SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Módulo 5

Kit de irrigação por gotejamento
para a agricultura familiar
– KIF NET TM
Outubro 2009

www.adaptasertao.net
www.netafim.com.br
Contribuição: Marcelo Bastos
Daniela Benatti
Daniele Cesano
Módulo 5

POR QUE IRRIGAÇÃO POR
GOTAS ?
Uso racional da água
Mantém a entre linha seca
Pode misturar adubo a água
Diminui a chance de aparecer
doenças foliares
Libera tempo para o
agricultor trabalhar em outras
frentes
Gera aumento de produção
Permite os mais diversos
plantios
2
Módulo 5

Para que serve?
O KIFNET É USADO PARA IRRIGAR
PEQUENAS ÁREAS, JARDINS,
PROJETOS COMUNITÁRIOS……
O KIFNET É USADO PARA IRRIGAR
HORTALIÇAS, FRUTAS, FEIJÃO E
OUTRAS CULTURAS.
O KIFNET, PERMITE A IRRIGAÇÃO
POR GRAVIDADE, NÃO REQUER
NENHUMA FONTE DE ENERGIA PARA
FUNCIONAR.
O KIFNET SE ADAPTA EM TODOS OS
TIPOS DE SOLOS, CLIMAS E FONTES
DE ÁGUA.
O KIFNET SE ADAPTA EM ÁREAS
PLANAS E TOPOGRAFIAS
ACIDENTADAS.
DE FÁCIL INSTALAÇÃO E
UTILIZAÇÃO.
3
Módulo 5

4
Módulo 5

O que é o sistema?

5
Módulo 5

6
Módulo 5

Pré-requisitos?
Água disponível nas proximidades
1 KifNet de 500 m2 precisa de
2500 litros de água por dia
0,25 m3 x 250 dias = 62,5 m3 por
ano (irrigação por 70% dos dias do
ano)
A evaporação dos açudes no semiárido é de até 5 mm/dia.
Considerando uma média de 3
mm/dia em 365 dias, isso significa
0,003 m * 365 = 1,1 metros
por ano, ou seja vai evaporar
1,1 metros de coluna de
água a cada metro
quadrado de açude
Isso significa que precisamos
ter um volume de água muito
maior por causa da evaporação
e perdas por infiltração

7

Tamanho do açude mínimo para
irrigação durante o ano todo com
um KifNet de 500 m2
10 metros * 6 metros * 2
metros de altura média
IMPORTANTE: a média da altura
do açude precisa ser mais que 1
metros para evitar perdas
ecessivas de água (idealmente
media mínima de 2 metros)
OBS: A altura média não é a
altura máxima
KifNet viável já produzindo por 5/6
meses por ano (irrigando por 90 a
120 dias por ano)
Módulo 5

Dimensionamento açude para Kifnet
de 500 m2

Tamanho açude

Água necessaria para o
sistema

Perdas de água
Numer
o de
dias de
perda

Coluna
de
água
perdid
a
(m/dia)

Água
perdid
a no
açude
por
ano
(m3)

Água
perdid
a no
açude
por dia
(m3)

Largu
ra
(m)

Com
prim
ento
(m)

Altur
a
médi
a (m)

água
armaz
enada
(m3)

Perda
diária
de
água
(mm/di
a/m2)

11,5

6

2

138

0,003

365

1,1

75,6

0,2

0,25

250

12

13

1,5

234

0,003

365

1,1

170,8

0,5

0,25

25

25

1,2

750

0,003

365

1,1

684,4

1,9

25

25

1

625

0,003

365

1,1

684,4

50

50

0,6

1500

0,003

365

1,1

2737,5

Balanço hidrico
Balanço
hidrico
(m3)

Numero
de dias
de
produção
por ano

62,5

-0,1

365

250

62,5

0,7

365

0,25

250

62,5

3,1

365

1,9

0,25

250

62,5

-121,9

293

7,5

0,25

250

62,5

-1300,0

193

água diária
necessaria
(m3)

Dias de
irrigaçã
o por
ano

água
necessari
a por ano
(m3)

Esta tabela mostra o balaço hídrico dos açudes com um kifnet de 500 m2. Açudes com volume de
água armazenada menor mas com uma altura media maior podem fornecer água o ano inteiro
para o sistema de irrigação porque tem menor desperdício de água: a evaporação e a perda de
água é maior em açudes que são rasos e estendidos.
8
Módulo 5

Componentes do KifNetTM
1.

Caixa Dágua: Feito de qualquer
material, com capacidade para
armazenar 100 litros ou mais.

2.

Registro de 1”: Instalado na
saída da Caixa D água.

3.

Filtro: Filtro de tela de 1”

4.

Tubulação PE: Distribuição da
água com tubo de polietileno de
fácil montagem.

5.

Tubos Gotejadores: Conectados
a tubulação de distribuição por
conectores iniciais com
comprimento máximo de 16 mts
cada lado.

9
Módulo 5

Quais as partes do sistema?
Caixa d`água de mínimo 500 l
(não está incluso no kit)
Suporte da caixa d`água. (não
está incluso no kit)
Flange para caixa d`água de
1”. (não está incluso no kit)

10
Módulo 5

Quais as partes do sistema?
Controle do KIT, composto de
1 registro + 1 filtro, tudo em
plástico.

Linha de condução em
polietileno.

11
Módulo 5

Quais as partes do sistema?
Linha de molhamento.

12
Módulo 5

Mandamentos do bom uso
Mantenha o filtro limpo;
Cuidado com a enxada;
O comprimento máximo deve ser de 16 metros;
Manter a tela do filtro em condições de trabalho;
Manter o gotejador em superfície;
Sempre lave o sistema;

13
Módulo 5

ALGUNS MODOS DE USO!!
MILHO, FEIJÃO, HORTALIÇAS

14
Módulo 5

Alguns modos de uso
ABOBORA, MANDIOCA, BATATA DOCE

15
Módulo 5

Fatores para o successo !!
Conhecer o solo;
Conhecer a água;
Nutrir a planta;
Escolher as melhores variedades para a
região;
Irrigar na medida certa.

16
Módulo 5

Etapas para montagem
1. Instalar a caixa d`água com sua base a 1,5
metros de altura;
2. Instalar a alimentação da caixa d`água;
3. Instalar o controle;
4. Instalar a linha de condução e o tubogotejador;
5. Lavar o sistema;

17
Módulo 5

Perguntas comuns
Posso colocar esterco dentro da caixa ?
R: NÃO – entope o gotejador
Posso colocar fertilizante dentro da caixa ?
R: SIM, consultar quais podem ser usados
Posso mudar o KIT para outro lugar ?
R: SIM, mantendo aproximado o nível do terreno
18
Módulo 5

PERGUNTAS COMUNS
Posso dobrar o tubogotejador para isolar uma linha ?
R: SIM
Posso enterrar a linha de condução ?
R: SIM
Como lavo o filtro ?
R: Com a escova que vai no KIT somente.
19
Módulo 5

Agenda manutenção Kifnet
Periodicidade diária
limpar o filtro de plastico ou de tela e verificar se a tela está em perfeita ordem
verificar se chega água em todos os lugares, procurar por cortes feito com
enxada por exemplo
Periodicidade semanal
abrir todos os finais de tubo de polietileno , primeiro o de 20 mm (linha
distribuidora) e depois os tubogotejadores, sempre um por vez, e deixando a agua
fluir por alguns segundos
Periodicidade mensal
adicionar na caixa d`água, para cada 500 m2 de sistema, 1000 ml de hipoclorito
de sódio (água sanitária que compra no supermercado). Deixar irrigar com essa
água para limpar o sistema
no dia seguinte a injeção de cloro, abrir todos os finais de tubogotejador.
Periodicidade bimestral
esvaziar e lavar a caixa d`água se for possível.
20
Módulo 5

Observação:
a. Todo KifNet é composto de conectores sobresalentes para serem
usados em caso de errar o local previsto para a linha gotejadora.
b. Em caso de querer tampar um furo feito por engano, ou consertar
um vasamento, existem no Kifnet vários conectores para possibilitar
estes consertos.

21
Módulo 5

Irrigar com o KifNet
A. Primeira Irrigação
1.

2.
3.
4.

Limpe a caixa d`água de residuos e sujeira. Encha a caixa com água até
o topo. Abra o registro e deixe a água sair pela extremidade de cada
tubo gotejador ( a extremidade deve permanecer aberta para a
limpeza.) Feche o registro.
Lave a tela do filtro e volte a montar o filtro
Após a lavagem do filtro e das linhas gotejadoras, feche as extremidades
do tubo gotejador com o conector final.
Após esta lavagem, o KifNet está pronto para IRRIGAR.

Observação:
Durante a lavagem do sistema é aconselhavel manter o nível de água na
caixa d`água no seu nível máximo para ter maior eficiência na lavagem.
22
Módulo 5

Instruções de operação
B. Operação
1. No inicio de cada irrigação o filtro deve ser limpo. A limpeza permanente do filtro
evita obstruções dos tubos gotejadores, garantindo uma maior vida util do sistema.
2. Após cada limpeza do filtro o sistema está pronto para ser usado.
3. Abra o registro para iniciar a irrigação.
4. Feche o registro para terminar a irrigação!

23
Módulo 5

PREPARO DO SOLO
ANTES DE PLANTAR O SOLO DEVE SER PREPARADO DA
SEGUINTE MANEIRA:
CAPINAR E LIMPAR O SOLO
AFOFAR A TERRA
FORMAR OS CANTEIROS
PARA UMA DISPERSÃO MELHOR DA ÁGUA É ACONSELHAVEL
NÃO DEIXAR A TERRA MUITO SOLTA.

24
Módulo 5

EXEMPLO DE APLICAÇÃO: 500 M² POSSUI 12
CANTEIROS DE 32 MTS DE COMPRIMENTO E
PODE PRODUZIR O SEGUINTE:

MANDIOCA: 2 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PROD. ESPERADA:

330 KG

MILHO: 2 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PROD. ESPERADA:

300 KG

BATATA: 2 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 300 KG
FEIJÃO: 3 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA:

50 KG

TOMATE: 2 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 160 KG
CEBOLA: 1 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 250 KG
CENOURA: 1 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 125 KG
25
Módulo 5

Término
módulo 5

26

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castro
Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castroTecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castro
Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castrorosifelker
 
MIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃOMIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃOGeagra UFG
 
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeira
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeiraManejo Integrado de pragas na cultura da bananeira
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeiraDavid Rodrigues
 
Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Geagra UFG
 
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Ediney Dias
 
Nutrição mineral e adubação do milho
Nutrição mineral e adubação do milhoNutrição mineral e adubação do milho
Nutrição mineral e adubação do milhoGeagra UFG
 
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóboras
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóborasCalagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóboras
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóborasRural Pecuária
 
Apostila de cana de açucar
Apostila  de cana de açucarApostila  de cana de açucar
Apostila de cana de açucarHeider Franco
 
Aplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoAplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROGeagra UFG
 
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do Sul
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do SulProva de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do Sul
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do SulAndré Fontana Weber
 
Manejo de Cigarrinha-do-milho
Manejo de Cigarrinha-do-milhoManejo de Cigarrinha-do-milho
Manejo de Cigarrinha-do-milhoGeagra UFG
 

Mais procurados (20)

Pragas do Milho
Pragas do MilhoPragas do Milho
Pragas do Milho
 
Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castro
Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castroTecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castro
Tecnicas de podas de arvores urbanas pedro mendes castro
 
MIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃOMIP NO ALGODÃO
MIP NO ALGODÃO
 
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeira
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeiraManejo Integrado de pragas na cultura da bananeira
Manejo Integrado de pragas na cultura da bananeira
 
Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
Unidad 3
Unidad 3Unidad 3
Unidad 3
 
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
 
Algodão
AlgodãoAlgodão
Algodão
 
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
 
Nutrição mineral e adubação do milho
Nutrição mineral e adubação do milhoNutrição mineral e adubação do milho
Nutrição mineral e adubação do milho
 
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóboras
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóborasCalagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóboras
Calagem e adubação para abobrinha italiana, moranga e outras abóboras
 
Apostila de cana de açucar
Apostila  de cana de açucarApostila  de cana de açucar
Apostila de cana de açucar
 
Adubação cafeeiro )
Adubação cafeeiro     )Adubação cafeeiro     )
Adubação cafeeiro )
 
Aplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do MilhoAplicações Complementares na cultura do Milho
Aplicações Complementares na cultura do Milho
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
 
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do Sul
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do SulProva de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do Sul
Prova de trigo II e aveia - Culturas agrícolas do Rio Grande do Sul
 
Manejo de Cigarrinha-do-milho
Manejo de Cigarrinha-do-milhoManejo de Cigarrinha-do-milho
Manejo de Cigarrinha-do-milho
 
Manual trado holandês
Manual trado holandêsManual trado holandês
Manual trado holandês
 
CULTURA DO CENTEIO
CULTURA DO CENTEIOCULTURA DO CENTEIO
CULTURA DO CENTEIO
 

Semelhante a Irrigação por gotejamento KIFNET

PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...
PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...
PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...greenpoa
 
Fossa séptica biodigestor
Fossa séptica biodigestorFossa séptica biodigestor
Fossa séptica biodigestorRenatoMussoline
 
Adapta sertao irrigaçao 4
Adapta sertao irrigaçao 4Adapta sertao irrigaçao 4
Adapta sertao irrigaçao 4Saymon Acchile'
 
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).ppt
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).pptformaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).ppt
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).pptJosDuartePetit
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
IrrigaçãoCANO
 
Cisternas sustentáveis
Cisternas sustentáveisCisternas sustentáveis
Cisternas sustentáveispedrocom0
 
Captação de água de chuva
Captação de água de chuvaCaptação de água de chuva
Captação de água de chuvaTiago Malta
 
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015Revista Cafeicultura
 
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuvaRamison Almeida
 
Plano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosPlano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosArmindo Rosa
 
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuva
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuvaManual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuva
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuvaMarlon Drygalla
 
9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rsGilson Adao
 
Processamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaProcessamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaTiago Maboni Derlan
 

Semelhante a Irrigação por gotejamento KIFNET (20)

Adapta sertao kifnet 5
Adapta sertao kifnet 5Adapta sertao kifnet 5
Adapta sertao kifnet 5
 
32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento32 irrigacao por gotejamento
32 irrigacao por gotejamento
 
32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento32 irrigacao por_gotejamento
32 irrigacao por_gotejamento
 
PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...
PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...
PROJETO EXPERIMENTAL DE APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA COM A TECNOLOGIA DA M...
 
Fossa séptica biodigestor
Fossa séptica biodigestorFossa séptica biodigestor
Fossa séptica biodigestor
 
Adapta sertao irrigaçao 4
Adapta sertao irrigaçao 4Adapta sertao irrigaçao 4
Adapta sertao irrigaçao 4
 
Produtos para Entrega de Água Inteligente
Produtos para Entrega de Água InteligenteProdutos para Entrega de Água Inteligente
Produtos para Entrega de Água Inteligente
 
Irrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementarIrrigação de salvação ou suplementar
Irrigação de salvação ou suplementar
 
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).ppt
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).pptformaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).ppt
formaodesistemasderega-120926173106-phpapp02 (2018_08_06 12_40_28 UTC).ppt
 
Irrigação
IrrigaçãoIrrigação
Irrigação
 
Manejo dos resíduos da produção leiteira
Manejo dos resíduos da produção leiteiraManejo dos resíduos da produção leiteira
Manejo dos resíduos da produção leiteira
 
Cisternas sustentáveis
Cisternas sustentáveisCisternas sustentáveis
Cisternas sustentáveis
 
Captação de água de chuva
Captação de água de chuvaCaptação de água de chuva
Captação de água de chuva
 
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015Palestra gotejamento subterrâneo  em café   Andre  Fernandes Fenicafé 2015
Palestra gotejamento subterrâneo em café Andre Fernandes Fenicafé 2015
 
Manual para captacao de agua da chuva
Manual para captacao de agua da chuvaManual para captacao de agua da chuva
Manual para captacao de agua da chuva
 
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva
1200 manual para-captacao_emergencial_e_uso_domestico_de_agua_da_chuva
 
Plano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenadosPlano para recuperação de drenados
Plano para recuperação de drenados
 
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuva
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuvaManual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuva
Manual para captação emergencial e uso doméstico de água da chuva
 
9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs9 pequenas eta rs
9 pequenas eta rs
 
Processamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandiocaProcessamento industrial e produtos da mandioca
Processamento industrial e produtos da mandioca
 

Irrigação por gotejamento KIFNET

  • 1. Módulo 5 Kit de irrigação por gotejamento para a agricultura familiar – KIF NET TM Outubro 2009 www.adaptasertao.net www.netafim.com.br Contribuição: Marcelo Bastos Daniela Benatti Daniele Cesano
  • 2. Módulo 5 POR QUE IRRIGAÇÃO POR GOTAS ? Uso racional da água Mantém a entre linha seca Pode misturar adubo a água Diminui a chance de aparecer doenças foliares Libera tempo para o agricultor trabalhar em outras frentes Gera aumento de produção Permite os mais diversos plantios 2
  • 3. Módulo 5 Para que serve? O KIFNET É USADO PARA IRRIGAR PEQUENAS ÁREAS, JARDINS, PROJETOS COMUNITÁRIOS…… O KIFNET É USADO PARA IRRIGAR HORTALIÇAS, FRUTAS, FEIJÃO E OUTRAS CULTURAS. O KIFNET, PERMITE A IRRIGAÇÃO POR GRAVIDADE, NÃO REQUER NENHUMA FONTE DE ENERGIA PARA FUNCIONAR. O KIFNET SE ADAPTA EM TODOS OS TIPOS DE SOLOS, CLIMAS E FONTES DE ÁGUA. O KIFNET SE ADAPTA EM ÁREAS PLANAS E TOPOGRAFIAS ACIDENTADAS. DE FÁCIL INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO. 3
  • 5. Módulo 5 O que é o sistema? 5
  • 7. Módulo 5 Pré-requisitos? Água disponível nas proximidades 1 KifNet de 500 m2 precisa de 2500 litros de água por dia 0,25 m3 x 250 dias = 62,5 m3 por ano (irrigação por 70% dos dias do ano) A evaporação dos açudes no semiárido é de até 5 mm/dia. Considerando uma média de 3 mm/dia em 365 dias, isso significa 0,003 m * 365 = 1,1 metros por ano, ou seja vai evaporar 1,1 metros de coluna de água a cada metro quadrado de açude Isso significa que precisamos ter um volume de água muito maior por causa da evaporação e perdas por infiltração 7 Tamanho do açude mínimo para irrigação durante o ano todo com um KifNet de 500 m2 10 metros * 6 metros * 2 metros de altura média IMPORTANTE: a média da altura do açude precisa ser mais que 1 metros para evitar perdas ecessivas de água (idealmente media mínima de 2 metros) OBS: A altura média não é a altura máxima KifNet viável já produzindo por 5/6 meses por ano (irrigando por 90 a 120 dias por ano)
  • 8. Módulo 5 Dimensionamento açude para Kifnet de 500 m2 Tamanho açude Água necessaria para o sistema Perdas de água Numer o de dias de perda Coluna de água perdid a (m/dia) Água perdid a no açude por ano (m3) Água perdid a no açude por dia (m3) Largu ra (m) Com prim ento (m) Altur a médi a (m) água armaz enada (m3) Perda diária de água (mm/di a/m2) 11,5 6 2 138 0,003 365 1,1 75,6 0,2 0,25 250 12 13 1,5 234 0,003 365 1,1 170,8 0,5 0,25 25 25 1,2 750 0,003 365 1,1 684,4 1,9 25 25 1 625 0,003 365 1,1 684,4 50 50 0,6 1500 0,003 365 1,1 2737,5 Balanço hidrico Balanço hidrico (m3) Numero de dias de produção por ano 62,5 -0,1 365 250 62,5 0,7 365 0,25 250 62,5 3,1 365 1,9 0,25 250 62,5 -121,9 293 7,5 0,25 250 62,5 -1300,0 193 água diária necessaria (m3) Dias de irrigaçã o por ano água necessari a por ano (m3) Esta tabela mostra o balaço hídrico dos açudes com um kifnet de 500 m2. Açudes com volume de água armazenada menor mas com uma altura media maior podem fornecer água o ano inteiro para o sistema de irrigação porque tem menor desperdício de água: a evaporação e a perda de água é maior em açudes que são rasos e estendidos. 8
  • 9. Módulo 5 Componentes do KifNetTM 1. Caixa Dágua: Feito de qualquer material, com capacidade para armazenar 100 litros ou mais. 2. Registro de 1”: Instalado na saída da Caixa D água. 3. Filtro: Filtro de tela de 1” 4. Tubulação PE: Distribuição da água com tubo de polietileno de fácil montagem. 5. Tubos Gotejadores: Conectados a tubulação de distribuição por conectores iniciais com comprimento máximo de 16 mts cada lado. 9
  • 10. Módulo 5 Quais as partes do sistema? Caixa d`água de mínimo 500 l (não está incluso no kit) Suporte da caixa d`água. (não está incluso no kit) Flange para caixa d`água de 1”. (não está incluso no kit) 10
  • 11. Módulo 5 Quais as partes do sistema? Controle do KIT, composto de 1 registro + 1 filtro, tudo em plástico. Linha de condução em polietileno. 11
  • 12. Módulo 5 Quais as partes do sistema? Linha de molhamento. 12
  • 13. Módulo 5 Mandamentos do bom uso Mantenha o filtro limpo; Cuidado com a enxada; O comprimento máximo deve ser de 16 metros; Manter a tela do filtro em condições de trabalho; Manter o gotejador em superfície; Sempre lave o sistema; 13
  • 14. Módulo 5 ALGUNS MODOS DE USO!! MILHO, FEIJÃO, HORTALIÇAS 14
  • 15. Módulo 5 Alguns modos de uso ABOBORA, MANDIOCA, BATATA DOCE 15
  • 16. Módulo 5 Fatores para o successo !! Conhecer o solo; Conhecer a água; Nutrir a planta; Escolher as melhores variedades para a região; Irrigar na medida certa. 16
  • 17. Módulo 5 Etapas para montagem 1. Instalar a caixa d`água com sua base a 1,5 metros de altura; 2. Instalar a alimentação da caixa d`água; 3. Instalar o controle; 4. Instalar a linha de condução e o tubogotejador; 5. Lavar o sistema; 17
  • 18. Módulo 5 Perguntas comuns Posso colocar esterco dentro da caixa ? R: NÃO – entope o gotejador Posso colocar fertilizante dentro da caixa ? R: SIM, consultar quais podem ser usados Posso mudar o KIT para outro lugar ? R: SIM, mantendo aproximado o nível do terreno 18
  • 19. Módulo 5 PERGUNTAS COMUNS Posso dobrar o tubogotejador para isolar uma linha ? R: SIM Posso enterrar a linha de condução ? R: SIM Como lavo o filtro ? R: Com a escova que vai no KIT somente. 19
  • 20. Módulo 5 Agenda manutenção Kifnet Periodicidade diária limpar o filtro de plastico ou de tela e verificar se a tela está em perfeita ordem verificar se chega água em todos os lugares, procurar por cortes feito com enxada por exemplo Periodicidade semanal abrir todos os finais de tubo de polietileno , primeiro o de 20 mm (linha distribuidora) e depois os tubogotejadores, sempre um por vez, e deixando a agua fluir por alguns segundos Periodicidade mensal adicionar na caixa d`água, para cada 500 m2 de sistema, 1000 ml de hipoclorito de sódio (água sanitária que compra no supermercado). Deixar irrigar com essa água para limpar o sistema no dia seguinte a injeção de cloro, abrir todos os finais de tubogotejador. Periodicidade bimestral esvaziar e lavar a caixa d`água se for possível. 20
  • 21. Módulo 5 Observação: a. Todo KifNet é composto de conectores sobresalentes para serem usados em caso de errar o local previsto para a linha gotejadora. b. Em caso de querer tampar um furo feito por engano, ou consertar um vasamento, existem no Kifnet vários conectores para possibilitar estes consertos. 21
  • 22. Módulo 5 Irrigar com o KifNet A. Primeira Irrigação 1. 2. 3. 4. Limpe a caixa d`água de residuos e sujeira. Encha a caixa com água até o topo. Abra o registro e deixe a água sair pela extremidade de cada tubo gotejador ( a extremidade deve permanecer aberta para a limpeza.) Feche o registro. Lave a tela do filtro e volte a montar o filtro Após a lavagem do filtro e das linhas gotejadoras, feche as extremidades do tubo gotejador com o conector final. Após esta lavagem, o KifNet está pronto para IRRIGAR. Observação: Durante a lavagem do sistema é aconselhavel manter o nível de água na caixa d`água no seu nível máximo para ter maior eficiência na lavagem. 22
  • 23. Módulo 5 Instruções de operação B. Operação 1. No inicio de cada irrigação o filtro deve ser limpo. A limpeza permanente do filtro evita obstruções dos tubos gotejadores, garantindo uma maior vida util do sistema. 2. Após cada limpeza do filtro o sistema está pronto para ser usado. 3. Abra o registro para iniciar a irrigação. 4. Feche o registro para terminar a irrigação! 23
  • 24. Módulo 5 PREPARO DO SOLO ANTES DE PLANTAR O SOLO DEVE SER PREPARADO DA SEGUINTE MANEIRA: CAPINAR E LIMPAR O SOLO AFOFAR A TERRA FORMAR OS CANTEIROS PARA UMA DISPERSÃO MELHOR DA ÁGUA É ACONSELHAVEL NÃO DEIXAR A TERRA MUITO SOLTA. 24
  • 25. Módulo 5 EXEMPLO DE APLICAÇÃO: 500 M² POSSUI 12 CANTEIROS DE 32 MTS DE COMPRIMENTO E PODE PRODUZIR O SEGUINTE: MANDIOCA: 2 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PROD. ESPERADA: 330 KG MILHO: 2 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PROD. ESPERADA: 300 KG BATATA: 2 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 300 KG FEIJÃO: 3 CANTEIROS – 2 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 50 KG TOMATE: 2 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 160 KG CEBOLA: 1 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 250 KG CENOURA: 1 CANTEIROS – 1 CICLO POR ANO – PRODUÇÃO ESPERADA: 125 KG 25