SlideShare uma empresa Scribd logo
Eunice Pereira
9ºC nº6
Na sequência do golpe militar de 28 de Maio de 1926, foi instaurada
em Portugal uma ditadura militar que colaboraria na eleição presidencial
de Óscar Carmona em 1928. Foi durante o mandato presidencial de
Carmona, período que se designou por "Ditadura Nacional", que foi
elaborada a Constituição de 1933 e instituído um novo regime autoritário de
inspiração fascista o Estado Novo. António de Oliveira Salazar passou então
a controlar o país através do partido único designado por União Nacional,
ficando no poder até lhe ter sido retirado por incapacidade em 1968, na
sequência de uma queda de uma cadeira em que sofreu lesões cerebrais. Foi
substituído por Marcello Caetano que, pôs em prática a Primavera
Marcelista e dirigiu o país até ser deposto no dia 25 de Abril de 1974.
Antes da Revolução
Portugal mantinha laços fortes e duradouros com as suas colónias africanas,
quer como mercado para os produtos manufaturados portugueses quer
como produtoras de matérias primas para a indústria portuguesa. Muitos
portugueses viam a existência de um império colonial como necessária para
o país ter poder e influência contínuos. Mas o peso da guerra, o contexto
político e os interesses estratégicos de certas potências estrangeiras
inviabilizariam essa ideia. Apesar das constantes objeções em
fóruns internacionais, como a ONU, Portugal mantinha as
colónias considerando-as parte integral de Portugal e defendendo-as
militarmente. O problema surge com a ocupação unilateral e forçada
dos enclaves portugueses de Goa, Damão e Diu, em 1961.
Guerra Colonial
Em quase todas as colónias portuguesas africanas (Moçambique, Angola,
Guiné, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde) surgiam entretanto movimentos
independentistas, que acabariam por se manifestar sob a forma
de guerrilhas armadas. Estas guerrilhas não foram facilmente contidas,
tendo conseguido controlar uma parte importante do território, apesar da
presença de um grande número de tropas portuguesas que, mais tarde,
seriam em parte significativa recrutadas nas próprias colónias.
…
A economia cresceu bastante, em particular no início da década de 1950.
Economicamente, o regime mantinha a sua política de Corporativismo, o
que resultou na concentração da economia portuguesa nas mãos de uma
elite de industriais . A informação circulava e a oposição bulia. A guerra
colonial tornava-se tema forte de discussão e era assunto de eleição para as
forças anti-regime. Portugal estava muito isolado do resto do Mundo.
Muitos estudantes e opositores viam-se forçados a abandonar o país para
escapar à guerra, à prisão e à tortura.
O País
Revolução dos Cravos
No dia 24 de abril de 1974, um grupo de
militares comandados por Otelo Saraiva de
Carvalho instala secretamente o posto de
comando do movimento golpista no
quartel da Pontinha, em Lisboa
Às 22h 55m foi transmitida a canção E
depois doAdeus, de Paulo de Carvalho,
pelos Emissores Associados de Lisboa,
emitida por João Paulo Diniz ( um dos sinais
previamente combinados pelos golpistas,
que desencadeia a tomada de posições da
primeira fase do golpe de estado).
…
O segundo sinal é dado às 0h20 m, quando
a canção Grândola,Vila Morena de José
Afonso é transmitida pelo programa Limite,
da Rádio Renascença, que confirma o golpe
e marca o início das operações (o locutor de
serviço nessa emissão é Leite de
Vasconcelos, jornalista e
poeta moçambicano). Ao contrário de E
Depois do Adeus, que era muito popular por
ter vencido o Festival RTP da Canção,
Grândola,Vila Morena fora ilegalizada, pois,
segundo o governo, fazia alusão ao
comunismo.
Consequências da Revolução
No dia 26 de abril, forma-se a Junta
de Salvação Nacional , constituída por
militares, que dará início a um
governo de transição . O essencial do
programa do MFA é, resumido no
programa dos três
D: Democratizar, Descolonizar, Desen
volver.
…
Entre as medidas imediatas da
revolução conta-se a extinção da polícia
política (PIDE/DGS) e da Censura . Os
sindicatos livres e os partidos são
legalizados. No dia seguinte, a 26 de
abril, são libertados os presos políticos
da Prisão de Caxias e de Peniche.
Passada uma semana, o 1.º de Maio é
celebrado em plena liberdade nas ruas,
pela primeira vez em muitos anos.
Em Lisboa junta-se cerca de um milhão
de pessoas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Crise Da Monarquia
A Crise Da MonarquiaA Crise Da Monarquia
A Crise Da Monarquia
Gina Rodrigues
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republica
crie_historia9
 
A revolução repúblicana
A revolução repúblicanaA revolução repúblicana
A revolução repúblicana
eb23ja
 
Do autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democraciaDo autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democracia
cattonia
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
Jorge Almeida
 
15 25abril
15 25abril15 25abril
15 25abril
R C
 
Guerra colonial
Guerra colonialGuerra colonial
Guerra colonial
patriciacamejo
 
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
Básicas ou Secundárias
 
Portugal: da 1º republica a ditadura militar
Portugal: da 1º republica a ditadura militarPortugal: da 1º republica a ditadura militar
Portugal: da 1º republica a ditadura militar
Joao Bernardo Santos
 
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
jdlimaaear
 
República Portuguesa
República PortuguesaRepública Portuguesa
República Portuguesa
crie_historia9
 
Fim Da Monarquia
Fim Da MonarquiaFim Da Monarquia
Fim Da Monarquia
anacristina soares
 
1ª Republica
1ª Republica1ª Republica
1ª Republica
Carlos Vieira
 
QUEDA DA MONARQUIA
QUEDA DA MONARQUIAQUEDA DA MONARQUIA
QUEDA DA MONARQUIA
Maria Gomes
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
anabelasilvasobral
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974
diuguitofelgas
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
Teresa Maia
 
1ª Republica Portuguesa
1ª Republica Portuguesa1ª Republica Portuguesa
1ª Republica Portuguesa
crie_historia9
 
Crise e Queda da Monarquia
Crise e Queda da MonarquiaCrise e Queda da Monarquia
Crise e Queda da Monarquia
Ana Barreiros
 
Primeira república
Primeira repúblicaPrimeira república
Primeira república
Maria Gomes
 

Mais procurados (20)

A Crise Da Monarquia
A Crise Da MonarquiaA Crise Da Monarquia
A Crise Da Monarquia
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republica
 
A revolução repúblicana
A revolução repúblicanaA revolução repúblicana
A revolução repúblicana
 
Do autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democraciaDo autoritarismo à democracia
Do autoritarismo à democracia
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
 
15 25abril
15 25abril15 25abril
15 25abril
 
Guerra colonial
Guerra colonialGuerra colonial
Guerra colonial
 
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
5º O fim da 1ª República e a Ditadura Militar
 
Portugal: da 1º republica a ditadura militar
Portugal: da 1º republica a ditadura militarPortugal: da 1º republica a ditadura militar
Portugal: da 1º republica a ditadura militar
 
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
A RevoluçãO De 5 De Outubro De 1910
 
República Portuguesa
República PortuguesaRepública Portuguesa
República Portuguesa
 
Fim Da Monarquia
Fim Da MonarquiaFim Da Monarquia
Fim Da Monarquia
 
1ª Republica
1ª Republica1ª Republica
1ª Republica
 
QUEDA DA MONARQUIA
QUEDA DA MONARQUIAQUEDA DA MONARQUIA
QUEDA DA MONARQUIA
 
A história da 1ª republica
A história da 1ª republicaA história da 1ª republica
A história da 1ª republica
 
O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974O Dia 25 de Abril de 1974
O Dia 25 de Abril de 1974
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
 
1ª Republica Portuguesa
1ª Republica Portuguesa1ª Republica Portuguesa
1ª Republica Portuguesa
 
Crise e Queda da Monarquia
Crise e Queda da MonarquiaCrise e Queda da Monarquia
Crise e Queda da Monarquia
 
Primeira república
Primeira repúblicaPrimeira república
Primeira república
 

Destaque

Diapositivas equipo4
Diapositivas equipo4Diapositivas equipo4
Diapositivas equipo4
Felix Cruz
 
Rubia (L) tequiero
Rubia (L) tequieroRubia (L) tequiero
Rubia (L) tequiero
chupachupdefressa
 
Psicomagia
PsicomagiaPsicomagia
Psicomagia
smontoyita
 
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხები
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხებიპროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხები
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხებიmaisuradzenatia
 
(3) signos pureba 1
(3) signos pureba 1(3) signos pureba 1
(3) signos pureba 1monthe08
 
María
María María
Hsp kh y5
Hsp kh y5Hsp kh y5
Hsp kh y5
Nurul Villa
 
Hq2
Hq2Hq2
Ruben david
Ruben davidRuben david
Ruben david
shirleyprofe
 
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידע
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידעהיחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידע
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידעGregory Rashkevitch
 
Editura Publica
Editura PublicaEditura Publica
Editura Publicaellamarin
 
Exercicios matematica polinomios
Exercicios matematica polinomiosExercicios matematica polinomios
Exercicios matematica polinomios
Marcos Silva
 
Proposte per un'archeologia open in rete
Proposte per un'archeologia open in reteProposte per un'archeologia open in rete
Proposte per un'archeologia open in rete
morfindel
 
Livreto explicativo MPEDUC
Livreto explicativo MPEDUCLivreto explicativo MPEDUC
Livreto explicativo MPEDUC
Ministério Público de Santa Catarina
 
Haboob fake book
Haboob fake bookHaboob fake book
Haboob fake bookryongkoon
 
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By Dr. Shriniwas Kasha...
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By  Dr. Shriniwas Kasha...Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By  Dr. Shriniwas Kasha...
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By Dr. Shriniwas Kasha...
shriniwas kashalikar
 
Agravo em recurso especial 204.696
Agravo em recurso especial   204.696Agravo em recurso especial   204.696
Agravo em recurso especial 204.696
Ministério Público de Santa Catarina
 

Destaque (20)

Diapositivas equipo4
Diapositivas equipo4Diapositivas equipo4
Diapositivas equipo4
 
Rubia (L) tequiero
Rubia (L) tequieroRubia (L) tequiero
Rubia (L) tequiero
 
Psicomagia
PsicomagiaPsicomagia
Psicomagia
 
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხები
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხებიპროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხები
პროექტის ორგანიზების ძირითადი საკითხები
 
(3) signos pureba 1
(3) signos pureba 1(3) signos pureba 1
(3) signos pureba 1
 
María
María María
María
 
Hsp kh y5
Hsp kh y5Hsp kh y5
Hsp kh y5
 
Hq2
Hq2Hq2
Hq2
 
Ruben david
Ruben davidRuben david
Ruben david
 
Media location
Media locationMedia location
Media location
 
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידע
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידעהיחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידע
היחסים המורכבים בין חדשנות לניהול ידע
 
Editura Publica
Editura PublicaEditura Publica
Editura Publica
 
Exercicios matematica polinomios
Exercicios matematica polinomiosExercicios matematica polinomios
Exercicios matematica polinomios
 
Proposte per un'archeologia open in rete
Proposte per un'archeologia open in reteProposte per un'archeologia open in rete
Proposte per un'archeologia open in rete
 
90 10 Principle
90 10 Principle90 10 Principle
90 10 Principle
 
Livreto explicativo MPEDUC
Livreto explicativo MPEDUCLivreto explicativo MPEDUC
Livreto explicativo MPEDUC
 
Aula Fad Intervista
Aula Fad IntervistaAula Fad Intervista
Aula Fad Intervista
 
Haboob fake book
Haboob fake bookHaboob fake book
Haboob fake book
 
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By Dr. Shriniwas Kasha...
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By  Dr. Shriniwas Kasha...Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By  Dr. Shriniwas Kasha...
Vaidyakiya Vyavasay Vyavahar Aani Dhyeya A Bestseller By Dr. Shriniwas Kasha...
 
Agravo em recurso especial 204.696
Agravo em recurso especial   204.696Agravo em recurso especial   204.696
Agravo em recurso especial 204.696
 

Semelhante a 25 De Abril De 1974

Queda do Regime Fascista
Queda do Regime FascistaQueda do Regime Fascista
Queda do Regime Fascista
João Lima
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
Ana Barreiros
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
Joana Algodão Doce
 
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerraPortugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Paula Gomes Pereira Gomes
 
ImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlicaImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlica
Margarida Moreira
 
Revolução democrática portuguesa
Revolução democrática portuguesaRevolução democrática portuguesa
Revolução democrática portuguesa
AnaGomes40
 
Renato 25 de abril
Renato 25 de abrilRenato 25 de abril
Renato 25 de abril
iosi2012
 
Renato 25 de abril
Renato 25 de abrilRenato 25 de abril
Renato 25 de abril
iosi2012
 
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
R C
 
portugal - do autoritarismo à democracia
portugal - do autoritarismo à democracia portugal - do autoritarismo à democracia
portugal - do autoritarismo à democracia
Vanessa Jorge
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
quendadeira
 
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Xanaa' Matias'
 
Teste de história
Teste de históriaTeste de história
Teste de história
Ana Martins
 
Revolução dos cravos
Revolução dos cravosRevolução dos cravos
Revolução dos cravos
Dg Guimarães
 
O estado novo e o 25 de abril afonso
O estado novo e o 25 de abril  afonsoO estado novo e o 25 de abril  afonso
O estado novo e o 25 de abril afonso
Paula Morgado
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
Paula Morgado
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
oliviaguerra
 
25 De A Bril
25 De A Bril25 De A Bril
25 De A Bril
Sílvia Mendonça
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Stéphanie Dias
 

Semelhante a 25 De Abril De 1974 (20)

Queda do Regime Fascista
Queda do Regime FascistaQueda do Regime Fascista
Queda do Regime Fascista
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Salazarismo
 
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
 
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerraPortugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
 
ImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlicaImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlica
 
Revolução democrática portuguesa
Revolução democrática portuguesaRevolução democrática portuguesa
Revolução democrática portuguesa
 
Renato 25 de abril
Renato 25 de abrilRenato 25 de abril
Renato 25 de abril
 
Renato 25 de abril
Renato 25 de abrilRenato 25 de abril
Renato 25 de abril
 
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
13 daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaode
 
portugal - do autoritarismo à democracia
portugal - do autoritarismo à democracia portugal - do autoritarismo à democracia
portugal - do autoritarismo à democracia
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
 
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
Daquedadamonarquiaimplantaodarepblicaapresentaodeslides 100125040935-phpapp02
 
Teste de história
Teste de históriaTeste de história
Teste de história
 
Revolução dos cravos
Revolução dos cravosRevolução dos cravos
Revolução dos cravos
 
O estado novo e o 25 de abril afonso
O estado novo e o 25 de abril  afonsoO estado novo e o 25 de abril  afonso
O estado novo e o 25 de abril afonso
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
 
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De SlidesDa Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
Da Queda Da Monarquia à ImplantaçãO Da RepúBlica ~ ApresentaçãO De Slides
 
25 De A Bril
25 De A Bril25 De A Bril
25 De A Bril
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Mais de Eunice Pereira

Cultura Chinesa
Cultura ChinesaCultura Chinesa
Cultura Chinesa
Eunice Pereira
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
Eunice Pereira
 
Espanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo VerdeEspanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo Verde
Eunice Pereira
 
Chuvas Acídas
Chuvas AcídasChuvas Acídas
Chuvas Acídas
Eunice Pereira
 
Espanhol
Espanhol Espanhol
Espanhol
Eunice Pereira
 
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Eunice Pereira
 
Espanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo VerdeEspanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo Verde
Eunice Pereira
 

Mais de Eunice Pereira (7)

Cultura Chinesa
Cultura ChinesaCultura Chinesa
Cultura Chinesa
 
Diversidade Cultural
Diversidade CulturalDiversidade Cultural
Diversidade Cultural
 
Espanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo VerdeEspanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo Verde
 
Chuvas Acídas
Chuvas AcídasChuvas Acídas
Chuvas Acídas
 
Espanhol
Espanhol Espanhol
Espanhol
 
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)Médicos Sem Fronteiras (MSF)
Médicos Sem Fronteiras (MSF)
 
Espanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo VerdeEspanha e Cabo Verde
Espanha e Cabo Verde
 

Último

Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 

Último (20)

Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 

25 De Abril De 1974

  • 2. Na sequência do golpe militar de 28 de Maio de 1926, foi instaurada em Portugal uma ditadura militar que colaboraria na eleição presidencial de Óscar Carmona em 1928. Foi durante o mandato presidencial de Carmona, período que se designou por "Ditadura Nacional", que foi elaborada a Constituição de 1933 e instituído um novo regime autoritário de inspiração fascista o Estado Novo. António de Oliveira Salazar passou então a controlar o país através do partido único designado por União Nacional, ficando no poder até lhe ter sido retirado por incapacidade em 1968, na sequência de uma queda de uma cadeira em que sofreu lesões cerebrais. Foi substituído por Marcello Caetano que, pôs em prática a Primavera Marcelista e dirigiu o país até ser deposto no dia 25 de Abril de 1974. Antes da Revolução
  • 3. Portugal mantinha laços fortes e duradouros com as suas colónias africanas, quer como mercado para os produtos manufaturados portugueses quer como produtoras de matérias primas para a indústria portuguesa. Muitos portugueses viam a existência de um império colonial como necessária para o país ter poder e influência contínuos. Mas o peso da guerra, o contexto político e os interesses estratégicos de certas potências estrangeiras inviabilizariam essa ideia. Apesar das constantes objeções em fóruns internacionais, como a ONU, Portugal mantinha as colónias considerando-as parte integral de Portugal e defendendo-as militarmente. O problema surge com a ocupação unilateral e forçada dos enclaves portugueses de Goa, Damão e Diu, em 1961. Guerra Colonial
  • 4. Em quase todas as colónias portuguesas africanas (Moçambique, Angola, Guiné, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde) surgiam entretanto movimentos independentistas, que acabariam por se manifestar sob a forma de guerrilhas armadas. Estas guerrilhas não foram facilmente contidas, tendo conseguido controlar uma parte importante do território, apesar da presença de um grande número de tropas portuguesas que, mais tarde, seriam em parte significativa recrutadas nas próprias colónias. …
  • 5. A economia cresceu bastante, em particular no início da década de 1950. Economicamente, o regime mantinha a sua política de Corporativismo, o que resultou na concentração da economia portuguesa nas mãos de uma elite de industriais . A informação circulava e a oposição bulia. A guerra colonial tornava-se tema forte de discussão e era assunto de eleição para as forças anti-regime. Portugal estava muito isolado do resto do Mundo. Muitos estudantes e opositores viam-se forçados a abandonar o país para escapar à guerra, à prisão e à tortura. O País
  • 6. Revolução dos Cravos No dia 24 de abril de 1974, um grupo de militares comandados por Otelo Saraiva de Carvalho instala secretamente o posto de comando do movimento golpista no quartel da Pontinha, em Lisboa Às 22h 55m foi transmitida a canção E depois doAdeus, de Paulo de Carvalho, pelos Emissores Associados de Lisboa, emitida por João Paulo Diniz ( um dos sinais previamente combinados pelos golpistas, que desencadeia a tomada de posições da primeira fase do golpe de estado).
  • 7. … O segundo sinal é dado às 0h20 m, quando a canção Grândola,Vila Morena de José Afonso é transmitida pelo programa Limite, da Rádio Renascença, que confirma o golpe e marca o início das operações (o locutor de serviço nessa emissão é Leite de Vasconcelos, jornalista e poeta moçambicano). Ao contrário de E Depois do Adeus, que era muito popular por ter vencido o Festival RTP da Canção, Grândola,Vila Morena fora ilegalizada, pois, segundo o governo, fazia alusão ao comunismo.
  • 8. Consequências da Revolução No dia 26 de abril, forma-se a Junta de Salvação Nacional , constituída por militares, que dará início a um governo de transição . O essencial do programa do MFA é, resumido no programa dos três D: Democratizar, Descolonizar, Desen volver.
  • 9. … Entre as medidas imediatas da revolução conta-se a extinção da polícia política (PIDE/DGS) e da Censura . Os sindicatos livres e os partidos são legalizados. No dia seguinte, a 26 de abril, são libertados os presos políticos da Prisão de Caxias e de Peniche. Passada uma semana, o 1.º de Maio é celebrado em plena liberdade nas ruas, pela primeira vez em muitos anos. Em Lisboa junta-se cerca de um milhão de pessoas.