SlideShare uma empresa Scribd logo
Composição Química da Célula
Composição Química da Célula
Inorgânicos

• Água
• Sais Minerais

Orgânicos

•
•
•
•

Proteínas
Lipídios
Carboidratos
Àcidos Nucléicos
Composição Química da Célula
POLARIDADE
• A molécula de água é formada por dois
átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio
(H2O).

Hidrogênio
Oxigênio
ENCONTRA-SE NA CÉLULA
Na forma livre
Representa 95% da água total, é a parte
usada principalmente como solvente para
os solutos e como meio dispersante
ÁGUA
 A água é um solvente
universal.
 A água é um regulador de
temperatura.

 A água é um lubrificante ideal,
 A água participa de reações
químicas
 A água atua como mecanismo
de proteção
PROTEÍNAS
• São constituintes básicos da vida;
• São macromoléculas complexas;
• Constituem cerca de 50 a 80% do peso seco da célula
eucariótica;

• Tem como base de sua estrutura os polipeptídios formados
de ligações peptídicas entre os grupos amino (-NH2) de um
aminoácido e carboxílico (-COOH) de outro, ambos ligados
ao carbono alfa de cada um dos aminoácidos;
PROTEÍNAS
Tipo

Função

Proteínas estruturais
Componentes das membranas celulares

Desempenham diversas funções:
determinam o diâmetro dos poros; auxiliam
os hormônios no “reconhecimento” celular

Colágeno

Componente estrutural dos músculos e
tendões

Queratina

Parte da pele e do pêlo

Hormônios peptídicos (p. ex., insulina,
hormônio do crescimento)

Muitos hormônios são proteínas e exercem
efeitos sobre diversos sistemas orgânicos

Hemoglobina

Transporte de oxigênio

Anticorpos

Protegem o corpo contra organismos
causadores de doenças

Proteínas plasmáticas

Coágulo sangüíneo; equilíbrio de líquidos

Proteínas musculares

Tornam o músculo capaz de contrair

Enzimas

Regulam os padrões das reações químicas
AMINOÁCIDOS
• Um peptídio é formado quando alguns aminoácidos se unem
através de ligações peptídicas.

• A formação de um polipetídio ocorre quando diversos
aminoácidos se unem.

• As proteínas são polipeptídios muito grandes, sendo que a

maioria das proteínas é composta por mais de uma cadeia de
polipeptídeos.
AMINOÁCIDOS
CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS
Quanto à composição:
 Proteínas simples
Ex. albuminas, globulinas
 Proteínas conjugadas
Ex. hemeproteínas, lipoproteínas, glicoproteínas
CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS
Quanto à forma:


Proteínas fibrosas: são insolúveis em
água, compridas e filamentosas. A
maioria tem função estrutural ou
protetiva. Ex. colágeno



Proteínas globulares: geralmente
solúveis em água, formam estruturas
compactas fortemente enroladas em
forma globular ou esférica.
Função relacionada com manutenção
e regularização de processos vitais:
enzimática, transporte, defesa e
hormonal.
Ex. hemoglobina.
GRAU DE ESTRUTURAÇÃO DAS PROTEÍNAS
Estrutura
primária

Ligações
peptídicas

Estrutura
secundária

Pontes de Hidrogênio
Interações de Van der Waals
Interações Eletrostáticas
Interações Hidrofóbicas

Estrutura
terciária

Estrutura
quaternária

Pontes de Hidrogênio
Interações de Van der Waals
Interações Eletrostáticas
Interações Hidrofóbicas
Uniões Covalentes de Dissulfeto
CARBOIDRATOS
•

Os carboidratos são também conhecidos como
glicídios ou açúcares, sendo as moléculas biológicas
mais abundantes na natureza.

•
•

São compostos por carbono, hidrogênio e oxigênio.
Representam a principal fonte de energia para a
célula.
CARBOIDRATOS
•

Abrangem um dos maiores grupos de compostos
orgânicos encontrados na natureza.

•

Junto com as proteínas formam os principais
constituintes dos organismos vivos.

•

São responsáveis pela energia que move o ser vivo
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
MONOSSACARÍDEOS

•

São compostos com uma fórmula geral Cn(H2O), que
não podem ser hidrolisados a compostos mais
simples.

•
•
•

Contêm de três a seis átomos de carbono.
Exemplos: Glicose, Frutose e Galactose

Glicose é o mais importante dos três e é utilizada
pelas células como fonte imediata de energia.
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
MONOSSACARÍDEOS
Ribose

Desoxirribose
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
MONOSSACARÍDEOS
UTILIZAÇÃO DA GLICOSE
•

A glicose é utilizada de três maneiras:



pode ser queimada imediatamente como
combustível.



pode ser armazenada como glicogênio para queima
posterior.



pode ser armazenada sob a forma de gordura.
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
DISSACARÍDEOS OU OLIGOSSACARÍDEOS

•

São açúcares duplos, contendo duas moléculas de
monossacarídeos.

•

Na grande maioria são compostos cristalinos,
solúveis em água e de sabor doce.

•

Exemplos: Sacarose, Lactose e Maltose.
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
DISSACARÍDEOS OU OLIGOSSACARÍDEOS
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
POLISSACARÍDEOS

•

São formadas por três ou mais moléculas de
açúcares.

•

Podem ser chamadas de glicanas.

•

Os três polissacarídeos de interesse para nós são o
amido, o glicogênio e a celulose.
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
POLISSACARÍDEOS

•
•

•

O amido é um depósito de polissacarídeo encontrado nas
plantas e é constituído por uma série de moléculas de
glicose ligadas entre si de forma ramificada.
O glicogênio, também conhecido como “amido animal”, é
um polissacarídeo altamente ramificado, similar ao amido
vegetal. O glicogênio é a forma na qual os seres vivos
armazenam glicose.
A celulose é um polissacarídeo de cadeia reta encontrado
nas plantas. A celulose fornece a fibra da nossa dieta e
melhora as funções digestivas de diversas maneiras.
CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS
POLISSACARÍDEOS
LIPÍDIOS
• São compostos orgânicos formados por carbono,
•
•

hidrogênio e oxigênio.
União de ácido graxo e álcool
São as gorduras, ceras e óleos

• Insolúveis na água.
• Os lipídios mais comuns encontrados no nosso organismo
são os triglicerídeos, os fosfolipídios e os esteróides.
ONDE SÃO ENCONTRADOS

•
•
•
•
•
•

Associados a membrana;
Transportados pelo plasma;
Barreira hidrofóbica( impermeabilização- ceras)
Funções reguladoras ou de coenzimas( óleos);
Controle da homeostase do corpo( gorduras)
A maioria dos componentes não protéicos.
LIPÍDIOS NA MEMBRANA PLASMÁTICA
Meio extracelular
proteína de
reconhecimento

proteína
transportadora

receptor protéico
sítio ligante

bicamada
lipídica

carboidrato

fosfolipídio

colesterol

citoplasma
www.bioaula.com.br

filamentos
protéicos
LIPÍDIOS MAIS COMUNS
• Triglicerideos

• Fosfolipídios
• Glicolipídios
• Esteróides
Triglicerideos





Plantas e animais;
São triésteres de glicerol com ácidos graxos;
Reserva de energia em animais;
Formam CO2 e H2O na célula.
FOSFOLIPÍDIOS
• Contêm ácidos graxos unidos a uma molécula de glicerol.

• São moléculas anfipáticas.
• São os principais componentes das membranas celulares.
GLICOLIPÍDIOS
•
•
•
•
•

Todas as membranas do corpo.
Camada externa da membrana plasmática.
Regulação das interações.
Fonte de antígenos do grupo sangüíneo.
Receptores para toxinas.
ESTERÓIDES
• Colesterol é o mais importante.
• Está presente em todas as

•
•

membranas celulares.
É necessário para a síntese de
vitamina D na pele.
É utilizado pelos ovários e
testículos na síntese dos
hormônios sexuais.

CH3
HC

CH3

( C H 2) 3
HC

CH3

HO
Colesterol

CH3
ELEMENTOS MINERAIS
• Representam cerca de 1% do total da composição celular;
• São necessários em concentrações da ordem de miligramas
por litro de cultura.
FUNÇÃO
• Atuam principalmente como reguladores
da atividade celular.

• Encontram-se na forma:
• Insolúvel
• Dissolvidos em água
FÓSFORO
• É importante na regulação do metabolismo celular e no
fornecimento de fosfatos para a geração de energia.

• É essencial para a síntese de ácidos nucléicos e adenosina
trifosfato (ATP).
POTÁSSIO
• Participa do processo de excreção
• Produção de impulso nervoso ( Bomba de Sódio-Potássio)
MAGNÉSIO
• É co-fator de várias enzimas;
• Participa na ativação das enzimas glicolíticas( quebra da
glicose);

• Estimula a síntese de ácidos graxos essenciais;
• Estimula a Bomba Sódio -Potássio
ELEMENTOS MINERAIS
• Cálcio: Estimula o crescimento celular pela incorporação
na parede celular e membrana plasmática.

• Ferro: É necessário para síntese dos citocromos e de
certo pigmentos.
VITAMINAS
• São compostos orgânicos imprescindíveis para algumas
•

reações metabólicas específicas, requeridos pelo corpo
em quantidades mínimas para realizar funções celulares.
São usualmente classificadas em dois grupos com base na
sua solubilidade, estabilidade, ocorrência em alimentos.
CLASSIFICAÇÃO
• HIDROSSOLÚVEIS
Tiamina, Riboflavina, Niacina, Biotina, Ácido Pantotênico,
Ácido Fólico, Cobalamina, Peridoxida e Ácido Ascórbico.

• LIPOSSOLÚVEIS
Vitamina A, D, E e K.
FUNÇÕES
• Agem muitas vezes como coenzimas ou como parte de
enzimas responsáveis por reações químicas essenciais à
saúde humana.

• Mantêm a saúde ideal e a prevenção de doenças
crônicas.
ÁCIDOS NUCLÉICOS
DEFINIÇÕES


NUCLEOTÍDEOS:

É unidade estrutural básica
dos ácidos nucléicos (DNA e
RNA), constituídos por
bases purinas (A, G) ou
pirimídicas (C, T), ribose ou
desoxirribose e ainda
grupamento fosfato.
DNA
Seu comprimento linear seria de 2 m de comprimento.

É um polímero formado por
nucleotídeos, sendo o açúcar
desoxirribose e as bases purinas
e pirimídicas (C, T, G, A),
proporcionando formação de
uma fita dupla.
PAREAMENTO DAS BASES

A=T

C G
RNA
Está envolvido em decifrar a informação do DNA e carregar sua
instrução.
Assim como o DNA, o RNA também é
composto por nucleotídeos, porém difere
em certos aspectos:
• O açúcar é uma ribose;
• A base pirimídica timina é substituída pela
uracila;
• Forma somente fita de RNA simples, isto
implica que haverá uma porcentagem
diferente de A com T e C com G
TIPOS DE RNA
1) RNAm (mensageiro)
Produzido pelo DNA no núcleo;
Leva a “mensagem” ao citoplasma;
Associa-se aos ribossomos.
2) RNAr (ribossômico)
É o mais comprido;
Matéria-prima para formar os ribossomos;
Sem ribossomo não há tradução.
3) RNAt (transportador)
Em certa região, apresenta 3 bases livres, chamadas anti-códon;
Captura os aminoácidos do citoplasma e os leva aos ribossomos;
O mesmo aminoácido pode ser carregado por 2 ou 3 tipos de RNA-t.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
Felipe Machado
 
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Módulo a1.3.   biomoléculas.resumoMódulo a1.3.   biomoléculas.resumo
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
Carla Nascimento
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
giovannimusetti
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
Magali Feldmann
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
bloglink0
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energia
Leonor Vaz Pereira
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
denilsonbio
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
Val Silva
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Hamilton Nobrega
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
Edvaldo S. Júnior
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Guilhardo Martins
 
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da VidaAula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Hamilton Nobrega
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
giovannimusetti
 
BioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculasBioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculas
Rita Rainho
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
Josélio Rodrigues
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas 29-09 (1) [salvo automaticamente]
Citoplasma e organelas citoplasmáticas  29-09 (1) [salvo automaticamente]Citoplasma e organelas citoplasmáticas  29-09 (1) [salvo automaticamente]
Citoplasma e organelas citoplasmáticas 29-09 (1) [salvo automaticamente]
Ney Brito
 

Mais procurados (20)

Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Módulo a1.3.   biomoléculas.resumoMódulo a1.3.   biomoléculas.resumo
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energia
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
 
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da VidaAula 03   Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
Aula 03 Tipos Básicos de Células e Bases Moleculares da Vida
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
BioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculasBioGeo10-biomoléculas
BioGeo10-biomoléculas
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas 29-09 (1) [salvo automaticamente]
Citoplasma e organelas citoplasmáticas  29-09 (1) [salvo automaticamente]Citoplasma e organelas citoplasmáticas  29-09 (1) [salvo automaticamente]
Citoplasma e organelas citoplasmáticas 29-09 (1) [salvo automaticamente]
 

Destaque

Composição química da célula - Biologia
Composição química da célula - BiologiaComposição química da célula - Biologia
Composição química da célula - Biologia
Anauhe Gabriel
 
Química celular completo
Química celular completoQuímica celular completo
Química celular completo
Dalu Barreto
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
MARCIAMP
 
A célula
A célulaA célula
A célula
naiaranobre
 
Seres Vivos Necessitam de Alimento
Seres Vivos Necessitam de AlimentoSeres Vivos Necessitam de Alimento
Seres Vivos Necessitam de Alimento
naiaranobre
 
A química da célula - CHO
A química da célula - CHOA química da célula - CHO
A química da célula - CHO
Matheus de Paula Medeiros
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
letyap
 
Organização celular
Organização celularOrganização celular
Organização celular
ajsmorais
 
Terra um planeta com vida
Terra   um planeta com vidaTerra   um planeta com vida
Terra um planeta com vida
Cristina Vitória
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
Eldon Clayton
 

Destaque (10)

Composição química da célula - Biologia
Composição química da célula - BiologiaComposição química da célula - Biologia
Composição química da célula - Biologia
 
Química celular completo
Química celular completoQuímica celular completo
Química celular completo
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Seres Vivos Necessitam de Alimento
Seres Vivos Necessitam de AlimentoSeres Vivos Necessitam de Alimento
Seres Vivos Necessitam de Alimento
 
A química da célula - CHO
A química da célula - CHOA química da célula - CHO
A química da célula - CHO
 
Fundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vidaFundamentos químicos da vida
Fundamentos químicos da vida
 
Organização celular
Organização celularOrganização celular
Organização celular
 
Terra um planeta com vida
Terra   um planeta com vidaTerra   um planeta com vida
Terra um planeta com vida
 
Composição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivosComposição química dos seres vivos
Composição química dos seres vivos
 

Semelhante a A4.1 comp.quimica da célula

Quimica da vida
Quimica da vida   Quimica da vida
Quimica da vida
Marina Machado
 
Composição química da célula.ppt
Composição química da célula.pptComposição química da célula.ppt
Composição química da célula.ppt
ProfYasminBlanco
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Laguat
 
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.pptAULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
MinBrenda
 
Aulão vestibular inverno
Aulão vestibular invernoAulão vestibular inverno
Aulão vestibular inverno
César Milani
 
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CELESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
MARCIAMP
 
Composicão quimica das células
Composicão quimica das célulasComposicão quimica das células
Composicão quimica das células
ApolloeGau SilvaeAlmeida
 
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptxTrabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
FeridoZitoJonas
 
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Jorgepedro38
 
BIOQUÍMICA - UND 2
BIOQUÍMICA - UND 2BIOQUÍMICA - UND 2
BIOQUÍMICA - UND 2
DadBio
 
Bioquímica 1
Bioquímica 1Bioquímica 1
Bioquímica 1
Evandro Batista
 
Componentes quimicos das celulas
Componentes quimicos das celulasComponentes quimicos das celulas
Componentes quimicos das celulas
Nadjane Barros Costa
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivos
César Milani
 
Biomoléculas
BiomoléculasBiomoléculas
Biomoléculas
margaridabt
 
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdfBioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
FeridoZitoJonas
 
Biologia aula 02 carboidratos
Biologia aula 02   carboidratosBiologia aula 02   carboidratos
Biologia aula 02 carboidratos
Alpha Colégio e Vestibulares
 
3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
preuniversitarioitab
 
Composicao Quimica
Composicao QuimicaComposicao Quimica
Composicao Quimica
lidypvh
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
César Milani
 
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhorA base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
Cynthia Oliveira
 

Semelhante a A4.1 comp.quimica da célula (20)

Quimica da vida
Quimica da vida   Quimica da vida
Quimica da vida
 
Composição química da célula.ppt
Composição química da célula.pptComposição química da célula.ppt
Composição química da célula.ppt
 
Composição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e LipídiosComposição Química Carboidratos e Lipídios
Composição Química Carboidratos e Lipídios
 
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.pptAULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
AULA 1 - A COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS.ppt
 
Aulão vestibular inverno
Aulão vestibular invernoAulão vestibular inverno
Aulão vestibular inverno
 
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CELESPECÍFICA COMP QUIM CEL
ESPECÍFICA COMP QUIM CEL
 
Composicão quimica das células
Composicão quimica das célulasComposicão quimica das células
Composicão quimica das células
 
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptxTrabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
Trabalho de Biologia do 5 grupo_Faculdadevde ciências de saúde.pptx
 
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdfFundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
Fundamentos da bioquímica - carboidratos.pdf
 
BIOQUÍMICA - UND 2
BIOQUÍMICA - UND 2BIOQUÍMICA - UND 2
BIOQUÍMICA - UND 2
 
Bioquímica 1
Bioquímica 1Bioquímica 1
Bioquímica 1
 
Componentes quimicos das celulas
Componentes quimicos das celulasComponentes quimicos das celulas
Componentes quimicos das celulas
 
A base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivosA base molecular dos seres vivos
A base molecular dos seres vivos
 
Biomoléculas
BiomoléculasBiomoléculas
Biomoléculas
 
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdfBioquimica-Composicao Quimica  da Celula.pdf
Bioquimica-Composicao Quimica da Celula.pdf
 
Biologia aula 02 carboidratos
Biologia aula 02   carboidratosBiologia aula 02   carboidratos
Biologia aula 02 carboidratos
 
3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia3ª Aula de Biologia
3ª Aula de Biologia
 
Composicao Quimica
Composicao QuimicaComposicao Quimica
Composicao Quimica
 
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]Compostos inorgânicos e orgânicos  [modo de compatibilidade]
Compostos inorgânicos e orgânicos [modo de compatibilidade]
 
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhorA base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
A base qu_mica_da_vida2 para uma vida melhor
 

Mais de Simone Costa

Seminário sobre Répteis
Seminário sobre RépteisSeminário sobre Répteis
Seminário sobre Répteis
Simone Costa
 
Seminário sobre Os Anelídeos
Seminário sobre Os Anelídeos Seminário sobre Os Anelídeos
Seminário sobre Os Anelídeos
Simone Costa
 
A5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célulaA5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célula
Simone Costa
 
A4 bioquímica celular.citoquimica
A4 bioquímica celular.citoquimicaA4 bioquímica celular.citoquimica
A4 bioquímica celular.citoquimica
Simone Costa
 
A3 origem evolução celular
A3 origem evolução celularA3 origem evolução celular
A3 origem evolução celular
Simone Costa
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
Simone Costa
 
A1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celularA1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celular
Simone Costa
 
Apresentação de Libras
Apresentação de LibrasApresentação de Libras
Apresentação de Libras
Simone Costa
 
Músculo do Dorso
Músculo do DorsoMúsculo do Dorso
Músculo do Dorso
Simone Costa
 
Energia eletrica
Energia eletricaEnergia eletrica
Energia eletrica
Simone Costa
 

Mais de Simone Costa (10)

Seminário sobre Répteis
Seminário sobre RépteisSeminário sobre Répteis
Seminário sobre Répteis
 
Seminário sobre Os Anelídeos
Seminário sobre Os Anelídeos Seminário sobre Os Anelídeos
Seminário sobre Os Anelídeos
 
A5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célulaA5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célula
 
A4 bioquímica celular.citoquimica
A4 bioquímica celular.citoquimicaA4 bioquímica celular.citoquimica
A4 bioquímica celular.citoquimica
 
A3 origem evolução celular
A3 origem evolução celularA3 origem evolução celular
A3 origem evolução celular
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
 
A1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celularA1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celular
 
Apresentação de Libras
Apresentação de LibrasApresentação de Libras
Apresentação de Libras
 
Músculo do Dorso
Músculo do DorsoMúsculo do Dorso
Músculo do Dorso
 
Energia eletrica
Energia eletricaEnergia eletrica
Energia eletrica
 

Último

Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 

Último (20)

Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 

A4.1 comp.quimica da célula

  • 2. Composição Química da Célula Inorgânicos • Água • Sais Minerais Orgânicos • • • • Proteínas Lipídios Carboidratos Àcidos Nucléicos
  • 4. POLARIDADE • A molécula de água é formada por dois átomos de Hidrogênio e um de Oxigênio (H2O). Hidrogênio Oxigênio
  • 5. ENCONTRA-SE NA CÉLULA Na forma livre Representa 95% da água total, é a parte usada principalmente como solvente para os solutos e como meio dispersante
  • 6. ÁGUA  A água é um solvente universal.  A água é um regulador de temperatura.  A água é um lubrificante ideal,  A água participa de reações químicas  A água atua como mecanismo de proteção
  • 7. PROTEÍNAS • São constituintes básicos da vida; • São macromoléculas complexas; • Constituem cerca de 50 a 80% do peso seco da célula eucariótica; • Tem como base de sua estrutura os polipeptídios formados de ligações peptídicas entre os grupos amino (-NH2) de um aminoácido e carboxílico (-COOH) de outro, ambos ligados ao carbono alfa de cada um dos aminoácidos;
  • 8. PROTEÍNAS Tipo Função Proteínas estruturais Componentes das membranas celulares Desempenham diversas funções: determinam o diâmetro dos poros; auxiliam os hormônios no “reconhecimento” celular Colágeno Componente estrutural dos músculos e tendões Queratina Parte da pele e do pêlo Hormônios peptídicos (p. ex., insulina, hormônio do crescimento) Muitos hormônios são proteínas e exercem efeitos sobre diversos sistemas orgânicos Hemoglobina Transporte de oxigênio Anticorpos Protegem o corpo contra organismos causadores de doenças Proteínas plasmáticas Coágulo sangüíneo; equilíbrio de líquidos Proteínas musculares Tornam o músculo capaz de contrair Enzimas Regulam os padrões das reações químicas
  • 9. AMINOÁCIDOS • Um peptídio é formado quando alguns aminoácidos se unem através de ligações peptídicas. • A formação de um polipetídio ocorre quando diversos aminoácidos se unem. • As proteínas são polipeptídios muito grandes, sendo que a maioria das proteínas é composta por mais de uma cadeia de polipeptídeos.
  • 11. CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS Quanto à composição:  Proteínas simples Ex. albuminas, globulinas  Proteínas conjugadas Ex. hemeproteínas, lipoproteínas, glicoproteínas
  • 12. CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÍNAS Quanto à forma:  Proteínas fibrosas: são insolúveis em água, compridas e filamentosas. A maioria tem função estrutural ou protetiva. Ex. colágeno  Proteínas globulares: geralmente solúveis em água, formam estruturas compactas fortemente enroladas em forma globular ou esférica. Função relacionada com manutenção e regularização de processos vitais: enzimática, transporte, defesa e hormonal. Ex. hemoglobina.
  • 13. GRAU DE ESTRUTURAÇÃO DAS PROTEÍNAS Estrutura primária Ligações peptídicas Estrutura secundária Pontes de Hidrogênio Interações de Van der Waals Interações Eletrostáticas Interações Hidrofóbicas Estrutura terciária Estrutura quaternária Pontes de Hidrogênio Interações de Van der Waals Interações Eletrostáticas Interações Hidrofóbicas Uniões Covalentes de Dissulfeto
  • 14. CARBOIDRATOS • Os carboidratos são também conhecidos como glicídios ou açúcares, sendo as moléculas biológicas mais abundantes na natureza. • • São compostos por carbono, hidrogênio e oxigênio. Representam a principal fonte de energia para a célula.
  • 15. CARBOIDRATOS • Abrangem um dos maiores grupos de compostos orgânicos encontrados na natureza. • Junto com as proteínas formam os principais constituintes dos organismos vivos. • São responsáveis pela energia que move o ser vivo
  • 16. CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS MONOSSACARÍDEOS • São compostos com uma fórmula geral Cn(H2O), que não podem ser hidrolisados a compostos mais simples. • • • Contêm de três a seis átomos de carbono. Exemplos: Glicose, Frutose e Galactose Glicose é o mais importante dos três e é utilizada pelas células como fonte imediata de energia.
  • 19. UTILIZAÇÃO DA GLICOSE • A glicose é utilizada de três maneiras:  pode ser queimada imediatamente como combustível.  pode ser armazenada como glicogênio para queima posterior.  pode ser armazenada sob a forma de gordura.
  • 20. CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS DISSACARÍDEOS OU OLIGOSSACARÍDEOS • São açúcares duplos, contendo duas moléculas de monossacarídeos. • Na grande maioria são compostos cristalinos, solúveis em água e de sabor doce. • Exemplos: Sacarose, Lactose e Maltose.
  • 22. CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS POLISSACARÍDEOS • São formadas por três ou mais moléculas de açúcares. • Podem ser chamadas de glicanas. • Os três polissacarídeos de interesse para nós são o amido, o glicogênio e a celulose.
  • 23. CLASSIFICAÇÃO DOS CARBOIDRATOS POLISSACARÍDEOS • • • O amido é um depósito de polissacarídeo encontrado nas plantas e é constituído por uma série de moléculas de glicose ligadas entre si de forma ramificada. O glicogênio, também conhecido como “amido animal”, é um polissacarídeo altamente ramificado, similar ao amido vegetal. O glicogênio é a forma na qual os seres vivos armazenam glicose. A celulose é um polissacarídeo de cadeia reta encontrado nas plantas. A celulose fornece a fibra da nossa dieta e melhora as funções digestivas de diversas maneiras.
  • 25. LIPÍDIOS • São compostos orgânicos formados por carbono, • • hidrogênio e oxigênio. União de ácido graxo e álcool São as gorduras, ceras e óleos • Insolúveis na água. • Os lipídios mais comuns encontrados no nosso organismo são os triglicerídeos, os fosfolipídios e os esteróides.
  • 26. ONDE SÃO ENCONTRADOS • • • • • • Associados a membrana; Transportados pelo plasma; Barreira hidrofóbica( impermeabilização- ceras) Funções reguladoras ou de coenzimas( óleos); Controle da homeostase do corpo( gorduras) A maioria dos componentes não protéicos.
  • 27. LIPÍDIOS NA MEMBRANA PLASMÁTICA Meio extracelular proteína de reconhecimento proteína transportadora receptor protéico sítio ligante bicamada lipídica carboidrato fosfolipídio colesterol citoplasma www.bioaula.com.br filamentos protéicos
  • 28. LIPÍDIOS MAIS COMUNS • Triglicerideos • Fosfolipídios • Glicolipídios • Esteróides
  • 29. Triglicerideos     Plantas e animais; São triésteres de glicerol com ácidos graxos; Reserva de energia em animais; Formam CO2 e H2O na célula.
  • 30. FOSFOLIPÍDIOS • Contêm ácidos graxos unidos a uma molécula de glicerol. • São moléculas anfipáticas. • São os principais componentes das membranas celulares.
  • 31. GLICOLIPÍDIOS • • • • • Todas as membranas do corpo. Camada externa da membrana plasmática. Regulação das interações. Fonte de antígenos do grupo sangüíneo. Receptores para toxinas.
  • 32. ESTERÓIDES • Colesterol é o mais importante. • Está presente em todas as • • membranas celulares. É necessário para a síntese de vitamina D na pele. É utilizado pelos ovários e testículos na síntese dos hormônios sexuais. CH3 HC CH3 ( C H 2) 3 HC CH3 HO Colesterol CH3
  • 33. ELEMENTOS MINERAIS • Representam cerca de 1% do total da composição celular; • São necessários em concentrações da ordem de miligramas por litro de cultura.
  • 34. FUNÇÃO • Atuam principalmente como reguladores da atividade celular. • Encontram-se na forma: • Insolúvel • Dissolvidos em água
  • 35. FÓSFORO • É importante na regulação do metabolismo celular e no fornecimento de fosfatos para a geração de energia. • É essencial para a síntese de ácidos nucléicos e adenosina trifosfato (ATP).
  • 36. POTÁSSIO • Participa do processo de excreção • Produção de impulso nervoso ( Bomba de Sódio-Potássio)
  • 37. MAGNÉSIO • É co-fator de várias enzimas; • Participa na ativação das enzimas glicolíticas( quebra da glicose); • Estimula a síntese de ácidos graxos essenciais; • Estimula a Bomba Sódio -Potássio
  • 38. ELEMENTOS MINERAIS • Cálcio: Estimula o crescimento celular pela incorporação na parede celular e membrana plasmática. • Ferro: É necessário para síntese dos citocromos e de certo pigmentos.
  • 39. VITAMINAS • São compostos orgânicos imprescindíveis para algumas • reações metabólicas específicas, requeridos pelo corpo em quantidades mínimas para realizar funções celulares. São usualmente classificadas em dois grupos com base na sua solubilidade, estabilidade, ocorrência em alimentos.
  • 40. CLASSIFICAÇÃO • HIDROSSOLÚVEIS Tiamina, Riboflavina, Niacina, Biotina, Ácido Pantotênico, Ácido Fólico, Cobalamina, Peridoxida e Ácido Ascórbico. • LIPOSSOLÚVEIS Vitamina A, D, E e K.
  • 41. FUNÇÕES • Agem muitas vezes como coenzimas ou como parte de enzimas responsáveis por reações químicas essenciais à saúde humana. • Mantêm a saúde ideal e a prevenção de doenças crônicas.
  • 43. DEFINIÇÕES  NUCLEOTÍDEOS: É unidade estrutural básica dos ácidos nucléicos (DNA e RNA), constituídos por bases purinas (A, G) ou pirimídicas (C, T), ribose ou desoxirribose e ainda grupamento fosfato.
  • 44. DNA Seu comprimento linear seria de 2 m de comprimento. É um polímero formado por nucleotídeos, sendo o açúcar desoxirribose e as bases purinas e pirimídicas (C, T, G, A), proporcionando formação de uma fita dupla.
  • 46. RNA Está envolvido em decifrar a informação do DNA e carregar sua instrução. Assim como o DNA, o RNA também é composto por nucleotídeos, porém difere em certos aspectos: • O açúcar é uma ribose; • A base pirimídica timina é substituída pela uracila; • Forma somente fita de RNA simples, isto implica que haverá uma porcentagem diferente de A com T e C com G
  • 47. TIPOS DE RNA 1) RNAm (mensageiro) Produzido pelo DNA no núcleo; Leva a “mensagem” ao citoplasma; Associa-se aos ribossomos. 2) RNAr (ribossômico) É o mais comprido; Matéria-prima para formar os ribossomos; Sem ribossomo não há tradução. 3) RNAt (transportador) Em certa região, apresenta 3 bases livres, chamadas anti-códon; Captura os aminoácidos do citoplasma e os leva aos ribossomos; O mesmo aminoácido pode ser carregado por 2 ou 3 tipos de RNA-t.