Luciano, renan, paulo e evrson

940 visualizações

Publicada em

Trabalho dos alunos do ensino médio da Escola Estadual Albert Einstein de Guarantã do Norte - Mt

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
940
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Luciano, renan, paulo e evrson

  1. 1. 1 ESCOLA ESTADUAL ALBERT EINSTEIN LUCIANO DAL SOCHIO RENAM BRAMBILLAPAULO HENRIQUE AGUIRRI ALVES PAVÃO HEVRSON DA SILVA CARNEIRO SANEAMENTO BÁSICO GUARANTÃ DO NORTE – MT 2011
  2. 2. 2 ESCOLA ESTADUAL ALBERT EINSTEIN LUCIANO DAL SOCHIO RENAM BRAMBILLAPAULO HENRIQUE AGUIRRI ALVES PAVÃO HEVRSON DA SILVA CARNEIRO SANEAMENTO BÁSICO TRABALHO APRESENTADO NA MATÉRIA DE GEOGRAFIA SOBRE ORIENTAÇÃO DO PROFESSOR SÉRGIO PARA OBTENÇÃO DE NOTA E DE APRENDIZADO GUARANTÃ DO NORTE – MT 2011
  3. 3. 3 AGRADECIMENTOSAo professor Sérgio pela oportunidade concedida de estarmos vendo de pertoalgumas realidades do nosso município.Á todos que nos ajudaram na realização do trabalho através de informaçõesimportantíssimas concedidas aos integrantes do grupo.
  4. 4. 4Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e, esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta. REGINA GUIMARÃES
  5. 5. 5 RESUMOEsse trabalho tem como objetivo mostrar além do conceito de saneamento básico ede todo o conjunto de serviço que envolve á área, é direcionado á realidade ealgumas formas de trabalho na cidade de Guarantã do Norte – MT em relação áárea do saneamento. Além de relatar á realidade do mal que estamos fazendo aonosso meio ambiente.
  6. 6. 6 SUMÁRIO1. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA...............................................................71.1. TOPOGRAFIA..........................................................................................81.2. HIDROGRAFIA.........................................................................................81.3. CARACTERÍSTICAS GEOGRÁFICAS.....................................................82. SANEAMENTO BÁSICO..........................................................................92.1. CONCEITO...............................................................................................93. ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL..............................................103.1. CONCEITO..............................................................................................103.2. PROCESSO DE TRATAMENTO.............................................................104. ESGOTAMENTO SANITÁRIO................................................................114.1. CONCEITO..............................................................................................114.2. OBJETIVOS.............................................................................................115. PROJETO ESGOTAR.............................................................................125.1. TRATAMENTO........................................................................................126. DRENAGEM DAS ÁGUAS PLUVIAIS....................................................136.1. CONCEITO..............................................................................................136.2. COMPONENTES DO SISTEMA DE DRENAGEM..................................136.3. DIVISÃO DO SISTEMA DE DRENAGEM EM GUARANTÃ....................147. LIMPEZA URBANA E MANEJO DE RESÍDUOS...................................157.1. Á IMPORTÂNCIA DO SERVIÇO DE LIMPEZA ASPÉCTOS SANITÁRIOS............................................................................................157.2. RESÍDUOS SÓLIDOS, DEFINIÇÃO E TIPOLOGIA................................167.3. LIXO HOSPOTALAR...............................................................................177.4. COLÉTA URBANA...................................................................................197.5. EXEMPLO Á SER SEGUIDO..................................................................198. BIBLIOGRAFIA.......................................................................................209. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA
  7. 7. 7Guarantã do Norte está localizada 725 Km ao norte da Capital Cuiabá, fazendodivisa com o estado do Pará. Sua origem começa na década de 70 quando tudoainda era mata habitada pelos índios Kreen-aka-rorê.Em 1.971 o 9º Batalhão de Engenharia e Construção do Exército, recém implantadoem Cuiabá, recebeu a missão de abrir o trecho de 1.114 Km da rodovia BR 163 queainda faltava para interligar Cuiabá MT a Santarém no PA. Rodovia esta idealizadapelo General JOSÉ VIEIRA COUTO DE MAGALHÃES.Após a abertura desta rodovia no trecho de Mato Grosso, o processo de ocupação ecolonização se acelerou, logo em seguida foi aberta a MT que liga a 163 a AltaFloresta dando início ao processo de colonização daquela região.Aqui não foi diferente, já no ano de 1.975, Antônio Queiroz construía cercas erealizava derrubadas para a Fazenda Cachimbo, hoje município de Matupá. A partirdo ano de 1.976 chegavam aqui na região de Guarantã do Norte os primeirosdesbravadores. Erico Ribeiro, Antônio Bezerra, Gabriel Meurer, Rafael de Souza, osirmãos Peretto, Inocêncio Pereira e filhos, a família Queiroz, Antônio Gomes e acada semana novas famílias iam chegando, de tal maneira, que em 1980 asmargens da 163 estavam totalmente ocupadas por posseiros.Quando o INCRA chegou em 1980 para implantar o Projeto PAC Peixoto deAzevedo, o local escolhido para ser construída a cidade já havia posseiros com cartade anuência e outro local precisou ser escolhido.No ano de 1.979 tem início a implantação do Projeto idealizado pelo Sr. Irany JaimeFarina, Presidente da Cooperativa Tritícola Erechim Ltda (COTREL), o qual foidenominado PAC de Peixoto de Azevedo, projeto este criado para solucionar oproblema das famílias atingidas pela construção da barragem do Rio Jacuí, naregião de Cruz Alta-RS, e para atender os associados da cooperativa que ansiavampor seu pedaço de terra para produzir.Este foi o primeiro Projeto de Colonização a nível nacional realizado através deparceria do INCRA com uma cooperativa., Tal ação significou uma inovação noTerritório Brasileiro, pois pela primeira vez uma cooperativa participava de umprojeto de reforma agrária.A Lei nº 4.378 de 16 de novembro de 1981, criou o Distrito de Guarantã, pertencenteao Município de Colíder. O nome de Guarantã originou-se de uma árvore destaregião com este nome.
  8. 8. 8Em 1982 o Distrito de Guarantã teve seu primeiro representante na CâmaraMunicipal de Colíder na pessoa do Sr. Ovandir Batista. 9.1. TOPOGRAFIAPela classificação de Jurandir Sanches Ross, o relevo do município possui duasunidades, a Depressão Marginal Sul Amazônica e os Planaltos Residuais SulAmazônicos, com destaque ao norte a Serra do Cachimbo.Depressão Sul-Amazônica – Está delimitada pelo Planalto e Chapada dos Parecis,ao sul, e pelo Planalto da Amazônia Oriental, ao norte. Portanto, essa depressãotambém faz parte da região Centro-Oeste.Planaltos Residuais Sul-Amazônicos – São planaltos cristalinos que se estendemdesde o sul do Pará até Rondônia.Têm o aspecto de uma vasta área plana commorros de topos arredondados, distribuídos pelo espaço de forma descontínua. Aolado desses morros encontram-se áreas de coberturas sedimentares antigas, queapresentam topo plano e correspondem às chapadas, como a do Cachimbo. Nessaformação, localiza-se a serra dos Carajás, onde há grande ocorrência de minerais,como ferro, manganês, cobre e ouro. 9.2. HidrografiaGuarantã do Norte está localizado na Bacia Hidrográfica do rio Amazonas tendocomo principais rios de nosso município o Braço Norte, o Braço Sul e o rioPeixotinho. 9.3. Características GeográficasÁrea: 4 713,043 km²População: 32 150 hab. Censo IBGE/2010
  9. 9. 9Densidade: 6,82 hab./km² 10. Saneamento Básico 10.1. CONCEITOO saneamento básico, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), éo gerenciamento ou controle dos fatores físicos que podem exercer efeitos nocivosao homem, prejudicando seu bem-estar físico, mental e social.Outra definição é a trazida pela Lei do Saneamento Básico (apelido dado para a LeiOrdinária N.º 11.445 de 05 de janeiro de 2007 que estabelece as diretrizes básicasnacionais para o saneamento), que o define como o “conjunto de serviços, infra-estruturas e instalações operacionais de:” abastecimento de águapotável, esgotamento sanitário, limpeza urbana, manejo de resíduos sólidos edrenagem e manejo das águas pluviais.Seja qual for a definição utilizada, o certo é que o saneamento básico estáintimamente relacionado ás condições de saúde da população e mais do quesimplesmente garantir acesso aos serviços, instalações ou estruturas que citam a lei,envolvem, também, medidas deeducação da população em geral e conservaçãoambiental.Segundo o conceito de Promoção de Saúde proposto pela OMS desde aConferência de Ottawa, Japão, em 1986, um dos fatores mais importantes da saúdesão as condições ambientais. O que abrange o lugar, ou meio em que se vive que,quando insalubre pode ocasionar e transmitir várias doenças e, também, ascondições do meio ambiente em que a pessoa está inserida, pois a qualidade do ar,da água e do solo também são fatores determinantes para saúde das pessoas.Basta citar como exemplo as doenças respiratórias causadas pela poluição dasgrandes cidades. 11. ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL
  10. 10. 10 11.1. CONCEITOÁ água que é tratada e distribuída para toda nossa cidade é captada no rio BraçoSul ás margens da BR-163 e chega até á estação de tratamento através detubulação feita por baixo da terra com auxilio de bombas e até da própria gravidadeda região que leva até á central de tratamento 180m³ de água por hora, segundo nosconta o diretor da empresa Águas de Guarantã, JUSCELINO MENEGHATI. 11.2. PROCESSO DE TRATAMENTOO processo de tratamento dessa água é feita por etapas na seguinte seqüência: 1° Coagulação - A primeira destas etapas é a coagulação, quando a água bruta recebe, logo ao entrar na estação de tratamento, uma dosagem de sulfato de alumínio. Este elemento faz com que as partículas sólidas (sedimentos), sobretudo argila, iniciem um processo de aglomeração. 2° Floculação - As partículas se transformam em flocos mais pesados. 3° Decantação - A água entra em outros tanques, onde vai ocorrer a decantação. As impurezas, que se aglutinaram e formaram flocos, vão se separar da água pela ação da gravidade, indo para o fundo dos tanques. 4° Filtração - A próxima etapa é a filtração, quando a água passa por filtros com camadas diversas de seixos (pedra de rio) e de areia. 5° Cloração - A cloração, serve para eliminar os germes patogênicos (nocivos à saúde) e garantir a qualidade da água até a torneira do consumidor. 6° Fluoretação - Opcionalmente, pode ser feita a fluoretação, quando é adicionado fluorssilicato de sódio ou ácido fluorssilícico em dosagens adequadas. Com o objetivo de reduzir a incidência de cárie dentária. 7° Correção de pH- A última ação neste processo de tratamento da água é a correção de pH, mas apenas é feita quando necessária, quando é adicionada a
  11. 11. 11 barrilha leve (carbonato de sódio) para uma neutralização adequada à proteção da tubulação da rede.Após todo esse processo, essa água é armazenada em reservatórios, Guarantãpossui três reservatórios com capacidade para armazenamento de quinhentos millitros de água cada um, e então essa água é distribuída para toda á cidade conformeá necessidade da população através de redes de encanamento de água que possuiaproximadamente 18 km de tubos espalhados por toda a cidade. 12. ESGOTAMENTO SANITÁRIO 12.1. CONCEITOCom a utilização da água para abastecimento, como conseqüência há a geração deesgotos. Se a destinação deste esgoto não for adequada, acabam contaminando aságuas superficiais e subterrâneas, solo, e quase que na maioria dos municípiosbrasileiros (68,9% contem esgotamento sanitário adequado, sendo que somente48% são atendidas por rede coletora de esgoto - fonte IBGE) passa a escoar a céuaberto, constituindo assim em perigosos focos de disseminação de doenças. 12.2. Objetivos- afastamento seguro e rápido dos esgotos;- coleta dos esgotos individual ou coletiva (fossas ou rede coletora);- tratamento e disposição adequada dos esgotos tratados.Benefícios- conservação dos recursos naturais;- melhoria das condições sanitárias locais;- eliminação de focos de contaminação e poluição;- eliminação de problemas estéticos desagradáveis;- redução das doenças ocasionadas pela água contaminada;- redução dos recursos aplicados no tratamento de doenças;
  12. 12. 12- diminuição dos custos no tratamento de água para abastecimento. 13. PROJETO ESGOTAREm Guarantã do Norte está sendo implantado pela empresa Águas de Guarantã oPROJETO ESGOTAR, que irá realizar dês da coleta até tratamento dos resíduos doesgoto doméstico. No total serão aproximadamente 50.000 metros de rede deesgoto, nessa primeira etapa do projeto apenas á bacia central do municípioreceberá o projeto que beneficiará em torno de 12.000 habitantes. Essa rede detubulação estará interligada á uma “rede mestre” que irá funcionar apenas porgravidade. Essa “rede mestre” irá passar as margens do córrego central, que segueaté aproximadamente se encontrar com córrego novo horizonte, onde próximo áesse ponto será construída á estação de tratamento. 13.1. TRATAMENTOApós estes resíduos chegarem até á estação, será feito o tratamento que naprimeira etapa todos os resíduos coletados serão depositados em um tanque, logoapós é feita á decantação do mesmo para separar á parte sólida da parte liquida. Áparte sólida é retirada para outro tanque e secada ao sol, que após algum temposerá enterrada ou até mesmo utilizada na adubação de lavouras ou outras terras. Jáá parte liquida passa por um processo biológico onde o esgoto afluente, na presençade oxigênio dissolvido, agitação mecânica e pelo crescimento e atuação demicroorganismos específicos, forma flocos denominados lodo ativado ou lodobiológico. Essa fase do tratamento objetiva a remoção de matéria orgânicabiodegradável presente nos esgotos. Após fim desse tratamento essa água chega áficar 95% pura novamente, e então é lançada novamente nos rios ou córregos. 14. DRENAGEM DAS ÁGUAS PLUVIAIS 14.1. CONCEITO
  13. 13. 13Um sistema de Drenagem e Manejo de Águas Pluviais é composto por estruturas einstalações de engenharia destinadas ao transporte, retenção, tratamento edisposição final das águas das chuvas.Os sistemas de drenagem são classificados de acordo com seu tamanho emsistemas de microdrenagem e sistemas de macrodrenagem. A microdrenageminclui a coleta das águas superficiais ou subterrâneas através de pequenas e médiasgalerias. Já a rede de macrodrenagem engloba, além da rede de microdrenagem,galerias de grande porte e os corpos receptores destas águas (rios ou canais). 14.2. COMPONENTES DO SISTEMA DE DRENAGEMA seguir, encontram-se conceituados componentes de um sistema de drenagem emanejo de águas pluviais urbanas:► Guia ou Meio-fio: é a faixa longitudinal de separação do passeio com a rua;► Sarjeta: é o canal situado entre a guia a e pista, destinada a coletar e conduzir aságuas de escoamento superficial até os pontos de coleta;► Bocas-de-lobo ou bueiros: são estruturas destinadas à captação das águassuperficiais transportadas pelas sarjetas; em geral situam-se sob o passeio ou sob asarjeta;► Galerias: são condutos destinados ao transporte das águas captadas nas bocascoletoras até os pontos de lançamento. Possuem diâmetro mínimo de 400milímetros;► Poços de visita: são câmaras situadas em pontos previamente determinados,destinados a permitir a inspeção e limpeza dos condutos subterrâneos;► Trecho de galeria: é a parte da galeria situada entre dois poços de visitaconsecutivos.
  14. 14. 14► Bacias de amortecimento: são grandes reservatórios construídos para oarmazenamento temporário das águas das chuvas, que liberam esta águaacumulada de forma gradual. 14.3. DIVISÃO DO SISTEMA DE DRENAGEM EM GUARANTÃ DO NORTEO sistema de Drenagem em Guarantã do Norte é dividido segundo á topografia dacidade, as ruas que já estão asfaltadas possuem sistema de drenagem através dosbueiros e das galerias de tubos que escoam as águas no seguinte esquema:► Entre á Avenida Dantes Martins de Oliveira até termino do bairro Treze de Maioas águas são escoadas para córrego Vila Novas.► Entre á Avenida Dantes Martins de Oliveira até paralela com BR-163 as águassão escoadas até o córrego central, que atravessa o centro da cidade.► Entre á paralela da Br-163 até aproximadamente Avenida Brasília no bairro jardimvitória as águas são escoadas para Córrego Novo Horizonte.► A partir da Avenida Brasília em sentido Leste, as águas são escoadas paracórrego conhecido popularmente como “Córrego do Porcão”.Quem faz o estudo e define qual melhor local para as águas desaguarem é aempresa responsável pelo asfaltamento do local que também realiza á instalaçãodas galerias, bueiros e bocas de lobo para captação das águas, evitando que aságuas em posem na pista. 15. LIMPEZA URBANA E MANEJO DE RESÍDUOS SÓLIDOS 15.1. A importância do serviço de limpeza aspecto sanitário.O lixo pode provocar efeitos maléficos através de:
  15. 15. 15Agentes físicos:É o caso do lixo acumulado às margens de cursos d‟água ou de canais de drenageme em encostas, acabando por provocar o seu assoreamento e o deslizamento dostaludes, respectivamente.Agentes químicosA poluição atmosférica causada pela queima de lixo a céu aberto e a contaminaçãode lençóis d‟água por substâncias químicas presentes na massa de resíduos sãoexemplos típicos desta ação sobre a saúde das pessoas e o meio ambiente.Agentes biológicosO lixo mal acondicionado ou depositado a céu aberto constitui-se em foco deproliferação de vetores transmissores de doenças (ratos, baratas, moscas, etc.)Aspectos estéticos e de bem-estar:A exposição indevida do lixo gera incômodos à população, tanto pelo seu mau odorquanto pela poluição visual e degradação do espaço onde é lançado.Aspecto econômico-financeiro:O lixo, uma vez aproveitado, pode ter reduzidos os custos com a sua coleta edisposição final. Seu aproveitamento se faz através de reciclagem de materiaisrecuperáveis (papel, plástico, metal, vidro, etc.), com a fabricação de compostoorgânico ou, ainda, pelo aproveitamento do gás metano produzido durante a suadecomposição na ausência de oxigênio.Aspecto social:É comum a existência, nos vazadouros de lixo e até mesmo nas ruas, de todo umcontingente de pessoas que buscam na separação e comercialização de materiais
  16. 16. 16recicláveis uma alternativa para o seu sustento e de sua família. Isto se dá emcondições subumanas. É possível, entretanto, manter esta atividade econômica,mas em adequadas condições de trabalho. É o caso das unidades debeneficiamento de lixo e dos programas de coleta seletiva tratados adiante 15.2. Resíduos sólidos: Definição e tipologiaLixo é, basicamente, todo e qualquer resíduo sólido proveniente das atividadeshumanas ou gerado pela natureza em aglomerações urbanas, como folhas, galhosde árvores, terra e areia espalhados pelo vento, etc.A origem é o principal elemento para a caracterização dos resíduos sólidos. Osdiferentes tipos de lixo podem ser então, agrupados em quatro classes, a saber:Lixo residencial:Resíduos sólidos gerados nas atividades diárias em casas, apartamentos, etc.Lixo comercial:É aquele produzido em estabelecimentos comerciais, cujas característicasdependem da atividade ali desenvolvida.Lixo público:São os resíduos da varrição, capina, raspagem, etc., provenientes dos logradourospúblicos (ruas e praças, por exemplo), bem como móveis velhos, galhos grandes,aparelhos de cerâmica, entulho de obras e outros materiais inservíveis deixadospela população, indevidamente, nas ruas ou retirados das residências através deserviço de remoção especial.Lixo de fontes especiais:
  17. 17. 17É aquele que, em função de determinadas características peculiares que apresenta,passa a merecer cuidados especiais em seu acondicionamento, manipulação edisposição final, como por exemplo o lixo industrial, o hospitalar e o radioativo. 15.3. LIXO HOSPITALAROs resíduos de serviços de saúde (RSS), comumente associados àdenominação lixo hospitalar ou resíduo hospitalar, é o nome que se dá aos resíduosoriginários de ações em hospitais. São divididos em: resíduos sólidos; resíduos emestado sólido ou semi-sólido e líquidos cujas particularidades tornem inviável seulançamento na rede pública de esgotos.Representam uma fonte de riscos à saúde humana e ao meio ambiente, devidoprincipalmente à falta de adoção de procedimentos técnicos adequados no manejodas diferentes frações sólidas e líquidas geradas, como materiais biológicoscontaminados e objetos perfuro cortantes, peças anatômicas, substancias tóxicas,inflamáveis e radioativas.Em Guarantã do Norte, todos esses resíduos são armazenados em tambores de 200Litros onde já é feita uma pré-separação, e a cada quinzena uma empresaespecializada vem até a cidade e recolhe esses tambores e transpor tão até ácapital Cuiabá onde será dado seu devido vim sem prejudicar o meio ambiente.Essa empresa é especializada em proteger a Saúde e o Meio Ambiente dos danosque esse tipo de lixo pode gerar quando disposto de forma inadequada.Essa empresa tem como objetivo suprir as necessidades de tratamento de resíduosgerados em unidades que executem atividades de natureza médico-assistencialhumana ou animal, inclusive os serviços de assistência domiciliar e de trabalhos decampo, laboratórios analíticos de produtos para saúde, necrotérios, funerárias eserviços onde se realizem atividades de embalsamamento (tanatopraxia esomatoconservação); serviços de medicina legal e barreiras sanitárias; drogarias efarmácias inclusive as de manipulação; distribuidores de produtos farmacêuticos,importadores, distribuidores e produtores de materiais e controles para diagnóstico;
  18. 18. 18clínicas médicas/odontológicas, ambulatórios, unidades sanitárias, hospitais, centrosmédicos, hemocentros, consultórios e clínicas veterinárias, laboratórios de análisesclínicas e patológicas, unidades móveis de atendimento, saúde, entre outros;estabelecimentos de ensino e pesquisa, centros de controle de zoonoses,desenvolvimento ou experimentação na área de farmacologia e saúde; serviços deacupuntura e serviços de tatuagem; dentre outros similares.No tratamento desse lixo é utiliza sistema de esterilização por autoclave, para osresíduos pertencentes ao Grupo A e E, garantindo-se a inativação dosmicroorganismos presentes, de acordo com Resolução n. 358/05 do ConselhoNacional do Meio Ambiente (CONAMA) e a Resolução n. 306/04 da AgenciaNacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Esta garantia está documentada peloconstante monitoramento realizado através de indicadores biológicos informando acompleta eliminação dos agentes nocivos. Este tipo de tratamento transforma osresíduos infectantes em resíduos inertes do grupo D, sem gerar qualquer tipo depoluição ao meio ambiente.Após o tratamento todos os resíduos serão dispostos em aterro sanitário licenciadoda região, com redução de 70% à 80% do volume inicial dos resíduos, já os resíduosdo Grupo B serão encaminhados para empresas licenciadas para o tratamentoadequado. 15.4. COLETA URBANAEm Guarantã do Norte á coleta de lixo urbana é feita por uma empresa terceirizadaque foi escolhida e contratada pela prefeitura municipal. Essa empresa realizacoletas diariamente no centro da cidade e nos demais bairros são feitas dia sim dianão. Á empresa conta com dois caminhões para realizar á coleta e possui dozefuncionários.Segundo dados do IBGE, á media nacional de lixo produzido no Brasil por habitanteé de 1 kg por dia. O responsável pela empresa de limpeza no município “LIMPEZASANTA MARIA” nos relatou que á media de lixo coletada por dia é de
  19. 19. 19aproximadamente 20 toneladas, apesar de a população urbana ser de 23.940habitantes.Todo o lixo coletado no município é depositado no lixão municipal, próximo ao bairroSanta Marta, apesar de ser irregular e não ter autorização da SEMA é único destinodo mesmo.Os lixões causam uma grande poluição ao meio ambiente e nos lençóis freáticos, noBrasil já existe uma Lei Federal nº 12.305 de 02 de Agosto de 2010 que diz quetodas as cidades deverão ter aterro sanitário licenciados, com reciclagem do lixosólido e tratamento do Chorume (líquido poluente, de cor escura e odor nauseanteoriginado da decomposição de resíduos orgânicos) antes de serem lançados aomeio ambiente, mas á realidade dos aterros sanitários ainda é a minoria em todoBrasil. 15.5. EXEMPLO Á SER SEGUIDONa cidade de Colíder – MT já está em funcionamento o aterro sanitário que funcionacom todas as exigências da SEMA, onde os próprios moradores já fazem uma préseparação do lixo domiciliar, separando o lixo seco (plásticos, sacolas, latas, ferros,etc.) do lixo úmido (restos alimentares, restos vegetais, papeis higiênicos, etc.),depois de coletado esses lixos são levados até o aterro onde está estalado umausina de reciclagem que é feita separação do lixo seco. O lixo úmido é depositadoem „Valas‟ que são envelopadas por uma manta própria para evitar vazamento dochorume, esse chorume é canalizado e depositado em tanques especiais onde éfeito o tratamento do mesmo e após não conter mais riscos ao meio ambiente élançado nos rios.Em Matupá – MT foi feita construção do aterro sanitário, mas não foi licenciado pelaSEMA pois não atendeu as exigências da mesma.
  20. 20. 20 16. BIBLIOGRAFIAhttp://geofacil.blogspot.com/ - Acessado 29/08/2011 ás 07h50minhttp://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 – Acessado 29/08/2011 ás08h10minhttp://www.infoescola.com/saude/saneamento-basico - Acessado 29/08/2011 ás09h45min
  21. 21. 21http://www.guarantadonorte.mt.gov.br/site/news.asp?cod=2967 - Acessado29/08/2011 ás 10h25minhttp://www.maximaambiental.com.br – Acessado 09/09/2011 ás 14h00minhttp://www.enge.com.br/esgoto_conceito.htm - Acessado 20/07/2011 ás 10h05minhttp://www.resol.com.br/cartilha/ - Acessado 26/09/2011 ás 15h00minEntrevistados:COSTA, Cleves aparecida de; Bióloga da prefeitura municipal de Guarantã do Norte.BENITTO, Clay; Diretor do Hospital Municipal Nossa Senhora do Rosário.Guimarães, Eliane E. Donadel; Diretora do Hospital Jardim Vitória.MENEGHATTI, Juscelino; Diretor da Empresa Águas de Guarantã.

×