1ESCOLA ESTADUAL ALBERT EISTEIN       LIXO URBANO   GUARANTÃ DO NORTE – MT             2011
2 MARIANA ELIAS BORGES   JESSIANE GOMES PATRÍCIA DE AZEVEDO     JOSÉ MÁRCIO   LIXO URBANO                    Trabalho    a...
3Aos nossos pais pelo apoio irrestrito em todos       os momentos de nossa vida e         á associação de catadores.
4  Agrademos a princípio a Deus, que nos           permitiu a inteligência.  Ao meu Profº Sérgio, pelas orientaçõesprecisa...
5   “Se hoje jogamos lixo no chão, amanhã   jogaremos nossa vida no lixo. Devemoslembrar que o que damos a natureza hoje, ...
6                                                      SUMÁRIO1.INTRODUÇÃO...................................................
7                                  1. INTRODUÇÃO        O presente Trabalho de final do 3º bimestre, da disciplina de geog...
8Ribas; a bióloga Cleves Aparecida de costa; e o secretário de Vigilância SanitáriaOsmar Francisco de Souza, os dados fora...
9                   3. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DO TEMA        Chamamos de lixo tudo aquilo que não nos serve mais e jogamos ...
10           •   Menor produção de lixo por pessoa;           •   Reutilizar;           •   Reciclar, doar e ter outras fi...
11       Os aterros sanitários são construídos, na maioria das vezes, em locaisdistantes das cidades. Isto ocorre em funçã...
12frutas, verduras e outros alimentos). Este último tipo de lixo é descartado em aterrossanitários ou usado para a fabrica...
13            •   RECICLAR: Transformar materiais já usados, por meio de processo                artesanal ou industrial, ...
14        Jurandir Taborda Ribas, secretário da Infra-estrutura coloca sua posiçãosobre a coleta de lixo em Guarantã, ele ...
15        Guarantã do Norte investe R$ 3900 mensalmente por consócio Vale doPeixoto. A coleta é quinzenal, onde tem saída ...
16                          5. CONSIDERAÇÕES FINAIS        Finalmente realizamos um estudo abrangente sobre o lixo em gera...
17                       6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAShttp://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-reciclagem/r...
18                                    7. ANEXOS        Abaixo vão anexos os questionários e alguns gráficos referentes ao ...
197.2. GRÁFICOS E TABELAS
20
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcio

1.213 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado por alunos do terceiro ano do ensino médio da Escola Albert Einstein.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.213
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcio

  1. 1. 1ESCOLA ESTADUAL ALBERT EISTEIN LIXO URBANO GUARANTÃ DO NORTE – MT 2011
  2. 2. 2 MARIANA ELIAS BORGES JESSIANE GOMES PATRÍCIA DE AZEVEDO JOSÉ MÁRCIO LIXO URBANO Trabalho apresentado para avaliação na disciplina de geografia, 3º Ano B, turno Matutino, da Escola Albert Einstein ministrado pelo professor Sérgio Pereira.GUARANTÃ DO NORTE – MT 2011
  3. 3. 3Aos nossos pais pelo apoio irrestrito em todos os momentos de nossa vida e á associação de catadores.
  4. 4. 4 Agrademos a princípio a Deus, que nos permitiu a inteligência. Ao meu Profº Sérgio, pelas orientaçõesprecisas em todos os momentos solicitados. A todos os colegas professores e alunos companheiros da lida do dia a dia.
  5. 5. 5 “Se hoje jogamos lixo no chão, amanhã jogaremos nossa vida no lixo. Devemoslembrar que o que damos a natureza hoje, elanos devolverá no amanhã. Então vamos mudar velhos hábitos, criar novas maneiras e viver melhor.”
  6. 6. 6 SUMÁRIO1.INTRODUÇÃO..................................................................................................62. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO.................................................73. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DO TEMA...........................................................8 3.1. Destino certo X errado.............................................................................8 3.2. Lixão...................................................................................................9 3.3. Aterro Sanitário X Aterro Controlado.............................................9 3.4. Coleta Seletiva.........................................................................10 3.5. A Política dos 3 Rs............................................................114. ANÁLISE DOS DADOS PESQUIZADOS......................................................12 4.1. Expedição Reciclar transformando visões MT afora............................145. CONSIDERAÇÕES FINAIS...........................................................................156. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..............................................................167. ANEXOS........................................................................................................17 7.1. Anexos A: Questionários.......................................................................17 7.2. Anexos B:Gráficos e Tabelas............................................................18
  7. 7. 7 1. INTRODUÇÃO O presente Trabalho de final do 3º bimestre, da disciplina de geografia, 3ºAno B, Escola Albert Einstein, se refere à situação do lixo na cidade de Guarantã doNorte, quais são os seus destinos. Têm como autores os alunos José Márcio,Mariana Elias Borges, Jessiane Gomes e Patrícia de Azevedo. Este trabalho intitula-se: “O Agir da Prefeitura de Guarantã do Norte emProjeto de Aterro Sanitário. Procura-se identificar qual a metodologia utilizada porestes profissionais no decorrer do projeto. Na cidade há diversas famílias carentes que necessitam de lixo limpo(reciclável) para sobreviver e é sabido que algumas crianças acabam por ajudar ospais neste trabalho. Sendo a escola uma instituição, e que tem como uns dosobjetivos, zelar pelos direitos da criança e adolescente, e formar cidadãos solidários,tal trabalho de certa forma, propiciará aos alunos um meio para adquirirem taisinformações sobre o lixo de nossa cidade de forma mais rápida e precisa. Alémdisso, a comunidade escolar será conscientizada quanto a importância dareciclagem para preservação do meio ambiente e também forma de trabalhoalternativo e geração de renda. Este estudo tem como principal objetivo investigar como é realizadaatualmente a coleta do lixo em Guarantã do Norte, verificando principalmente comoa prefeitura se preocupa com a situação atual da coleta e qual é a prioridade que olixo tem na visão de município. Em função deste objetivo geral, foram definidos osObjetivos Específicos, constituindo em: pesquisar os impactos provocados peloacúmulo de lixo ao meio ambiente e a saúde; quais são os destinos em Guarantã doNorte; qual o andamento do Projeto de Aterro Sanitário, e sua previsão. A idéia central do trabalho é a situação do lixo atual e ver a questão doProjeto de Aterro Sanitário previsto pra 2012. Para o desenvolvimento deste trabalho utilizou-se a pesquisa exploratória ebibliográfica em livros, teses e leis, com o objetivo de complementar o conhecimentoem relação ao assunto proposto. Para a coleta de dados foi utilizado comoinstrumento dois questionários focando os principais assuntos relacionados ao temaproposto. Após as entrevistas com o Secretário da Infra-estrutura, Jurandir Taborda
  8. 8. 8Ribas; a bióloga Cleves Aparecida de costa; e o secretário de Vigilância SanitáriaOsmar Francisco de Souza, os dados foram analisados, e interpretados, ditos notrabalho. 2. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO Segundo MT e seus municípios os dados referentes á Guarantã do Nortesão os seguintes:Altitude 260 mDistância da Capital 690 km. 2 2Extensão Territorial 4.713 Km (IBGE) 2.240,13 km (Município)Localização Mesorregião 127, microrregião 520 - Colider. Norte mato-grossense.GeográficaRelevo Planalto Residual norte de Mato Grosso. Serra do Cachimbo.Formação Geológica Coberturas dobradas do Fanerozóico, Formação Iriri. Complexos metamórficos arqueanos ou pré-cambrianos Indiferenciado. Faixa Móvel Rio Negro-Juruena.Bacia Hidrográfica Grande Bacia do Amazonas.Clima Equatorial quente e úmido. Precipitação anual de 2.750 mm, com intensidade máxima em janeiro, fevereiro e março. Temperatura média anual de 24ºC, sendo a maior máxima de 40ºC, e menor mínima 4ºC.
  9. 9. 9 3. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DO TEMA Chamamos de lixo tudo aquilo que não nos serve mais e jogamos fora. Osdicionários de língua portuguesa definem a palavra como sendo: coisas inúteis,imprestáveis, velhas, sem valor; aquilo que se varre para tornar limpa uma casa ouuma cidade; entulho; qualquer material produzido pelo homem que perde a utilidadee é descartado. O aumento acelerado do lixo teve inicio com o grande crescimentodemográfico, conseqüência da Revolução Industrial, onde gera o consumismo, cadavez mais exagerado. O mesmo acarreta problemas ambientais (poluição) eeconômicos (gastos muito caros). É óbvio que os custos sociais e ambientais das sociedades de consumoestão cada vez mais difíceis de serem ignorados, contudo já existem tecnologias emétodos de tratamento que diminuem os efeitos dessa massa de resíduos. Porémesses benefícios não chegam de forma igual em todas as cidades. Desde 2005, éproibida a disposição final de resíduos não-tratados no país, isso é lei, mas o difícil ésegui - lá rigorosamente. Algumas cidades estão usamos vários métodos para o melhoramento dolixo, no entanto eles também têm suas consequências. Os principais métodosusados são a incineração do lixo e o aterro sanitário, causando poluição do ar, econtaminação solo e lençóis freáticos respectivamente. A melhor forma de auxiliar o lixo é a diminuição do mesmo, mudança decomportamento das pessoas e a compostagem (decomposição de resíduosorgânicos, usados para adubos). Nas grandes cidades existem os Biodigestores,equipamentos que além da decomposição realizada na compostagem, realizamtambém o aproveitamento do metano, que poderá ser utilizado em forma de energiaelétrica. Até 2020 apenas 30% do aquecimento terá o petróleo como fonteenergética. 3.1. DESTINO CERTO X ERRADO Existem diversas alternativas para auxiliar o problema do lixo, tais como:
  10. 10. 10 • Menor produção de lixo por pessoa; • Reutilizar; • Reciclar, doar e ter outras finalidades para embalagens, roupas, etc.; • Boas ideias (sacola reciclável, por exemplo); • Aterros sanitários; • Coleta seletiva; • Compostagem; • Autoclavagem. Em muitas cidades essas alternativas são praticamente ideais utópicos, ouseja, as pessoas sonham com um mundo sem lixo, limpo, renovado, porém isso ficasó na mente, não é colocado em prática. Um destino errado é o lixão, ondefalaremos no próximo item. 3.2. LIXÃO O que é? É um local onde há uma inadequada disposição final de resíduossólidos, que pode ser de origem domiciliar, industrial, hospitalar e tecnológica, quese caracteriza pela simples descargasobre o solo sem medidas de proteçãoao meio ambiente ou á saúde pública.Para melhor entendimento dizemos queé uma descarga á céu aberto. 3.3. ATERRO SANITÁRIO X ATERRO CONTROLADO Aterro sanitário é uma espécie de depósito onde são descartados resíduossólidos (lixo) provenientes de residências, indústrias, hospitais e construções.Grande parte deste lixo é formada por não recicláveis. Porém, como a coleta seletivaainda não ocorre plenamente, é comum encontrarmos nos aterros sanitáriosplásticos, vidros, metais e papéis.
  11. 11. 11 Os aterros sanitários são construídos, na maioria das vezes, em locaisdistantes das cidades. Isto ocorre em função do mau cheiro e da possibilidade de contaminação do solo e de águas subterrâneas. Porém, existem, atualmente, normas rígidas que regulam a implantação de aterros sanitários. Estes devem possuir um controle da quantidade e tipo de lixo, sistemas de proteção ao meio ambiente e monitoramento ambiental. Já o aterro controlado é uma fase intermediária entre o lixão e o aterrosanitário. Ele não possui uma estrutura de tratamento de resíduos organizada eeficiente quanto o do aterro sanitário, mas também não polui tanto quanto o lixão.Geralmente são antigos lixões que passaram por um processo de remediação daárea do aterro, ou seja, isolamento do entorno para minimizar os efeitos do chorume gerado, canalização deste chorume para tratamento adequado, remoção dos gases produzidos em diferentes profundidades do aterro, recobrimento das células expostas na superfície, compactação adequada, e gerenciamento do recebimento de novos resíduos. O gerenciamento de todas essas características permite que o aterro passe a ser controlado. 3.4. COLETA SELETIVA Coleta seletiva de lixo é um processo que consiste na separação erecolhimento dos resíduos descartados por empresas e pessoas. Desta forma, osmateriais que podem ser reciclados são separados do lixo orgânico (restos de carne,
  12. 12. 12frutas, verduras e outros alimentos). Este último tipo de lixo é descartado em aterrossanitários ou usado para a fabricação de adubos orgânicos. No sistema de coleta seletiva, os materiais recicláveis são separados em:papéis, plásticos, metais e vidros. Existem indústrias que reutilizam estes materiaispara a fabricação de matéria-prima ou atémesmo de outros produtos. Além de gerarrenda para milhões de pessoas eeconomia para as empresa, tambémsignifica uma grande vantagem para omeio ambiente uma vez que diminui apoluição dos solos e rios. Este tipo decoleta é de extrema importância para odesenvolvimento sustentável do planeta. 3.5. A POLÍTICA DOS 3 RS Através de pequenos gestos, nós podemos mudar nossos hábitos de vida eadotarmos o consumo consciente, ao utilizarmos os 3 Rs , que são práticas simples,mas importantes e que fazem a diferença no volume de lixo descartado: Reduzir,Reutilizar, Reciclar. CUIDADO! Observe a seqüência lógica da filosofia dos 3 Rs:primeiro, reduzir, para depois pensar em reutilizar e reciclar. Não aumente oconsumo só para ter mais material para reutilizar e reciclar! • REDUZIR: economizar de todas as formas possíveis. Procurar sempre produtos mais duráveis; Comprar o suficiente para consumo, evitando desperdício de produtos e alimentos; reformar e conservas as coisas, no lugar de substituí-las por outras; procure produtos que tenham menos embalagens ou utilize aqueles que tenham embalagem reciclável, etc. • REUTILIZAR: Reutilizar é uma forma de evitar que vá para o lixo aquilo que não é lixo. É ser criativo, inovador, usar um produto de várias maneiras. Ex: usar os potes de vidro com tampa para guardar miudezas (botões, pregos, etc.).
  13. 13. 13 • RECICLAR: Transformar materiais já usados, por meio de processo artesanal ou industrial, em novos produtos. Ex: transformar embalagens PET em tecido de moletom. Reciclar significa enviar novamente para o ciclo de vida útil. 4. ANÁLISE DOS DADOS PESQUIZADOS A construção de um projeto de aterro sanitário na cidade de Guarantã doNorte surgiu da necessidade de ter um local adequado para o depósito dos resíduossólidos, já que os mesmos são destinados ao lixão a céu aberto, que causaimpactos ambientais e riscos para a saúde pública. O diferencial do projeto foi sepreocupar com a inclusão social das famílias que retiram materiais recicláveis destelocal improvisado. Em uma entrevista com a bióloga Cleves Aparecida de costa dizque com a implantação do aterro sanitário em Guarantã do Norte, previsto pra anoque vem (2012), os catadores vão participar de uma associação, para fins lucrativos. Entrando em uma cooperativa, esses catadores vão passar a sofrer menosagressão do lixo e consequentemente melhorarão a saúde, já que não vão precisarseparar o lixo, que já passou por um processo de seleção. Para intensificar a separação do lixo seco e úmido, a prefeitura deve instalarlixeiras separativas em vários pontos como escolas, postos de saúde, ginásios eoutros prédios públicos. Para que haja isso é necessário que antes haja umareeducação ambiental para com a população de Guarantã do Norte, demonstrandoque a responsabilidade com o futuro social e ambiental de nossa cidade é dever detodos. Em sua entrevista, Cleves diz que Guarantã não tem um destino apropriadoe que a população deveria antes passar por uma reeducação ambiental. O projetode aterro sanitário está intramitando na Sema, órgão ambiental, e na Funasa, órgãoliberador do recurso, o financiador das obras. Como ela mesma diz: “É o tempo daburocracia”. A prefeitura de Guarantã do Norte já investiu na compra no sítio e nacontratação dos técnicos. O custo para se manter um aterro só será previsto depoisque o mesmo estiver pronto.
  14. 14. 14 Jurandir Taborda Ribas, secretário da Infra-estrutura coloca sua posiçãosobre a coleta de lixo em Guarantã, ele diz que a mesma só foi terceirizada por quedesde a gestão de Lutero Siqueira, a cidade não tinha uma base firme para acompra de caminhões, para a contração de funcionários que consequentementeprecisariam de especialização, e muito menos para a implantação de um aterro. Naépoca a melhor maneira encontrada foi a terceirização pela Empresa Pública SantaMaria. De acordo com as informações de Lelia Laura Silva a prefeitura de Guarantãdo Norte gasta atualmente R$ 590.568 por ano com a contração da empresa. O manejo dos resíduos gerados em todas as unidades de serviços de saúdeobedecem as regulamentações da Resolução da Diretoria Colegiada 306/04 daANVISA (Agência Nacional de Saúde) e Resolução 358/05 do Conama (ConselhoNacional de Meio Ambiente) que os classificam em 5 grupos: A-Biológicos, B-Químicos, C-Rejeitos Radioativos D- Comuns e E-Perfurocortantes.Responsabilizam o gerador pelo gerenciamento dos resíduos, independente doporte da unidade e quantidade de resíduo. Desde 05 de julho de 2006 o Poder Público Municipal repassou para ogerador a responsabilidade pelos serviços de coleta, transporte, tratamento edestino final (Decreto Municipal 16.592/06). Em uma entrevista com o secretário de Vigilância Sanitária de Guarantã doNorte, Osmar Francisco de Souza diz que o lixo hospitalar de todas as unidades desaúde, dentre elas públicas e privadas e dos municípios vizinhos (Matupá, NovoMundo, Peixoto e Terra Nova) são destinados pra Cuiabá-MT, pela EmpresaMáxima Ambiental, onde receberão o tratamento adequado. O primeiro passo para o destino deste lixo é a autoclave, tratamento térmicoque consiste em manter o material contaminado sob pressão à temperatura elevada,através do contato com o vapor d´água, durante um período de cerca de 40 minutospara destruir todos os agentes patogênicos. Depois, o lixo é triturado e pode serdescartado nas valas sépticas, já que não possui mais perigo de contaminação.Guarantã não faz uso do processo, pois não possui maquinários adequados para otratamento do lixo tóxico.
  15. 15. 15 Guarantã do Norte investe R$ 3900 mensalmente por consócio Vale doPeixoto. A coleta é quinzenal, onde tem saída de 300 a 450 kg de lixo hospitalarpúblico e aproximadamente 7 kg do privado. Guarantã adaptou-se á essa formadesde 13/03/2010. Antes o lixo era queimado em um forno da própria instituiçãopública ou privado. 4.1. EXPEDIÇÃO RECICLAR TRANSFORMANDO VISÕES MT AFORA A reciclagem é o termo geralmente utilizado para designar oreaproveitamento de matéria-prima para um novo produto. As maiores vantagens dareciclagem a minimização da utilização de fontes naturais muitas vezes nãorenováveis e da quantidade de tratamento final, como aterramento, ou incineração.Este é apenas um dos conceitos repassados pela Expedição Reciclar, que visitamunicípios mato-grossenses falando sobre reciclagem sob uma nova ótica, o queesta dando uma diferenciada no setor de reciclagem. A Expedição Reciclar tem como objetivo promover geração de emprego erenda, através da capacitação de cooperativas de catadores, abrir a possibilidades anovos negócios com treinamento de agentes públicos ligados á questão de resíduossólidos, implementar a cadeia de reciclagem de embalagens no estado de MatoGrosso, subsidiar políticas públicas de mapeamento, geração, tratamento ereciclagem de materiais entre a população, combater o trabalho infantil nos lixões,contribuir para o aperfeiçoamento da legislação ambiental, auxiliar o município aidentificar soluções alternativas para o tratamento do lixo urbano e estimular oempreendedorismo nesses municípios. Segundo a nova legislação do setor, até 2013 todos os municípiosbrasileiros terão que ter aterros sanitários e um trabalho com a reciclagem,extinguindo de vez os lixões e as conseqüências ambientais, sociais e de saúde quevem deles. Essa é a proposta da Expedição Reciclar em nosso estado: implantar umnovo olhar e auxiliar no andamento desta nova realidade brasileira, diz o empresárioCabral Amaral. A reciclagem se transformou, além de um movimento ambientalista,numa opção em geração de renda.
  16. 16. 16 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS Finalmente realizamos um estudo abrangente sobre o lixo em geral, desdeos seus processos até o mais complexo. Segundo alguns estudos têm um grandepotencial para ser referência para outros trabalhos a serem realizados a diante. Temos a certeza que as soluções para o lixo doméstico não podem serpadronizadas, haja vista que cada região e cada município têm suas característicasde cultura e potenciais geradores diferentes e isso ocorre até dentro de um mesmomunicípio. Dessa forma, ao se lançar um projeto de coleta seletiva, esse deve serpreviamente muito bem debatido com a população alvo, para que se sinta o queserá melhor aceito por ela e também muito bem analisada a demanda, casocontrário, haverá o risco de se gerar outras pilhas de lixo. É preciso que haja uma consciência coletiva para a reutilização dosresíduos. Uma consciência ecológica que vislumbre desde o não-desperdício até ofato de se maltratar a natureza, através da exposição do meio ambiente aosresíduos sólidos urbanos. O destino final dado aos resíduos da forma como propõe acoleta seletiva, oferece integridade e qualidade ambiental. Sabe-se que estas estãointimamente ligadas à qualidade de vida do ser humano. Para que isso aconteça, faz-se necessário uma conscientização por parte dopoder público e da população. Buscar novos caminhos são desafios e necessidades cada vez maisurgentes - pequenos gestos multiplicados por muitos, colaboram para que o meioambiente volte para um patamar aceitável de conservação ou pelo menos que aagressão sofrida durante todos esses anos de produção industrial se estabilize, atéque possamos desenvolver novas tecnologias de produção que sejam menosagressivas e que não comprometam o desenvolvimento dos países. Só nãopodemos esperar que a tecnologia seja a solução para todos os problemasambientais - devemos dar a nossa contribuição pessoal mudando as nossasatitudes. Há ainda muito que fazer na questão do lixo, mas com certeza estamos nocaminho certo.
  17. 17. 17 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAShttp://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-reciclagem/reduzir-reutilizar-reciclar.phphttp://www.oeco.com.br/carlos-gabaglia-penna/20113-lixo-urbano-desafios-e-tecnologiashttp://intra.vila.com.br/sites_2002a/urbana/susana/sitedestino.htmhttp://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/lixo-urbano.htmhttp://www.infoescola.com/meio-ambiente/lixo-urbano/http://www.mteseusmunicipios.com.br/NG/conteudo.php?155&cid=800Mato Grosso Já. Mostrando as cidades de Mato Grosso. 5ª Ed., Ano 01 – julho/agostohttp://www.recicloteca.org.br/inicio.asphttp://pt.shvoong.com/humanities/1651971-que-%C3%A9-um-aterro-controlado/http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060926045108AAFLtiChttp://www.lixo.com.br/documentos/coleta%20seletiva%20como%20fazer.pdf
  18. 18. 18 7. ANEXOS Abaixo vão anexos os questionários e alguns gráficos referentes ao lixourbano em nível Brasil e á nível mundial. 71. QUESTIONÁRIOS ENTREVISTADO: Osmar Francisco de Souza, secretário da VigilânciaSanitária 1) Qual o destino do lixo hospitalar de Guarantã do Norte? 2) Quantos kg diários são produzidos de lixo, somando todas as unidades de saúde? 3) De quanto em quanto tempo é feita a coleta? 4) Qual o custo da coleta, já que a mesma é terceirizada? 5) Por que esse lixo foi terceirizado por uma empresa de Cuiabá e não de Guarantã? ENTREVISTADO: Cleves Aparecida de costa, Bióloga; Jurandir TabordaRibas, Secretário da Infra-estrutura; Lelia Laura Silva 1) Porque a coleta do lixo foi terceirizada? E por qual empresa? 2) Quanto a prefeitura gasta atualmente com a coleta do lixo? 3) Porque guarantã não tem coleta seletiva? 4) Existe um projeto de aterro pra Guarantã do Norte? Como esta o seu andamento? 5) Existe previsão para a instalação do mesmo? 6) O que falta para a aprovação do projeto? 7) Qual o preço para se manter um aterro sanitário aqui em Guarantã do Norte? 8) Como ficam a situação dos catadores de lixo, os que sobrevivem do lixão? 9) Quais benefícios o aterro trará para a população de Guarantã? Qual o retorno?
  19. 19. 197.2. GRÁFICOS E TABELAS
  20. 20. 20

×