estudo usabilidade SEBRAE 2008

1.588 visualizações

Publicada em

Objetivos:
identificar os problemas de usabilidade que bloqueiem, dificultem e/ou retardem o processo de navegabilidade no sítio de Internet. (2) analisar e identificar os modos operatórios empregados pelo público alvo ao buscar informações de como abrir uma empresa

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.588
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

estudo usabilidade SEBRAE 2008

  1. 1. Estudo de Usabilidade SEBRAE Novembro de 2008 Dr. Sergio Luis dos Santos LimaDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  2. 2. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  3. 3. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  4. 4. Objetivos do Estudo: O SEBRAE deseja : (a) identificar os problemas de usabilidade que bloqueiem, dificultem e/ou retardem o processo de navegabilidade no sítio de Internet (b) analisar e identificar os modos operatórios empregados pelo público alvo ao buscar informações de como abrir uma empresa (c) Que o estudo elabore recomendações para otimização da interaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  5. 5. Público Alvo: Pessoas que desejam abrir um negócio e que possuem familiaridade com a internetDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  6. 6. Questões de Pesquisa O Sítio SEBRAE ajuda na decisão da pessoa em abrir uma empresa? A pessoa encontrou o que procurava? O que procurava? Qual sua estratégia de navegação? Quais as dificuldades? Quais os pontos positivos/facilitadores? Qual a avaliação do sitio SEBRAE (de 1 a 10)? A pessoa acha que o Sebrae pode ajudá-la a abrir um negócio?Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  7. 7. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  8. 8. O que é usabilidade? Usabilidade é a capacidade que apresenta um sistema interativo de ser operado, de maneira eficaz, eficiente e agradável, em um determinado contexto de operação, para realização das tarefas de seus usuários1 Designer Usabilidade Usuário Interface Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima1) A preocupação com a conclusão das tarefas também é objeto de análise da acessibilidade, É o conceito de usabilidade voltado à inclusão socialFonte: ISO de recomendações Ergonômicas para Sistemas Informatizados 9241
  9. 9. Usabilidade é analisada sob duas dimensões... Dimensão Intrínseca Dimensão Extrínseca Refere-se às propriedades Ligada aos objetivos, físicas e gráficas que experiências e características estruturam a organização e dos usuários apresentação das informações na interface O conflito entre estas duas dimensões evidencia os problemas de usabilidadeDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  10. 10. ... que se diferenciam pela ótica de diversas escolas mundiais Cognição ESCOLA DE Situada USABILIDADE Escola Hutchins, Suchman e BRASILEIRA Anglosaxã Winograd Avaliação Heurística Santos-Lima Silvino Norman & Nielsen Escola Escola Santos Espanhola Moraes Canadense Modelo Mental Cybis Kim Vincent Cañas Sarmet Abrahão Escola Gontijo Escola Francofônica Escola Pehe Júdice Grega Ergonomia Análise Cognitiva Análise da Atividade Nórdica da Tarefa (ACT ) Guérin, Pavard, Teoria da Marmahas e Scapin, Bastien Atividade (3G) Kontogiannis Engeströn, KeinonenDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  11. 11. Os grandes destaques são a escola francesa e a anglosaxã X UTILIZABILIDADE TEORIA DA AÇÃO Utilizabilidade é a capacidade Usabilidade depende da do software em permitir que o compatibilidade entre a usuário alcance suas metas de representação mental que a pessoa interação com o sistema tem e sua tarefa (INRIA, 1993) (Donald Norman,1983) Abordagem Descritiva Abordagem Prescritiva e SimplistaDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  12. 12. Técnicas de Estudo de Usabilidade Existem 15 principais técnicas na literatura para assegurar a usabilidade em um projetoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  13. 13. Técnicas: Técnicas Técnicas Técnicas Analíticas Prospectivas Objetivas Analisar utilizando Avaliar conhecendo o conhecimento Avaliar o modo público-alvo, o que técnico e referenciado operatório e as atitudes aumenta a efetividade de especialistas em adotadas pelos usuários das avaliações Usabilidade Avaliação Heurística Observação Global Ensaios de Interação (Teste de Usabilidade) Análise Hierárquica da Entrevistas Tarefa Observações Questionário (survey) Sistemáticas Inspeção Ergonômica via checklist Grupo Focal Análise da Atividade Cognitive Walkthrought Avaliação Cooperativa Sessões com sistema espião Inspeção Cognitiva VerbalizaçõesDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  14. 14. Técnicas Analíticas Avaliação Heurística Análise Hierárquica da Tarefa (Wireframe) OBJETIVO Inspeção Ergonômica via checklist Analisar e inspecionar a interface Cognitive Walkthrought Inspeção CognitivaDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Dimensão Intrínseca Dimensão Extrínseca
  15. 15. Técnicas Prospectivas Observação Global OBJETIVO Entrevistas Prospectar o usuário a fim de Questionário (survey) orientar o especialista para a Grupo Focal análise de pontos críticos na Avaliação Cooperativa interface VerbalizaçõesDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Dimensão Extrínseca
  16. 16. Técnicas Objetivas OBJETIVO Ensaios de Interação (Teste de Usabilidade) Coletar dados Observações Sistemáticas quantitativos e/ou qualitativos Análise da Atividade da interação do usuário com a interface Sessões com sistema espiãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Dimensão Extrínseca
  17. 17. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  18. 18. Estudo de Usabilidade O estudo de usabilidade tem como objetivo identificar no sítio SEBRAE os problemas de usabilidade que bloqueiem, dificultem e/ou retardem o processo de navegabilidade Este tipo de análise identifica os modos operatórios empregados pelos usuários finais na resolução de tarefas, no entanto não leva em conta as regras do negócio do cliente e não se aprofunda em questões estratégicasDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  19. 19. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  20. 20. Técnicas: Técnicas Técnicas Técnicas Analíticas Prospectivas Objetivas Analisar utilizando Avaliar conhecendo o conhecimento Avaliar o modo público-alvo, o que técnico e referenciado operatório e as atitudes aumenta a efetividade de especialistas em adotadas pelos usuários das avaliações Usabilidade Avaliação Heurística Observação Global Ensaios de Interação (Teste de Usabilidade) Análise Hierárquica da Entrevistas Tarefa Observações Questionário (survey) Sistemáticas Inspeção Ergonômica via checklist Grupo Focal Análise da Atividade Cognitive Walkthrought Avaliação Cooperativa Sessões com sistema espião Inspeção Cognitiva VerbalizaçõesDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  21. 21. Técnicas utilizadas neste estudo: Técnicas Técnicas Técnicas Analíticas Prospectivas Objetivas Analisar utilizando Avaliar conhecendo o conhecimento Avaliar o modo público-alvo, o que técnico e referenciado operatório e as atitudes aumenta a efetividade de especialistas em adotadas pelos usuários das avaliações Usabilidade Avaliação Heurística Observação Global Ensaios de Interação (Teste de Usabilidade) Análise Hierárquica da Entrevistas Tarefa Observações Questionário (survey) Sistemáticas Inspeção Ergonômica via checklist Grupo Focal Análise da Atividade Cognitive Walkthrought Avaliação Cooperativa Sessões com sistema espião Inspeção Cognitiva VerbalizaçõesDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  22. 22. TÉCNICAOBJETIVA Ensaio de Interação Consiste numa simulação de uso do sistema da qual participam pessoas representativas da população- alvo, tentando fazer tarefas típicas de interação, com uma versão do sistema pretendidoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  23. 23. Ensaio de Interação Possui três etapas:1. Análise Reconhecimento da interfacePreliminar Pré-diagnóstico Ergonômico2. Definição dos Montagem de um roteiro de tarefas, que passará pelo crivocenários e amostra de pré-testes internos e a aprovação pelo cliente Obtenção da amostra de usuários Ajuste nos scripts e cenários3. Realização dos Preparação dos ensaiosensaios Realização dos ensaios Coleta e análise dos dados Diagnóstico e relatório finalDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  24. 24. TÉCNICAOBJETIVA Análise da Atividade Esta etapa considera o comportamento em situação real, as estratégias operatórias que a pessoa efetivamente utiliza para executar uma tarefa Presença do avaliador na situação da interação constitui o diferencial fundamental e fator determinante no teste de interaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Fonte: LAKATUS e MARCONI, (1997)
  25. 25. As Técnicas Objetivas possuem os seguintes parâmetros para análise: A lista de critérios ergonômicos comportam três níveis, o primeiro nível constitui-se de oito critérios principais decompondo-se em outros dois níveis de critérios 1. Orientação – refere-se ao conjunto de meios disponíveis para aconselhar, informar e conduzir o usuário na interação (mensagens, alarmes, rótulos) 2. Carga de Trabalho – consiste no conjunto de elementos da interface que desempenham, para o usuário, um papel na redução de sua carga perceptiva ou mnemônica e no aumento da eficiência do diálogo 3. Controle Explícito – refere-se ao controle que o usuário tem sobre a interface e, também, ao caráter explícito de suas ações 4. Adaptabilidade – refere-se à capacidade da interface reagir segundo o contexto e segundo as necessidades e preferências dos usuáriosDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Fonte: SCAPIN & BASTIEN, (1991)
  26. 26. Critérios de Usabilidade que nortearam a Análise: 5. Gestão de Erros – refere-se às possibilidades de evitar ou diminuir a ocorrência de erros e de corrigi-los 6. Homogeneidade/ Consistência – refere-se à forma nas quais as escolhas na concepção da interface (códigos, denominações, formatos, procedimentos, etc.) são conservadas idênticas, em contextos idênticos, e diferentes, em contextos diferentes 7. Significado dos Códigos – diz respeito à adequação semântica entre o objeto ou a informação apresentada e sua referência 8. Compatibilidade – refere-se ao acordo que possa existir entre as características do usuário e as tarefas, de uma parte, e a organização das saídas, das entradas e do diálogo de uma dada aplicação, de outraDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Dimensão Intrínseca Dimensão Extrínseca
  27. 27. TÉCNICA EntrevistasPROSPECTIVA Sonda atitudes e experiências dos usuários Pode ser utilizada entrevistas abertas, semi-estruturadas e estruturadas Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima Fonte: LAKATUS e MARCONI, (1997)
  28. 28. TÉCNICA VerbalizaçõesPROSPECTIVA Esta técnica é utilizada com freqüência durante testes de usabilidade, quando os usuários são solicitados a verbalizar seus pensamentos, sentimentos e opiniões enquanto realizam uma ou mais tarefa no sistema em avaliação Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  29. 29. Data do Estudo Realizado em Novembro de 2008Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  30. 30. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  31. 31. Panorama é uma visão global da interfaceDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  32. 32. Os Problemas de Usabilidade no Sítio SEBRAE para o usuário que deseja abrir um negócio concentram-se no Critério de OrientaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  33. 33. Critério de Orientação refere-se ao conjunto de meios disponíveis para aconselhar, informar e conduzir o usuário na interação Este critério é subdividido em: 1.1.Condução 1.2.Grupamento/ Distinção entre Itens 1.2.1.Grupamento/ Distinção por Localização 1.2.2.Grupamento/ Distinção por Formato 1.3 Feedback Imediato 1.4 Clareza (Legibilidade)Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  34. 34. USABILIDADE: 1. Orientação Subcritério Condução Apresentação: Esse critério engloba os meios utilizados para levar o usuário a realizar determinadas ações. A condução diz respeito às informações que permitem ao usuário identificar o estado ou contexto no qual ele se encontra, bem como as ferramentas de ajuda e seu modo de acesso Justificativa: Uma boa condução guia o usuário. Desta forma, facilita a navegação e diminui a ocorrência de erros SEBRAE: Não ocorreu uma interação amigável Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  35. 35. Subcritério Agrupamento/Distinção porUSABILIDADE: 1. Orientação Formato Apresentação: Diz respeito mais especificamente às características gráficas (formato, cor, etc.) que indicam se itens pertencem ou não a uma dada classe, ou que indicam ainda distinções entre classes diferentes ou distinções entre itens de uma dada classe Justificativa: Será mais fácil para o usuário perceber relacionamento(s) entre itens ou classes de itens, se diferentes formatos ou diferentes códigos ilustrarem suas similaridades ou diferenças. Tais relacionamentos serão mais fáceis de aprender e de lembrar SEBRAE: Os Links do Articulador necessitam de uma nova Formatação Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  36. 36. Subcritério Legibilidade (Clareza)USABILIDADE: 1. Orientação Apresentação: Diz respeito às características lexicais das informações apresentadas na tela que possam dificultar ou facilitar a leitura dessa informação (brilho, contraste letra/fundo, tamanho da fonte, espaçamentos: entre palavras, linhas e parágrafos, comprimento da linha, etc.) Justificativa: O desempenho melhora quando a apresentação da informação leva em conta as características cognitivas e perceptivas dos usuários SEBRAE: Clique e ouça o participante ’ A legibilidade no drop down Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  37. 37. Interação pelo Articulador sem affordance dificulta o processo de navegabilidade no sítio do SEBRAEDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  38. 38. Exemplo de Interação Ótima no ArticuladorDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  39. 39. Repare o Default defaultDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  40. 40. Interação pelo Articulador …Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  41. 41. Sobre a semântica do termo Momento Empresarial …Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  42. 42. Análise do Participante sobre o problema de Usabilidade no elemento “Setores” do Articulador …Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  43. 43. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  44. 44. A tarefa é considerada completa quando o Participante acha o que deseja ou quando o Participante alcança a tela de “QUERO ABRIR UM NEGÓCIO”Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  45. 45. 13 Participantes Empretec Balcão Sebrae - DF Público ExternoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  46. 46. A amostra constitui-se de 12 pessoas que desejam abrir um negócio e possuem familiaridade com a Internet Ensaio de Interação Análise da Atividade Empretec Balcão Sebrae - DF Público ExternoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  47. 47. E de 1 pessoa que já possui um negócio, deseja Análise da Atividade abrir outro negócio Público Externo e possue familiaridade com a InternetDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  48. 48. Expectativa dos Participantes 5 Buscam um case semelhante ao negócio que deseja abrir 3 Buscam Informações sobre como abrir seu negócio 2 Buscam Informações sobre seu negócio 2 Buscam documentação necessária para abrir a empresa 1 Busca o curso Empretec 1 Busca RecursosDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  49. 49. Índice Introdução Sobre Usabilidade Sobre o estudo Método Panorama Navegabilidade Conclusão e RecomendaçãoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  50. 50. Completa a Tarefa Não Completa a Tarefa 31% 69% Compreende Momento Empresarial Não compreende Momento Empresarial 23% 77% Compreende Lógica de Cruzamento de Não Compreende Lógica de Cruzamento Dados de Dados 31% 69% Percebe que Existe um Segundo Nível no Não Percebe que Existe um Segundo Menu Vertical Nível no Menu Vertical 8% 92% Média de Nota para o Sítio SEBRAE 7,92Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  51. 51. Conclusões O Usuário não compreende o Articulador Não compreende “Momento Empresarial” Não compreende a lógica de cruzamento de dados O Usuário não percebe que há um segundo nível de menu na página ”Quero Abrir um Negócio”Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  52. 52. Recomendações Que seja realizada um estudo de Arquitetura da Informação no elemento do Articulador Ou …Dr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  53. 53. Reformatação dos Links no ElementoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  54. 54. Modificação da terminologia do Menu: “Momento Empresarial” bem como da terminologia do Submenu do Articulador Redação atual: Tenho um negócio com menos de dois anos Redação atual: Tenho um negócio com mais de dois anosDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  55. 55. Foi solicitada a contribuição de um redator senior Gustavo Calsing Clique e veja esta contribuição Esta contribuição não pretende ser uma solução definitiva visa enriquecer a discussão interna sobre a solução do problema semântico apontadoDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  56. 56. Estudo de Usabilidade O estudo de usabilidade tem como objetivo identificar no sítio SEBRAE os problemas de usabilidade que bloqueiem, dificultem e/ou retardem o processo de navegabilidade Este tipo de análise identifica os modos operatórios empregados pelos usuários finais na resolução de tarefas, no entanto não leva em conta as regras do negócio do cliente e não se aprofunda em questões estratégicasDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima
  57. 57. Estudo de Usabilidade SEBRAE Novembro de 2008 Dr. Sergio Luis dos Santos LimaDr. Eng. Sergio Luis dos Santos Lima

×