SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
ELIAS NO MONTE DA
TRANSFIGURAÇÃO
1º Trimestre de
      2013
    Lição 9
 Pr. Moisés Sampaio de Paula




                               1
TEXTO ÁUREO
• "E [Jesus] transfigurou-se diante deles; e o seu
  rosto resplandeceu como o sol, e as suas
  vestes se tornaram brancas como a luz. E eis
  que lhes apareceram Moisés e Elias, falando
  com ele" (Mt 17.2,3).




                   Pr. Moisés Sampaio de Paula       2
VERDADE PRÁTICA
• O aparecimento de Moisés e Elias no Monte
  da Transfiguração é um testemunho de que a
  Lei e os Profetas cumprem-se em Cristo, o
  Messias prometido.




                 Pr. Moisés Sampaio de Paula   3
OBJETIVOS
• Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
  1. Descrever o episódio da transfiguração de Jesus.
  2. Explicar a tipologia representada em Moisés e
     Elias.
  3. Conscientizar-se de que Jesus era o Messias
     esperado.




                    Pr. Moisés Sampaio de Paula         4
Esboço da Lição
 I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO
       1. Transfiguração.
       2. Glória divina.
 II. ELIAS, O MESSIAS E A RESTAURAÇÃO
       1. Tipologia.
       2. Escatologia.
  III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO
       1. O Messias esperado.
       2. O Messias rejeitado.
  IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO
       1. Humilhação.
       2. Exaltação.      Pr. Moisés Sampaio de Paula   5
INTRODUÇÃO
• O relato sobre a transfiguração, além do
  nome de Moisés, o texto coloca em evidência
  também o de Elias.
• Diferentemente dos outros textos até aqui
  estudados, o profeta não aparece aqui como a
  figura central, mas secundária!
• O centro é deslocado do profeta de Tisbe para
  o Profeta de Nazaré, Jesus. o Messias
  prometido, é a figura principal.

                  Pr. Moisés Sampaio de Paula   6
Palavra chave: Transfiguração

• Mudança de
  aparência, ou forma,
  mas não mudança de
  essência.




               Pr. Moisés Sampaio de Paula   7
I. ELIAS, O MESSIAS E A
TRANSFIGURAÇÃO

                       A transfiguração provou
                       para os discípulos e para
                       nós aquilo que Jesus
                       sempre fora: o verbo
                       divino encarnado.
                       1. Transfiguração.
                       2. Glória divina.
              Pr. Moisés Sampaio de Paula          8
I. ELIAS, O MESSIAS E A
TRANSFIGURAÇÃO
             1. Transfiguração.
             1. Transfiguração.
1.   A palavra transfigurar, que traduz o termo
     grego metamorfose, mantém o sentido de
     mudança de aparência, ou forma, mas
     não mudança de essência.
2.   A transfiguração mostrou aos discípulos
     aquilo que Jesus sempre fora: o verbo
     divino encarnado (Jo 1.1; 17.1-5).
3.   Os discípulos observaram que o seu rosto
     brilhou como o sol (Mt 17.2) e Suas
     vestes resplandeceram (Mt 17.2).
4.   Esses fatos põem em evidência a
     identidade do Messias, o Filho de Deus.

                              Pr. Moisés Sampaio de Paula   9
Metamorfose
  Mudança de forma ou
  da estrutura de algo a
  nível físico e/ou moral

Sinônimos
• evolução
• modelização
• modificação
• mudança
• mutação
• transfiguração

                      Pr. Moisés Sampaio de Paula   10
Transfiguração
• Transfiguração foi na verdade uma rápida
  demonstração da glória de Jesus Cristo, o Rei dos reis.
• A divindade de Jesus foi revelada no monte da
  Transfiguração.
• Os discípulos que ali estavam puderam ver o Verbo que
  se fez carne.
• Apareceram Moises que tipificava a lei e Elias
  prefigurava os profetas que predisseram a vinda do
  Messias. Apesar da grande relevância na história do
  povo hebreu, eles não possuíam glória própria.
Monte Tabor
•   Monte Tabor é uma alta colina da Galiléia,
    na secção leste do vale de Jizreel, 17 km a
    oeste do Mar da Galileia, como o topo à
    cota de 575 metros acima do nível do mar.
•   Muitos acreditam que foi no topo deste
    monte que, segundo os Evangelhos do
    Novo Testamento da Bíblia, terá ocorrido a
    transfiguração de Jesus Cristo, sendo por
    isso considerado como um dos lugares
    místicos da Terra Santa, ligado ao culto da
    Transfiguração, particularmente
    reverenciado pelas igrejas orientais,
    nomeadamente pela Igreja Ortodoxa
    Grega.
•   É também conhecido como "Har Tavor",
    "Itabyrium", "Jebel et-Tur" ou "Monte da
    Transfiguração".

                               Pr. Moisés Sampaio de Paula   12
I. ELIAS, O MESSIAS E A
TRANSFIGURAÇÃO
           2. Gloria Divina
           2. Gloria Divina
• É relevante o fato de que Mateus,
  ao escrever o evangelho aos
  hebreus, põe em evidência o fato
  de que Jesus é o Messias anunciado
  no Antigo Testamento. Isso pode
  ser visto na manifestação da nuvem
  luminosa, que está relacionada
  com a manifestação da presença de
  Deus (Êx 14.19,20; 24.15-17; 1 Rs
  8.10,11; Ez 1.4; 10.4).
• Tanto Moisés como Elias, quando
  estiveram no Sinai, presenciaram a
  manifestação dessa glória. Todavia,
  não como os discípulos a
  vivenciaram no Monte da
  Transfiguração (Mt 17.1,2).
                          Pr. Moisés Sampaio de Paula   13
II. ELIAS, O MESSIAS E A
RESTAURAÇÃO
                        • No evento da
                        transfiguração, Moisés
                        prefigurava a Lei e Elias os
                        profetas.



                        1. Tipologia.
                        2. Escatologia.
               Pr. Moisés Sampaio de Paula        14
II. ELIAS, O MESSIAS E A ESTAURAÇÃO
              1. Tipologia.
              1. Tipologia.
•   Para a Igreja Cristã, Moisés prefigura a Lei
    enquanto Elias, os profetas. É perceptível,
    nessa passagem, que Moisés aparece como
    figura tipológica. Mateus põe em evidência
    o pronunciamento do próprio Deus:
    "Escutai-o" (Mt 17.5). E Moisés havia dito
    exatamente estas palavras quando se
    referia ao Profeta que viria depois dele: "O
    SENHOR, teu Deus, te despertará um
    profeta do meio de ti, de teus irmãos,
    como eu; a ele ouvireis" (Dt 18.15). A
    transfiguração revela que Moisés tem seu
    tipo revelado em Jesus de Nazaré e que
    toda a Lei apontava para Ele.

                               Pr. Moisés Sampaio de Paula   15
Tipologia Bíblica
• As Santas Escrituras usam em
  muitas passagens bíblicas um
  tipo de linguagem
  emblemática. EXEMPLO: Os
  objetos do Tabernáculo ( ÊX 25 -
  30 ).
• Apresenta figuras ou
  símbolos, que podem ser
  entendidas ou pelo contexto
  ou pela comparação doutras
  passagens no mesmo tempo.
  São FIGURAS DE
  LINGUAGEM.

                        Pr. Moisés Sampaio de Paula   16
O QUE É O TIPO?
•   A palavra vem do grego : “typos”. Significa “molde ou sinal”.
    Aquilo que inspira fé como modelo. É o caso de um personagem
    paradigmático.
•   Paradigma (do grego parádeigma) literalmente modelo, é a
    representação de um padrão a ser seguido.
•   Na realidade, a análise de um tipo, se refere ao estudo de
    diversos temas, eventos, pessoas ou objetos de uma realidade
    passada que é refletida em uma outra realidade, a futurística.
•   Por exemplo, quando falamos de Tipo na Bíblia, estamos
    abordando temas, eventos, pessoas ou objetos no Antigo
    Testamento, que são considerados "sombra" do que estava por
    vir no Novo Testamento.
•   A palavra vem do espanhol typus latinos e o dicionário a define
    como:
    a) modelo, exemplar
    b) símbolo representativo de algo figurativo.
•   O chamado "Antítipo" na realidade do Novo Testamento é
    aquilo que corresponde ao tipo do Antigo, embora a palavra
    grega é também traduzida como "figura" na versão espanhola da
    Bíblia (At 9,24; 1P 3:21).
                                     Pr. Moisés Sampaio de Paula      17
Tipologia




Pr. Moisés Sampaio de Paula   18
II. ELIAS, O MESSIAS E A ESTAURAÇÃO
                 2. Escatologia.
                 2. Escatologia.
•   Elias aparece em um contexto
    escatológico. O texto de Malaquias 4.5,6
    apresenta Elias como o precursor do Messias.
•   O Novo Testamento aplica a João Batista o
    cumprimento dessa Escritura: "E irá adiante
    dele no espírito e virtude de Elias, para
    converter o coração dos pais aos filhos e os
    rebeldes, à prudência dos justos, com o fim
    de preparar ao Senhor um povo bem
    disposto" (Lc 1.17).
•   Assim como Elias, João foi um profeta de
    confronto (Mt 3.7), ousado (Lc 3. 1-14) e
    rejeitado (Mt 11.18).
•   A presença do Batista, o Elias que havia de vir,
    era uma clara demonstração da messianidade
    de Jesus.

                                   Pr. Moisés Sampaio de Paula   19
•• Jesus Cristo é mais do que um
    Jesus Cristo é mais do que um
  grande líder, um bom exemplo
   grande líder, um bom exemplo
       ou um grande profeta.
       ou um grande profeta.
 Ele é o Filho de Deus.
 Ele é o Filho de Deus.
 Pr. Moisés Sampaio de Paula   20
III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO


                      • João era o Elias que havia
                      de vir e Jesus era o
                      Messias.


                      1. O Messias esperado.
                      2. O Messias rejeitado.
             Pr. Moisés Sampaio de Paula        21
III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO
             1. O Messias esperado.
             1. O Messias esperado.
•   O relato de Mateus sugere que os escribas
    não reconheceram a Jesus como o Messias,
    porque faltava um sinal que para eles era
    determinante - o aparecimento de Elias
    antes da manifestação do Messias (Mt
    17.10).

    Como Jesus poderia ser o Messias
    Como Jesus poderia ser o Messias
     se Elias ainda não havia vindo?
      se Elias ainda não havia vindo?
•   Jesus revela então que nenhum evento no
    programa profético deixara de ter o seu
    cumprimento. Elias já viera e os fatos
    demonstravam isso. João era o Elias que
    havia de vir e Jesus era o Messias.
                             Pr. Moisés Sampaio de Paula   22
III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO
          2. O Messias rejeitado.
          2. O Messias rejeitado.
• A transfiguração está no contexto
  da confissão de Pedro (Mt 16.13-20)
  e no discurso de Jesus sobre a
  necessidade de se tomar a cruz (Mt
  16.24-28).
• O Messias revelado, portanto, em
  nada se assemelhava ao herói da
  crença popular. Pelo contrário, a
  sua mensagem, assim como a do
  Batista, não agradaria a muita gente
  e provocaria rejeição.

                        Pr. Moisés Sampaio de Paula   23
Pr. Moisés Sampaio de Paula   24
IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO

                      Jesus deixou claro que a
                      cruz faz parte do plano
                      divino para restaurar todas
                      as coisas.


                      1. Humilhação.
                      2. Exaltação.
             Pr. Moisés Sampaio de Paula       25
IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO
          1. Humilhação
          1. Humilhação
• Os discípulos não entendiam como
  o Messias tão esperado pudesse
  morrer em um contexto de
  restauração.
• Cristo corrige esse equivoco,
  mostrando que a cruz
                    faz
  parte do plano divino para
  restaurar todas as coisas
  (Mt 17.12; Lc 9.31; Fl 2.1-11).

                         Pr. Moisés Sampaio de Paula   26
IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO
              2. Exaltação..
              2. Exaltação
• Muito tempo depois, o apóstolo Pedro
  ainda lembra dos fatos ocorridos e os
  cita em relação à exaltação e
  glorificação de Jesus e, também, como
  prova da veracidade da mensagem da
  cruz:
 "Porque não vos fizemos saber aavirtude eeaa
  "Porque não vos fizemos saber virtude
 vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo
  vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo
 fábulas artificialmente compostas, mas nós
  fábulas artificialmente compostas, mas nós
 mesmos vimos aasua majestade, porquanto ele
  mesmos vimos sua majestade, porquanto ele
 recebeu de Deus Pai honra eeglória, quando da
  recebeu de Deus Pai honra glória, quando da
 magnífica glória lhe foi dirigida aaseguinte voz:
  magnífica glória lhe foi dirigida seguinte voz:
 Este ééo meu Filho amado, em quem me tenho
  Este o meu Filho amado, em quem me tenho
 comprazido" (2 Pe 1.16,17).
  comprazido" (2 Pe 1.16,17).
                                 Pr. Moisés Sampaio de Paula   27
Pr. Moisés Sampaio de Paula   28
Conclusão
•    Vimos, pois, que os eventos ocorridos
     durante a Transfiguração servem para:
1.    demonstrar que Jesus era de fato o Messias
     esperado.
2.   Tanto a Lei, tipificada aqui em Moisés, como
     os Profetas, representado no texto pela
     figura de Elias, apontavam para a revelação
     máxima de Deus - o Cristo Jesus.
3.   Essas personagens tão importantes no
     contexto bíblico não possuem glória própria,
     mas irradiam a glória proveniente do Filho de
     Deus.
4.   Jesus é o centro das Escrituras, do Universo e
     de todas as coisas (Cl 1.18,19; Hb 1.3; Fl
     2.10,11).



                                Pr. Moisés Sampaio de Paula   29

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féMárcio Martins
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaGcom digital factory
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em PenielRamón Zazatt
 
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptxTribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptxLucianoSerrano8
 
Estudo no livro de oséias parte iii
Estudo no livro de oséias parte iiiEstudo no livro de oséias parte iii
Estudo no livro de oséias parte iiiClemente Luiz
 
Corpo alma espirito
Corpo alma espiritoCorpo alma espirito
Corpo alma espiritoDagmar Wendt
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresPaulo Ferreira
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSRubens Sohn
 
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.ASD Remanescentes
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e MalaquiasRODRIGO FERREIRA
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosMoisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

Abraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da féAbraão a esperança do pai da fé
Abraão a esperança do pai da fé
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em Peniel
 
I samuel
I samuelI samuel
I samuel
 
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptxTribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
Tribunal de Cristo SLIDES EBD 2023.pptx
 
Jejum e oração
Jejum e oraçãoJejum e oração
Jejum e oração
 
Estudo no livro de oséias parte iii
Estudo no livro de oséias parte iiiEstudo no livro de oséias parte iii
Estudo no livro de oséias parte iii
 
DIOS MUESTRA SU AMOR
DIOS MUESTRA SU AMORDIOS MUESTRA SU AMOR
DIOS MUESTRA SU AMOR
 
Corpo alma espirito
Corpo alma espiritoCorpo alma espirito
Corpo alma espirito
 
Profetas maiores e menores
Profetas maiores e menoresProfetas maiores e menores
Profetas maiores e menores
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
 
Deus: o Pai
Deus: o Pai Deus: o Pai
Deus: o Pai
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓSIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES AULA 1 - OSÉIAS, JOÉL E AMÓS
 
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.
Analisando o termo OUTRO do grego ALLOS(ἄλλον) de João 14:16.
 
2º módulo 1ª aula
2º módulo   1ª aula2º módulo   1ª aula
2º módulo 1ª aula
 
Eleição Incondicional
Eleição IncondicionalEleição Incondicional
Eleição Incondicional
 
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no ApocalipseCarta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
Carta à Igreja de Laodiceia no Apocalipse
 
37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias37. O profeta Obadias
37. O profeta Obadias
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 

Destaque

Lição 9 elias no monte da transfiguração
Lição 9 elias no monte da transfiguraçãoLição 9 elias no monte da transfiguração
Lição 9 elias no monte da transfiguraçãoDaniel Viana
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosCandice Gunther
 
Aula Nicodemos - Nascer de novo
Aula Nicodemos - Nascer de novoAula Nicodemos - Nascer de novo
Aula Nicodemos - Nascer de novoחגי חאמד
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoSergio Lima Dias Junior
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoProf. Robson Santos
 
03 IGB geografia do mundo bíblico atual
03 IGB   geografia do mundo bíblico atual03 IGB   geografia do mundo bíblico atual
03 IGB geografia do mundo bíblico atualJosé Santos
 
Estevão – a igreja precisa de membros como
Estevão – a igreja precisa de membros comoEstevão – a igreja precisa de membros como
Estevão – a igreja precisa de membros comoAntônio Luiz João
 
A longa seca sobre israel
A longa seca sobre israelA longa seca sobre israel
A longa seca sobre israelMoisés Sampaio
 
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°ano
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°anoTransfiguração - Guia para Iniciantes 1°ano
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°anoRpg_Mundo_Magic
 
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte KehilatSarel
 
A ética de jesus e o magnetismo 001
A ética de jesus e o magnetismo 001A ética de jesus e o magnetismo 001
A ética de jesus e o magnetismo 001Wagner Marques
 

Destaque (20)

Lição 9 elias no monte da transfiguração
Lição 9 elias no monte da transfiguraçãoLição 9 elias no monte da transfiguração
Lição 9 elias no monte da transfiguração
 
Nicodemos
NicodemosNicodemos
Nicodemos
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e Nicodemos
 
Aula Nicodemos - Nascer de novo
Aula Nicodemos - Nascer de novoAula Nicodemos - Nascer de novo
Aula Nicodemos - Nascer de novo
 
Jesus e a Samaritana
Jesus e a SamaritanaJesus e a Samaritana
Jesus e a Samaritana
 
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transfOlm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
Olm 100825-manif.visuais-bicorpor.e transf
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
 
Teologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologiaTeologia do AT tipologia
Teologia do AT tipologia
 
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardoApresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
Apresentação seminário de ebd. robson santos & roney ricardo
 
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADALIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
LIÇÃO 11 - VIVENDO DE FORMA MODERADA
 
Ebd lição 6
Ebd lição 6Ebd lição 6
Ebd lição 6
 
Mistério luminoso
Mistério luminosoMistério luminoso
Mistério luminoso
 
03 IGB geografia do mundo bíblico atual
03 IGB   geografia do mundo bíblico atual03 IGB   geografia do mundo bíblico atual
03 IGB geografia do mundo bíblico atual
 
Alegria, Culpa, Raiva e Amor
Alegria, Culpa, Raiva e AmorAlegria, Culpa, Raiva e Amor
Alegria, Culpa, Raiva e Amor
 
Nicodemos e Jesus
Nicodemos e JesusNicodemos e Jesus
Nicodemos e Jesus
 
Estevão – a igreja precisa de membros como
Estevão – a igreja precisa de membros comoEstevão – a igreja precisa de membros como
Estevão – a igreja precisa de membros como
 
A longa seca sobre israel
A longa seca sobre israelA longa seca sobre israel
A longa seca sobre israel
 
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°ano
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°anoTransfiguração - Guia para Iniciantes 1°ano
Transfiguração - Guia para Iniciantes 1°ano
 
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte
Aspectos da cultura hebraica - 1ª parte
 
A ética de jesus e o magnetismo 001
A ética de jesus e o magnetismo 001A ética de jesus e o magnetismo 001
A ética de jesus e o magnetismo 001
 

Semelhante a O Messias Esperado e Rejeitado

2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração
2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração
2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguraçãoNatalino das Neves Neves
 
Elias no monte da transfiguração
Elias no monte da transfiguraçãoElias no monte da transfiguração
Elias no monte da transfiguraçãoGerson Silva
 
Lição 13 - O Messias: O Legado de Israel
Lição 13 - O Messias: O Legado de IsraelLição 13 - O Messias: O Legado de Israel
Lição 13 - O Messias: O Legado de IsraelÉder Tomé
 
O ministério do profeta
O ministério do profetaO ministério do profeta
O ministério do profetaMoisés Sampaio
 
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfCristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfjoabedasilvasouza1
 
2022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 012022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 01Joel Silva
 
O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloMoisés Sampaio
 
O estilo de_liderança_de_jesus
O estilo de_liderança_de_jesusO estilo de_liderança_de_jesus
O estilo de_liderança_de_jesusWagna Borges
 
LOVE teologia (testamento)
LOVE teologia (testamento)LOVE teologia (testamento)
LOVE teologia (testamento)Love Edson Jake
 
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015José Lima
 
A historia da igreja parte 01
A historia da igreja parte 01A historia da igreja parte 01
A historia da igreja parte 01Mauricio Borges
 
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdfnestorsouza36
 
Lição 01 - O Evangelho de Matheus
Lição 01 - O Evangelho de MatheusLição 01 - O Evangelho de Matheus
Lição 01 - O Evangelho de MatheusEmmanuel Anacleto
 
Absg 12-q3-p-l01-t
Absg 12-q3-p-l01-tAbsg 12-q3-p-l01-t
Absg 12-q3-p-l01-tFlor Aranda
 
44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joãoPIB Penha
 

Semelhante a O Messias Esperado e Rejeitado (20)

2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração
2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração
2013 1o tri lição 9_elias no monte da transfiguração
 
Elias no monte da transfiguração
Elias no monte da transfiguraçãoElias no monte da transfiguração
Elias no monte da transfiguração
 
lição 09
lição 09lição 09
lição 09
 
Lição 13 - O Messias: O Legado de Israel
Lição 13 - O Messias: O Legado de IsraelLição 13 - O Messias: O Legado de Israel
Lição 13 - O Messias: O Legado de Israel
 
O ministério do profeta
O ministério do profetaO ministério do profeta
O ministério do profeta
 
4 evangelistas
4 evangelistas4 evangelistas
4 evangelistas
 
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfCristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
 
2022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 012022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 01
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
O ministério de apóstolo
O ministério de apóstoloO ministério de apóstolo
O ministério de apóstolo
 
O estilo de_liderança_de_jesus
O estilo de_liderança_de_jesusO estilo de_liderança_de_jesus
O estilo de_liderança_de_jesus
 
LOVE teologia (testamento)
LOVE teologia (testamento)LOVE teologia (testamento)
LOVE teologia (testamento)
 
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015
Comentário: 24° Domingo do Tempo Comum - Ano 2015
 
A historia da igreja parte 01
A historia da igreja parte 01A historia da igreja parte 01
A historia da igreja parte 01
 
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf
8.-ALTIEREZ-DOS-SANTOS-CISE-OS-EVANGELHOS-PARTE-I.pdf
 
O Ministério de Profeta
O Ministério de ProfetaO Ministério de Profeta
O Ministério de Profeta
 
Trasfigur..
Trasfigur..Trasfigur..
Trasfigur..
 
Lição 01 - O Evangelho de Matheus
Lição 01 - O Evangelho de MatheusLição 01 - O Evangelho de Matheus
Lição 01 - O Evangelho de Matheus
 
Absg 12-q3-p-l01-t
Absg 12-q3-p-l01-tAbsg 12-q3-p-l01-t
Absg 12-q3-p-l01-t
 
44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joão
 

Mais de Moisés Sampaio (20)

Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
 
2-Jaffa
2-Jaffa2-Jaffa
2-Jaffa
 

O Messias Esperado e Rejeitado

  • 1. ELIAS NO MONTE DA TRANSFIGURAÇÃO 1º Trimestre de 2013 Lição 9 Pr. Moisés Sampaio de Paula 1
  • 2. TEXTO ÁUREO • "E [Jesus] transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele" (Mt 17.2,3). Pr. Moisés Sampaio de Paula 2
  • 3. VERDADE PRÁTICA • O aparecimento de Moisés e Elias no Monte da Transfiguração é um testemunho de que a Lei e os Profetas cumprem-se em Cristo, o Messias prometido. Pr. Moisés Sampaio de Paula 3
  • 4. OBJETIVOS • Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: 1. Descrever o episódio da transfiguração de Jesus. 2. Explicar a tipologia representada em Moisés e Elias. 3. Conscientizar-se de que Jesus era o Messias esperado. Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
  • 5. Esboço da Lição I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO 1. Transfiguração. 2. Glória divina. II. ELIAS, O MESSIAS E A RESTAURAÇÃO 1. Tipologia. 2. Escatologia. III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO 1. O Messias esperado. 2. O Messias rejeitado. IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO 1. Humilhação. 2. Exaltação. Pr. Moisés Sampaio de Paula 5
  • 6. INTRODUÇÃO • O relato sobre a transfiguração, além do nome de Moisés, o texto coloca em evidência também o de Elias. • Diferentemente dos outros textos até aqui estudados, o profeta não aparece aqui como a figura central, mas secundária! • O centro é deslocado do profeta de Tisbe para o Profeta de Nazaré, Jesus. o Messias prometido, é a figura principal. Pr. Moisés Sampaio de Paula 6
  • 7. Palavra chave: Transfiguração • Mudança de aparência, ou forma, mas não mudança de essência. Pr. Moisés Sampaio de Paula 7
  • 8. I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO A transfiguração provou para os discípulos e para nós aquilo que Jesus sempre fora: o verbo divino encarnado. 1. Transfiguração. 2. Glória divina. Pr. Moisés Sampaio de Paula 8
  • 9. I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO 1. Transfiguração. 1. Transfiguração. 1. A palavra transfigurar, que traduz o termo grego metamorfose, mantém o sentido de mudança de aparência, ou forma, mas não mudança de essência. 2. A transfiguração mostrou aos discípulos aquilo que Jesus sempre fora: o verbo divino encarnado (Jo 1.1; 17.1-5). 3. Os discípulos observaram que o seu rosto brilhou como o sol (Mt 17.2) e Suas vestes resplandeceram (Mt 17.2). 4. Esses fatos põem em evidência a identidade do Messias, o Filho de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 9
  • 10. Metamorfose Mudança de forma ou da estrutura de algo a nível físico e/ou moral Sinônimos • evolução • modelização • modificação • mudança • mutação • transfiguração Pr. Moisés Sampaio de Paula 10
  • 11. Transfiguração • Transfiguração foi na verdade uma rápida demonstração da glória de Jesus Cristo, o Rei dos reis. • A divindade de Jesus foi revelada no monte da Transfiguração. • Os discípulos que ali estavam puderam ver o Verbo que se fez carne. • Apareceram Moises que tipificava a lei e Elias prefigurava os profetas que predisseram a vinda do Messias. Apesar da grande relevância na história do povo hebreu, eles não possuíam glória própria.
  • 12. Monte Tabor • Monte Tabor é uma alta colina da Galiléia, na secção leste do vale de Jizreel, 17 km a oeste do Mar da Galileia, como o topo à cota de 575 metros acima do nível do mar. • Muitos acreditam que foi no topo deste monte que, segundo os Evangelhos do Novo Testamento da Bíblia, terá ocorrido a transfiguração de Jesus Cristo, sendo por isso considerado como um dos lugares místicos da Terra Santa, ligado ao culto da Transfiguração, particularmente reverenciado pelas igrejas orientais, nomeadamente pela Igreja Ortodoxa Grega. • É também conhecido como "Har Tavor", "Itabyrium", "Jebel et-Tur" ou "Monte da Transfiguração". Pr. Moisés Sampaio de Paula 12
  • 13. I. ELIAS, O MESSIAS E A TRANSFIGURAÇÃO 2. Gloria Divina 2. Gloria Divina • É relevante o fato de que Mateus, ao escrever o evangelho aos hebreus, põe em evidência o fato de que Jesus é o Messias anunciado no Antigo Testamento. Isso pode ser visto na manifestação da nuvem luminosa, que está relacionada com a manifestação da presença de Deus (Êx 14.19,20; 24.15-17; 1 Rs 8.10,11; Ez 1.4; 10.4). • Tanto Moisés como Elias, quando estiveram no Sinai, presenciaram a manifestação dessa glória. Todavia, não como os discípulos a vivenciaram no Monte da Transfiguração (Mt 17.1,2). Pr. Moisés Sampaio de Paula 13
  • 14. II. ELIAS, O MESSIAS E A RESTAURAÇÃO • No evento da transfiguração, Moisés prefigurava a Lei e Elias os profetas. 1. Tipologia. 2. Escatologia. Pr. Moisés Sampaio de Paula 14
  • 15. II. ELIAS, O MESSIAS E A ESTAURAÇÃO 1. Tipologia. 1. Tipologia. • Para a Igreja Cristã, Moisés prefigura a Lei enquanto Elias, os profetas. É perceptível, nessa passagem, que Moisés aparece como figura tipológica. Mateus põe em evidência o pronunciamento do próprio Deus: "Escutai-o" (Mt 17.5). E Moisés havia dito exatamente estas palavras quando se referia ao Profeta que viria depois dele: "O SENHOR, teu Deus, te despertará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis" (Dt 18.15). A transfiguração revela que Moisés tem seu tipo revelado em Jesus de Nazaré e que toda a Lei apontava para Ele. Pr. Moisés Sampaio de Paula 15
  • 16. Tipologia Bíblica • As Santas Escrituras usam em muitas passagens bíblicas um tipo de linguagem emblemática. EXEMPLO: Os objetos do Tabernáculo ( ÊX 25 - 30 ). • Apresenta figuras ou símbolos, que podem ser entendidas ou pelo contexto ou pela comparação doutras passagens no mesmo tempo. São FIGURAS DE LINGUAGEM. Pr. Moisés Sampaio de Paula 16
  • 17. O QUE É O TIPO? • A palavra vem do grego : “typos”. Significa “molde ou sinal”. Aquilo que inspira fé como modelo. É o caso de um personagem paradigmático. • Paradigma (do grego parádeigma) literalmente modelo, é a representação de um padrão a ser seguido. • Na realidade, a análise de um tipo, se refere ao estudo de diversos temas, eventos, pessoas ou objetos de uma realidade passada que é refletida em uma outra realidade, a futurística. • Por exemplo, quando falamos de Tipo na Bíblia, estamos abordando temas, eventos, pessoas ou objetos no Antigo Testamento, que são considerados "sombra" do que estava por vir no Novo Testamento. • A palavra vem do espanhol typus latinos e o dicionário a define como: a) modelo, exemplar b) símbolo representativo de algo figurativo. • O chamado "Antítipo" na realidade do Novo Testamento é aquilo que corresponde ao tipo do Antigo, embora a palavra grega é também traduzida como "figura" na versão espanhola da Bíblia (At 9,24; 1P 3:21). Pr. Moisés Sampaio de Paula 17
  • 19. II. ELIAS, O MESSIAS E A ESTAURAÇÃO 2. Escatologia. 2. Escatologia. • Elias aparece em um contexto escatológico. O texto de Malaquias 4.5,6 apresenta Elias como o precursor do Messias. • O Novo Testamento aplica a João Batista o cumprimento dessa Escritura: "E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos e os rebeldes, à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto" (Lc 1.17). • Assim como Elias, João foi um profeta de confronto (Mt 3.7), ousado (Lc 3. 1-14) e rejeitado (Mt 11.18). • A presença do Batista, o Elias que havia de vir, era uma clara demonstração da messianidade de Jesus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 19
  • 20. •• Jesus Cristo é mais do que um Jesus Cristo é mais do que um grande líder, um bom exemplo grande líder, um bom exemplo ou um grande profeta. ou um grande profeta. Ele é o Filho de Deus. Ele é o Filho de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula 20
  • 21. III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO • João era o Elias que havia de vir e Jesus era o Messias. 1. O Messias esperado. 2. O Messias rejeitado. Pr. Moisés Sampaio de Paula 21
  • 22. III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO 1. O Messias esperado. 1. O Messias esperado. • O relato de Mateus sugere que os escribas não reconheceram a Jesus como o Messias, porque faltava um sinal que para eles era determinante - o aparecimento de Elias antes da manifestação do Messias (Mt 17.10). Como Jesus poderia ser o Messias Como Jesus poderia ser o Messias se Elias ainda não havia vindo? se Elias ainda não havia vindo? • Jesus revela então que nenhum evento no programa profético deixara de ter o seu cumprimento. Elias já viera e os fatos demonstravam isso. João era o Elias que havia de vir e Jesus era o Messias. Pr. Moisés Sampaio de Paula 22
  • 23. III. ELIAS, O MESSIAS E A REJEIÇÃO 2. O Messias rejeitado. 2. O Messias rejeitado. • A transfiguração está no contexto da confissão de Pedro (Mt 16.13-20) e no discurso de Jesus sobre a necessidade de se tomar a cruz (Mt 16.24-28). • O Messias revelado, portanto, em nada se assemelhava ao herói da crença popular. Pelo contrário, a sua mensagem, assim como a do Batista, não agradaria a muita gente e provocaria rejeição. Pr. Moisés Sampaio de Paula 23
  • 24. Pr. Moisés Sampaio de Paula 24
  • 25. IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO Jesus deixou claro que a cruz faz parte do plano divino para restaurar todas as coisas. 1. Humilhação. 2. Exaltação. Pr. Moisés Sampaio de Paula 25
  • 26. IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO 1. Humilhação 1. Humilhação • Os discípulos não entendiam como o Messias tão esperado pudesse morrer em um contexto de restauração. • Cristo corrige esse equivoco, mostrando que a cruz faz parte do plano divino para restaurar todas as coisas (Mt 17.12; Lc 9.31; Fl 2.1-11). Pr. Moisés Sampaio de Paula 26
  • 27. IV. ELIAS, O MESSIAS E A EXALTAÇÃO 2. Exaltação.. 2. Exaltação • Muito tempo depois, o apóstolo Pedro ainda lembra dos fatos ocorridos e os cita em relação à exaltação e glorificação de Jesus e, também, como prova da veracidade da mensagem da cruz: "Porque não vos fizemos saber aavirtude eeaa "Porque não vos fizemos saber virtude vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas, mas nós fábulas artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos aasua majestade, porquanto ele mesmos vimos sua majestade, porquanto ele recebeu de Deus Pai honra eeglória, quando da recebeu de Deus Pai honra glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida aaseguinte voz: magnífica glória lhe foi dirigida seguinte voz: Este ééo meu Filho amado, em quem me tenho Este o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido" (2 Pe 1.16,17). comprazido" (2 Pe 1.16,17). Pr. Moisés Sampaio de Paula 27
  • 28. Pr. Moisés Sampaio de Paula 28
  • 29. Conclusão • Vimos, pois, que os eventos ocorridos durante a Transfiguração servem para: 1. demonstrar que Jesus era de fato o Messias esperado. 2. Tanto a Lei, tipificada aqui em Moisés, como os Profetas, representado no texto pela figura de Elias, apontavam para a revelação máxima de Deus - o Cristo Jesus. 3. Essas personagens tão importantes no contexto bíblico não possuem glória própria, mas irradiam a glória proveniente do Filho de Deus. 4. Jesus é o centro das Escrituras, do Universo e de todas as coisas (Cl 1.18,19; Hb 1.3; Fl 2.10,11). Pr. Moisés Sampaio de Paula 29