SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
 PROFESSORA : FRANCISCA
GUADALUPE RODRIGUES FEIJÃO
 DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA
EDUCAÇÃO.
 TEMÁTICA: A PSICOLOGIA
CIENTÍFICA; PRINCIPAIS TEORIAS
DO DESENVOLVIMENTO
HUMANO.
INTRODUÇÃO
 Quantas vezes, no nosso dia-a-dia, ouvimos
o termo psicologia? Qualquer um entende
um pouco dela. Poderíamos até mesmo
dizer que "de psicólogo e de louco todo
mundo tem um pouco". O dito popular não
é bem este ("de que médico e de louco todo
mundo tem um pouco"), mas parece servir
aqui perfeitamente.
 Usamos o termo psicologia, no nosso cotidiano, com vários
sentidos.
 Será essa a psicologia dos psicólogos? Certamente não. Essa
psicologia, usada no cotidiano pelas pessoas em geral, é
denominada de psicologia do senso comum. Mas nem por isso
deixa de ser uma psicologia.
 É a Psicologia científica que pretendemos apresentar a você. Mas,
antes de iniciarmos o seu estudo, faremos uma exposição da
relação ciência/senso comum
 Existe um domínio da vida que pode ser entendido como vida Por
excelência: é a vida do cotidiano. É no cotidiano que tudo flui que as
coisas acontecem que nos sentimos vivos, que sentimos a realidade.
 Todos esses acontecimentos denunciam que estamos vivos. Já a ciência
é uma atividade eminentemente reflexiva. Ela procura compreender,
elucidar e alterar esse cotidiano, a partir de seu estudo sistemático.
 Quando fazemos ciência, baseamo-nos na realidade cotidiana e
pensamos sobre ela. Afastamo-nos dela para refletir e conhecer além de
suas aparências. O cotidiano e o conhecimento científico que temos
realidade aproximam-se e se afastam: aproximam- se porque a ciência
se refere ao real; afastam-se porque a ciência abstrai a realidade para
compreendê-la melhor.
 Ocorre que, mesmo o mais especializado dos cientistas, quando sai de seu
laboratório, está submetido à dinâmica do cotidiano, que cria suas próprias
"teorias" a partir das teorias científicas.
 O senso comum, na produção desse tipo de conhecimento, percorre um
caminho que vai do hábito à tradição, a qual, quando estabelecida, passa de
geração para geração.
 SENSO COMUM: UMA VISAO-DE-MUNDO
 Esse conhecimento do senso comum, além de sua produção característica,
acaba por se apropriar, de uma maneira muito singular, de conhecimentos
produzidos pelos outros setores da produção do saber humano. O senso
comum mistura e recicla esses outros saberes, muito mais especializados, e
os reduz a um tipo de teoria simplificada, produzindo uma determinada
visão-de-mundo.
 A ciência compõe-se de um conjunto de conhecimentos
sobre fatos ou aspectos da realidade (objeto de
estudo), expresso por meio de uma linguagem precisa
e rigorosa. Esses conhecimentos devem ser obtidos de
maneira programada, sistemática e controlada, para
que se permita a verificação de sua validade.
 O berço da Psicologia moderna foi à Alemanha do final do século
19. Wundt, Weber e Fechner trabalharam juntos na Universidade de
Leipzi.
 Seu status de ciência é obtido à medida que se "liberta" da Filosofia,
que marcou sua história até aqui.
 Seu status de ciência é obtido à medida que se "liberta" da Filosofia,
que marcou sua história até aqui. A evolução da ciência psicológica
atrai novos estudiosos e pesquisadores, que, sob os novos padrões
de produção de conhecimento, passam a: definir seu objeto de
estudo (o comportamento, a vida psíquica, a consciência); delimitar
seu campo de estudo, diferenciando-o de outras áreas de
conhecimento, como a Filosofia e a Fisiologia;
 Essas teorias devem obedecer aos critérios básicos da metodologia
científica, isto é, deve-se buscar a neutralidade do conhecimento
científico.
 Os pioneiros da Psicologia procuraram, dentro das possibilidades,
atingir tais critérios e formular teorias.
 surgem as primeiras abordagens ou escolas em Psicologia, as
quais deram origem às inúmeras teorias que existem atualmente.
Essas abordagens são: o Funcionalismo, de William James (1842-
1910), o Estruturalismo, de Edward Titchner (1867-1927) e o
Associanismo, de Edward L. Thorndike (1874-1949).
 O FUNCIONALISMO
 O Funcionalismo é considerado como a primeira
sistematização genuinamente americana de
conhecimentos em Psicologia.
 Desse modo, para a escola funcionalista de W. James
importa responder "o que fazem os homens" e "por que
o fazem". Para responder a isto, W. James elege a
consciência como o centro de suas preocupações e busca
a compreensão de seu funcionamento, na medida em
que o homem a usa para adaptar-se ao meio.
.
 O ESTRUTURALISMO
 O Estruturalismo está preocupado com a
compreensão do mesmo fenômeno que o
Funcionalismo: a consciência.
 Mas, diferentemente de W. James, Titchner irá
estudá-la em seus aspectos estruturais, isto é, os
estados elementares da consciência como
estruturas do sistema nervoso central.
 O ASSOCIONISMO
 O principal representante do Associanismo é
Edward L. Thorndike, e sua importância está em
ter sido o formulador de uma primeira teoria de
aprendizagem na Psicologia.
 O termo Associanismo origina-se da concepção
de que a aprendizagem se dá por um processo
de associação das idéias - das mais simples às
mais complexas.
 Como dissemos anteriormente, um
conhecimento, para ser considerado científico,
requer um objeto específico de estudo. O objeto
da Astronomia são os astros, e o objeto da
Biologia são os seres vivos.
 Essa classificação bem geral demonstra que é
possível tratar o objeto dessas ciências com
certa distância, ou seja, é possível isolar o
objeto de estudo.
 O mesmo não ocorre com a Psicologia, como a
Antropologia, a Economia, a Sociologia e todas as
ciências humanas, que estuda o homem.
 Qual é, então, o objeto específico de estudo da
Psicologia?
 Como, neste momento, há uma riqueza de valores
sociais pelas condições históricas e que permitem várias
concepções de homem, diríamos simplificando que, no
caso da Psicologia, esta ciência estuda os "diversos
homens" concebidos pelo conjunto social. Assim, a
Psicologia hoje se caracteriza por uma diversidade de
objetos de estudo.
 BEHAVIORISMO OU COMPORTAMENTALISMO:
 Watson sentiu que os psicólogos deviam estudar o comportamento
observável e adotar métodos objetivos. Em 1912, nasceu o
behaviorismo e dominou a psicologia americana por trinta anos.
 Os psicólogos behavioristas estudavam os eventos ambientais
(estímulos), o comportamento observável (respostas) e como a
experiência influenciava o comportamento, as aptidões e os traços
das pessoas mais do que a hereditariedade.
 Ele faz atribuição de que o comportamento não é uma ação isolada,
mas sim, que depende do meio onde se vive. O comportamento
como objeto observável, mensurável da Psicologia.
 GESTALT
 A Psicologia da Gestalt pode ser também vista
como a Psicologia da forma.
 Os gestaltistas estão preocupados em
compreender quais os processos psicológicos
envolvidos na ilusão de ótica, quando o
estímulo físico é percebido pelo sujeito como
uma forma diferente da que ele tem na
realidade.
 PSICANÁLISE
 Para quem nunca estudou psicologia antes, é provável não ter
ouvido falar de Watson, Skinner ou Max Wertheimer, entretanto,
provavelmente já ouviu falar de Sigmund Freud (1856-1939), o
médico vienense que se especializou no tratamento de problemas
do sistema nervoso e em particular de desordens neuróticas.
 Freud adotou a hipnose para ajudar as pessoas a reviverem as
experiências traumáticas do passado que pareciam associadas
com seus sintomas atuais.
 Freud então desenvolveu o método da associação livre no qual os
pacientes deitavam num divã e eram encorajados a dizer o que
quer que lhes viesse à mente (desejos, conflitos, temores,
pensamentos e lembranças), sendo também convidados a relatar
seus sonhos.
 Em que consiste a Psicologia?
 A Psicologia é derivada de palavras gregas que
significam "estudo da mente ou da alma". Hoje
em dia é comumente definida como a ciência
que estuda o comportamento humano.
 A psicologia é frequentemente aplicada na
indústria, na educação, na engenharia, na
saúde, em assuntos de consumo e em muitas
outras áreas.
 Profissional da área da educação, lidará com
pessoas e irá interagir com o ser humano de forma
mais intensa, ou seja, por meio do ensino,
facilitando a aprendizagem e seus conhecimentos
de forma mais abrangente, que não só no momento
do ensino, mas que este indivíduo levará para toda
a esfera de sua vida.
 O profissional da educação deve sentir-se bem
para que possa melhor desempenhar seu papel
como educador e professor. Ele não é um robô,
nem tampouco um insensível a necessidade do
outro.
 A Psicologia do senso comum que se adquire
informalmente leva a um corpo conhecimentos
inexatos por diversas razões. O senso comum
não proporciona diretrizes sadias para a
avaliação de questões complexas.
 O tipo de psicologia do senso comum que se adquire informalmente
leva a um corpo de conhecimentos inexatos por diversas razões. O
senso comum não proporciona diretrizes sadias para a avaliação de
questões complexas.
 A ciência proporciona diretrizes lógicas para avaliar a evidência e
técnicas bem raciocinadas para verificar seus princípios.
 Em consequência, os psicólogos geralmente confiam no método
científico para as informações sobre o comportamento e os processos
mentais. Perseguem objetivos científicos, tais como a descrição e a
explicação.Usam procedimentos científicos, inclusive observação e
experimentação sistemática, para reunir dados que podem ser
observados publicamente
 Slides compl
Desenvolvimento
 Palacios (1995) refere-se aos processos de mudanças
psicológicas que ocorrem nas pessoas ao longo de sua vida
humana. As mudanças que interessam aos psicólogos do
desenvolvimento são aquelas que se relacionam:
1. Aos processos de desenvolvimentos das pessoas;
2. Aos seus processos e crescimento e;
3. As suas experiências vitais significantes.
 Existem várias teorias do desenvolvimento
humano em Psicologia. Elas foram construídas a
partir de observações, pesquisas com grupos de
indivíduos em diferentes faixas etárias ou em
diferentes culturas, estudos de casos clínicos,
acompanhamento de indivíduos desde o
nascimento até a idade adulta.
 O desenvolvimento humano refere-se ao desenvolvimento mental e
ao crescimento orgânico. O desenvolvimento mental é uma
construção contínua, que se caracteriza pelo aparecimento
gradativo de estruturas mentais.
 Estudar o desenvolvimento humano significa conhecer as
características comuns de uma faixa etária, permitindo-nos
reconhecer as individualidades, o que nos torna mais aptos para a
observação e interpretação dos comportamentos.
 Hereditariedade - a carga genética estabelece o potencial do
indivíduo, que pode ou não se desenvolve
 Crescimento orgânico - refere-se ao aspecto físico. O aumento de
altura e a estabilização do esqueleto permitem ao indivíduo
comportamentos e um domínio do mundo que antes não existiam.
 Maturação neurofisiológica - é o que torna possível determinado
padrão de comportamento.
 Meio - o conjunto de influências e estimulações ambientais altera
os padrões de comportamento do indivíduo
 Aspecto físico-motor - refere-se ao crescimento orgânico, à
maturação neurofisiológica, à capacidade de manipulação de
objetos e de exercício do próprio corpo.
 Aspecto intelectual - é a capacidade de pensamento, raciocínio.
 Aspecto afetivo-emocional - é o modo particular de o indivíduo
integrar as suas experiências.
 Aspecto social - é a maneira como o indivíduo reage diante das
situações que envolvem outras pessoas.
1. FREUD - PSICOSSEXUAL
2. PIAGET- COGNITIVO
3. VYGOTSKY – HISTÓRICO-SOCIAL
Fases do desenvolvimento psicossexual, segundo a psicanálise
Idade Fase Fonte de prazer
1º ano Oral Prazer derivado dos lábios e bocas: sugar, comer, chupar o
dedo, morder.
2º anos Anal Prazer derivado da retenção e expulsão das fezes e também
do controle muscular.
3º - 5º anos Fálica Prazer derivado da estimulação genital e fantasias associadas.
Complexo de Édipo: interesse sexual do menino pela mãe e
da menina pelo pai.
6º - 12º anos Latência Com a repressão temporária dos interesses sexuais, o prazer
deriva do mundo externo, da curiosidade, do conhecimento
etc., como gratificações substitutas.
12º Genital Prazer derivado das relações sexuais cm companheiros .
FREUD
Fase do desenvolvimento segundo Piaget
Idade Período Características
0 – 2
anos
Sensório-
motor
Desenvolvimento da consciência do próprio corpo, diferenciado
do restante do mundo físico. Desenvolvimento da inteligência
em três estágios: reflexos de fundo hereditário, organização das
percepções e hábitos e inteligência prática.
2 – 7
anos
Pré-operatório Desenvolvimento da linguagem, com três conseqüências para a
vida mental: a) socialização da ação, com trocas entres os
indivíduos; b) desenvolvimento do pensamento; c) finalismo
(porquês) e c) desenvolvimento da intuição.
7 – 12
anos
Das operações
concretas
Desenvolvimento do pensamento lógico sobre coisas concretas;
compreensão das relações entre coisas e capacidade para
classificar objetos; superação do egocentrismo da linguagem;
aparecimento das noções de conservação de substância, peso e
volume.
12 anos
em
diante
Das operações
formais
Desenvolvimento da capacidade para construir sistemas e
teorias abstratos, para formar e entender conceitos de amor,
justiça democracia, etc., do pensamento concreto, sobre coisas,
para o pensamento abstrato, hipotético-dedutivo, isto é, o
indivíduo se torna capaz de chegar a conclusões a partir de
hipóteses.
PIAGET
 O desenvolvimento infantil é visto a partir de três aspectos: instrumental,
cultural e histórico.
 O aspecto instrumental:refere-se à natureza basicamente mediadora das funções
psicológicas complexas;
 O aspecto cultural da teoria :envolve os meios socialmente estruturados pelos
quais a sociedade organiza os tipos de tarefa que a criança em crescimento
enfrenta, e os tipos de instrumento, tanto mentais como físicos, de que a criança
pequena dispõe para dominar aquelas tarefas.
 O aspecto histórico:como afirma Luria, funde-se com o cultural, pois os
instrumentos que o homem usa para dominar seu ambiente e seu próprio
comportamento foram criados e modificados ao longo da história social da
civilização.
 Para Vigotski, a história da sociedade e o desenvolvimento do homem
caminham juntos e, mais do que isso, estão de tal forma intrincados, que
um não seria o que é sem o outro.
 As crianças, desde o nascimento, estão em constante interação com os
adultos, que ativamente procuram incorporá-las a suas relações e a sua
cultura.
 É através da mediação dos adultos que os processos psicológicos mais
complexos tomam forma.
 No estudo feito por Vigotski, sobre o desenvolvimento da fala, sua visão
fica bastante clara: inicialmente, os aspectos motores e verbais do
comportamento estão misturados. A fala envolve os elementos referenciais,
a conversação orientada pelo objeto, as expressões emocionais e outros
tipos de fala social.
 O desenvolvimento está, pois, alicerçado sobre o plano das
interações. O sujeito faz sua uma ação que tem, inicialmente, um
significado partilhado. Assim, a criança que deseja um objeto
inacessível apresenta movimentos de alcançá-lo, e esses
movimentos são interpretados pelo adulto como "desejo de obtê-
lo", e então lhe dá o objeto.
 O desenvolvimento está, pois, alicerçado sobre o plano das
interações. O sujeito faz sua uma ação que tem, inicialmente, um
significado partilhado. Assim, a criança que deseja um objeto
inacessível apresenta movimentos de alcançá-lo, e esses
movimentos são interpretados pelo adulto como "desejo de obtê-
lo", e então lhe dá o objeto.
ZDP ANTES DA MEDIAÇÃO
VYGOTSKY
ZDP APÓS MEDIAÇÃO
 Segundo Palacios (1995), os psicólogos do desenvolvimento dispõem de
uma variedade de recursos metodológicos de pesquisa, tais como:
 Observação
 Experimentação
 Estudos prolongados de casos individuais
 Etológica
 Ambientalista (Ecológica)
 Cognitivo-evolutiva, processamento da informação
 Histórico-cultural
 Reconceitua a noção ambiente de adaptação;
 Ressalta a conexão do desenvolvimento da espécie
(filogênese) com o desenvolvimento do indivíduo
(ontogênese).
 Destaca a importância das investigações que buscam seus
dados na observação da conduta no meio em que se produz,
embora não deixem de recorrer a outros procedimentos de
estudos.
 Pratica estudos naturalistas, ou seja, tratam de observar os
fatos da forma como são produzidos naturalmente,
procurando afetá-los o mínimo possível pelo fato de estudá-lo.
 Principais temas pesquisados: Interação social criança-crianca,
agressividade, Brincadeiras.
 Considera a multiplicidade de influências que recaem sobre a
criança e o adolescente ao longo de seu desenvolvimento;
 Todos que fazem parte do ciclo de convívio da criança afeta no
seus desenvolvimento e não apenas mãe;
 Entende que os sujeitos se afetam num sentido bidirecional;
 Principais temas pesquisados: Fatores que determinam o
desenvolvimento social da criança.
 As mais ativas e produtivas na década de oitenta;
 Estas perspectivas se adentrou profundamente no estudo de
processos cognitivos básicos tais como a percepção, a atenção, a
memória, o raciocínio, a resolução de problemas, etc.
 Principais temas pesquisados: percepção, crenças.
 Tem ganhado muito destaque nos últimos anos;
 Ressalta o papel histórico e culturalmente mediado;
 A criança recebe dos que a cercam uma série de
instrumentos e estratégias psicológicas, dos quais vai se
apropriar através de um processo de internalização;
 A linguagem é um poderoso recurso instrumental que
reflete a realidade e permite refletir sobre a mesma.
 A construção do psiquismo vai do social ao individual, do
interpessoal ao intrapessoal.
Temas de pesquisa: interação social.
O SER HUMANO É COMPOSTO POR ASPECTOS
BIOPSICOSSOCIAL. ASSIM, QUALQUER
ANÁLISE ACERCA DO DESENVOLVIMENTO
HUMANO DEVE TER COMO PARÂMETRO
ESSAS TRÊS DIMENSÕES, DO CONTRÁRIO,
CORREMOS SÉRIOS RISCO DE FRAGMENTAR
O SUJEITO.
37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
Chrys Souza
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Artur Mamed
 
Jornal História da Psicologia no Brasil
Jornal História da Psicologia no BrasilJornal História da Psicologia no Brasil
Jornal História da Psicologia no Brasil
Felipe Stephan
 
História da psicologia todos os cursos - texto 1 (1)
História da psicologia   todos os cursos - texto 1 (1)História da psicologia   todos os cursos - texto 1 (1)
História da psicologia todos os cursos - texto 1 (1)
Patricia Amorim
 
Objecto da Psicologia
Objecto da PsicologiaObjecto da Psicologia
Objecto da Psicologia
Jorge Barbosa
 
Psicologia uma nova introducao
Psicologia uma nova introducaoPsicologia uma nova introducao
Psicologia uma nova introducao
Lu Cassita
 

Mais procurados (20)

Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e CiênciaIntrodução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
 
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da PsicologiaIntrodução à Psicologia: História da Psicologia
Introdução à Psicologia: História da Psicologia
 
Origens da Psicologia (parte 2)
Origens da Psicologia (parte 2)Origens da Psicologia (parte 2)
Origens da Psicologia (parte 2)
 
Apostila noções de psicologia
Apostila noções de psicologiaApostila noções de psicologia
Apostila noções de psicologia
 
Psicologia introdução
Psicologia introduçãoPsicologia introdução
Psicologia introdução
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologiaAula II   Os grandes sistemas teóricos em psicologia
Aula II Os grandes sistemas teóricos em psicologia
 
Jornal História da Psicologia no Brasil
Jornal História da Psicologia no BrasilJornal História da Psicologia no Brasil
Jornal História da Psicologia no Brasil
 
História da psicologia todos os cursos - texto 1 (1)
História da psicologia   todos os cursos - texto 1 (1)História da psicologia   todos os cursos - texto 1 (1)
História da psicologia todos os cursos - texto 1 (1)
 
Psicologia Geral - Introdução ao Estudo da Psicologia
Psicologia Geral - Introdução ao Estudo da PsicologiaPsicologia Geral - Introdução ao Estudo da Psicologia
Psicologia Geral - Introdução ao Estudo da Psicologia
 
Introdução à psicologia
Introdução à psicologiaIntrodução à psicologia
Introdução à psicologia
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
Objecto da Psicologia
Objecto da PsicologiaObjecto da Psicologia
Objecto da Psicologia
 
Psicologia uma nova introducao
Psicologia uma nova introducaoPsicologia uma nova introducao
Psicologia uma nova introducao
 
Psicologia uma nova introdução
Psicologia uma nova introduçãoPsicologia uma nova introdução
Psicologia uma nova introdução
 
Psicologia conceitos
Psicologia   conceitosPsicologia   conceitos
Psicologia conceitos
 
Historia da psicologia
Historia da psicologiaHistoria da psicologia
Historia da psicologia
 
História da psicologia
História da psicologiaHistória da psicologia
História da psicologia
 
1 psicologia
1 psicologia1 psicologia
1 psicologia
 
Psicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiolaPsicologia geral fabiola
Psicologia geral fabiola
 

Semelhante a 37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao

Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Marcelo Enrico
 
Apostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacionalApostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacional
Gilvane Pereira
 
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptxPsicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
demonoidalex
 

Semelhante a 37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao (20)

PSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdfPSICOLOGIA.pdf
PSICOLOGIA.pdf
 
introdução à psicologia
introdução à psicologiaintrodução à psicologia
introdução à psicologia
 
Comportamento Humano
Comportamento HumanoComportamento Humano
Comportamento Humano
 
Unidade 01 psicologia (1)
Unidade 01   psicologia (1)Unidade 01   psicologia (1)
Unidade 01 psicologia (1)
 
Psi edu
Psi eduPsi edu
Psi edu
 
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407Curso de psicologia_clinica_sp__76407
Curso de psicologia_clinica_sp__76407
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
 
Psicologia pastoral
Psicologia pastoralPsicologia pastoral
Psicologia pastoral
 
Desenvolvimento
DesenvolvimentoDesenvolvimento
Desenvolvimento
 
Escolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. AulaEscolas da Psicologia 1a. Aula
Escolas da Psicologia 1a. Aula
 
Apostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacionalApostila psicologia organizacional
Apostila psicologia organizacional
 
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da EducaçãoIntrodução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 
Aula de desenvolvimento - Psicologia.ppt
Aula de desenvolvimento - Psicologia.pptAula de desenvolvimento - Psicologia.ppt
Aula de desenvolvimento - Psicologia.ppt
 
Teopsicoterapia bentes
Teopsicoterapia bentesTeopsicoterapia bentes
Teopsicoterapia bentes
 
Curso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalhoCurso técnico em segurança do trabalho
Curso técnico em segurança do trabalho
 
ACONSELHAMENTO NOUTÉTICO.pdf
ACONSELHAMENTO NOUTÉTICO.pdfACONSELHAMENTO NOUTÉTICO.pdf
ACONSELHAMENTO NOUTÉTICO.pdf
 
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptxPsicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
 
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptxPsicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
Psicologia conceito e contribuições para a educação.pptx
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 

37280slides aula desenvolvimento humano, psicologgia da educaçao

  • 1.  PROFESSORA : FRANCISCA GUADALUPE RODRIGUES FEIJÃO  DISCIPLINA: PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO.  TEMÁTICA: A PSICOLOGIA CIENTÍFICA; PRINCIPAIS TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO.
  • 2. INTRODUÇÃO  Quantas vezes, no nosso dia-a-dia, ouvimos o termo psicologia? Qualquer um entende um pouco dela. Poderíamos até mesmo dizer que "de psicólogo e de louco todo mundo tem um pouco". O dito popular não é bem este ("de que médico e de louco todo mundo tem um pouco"), mas parece servir aqui perfeitamente.
  • 3.  Usamos o termo psicologia, no nosso cotidiano, com vários sentidos.  Será essa a psicologia dos psicólogos? Certamente não. Essa psicologia, usada no cotidiano pelas pessoas em geral, é denominada de psicologia do senso comum. Mas nem por isso deixa de ser uma psicologia.  É a Psicologia científica que pretendemos apresentar a você. Mas, antes de iniciarmos o seu estudo, faremos uma exposição da relação ciência/senso comum
  • 4.  Existe um domínio da vida que pode ser entendido como vida Por excelência: é a vida do cotidiano. É no cotidiano que tudo flui que as coisas acontecem que nos sentimos vivos, que sentimos a realidade.  Todos esses acontecimentos denunciam que estamos vivos. Já a ciência é uma atividade eminentemente reflexiva. Ela procura compreender, elucidar e alterar esse cotidiano, a partir de seu estudo sistemático.  Quando fazemos ciência, baseamo-nos na realidade cotidiana e pensamos sobre ela. Afastamo-nos dela para refletir e conhecer além de suas aparências. O cotidiano e o conhecimento científico que temos realidade aproximam-se e se afastam: aproximam- se porque a ciência se refere ao real; afastam-se porque a ciência abstrai a realidade para compreendê-la melhor.
  • 5.  Ocorre que, mesmo o mais especializado dos cientistas, quando sai de seu laboratório, está submetido à dinâmica do cotidiano, que cria suas próprias "teorias" a partir das teorias científicas.  O senso comum, na produção desse tipo de conhecimento, percorre um caminho que vai do hábito à tradição, a qual, quando estabelecida, passa de geração para geração.  SENSO COMUM: UMA VISAO-DE-MUNDO  Esse conhecimento do senso comum, além de sua produção característica, acaba por se apropriar, de uma maneira muito singular, de conhecimentos produzidos pelos outros setores da produção do saber humano. O senso comum mistura e recicla esses outros saberes, muito mais especializados, e os reduz a um tipo de teoria simplificada, produzindo uma determinada visão-de-mundo.
  • 6.  A ciência compõe-se de um conjunto de conhecimentos sobre fatos ou aspectos da realidade (objeto de estudo), expresso por meio de uma linguagem precisa e rigorosa. Esses conhecimentos devem ser obtidos de maneira programada, sistemática e controlada, para que se permita a verificação de sua validade.
  • 7.  O berço da Psicologia moderna foi à Alemanha do final do século 19. Wundt, Weber e Fechner trabalharam juntos na Universidade de Leipzi.  Seu status de ciência é obtido à medida que se "liberta" da Filosofia, que marcou sua história até aqui.  Seu status de ciência é obtido à medida que se "liberta" da Filosofia, que marcou sua história até aqui. A evolução da ciência psicológica atrai novos estudiosos e pesquisadores, que, sob os novos padrões de produção de conhecimento, passam a: definir seu objeto de estudo (o comportamento, a vida psíquica, a consciência); delimitar seu campo de estudo, diferenciando-o de outras áreas de conhecimento, como a Filosofia e a Fisiologia;
  • 8.  Essas teorias devem obedecer aos critérios básicos da metodologia científica, isto é, deve-se buscar a neutralidade do conhecimento científico.  Os pioneiros da Psicologia procuraram, dentro das possibilidades, atingir tais critérios e formular teorias.  surgem as primeiras abordagens ou escolas em Psicologia, as quais deram origem às inúmeras teorias que existem atualmente. Essas abordagens são: o Funcionalismo, de William James (1842- 1910), o Estruturalismo, de Edward Titchner (1867-1927) e o Associanismo, de Edward L. Thorndike (1874-1949).
  • 9.  O FUNCIONALISMO  O Funcionalismo é considerado como a primeira sistematização genuinamente americana de conhecimentos em Psicologia.  Desse modo, para a escola funcionalista de W. James importa responder "o que fazem os homens" e "por que o fazem". Para responder a isto, W. James elege a consciência como o centro de suas preocupações e busca a compreensão de seu funcionamento, na medida em que o homem a usa para adaptar-se ao meio. .
  • 10.  O ESTRUTURALISMO  O Estruturalismo está preocupado com a compreensão do mesmo fenômeno que o Funcionalismo: a consciência.  Mas, diferentemente de W. James, Titchner irá estudá-la em seus aspectos estruturais, isto é, os estados elementares da consciência como estruturas do sistema nervoso central.
  • 11.  O ASSOCIONISMO  O principal representante do Associanismo é Edward L. Thorndike, e sua importância está em ter sido o formulador de uma primeira teoria de aprendizagem na Psicologia.  O termo Associanismo origina-se da concepção de que a aprendizagem se dá por um processo de associação das idéias - das mais simples às mais complexas.
  • 12.  Como dissemos anteriormente, um conhecimento, para ser considerado científico, requer um objeto específico de estudo. O objeto da Astronomia são os astros, e o objeto da Biologia são os seres vivos.  Essa classificação bem geral demonstra que é possível tratar o objeto dessas ciências com certa distância, ou seja, é possível isolar o objeto de estudo.
  • 13.  O mesmo não ocorre com a Psicologia, como a Antropologia, a Economia, a Sociologia e todas as ciências humanas, que estuda o homem.  Qual é, então, o objeto específico de estudo da Psicologia?  Como, neste momento, há uma riqueza de valores sociais pelas condições históricas e que permitem várias concepções de homem, diríamos simplificando que, no caso da Psicologia, esta ciência estuda os "diversos homens" concebidos pelo conjunto social. Assim, a Psicologia hoje se caracteriza por uma diversidade de objetos de estudo.
  • 14.  BEHAVIORISMO OU COMPORTAMENTALISMO:  Watson sentiu que os psicólogos deviam estudar o comportamento observável e adotar métodos objetivos. Em 1912, nasceu o behaviorismo e dominou a psicologia americana por trinta anos.  Os psicólogos behavioristas estudavam os eventos ambientais (estímulos), o comportamento observável (respostas) e como a experiência influenciava o comportamento, as aptidões e os traços das pessoas mais do que a hereditariedade.  Ele faz atribuição de que o comportamento não é uma ação isolada, mas sim, que depende do meio onde se vive. O comportamento como objeto observável, mensurável da Psicologia.
  • 15.  GESTALT  A Psicologia da Gestalt pode ser também vista como a Psicologia da forma.  Os gestaltistas estão preocupados em compreender quais os processos psicológicos envolvidos na ilusão de ótica, quando o estímulo físico é percebido pelo sujeito como uma forma diferente da que ele tem na realidade.
  • 16.  PSICANÁLISE  Para quem nunca estudou psicologia antes, é provável não ter ouvido falar de Watson, Skinner ou Max Wertheimer, entretanto, provavelmente já ouviu falar de Sigmund Freud (1856-1939), o médico vienense que se especializou no tratamento de problemas do sistema nervoso e em particular de desordens neuróticas.  Freud adotou a hipnose para ajudar as pessoas a reviverem as experiências traumáticas do passado que pareciam associadas com seus sintomas atuais.  Freud então desenvolveu o método da associação livre no qual os pacientes deitavam num divã e eram encorajados a dizer o que quer que lhes viesse à mente (desejos, conflitos, temores, pensamentos e lembranças), sendo também convidados a relatar seus sonhos.
  • 17.  Em que consiste a Psicologia?  A Psicologia é derivada de palavras gregas que significam "estudo da mente ou da alma". Hoje em dia é comumente definida como a ciência que estuda o comportamento humano.  A psicologia é frequentemente aplicada na indústria, na educação, na engenharia, na saúde, em assuntos de consumo e em muitas outras áreas.
  • 18.  Profissional da área da educação, lidará com pessoas e irá interagir com o ser humano de forma mais intensa, ou seja, por meio do ensino, facilitando a aprendizagem e seus conhecimentos de forma mais abrangente, que não só no momento do ensino, mas que este indivíduo levará para toda a esfera de sua vida.  O profissional da educação deve sentir-se bem para que possa melhor desempenhar seu papel como educador e professor. Ele não é um robô, nem tampouco um insensível a necessidade do outro.
  • 19.  A Psicologia do senso comum que se adquire informalmente leva a um corpo conhecimentos inexatos por diversas razões. O senso comum não proporciona diretrizes sadias para a avaliação de questões complexas.
  • 20.  O tipo de psicologia do senso comum que se adquire informalmente leva a um corpo de conhecimentos inexatos por diversas razões. O senso comum não proporciona diretrizes sadias para a avaliação de questões complexas.  A ciência proporciona diretrizes lógicas para avaliar a evidência e técnicas bem raciocinadas para verificar seus princípios.  Em consequência, os psicólogos geralmente confiam no método científico para as informações sobre o comportamento e os processos mentais. Perseguem objetivos científicos, tais como a descrição e a explicação.Usam procedimentos científicos, inclusive observação e experimentação sistemática, para reunir dados que podem ser observados publicamente
  • 21.
  • 23. Desenvolvimento  Palacios (1995) refere-se aos processos de mudanças psicológicas que ocorrem nas pessoas ao longo de sua vida humana. As mudanças que interessam aos psicólogos do desenvolvimento são aquelas que se relacionam: 1. Aos processos de desenvolvimentos das pessoas; 2. Aos seus processos e crescimento e; 3. As suas experiências vitais significantes.
  • 24.  Existem várias teorias do desenvolvimento humano em Psicologia. Elas foram construídas a partir de observações, pesquisas com grupos de indivíduos em diferentes faixas etárias ou em diferentes culturas, estudos de casos clínicos, acompanhamento de indivíduos desde o nascimento até a idade adulta.
  • 25.  O desenvolvimento humano refere-se ao desenvolvimento mental e ao crescimento orgânico. O desenvolvimento mental é uma construção contínua, que se caracteriza pelo aparecimento gradativo de estruturas mentais.  Estudar o desenvolvimento humano significa conhecer as características comuns de uma faixa etária, permitindo-nos reconhecer as individualidades, o que nos torna mais aptos para a observação e interpretação dos comportamentos.
  • 26.  Hereditariedade - a carga genética estabelece o potencial do indivíduo, que pode ou não se desenvolve  Crescimento orgânico - refere-se ao aspecto físico. O aumento de altura e a estabilização do esqueleto permitem ao indivíduo comportamentos e um domínio do mundo que antes não existiam.  Maturação neurofisiológica - é o que torna possível determinado padrão de comportamento.  Meio - o conjunto de influências e estimulações ambientais altera os padrões de comportamento do indivíduo
  • 27.  Aspecto físico-motor - refere-se ao crescimento orgânico, à maturação neurofisiológica, à capacidade de manipulação de objetos e de exercício do próprio corpo.  Aspecto intelectual - é a capacidade de pensamento, raciocínio.  Aspecto afetivo-emocional - é o modo particular de o indivíduo integrar as suas experiências.  Aspecto social - é a maneira como o indivíduo reage diante das situações que envolvem outras pessoas.
  • 28. 1. FREUD - PSICOSSEXUAL 2. PIAGET- COGNITIVO 3. VYGOTSKY – HISTÓRICO-SOCIAL
  • 29. Fases do desenvolvimento psicossexual, segundo a psicanálise Idade Fase Fonte de prazer 1º ano Oral Prazer derivado dos lábios e bocas: sugar, comer, chupar o dedo, morder. 2º anos Anal Prazer derivado da retenção e expulsão das fezes e também do controle muscular. 3º - 5º anos Fálica Prazer derivado da estimulação genital e fantasias associadas. Complexo de Édipo: interesse sexual do menino pela mãe e da menina pelo pai. 6º - 12º anos Latência Com a repressão temporária dos interesses sexuais, o prazer deriva do mundo externo, da curiosidade, do conhecimento etc., como gratificações substitutas. 12º Genital Prazer derivado das relações sexuais cm companheiros . FREUD
  • 30. Fase do desenvolvimento segundo Piaget Idade Período Características 0 – 2 anos Sensório- motor Desenvolvimento da consciência do próprio corpo, diferenciado do restante do mundo físico. Desenvolvimento da inteligência em três estágios: reflexos de fundo hereditário, organização das percepções e hábitos e inteligência prática. 2 – 7 anos Pré-operatório Desenvolvimento da linguagem, com três conseqüências para a vida mental: a) socialização da ação, com trocas entres os indivíduos; b) desenvolvimento do pensamento; c) finalismo (porquês) e c) desenvolvimento da intuição. 7 – 12 anos Das operações concretas Desenvolvimento do pensamento lógico sobre coisas concretas; compreensão das relações entre coisas e capacidade para classificar objetos; superação do egocentrismo da linguagem; aparecimento das noções de conservação de substância, peso e volume. 12 anos em diante Das operações formais Desenvolvimento da capacidade para construir sistemas e teorias abstratos, para formar e entender conceitos de amor, justiça democracia, etc., do pensamento concreto, sobre coisas, para o pensamento abstrato, hipotético-dedutivo, isto é, o indivíduo se torna capaz de chegar a conclusões a partir de hipóteses. PIAGET
  • 31.  O desenvolvimento infantil é visto a partir de três aspectos: instrumental, cultural e histórico.  O aspecto instrumental:refere-se à natureza basicamente mediadora das funções psicológicas complexas;  O aspecto cultural da teoria :envolve os meios socialmente estruturados pelos quais a sociedade organiza os tipos de tarefa que a criança em crescimento enfrenta, e os tipos de instrumento, tanto mentais como físicos, de que a criança pequena dispõe para dominar aquelas tarefas.  O aspecto histórico:como afirma Luria, funde-se com o cultural, pois os instrumentos que o homem usa para dominar seu ambiente e seu próprio comportamento foram criados e modificados ao longo da história social da civilização.
  • 32.  Para Vigotski, a história da sociedade e o desenvolvimento do homem caminham juntos e, mais do que isso, estão de tal forma intrincados, que um não seria o que é sem o outro.  As crianças, desde o nascimento, estão em constante interação com os adultos, que ativamente procuram incorporá-las a suas relações e a sua cultura.  É através da mediação dos adultos que os processos psicológicos mais complexos tomam forma.  No estudo feito por Vigotski, sobre o desenvolvimento da fala, sua visão fica bastante clara: inicialmente, os aspectos motores e verbais do comportamento estão misturados. A fala envolve os elementos referenciais, a conversação orientada pelo objeto, as expressões emocionais e outros tipos de fala social.
  • 33.  O desenvolvimento está, pois, alicerçado sobre o plano das interações. O sujeito faz sua uma ação que tem, inicialmente, um significado partilhado. Assim, a criança que deseja um objeto inacessível apresenta movimentos de alcançá-lo, e esses movimentos são interpretados pelo adulto como "desejo de obtê- lo", e então lhe dá o objeto.  O desenvolvimento está, pois, alicerçado sobre o plano das interações. O sujeito faz sua uma ação que tem, inicialmente, um significado partilhado. Assim, a criança que deseja um objeto inacessível apresenta movimentos de alcançá-lo, e esses movimentos são interpretados pelo adulto como "desejo de obtê- lo", e então lhe dá o objeto.
  • 34. ZDP ANTES DA MEDIAÇÃO VYGOTSKY
  • 36.  Segundo Palacios (1995), os psicólogos do desenvolvimento dispõem de uma variedade de recursos metodológicos de pesquisa, tais como:  Observação  Experimentação  Estudos prolongados de casos individuais
  • 37.  Etológica  Ambientalista (Ecológica)  Cognitivo-evolutiva, processamento da informação  Histórico-cultural
  • 38.  Reconceitua a noção ambiente de adaptação;  Ressalta a conexão do desenvolvimento da espécie (filogênese) com o desenvolvimento do indivíduo (ontogênese).  Destaca a importância das investigações que buscam seus dados na observação da conduta no meio em que se produz, embora não deixem de recorrer a outros procedimentos de estudos.  Pratica estudos naturalistas, ou seja, tratam de observar os fatos da forma como são produzidos naturalmente, procurando afetá-los o mínimo possível pelo fato de estudá-lo.  Principais temas pesquisados: Interação social criança-crianca, agressividade, Brincadeiras.
  • 39.  Considera a multiplicidade de influências que recaem sobre a criança e o adolescente ao longo de seu desenvolvimento;  Todos que fazem parte do ciclo de convívio da criança afeta no seus desenvolvimento e não apenas mãe;  Entende que os sujeitos se afetam num sentido bidirecional;  Principais temas pesquisados: Fatores que determinam o desenvolvimento social da criança.
  • 40.  As mais ativas e produtivas na década de oitenta;  Estas perspectivas se adentrou profundamente no estudo de processos cognitivos básicos tais como a percepção, a atenção, a memória, o raciocínio, a resolução de problemas, etc.  Principais temas pesquisados: percepção, crenças.
  • 41.  Tem ganhado muito destaque nos últimos anos;  Ressalta o papel histórico e culturalmente mediado;  A criança recebe dos que a cercam uma série de instrumentos e estratégias psicológicas, dos quais vai se apropriar através de um processo de internalização;  A linguagem é um poderoso recurso instrumental que reflete a realidade e permite refletir sobre a mesma.  A construção do psiquismo vai do social ao individual, do interpessoal ao intrapessoal. Temas de pesquisa: interação social.
  • 42. O SER HUMANO É COMPOSTO POR ASPECTOS BIOPSICOSSOCIAL. ASSIM, QUALQUER ANÁLISE ACERCA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DEVE TER COMO PARÂMETRO ESSAS TRÊS DIMENSÕES, DO CONTRÁRIO, CORREMOS SÉRIOS RISCO DE FRAGMENTAR O SUJEITO.