VERMIDIGESTORDEFINIÇÃO  Um vermidigestor representa um sistema de tratamento da fracção orgânica dos resíduos para tratamento em média e larga-escala.  Possui uma eficiência mais elevada, se comparado com outros sistemas de tratamento, como sejam canteiros ou leiras de vermicompostagem ou até vermicompostores.  O termo deriva de “vermi” - vermicompostagem + “digestor” - digestão de resíduos.
  3. 3. DESCRIÇÃO E ESTRUTURAEste tipo de vermidigestores apresenta: 1 Compartimento para tratamento dos resíduos orgânicos. Capacidade: 330 dm3 1 Compartimento para deposição de vermicomposto. Capacidade: 73 dm3 1 Compartimento para deposição de lixiviado de vermicomposto. Capacidade: 73 dm3 1 Puxador para maximização da deposição de vermicomposto para o compartimento de recepção.
  4. 4. DESCRIÇÃO E ESTRUTURAEste tipo de vermidigestores apresenta ainda: 1 Porta. Permite a visualização da estratificação do processo (vermicomposto + resíduos em processamento + resíduos por processar). 1 Tampa perfurada. Quando aberta, permite a colocação de resíduos no vermicompostor. 1 Torneira. Permite a recolha do lixiviado de vermicomposto. 1 Sistema de separação do vermicomposto. Permite que o vermicomposto seja armazenado na secção de recepção.
  5. 5. COMPARTIMENTO PARA TRATAMENTO Comprimento (m): 1,13 Largura (m): 0,65 Área superficial (m2): 0,73 Altura total (m): 0,65 Altura útil (m): 0,45 Volume total / capacidade total (dm3): 480 (para uma altura total de 0,65 m) Volume útil / capacidade útil (dm3): 330 (para uma altura útil de 0,45 m)
  6. 6. COMPARTIMENTO PARA TRATAMENTOMINHOCAS À SUPERFÍCIE – NECESSIDADE DE MINHOCAS À SUPERFÍCIE – NECESSIDADE DE ADIÇÃO DE RESÍDUOS ADIÇÃO DE RESÍDUOS
  7. 7. COMPARTIMENTO PARA DEPOSIÇÃO DEVERMICOMPOSTO PORTA PARA RECOLHA DO VERMICOMPOSTO Quando aberta, permite a recolha do vermicomposto. A abertura pode ser realizada sempre que necessário.
  8. 8. COMPARTIMENTO PARA DEPOSIÇÃO DEVERMICOMPOSTO RECOLHA DO VERMICOMPOSTO VERMICOMPOSTO RECOLHIDO
  9. 9. PORTA PARA VISUALIZAÇÃO ESTRATIFICAÇÃO DOS MATERIAIS Fundo: Vermicomposto. Intermédio: Resíduos em processamento/tratamento. Topo: Resíduos em pré- processamento/estabilização.
  10. 10. TAMPA ABERTURA DA TAMPA PARA COLOCAÇÃO DE RESÍDUOSQuando aberta permite: A colocação de resíduos. A visualização do processo. A manutenção de temperaturas adequadas á sobrevivência das minhocas (Verão) – aberta em permanência.Quando fechada permite: A manutenção da temperatura (Outono/Inverno). A manutenção de temperaturas adequadas á sobrevivência das minhocas (Outono/Inverno/Primavera).
  11. 11. OUTRAS ESTRUTURASTORNEIRA E PUXADOR TORNEIRA - RECOLHA DE LIXIVIADO DE VERMICOMPOSTO PUXADOR – SEPARAÇÃO DO VERMICOMPOSTO
  12. 12. OUTRAS ESTRUTURASORIFÍCOS PARA AREJAMENTO ORIFÍCIOS PARA AREJAMENTO  Circulação de oxigénio e outros gases resultantes do processo.  Incremento de oxigénio ao arejamento efectuado pelas minhocas.
  13. 13. QUANTIDADE DE MINHOCAS PRESENTE  Irá aumentar ao longo do tempo, até estabilizar.  Fase inicial 1,0 kg de minhocas/m2, o equivalente a 0,8 kg de minhocas.  Fase final ou estacionária Quantidade de minhocas máxima: 15 kg/m2, o equivalente a aprox. 11-12 kg de minhocas.
  14. 14. QUANTIDADE DE RESÍDUOS TRATADAFASE INICIAL E FINAL  Irá aumentar ao longo do tempo, até estabilizar.  No início: 0,2 kg/dia.  Final: Mais de 5 kg/dia.
  15. 15. QUANTIDADE DE VERMICOMPOSTO PRODUZIDAFASE INICIAL E FINAL VERMICOMPOSTO Irá aumentar ao longo do tempo, até estabilizar. Fase inicial: Aprox. 0,4 kg/dia. Irá aumentar a partir do momento em que o puxador é activado. A queda do vermicomposto é realizada de forma gravimétrica. Fase final: produzido gravimetricamente, à taxa de 3,0 kg/dia.
  16. 16. MANUTENÇÃOASPECTOS IMPORTANTES Rega. Manutenção dos valores de humidade. Existem processos desenvolvidos pela FUTURAMB com vista à manutenção dos valores constantes sem necessidade de rega. Cobertura. Papel & cartão + plástico. O plástico permite a condensação do valor de água, permitindo o retorno desta no estado líquido ao cartão e resíduos. Adição de resíduos. De acordo com a capacidade de tratamento. Visualização da actividade das minhocas. Sintomatologia de stress Recolha de vermicomposto. De acordo com a capacidade de produção de vermicomposto.
  17. 17. MANUTENÇÃOASPECTOS IMPORTANTES Cobrir os resíduos para tratamento com o cartão humedecido e posteriormente com o plástico preto após cada operação de adição de substrato ou avaliação dos parâmetros de stress nas minhocas. Abrir a porta de visualização do processo de estratificação unicamente após as primeiras 25 semanas. Utilizar a pega de separação do vermicomposto unicamente após as primeiras 12 semanas. Retirar o vermicomposto diária ou semanalmente com o auxílio de uma pá ou luva.
  18. 18. ALGUNS DOS SISTEMAS INSTALADOSESCOLA EB 2,3 ANTÓNIO DE SOUSA AGOSTINHO INSTITUTO DE PERMACULTURA
  19. 19. VERMIDIGESTOR Prático. Eficiente. Ferramenta de educação e sensibilização ambiental. Transportável. Enriquecimento do solo em matéria orgânica e nutrientes. Gerador de benefícios ambientais.
  20. 20. VERMIDIGESTORESSISTEMAS PARA ESCOLAS, ESPAÇO RURAL E RESTAURAÇÃO PARA UM FUTURO MAIS SUSTENTÁVEL
  21. 21. FUTURAMBESPECIALISTAS EM VERMICOMPOSTAGEM CENTRO DE PESQUISA E INVESTIGAÇÃO EM VERMICOMPOSTAGEMUNIDADE DE VALORIZAÇÃO ORGÂNICA
  22. 22. FUTURAMB ESPECIALISTAS EM VERMICOMPOSTAGEMCentro de Pesquisa e Investigação em VermicompostagemUrb. das Oliveiras, lote 2, r/c drt, 8375 - 129 S. B. Messines Unidade de Valorização Orgânica Messines de Cima, caixa-postal 5-S 8375-047 S. B. Messines Telefone: +351 282 330495 Telemóvel: + 351 96 7359487 / + 351 96 3851179 E-mail: cpiv@futuramb.com / comercial@futuramb.com www.futuramb.com

×