Câmara Municipal de Coimbra apoia candidatura do
novo quartel dos BVC a fundos comunitários
A Associação Humanitária dos B...
fundamentada pela autarquia, “com base nos instrumentos de planeamento,
designadamente os planos municipais de ordenamento...
parada. Em seu lugar será construído um novo edifício com frente para a Travessa dos
Oleiros, com uma garagem no piso térr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Câmara Municipal de Coimbra apoia candidatura do novo quartel dos BVC a fundos comunitários

275 visualizações

Publicada em

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra (AHBVC) pretende candidatar a remodelação do respetivo quartel a fundos comunitários provenientes do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR). O valor máximo das candidaturas a este programa e para o tipo de obras a executar é de 415.000 euros, enquanto o total da intervenção no quartel dos Bombeiros Voluntários de Coimbra (BVC) tem um custo previsto consideravelmente mais elevado, que se estima em 662.450 euros. Estão previstas, no entanto, exceções podendo o valor das obras atingir o valor previsto para obras de construção de raiz (para o caso dos BVC, o valor limite é de 995.000 euros), desde que, entre outras condições a cumprir, a exceção seja fundamentada pela autarquia, “com base nos instrumentos de planeamento, designadamente os planos municipais de ordenamento do território”.

Os fundamentos invocados pela Câmara Municipal de Coimbra tiveram como premissas a localização do quartel na 1ª revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) - insere-se numa área para onde se prevê a salvaguarda e reabilitação dos conjuntos urbanos, edifícios e espaços relevantes existentes, melhorando e ampliando os seus diversos equipamentos de apoio, entre outros aspetos - e a sua integração na Área de Reabilitação Urbana (ARU) Coimbra Rio, respeitando a respetiva Estratégia de Reabilitação Urbana. Teve, também, em consideração a localização privilegiada do quartel no Centro Urbano Antigo.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câmara Municipal de Coimbra apoia candidatura do novo quartel dos BVC a fundos comunitários

  1. 1. Câmara Municipal de Coimbra apoia candidatura do novo quartel dos BVC a fundos comunitários A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coimbra (AHBVC) pretende candidatar a remodelação do respetivo quartel a fundos comunitários provenientes do Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR). O valor máximo das candidaturas a este programa e para o tipo de obras a executar é de 415.000 euros, enquanto o total da intervenção no quartel dos Bombeiros Voluntários de Coimbra (BVC) tem um custo previsto consideravelmente mais elevado, que se estima em 662.450 euros. Estão previstas, no entanto, exceções podendo o valor das obras atingir o valor previsto para obras de construção de raiz (para o caso dos BVC, o valor limite é de 995.000 euros), desde que, entre outras condições a cumprir, a exceção seja
  2. 2. fundamentada pela autarquia, “com base nos instrumentos de planeamento, designadamente os planos municipais de ordenamento do território”. Os fundamentos invocados pela Câmara Municipal de Coimbra tiveram como premissas a localização do quartel na 1ª revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) - insere-se numa área para onde se prevê a salvaguarda e reabilitação dos conjuntos urbanos, edifícios e espaços relevantes existentes, melhorando e ampliando os seus diversos equipamentos de apoio, entre outros aspetos - e a sua integração na Área de Reabilitação Urbana (ARU) Coimbra Rio, respeitando a respetiva Estratégia de Reabilitação Urbana. Teve, também, em consideração a localização privilegiada do quartel no Centro Urbano Antigo. A remodelação prevê a cedência de uma área de terreno (149 m2) para o domínio público e posterior execução/retificação da Travessa dos Oleiros. Ação que se enquadra no estudo orientador elaborado por Joan Busquets de recuperação de uma frente urbana sobre o rio (estudo para a zona frente de rio entre as estações de Coimbra A e de Coimbra B), aprovado pela CMC e que prevê a regularização do traçado através do alinhamento da frente urbana da Travessa dos Oleiros. A CMC entende que, em termos de Proteção Civil, há interesse deliberado em que se mantenha a atual localização desta infraestrutura devidamente modernizada. Com a concretização do previsto no atual projeto serão melhoradas, entre outras, quer as condições de acessibilidade e funcionalidade do atual quartel dos BVC, quer a capacidade de resposta ao socorro no centro da cidade, principalmente no centro urbano antigo (uma zona de risco), onde se encontra o conjunto inscrito na lista de Património Mundial da Humanidade (UNESCO) - Universidade de Coimbra, Alta e Sofia e respetiva Zona Especial de Proteção, pela sua importância em termos de localização estratégica. A atual localização do quartel dos BVC enquadra-se ainda no Sistema de Proteção Civil Municipal e no Plano Municipal de Emergência. O NOVO QUARTEL A fundamentação da autarquia será apreciada e votada na reunião do executivo desta segunda-feira, 7 de Setembro. Sobre este mesmo assunto, serão também analisadas a isenção de taxas e a operação urbanística (pedido de informação prévia) de obras de reabilitação, demolição e construção do referido quartel. No pedido refere-se que a AHBVC pretende reabilitar o edifício original, com frente para a Avenida Fernão Magalhães, demolir o edifício casa-escola e demais anexos e construir um novo edifício, que criará uma nova frente para a Travessa dos Oleiros. O edifício original, que remonta a 1953, será reabilitado para albergar o programa operacional do corpo de bombeiros, nomeadamente a garagem de viaturas de menores dimensões e de primeira intervenção, com vestiário de serviço no piso térreo. No 1º piso funcionará o arquivo, sala de adjuntos e sala de formação; no 2º e último piso, a sala do bombeiro com copa e a sala de planeamento. O edifício da torre-escola e anexos serão demolidos, devido às deficientes condições estruturais e arquitetónicas e também para criar um espaço mais amplo destinado à
  3. 3. parada. Em seu lugar será construído um novo edifício com frente para a Travessa dos Oleiros, com uma garagem no piso térreo, duas áreas técnicas anexas, área de fardamento e de material de intervenção e instalações sanitárias. No 1º piso serão instaladas novas camaratas, balneários com vestiário, arrumo para tratamento de roupa e limpeza do imóvel. Já no 2.º piso será instalada uma lavandaria e terraço para secagem da roupa.

×