Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica

6.538 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.538
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
318
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt 15 ReproduçãO Sexuada E Variabilidade GenéTica

  1. 1. QUAL O CONTRIBUTO DA MEIOSE E DA FECUNDAÇÃO PARA A VARIABILIDADE GENÉTICA? Nuno Correia 09/10
  2. 2. Metáfase I Metáfase II Nuno Correia 09/10
  3. 3. 22 = 4 Nuno Correia 09/10
  4. 4. Nuno Correia 09/10
  5. 5.  A troca de segmentos entre cromatídios não irmãos de cromossomas homólogos permite novas combinações de genes paternos e maternos no mesmo cromossoma. Nuno Correia 09/10
  6. 6.  A meiose, para além de assegurar a estabilidade do número de cromossomas próprio de cada espécie de geração em geração, permite novas recombinações genéticas, contribuindo para uma acentuada variabilidade de características da descendência produzida por reprodução sexuada. Nuno Correia 09/10
  7. 7. Nuno Correia 09/10
  8. 8.  10 peças de lego (2x2) – azul  8 peças lego (2x2) – verde  10 peças de lego (2x2) – amarelo  8 peças de lego (2x2) - vermelho Nuno Correia 09/10
  9. 9. Nuno Correia 09/10
  10. 10.  Comece por distribuir as peças entre si e o seu parceiro, de modo a que cada um fique com a totalidade das peças das duas cores. Nuno Correia 09/10
  11. 11.  Cada um dos parceiros deverá, com as peças de uma determinada cor, construir torres de 5 e 4 peças, respectivamente. Desta forma, simula-se cromossomas de um dado progenitor.  Repita o procedimento com peças da outra cor. Acabou de obter os cromossomas herdados do outro progenitor. Nuno Correia 09/10
  12. 12.  Faça pares com os cromossomas das mesmas dimensões. Nuno Correia 09/10
  13. 13.  De forma aleatória troque peças (em número igual) entre pares de cromossomas. Em que fase da meiose ocorre o processo que acabou de simular? Identifique o fenómeno simulado. Nuno Correia 09/10
  14. 14.  Separe os dois pares em dois grupos, de modo que cada um seja portador de um exemplar de um dado cromossoma. O que se pretende simular com este passo? Nuno Correia 09/10
  15. 15.  Junte um dos seus conjuntos com um outro obtido pelo seu colega. O que se pretende simular com este passo? Nuno Correia 09/10
  16. 16.  Disponha os conjuntos aos pares, por ordem crescente de tamanho.  Registe sob a forma de desenho ou fotografia. Nuno Correia 09/10
  17. 17.  O que representam os grupos obtidos no passo 8? Nuno Correia 09/10
  18. 18.  Repita os procedimentos 7 e 8 para os conjuntos que tenham sobrado. Nuno Correia 09/10
  19. 19.  Repita os procedimentos 4  10 Nuno Correia 09/10
  20. 20.  Compare os seus resultados (esquemas ou fotografias) com os dos restantes grupos de alunos da turma. Nuno Correia 09/10
  21. 21. Nuno Correia 09/10
  22. 22.  O que pode concluir quando compara os resultados obtidos dentro do seu grupo e entre o seu grupo e os restantes?  Tire conclusões quanto ao contributo da meiose e da fecundação para a variabilidade conseguida durante a reprodução? Nuno Correia 09/10
  23. 23.  Quando ocorre uma fecundação, o número de possibilidades diferentes de combinações genéticas possíveis no ovo é igual ao produto das combinações genéticas possíveis nos dois gâmetas que se fundem. Nuno Correia 09/10
  24. 24.  No caso humano, por exemplo, será cerca de 8 x IO6 x 8 x IO6, ou seja, 64 x IO12 possibilidades de diferentes combinações genéticas por cada ovo formado.  Neste cálculo não foram considerados os fenómenos de crossing-over, o que aumenta extraordinariamente o número referido. Nuno Correia 09/10
  25. 25. Cada indivíduo produzido por reprodução sexuada possui um programa genético que contribui para o tornar único, diferindo dos progenitores e dos seus irmãos. Nuno Correia 09/10
  26. 26.  Os indivíduos originados por reprodução sexuada apresentam variabilidade genética entre si e em relação aos progenitores.  A variabilidade genética dos indivíduos deve-se à meiose e à fecundação:  à meiose porque a separação dos cromossomas homólogos se efectua ao acaso e também devido ao fenómeno de crossing-over;  à fecundação porque ocorre da união ao acaso dos gâmetas, com informação genética diferente. Nuno Correia 09/10

×