SlideShare uma empresa Scribd logo
Letramento e Alfabetização
Vídeo


“O que é letramento?”
Ler o mundo sempre precede ler a palavra,
  e ler a palavra implica continuamente ler o mundo...
Neste caminho, entretanto, nós podemos ir mais longe
e dizer que ler a palavra não precede meramente o ato
de ler o mundo, mas de uma certa forma de inscrevê-lo
ou reescrevê-lo, que é de transformá-lo por significados
                     de consciência,
 trabalho prático. Para mim, esse movimento é central
             para o processo de Letramento.

                   FREIRE, Paulo & MACEDO, Donaldo
 Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Rio, Paz e Terra, 1987.
Como estes conceitos se
 aplicam à sala de aula?

        (Vejamos alguns exemplos)
Segundo o ponto de vista bakhtiniano, toda
   a enunciação é apenas uma fração de
   uma “corrente de comunicação verbal
              ininterrupta”.
Como situar nesta corrente os textos escritos por
      crianças em seus primeiros anos de
                  escolaridade?

Excluí-los desta corrente significaria assumir que o esforço
    da criança para escrever produz o perverso efeito de
  uma desterritorialização enunciativa: enquanto falantes,
      as crianças participariam do processo contínuo de
      produção de enunciados; enquanto aprendizes da
    escrita, face ao estranhamento próprio dos convívios
  iniciais,produziriam textos excluídos deste mesmo fluxo,
    como se fossem estrangeiros diante das palavras de
                      sua própria língua.
               Artigo: PALAVRAS ESCRITAS, INDÍCIOS DE PALAVRAS DITAS
                                                  João Wanderley Geraldi
O direito à palavra
  Vamos utilizar os seguintes textos (feitos por crianças) para reflexão:

Texto 1: A casa é bonita.
        A casa é do menino.
        A casa é do pai.
        A casa tem uma sala.
        A casa é amarela.

Texto 2: Era uma vez umpionho queroia ocabelo
        Dai um emninopinheto dapasou um umenino lipo
        Enei pionho ai pasou. Daí omenino pegoupionho da amunhér
  pegoupionho
        Dai todo mundosaiogritãdo todomundo pegou pionho
        Di até sofinho begoupionho.
A partir das considerações acerca dos
   textos lidos, o que é letramento?
Base pedagógica do Pacto

“Não se lê e se escreve “no vazio”. É preciso entender as
práticas culturais, ser capaz de construir conhecimentos e
   participar de modo ativo nos diferentes espaços de
      interlocução, defendendo princípios e valores”.

É preciso realizar a integração dos diferentes componentes
 curriculares (DE MANEIRA INTERDISCIPLINAR): língua
  portuguesa, artes, educação física, história, geografia,
matemática, ciências, no sentido de garantir o ensino da
            leitura, da escrita e da oralidade.
Assim, no PNAIC, quatro princípios centrais serão considerados ao longo
            do desenvolvimento do trabalho pedagógico:


1. O Sistema de Escrita Alfabética é complexo e exige um ensino
sistemático e problematizador;

2. O desenvolvimento das capacidades de leitura e de produção de textos
ocorre durante todo o processo de escolarização, mas deve ser iniciado
logo no início da Educação Básica, garantindo acesso precoce a gêneros
discursivos de circulação social e a situações de interação em que as
crianças se reconheçam como protagonistas de suas próprias histórias;

3. Conhecimentos oriundos das diferentes áreas de conhecimento podem
e devem ser apropriados pelas crianças, de modo que elas possam, ouvir,
falar, ler, escrever sobre temas diversos e agir na sociedade;

4. A ludicidade e o cuidado com as crianças são condições básicas nos
processos de ensino e de aprendizagem.
Vídeo

“O poder das palavras”
"... são as palavras as que cantam, as que sobem e baixam...
   Prosterno-me diante delas... Amo-as, uno-me a elas, persigo-as,
  mordo-as, derreto-as... Amo tanto as palavras... As inesperadas...
    As que avidamente a gente espera, espreita até que de repente
 caem... Vocábulos amados... Brilham como pedras coloridas, saltam
         como peixes de prata, são espuma, fio, metal, orvalho...
Persigo algumas palavras... São tão belas que quero colocá-las todas
em meu poema... Agarro-as no voo, quando vão zumbindo, e capturo-
      as, limpo-as, aparo-as, preparo-me diante do prato, sinto-as
cristalinas, vibrantes, ebúrneas, vegetais, oleosas, como frutas, como
 algas, como ágatas, como azeitonas... E então as revolvo, agito-as,
  bebo-as, sugo-as, trituro-as, adorno-as, liberto-as... Deixo-as como
   estalactites em meu poema; como pedacinhos de madeira polida,
  como carvão, como restos de naufrágio, presentes da onda... Tudo
                           está na palavra ..."

                      A palavra/Pablo Neruda
Tarefa de Casa
 Ler a entrevista “Ler é uma revolução cerebral”,
  de Stanilas Dehaene

 Registrar as impressões no portfólio

 Apresentar resultados na oficina seguinte

 Trazer uma poesia que o identifique com sua
  prática pedagógica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
NAPNE
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
mariaelidias
 
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
ElieneDias
 
Ppt 5º encontro ano 2
Ppt 5º encontro ano 2Ppt 5º encontro ano 2
Ppt 5º encontro ano 2
miesbella
 
Generos textuais ano 2
Generos textuais ano 2Generos textuais ano 2
Generos textuais ano 2
Aprender com prazer
 
Diversidade textual livro
Diversidade textual livroDiversidade textual livro
Diversidade textual livro
Fabiana Esteves
 
Prática de leitura e escrita em gênero textual chuva ácida
Prática de leitura  e escrita em gênero textual   chuva ácidaPrática de leitura  e escrita em gênero textual   chuva ácida
Prática de leitura e escrita em gênero textual chuva ácida
Terezinha Barroso
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
Claudio Pessoa
 
Generostextuais3 130820223103-phpapp01
Generostextuais3 130820223103-phpapp01Generostextuais3 130820223103-phpapp01
Generostextuais3 130820223103-phpapp01
Jhosyrene Oliveira
 
Eixos Língua Portuguesa
Eixos Língua PortuguesaEixos Língua Portuguesa
Eixos Língua Portuguesa
Shirley Lauria
 
Gêneros textuais na sala de aula
Gêneros textuais na sala de aulaGêneros textuais na sala de aula
Gêneros textuais na sala de aula
Rosilane
 
Oralidade
OralidadeOralidade
Oralidade
Talita Novaes
 
Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual
Queila Adriana
 
A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2
Solange Goulart
 
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aulaOralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
Denise Oliveira
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
Luis Carlos Santos
 
PNAIC - Ano 01 unidade 5
PNAIC - Ano 01   unidade 5PNAIC - Ano 01   unidade 5
PNAIC - Ano 01 unidade 5
ElieneDias
 
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
Suellen Nascimento
 
Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textos
mariaelidias
 

Mais procurados (19)

Gêneros textuais
Gêneros textuaisGêneros textuais
Gêneros textuais
 
Direitos de aprendizagem oralidade
Direitos de aprendizagem   oralidadeDireitos de aprendizagem   oralidade
Direitos de aprendizagem oralidade
 
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
PNAIC - Educação do Campo - unidade 5
 
Ppt 5º encontro ano 2
Ppt 5º encontro ano 2Ppt 5º encontro ano 2
Ppt 5º encontro ano 2
 
Generos textuais ano 2
Generos textuais ano 2Generos textuais ano 2
Generos textuais ano 2
 
Diversidade textual livro
Diversidade textual livroDiversidade textual livro
Diversidade textual livro
 
Prática de leitura e escrita em gênero textual chuva ácida
Prática de leitura  e escrita em gênero textual   chuva ácidaPrática de leitura  e escrita em gênero textual   chuva ácida
Prática de leitura e escrita em gênero textual chuva ácida
 
Pnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritosPnaic producao textos_orais_escritos
Pnaic producao textos_orais_escritos
 
Generostextuais3 130820223103-phpapp01
Generostextuais3 130820223103-phpapp01Generostextuais3 130820223103-phpapp01
Generostextuais3 130820223103-phpapp01
 
Eixos Língua Portuguesa
Eixos Língua PortuguesaEixos Língua Portuguesa
Eixos Língua Portuguesa
 
Gêneros textuais na sala de aula
Gêneros textuais na sala de aulaGêneros textuais na sala de aula
Gêneros textuais na sala de aula
 
Oralidade
OralidadeOralidade
Oralidade
 
Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual Agrupamento de gênero textual
Agrupamento de gênero textual
 
A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2A unidade 5 ano 1 e 2
A unidade 5 ano 1 e 2
 
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aulaOralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
Oralidade e gêneros orais: um olhar sobre as práticas orais em sala de aula
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
PNAIC - Ano 01 unidade 5
PNAIC - Ano 01   unidade 5PNAIC - Ano 01   unidade 5
PNAIC - Ano 01 unidade 5
 
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
O uso de gêneros textuais nas aulas de LE do Ensino Médio: refletindo e ressi...
 
Direitos de aprendizagem produção de textos
Direitos de aprendizagem   produção de textosDireitos de aprendizagem   produção de textos
Direitos de aprendizagem produção de textos
 

Semelhante a Alfabetização e letramento

Patativa Cora Coragem
Patativa Cora CoragemPatativa Cora Coragem
Patativa Cora Coragem
Maria do Rocio Rodi Gonçalves
 
Patativa Cora Coragem
Patativa Cora CoragemPatativa Cora Coragem
Patativa Cora Coragem
Maria do Rocio Rodi Gonçalves
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Elaine Cruz
 
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadoresIi reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Rosemary Batista
 
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão finalUnidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Naysa Taboada
 
Uso de textos na alfabetizacao
Uso de textos na alfabetizacaoUso de textos na alfabetizacao
Uso de textos na alfabetizacao
Isa ...
 
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjthxxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
Ítalo Mário
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
Susanne Messias
 
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”   Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
♥Marcinhatinelli♥
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Edna Monteiro
 
Eixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escritaEixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escrita
Adriana Vieira de Souza Vieira
 
Eixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escritaEixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escrita
Adriana Vieira de Souza Vieira
 
leipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapaleipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapa
anaritamor
 
Projeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetizaçãoProjeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetização
faculdade4
 
Produção de escritos
Produção de escritosProdução de escritos
Produção de escritos
Tânia Márcia Tomaszewski
 
Alfabetização
AlfabetizaçãoAlfabetização
Alfabetização
EducacaoIntegralPTC
 
2ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
2ª Encontro PNAIC 17 de out 20152ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
2ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
Fabiana Esteves
 
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015 Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
Fabiana Esteves
 
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.pptSlidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
ssuser95d925
 
Projeto de teoria e pratica da alfabetização
Projeto de teoria e pratica da alfabetizaçãoProjeto de teoria e pratica da alfabetização
Projeto de teoria e pratica da alfabetização
Ana Lopes
 

Semelhante a Alfabetização e letramento (20)

Patativa Cora Coragem
Patativa Cora CoragemPatativa Cora Coragem
Patativa Cora Coragem
 
Patativa Cora Coragem
Patativa Cora CoragemPatativa Cora Coragem
Patativa Cora Coragem
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
 
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadoresIi reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
 
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão finalUnidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
Unidade 5 a diversidade textual e as áreas de conhecimento versão final
 
Uso de textos na alfabetizacao
Uso de textos na alfabetizacaoUso de textos na alfabetizacao
Uso de textos na alfabetizacao
 
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjthxxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
 
Literatura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenilLiteratura infantil-juvenil
Literatura infantil-juvenil
 
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”   Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
 
Eixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escritaEixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escrita
 
Eixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escritaEixo linguagem oral e escrita
Eixo linguagem oral e escrita
 
leipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapaleipeitupurapa epe espescrpritapa
leipeitupurapa epe espescrpritapa
 
Projeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetizaçãoProjeto interdisciplinar alfabetização
Projeto interdisciplinar alfabetização
 
Produção de escritos
Produção de escritosProdução de escritos
Produção de escritos
 
Alfabetização
AlfabetizaçãoAlfabetização
Alfabetização
 
2ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
2ª Encontro PNAIC 17 de out 20152ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
2ª Encontro PNAIC 17 de out 2015
 
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015 Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
Encontro Pnaic 17 de outubro 2015
 
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.pptSlidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
Slidexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx_.ppt
 
Projeto de teoria e pratica da alfabetização
Projeto de teoria e pratica da alfabetizaçãoProjeto de teoria e pratica da alfabetização
Projeto de teoria e pratica da alfabetização
 

Alfabetização e letramento

  • 2.
  • 3. Vídeo “O que é letramento?”
  • 4. Ler o mundo sempre precede ler a palavra, e ler a palavra implica continuamente ler o mundo... Neste caminho, entretanto, nós podemos ir mais longe e dizer que ler a palavra não precede meramente o ato de ler o mundo, mas de uma certa forma de inscrevê-lo ou reescrevê-lo, que é de transformá-lo por significados de consciência, trabalho prático. Para mim, esse movimento é central para o processo de Letramento. FREIRE, Paulo & MACEDO, Donaldo Alfabetização: leitura do mundo, leitura da palavra. Rio, Paz e Terra, 1987.
  • 5. Como estes conceitos se aplicam à sala de aula? (Vejamos alguns exemplos)
  • 6. Segundo o ponto de vista bakhtiniano, toda a enunciação é apenas uma fração de uma “corrente de comunicação verbal ininterrupta”.
  • 7. Como situar nesta corrente os textos escritos por crianças em seus primeiros anos de escolaridade? Excluí-los desta corrente significaria assumir que o esforço da criança para escrever produz o perverso efeito de uma desterritorialização enunciativa: enquanto falantes, as crianças participariam do processo contínuo de produção de enunciados; enquanto aprendizes da escrita, face ao estranhamento próprio dos convívios iniciais,produziriam textos excluídos deste mesmo fluxo, como se fossem estrangeiros diante das palavras de sua própria língua. Artigo: PALAVRAS ESCRITAS, INDÍCIOS DE PALAVRAS DITAS João Wanderley Geraldi
  • 8. O direito à palavra Vamos utilizar os seguintes textos (feitos por crianças) para reflexão: Texto 1: A casa é bonita. A casa é do menino. A casa é do pai. A casa tem uma sala. A casa é amarela. Texto 2: Era uma vez umpionho queroia ocabelo Dai um emninopinheto dapasou um umenino lipo Enei pionho ai pasou. Daí omenino pegoupionho da amunhér pegoupionho Dai todo mundosaiogritãdo todomundo pegou pionho Di até sofinho begoupionho.
  • 9. A partir das considerações acerca dos textos lidos, o que é letramento?
  • 10. Base pedagógica do Pacto “Não se lê e se escreve “no vazio”. É preciso entender as práticas culturais, ser capaz de construir conhecimentos e participar de modo ativo nos diferentes espaços de interlocução, defendendo princípios e valores”. É preciso realizar a integração dos diferentes componentes curriculares (DE MANEIRA INTERDISCIPLINAR): língua portuguesa, artes, educação física, história, geografia, matemática, ciências, no sentido de garantir o ensino da leitura, da escrita e da oralidade.
  • 11. Assim, no PNAIC, quatro princípios centrais serão considerados ao longo do desenvolvimento do trabalho pedagógico: 1. O Sistema de Escrita Alfabética é complexo e exige um ensino sistemático e problematizador; 2. O desenvolvimento das capacidades de leitura e de produção de textos ocorre durante todo o processo de escolarização, mas deve ser iniciado logo no início da Educação Básica, garantindo acesso precoce a gêneros discursivos de circulação social e a situações de interação em que as crianças se reconheçam como protagonistas de suas próprias histórias; 3. Conhecimentos oriundos das diferentes áreas de conhecimento podem e devem ser apropriados pelas crianças, de modo que elas possam, ouvir, falar, ler, escrever sobre temas diversos e agir na sociedade; 4. A ludicidade e o cuidado com as crianças são condições básicas nos processos de ensino e de aprendizagem.
  • 12. Vídeo “O poder das palavras”
  • 13. "... são as palavras as que cantam, as que sobem e baixam... Prosterno-me diante delas... Amo-as, uno-me a elas, persigo-as, mordo-as, derreto-as... Amo tanto as palavras... As inesperadas... As que avidamente a gente espera, espreita até que de repente caem... Vocábulos amados... Brilham como pedras coloridas, saltam como peixes de prata, são espuma, fio, metal, orvalho... Persigo algumas palavras... São tão belas que quero colocá-las todas em meu poema... Agarro-as no voo, quando vão zumbindo, e capturo- as, limpo-as, aparo-as, preparo-me diante do prato, sinto-as cristalinas, vibrantes, ebúrneas, vegetais, oleosas, como frutas, como algas, como ágatas, como azeitonas... E então as revolvo, agito-as, bebo-as, sugo-as, trituro-as, adorno-as, liberto-as... Deixo-as como estalactites em meu poema; como pedacinhos de madeira polida, como carvão, como restos de naufrágio, presentes da onda... Tudo está na palavra ..." A palavra/Pablo Neruda
  • 14. Tarefa de Casa  Ler a entrevista “Ler é uma revolução cerebral”, de Stanilas Dehaene  Registrar as impressões no portfólio  Apresentar resultados na oficina seguinte  Trazer uma poesia que o identifique com sua prática pedagógica