SlideShare uma empresa Scribd logo
REVOLUÇÃO
CUBANA
Socialismo real
Karl Marx Friedrich Engels
Prof. Cristiano
Pissolato
México
Jamaica Haiti
República
Dominicana
Flórida (EUA)
Cuba
Nicarágua
Venezuela
Panamá
Movimento de independência
• Conflitos entre os cubanos
e metrópole Espanha
agravaram-se a partir de
1868.
• Diversos líderes cubanos
surgiram, cabe destaque a
José Martí, este acabou
sendo morto em conflito
com as tropas espanholas
em 1895.
José Martí (1853-1895) foi o
fundador do Partido Revolucionário
Cubano em 1892 que lutou contra o
poder espanhol na região. Morto
em 1895 é lembrado como um herói
do movimento de independência de
Cuba.
Interferência dos EUA (1898-1902)
• Na disputa pela influência de territórios na América
Central, surge a Guerra Hispano-Americana (1895-
1898), que teve como desfecho a vitória dos EUA
sobre a Espanha.
Os Estados Unidos tomaram
o controle administrativo além
de Porto Rico, Cuba e na Ásia
as Filipinas.
Vitória norte-americana aliando-se
a um pequeno grupo de rebeldes
cubanos, contra a resistência dos
espanhóis na Batalha da Baía de
Guantánamo (1898). Na imagem
hasteamento da bandeira dos EUA
dava os primeiros sinais na
tendência de subjugar a ilha.
• Nesse contexto Cuba ficou ocupada militarmente
pelos EUA até 1903.
• Em 1901 é aprovada a Emenda Platt que dava
aos Estados Unidos o direto de intervirem no
país para garantir seus interesses.
Charge sobre a política norte-
americana do Big Stick, em
português “Grande Porrete”,
slogan criado pelo presidente
estadunidense Theodore
Roosevelt (1901-1909).
• Em 1902 assume o poder primeiro presidente
cubano, mas nação está sob tutela constante dos
EUA, devido a Emenda Platt.
Hasteamento da
bandeira cubana no
Palácio do Governador
em 1902, sede do poder
Executivo em Cuba.
Independência de Cuba em 1902
Tomás Estrada Palma, primeiro
presidente cubano governando a nação
de 1902 a 1906. Realiza um governo
considerado “entreguista”. Sob pressão
popular acaba renunciando em 1906 e o
governo norte-americano intervêm na
ilha pela segunda vez (apoiados na
Emenda Platt), nomeando governadores
provisórios para Cuba até 1909.
A bandeira da República de Cuba desde a
independência em 1902,ela não foi alterada depois
da Revolução Cubana em 1959 e permanece até os
dias atuais.
A bandeira tem origem no movimento de
independência da metade do século XIX, o
triangulo equilátero representa a liberdade,
igualdade e fraternidade, o vermelho: sangue dos
heróis nacionais e a estrela branca simboliza a
solidariedade entre os povos.
Em 1903 o governo cubano assina um tratado
de arrendamento perpétuo aos Estados Unidos
de um pequeno território na Baía de
Guantánamo, onde atualmente os
estadunidenses mantem uma base naval e um
complexo penitenciário.
• Na estrutura econômica, a ilha manteve-se como
nos tempos coloniais, baseando-se na exportação
de açúcar.
• O turismo, principalmente de norte-americanos
passaram a aproveitar as belas praias, cassinos, etc.
Hotel Nacional de Cuba
inaugurado na década de 1930,
atualmente serve somente como
hotel, mas até a Revolução
Cubana de 1959 funcionava um
cassino e reunia muitas vezes a
elite política, artística e mafiosa
norte-americana.
• Disputas políticas internas
em Cuba acarretaram em
1933 no golpe de Estado
que derruba do poder o
presidente Gerardo
Machado y Morales.
Gerardo Machado y Morales (1871-1939)
eleito democraticamente presidente de Cuba
governando à partir de 1925, reelege-se em
1928 e no ano seguinte implante um governo
cada vez mais autoritário. Mas a oposição se
intensifica até ser deposto em 1933, assim é
forçado a fugir para os Estados Unidos onde
acaba por falecer em 1939.
• O sargento Fulgencio Batista, líder do golpe de
Estado passa a ter um poder político muito
grande de 1933 a 1940, com apoio norte-
americano.
Visita em 1938 de
Fulgencio Batista (esq.)
a embaixada cubana em
Washington, sendo
recebido pelo
embaixador cubano nos
EUA.
Em primeiro plano
Fulgencio Batista, ao
centro da imagem o Chefe
do Estado Maior dos
Exército dos Estados
Unidos, o general Malin
Craig em Washington no
ano de 1938.
Instabilidade política em Cuba
Lista de presidentes cubanos (1933-1940)
Gerardo Machado y
Morales
Deposto em 1933.
Alberto Herrera y
Franchi
Agosto de 1933.
Carlos Céspedes y
Quesada
De agosto/setembro
de 1933.
Ramón Grau San
Martín
De setembro/1933 a
janeiro de 1934.
Carlos Hevia Janeiro de 1934.
Manuel Márquez
Sterling
Dia 18/01/1934.
Carlos Mendieta De janeiro de 1934 a
dezembro de 1935.
José Agripino Barnet De dezembro de 1935
a maio de 1936.
Miguel Mariano
Gómez
Maio a dezembro de
1936.
Federico Laredo Brú Dezembro de 1936 a
outubro de 1940.
Depois da queda de Gerardo Machado y
Morales, nenhum presidente foi eleito e
todos renunciaram ou foram depostos
pela pressão política do chefe da Forças
Armadas, Fulgencio Batista.
• Em 1940 Batista elege-se
presidente governando o
país até 1944.
• Declarou guerra a
Alemanha nazista, a Itália
fascista e ao Japão.
• De 1944 a 1952, Cuba
passa por um período
democrático, tendo dois
governos eleitos.
Fulgencio Batista y Zaldívar, nasceu em
Banes (Cuba) em 1901. No Exército
liderou Revolução dos Sargentos em
1933, assim passou ao posto de coronel
e chefe do Estado Maior do Exército.
Em 1940 candidata-se a presidência da
República vencendo a eleição.
• Em 1952 com grande moral perante as Forças
Armadas e apoiado por parte da elite cubana,
Fulgencio Batista toma o poder por meio de um
golpe de Estado.
Em 1954 realizam-
se eleições
presidenciais, porém
ocorreram vários
distúrbios e fraudes
no processo eleitoral
como na maioria das
eleições em Cuba.
Vitória de Batista
que permanece no
poder.
• Batista governa como um ditador, persegue a
oposição e muitos são executados.
• Um problema também foi a corrupção que
manteve-se fora de controle.
O presidente Batista ao
centro com seus aliados
militares, execuções de
opositores e um regime
opressivo desmedido
levaram a aumentar a
impopularidade de seu
governo.
O governo de Batista favoreceu a entrada de
investimentos externos, mas grande parte do
dinheiro vinha de fontes ilícitas., A ilha passou
a servir em grande parte para a lavagem de
dinheiro, nesse contexto grandes mafiosos
dos EUA estavam seguidamente em Cuba
como Mayer Lansk, Charles “Lucky” Luciano.
• Apoiado pelos EUA no contexto da
Guerra Fria, Batista manteve os
diretos da empresas norte-
americanas.
Boate e cassino Tropicana em Havana fazia sucesso na
década de 1950, grandes negócios em Cuba eram
mantidos por grupos mafiosos estadunidenses.
Oposição ao governo de Fulgencio
Batista
Primeira tentativa = fracasso total
• Em 1953 o grupo de Fidel Castro tenta tomar o
quartel Moncada em Santiago de Cuba.
• A tentativa fracassa e vários revolucionários
acabam falecendo e outros acabam presos,
inclusive Fidel.
Fidel Castro sendo
interrogado depois da
tentativa fracassada em La
Moncada.
Fidel e outros
participantes do assalto
capturados pelas forças
legalistas de Batista.
Foto do quartel Moncada
na cidade de Santiago de
Cuba cravado de balas
depois do confronto.
• Em 1955 sob pressão Batista
libera para o exílio vários
opositores ao regime,
inclusive os irmãos Castro.
• Fidel Castro exila-se no
México, onde planeja o novo
ataque.
• Em 1955 é criado de forma
clandestina o M-26-7
(Movimento 26 de julho).
Movimento 26 de julho (M-26-7)
grupo de oposição ao regime de
governo autoritário de Fulgencio
Batista, tendo como principal líder
Fidel Castro. O nome é relativo a
data do ataque fracassado ao
quartel de La Moncada no dia 26
de julho de 1953.
• Principais líderes do M-26-7: Fidel Castro, Raul
Castro, Camilo Cienfuegos, Ernesto “Che”
Guevara.
Fidel Castro
(1926- )
Raul Castro
(1931- )
Ernesto “Che” Guevara
(1928-1967) nasceu na
Argentina, foi morto na
Bolívia quando
organizava um foco
guerrilheiro no país.
Camilo Cienfuegos
(1932-1959) faleceu
pouco tempo depois
da Revolução, motivo:
um desastre aéreo.
• Em 1956 a bordo do iate Granma os
revolucionários chegaram a Cuba e instalaram-se
em Sierra Maestra.
Capital: Havana
Desembarque do
Granma
Sierra Maestra Santiago de
Cuba
• Um primeiro combate levou a morte de vários
guerrilheiros, o restante do grupo em torno de
vinte conseguiram chegar a Sierra Maestra.
• O grupo recebeu o apoio de camponeses da
região.
O presidente
Batista indicando as
posições do grupo
de Fidel Castro em
Sierra Maestra no
ano de 1957.
• Realizando um governo opressor e tirânico, o
governo dos Estados Unidos retira em parte seu
apoio ao governo de Batista.
Soldados do governo de Batista executando um soldado rebelde.
• A região montanhosa
dificultou a repressão ao
movimento por parte do
governo.
Vista atual do
Parque Nacional
Turquino (Sierra
Maestra) criado
em 1980.
• Em 1958 o grupo de
Fidel ataca povoados
vencendo frágil
resistência do Exército
e recebendo adesões
de muitas pessoas.
• Em dezembro ocorreu
a decisiva vitória dos
revolucionários com
apoio de civis na
cidade de Santa Clara.
Che Guevara conversa com seus comandados logo após a
vitória na Batalha de Santa Clara (janeiro de 1959).
• Em dezembro de 1958 ocorreu a decisiva vitória
dos revolucionários com apoio de civis na cidade
de Santa Clara.
• Sem controle sob o Exército e sem apoio da
população, Batista foge de Cuba no dia
01/01/1959. Com a fuga de Batista, as forças que defendiam
Havana recebem a ordem de não entrar em
confronto com as forças de Fidel, que ocupa a
cidade em janeiro de 1959.
• O líder Fidel Castro declara vitória e desfila na
capital Havana em janeiro de 1959, o movimento
ficou conhecido como Revolução Cubana.
Cienfuegos e Fidel Castro entrando
em Havana (08/01/1959).
Fulgencio Batista foge para a República
Dominicana e depois para a Espanha
onde vem a falecer em 1973.
Fidel discursando
frente a população
cubana.
Tropas revolucionárias
entrando em Havana com
os poucos tanques do
Exército que foram
capturados.
Cuba: de 1959 a 1961
• O líder da revolução Fidel Castro nomeou o novo
presidente da República, mas o poder estava de
fato na mão primeiro-ministro que era Fidel.
Situação política em Cuba (1959-1976)
Presidente Primeiro-ministro
Osvaldo Dorticós Torrado Fidel Castro
Advogado, apoiou a Revolução Cubana, foi
nomeado presidente em 1959, permanecendo
no cargo até 1976 quando é alterada a
Constituição.
Passou a governar de fato o país, com a
promulgação de uma nova Constituição em
1976 acumula a função dos dois cargos,
sendo chefe de Estado e de governo.
• Colaboradores do regime de Batista e opositores
de Fidel Castro são perseguidos, presos, julgados
e muitos executados.
O tenente-coronel Cornelios Rojas chefe da
Polícia na cidade de Santa Clara. Um dos líderes
das tropas de Fulgencio Batista na Batalha de
Santa Clara foi preso e depois executado por
uma tropa de fuzilamento no “paredon” em
1959. A imagem ao lado circulou em uma
revista cubana, a imprensa foi chamada para
acompanhar a execução.
Cubanos que são contrários ao regime
comunista em Cuba ou que são pegos
tentando fugir da ilha (principalmente
para a costa da Flórida nos EUA), podem
pegar como pena máxima, a de morte por
fuzilamento no chamado “paredón”.
• Em abril Fidel Castro realiza uma visita a
Washington, sendo recebido pelo vice-
presidente.
Fidel Castro em frente a estátua de
Lincoln, no Lincoln Memorial.
Encontro entre o líder cubano e o vice-
presidente dos EUA, Richard Nixon em 1959.
• Em maio de 1959 é aprovada a primeira lei de
reforma agrária, prejudicando proprietários
cubanos e estadunidenses.
Quase a totalidade da
agricultura cubana está
nas mãos de pequenas
propriedades
familiares ou fazendas
coletivas.
A partir da década de
1970 foi incentivado a
produção agrícola de
gêneros alimentícios,
apesar da cana de
açúcar continuar tendo
destaque na economia
cubana (Imagem de
2010).
• Em 1960 o governo
cubano passa a
nacionalizar todas as
empresas, norte-
americanas em sua
maioria.
• Iniciam-se os embargos
econômicos dos EUA à
Cuba.
Fidel na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) em
Nova York, setembro de 1960. Nesse momento o líder
cubano passa a aproximar-se a União Soviética.
Fidel Castro: alia-se ao grupo
comunista na Guerra Fria
• Em 1960 o governo
cubano assina com o
governo soviético
acordos econômicos,
como a garantia de
venda da sua produção
açucareira.
• A URSS passou a
fornecer petróleo, armas
e produtos
industrializados.
Fidel Castro e o líder soviético
Nikita Khrushchev durante o
selamento dos acordos que
levaram a Revolução Cubana ao
comunismo em 1961.
Tentativa de tirar Fidel Castor do poder
• Em 1961 ocorre a chamada Invasão da Baía dos
Porcos, onde um grupo de soldados cubanos
exilados com apoio dos EUA (organizada pela CIA)
tentam invadir e derrubar o governo de Fidel.
Havana
O ataque foi promovido
pela CIA contando com apoio
logístico do governo da
Guatemala onde os ex-
combatentes exilados do
Exército cubano de Fulgencio
Batista treinaram e
receberam armas. Ao lado
localização da Baía dos
Porcos onde o ataque
ocorreu.
• Vitória de Fidel, do comunismo em Cuba depois
de três dias de luta.
Avenida na capital cubana
em 2013 com slogam de
propaganda do governo “La
revolución seguirá adelante”.
Charge de Diego Novaes
sobre a Revolução
Cubana: “Enquanto isso
... 50 anos atrás.”
• As relações entre EUA e Cuba se deterioram
totalmente.
• Em 1962 Cuba é expulsa da OEA – Organização dos
Estados Americanos.
Ernesto Che Guevara (dir.) ao
lado de Fidel, o médico e
guerrilheiro argentino nascido
em Santa Fé. Braço direito de
Fidel Castro passa a ocupar
cargos importantes do
governo cubano com
presidente do Banco Nacional
e Ministro da Industria.
Em 1965 deixa Cuba para
iniciar uma guerra “anti-
imperialista” acaba morto na
Bolívia em 1967.
Crise dos mísseis de Cuba (1962)
• Ainda em 1962 o governo cubano permite que a
URSS comece a planejar e instalar uma base de
mísseis nucleares.
Desfile militar
em Moscou do
míssil nuclear
SS-4.
Imagem de novembro
de 1962 de um local de
lançamento de mísseis
em San Cristóbal
(Cuba). Situados a
apenas 150km do
território dos EUA. As
imagens foram
capturadas por um
avião espião
estadunidense.
• O governo soviético alegou que eram apenas
mísseis defensivos.
• Após negociações os soviéticos aceitaram retirar o
mísseis de Cuba. Os EUA também retiraram
posteriormente seus mísseis da Turquia.
• Ficou também acordado que os EUA não tentariam
invadir ou apoiar outra invasão a ilha.
Encontro entre as duas
superpotências em Viena
(1961), o soviético Nikita
Khrushchev (esq.) e o
presidente norte-americano
John Kennedy (dir.).
As negociações
envolvendo a Crise
dos mísseis foram de
grande tensão
mundial.
Pós-crise: Cuba de 1962 a 1990
• E 1965 é criado o PCC – Partido
Comunista de Cuba, o único legal
e que controla todas as esferas
políticas do país.
Logotipo do
PCC – Partido
Comunista de
Cuba.
Sede em Havana do Comitê Central Partido Comunista
de Cuba, o centro do poder do país.
• Uma nova constituição é promulgada em 1976 e
Fidel Castro centraliza todo o poder, sendo chefe
de Estado e de governo.
Fidel e o
presidente soviético
Leonild Brejnev de
1964 a 1982.
• O poder Legislativo cabe a Assembleia Nacional,
composta por 614 membros eleitos para
mandatos de cinco anos (todos do PCC).
Capitólio
Nacional de
Havana
inaugurado em
1929 serve como
sede da
Assembleia
Nacional.
Na prática os seus
membros apoiam e validam
as decisões tomadas pelo
Comitê Central do Partido
Comunista de Cuba.
• Os meios de
comunicação foram
censurados, passando
apenas a circular
periódicos estatais.
• Canais de televisão e
emissoras de rádio
passaram ao controle
do governo.
Lançado em 1965 o jornal
Granma é a voz do PCC, o jornal
além da ilha de Fidel, possui uma
versão internacional em inglês.
Acima cubano em Havana lendo o
Granma.
Economicamente e socialmente
Área econômica
(1960-1991)
Políticas sociais
Extremamente
dependente da URSS e
os aliados comunistas
do Leste Europeu.
Promoveu uma reforma
agrária e urbana.
Recebia petróleo e
armamento da URSS, a
preço mais barato.
Grandes investimentos
em educação, erradicando
o analfabetismo e
aumentando as vagas em
cursos técnicos e
superiores.
Os soviéticos e países
do bloco do Leste
adquiriam o principal
produto cubano, o
açúcar.
Investimentos em saúde,
levaram a redução da taxa
de mortalidade infantil e o
aumento da expectativa
de vida.
Sala de aula em Cuba, a taxa de
analfabetismo no país é de 3,3%.
Cuba e a Guerra Fria
• O país realizou colaborações
militares a governos e
guerrilhas comunistas.
• Cabe destaque a ajuda militar
enviada ao governo
comunista de Angola de 1975
a 1991 e da Etiópia 1975 a
1989.
Mandou assessores militares ao Congo,
Argélia, Benin. Também com armas e
treinamento a guerrilha da FMLN (Frente
Farabundo Martí de Libertação Nacional)
em El Salvador e a Revolução Sandinista na
Nicarágua em 1979.
O apoio cubano ao governo de Agostinho
Neto em 1975 foi fundamental para a
manutenção do poder em Luanda da
guerrilha marxista do MPLA (Movimento
Popular de Libertação de Angola), Cuba
manteve o número máximo 35.000
soldados em Angola até a retirada em 1991.
Crise com o fim da União Soviética
• O fim da URSS em 1991 e dos países do
comunistas do Leste Europeu agravou a situação
econômica da ilha. Na década de 1990, as fontes
de recursos são as remessas de
dólares enviadas a ilha pelos
cubanos residentes nos EUA e o
turismo.
A fabricação de charutos é
controlada pela empresa
estatal Cubatabaco, que
através da Habanos S.A.
exporta diversas marcas de
charutos (Montecristo,
Romeu y Julieta, Cohiba,
Partagás).
• Apesar da crise econômica o líder Fidel Castro
continuou no poder até seu afastamento por
doença em 2008.
Depois da Guerra Fria e o fim de vários
regimes autoritários como no Brasil em
1985 possibilitou ao governo cubano
aproximar-se novamente com vários
países. Na imagem o líder cubano com
os presidentes brasileiros Fernando
Henrique Cardoso e Lula.
Quem assumiu
o poder em Cuba
em 2008 foi o
irmão de Fidel,
Raul Castro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
Cristina Soares
 
A revolução cubana richard camara
A revolução cubana   richard camaraA revolução cubana   richard camara
A revolução cubana richard camara
soniawanderley
 
Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)
Vitor Morais
 
Cap 61 0 mundo do pós guerra
Cap 61 0 mundo do pós guerraCap 61 0 mundo do pós guerra
Cap 61 0 mundo do pós guerra
Auxiliadora
 
Guerra Fria e Am. Latina
Guerra Fria e Am. LatinaGuerra Fria e Am. Latina
Guerra Fria e Am. Latina
Lais Kerry
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
Aulas de História
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubana
historiando
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
Lais Kerry
 
Aula revolução cubana
Aula revolução cubanaAula revolução cubana
Aula revolução cubana
tyromello
 
1968
19681968
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
Maria Casimiro
 
A Revolução Cubana
A Revolução CubanaA Revolução Cubana
A Revolução Cubana
Robert Plant
 
Guerra Fria na Ásia
Guerra Fria na ÁsiaGuerra Fria na Ásia
Guerra Fria na Ásia
eiprofessor
 
Guerra Fria e ONU
Guerra Fria e ONUGuerra Fria e ONU
Guerra Fria e ONU
Aline Oliveira
 
24 Revolução Cubana
24  Revolução  Cubana24  Revolução  Cubana
24 Revolução Cubana
Renato Coutinho
 
Revolução cubana 1959
Revolução cubana   1959Revolução cubana   1959
Revolução cubana 1959
Valeria Kosicki
 
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundialGUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
ElvisJohnR
 
América no século XX
América no século XXAmérica no século XX
América no século XX
Edenilson Morais
 
Guerra fria e globalização
Guerra fria e globalizaçãoGuerra fria e globalização
Guerra fria e globalização
Portal do Vestibulando
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
BriefCase
 

Mais procurados (20)

Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
A revolução cubana richard camara
A revolução cubana   richard camaraA revolução cubana   richard camara
A revolução cubana richard camara
 
Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)Revolução cubana (of)
Revolução cubana (of)
 
Cap 61 0 mundo do pós guerra
Cap 61 0 mundo do pós guerraCap 61 0 mundo do pós guerra
Cap 61 0 mundo do pós guerra
 
Guerra Fria e Am. Latina
Guerra Fria e Am. LatinaGuerra Fria e Am. Latina
Guerra Fria e Am. Latina
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Aula revolução cubana
Aula revolução cubanaAula revolução cubana
Aula revolução cubana
 
1968
19681968
1968
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
A Revolução Cubana
A Revolução CubanaA Revolução Cubana
A Revolução Cubana
 
Guerra Fria na Ásia
Guerra Fria na ÁsiaGuerra Fria na Ásia
Guerra Fria na Ásia
 
Guerra Fria e ONU
Guerra Fria e ONUGuerra Fria e ONU
Guerra Fria e ONU
 
24 Revolução Cubana
24  Revolução  Cubana24  Revolução  Cubana
24 Revolução Cubana
 
Revolução cubana 1959
Revolução cubana   1959Revolução cubana   1959
Revolução cubana 1959
 
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundialGUERRA FRIA - a nova ordem mundial
GUERRA FRIA - a nova ordem mundial
 
América no século XX
América no século XXAmérica no século XX
América no século XX
 
Guerra fria e globalização
Guerra fria e globalizaçãoGuerra fria e globalização
Guerra fria e globalização
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 

Destaque

16996275 sistema-de-saude-em-cuba
16996275 sistema-de-saude-em-cuba16996275 sistema-de-saude-em-cuba
16996275 sistema-de-saude-em-cuba
Caroline Augusta
 
Manifiesto Comunista
Manifiesto ComunistaManifiesto Comunista
Manifiesto Comunista
camilo2010
 
Karl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistasKarl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistas
espacoaberto
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
Alan
 
Teoria Marxista
Teoria MarxistaTeoria Marxista
Teoria Marxista
Isabella Silva
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
Fatima Freitas
 
Karl marx slides
Karl marx slidesKarl marx slides
Karl marx slides
Tiago de Melo
 
Karl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de SociologiaKarl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de Sociologia
Josias Vitor
 
Conceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl MarxConceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl Marx
João Marcelo
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
leoplan2
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Marxismo
MarxismoMarxismo
Karl Marx e suas teorias
Karl Marx e suas teoriasKarl Marx e suas teorias
Karl Marx e suas teorias
Rafaela Alves
 
Teorias Socialistas
Teorias SocialistasTeorias Socialistas
Teorias Socialistas
Edenilson Morais
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
minervagigia
 

Destaque (16)

16996275 sistema-de-saude-em-cuba
16996275 sistema-de-saude-em-cuba16996275 sistema-de-saude-em-cuba
16996275 sistema-de-saude-em-cuba
 
Manifiesto Comunista
Manifiesto ComunistaManifiesto Comunista
Manifiesto Comunista
 
Karl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistasKarl max e as teorias socialistas
Karl max e as teorias socialistas
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
 
Teoria Marxista
Teoria MarxistaTeoria Marxista
Teoria Marxista
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Karl marx slides
Karl marx slidesKarl marx slides
Karl marx slides
 
Karl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de SociologiaKarl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de Sociologia
 
Conceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl MarxConceitos de Karl Marx
Conceitos de Karl Marx
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
Marxismo
MarxismoMarxismo
Marxismo
 
Karl Marx e suas teorias
Karl Marx e suas teoriasKarl Marx e suas teorias
Karl Marx e suas teorias
 
Teorias Socialistas
Teorias SocialistasTeorias Socialistas
Teorias Socialistas
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 

Semelhante a 364 abcd socialismo real em cuba

Guerrilhas latinas
Guerrilhas latinasGuerrilhas latinas
Guerrilhas latinas
Geovane da Silva Pessoa
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
João Lima
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
Valéria Shoujofan
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
maysacristina
 
Slide-cuba pre e pos fidel castro
Slide-cuba pre e pos fidel  castro Slide-cuba pre e pos fidel  castro
Slide-cuba pre e pos fidel castro
daianespereira
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
alunosbertoni
 
Rev cubana
Rev cubanaRev cubana
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
Luana Bastos
 
Revisão 9º ano
Revisão 9º ano Revisão 9º ano
Revisão 9º ano
Janaína Bindá
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubana
Nelia Salles Nantes
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
anotheruntitled
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
anotheruntitled
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
eduardosalgdo
 
A América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXIA América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXI
Paulo Alexandre
 
A AMÉRICA LATINA
A AMÉRICA LATINAA AMÉRICA LATINA
A AMÉRICA LATINA
Paulo Alexandre
 
Junior belle revolucao_cubana
Junior belle revolucao_cubanaJunior belle revolucao_cubana
Junior belle revolucao_cubana
moratonoise
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
harlissoncarvalho
 
Socialimo em cuba - Mateus Duarte
Socialimo em cuba - Mateus DuarteSocialimo em cuba - Mateus Duarte
Socialimo em cuba - Mateus Duarte
Mateus Duarte
 
Rev.cubana
Rev.cubanaRev.cubana
Rev.cubana
TinaCriis
 
Aula 3 - Júlio Cortázar
Aula 3 - Júlio CortázarAula 3 - Júlio Cortázar
Aula 3 - Júlio Cortázar
isadoravivacqua
 

Semelhante a 364 abcd socialismo real em cuba (20)

Guerrilhas latinas
Guerrilhas latinasGuerrilhas latinas
Guerrilhas latinas
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Slide-cuba pre e pos fidel castro
Slide-cuba pre e pos fidel  castro Slide-cuba pre e pos fidel  castro
Slide-cuba pre e pos fidel castro
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Rev cubana
Rev cubanaRev cubana
Rev cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Revisão 9º ano
Revisão 9º ano Revisão 9º ano
Revisão 9º ano
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
A América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXIA América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXI
 
A AMÉRICA LATINA
A AMÉRICA LATINAA AMÉRICA LATINA
A AMÉRICA LATINA
 
Junior belle revolucao_cubana
Junior belle revolucao_cubanaJunior belle revolucao_cubana
Junior belle revolucao_cubana
 
Revolução cubana
Revolução cubanaRevolução cubana
Revolução cubana
 
Socialimo em cuba - Mateus Duarte
Socialimo em cuba - Mateus DuarteSocialimo em cuba - Mateus Duarte
Socialimo em cuba - Mateus Duarte
 
Rev.cubana
Rev.cubanaRev.cubana
Rev.cubana
 
Aula 3 - Júlio Cortázar
Aula 3 - Júlio CortázarAula 3 - Júlio Cortázar
Aula 3 - Júlio Cortázar
 

Mais de crpp

359 abcde guerra no pacífico
359 abcde guerra no pacífico359 abcde guerra no pacífico
359 abcde guerra no pacífico
crpp
 
358 abcd frente oriental
358 abcd frente oriental358 abcd frente oriental
358 abcd frente oriental
crpp
 
357 abc reviravolta dos aliados
357 abc reviravolta dos aliados357 abc reviravolta dos aliados
357 abc reviravolta dos aliados
crpp
 
356 ab avanço do eixo
356 ab avanço do eixo356 ab avanço do eixo
356 ab avanço do eixo
crpp
 
355 a europa preguerra
355 a europa preguerra355 a europa preguerra
355 a europa preguerra
crpp
 
354 abcde hitler no poder
354 abcde hitler no poder354 abcde hitler no poder
354 abcde hitler no poder
crpp
 
353 abcd crise de 1929
353 abcd crise de 1929353 abcd crise de 1929
353 abcd crise de 1929
crpp
 
352 abc mussolini no poder
352 abc mussolini no poder352 abc mussolini no poder
352 abc mussolini no poder
crpp
 
352 ab stalin no poder
352 ab stalin no poder352 ab stalin no poder
352 ab stalin no poder
crpp
 
351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial
crpp
 

Mais de crpp (10)

359 abcde guerra no pacífico
359 abcde guerra no pacífico359 abcde guerra no pacífico
359 abcde guerra no pacífico
 
358 abcd frente oriental
358 abcd frente oriental358 abcd frente oriental
358 abcd frente oriental
 
357 abc reviravolta dos aliados
357 abc reviravolta dos aliados357 abc reviravolta dos aliados
357 abc reviravolta dos aliados
 
356 ab avanço do eixo
356 ab avanço do eixo356 ab avanço do eixo
356 ab avanço do eixo
 
355 a europa preguerra
355 a europa preguerra355 a europa preguerra
355 a europa preguerra
 
354 abcde hitler no poder
354 abcde hitler no poder354 abcde hitler no poder
354 abcde hitler no poder
 
353 abcd crise de 1929
353 abcd crise de 1929353 abcd crise de 1929
353 abcd crise de 1929
 
352 abc mussolini no poder
352 abc mussolini no poder352 abc mussolini no poder
352 abc mussolini no poder
 
352 ab stalin no poder
352 ab stalin no poder352 ab stalin no poder
352 ab stalin no poder
 
351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial
 

Último

Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 

364 abcd socialismo real em cuba

  • 1. REVOLUÇÃO CUBANA Socialismo real Karl Marx Friedrich Engels Prof. Cristiano Pissolato México Jamaica Haiti República Dominicana Flórida (EUA) Cuba Nicarágua Venezuela Panamá
  • 2. Movimento de independência • Conflitos entre os cubanos e metrópole Espanha agravaram-se a partir de 1868. • Diversos líderes cubanos surgiram, cabe destaque a José Martí, este acabou sendo morto em conflito com as tropas espanholas em 1895. José Martí (1853-1895) foi o fundador do Partido Revolucionário Cubano em 1892 que lutou contra o poder espanhol na região. Morto em 1895 é lembrado como um herói do movimento de independência de Cuba.
  • 3. Interferência dos EUA (1898-1902) • Na disputa pela influência de territórios na América Central, surge a Guerra Hispano-Americana (1895- 1898), que teve como desfecho a vitória dos EUA sobre a Espanha. Os Estados Unidos tomaram o controle administrativo além de Porto Rico, Cuba e na Ásia as Filipinas. Vitória norte-americana aliando-se a um pequeno grupo de rebeldes cubanos, contra a resistência dos espanhóis na Batalha da Baía de Guantánamo (1898). Na imagem hasteamento da bandeira dos EUA dava os primeiros sinais na tendência de subjugar a ilha.
  • 4. • Nesse contexto Cuba ficou ocupada militarmente pelos EUA até 1903. • Em 1901 é aprovada a Emenda Platt que dava aos Estados Unidos o direto de intervirem no país para garantir seus interesses. Charge sobre a política norte- americana do Big Stick, em português “Grande Porrete”, slogan criado pelo presidente estadunidense Theodore Roosevelt (1901-1909).
  • 5. • Em 1902 assume o poder primeiro presidente cubano, mas nação está sob tutela constante dos EUA, devido a Emenda Platt. Hasteamento da bandeira cubana no Palácio do Governador em 1902, sede do poder Executivo em Cuba. Independência de Cuba em 1902
  • 6. Tomás Estrada Palma, primeiro presidente cubano governando a nação de 1902 a 1906. Realiza um governo considerado “entreguista”. Sob pressão popular acaba renunciando em 1906 e o governo norte-americano intervêm na ilha pela segunda vez (apoiados na Emenda Platt), nomeando governadores provisórios para Cuba até 1909. A bandeira da República de Cuba desde a independência em 1902,ela não foi alterada depois da Revolução Cubana em 1959 e permanece até os dias atuais. A bandeira tem origem no movimento de independência da metade do século XIX, o triangulo equilátero representa a liberdade, igualdade e fraternidade, o vermelho: sangue dos heróis nacionais e a estrela branca simboliza a solidariedade entre os povos. Em 1903 o governo cubano assina um tratado de arrendamento perpétuo aos Estados Unidos de um pequeno território na Baía de Guantánamo, onde atualmente os estadunidenses mantem uma base naval e um complexo penitenciário.
  • 7. • Na estrutura econômica, a ilha manteve-se como nos tempos coloniais, baseando-se na exportação de açúcar. • O turismo, principalmente de norte-americanos passaram a aproveitar as belas praias, cassinos, etc. Hotel Nacional de Cuba inaugurado na década de 1930, atualmente serve somente como hotel, mas até a Revolução Cubana de 1959 funcionava um cassino e reunia muitas vezes a elite política, artística e mafiosa norte-americana.
  • 8. • Disputas políticas internas em Cuba acarretaram em 1933 no golpe de Estado que derruba do poder o presidente Gerardo Machado y Morales. Gerardo Machado y Morales (1871-1939) eleito democraticamente presidente de Cuba governando à partir de 1925, reelege-se em 1928 e no ano seguinte implante um governo cada vez mais autoritário. Mas a oposição se intensifica até ser deposto em 1933, assim é forçado a fugir para os Estados Unidos onde acaba por falecer em 1939.
  • 9. • O sargento Fulgencio Batista, líder do golpe de Estado passa a ter um poder político muito grande de 1933 a 1940, com apoio norte- americano. Visita em 1938 de Fulgencio Batista (esq.) a embaixada cubana em Washington, sendo recebido pelo embaixador cubano nos EUA.
  • 10. Em primeiro plano Fulgencio Batista, ao centro da imagem o Chefe do Estado Maior dos Exército dos Estados Unidos, o general Malin Craig em Washington no ano de 1938. Instabilidade política em Cuba Lista de presidentes cubanos (1933-1940) Gerardo Machado y Morales Deposto em 1933. Alberto Herrera y Franchi Agosto de 1933. Carlos Céspedes y Quesada De agosto/setembro de 1933. Ramón Grau San Martín De setembro/1933 a janeiro de 1934. Carlos Hevia Janeiro de 1934. Manuel Márquez Sterling Dia 18/01/1934. Carlos Mendieta De janeiro de 1934 a dezembro de 1935. José Agripino Barnet De dezembro de 1935 a maio de 1936. Miguel Mariano Gómez Maio a dezembro de 1936. Federico Laredo Brú Dezembro de 1936 a outubro de 1940. Depois da queda de Gerardo Machado y Morales, nenhum presidente foi eleito e todos renunciaram ou foram depostos pela pressão política do chefe da Forças Armadas, Fulgencio Batista.
  • 11. • Em 1940 Batista elege-se presidente governando o país até 1944. • Declarou guerra a Alemanha nazista, a Itália fascista e ao Japão. • De 1944 a 1952, Cuba passa por um período democrático, tendo dois governos eleitos. Fulgencio Batista y Zaldívar, nasceu em Banes (Cuba) em 1901. No Exército liderou Revolução dos Sargentos em 1933, assim passou ao posto de coronel e chefe do Estado Maior do Exército. Em 1940 candidata-se a presidência da República vencendo a eleição.
  • 12. • Em 1952 com grande moral perante as Forças Armadas e apoiado por parte da elite cubana, Fulgencio Batista toma o poder por meio de um golpe de Estado. Em 1954 realizam- se eleições presidenciais, porém ocorreram vários distúrbios e fraudes no processo eleitoral como na maioria das eleições em Cuba. Vitória de Batista que permanece no poder.
  • 13. • Batista governa como um ditador, persegue a oposição e muitos são executados. • Um problema também foi a corrupção que manteve-se fora de controle. O presidente Batista ao centro com seus aliados militares, execuções de opositores e um regime opressivo desmedido levaram a aumentar a impopularidade de seu governo. O governo de Batista favoreceu a entrada de investimentos externos, mas grande parte do dinheiro vinha de fontes ilícitas., A ilha passou a servir em grande parte para a lavagem de dinheiro, nesse contexto grandes mafiosos dos EUA estavam seguidamente em Cuba como Mayer Lansk, Charles “Lucky” Luciano.
  • 14. • Apoiado pelos EUA no contexto da Guerra Fria, Batista manteve os diretos da empresas norte- americanas. Boate e cassino Tropicana em Havana fazia sucesso na década de 1950, grandes negócios em Cuba eram mantidos por grupos mafiosos estadunidenses.
  • 15. Oposição ao governo de Fulgencio Batista
  • 16. Primeira tentativa = fracasso total • Em 1953 o grupo de Fidel Castro tenta tomar o quartel Moncada em Santiago de Cuba. • A tentativa fracassa e vários revolucionários acabam falecendo e outros acabam presos, inclusive Fidel. Fidel Castro sendo interrogado depois da tentativa fracassada em La Moncada.
  • 17. Fidel e outros participantes do assalto capturados pelas forças legalistas de Batista. Foto do quartel Moncada na cidade de Santiago de Cuba cravado de balas depois do confronto.
  • 18. • Em 1955 sob pressão Batista libera para o exílio vários opositores ao regime, inclusive os irmãos Castro. • Fidel Castro exila-se no México, onde planeja o novo ataque. • Em 1955 é criado de forma clandestina o M-26-7 (Movimento 26 de julho). Movimento 26 de julho (M-26-7) grupo de oposição ao regime de governo autoritário de Fulgencio Batista, tendo como principal líder Fidel Castro. O nome é relativo a data do ataque fracassado ao quartel de La Moncada no dia 26 de julho de 1953.
  • 19. • Principais líderes do M-26-7: Fidel Castro, Raul Castro, Camilo Cienfuegos, Ernesto “Che” Guevara. Fidel Castro (1926- ) Raul Castro (1931- ) Ernesto “Che” Guevara (1928-1967) nasceu na Argentina, foi morto na Bolívia quando organizava um foco guerrilheiro no país. Camilo Cienfuegos (1932-1959) faleceu pouco tempo depois da Revolução, motivo: um desastre aéreo.
  • 20. • Em 1956 a bordo do iate Granma os revolucionários chegaram a Cuba e instalaram-se em Sierra Maestra. Capital: Havana Desembarque do Granma Sierra Maestra Santiago de Cuba
  • 21. • Um primeiro combate levou a morte de vários guerrilheiros, o restante do grupo em torno de vinte conseguiram chegar a Sierra Maestra. • O grupo recebeu o apoio de camponeses da região. O presidente Batista indicando as posições do grupo de Fidel Castro em Sierra Maestra no ano de 1957.
  • 22. • Realizando um governo opressor e tirânico, o governo dos Estados Unidos retira em parte seu apoio ao governo de Batista. Soldados do governo de Batista executando um soldado rebelde.
  • 23. • A região montanhosa dificultou a repressão ao movimento por parte do governo. Vista atual do Parque Nacional Turquino (Sierra Maestra) criado em 1980.
  • 24. • Em 1958 o grupo de Fidel ataca povoados vencendo frágil resistência do Exército e recebendo adesões de muitas pessoas. • Em dezembro ocorreu a decisiva vitória dos revolucionários com apoio de civis na cidade de Santa Clara. Che Guevara conversa com seus comandados logo após a vitória na Batalha de Santa Clara (janeiro de 1959).
  • 25. • Em dezembro de 1958 ocorreu a decisiva vitória dos revolucionários com apoio de civis na cidade de Santa Clara. • Sem controle sob o Exército e sem apoio da população, Batista foge de Cuba no dia 01/01/1959. Com a fuga de Batista, as forças que defendiam Havana recebem a ordem de não entrar em confronto com as forças de Fidel, que ocupa a cidade em janeiro de 1959.
  • 26. • O líder Fidel Castro declara vitória e desfila na capital Havana em janeiro de 1959, o movimento ficou conhecido como Revolução Cubana. Cienfuegos e Fidel Castro entrando em Havana (08/01/1959). Fulgencio Batista foge para a República Dominicana e depois para a Espanha onde vem a falecer em 1973.
  • 27. Fidel discursando frente a população cubana. Tropas revolucionárias entrando em Havana com os poucos tanques do Exército que foram capturados.
  • 28. Cuba: de 1959 a 1961 • O líder da revolução Fidel Castro nomeou o novo presidente da República, mas o poder estava de fato na mão primeiro-ministro que era Fidel. Situação política em Cuba (1959-1976) Presidente Primeiro-ministro Osvaldo Dorticós Torrado Fidel Castro Advogado, apoiou a Revolução Cubana, foi nomeado presidente em 1959, permanecendo no cargo até 1976 quando é alterada a Constituição. Passou a governar de fato o país, com a promulgação de uma nova Constituição em 1976 acumula a função dos dois cargos, sendo chefe de Estado e de governo.
  • 29. • Colaboradores do regime de Batista e opositores de Fidel Castro são perseguidos, presos, julgados e muitos executados. O tenente-coronel Cornelios Rojas chefe da Polícia na cidade de Santa Clara. Um dos líderes das tropas de Fulgencio Batista na Batalha de Santa Clara foi preso e depois executado por uma tropa de fuzilamento no “paredon” em 1959. A imagem ao lado circulou em uma revista cubana, a imprensa foi chamada para acompanhar a execução. Cubanos que são contrários ao regime comunista em Cuba ou que são pegos tentando fugir da ilha (principalmente para a costa da Flórida nos EUA), podem pegar como pena máxima, a de morte por fuzilamento no chamado “paredón”.
  • 30. • Em abril Fidel Castro realiza uma visita a Washington, sendo recebido pelo vice- presidente. Fidel Castro em frente a estátua de Lincoln, no Lincoln Memorial. Encontro entre o líder cubano e o vice- presidente dos EUA, Richard Nixon em 1959.
  • 31. • Em maio de 1959 é aprovada a primeira lei de reforma agrária, prejudicando proprietários cubanos e estadunidenses. Quase a totalidade da agricultura cubana está nas mãos de pequenas propriedades familiares ou fazendas coletivas. A partir da década de 1970 foi incentivado a produção agrícola de gêneros alimentícios, apesar da cana de açúcar continuar tendo destaque na economia cubana (Imagem de 2010).
  • 32. • Em 1960 o governo cubano passa a nacionalizar todas as empresas, norte- americanas em sua maioria. • Iniciam-se os embargos econômicos dos EUA à Cuba. Fidel na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) em Nova York, setembro de 1960. Nesse momento o líder cubano passa a aproximar-se a União Soviética.
  • 33. Fidel Castro: alia-se ao grupo comunista na Guerra Fria • Em 1960 o governo cubano assina com o governo soviético acordos econômicos, como a garantia de venda da sua produção açucareira. • A URSS passou a fornecer petróleo, armas e produtos industrializados. Fidel Castro e o líder soviético Nikita Khrushchev durante o selamento dos acordos que levaram a Revolução Cubana ao comunismo em 1961.
  • 34. Tentativa de tirar Fidel Castor do poder • Em 1961 ocorre a chamada Invasão da Baía dos Porcos, onde um grupo de soldados cubanos exilados com apoio dos EUA (organizada pela CIA) tentam invadir e derrubar o governo de Fidel. Havana O ataque foi promovido pela CIA contando com apoio logístico do governo da Guatemala onde os ex- combatentes exilados do Exército cubano de Fulgencio Batista treinaram e receberam armas. Ao lado localização da Baía dos Porcos onde o ataque ocorreu.
  • 35. • Vitória de Fidel, do comunismo em Cuba depois de três dias de luta. Avenida na capital cubana em 2013 com slogam de propaganda do governo “La revolución seguirá adelante”. Charge de Diego Novaes sobre a Revolução Cubana: “Enquanto isso ... 50 anos atrás.”
  • 36. • As relações entre EUA e Cuba se deterioram totalmente. • Em 1962 Cuba é expulsa da OEA – Organização dos Estados Americanos. Ernesto Che Guevara (dir.) ao lado de Fidel, o médico e guerrilheiro argentino nascido em Santa Fé. Braço direito de Fidel Castro passa a ocupar cargos importantes do governo cubano com presidente do Banco Nacional e Ministro da Industria. Em 1965 deixa Cuba para iniciar uma guerra “anti- imperialista” acaba morto na Bolívia em 1967.
  • 37. Crise dos mísseis de Cuba (1962) • Ainda em 1962 o governo cubano permite que a URSS comece a planejar e instalar uma base de mísseis nucleares. Desfile militar em Moscou do míssil nuclear SS-4.
  • 38. Imagem de novembro de 1962 de um local de lançamento de mísseis em San Cristóbal (Cuba). Situados a apenas 150km do território dos EUA. As imagens foram capturadas por um avião espião estadunidense. • O governo soviético alegou que eram apenas mísseis defensivos.
  • 39. • Após negociações os soviéticos aceitaram retirar o mísseis de Cuba. Os EUA também retiraram posteriormente seus mísseis da Turquia. • Ficou também acordado que os EUA não tentariam invadir ou apoiar outra invasão a ilha. Encontro entre as duas superpotências em Viena (1961), o soviético Nikita Khrushchev (esq.) e o presidente norte-americano John Kennedy (dir.). As negociações envolvendo a Crise dos mísseis foram de grande tensão mundial.
  • 40. Pós-crise: Cuba de 1962 a 1990 • E 1965 é criado o PCC – Partido Comunista de Cuba, o único legal e que controla todas as esferas políticas do país. Logotipo do PCC – Partido Comunista de Cuba. Sede em Havana do Comitê Central Partido Comunista de Cuba, o centro do poder do país.
  • 41. • Uma nova constituição é promulgada em 1976 e Fidel Castro centraliza todo o poder, sendo chefe de Estado e de governo. Fidel e o presidente soviético Leonild Brejnev de 1964 a 1982.
  • 42. • O poder Legislativo cabe a Assembleia Nacional, composta por 614 membros eleitos para mandatos de cinco anos (todos do PCC). Capitólio Nacional de Havana inaugurado em 1929 serve como sede da Assembleia Nacional. Na prática os seus membros apoiam e validam as decisões tomadas pelo Comitê Central do Partido Comunista de Cuba.
  • 43. • Os meios de comunicação foram censurados, passando apenas a circular periódicos estatais. • Canais de televisão e emissoras de rádio passaram ao controle do governo. Lançado em 1965 o jornal Granma é a voz do PCC, o jornal além da ilha de Fidel, possui uma versão internacional em inglês. Acima cubano em Havana lendo o Granma.
  • 44. Economicamente e socialmente Área econômica (1960-1991) Políticas sociais Extremamente dependente da URSS e os aliados comunistas do Leste Europeu. Promoveu uma reforma agrária e urbana. Recebia petróleo e armamento da URSS, a preço mais barato. Grandes investimentos em educação, erradicando o analfabetismo e aumentando as vagas em cursos técnicos e superiores. Os soviéticos e países do bloco do Leste adquiriam o principal produto cubano, o açúcar. Investimentos em saúde, levaram a redução da taxa de mortalidade infantil e o aumento da expectativa de vida. Sala de aula em Cuba, a taxa de analfabetismo no país é de 3,3%.
  • 45. Cuba e a Guerra Fria • O país realizou colaborações militares a governos e guerrilhas comunistas. • Cabe destaque a ajuda militar enviada ao governo comunista de Angola de 1975 a 1991 e da Etiópia 1975 a 1989. Mandou assessores militares ao Congo, Argélia, Benin. Também com armas e treinamento a guerrilha da FMLN (Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional) em El Salvador e a Revolução Sandinista na Nicarágua em 1979. O apoio cubano ao governo de Agostinho Neto em 1975 foi fundamental para a manutenção do poder em Luanda da guerrilha marxista do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), Cuba manteve o número máximo 35.000 soldados em Angola até a retirada em 1991.
  • 46. Crise com o fim da União Soviética • O fim da URSS em 1991 e dos países do comunistas do Leste Europeu agravou a situação econômica da ilha. Na década de 1990, as fontes de recursos são as remessas de dólares enviadas a ilha pelos cubanos residentes nos EUA e o turismo. A fabricação de charutos é controlada pela empresa estatal Cubatabaco, que através da Habanos S.A. exporta diversas marcas de charutos (Montecristo, Romeu y Julieta, Cohiba, Partagás).
  • 47. • Apesar da crise econômica o líder Fidel Castro continuou no poder até seu afastamento por doença em 2008. Depois da Guerra Fria e o fim de vários regimes autoritários como no Brasil em 1985 possibilitou ao governo cubano aproximar-se novamente com vários países. Na imagem o líder cubano com os presidentes brasileiros Fernando Henrique Cardoso e Lula. Quem assumiu o poder em Cuba em 2008 foi o irmão de Fidel, Raul Castro.