Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTico

2.707 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.707
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
160
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt 9 AlteraçãO Do Material GenéTico

  1. 1.  Em todos os organismos, a informação genética está codificada na sequência de nucleótidos dos genes. Nuno Correia 09/10
  2. 2.  O material genético não permanece imutável, pode, em situações diversas, ser modificado. Nuno Correia 09/10
  3. 3.  As alterações na sequência nucleotídica do DNA têm o nome de mutações génicas (do latim mutare = mudar) e os indivíduos que as manifestam dizem-se mutantes. Melancia amarela Nuno Correia 09/10
  4. 4. Albinismo  Resulta de uma hipopigmentação geral.  As formas de albinismo são devidas a alterações do material genético, que conduzem à ausência de um pigmento - a melanina. Nuno Correia 09/10
  5. 5.  É uma anomalia resultante da alteração de um regula a síntese de uma proteína sanguínea necessária à sequência de reacções que ocorrem na coagulação do sangue. Nuno Correia 09/10
  6. 6. A alteração de nucleótidos no DNA origina alelos diferentes, que podem afectar a sequência de aminoácidos na proteína. Nuno Correia 09/10
  7. 7. As mutações podem ser prejudiciais ao ser vivo que as sofre ou vitais para a sobrevivência da espécie. Mutações.... Variabilidade .... Mutações .... variabilidade Nuno Correia 09/10
  8. 8.  A sua origem está numa alteração do material genético que conduz à formação de uma hemoglobina anormal, a hemoglobina S, provocando deficiência no transporte de oxigénio.  Num indivíduo com drepanocitose, as hemácias tomam a forma de foice, de onde deriva o nome da doença anemia falciforme.  As hemácias em foice são mais rígidas e mais frágeis do que as hemácias normais, experimentando uma destruição muito rápida. Os doentes manifestam anemia grave e crises dolorosas, em particular ao nível das articulações. Nuno Correia 09/10
  9. 9. Nuno Correia 09/10
  10. 10. A consequência da substituição é que a hemoglobina se torna menos solúvel e, em condições de baixa pressão de gás oxigénio, como a existente nos capilares sanguíneos, suas moléculas se agrupam na forma de longos bastonetes que deformam a hemácia, fazendo-a adquirir a forma de foice. Nuno Correia 09/10
  11. 11.  Por vezes ocorrem mutações que não provocam alterações nas proteínas, pois, devido à redundância do código genético, o codão mutado pode codificar o mesmo aminoácido Nuno Correia 09/10
  12. 12.  o novo aminoácido pode ter propriedades semelhantes às do aminoácido substituído ou, até, a substituição pode ocorrer numa zona que não é determinante para a função da proteína sintetizada. Nuno Correia 09/10
  13. 13.  As mutações podem também conduzir à formação de proteínas com novas capacidades que poderão ser extremamente úteis, tanto na Natureza como no laboratório. Nuno Correia 09/10
  14. 14.  Quando as mutações ocorrem ao nível dos gâmetas, podem ser transmitidas à geração seguinte. Nuno Correia 09/10
  15. 15.  as mutações têm lugar nas outras células, não são transmissíveis à descendência. Nuno Correia 09/10
  16. 16.  Alterações ambientais trouxeram consigo um aumento considerável de factores que conduzem a alterações do DNA e a um aumento da frequência das mutações. Nuno Correia 09/10

×