Francieli, Fernanda e Thais

627 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Francieli, Fernanda e Thais

  1. 1. ESCOLA ESTADUAL ALBERT EINSTEIN DESEMPREGO Guarantã do Norte – MT 2011 1
  2. 2. Francieli Garcia Fernanda Aline Thais Zampieri DESEMPREGO Trabalho de Geografia apresentado à Escola Estadual Albert Einstein, para obtenção de nota na disciplina de Geografia, orientado pelo professor Sergio.Guarantã do Norte – MT 2011 2
  3. 3. SUMARIOGuarantã do Norte – Aspectos Físicos...............................................................4Desenvolvimento – Definição / Desemprego no Brasil.....................................6Fatores / Desemprego em Guarantã do Norte....................................................9Trabalho Formal e Informal...............................................................................10Entrada do Jovem no Mercado de Trabalho......................................................11Bibliografia........................................................................................................12 3
  4. 4. Guarantã do Norte – Aspectos FísicosRelevo: Pela classificação de Jurandir Sanches Ross, o relevo do município possui duasunidades, a Depressão Marginal Sul Amazônica e os Planaltos Residuais Sul Amazônicos,com destaque ao norte a Serra do Cachimbo.A Depressão Sul-Amazônica – Está delimitada pelo Planalto e Chapada dos Parecis, ao sul, epelo Planalto da Amazônia Oriental, ao norte. Portanto, essa depressão também faz parte daregião Centro-Oeste.Planaltos Residuais Sul-Amazônicos – São planaltos cristalinos que se estendem desde o suldo Pará até Rondônia.Têm o aspecto de uma vasta área plana com morros de toposarredondados, distribuídos pelo espaço de forma descontínua. Ao lado desses morrosencontram-se áreas de coberturas sedimentares antigas, que apresentam topo plano ecorrespondem às chapadas, como a do Cachimbo. Nessa formação, localiza-se a serra dosCarajás, onde há grande ocorrência de minerais, como ferro, manganês, cobre e ouro.A altitude média do município é de 260 metros.Clima: Segundo a classificação climática de Straller, Guarantã do Norte esta na faixa de climaequatorial úmido, clima que ocorre ao longo da Linha do Equador em regiões de baixalatitudes da América do Sul, África e Ásia. Suas características são:- Durante todo o ano é úmido, com alto índice de evaporação e altas temperaturas;- A pluviosidade é alta (chuvas em grande quantidade), atingindo de 2.000 a 3.000 milímetrospor ano;- A umidade relativa do ar nas regiões de clima equatorial é elevada (média anual de 90%);- A temperatura média anual nestas regiões fica em torno de 26°C. Ocorre pouca variação detemperatura (entre mínima e máxima) durante o ano.No entanto a observação in loco, permite perceber a presença de duas estações bem definidascom verões chuvosos e invernos secos, com pouca variação de temperaturas mas comvariações de umidades o que aproxima o clima das características do clima tropical típico, nãotendo no entanto o fenômeno das friagens. Essas características permite considerar então quese trata de uma faixa de transição entre os climas tropical e equatorial.A temperatura média anual é de 24º C.A precipitação média anual é de 2750 mm, sendo que a maior intensidade é nos meses dejaneiro, fevereiro e março.Hidrografia: Guarantã do Norte está localizado na Bacia Hidrográfica do rio Amazonas tendocomo principais rios de nosso município o Braço Norte, o Braço Sul e o rio Peixotinho.Vegetação: A vegetação predominante no município é a Floresta Equatorial Amazônica, ou 4
  5. 5. floresta latifoliada equatorial. Tendo como principal associação a chamada mata de terrafirme.mata de terra firme: apresenta-se em áreas não inundadas, é a que apresenta árvores maisaltas. Nela são comuns a castanheira.Em algumas áreas mais baixas próximas aos rios, sobretudo o Braço Norte é possível encontraas matas de várzea.mata de várzea: mais compacta, sofre inundações periódicas (cheias). Apresenta árvoresmaiores, sobressaindo as seringueiras, por seu valor econômico;Em áreas mais elevadas do município em especial na região do Complexo da Serra doCachimbo encontramos aspectos de vegetação de Cerrado com destaque para o ipê amarelo.Comprovando a característica da região de ser uma faixa de transição morfoclimática entre odomínio amazônico e do cerrado. 5
  6. 6. 1.DESENVOLVIMENTO1.1 DEFINIÇÃOPessoas com idade adulta e em condições saudáveis para exercer alguma atividade nasociedade, que por circunstâncias devidas não estão podendo realizar sua função social. Ataxa de desemprego é uma porcentagem da População Economicamente Ativa (PEA) quepode ser calculada com base em diferentes metodologias.Existem cinco tipos de desemprego:Desemprego estrutural: característico dos países subdesenvolvidos, ligado às particularidadesintrínsecas de sua economia. Explica-se pelo excesso de mão-de-obra empregada naagricultura e atividades correlatas e pela insuficiência dos equipamentos de base que levariamà criação cumulativa de emprego.Desemprego tecnológico: atinge sobretudo os países mais adiantados. Resulta da substituiçãodo homem pela máquina e é representado pela maior procura de técnicos e especialistas e pelaqueda, em maior proporção, da procura dos trabalhos tidos como braçais.Desemprego conjuntural: também chamado desemprego cíclico, característico da depressão,quando os bancos retraem os créditos, desestimulando os investimentos, e o poder de comprados assalariados cai em conseqüência da elevação de preços.Desemprego friccional: motivado pela mudança de emprego ou atividade dos indivíduos. É otipo de desemprego de menor significação econômica.Desemprego temporário: forma de subemprego comum nas regiões agrícolas, motivado pelocaráter sazonal do trabalho em certos setores agrícolas.1.2.DESEMPREGO NO BRASILA taxa do desemprego no Brasil é determinada por uma pesquisa mensal realizada peloInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que utiliza o critério de desempregoaberto, no qual somente as pessoas que no período de referência estavam disponíveis paratrabalhar e realmente procuraram trabalho são consideradas desempregadas. O cálculo é feitocom base em dados de seis regiões metropolitanas: São Paulo, Rio de Janeiro, BeloHorizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife. Além do IBGE, é utilizado a Fundação SistemaEstadual de Análise de Dados (Seade) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudo 6
  7. 7. Sócio-Econômicos (Dieese), mas estes adotam o critério de desemprego total, que englobatambém o desemprego oculto. Nessa categoria estão aqueles que não procuraram emprego pordesalento ou porque estavam exercendo trabalhos precários.Devido essa diferença, os resultados obtidos se tornam diferentes. Por exemplo, na regiãometropolitana de São Paulo, enquanto o IBGE aponta em agosto de 2000 uma taxa dedesemprego aberto era de 7,55%, a Fundação Seade e o Dieese chegam a uma taxa dedesemprego total de 17,7%.No Brasil os fatores que mais contribuem para o aumento do desemprego é o baixo ritmo decrescimento econômico, gerado principalmente pelas crises externas.Por anoAno Taxa de desemprego(%)2002 12,62003 12,32004 11,42005 9,82006 9,9 7
  8. 8. 2007 9,32008 7,82009 8,12010 6,7Ano Mês Taxa de desocupação (%) Janeiro 7,2 Fevereiro 7,4 Março 7,6 Abril 7,3 Maio 7,52010 Junho 7,0 Julho 6,9 Agosto 6,7 Setembro 6,2 Outubro 6,1 Novembro 5,7 Dezembro 5,3Ano Mês Taxa de desocupação (%) Janeiro 6,1 Fevereiro 6,4 Março 6,52011 Abril 6,4 Maio 6,4 Junho 6,2 Julho 6,01.3. FATORES 8
  9. 9. A partir do século XVIII e XIX, houve uma crescente industrialização, gerada pela RevoluçãoIndustrial, onde a mão-de-obra agrícola foi substituída por maquinas.Os principais fatores que contribuíram para o aumento do desemprego são o desaquecimentoda economia mundial, o progresso tecnológico, a financeirização da riqueza como formaprivilegiada de acumulo de capital e uma crescente interligação dos mercados de capitais e debens e serviços.1.4. DESEMPREGO EM GUARANTÃ DO NORTEA partir de pesquisas realizadas pelo Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (CAGED),foram estipulados os seguintes dados: Período: Jan de 2011 a Ago de 2011 Município Micro RegiãoMovimentação qtde % qtdeAdmissões 1º Emprego 340 22.06 1.541 Reemprego 763 17.55 4.347 Reintegração 0 0 3 Contr. Trabalho Prazo Determ. 0 0 2 Transferência 0 - 0Total 1.103 18.72 5.893Desligamentos Dispensados sem Justa Causa 488 19.39 2.517 Dispensados com Justa Causa 9 18.75 48 A Pedido 307 20.1 1.527 Término de Contrato 84 22.89 367 Aposentadoria 0 - 0 Morte 0 0 9 Término Contrato Prazo Determ. 0 0 28 Transferência 0 - 0Total 888 19.75 4.496 9
  10. 10. Variação Absoluta 215 1.397Variação Relativa 8.86 % 11.28 %Número de empregos formais 1º Janeiro de 2011 2.427 19.6 12.383Total de Estabelecimentos Janeiro de 2011 1.193 24.79 4.8121.5. TRABALHO FORMAL E INFORMALO trabalho formal é, no Brasil, o trabalho com benefícios e carteira profissional assinada.Consiste em trabalho fornecido por uma empresa, com todos os direitos trabalhistasgarantidos. O papel ocupado ou a função que a pessoa desempenha em alguma atividadeeconômica lhe confere uma remuneração. Em Guarantã do Norte, o número de empregosformais em primeiro de janeiro de 2011 é de 2427.O trabalho informal é o tipo de trabalho desvinculado a qualquer empresa, ou seja, é otrabalho indireto onde não há vínculo empregatício por meio de documentação legalizada. 10
  11. 11. 1.6. ENTRADA DO JOVEM NO MERCADO DE TRABALHONos últimos seis anos, cerca de 425 mil jovens de 18 a 24 anos, ocupados ou em busca deocupação, deixaram de pressionar o mercado de trabalho nas seis principais regiõesmetropolitanas do Brasil. A grosso modo, se a quantidade semelhante de jovens estivesse nomercado, a taxa de desemprego metropolitano, hoje em 7,5% da população economicamenteativa (PEA), poderia ficar próxima de 10%. Um dos motivos é o aumento da presença dosjovens na escola. Em apenas dez anos, o número de matriculados no ensino superior cresceu150% em todo o país.Esse movimento é facilitado pelo cenário econômico mais favorável dos últimos anos. Oaumento do emprego e renda tem permitido que um número crescente de jovens continue aestudar ou volte a freqüentar salas de aula, em vez de procurar uma ocupação para reforçar oorçamento familiar.Outro fator que reduz a pressão dos jovens no mercado de trabalho é que o ritmo decrescimento da população brasileira está diminuindo a uma velocidade maior que a esperada.Enquanto a participação dos mais jovens na força de trabalho encolhe, a da população de maisde 50 anos é a que mais cresce, refletindo a forte expansão demográfica do passado. Apopulação está envelhecendo porque a taxa de natalidade tem caído num ritmo maior que o damortalidade.A falta de experiência é um dos grandes obstáculos encontrado pelos jovens ao tentaremingressar no mercado de trabalho, uma vez que as grandes maiorias das empresas buscamcontratar pessoas com experiência profissional.Pesquisa realizada no dia 23 de setembro de 2011, nos patrimônios da Escola Estadual AlbertEinstein, no município de Guarantã do Norte - MT, com vinte e cinco alunos dos terceirosanos noturnos, onde foram propostas as seguintes perguntas: 1)Idade em que ingressou nomercado de trabalho? 2) Maior dificuldade encontrada neste primeiro momento? 3) Osmotivos que lhe motivou a trabalhar? 4) Houve queda no rendimento escolar? 11
  12. 12. Idade 1 18; 4% 11; 8% 12; 8% 2 17; 16% 3 4 5 13; 12% 6 16; 16% 14; 12% 7 15; 24% 8Podemos observar que a maioria dos jovens ingressam no mercado de trabalho aos quinze(24%), dezesseis (16%) ou dezessete (16%) anos. Dificuldades 4% 8% Falta de experiência 8% Não saber o que fazer Preguiça Adaptação 12% 60% Mercado concorrido 8% Trabalho X EscolaA maior e explicita dificuldade que encontraram foi a falta de experiência (60%), já que asempresas procuram contratar pessoas experientes. Motivos 8% 40% Experiência Independencia Financeiros 52%Os principais motivos que levaram estes jovens ao mercado de trabalho foram: a busca pelaindependência financeira (52%); e por questões financeiras (40%), onde os mesmos tem aresponsabilidade de ajudar com as despesas da casa. 12
  13. 13. Queda no Rendimento Escolar 3% 33% sim não mais ou menos 64%Mota – se claramente que o rendimento escolar dos entrevistados tiveram uma queda, cerca de64% dos mesmos notaram diferença. Conciliar trabalho com escola não é tarefa fácil. Ocansaço do trabalho de uma certa forma interfere no gral de aprendizagem, econseqüentemente causa uma queda no rendimento escolar2 BIBLIOGRAFIA http://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/desemprego-um-problema-mundial.htm http://www.ufv.br/pdv/desemprego.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Taxa_de_desemprego_no_Brasil http://www.guarantadonorte.mt.gov.br/site/news.asp?cod=2592 http://www.youtube.com/watch?v=tTwy1HsVtbs http://www.mteseusmunicipios.com.br/ http://www.colegioweb.com.br/geografia/planaltos-antigos.html http://www.suapesquisa.com/clima/clima_equatorial.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Vegeta%C3%A7%C3%A3o_do_Brasil http://perfildomunicipio.caged.gov.br/Frame_Consultando.asp?uf_sel=MT&codmun= 510410&codmicro=51003&competenciaIni=01_2011&competenciaFim=08_2011&q uadro=0&mun_sel=%20Guarant%E3%20do%20Norte&microreg=%20Colider&setor =TODOS&subsetor=TODOS&ordenacao=&qtde=&anomax=2011&winresult=resulta do12&arquivo=processa_geo_desagr&regiao=&tit_mesF=Ago&tit_mesI=Jan&ano=2 011&opc_ocup=&mesInicioComparativo=&mesFimComparativo=&anosComparativ o= http://perfildomunicipio.caged.gov.br/result_perfil.asp?cst=geodesagr&uf=mt&mun=5 1.0410&ano=2011&anomax=2011&mun_sel=%20Guarant%E3%20do%20Norte&mi 13
  14. 14. croreg=%20Colider&titulo_setor=Todos%20os%20Setores&titulo_subsetor=Todos&codmicro=51003&tit_col1=Munic%EDpio&tit_col2=Micro%20Regi%E3o&vprim_emp1=340&vreemp1=763&vreint1=0&vcont_trab1=0&vtransf_ent1=0&vdemsem1=488&vdemcom1=9&vpedido1=307&vtermino1=84&vaposent1=0&vmorte1=0&vterm_prz1=0&vtransfsai1=0&vtotaladm1=1103&vtotaldesl1=888&vprim_emp2=1541&vreemp2=4347&vreint2=3&vcont_trab2=2&vtransf_ent2=0&vdemsem2=2517&vdemcom2=48&vpedido2=1527&vtermino2=367&vaposent2=0&vmorte2=9&vterm_prz2=28&vtransfsai2=0&vtotaladm2=5893&vtotaldesl2=4496&perc_prim_emp=22,06&perc_reemp=17,55&perc_reint=0&perc_cont_trab=0&perc_transf_ent=-&perc_adm=18,72&perc_demsem=19,39&perc_demcom=18,75&perc_pedido=20,1&perc_termino=22,89&perc_aposent=-&perc_morte=0&perc_term_prz=0&perc_transf_sai=-&perc_desl=19,75&v_va_c1=215&v_va_c2=1397&v_vr_c1=8,86&v_vr_c2=11,28&v_pr=15,39&vestoque_total_jan_c1=2427&vestoque_decl_jan_c1=1075&vestoque_total_jan_c2=12383&vestoque_decl_jan_c2=6567&vlpercent_estoque_total_jan=19,6&vlpercent_estoque_decl_jan=16,37&v_totestab_jan_c1=1193&v_totestab_jan_c2=4812&vlpercent_totestb_jan=24,79&meses_tit=Jan%20de%202011%20a%20Ago%20de%202011&quadro=0&data_INI=30/09/2011%2016:02:06&idade=&competenciaIni=01_2011&competenciaFim=201108&setor=TODOS&subsetor=TODOS&ordenacao=&regiao=&qtde=&tit_mesF=Ago&tit_mesI=Jan 14

×