Ms 01

3.992 visualizações

Publicada em

Historia do Mato Grosso do Sul I

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.992
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.555
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • professormala@bol .com.br
  • professormala@bol .com.br
  • professormala@bol .com.br
  • professormala@bol .com.br
  • Ms 01

    1. 1. PROFESSOR AMÉRICO
    2. 2. História regional Prof. AMERICO http://historiaaoseualcance.blogspot.com/ [email_address]
    3. 3. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    4. 4. Formação: pré-história - A ocupação humana do MS (sul do antigo MT) inicia por volta de aproximadamente de 07 a 12 mil anos atrás. - os primeiros a se estabelecerem nas terras do futuro MT são os índios - Lembre-se de que a partir do século XVI temos a ocupação do território pelos lusos-castelhanos. <ul><li>Os povos indígenas existentes em nosso estado são classificados em cinco grupos básicos: </li></ul><ul><li>Terena </li></ul><ul><li>Kadiwéu ou guaicuru </li></ul><ul><li>Guarani: possuindo duas ramificações: kaiová ou cauiá e Ñandeva </li></ul><ul><li>Ofaié (Ofaié – Xavante) </li></ul><ul><li>Guató </li></ul>
    5. 5. OFAIE - A Terra Indígena Ofaié-Xavante, com perímetro de 1.937,62 ha, no município de Brasilândia (MS), - Declarada de posse permanente aos índios em 1992. - Área estava ocupada por fazendas e foi contestada por seus proprietários. - Os Ofaié tiveram então que ficar provisoriamente em outro terreno, que anos depois seria inundado para a formação da represa da Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta (ex-Porto-Primavera). - Somente em 1996 as contestações à Terra Indígena foram julgadas improcedentes em despacho do Ministro da Justiça, mas até hoje a TI não foi homologada por decreto presidencial.
    6. 7. GUAICURU - A primeira notícia que se tem dos Guaikurú data do século XVI, proveniente de uma expedição européia que adentrou a região chaquenha à procura de metais preciosos no interior do continente. - Muitos grupos Mbayá estiveram sob a influência de reduções missionárias a partir do século XVIII. - O contato com as frentes colonizadoras se intensificou com o estabelecimento de fortes militares estabelecidos pelo curso do rio Paraguai, seja de portugueses ou espanhóis, que se debatiam pela definição de fronteiras. - As cidades fundadas na região fizeram parte do cenário de sua história, muitas vezes de conflito. Ou de acordo, como o celebrado em 1779 entre os Mbayá e os espanhóis, e o firmado em 1791, com os portugueses.
    7. 9. TERENA - Últimos remanescentes da nação Guaná no Brasil, os Terena falam uma língua Aruak e possuem características culturais essencialmente chaquenhas (de povos provenientes da região do Chaco). - O domínio dos grupos de língua Aruak entre os diversos povos indígenas do Chaco, todos caçadores e coletores, deveu-se ao fato daqueles grupos serem, de longa data, predominantemente agricultores – e sobre esta base econômica se organizarem socialmente em grupos locais (aldeias) mais populosos, expansionistas e guerreiros. - Os estudiosos dos povos chaquenhos afirmam que os Chané ou Guaná dispunham de uma base social muito mais sofisticada do que seus vizinhos Mbayá. Estavam estratificados em camadas hierárquicas: os &quot;nobres&quot; ou &quot;capitães&quot; (os Naati ou &quot;os que mandam&quot;) e a &quot;plebe&quot; ou &quot;soldados&quot; ( Wahêrê-xané , ou &quot;os que obedecem&quot;).
    8. 11. GUARANI - N a chegada do europeu as populações que ficaram conhecidas como guarani ocupavam extensa região litorânea que ia de Cananéia (SP) até o Rio Grande do Sul, infiltrando-se pelo interior nas bacias dos rios Paraná, Uruguai e Paraguai. -Da confluência dos rios Paraná e Paraguai espalhavam-se pela margem oriental deste último e nas duas margens do Paraná. O Rio Tietê, ao norte, e o Paraguai a oeste, fechavam seus territórios. - O s estudos arqueológicos indicam ainda que nos anos 1000/1200 d.C., expandindo-se ao sul, a partir de regiões hoje localizadas no oeste brasileiro (cabeceiras dos rios Araguaia, Xingu, Arinos, Paraguai), grupos de cultura guarani ocuparam territórios compreendidos pelo atual sul do Brasil, norte da Argentina e a Região Oriental do Paraguai
    9. 13. GUATÓ E OS PAIAGUÁ - No século XIX, os índios guató somavam &quot;500 almas&quot;, segundo recensamento realizado pelo Império. Nos anos 60 do século passado, foram dados como extintos. Hoje, são novamente cerca de cinco centenas de pessoas, espalhadas pelo pantanal mato-grossense, a maioria delas aculturada. - Os Paiaguás, era um povo canoeiro quando da chegada dos espanhóis, habitando a região do rio Paraguai. - Eram esses índios senhores absolutos das margens dos rios dos Xaraés, principalmente o Paraguai, onde percorriam toda a sua extensão com centenas de canoas, fator que amedrontava todas as monções que por ali passassem. - Com a dissolução da União Ibérica e a partir da militarização dos portugueses a oeste de Tordesilhas, paulatinamente, foram perdendo o domínio da região e, consequentemente, ampliando a livre navegação para os portugueses.
    10. 15. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    11. 16. A Conquista do Mato Grosso <ul><li>Processo de ocupação da América </li></ul><ul><li>- 1415 - Início da expansão ultramarina lusitana </li></ul><ul><ul><li>- Portugal lança-se na navegação Atlântica em busca de uma nova rota comercial com as Índias; </li></ul></ul><ul><ul><li>- 1430 – 1450: Portugal ultrapassa as regiões de Açores, Cabo Bojador, Senegal </li></ul></ul><ul><ul><li>- 1488: Bartolomeu Dias atinge a região sul-africana denominando-a de Cabo das Tormentas (Cabo da Boa Esperança) </li></ul></ul>
    12. 17. <ul><li>- 1492 –“ Descoberta da América” pelos espanhóis </li></ul><ul><ul><li>- Conforme o estabelecido em 1480(Tratado de Toledo) em caso de descoberta de terras portugueses e espanhóis deveriam dividir o território; </li></ul></ul><ul><ul><li>- 1493: criada a Bula Inter-Coetera, que estabelecia que num limite de 100 Léguas até a altura das Ilhas de Cabo Verde todo o domínio pertenceria aos lusitanos e acima de tal marco domínio espanhol; </li></ul></ul><ul><ul><li>- Portugal reclama que nada lhe sobrara do “Novo Mundo” e o tratado é refeito; </li></ul></ul><ul><ul><li>1494 – Tordesilhas: ocorre a ampliação da área de domínio portuguesa de 100 léguas para 370 léguas a oeste. </li></ul></ul>
    13. 18. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    14. 19. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    15. 20. EXPANSÃO A OESTE DE TORDESILHAS A oeste de Tordesilhas, os espanhóis buscavam o reconhecimento do território em busca de prováveis riquezas. 1516 - Expedição de Juan Dias de Sólis - na sua expedição, o objetivo era encontrar um caminho capaz de unir o Atlântico ao Pacífico - durante a sua expedição, chega até a região do estuário do rio da Prata onde alcança o litoral do atual Uruguai; - sua viagem foi trágica, acabou sendo morto pelos índios. - após perder o comandante, apenas onze sobreviveram, entre eles Aleixo Garcia. 1524(?) - Expedição de Aleixo Garcia - Após o acidente com De Sólis e o naufrágio do navio no qual era tripulante, Garcia conviveu cerca de oito anos entre os gentios guaranis; - Tal convivência teve aspectos importantes: a- Aprendeu a língua e os costumes da Nação Guarani b- Criou um laço de amizade com os gentios
    16. 21. - Por volta de 1524, Aleixo Garcia partia da região da atual ilha de Santa Catarina com , aproximadamente, 2000 índios guarani em direção ao Peru; - Seu objetivo era encontrar um caminho pelo litoral Atlântico adentrando no estuário do rio da Prata até chegar nas Minas do Peru; - Nesse trajeto ele: - Atravessa a Serra de Maracaju; - desce o rio Miranda; - navegando pelo rio Paraguai, alcança a atual região de Assunção - Segundo a Historiografia, Aleixo Garcia foi o primeiro europeu a pisar o solo sul-matogrossense.
    17. 22. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    18. 23. 1534 - Francisco Pizarro domina o Peru. - Para administrar a vasta região dos espanhóis a oeste de Tordesilhas, foi cria a “Província del Plata” - Seus administradores eram chamados de Adelantados - As funções dos Adelantados eram: a- Impedir a presença lusitana nas Minas do Peru; b- Assegurar a posse a oeste de Tordesilhas; c- Garantir a livre navegação em toda a região platina; - Para garantir a posse no território do Mato Grosso, fundam na porção sul as Missões Jesuíticas do Itatim - Os jesuítas são os primeiros habitantes(europeus) da região do Mato Grosso
    19. 24. - ADELANTADOS: A – Pedro Mendonça : Fundação de Buenos Aires e Forte da Candelária (Corumbá) B – Domingos Martinez Irala: povoação da região platina; estabeleceu como capital em Assunção; e fundou diversas missões que foram entregues aos franciscanos; C – Alvar Nuñez Cabeza de Vaca: introduziu o uso dos cavalos; descobre as Cataratas do Iguaçu; devido à problemas com os colonos, acabou sendo destituído. D – Juan Ortiz de Zárate: - introdução do gado E – Juan Torres de Vera y Aragon : consolidação do povoamento da bacia platina;
    20. 25. <ul><li>F – Hernando Arias de Saavedra(1598): </li></ul><ul><li>- integrou o sul do Mato Grosso ao território de Assunção </li></ul><ul><li>- Governou cerca de vinte anos em nome da Espanha </li></ul><ul><li>- Vendo que não conseguiria vencer os gentios por meio das armas, sugere a vinde de jesuítas para o sul do Mato Grosso para catequizar os índios. </li></ul><ul><li>   A ação dos Jesuitas </li></ul><ul><li>- Chegaram por volta de 1610 no Paraguai. </li></ul><ul><li>- Objetivo: Catequizar e civilizar os índios. </li></ul><ul><li>- Projeto Geopolítico: </li></ul><ul><li>- Ergueram as Missões Jesuitas </li></ul><ul><li>- Guaira - PR </li></ul><ul><li>- Tape - RS Missões Espanholas </li></ul><ul><li>- Itatim - MS </li></ul>
    21. 26. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    22. 27. Bandeirantismo e o Mato Grosso Tipos de bandeiras A – PROSPECTORA: - Seu principal objetivo era descobrir riquezas minerais, como ouro, prata, pedras preciosas, etc... B – APRESADORA: - Devido a escassez de mão-de-obra e a dificuldade com a importação de escravos negros, iniciou-se, ainda no século XVI o ciclo de caça ao índio. C – DROGUISTA: - Expedições que visavam descobrir diversos tipos de especiarias que poderiam ser vendidas na Europa.
    23. 28. D – REDUÇÕES (MISSÕES) - Tinham por objetivo a catequização dos índios; - As reduções ainda apresentavam uma outra importante característica, os índios conduzidos às reduções não apresentariam perigo aos bandeirantes em suas rotas expedicionárias. - As missões do Itatim, Tape e Guairá contribuíram em muito para a expansão bandeirante, porém muitas delas foram saqueadas pelos caçadores de índios por dois motivos básicos: a- os índios já estavam civilizados; b- já estavam habituados ao trabalho
    24. 29. MONÇÕES: - Eram expedições fluviais que tinham objetivos diversos, como: reconhecimento fluvial, busca de índios, metais preciosos - As rotas das monções foram as principais fontes de abastecimento da região Platina até o início do século XX - Dinamizou o comércio na região Platina; - Ligou o Atlântico Norte ao Atlântico Sul - Encontrar uma caminho alternativo que pudessem estabelecer contato com as minas do Peru.
    25. 30. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    26. 31. - Diversas eram as dificuldades pelo caminho, a viagem durava em média seis meses (isso se as pestes, chuvas e os índios não atrapalhassem) - Os rios eram as primeiras dificuldades, muitos não eram navegáveis e os bandeirantes tinham que transportar as embarcações no ombro; - Corredeiras, saltos e cachoeiras eram grandes desafios para esses desbravadores; - A fome em muitas vezes foi a maior dificuldade encontrada pelos bandeirantes; - Estavam o tempo todo expostos aos ataques dos índios que habitavam a região por onde passavam - no sul do Mato Grosso, importante lembrar que os principais índios que ameaçavam as expedições eram: - Os Guaicuru: denominados de Cavaleiros do Pantanal; - Os Paiaguá: denominados de Canoeiros do Pantanal.
    27. 32. professormala@bol.com.br PRof. TEKO - Além destes índios temos: os Ofayé, os Parecis, Guatós e outros... - As principais rotas no sul do Mato Grosso para as monções eram: - Tietê - Pardo; - Anhandui – Aquidauana (Embotetey) - Mboteteú – Mondego - Miranda - Iguatemi; - Ivinhema; - Serra de Maracajú; - Vacarias; - Paraguai. - Porrudos
    28. 33. - Tais rotas, tanto terrestres como fluviais, tinham em sua maior parte, como ponto de partida o rio Tietê e o estuário do rio da Prata também era muito utilizado no caminho para as Minas do Peru. - por volta de 1648, Antônio Raposo Tavares Realiza o seu périplo através do vale Amazônico, retornando a São Vicente por via marítima - Foram mais de 10 .000 quilômetros percorridos, realizados durante três anos - Partira com aproximadamente 1200 integrantes e retornando com apenas 58. - Parte dos integrantes morreram na luta contra os Paiaguá e os Guaicuru, além de muitos deserdarem, outros morreram de peste, fome e nas enchentes. - Tavares era considerado inimigo número um da Espanha, devido a audácia de explorar as terras a oeste de Tordesilhas.
    29. 34. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    30. 35. - No ano de 1718, Antonio Pires de Campos, vindo das Gerais, atravessa a região do rio São Lourenço e deste para o rio “ tributário ”, chegando até a barra do Coxipó-Mirim, onde travou luta com os índios Coxiponés - Através de instruções dadas por Pires de Campos, sobre a existência dos Coxiponés , Pascoal Moreira Cabral Leme, organizou no ano de 1719 uma expedição composta por: - cerca de 60 homens brancos; - índios e servos. Portugueses em Cuiabá
    31. 36. -O objetivo de Cabral Leme era aprisionar tais índios para vendê-los na capitania de São Paulo como mão-de-obra escrava,porém acabaram encontrando ouro às margens de um ribeirão. - “ Sobem o rio tributário do grande Paraguai e se põem em espreita, cada sertanista com arranchamento separado um do outro, mas todos procurando contornar o viveiro dos coxiponés. Dali não sairiam sem os índios! Eis, no entanto, que nas suas andanças de espreita, Pascoal Moreiral Cabral, pisa o ouro. Ouro! E após colher as amostras encaminha-as à São Paulo” - No mesmo ano Cabral Leme funda (no dia 08 de abril de 1719), o Arraial da Forquilha , futura Cuiabá, e a partir deste fato é considerado como o conquistador do Mato Grosso
    32. 37. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    33. 38. professormala@bol.com.br PRof. TEKO
    34. 39. - Iniciava no futuro Mato Grosso o grande sonho dourado e apesar de longíquas zonas de exploração auríferas do Mato Grosso que estava isolada por um tenebroso caminho de extensas áreas de floresta de densas matas, diversos rios perigosos, sem contar a presença dos temíveis paiaguás e dos guaicurús, aumentava a crença dos portugueses na possível descoberta da Sierra de los Martírios
    35. 40. NA ROTA DO OURO, A FAZENDA CAMAPUÃ -No Ano de 1719 os irmãos Leme organizam a criação da fazenda Camapuã( cama: seios; puã: bonitos ), que vindos de Itu, embrnharam-se no Tietê. - Estavam muito bem nutridos de armas, dinheiro e escravos, porém com poucos mantimentos. - Na rota alcançam o Grande e, navegam pelo seus afluente (Pardo) até a sua nascente, próximo da serra descrita por Cabral Leme. Não se sabe se por erro ou busca de um novo caminho não tomam o Anhanduí. Desta forma, escasso o alimento, logo trataram, os Irmãos Leme (Antão, João, Lourenço e Domingos) de iniciar um plantação no divisor das águas, pois não sabiam quando chegariam ao Porrudos e deste à zona aurífera.
    36. 41. “ Como afirma Acyr Vaz: “ fundava-se a primeira fazenda de Mato Grosso do Sul, a fazenda Camapuã. Fixava-se, também, os primeiros homens brancos em terras do Estado, João e Lourenço, régulos, Antão e Domingos, homens de bem. Corria o ano de 1719 (...) Os irmãos leme fizeram roças, e procurados pelos monçoeiros, faltos de mantimentos para continuarem viagem para as minas, aumentaram-nas, vendendo a elevados preços”
    37. 42. - Em 1726, a fazenda já cultivava milho, feijão, cana-de-acúcar, banana; criva diversos pequenos animais, porém não havia a criação de bovinos. - Em 1727, a fazenda já pertencia a Luís Rodrigues Vilares. -Em 1751, a fazenda já possuía um rebanho de 600 cabeças de rezes (gado). - Em 1785, a fazenda Camapuã pertencia a herdeiros e sua população não ultrapassava o número de 300 pessoas. IMPORTANTE: A Fazenda Camapuã, foi essencialmente fornecedora de mantimentos para os bandeirantes que buscavam o rio do ouro (Cuiabá), uma vez que o Varadouro de Camapuã era um lugar estratégico para continuar o caminho à zona aurífera.
    38. 43. - Com a descoberta do ouro no Arraial da Forquilha em 1719 e a conseqüente notícia de Cabral Leme, no ano de 1721 ocorreu um acelerado povoamento da zona mineradora. - Mas, é somente a partir do ano de 1722 que temos as descobertas da minasde ouro. - Partindo de Sorocaba e instalando-se na região mineradora do Mato Grosso, Miguel Sutil, que possuía uma área de plantio próxima do arraial “ mandou dois índios carijós à sua roça buscar mel, ficando surpreso, quando os índios trouxeram em lugar de mel, pepitas de ouro. A notícia desse descobrimento se espalhou rapidamente por entre os moradores da Forquilha, que alvoroçados mudaram em 1723, para o local onde hoje se encontra a cidade de Cuiabá”
    39. 44. -Com a descoberta das ‘Minas do Sutil’ e a conseqüente mudança da população para a região, fundou-se um novo povoado, de onde em cerca de um mês foram extraídas cerca de quatrocentas arrobas de ouro. - Além da enorme distância até o local das minas do Cuiabá, os exploradores tinham outra grande preocupação na rota das minas, os ataques dos paiaguás. - Já no ano de 1725, as monções passam a ser atacadas pelos bravios Guaikurús e, Diogo de Souza foi, neste mesmo ano atacado pelos paiaguás na barra do Xaraés, com ele sobreviveram apenas um homem branco e um negro.
    40. 45. “ Somente por volta de duas décadas posteriores às descobertas as Minas do Mato Grosso, pela primeira vez o histórico dessas minas foi relatado num documento oficial, onde foi alocado o termo Mato Grosso, e identificado o local onde as mesmas se achavam.”
    41. 46. - Visita do Capitão-General da Capitania de São Paulo: Rodrigo César de Menezes - Após os relatos de Cabral Leme, a Capitania de São Paulo passa a ser a responsável pela administração aurífera do Cuiabá e, com isso Dom Rodrigo de Menezes chega à região no dia 15 de novembro de 1726. - Ao instalar-se definitivamente na região, inicia em 1727 seus primeiros atos em nome da coroa lusitana à oeste dos limites do meridiano de Tordesilhas - Já no dia 01 de janeiro de 1727, o primeiro ato do capitão foi a elevação do Arraial da Forquilha à condição de vila com o nome de: - Vila Real do senhor Bom Jesus do Cuiabá

    ×