SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Equipe 
Isaac Newton
VULCANIZAÇÃO 
Vulcanização é o processo químico 
destinado a melhorar as 
propriedades físicas da borracha 
natural ou sintética. A borracha 
acabada adquire, assim, maior 
força tênsil e resistência à 
dilatação e à abrasão, e torna-se 
elástica a uma variedade maior de 
temperaturas. A forma mais 
simples de provocar a 
vulcanização consiste em aquecer 
a borracha com enxofre. 
Maria Aparecida Farias
Inventada em 1839 pelo americano 
Charles Goodyear, a vulcanização 
permitiu a obtenção da borracha de alta 
resistência usada nos pneus dos veículos 
automotores. 
Charles Goodyear
O inventor do processo, Goodyear, observou também a importância de certa substâncias, 
os aceleradores, que apressam a vulcanização ou a fazem ocorrer a temperaturas mais 
baixas. As reações entre a borracha e o enxofre não são plenamente conhecidas, mas sabe-se 
que o enxofre não se dissolve ou dispersa simplesmente na borracha, mas combina-se 
quimicamente, em geral na forma de pontes entre as moléculas com longa cadeia de 
átomos. 
Modernamente, empregam-se temperaturas entre 140 e 180°C, e acrescentam-se em 
geral negro-de-fumo e óxido de zinco ao enxofre, que aprimoram a qualidade da borracha. 
Também se usa antioxidante para retardar a deterioração causada pelo oxigênio. Algumas 
borrachas sintéticas não são vulcanizadas com enxofre, mas dão um produto satisfatório 
mediante um tratamento similar com óxidos metálicos e peróxidos orgânicos. 
Quanto mais enxofre for adicionado à 
borracha, maior será a sua dureza: 
Borrachas comuns: 2 a 10% de teor de enxofre; 
Borrachas usadas em pneus: 1,5 a 5% de teor 
de enxofre; 
Borrachas empregadas em revestimentos 
protetores de máquinas e aparelhos de 
indústrias químicas: cerca de 30% de teor de 
enxofre.
ARAMIDAa 
Jackson Teles 
Colete à prova de balas ou colete balístico 
são artefatos militares ou policiais e que 
protegem os utilizadores contra projéteis 
ou destroços militares. Normalmente são 
feitos de Kevlar, uma fibra de aramida, 
material sintético semelhante ao náilon, 
leve e flexível mas cinco vezes mais 
resistente que o aço.
Características do Kevlar: insolúvel, imune a ataque 
químico, resistente ao fogo, flexível e leve. 
Não é só em coletes que se aplica o material Kevlar. 
Também é usado em revestimentos para motores de 
aviões para evitar que uma eventual explosão na 
turbina os danifique. 
O kevlar é um polímero de baixa densidade e é 
também denominado poliarilamida ou 
poliaramida. Suas principais características são: 
muita resistência ao ataque químico, ao fogo (só 
queima em temperaturas superiores a 1000 ºC e 
depois de 8 segundos) e a impactos, sendo sete 
vezes mais forte que o aço. É por isso que a sua 
principal aplicação é em coletes e capacetes à 
prova de balas, mas também é usado em chassis 
de carros de corrida, roupas de pilotos de Fórmula 
1, em roupas contra incêndios, em cintos de 
segurança, cordas, construções aeronáuticas, em 
raquetes de tênis.
Maria Aparecida Farias 
POLICARBONATO 
O policarbonato é um tipo de polímero (plástico) 
composto por carbonatos, ou seja, ligações de carbono 
com oxigênio, quando aquecidos amolecem e ao ser 
resfriado endurecem, por isso são chamados de 
termoplásticos. Este tipo de plástico é facilmente 
moldado em diversos formatos sem precisar de 
emendas. 
O vidro, ao longo dos anos, tem permanecido como o 
principal material de blindagem transparente. O 
policarbonato (PC), devido a ótima transparência e alta 
tenacidade, tem sido empregado na produção de 
blindagens transparentes para emprego militar e civil, 
principalmente sob a forma de laminados 
Vidro em um processo de Laminação
lamOinsa vçidãoro. s blindados são fabricados por meio de processo de calor e pressão pra 
unir suas diversas camadas num só bloco de alta resistência, geralmente as 
diversas camadas intercaladas que compõem o blindado utilizam películas de 
polivinilbutiral (PVB) ou resina, acrescidas de películas de poliuretano e 
lâminas de policarbonato, que se unem fortemente ao vidro, tornando o 
conjunto resistente a impactos, vandalismo e até mesmo a disparo de armas de 
fogo. 
Ao lado, imagens de 
Barack e Michelle Obama e 
George e Laura Bush, em 
Nova York, a dispor de um 
vidro à prova de balas. Foi 
atrás desta proteção que o 
atual presidente e seu 
antecessor apareceram ao 
público e fizeram seus 
discursos na cerimônia do 
décimo aniversario do 11 
de setembro.
POLIURETANO 
O poliuretano (PU), é um polímero de 
rearranjo muito usado na produção de 
espumas para colchões, travesseiros, assentos 
de automóveis, isolantes térmicos de paredes 
e refrigeradores, isolantes acústicos, na 
produção de fibras, vedações, preservativos, 
calçados, carpetes e bolas de futebol. 
Maria Aparecida Farias
O poliuretano é bastante versátil na combinação com outras resinas e é útil em 
trabalho em altas temperaturas. Um exemplo que mostra isso é na produção de 
espuma, pois ele é misturado ao gás freon, que se desprende durante a reação, 
provocando sua expansão, seu aumento de volume e liberação de calor. 
Poliuretano na forma de espuma. 
Além disso, dependendo das condições em que se realiza a reação, essa 
espuma pode ser mais macia ou mais dura, dependendo da finalidade de 
sua utilização. 
No caso do poliuretano usado como revestimento dos gomos das bolas de 
futebol modernas, ele se apresenta altamente durável e leve e é colado por 
meio de uma ligação térmica. Seu uso permite que, ao longo do jogo, a 
massa, o formato e a medida da bola não mudem.
Nos casos de uso de policarbonato em garrafões, é devido a Não possui odor, e 
são Resistentes contra impactos Rígido. Conserva suas propriedades mesmo 
em diferentes temperaturas.
POLÍMEROS TERMOPLÁSTICOS 
Jackson Teles 
Um polímero termoplástico é um tipo de plástico 
cujas propriedades mudam quando aquecido e 
resfriado. Termoplásticos se tornam macios, 
quando calor é aplicado, e possuem um 
acabamento rígido e suave, quando resfriados. Há 
uma grande variedade de fórmulas de 
termoplásticos disponíveis que foi criada para 
muitas aplicações diferentes. 
Alguns dos polímeros termoplásticos mais 
comumente encontrados incluem o polietileno, 
polipropileno, cloreto de polivinila (PVC), 
poliestireno, politetrafluoretileno (PTFE, mais 
conhecido como Teflon), acrilonitrila butadieno 
estireno (plástico ABS) e poliamida (mais conhecido 
como nylon).
Para uma melhor compreensão, vamos a uma ilustração que demonstra as 
ligações dos dois tipos de plástico: 
Termoplástico: ligações lineares formam os 
polímeros. 
Termorrígido: ligações cruzadas unem os fios 
de polímeros.
GUERRA CONTRA A ÁGUA MINERAL 
Jackson Teles 
O consumo de água mineral cresceu 145% 
nos últimos dez anos. Mas os 
ambientalistas alertam: a fabricação das 
garrafas plásticas é um processo industrial 
que provoca grande quantidade de gases 
que agravam o efeito estufa.
Nos Estados Unidos, a fabricação e reciclagem das garrafas plásticas consumiram 17 
milhões de barris de petróleo em 2006, o que produziu 2,5 milhões de toneladas de 
dióxido de carbono e outros gases. O dano é triplicado quando se consideram as 
emissões provocadas pelo transporte e refrigeração das garrafas. Além disso, ao 
serem descartadas, produzem lixo que nem sempre é reciclado. 
o consumo de água mineral cresceu 145%- e passou a ocupar um lugar de destaque nas 
preocupações de muitos ambientalistas.O foco não está exatamente na água, mas na 
embalagem. A fabricação das garrafas plásticas usadas pela maioria das marcas é um 
processo industrial que provoca grande quantidade de gases que agravam o efeito estufa. Ao 
serem descartadas, elas produzem montanhas de lixo que nem sempre é reciclado.
IMPACTO AMBIENTAL 
Maria Aparecida Farias 
Impacto ambiental é a alteração no meio 
ambiente por determinada ação ou 
atividade. Atualmente o planeta Terra 
enfrenta fortes sinais de transição, o 
homem está revendo seus conceitos sobre 
natureza. Esta conscientização da 
humanidade está gerando novos 
paradigmas, determinando novos 
comportamentos e exigindo novas 
providências na gestão de recursos do 
meio ambiente.
A Indústria é a principal fonte, ela gera resíduos que podem ser eliminados de três formas: 
Na água: essa opção de descarte de dejetos é mais 
barata e mais cômoda, infelizmente os resíduos 
são lançados geralmente em recursos hídricos 
utilizados como fonte de água para abastecimento 
público. 
Na atmosfera: a eliminação de 
poluentes desta forma só é 
possível quando os resíduos 
estão no estado gasoso. 
Em áreas isoladas: essas áreas são 
previamente escolhidas, em geral são aterros 
sanitários.
FIBRAS TÊXTEIS 
Fibra Têxtil Natural: As chamadas fibras naturais são 
todas as fibras que já se apresentam prontas na natureza 
necessitando apenas alguns processos físicos para 
transformá-las em fios. Elas estão divididas em: 
Fibra Têxtil Animal: Seda, lã, Lhama, etc. 
Fibra Têxtil Vegetal: Algodão, Linho, Sisal, coco, etc. 
Fibra Têxtil Mineral: Amianto. 
•Fibra Têxtil Artificial: As chamadas Fibras Artificiais são 
todas as fibras que se apresentam na natureza numa 
forma não utilizável. O homem através de artifícios 
químico as coloca em condições de uso. Ex: Viscose, 
Modal, Cupro, Liocel, Acetato, Triacetato, etc 
Jackson Teles
ESCOLA ESTADUAL MANOEL LÚCIO DA SILVA 
EQUIPE ISAAC NEWTON 
MEMBROS DA EQUIPE: 
Jackson Teles Nº 17 
Maria Aparecida Nº 30 
ORIENTADOR: Paulo Celso 
ARAPIRACA – AL 
18 /10/2014

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Slide, sandra de oliveira 3°ano "B"
Slide, sandra de oliveira 3°ano "B"Slide, sandra de oliveira 3°ano "B"
Slide, sandra de oliveira 3°ano "B"
 
06 Paulo Bessa Amorim 25 Mar 2010 Ics
06 Paulo Bessa Amorim 25 Mar 2010 Ics06 Paulo Bessa Amorim 25 Mar 2010 Ics
06 Paulo Bessa Amorim 25 Mar 2010 Ics
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
07 Paulo Bessa Amorim 22 Jan 2010 Ics
07 Paulo Bessa Amorim 22 Jan 2010 Ics07 Paulo Bessa Amorim 22 Jan 2010 Ics
07 Paulo Bessa Amorim 22 Jan 2010 Ics
 
Polímeros(1)
Polímeros(1)Polímeros(1)
Polímeros(1)
 
Polímeros Sintéticos
Polímeros SintéticosPolímeros Sintéticos
Polímeros Sintéticos
 
Equipe Tório (Jamesw Watt)
Equipe Tório (Jamesw Watt)Equipe Tório (Jamesw Watt)
Equipe Tório (Jamesw Watt)
 
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
SLIDE - EQUIPE EDGARDD SALVADOR
 
Quimica polimeros sintéticos
Quimica polimeros sintéticosQuimica polimeros sintéticos
Quimica polimeros sintéticos
 
Curso de Acrílicos
Curso de AcrílicosCurso de Acrílicos
Curso de Acrílicos
 
Trabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticasTrabalho matrizes termoplásticas
Trabalho matrizes termoplásticas
 
Polimeros
PolimerosPolimeros
Polimeros
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Polímeros 3a3
Polímeros 3a3Polímeros 3a3
Polímeros 3a3
 
Revestimentos poliméricas na construção civil
Revestimentos poliméricas na construção civilRevestimentos poliméricas na construção civil
Revestimentos poliméricas na construção civil
 
Ppoint.quim.polimeros.adição.plásticos
Ppoint.quim.polimeros.adição.plásticosPpoint.quim.polimeros.adição.plásticos
Ppoint.quim.polimeros.adição.plásticos
 
Madeira apostila 2012
Madeira   apostila 2012Madeira   apostila 2012
Madeira apostila 2012
 
Apresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímicaApresentação solda bioquímica
Apresentação solda bioquímica
 
Plásticos 12 CT2 grupo 5
Plásticos 12 CT2 grupo 5Plásticos 12 CT2 grupo 5
Plásticos 12 CT2 grupo 5
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 

Semelhante a Polímeros e suas aplicações

Semelhante a Polímeros e suas aplicações (20)

Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
Polímeros, Polissacarídeos e Proteínas
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Polímeros - Trabalho de Química Escola Manoel Lúcio da Silva
Polímeros - Trabalho de Química Escola Manoel Lúcio da SilvaPolímeros - Trabalho de Química Escola Manoel Lúcio da Silva
Polímeros - Trabalho de Química Escola Manoel Lúcio da Silva
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Polímeros Sintéticos
Polímeros SintéticosPolímeros Sintéticos
Polímeros Sintéticos
 
POLÍMEROS
POLÍMEROSPOLÍMEROS
POLÍMEROS
 
Plastico (2)
Plastico (2)Plastico (2)
Plastico (2)
 
Aula7
Aula7Aula7
Aula7
 
Artigo ptfe-teflon
Artigo ptfe-teflonArtigo ptfe-teflon
Artigo ptfe-teflon
 
58262701 plasticos-na-industria-mecanica
58262701 plasticos-na-industria-mecanica58262701 plasticos-na-industria-mecanica
58262701 plasticos-na-industria-mecanica
 
Polímeros
PolímerosPolímeros
Polímeros
 
Seminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatosSeminário acrílicos e policarbonatos
Seminário acrílicos e policarbonatos
 
Quimica polimeros
Quimica polimerosQuimica polimeros
Quimica polimeros
 
Material auxiliar plástico i
Material auxiliar plástico iMaterial auxiliar plástico i
Material auxiliar plástico i
 
Os plasticos
Os plasticosOs plasticos
Os plasticos
 
Questões dayvid
Questões dayvidQuestões dayvid
Questões dayvid
 
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
Química 12º - "Polimeros e reciclagem dos plásticos"
 
Apresentação 3a1
Apresentação 3a1Apresentação 3a1
Apresentação 3a1
 
PET - Saiba mais
PET - Saiba maisPET - Saiba mais
PET - Saiba mais
 

Último

EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 

Último (20)

EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 

Polímeros e suas aplicações

  • 2. VULCANIZAÇÃO Vulcanização é o processo químico destinado a melhorar as propriedades físicas da borracha natural ou sintética. A borracha acabada adquire, assim, maior força tênsil e resistência à dilatação e à abrasão, e torna-se elástica a uma variedade maior de temperaturas. A forma mais simples de provocar a vulcanização consiste em aquecer a borracha com enxofre. Maria Aparecida Farias
  • 3. Inventada em 1839 pelo americano Charles Goodyear, a vulcanização permitiu a obtenção da borracha de alta resistência usada nos pneus dos veículos automotores. Charles Goodyear
  • 4. O inventor do processo, Goodyear, observou também a importância de certa substâncias, os aceleradores, que apressam a vulcanização ou a fazem ocorrer a temperaturas mais baixas. As reações entre a borracha e o enxofre não são plenamente conhecidas, mas sabe-se que o enxofre não se dissolve ou dispersa simplesmente na borracha, mas combina-se quimicamente, em geral na forma de pontes entre as moléculas com longa cadeia de átomos. Modernamente, empregam-se temperaturas entre 140 e 180°C, e acrescentam-se em geral negro-de-fumo e óxido de zinco ao enxofre, que aprimoram a qualidade da borracha. Também se usa antioxidante para retardar a deterioração causada pelo oxigênio. Algumas borrachas sintéticas não são vulcanizadas com enxofre, mas dão um produto satisfatório mediante um tratamento similar com óxidos metálicos e peróxidos orgânicos. Quanto mais enxofre for adicionado à borracha, maior será a sua dureza: Borrachas comuns: 2 a 10% de teor de enxofre; Borrachas usadas em pneus: 1,5 a 5% de teor de enxofre; Borrachas empregadas em revestimentos protetores de máquinas e aparelhos de indústrias químicas: cerca de 30% de teor de enxofre.
  • 5. ARAMIDAa Jackson Teles Colete à prova de balas ou colete balístico são artefatos militares ou policiais e que protegem os utilizadores contra projéteis ou destroços militares. Normalmente são feitos de Kevlar, uma fibra de aramida, material sintético semelhante ao náilon, leve e flexível mas cinco vezes mais resistente que o aço.
  • 6. Características do Kevlar: insolúvel, imune a ataque químico, resistente ao fogo, flexível e leve. Não é só em coletes que se aplica o material Kevlar. Também é usado em revestimentos para motores de aviões para evitar que uma eventual explosão na turbina os danifique. O kevlar é um polímero de baixa densidade e é também denominado poliarilamida ou poliaramida. Suas principais características são: muita resistência ao ataque químico, ao fogo (só queima em temperaturas superiores a 1000 ºC e depois de 8 segundos) e a impactos, sendo sete vezes mais forte que o aço. É por isso que a sua principal aplicação é em coletes e capacetes à prova de balas, mas também é usado em chassis de carros de corrida, roupas de pilotos de Fórmula 1, em roupas contra incêndios, em cintos de segurança, cordas, construções aeronáuticas, em raquetes de tênis.
  • 7. Maria Aparecida Farias POLICARBONATO O policarbonato é um tipo de polímero (plástico) composto por carbonatos, ou seja, ligações de carbono com oxigênio, quando aquecidos amolecem e ao ser resfriado endurecem, por isso são chamados de termoplásticos. Este tipo de plástico é facilmente moldado em diversos formatos sem precisar de emendas. O vidro, ao longo dos anos, tem permanecido como o principal material de blindagem transparente. O policarbonato (PC), devido a ótima transparência e alta tenacidade, tem sido empregado na produção de blindagens transparentes para emprego militar e civil, principalmente sob a forma de laminados Vidro em um processo de Laminação
  • 8. lamOinsa vçidãoro. s blindados são fabricados por meio de processo de calor e pressão pra unir suas diversas camadas num só bloco de alta resistência, geralmente as diversas camadas intercaladas que compõem o blindado utilizam películas de polivinilbutiral (PVB) ou resina, acrescidas de películas de poliuretano e lâminas de policarbonato, que se unem fortemente ao vidro, tornando o conjunto resistente a impactos, vandalismo e até mesmo a disparo de armas de fogo. Ao lado, imagens de Barack e Michelle Obama e George e Laura Bush, em Nova York, a dispor de um vidro à prova de balas. Foi atrás desta proteção que o atual presidente e seu antecessor apareceram ao público e fizeram seus discursos na cerimônia do décimo aniversario do 11 de setembro.
  • 9. POLIURETANO O poliuretano (PU), é um polímero de rearranjo muito usado na produção de espumas para colchões, travesseiros, assentos de automóveis, isolantes térmicos de paredes e refrigeradores, isolantes acústicos, na produção de fibras, vedações, preservativos, calçados, carpetes e bolas de futebol. Maria Aparecida Farias
  • 10. O poliuretano é bastante versátil na combinação com outras resinas e é útil em trabalho em altas temperaturas. Um exemplo que mostra isso é na produção de espuma, pois ele é misturado ao gás freon, que se desprende durante a reação, provocando sua expansão, seu aumento de volume e liberação de calor. Poliuretano na forma de espuma. Além disso, dependendo das condições em que se realiza a reação, essa espuma pode ser mais macia ou mais dura, dependendo da finalidade de sua utilização. No caso do poliuretano usado como revestimento dos gomos das bolas de futebol modernas, ele se apresenta altamente durável e leve e é colado por meio de uma ligação térmica. Seu uso permite que, ao longo do jogo, a massa, o formato e a medida da bola não mudem.
  • 11.
  • 12. Nos casos de uso de policarbonato em garrafões, é devido a Não possui odor, e são Resistentes contra impactos Rígido. Conserva suas propriedades mesmo em diferentes temperaturas.
  • 13.
  • 14. POLÍMEROS TERMOPLÁSTICOS Jackson Teles Um polímero termoplástico é um tipo de plástico cujas propriedades mudam quando aquecido e resfriado. Termoplásticos se tornam macios, quando calor é aplicado, e possuem um acabamento rígido e suave, quando resfriados. Há uma grande variedade de fórmulas de termoplásticos disponíveis que foi criada para muitas aplicações diferentes. Alguns dos polímeros termoplásticos mais comumente encontrados incluem o polietileno, polipropileno, cloreto de polivinila (PVC), poliestireno, politetrafluoretileno (PTFE, mais conhecido como Teflon), acrilonitrila butadieno estireno (plástico ABS) e poliamida (mais conhecido como nylon).
  • 15. Para uma melhor compreensão, vamos a uma ilustração que demonstra as ligações dos dois tipos de plástico: Termoplástico: ligações lineares formam os polímeros. Termorrígido: ligações cruzadas unem os fios de polímeros.
  • 16. GUERRA CONTRA A ÁGUA MINERAL Jackson Teles O consumo de água mineral cresceu 145% nos últimos dez anos. Mas os ambientalistas alertam: a fabricação das garrafas plásticas é um processo industrial que provoca grande quantidade de gases que agravam o efeito estufa.
  • 17. Nos Estados Unidos, a fabricação e reciclagem das garrafas plásticas consumiram 17 milhões de barris de petróleo em 2006, o que produziu 2,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono e outros gases. O dano é triplicado quando se consideram as emissões provocadas pelo transporte e refrigeração das garrafas. Além disso, ao serem descartadas, produzem lixo que nem sempre é reciclado. o consumo de água mineral cresceu 145%- e passou a ocupar um lugar de destaque nas preocupações de muitos ambientalistas.O foco não está exatamente na água, mas na embalagem. A fabricação das garrafas plásticas usadas pela maioria das marcas é um processo industrial que provoca grande quantidade de gases que agravam o efeito estufa. Ao serem descartadas, elas produzem montanhas de lixo que nem sempre é reciclado.
  • 18. IMPACTO AMBIENTAL Maria Aparecida Farias Impacto ambiental é a alteração no meio ambiente por determinada ação ou atividade. Atualmente o planeta Terra enfrenta fortes sinais de transição, o homem está revendo seus conceitos sobre natureza. Esta conscientização da humanidade está gerando novos paradigmas, determinando novos comportamentos e exigindo novas providências na gestão de recursos do meio ambiente.
  • 19. A Indústria é a principal fonte, ela gera resíduos que podem ser eliminados de três formas: Na água: essa opção de descarte de dejetos é mais barata e mais cômoda, infelizmente os resíduos são lançados geralmente em recursos hídricos utilizados como fonte de água para abastecimento público. Na atmosfera: a eliminação de poluentes desta forma só é possível quando os resíduos estão no estado gasoso. Em áreas isoladas: essas áreas são previamente escolhidas, em geral são aterros sanitários.
  • 20. FIBRAS TÊXTEIS Fibra Têxtil Natural: As chamadas fibras naturais são todas as fibras que já se apresentam prontas na natureza necessitando apenas alguns processos físicos para transformá-las em fios. Elas estão divididas em: Fibra Têxtil Animal: Seda, lã, Lhama, etc. Fibra Têxtil Vegetal: Algodão, Linho, Sisal, coco, etc. Fibra Têxtil Mineral: Amianto. •Fibra Têxtil Artificial: As chamadas Fibras Artificiais são todas as fibras que se apresentam na natureza numa forma não utilizável. O homem através de artifícios químico as coloca em condições de uso. Ex: Viscose, Modal, Cupro, Liocel, Acetato, Triacetato, etc Jackson Teles
  • 21. ESCOLA ESTADUAL MANOEL LÚCIO DA SILVA EQUIPE ISAAC NEWTON MEMBROS DA EQUIPE: Jackson Teles Nº 17 Maria Aparecida Nº 30 ORIENTADOR: Paulo Celso ARAPIRACA – AL 18 /10/2014