O modelo divino de comunicação lição 4

436 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O modelo divino de comunicação lição 4

  1. 1. O modelo divino de comunicação - Lição 4
  2. 2. Texto Áureo Jo 1.14
  3. 3. Deus é um Deus comunicador. Ele é relacional. Veja exemplo em (Gn 3.8, 9)
  4. 4. SINOPSE DO TÓPICO 1 Comunicar é a chave do sucesso. Era das comunicações e comunicar, é entender e ser entendido.
  5. 5. 1. Definindo a comunicação. É o processo de tornar comum. Comunicação é um campo de conhecimento acadêmico que estuda os processos de comunicação humana. Entre as subdisciplinas da comunicação, incluem-se a teoria da informação, comunicação intrapessoal, comunicação interpessoal, marketing, publicidade, propaganda, r elações públicas, análise do discurso, telecomunicações e Jornalismo
  6. 6. Os componentes da comunicação são: Emissor o receptor a mensagem o canal de propagação o meio de comunicação a resposta ambiente onde o processo comunicativo se realiza.
  7. 7. 1.1. Comunicar é a chave para o sucesso: Pv 15.22 Comunicar não é apenas a arte de falar e escrever clara e corretamente.
  8. 8. 1.2. O que não é comunicação? Comunicar não é simplesmente saber utilizar os inumeráveis recursos que a tecnologia da informação nos oferece. Comunicar é, principalmente, tornar comum, fazer saber.
  9. 9. 1.3. Comunicar é principalmente tornar comum. É a arte e a disposição que uma pessoa apresenta de se colocar em pé de igualdade com a outra, para que possa entendê-la e fazer-se entendida por ela (Jo 4.1-26). É buscar um ponto em comum com o outro...
  10. 10. Comunicar; no sentido mais aprofundado e cristão, é encarnar-se no universo do outro e deixar que ele se encarne no nosso universo, cedendo lugar a uma unidade perfeita. “Para que todos sejam um, como tu, o Pai, o és em mim. E eu, em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me envias-te.”' (Jo 17.21).
  11. 11. SINOPSE DO TÓPICO 2 O Verbo de Deus foi providência para verdadeira comunicação, Jesus nos possibilitou a comunicação e através da Sua Palavra aprendemos sobre essa comunicação. Mostrar que a encarnação do Verbo é único modelo confiável de comunicação;
  12. 12. Entendendo o Verbo Divino O pano de fundo judeu No pano de fundo judeu havia correntes que contribuíam de certo modo à ideia do Verbo. Para o judeu uma palavra era muito mais que um mero som; uma palavra era algo que tinha uma existência ativa e independente e que de fato fazia coisas.
  13. 13. O pano de fundo grego No pensamento grego, a ideia da palavra estava ali, esperando que a usasse. Tinha começado esta ideia da palavra, ao redor do ano 560 a.C., e, o que resulta estranho, é que começou em Éfeso, onde também se escreveu o quarto Evangelho.
  14. 14. 2. Deus comunicou-se com a humanidade pela encarnação. Quando o pecado entrou no mundo, ele alterou a capacidade do homem de se relacionar com Deus e com seus semelhantes. Para resolver isso, o homem tentou criar meios e recursos de comunicação com seus semelhantes e com Deus...mas em sua maioria falhos!!
  15. 15. Mas para restaurar a harmonia entre o homem e seu Criador, somente são úteis, eficazes e aceitáveis o meio criado, utilizado e oferecido pelo próprio Deus. Assim, Deus fez-se carne para comunicar-nos a Sua salvação e perfeição (Mt 1.16,20; Lc 1.31). No Verbo feito carne, o acontecimento comunicativo assume o seu máximo poder de salvação.
  16. 16. Neste caso, a comunicação entre Deus e a humanidade alcanço a sua perfeição no Verbo feito homem. O ato de amor através do qual Deus se revela, juntamente com a resposta de fé da humanidade, gera um diálogo fecundo.
  17. 17. 2.1. A Encarnação foi o recurso completo utilizado por Deus. A partir da queda, para que a humanidade pecadora não fosse destruída pela presença terrivelmente santa de Deus, Este passou a comunicar-se com ela à distância: Mandou juízos, livramentos, profetas, escritos...
  18. 18. Como à criatura caída era impossível responder positivamente aos apelos do Criador, Este decidiu encurtar a distância, remover os obstáculos, desfazer as diferenças, fazendo, de si mesmo, a ponte, o caminho, a escada, o conduto por onde a comunicação entre o divino e o humano pudesse fluir livremente de novo. E como Ele fez isto? “João responde: o Verbo se fez carne, e habitou entre nós” (Jo 1.14).
  19. 19. 2.2. Na Encarnação Deus comunicou vida, exemplo e ensino. Ao fazer-se carne igual a qualquer ser humano (Fl 2.5-8). Deus trouxe até e para nós Sua própria vida e natureza. O receber e participar de Sua perfeição. Ao sujeitar-se a todas as fraquezas e tentações humanas (Hb 4.15)
  20. 20. 2.3. A comunicação feita através da encarnação transformou a Palavra de Deus em fato histórico. Deus se utilizou de várias formas, meios e modulações da comunicação. O escritor da carta aos Hebreus resume, de forma reveladora e graciosa, a história e o ápice das providências comunicativas de Deus em direção à humanidade (Hb 1.1)
  21. 21. SINOPSE DO TÓPICO 3 Jesus supriu todas necessidades para essa comunicação, Jesus nos fez entender a linguagem do Reino, e Ele nos fez entrar no Reino.
  22. 22. 3. Para efetuar a salvação do mundo Deus se fez homem. Deus necessitava encarnar-se para redimir a humanidade? ELe não poderia resgatá-la de outro modo? Se poderia salvá-la de outro modo, por que não o fez? Entre as respostas teológicas para a encarnação do Verbo, destacaremos apenas as que se relacionam com as providências divinas essenciais à comunicação:
  23. 23. 3.1. A necessidade da encarnação para salvar a humanidade. Deus é perfeito. Ele não tem necessidade alguma. Ele é o Todo Poderoso (Gn 17.1). Certamente poderia lançar mão de uma infinidade de meios para salvar a Sua criação. Mas, Ele se fez homem por amor ao homem (Jo 3.16)
  24. 24. Visto que a ofensa cometida contra o Deus santo e infinito tem consequências eternas, uma reparação satisfatória só poderia ser oferecida por um homem igualmente santo e infinito. Porém, na Terra não havia quem preenchesse esses requisitos. Então, foi necessário que Deus encarnasse.
  25. 25. 3.2. A encarnação era necessária para a transculturação do Verbo entre nós. Podemos definir como transculturação a manifestação social em que uma cultura se insere em outra, podendo ambas existirem, serem mútua ou uni lateralmente influenciadas, fazendo surgir um novo modelo cultural. Através da encarnação, Deus se inseriu na cultura humana, mais precisamente, na judaica.
  26. 26. 3.3. A encarnação foi necessária para que Deus nos demonstrasse sua solidariedade. O homem se distanciou tanto do Criador, que só conseguiria corresponder ao amor de Deus se tal amor fosse provado pela solidariedade, comprovada pelo nascer entre os homens, vivenciar os sentimentos deles, sofrer suas dores, ser tentado do modo como são tentados, morrer como eles morrem...
  27. 27. O Emanuel Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7:14
  28. 28. Conclusão Hoje aprendemos que comunicar, no sentido mais aprofundado do cristianismo, é entender a doutrina da encarnação, aceitando-a, vivendo-a e testemunhando acerca dela. Assim podemos dizer que o modelo divino para a comunicação com a humanidade é a encarnação.
  29. 29. Aplicação da lição Deus se comunica com a humanidade desde os tempos remotos; assim, devemos seguir esse exemplo divino de comunicação dentro de nossa família.

×