História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros

12.602 visualizações

Publicada em

História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros - www.historiasdomedeiros.blogspot.com

Publicada em: Educação

História de Mato Grosso em Exercícios... Prof. Medeiros

  1. 1. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com
  2. 2. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 01. (UFMS) No que se refere ao movimento dos bandeirantes na América Portuguesa, julgue as afirmativas: ( ) A busca por metais preciosos foi o único objetivo das bandeiras de São Paulo. ( ) O movimento dos bandeirantes foi de grande importância para a expansão do território português na América do Sul. ( ) A caça aos índios, uma mercadoria bastante valorizada na Colônia, foi uma das principais atividades dos bandeirantes nos séculos XVII e XVIII. ( ) O apoio que a Companhia de Jesus deu ao movimento dos bandeirantes favoreceu a expansão dos domínios de Portugal na região platina. ( ) Um dos objetivos das Bandeiras era a captura de índios para serem catequizados nas missões jesuíticas do Itatim, Guairá e Tape. 02. (UFMT) As bandeiras tiveram uma grande importância para a história de Mato Grosso, relacionando-se à chegada dos portugueses nessa região. Sobre as bandeiras e sua relação com a história de Mato Grosso, é correto afirmar que a) a fundação de Cuiabá não esteve vinculada às atividades dos bandeirantes. b) as bandeiras que vieram para Mato Grosso foram organizadas no Nordeste brasileiro. c) o trabalho principal dos bandeirantes era descobrir jazidas auríferas no interior do Brasil. d) as bandeiras tinham também a função oficial de expandir as fronteiras da América Portuguesa na região oeste do Estado. e) os bandeirantes vieram a Mato Grosso com o objetivo de escravizar índios. 03. (UNEMAT) Com a descoberta do ouro em terras mato-grossenses, no período colonial, foi necessário não apenas o emprego de mão- de-obra escrava para a sua extração como também a montagem do respectivo aparato fiscalizador, responsável pelo controle desta importante atividade econômica. Com relação ao tema, assinale a alternativa incorreta. a) Durante o período colonial, foram utilizados na extração aurífera tanto indígenas como negros africanos. b) O emprego de indígenas foi descartado em função de sua menor resistência às difíceis condições de trabalho. c) O sistema fiscalizador da Coroa portuguesa, aplicado às regiões auríferas em Mato Grosso, era similar ao empregado anteriormente em Minas Gerais. d) A tributação sobre a extração do ouro fez com que vários mineiros migrassem para outras regiões como Goiás e São Paulo. e) Além da mão-de-obra escrava, a sociedade das minas era composta de negociantes, padres, burocratas, militares, entre outros. 04. (UnB/CESP) Pascoal Moreira Cabral identifica-se com a história de Mato Grosso, entre outras razões, porque a) insurgiu-se contra o poder metropolitano e proclamou a independência da capitania de Mato Grosso em meados do século XVIII. b) defendeu a liberdade dos indígenas que viviam na região de Mato Grosso, recusando- se a escravizá-los e a permitir que outros o fizessem. c) delimitou definitivamente a fronteira oeste de Mato Grosso, ao vencer os espanhóis em três sucessivas batalhas. d) descobriu ouro nas margens do rio Coxipó, em 1719, marco inicial do povoamento da região de Cuiabá. 05. (UnB/CESP) Assinale a opção em que se identifica o principal fato decorrente da descoberta do ouro em Mato Grosso, na primeira metade do século XVIII. a) Pacificação dos povos indígenas que habitavam a área. b) Chegada das expedições bandeirantes na região. c) Consolidação dos limites do Tratado de Tordesilhas. d) Efetivo início do povoamento de Mato Grosso Texto para as Questões 06 e 07 O estado de Mato Grosso corresponde, historicamente, à segunda unidade brasileira cujas origens vinculam-se à exploração do ouro, nas primeiras décadas do século XVIII. O início da ocupação de seu território está relacionado à bandeira de Pascoal Moreira Cabral cujo objetivo — o apresamento indígena — não se concretizou, graças à reação vigorosa dos índios Coxiponés. Fracassada em seu intento, a expedição foi compensada com a descoberta de ouro na região, de que resultou o embrião do povoamento da futura Capitania de Mato Grosso — Forquilha. O adensamento populacional de Forquilha, em meio ao seu crescimento desordenado e de difícil controle, levou Pascoal Moreira a criar, em 1719, o Arraial de Cuiabá. Aos olhos da metrópole portuguesa, a nova capitania funcionaria como uma “zona antimural”, uma “barreira de
  3. 3. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com defesa”, fronteira estratégica entre as duas frentes ibéricas de colonização no oeste da América do Sul. 06. (UnB/CESP) Com o auxílio do texto e tendo em vista o processo de ocupação do território brasileiro no período colonial, assinale a afirmação incorreta. a) De uma forma geral, entradas e bandeiras — de que Pascoal Moreira Cabral seria um dos personagens — corresponderam ao movimento que, normalmente partindo de São Paulo, desbravou áreas situadas no interior da colônia, impulsionado pelo objetivo de aprisionar índios a serem escravizados e de descobrir riquezas minerais. b) Uma das razões para que o bandeirismo tivesse em São Paulo seu ponto de partida era a crítica situação econômica daquela capitania nos primeiros séculos da colonização brasileira. Desbravar outras regiões em busca de riquezas passava a ser uma saída para esse quadro de acentuada pobreza. c) Entre outras consequências, entradas e bandeiras foram importantes instrumentos de ampliação dos domínios territoriais portugueses na América, jogando por terra, na prática, os limites impostos pelo Tratado de Tordesilhas, pelos quais pertenceria à Espanha a maior parte do Brasil, inclusive Mato Grosso. d) A criação da Capitania de Mato Grosso, em meados do século XVIII, ocorreu em uma tensa conjuntura das relações entre Portugal e Espanha. Esgotadas as possibilidades diplomáticas, uma guerra entre os dois reinos ibéricos selou o destino de Mato Grosso como território oficialmente pertencente à colônia brasileira. e) Sabe-se que o processo de ocupação e de colonização de Mato Grosso, tal como esboçado no texto, apresenta muitas semelhanças com a experiência vivida, no mesmo contexto histórico, por Minas Gerais e Goiás. 07. (UnB/CESP) Ainda tendo por referência o texto e o tema que ele aborda, isto é, o processo de ocupação e de colonização de Mato Grosso, assinale a alternativa incorreta. a) Associando o aprisionamento do gentio à descoberta do ouro aluvial, em um processo conduzido pela iniciativa privada, a primeira fase da ocupação de Mato Grosso deu origem a núcleos de povoamento, entre os quais podem ser citados a Vila Real do Bom Jesus do Cuiabá e os arraiais da Chapada: Santana, São Francisco Xavier, Pilar e São Vicente. b) A segunda etapa de colonização da região, ainda que preservada a iniciativa particular, contou com a presença relevante e enquadradora do Estado metropolitano, que deslocou para a região um corpo de administradores públicos voltados, entre outras tarefas, para a consolidação das novas linhas fronteiriças. c) A criação de fortes e povoados inscreve-se na estratégia portuguesa de expandir seus domínios e assegurar a posse da porção ocidental da Capitania de Mato Grosso, muito embora se desconheça a existência de tentativas espanholas para recuperar esse território. d) Em fins do século XVIII, estava consolidada a linha divisória dos domínios português e espanhol com a fixação dos limites da porção ocidental da colônia brasileira. Destacou-se, nesse processo, Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, especialmente pelo incremento dos meios de comunicação, com a abertura de estradas e o apoio à navegação. e) A expressão ‘zona antimural’, usada pela administração metropolitana para definir a posição geográfica estratégica de Mato Grosso, reflete muito mais uma preocupação da Coroa portuguesa em face dos índios bravios da região, que se recusavam a aceitar a perda de seu espaço físico e cultural, do que temor ante um inimigo externo. 08. (UFMS) Na primeira metade do século XVIII, em plena época do ciclo de ouro (1690- 1750), a descoberta e a exploração desse metal precioso, na região de Cuiabá, estimulou ainda mais o devassamento do sertão e a ocupação de várias regiões do interior do Brasil colonial, mormente feito por bandeirantes paulistas. Sobre as consequências do ciclo do ouro no Brasil colonial, inclusive no antigo Mato Grosso, é incorreto afirmar que a) a investigação cuidadosa de velhas rotas para o interior, chamadas de "rotas paulista", intensificou as expedições ou "entradas". b) a metrópole adotou medidas para proteger setores da sociedade e da economia colonial que poderiam ser afetados negativamente pela mineração do ouro, a exemplo da agricultura. c) houve uma maior exploração da mão-de- obra indígena no antigo Mato Grosso, bem como o extermínio de alguns povos ameríndios. d) Portugal conquistou e colonizou definitivamente os territórios que atualmente compreendem os atuais Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia. e) na região do Pantanal, povos indígenas, como os antigos Paiaguá e Guaicuru, não
  4. 4. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com impuseram qualquer resistência bélica aos conquistadores vindos de São Paulo. 09. (NCE/UFRJ) A primeira povoação de Mato Grosso que foi o embrião da capitania foi: a) Mutuca; b) Coxipó; c) Forquilha; d) Cuiabá; e) Araguaia. 10. (UFGD) “A história das monções do Cuiabá é, de certa forma, um prolongamento da história das bandeiras paulistas, em sua expansão para o Brasil Central.” HOLANDA, Sérgio Buarque de. Monções. São Paulo: Brasiliense, 1990, 3. ed., p. 43. As monções, a que o autor se refere no texto acima, foram a) expedições que, assim como as antigas bandeiras, seguiam a pé, por caminhos terrestres de São Paulo até Cuiabá, passando eventualmente por Goiás. b) expedições que partiam de São Paulo e se dirigiam a Cuiabá, mas, diferentemente das antigas bandeiras, seguiam um caminho fluvial, entrando pelo estuário do Prata e subindo os rios Paraná e Paraguai. c) expedições que partiam de São Paulo e se dirigiam a Cuiabá, mas, diferentemente das antigas bandeiras, seguiam um caminho quase exclusivamente fluvial, cruzando o território correspondente aos atuais estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. d) expedições que percorriam o itinerário entre São Paulo e Mato Grosso, mas, diferentemente das bandeiras, que seguiam um percurso exclusivamente fluvial, utilizavam caminhos preponderantemente terrestres. e) expedições que, assim como as antigas bandeiras, se dirigiam à região de Cuiabá visando principalmente ao aprisionamento de escravos indígenas. 11. (UnB/CESP) A sempre conflituosa relação entre índios e não-índios, ao longo do processo de ocupação de Mato Grosso, adquiriu conotação diferenciada após a descoberta de ouro na região. Com relação a esse fato, assinale a opção correta. a) Moveu-se guerra contra os índios com o intuito de ser-lhes tomada a terra para que nela se efetivasse o povoamento branco. b) Os índios passaram a ser objeto de captura para que servissem de mão-de-obra escravizada. c) Os indígenas foram deslocados para o litoral da colônia, onde desempenharam papel central na agroindústria açucareira. d) Os indígenas de Mato Grosso associaram-se aos espanhóis na guerra para impedir o adensamento da presença portuguesa na porção oeste da colônia. 12. (UNEMAT) Ao sistema de abastecimento e de transporte de pessoas, implementado através dos rios, que se dirigiam a Mato Grosso no período colonial, deu-se o nome de Monções. Em relação a esse sistema, é incorreto afirmar que a) os varadouros eram partes do trajeto, em que as canoas e as bagagens eram carregadas no ombro dos índios ou dos africanos, atravessando trechos de terra, localizados entre as cabeceiras dos rios navegados. b) os índios aliados auxiliaram os paulistas como guias nas viagens, uma vez que dominavam as melhores rotas a percorrer, identificavam as cachoeiras, suas transposições e os varadouros. c) esse sistema era feito duas vezes ao ano e a viagem durava de quatro a seis meses, dependendo do volume das águas. d) as monções que se dirigiam de São Paulo para Mato Grosso percorriam um único roteiro, saindo de Porto Feliz, seguindo pelos rios Tietê, Grande, Pardo, Coxim, Taquari, Paraguai, São Lourenço e Cuiabá. e) os produtos agrícolas, de primeira necessidade, como o feijão, a mandioca, a farinha de mandioca, a cachaça e o açúcar eram produzidos em localidades próximas a Cuiabá. Tudo o mais de que os mineradores necessitavam, chegavam das capitanias de São Paulo ou do Grão-Pará. 13. (UFMS) “Eram sem conta os exageros que logo correram mundo a respeito das novas minas e a fama de Cuiabá (...) De granetes de ouro, contava-se, serviam-se os caçadores em suas espingardas, à guisa de chumbo, e de ouro eram as pedras em que nos fogões se punham as panelas. A tanto chegava a abundância do metal precioso que, arrancando-lhe touceiras de capim nos matos, vinham as raízes vestidas de ouro. Mas não era essa riqueza que a princípio impelira os sertanistas para o remoto sertão. (...) O primeiro paulista (...) a alcançar as beiradas do Rio Cuiabá foi, ao que se sabe, Antônio Pires de Campos e este ia, não em busca do metal precioso (...) O segundo foi Pascoal Moreira Cabral (...).” HOLANDA, Sérgio Buarque de. As Monções. In: História Geral da Civilização Brasileira. A presença dos sertanistas nas origens do Mato Grosso está diretamente relacionada com a a) produção de açúcar para o mercado interno.
  5. 5. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com b) exploração da erva-mate para o consumo interno. c) procura e captura de índios para serem escravizados. d) demarcação das fronteiras com a América Espanholas. 14. (UFMS) A figura e o texto se referem à história do antigo Mato Grosso em tempos coloniais. "Quando os bandeirantes paulistas atingiram o rio Coxipó, implementando guerra aos índios Coxiponés, chegaram à pé ou através de pequenas embarcações, utilizando-se da imensa rede hidroviária que drena o centro do continente. No momento em que a mineração floresceu, às margens do rio Cuiabá, nasceu ali um arraial onde foram construídas casas, igrejas, estabelecido pequeno comércio, tornando-se necessário regularizar o abastecimento, pois seus habitantes estavam ocupados somente com a mineração. (...) A esse sistema abastecedor e de transporte de pessoas, implementado exclusivamente através dos rios, deu-se o nome de monções." SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002. A partir da análise da figura e do texto apresentados e com base em seus conhecimentos sobre a História do antigo Mato Grosso, é correto afirmar que ( ) A descoberta de ouro na região de Cuiabá, em 1719, estimulou Portugal a adotar uma série de medidas com vistas a expandir e consolidar seus domínios sobre a bacia do Alto Paraguai e outras regiões para além dos limites estabelecidos pelo Tratado de Tordesilhas, de 1494. ( ) Durante todo o período colonial, os bandeirantes paulistas tinham, como principal atividade, a busca e a exploração de metais preciosos pelos sertões, incluindo aqui os territórios atualmente compreendidos pelos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. ( ) Os paulistas eram conhecedores das sociedades indígenas estabelecidas no interior da colônia, e tinham muita habilidade em viajar pelos sertões, haja vista, dentre outras coisas, a ajuda que tiveram de muitos indígenas na fabricação de embarcações (batelões e canoas), como guias nas viagens, na alimentação e na medicina. ( ) Durante a primeira metade do século XVIII, monções oriundas de Buenos Aires e de Assunção abasteceram a população de Cuiabá com produtos como charque, sal, pólvora e tecidos de algodão. ( ) Na década de 1720, por conta da exploração de ouro em Cuiabá, o então governador de São Paulo, Rodrigo César de Menezes, transferiu-se por algum tempo para aquela longínqua zona mineira. Lá ele promoveu um austero controle administrativo- fiscal, inclusive mediante aumento e maior fiscalização na sua cobrança, garantindo assim a reprodução do modelo colonial. 15. (UNIR) O Vale do Guaporé foi durante o período colonial uma área de proximidade e disputa territorial com o reino espanhol. O Estado Português, para fazer frente a essa disputa, desmembrou a Capitania de Mato Grosso da de São Paulo e criou um núcleo urbano, Vila Bela da Santíssima Trindade. Essas medidas deram início a uma efetiva política de colonização e, especificamente em relação à Vila Bela, tiveram uma dimensão econômica. Assinale a afirmativa que caracteriza essa dimensão. a) Ocorreu uma polarização da economia regional que, a partir de dois núcleos, Cuiabá e Vila Bela, ligados respectivamente à São Paulo e Grão-Pará promoveu e garantiu a política agroexportadora imposta pela Metrópole portuguesa. b) Foi estabelecido um controle sobre a produção de ouro e diamantes das minas de Mato Grosso; foi inibido o contrabando, e foi fixada uma rota comercial de dimensão significativa através da Companhia de Comércio do Grão-Pará e do abastecimento de escravos nas minas de Mato Grosso. c) Vila Bela assumiu, além da função de sede administrativa, a de centro hegemônico da economia amazônica com base na produção tanto extrativa quanto pecuária. d) A ligação fluvial entre as bacias hidrográficas Amazônica e Platina foi viabilizada, permitindo o escoamento da produção regional para São Paulo que conservou o monopólio comercial da fronteira oeste. e) Ocorreu o crescimento das relações comerciais diretamente com a burguesia
  6. 6. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com espanhola, atendendo aos interesses metropolitanos mercantilistas. 16. Relacionando-se às questões da definição de fronteira na Capitania de Mato Grosso durante o decorrer do século XVIII, assinale a alternativa incorreta. a) Dom Antonio Rolim de Moura recebeu instruções reais para criar a Capitania de Mato Grosso e fundar sua capital nas margens do Guaporé; b) A intenção da Coroa portuguesa ao criar Vila Bela era a de impedir o avanço dos espanhóis e devido a proximidade da capitania com o Peru; c) Os comerciantes e os fornecedores de alimento para Vila Bela iam aos poucos se enriquecendo como alto valor alcançado por suas mercadorias; d) Para conter o avanço dos espanhóis o governo português construiu fortes, aliciou índios, treinou negros escravos, etc.; e) Chamar toda espécie de pessoas, mesmo criminosos, para povoar Mato Grosso foi necessário uma vez que a região era insalubre e repleta de índios bravios. 17. Em relação a história de Mato Grosso, durante o período colonial, assinale a alternativa incorreta. a) Os funcionários da Coroa faziam parte da camada privilegiada da sociedade. b) Os comerciantes realizavam o comércio entre as diversas áreas da Colônia: Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. c) Em Mato Grosso o comércio era realizado em parte significativa pela Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão (1755- 1778). d) Os lucros conseguidos nas áreas de mineração ficavam exclusivamente na Capitania, favorecendo a elite local. e) Era substancial o número da população pobre, a qual vivia da pequena lavoura de subsistência ou se dedicava à “faiscagem” nos rios. 18. Em 1752 foi criada Vela Bela de Santíssima Trindade. Com relação à Capitania, assinale a afirmativa incorreta. a) Vila Bela produzia grande parte de seus mantimentos, podendo sustentar-se sem a importação de produtos básicos como a farinha, carne, arroz e milho. b) A corporação social era heterogênea e marcada pela miséria; o ouro transmitia a aparência de riqueza, porém poucos usufruíam dela. c) Nas comemorações eram apresentadas comédias, danças, etc. E todos os membros da sociedade participavam, dando a aparência de uma sociedade democrática. d) Grande parte da população oficial de Mato Grosso era composta por negros, uma vez que a sociedade se baseava na escravidão. 19. ( UNIC 96/6) “Após a descoberta de ouro nas regiões do Coxipó (1719) e o de Cuiabá (1722), foi grande o fluxo migratório advindo da capitania de São Paulo e de outras com Rio de Janeiro, Minas Gerais e as do Nordeste.” Madureira, 1990. Com a Relação a este fluxo migratório, é incorreto afirmar que a) ocorreu um aceleramento do processo de interiorização, primeiramente pelas ações dos bandeirantes e, depois, pela vinda de migrantes: tropeiros e criadores de gado. b) esse movimento no sentido leste-oeste representou uma ameaça aos índios a aos espanhóis que, então, habitavam parte dessa região. c) a ocupação da região Centro-Oeste (séc. XVIII) sempre esteve ligada aos interesses econômicos, metropolitanos e coloniais, pois os migrantes que aqui chegavam tinham aguçadas ideias de enriquecimento. d) no final do século XVIII, com a visível decadência da mineração, os migrantes retornavam às regiões de origem ocorrendo assim um despovoamento da região. e) com a decadência da mineração, a população que aqui permaneceu dedicou-se a outras atividades produtivas que lhes garantiam o sustento e possibilitavam o comércio. 20. Após a anulação do Tratado de Madri, Portugal se empenhou para que a nova discussão diplomática lhes garantisse êxito nas negociações. O novo pacto de limites retificava o tratado de Madri, o que se refere à raiz oeste da colônia. Mais três núcleos de povoamento foram criados nas fronteiras mato-grossenses: Albuquerque (1778), Vila Maria (1778) e Casalvasco (1783). A fundação desses núcleos teve por finalidade a) consolidar áreas ocupadas pelos portugueses à Espanha; b) transformar Mato Grosso no antemural do Brasil, apto não só a defender os domínios portugueses na América, mas também ampliá- los. c) criar núcleos que possibilitassem maior segurança à população, dos ataques dos índios e por vezes dos espanhóis;
  7. 7. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com d) um caráter meramente fiscalizador, pois o contrabando da prata era intensivo nessa região; e) as instalações de novos núcleos como consequência da incapacidade dos espanhóis em ocupar toda sua área. 21. Tendo como base seus conhecimentos sobre os governadores de MT no período Colonial, analise as seguintes afirmações: ( ) Luiz Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres primou pela definição e fortalecimento das fronteiras do estado, criando cidades em locais estratégicos. ( ) Manoel Carlos A. De Menezes, o oitavo capitão-general de MT, foi responsável pela transferência da capital de Vila Bela para Cuiabá no ano de 1821. ( ) Francisco de Paula Magessi fundou importantes cidades durante seu governo, tais como Albuquerque (Corumbá), Vila Maria (Cáceres) e São Pedro Del Rei. ( ) O governo de João Carlos A. D’oyenhausen e Gravemburg se caracterizou principalmente pelas inúmeras festas que oferecia, as quais tinham como objetivo garantir sua popularidade e encobrir desigualdades sociais existentes na região. 22. Com relação à ocupação de Mato Grosso no século XVIII, julgue as informações abaixo: ( ) Os índios aceitaram pacificamente a expedição de Pascoal Moreira Cabral. ( ) Anterior à bandeira de Pascoal Moreira Cabral, esteve nessa região o bandeirante Antônio Pires de Campos, que partiu da Capitania de São Paulo com a intenção de buscar índios para escravizar. ( ) A Coroa portuguesa aceitou, sem colocar nenhum empecilho, a nomeação de Pascoal Moreira Cabral como Guarda-mor do Arraial da Forquilha. ( ) Miguel Sutil está relacionado a descoberta das minas do Sutil. ( ) O abastecimento e o comércio na zona de mineração eram praticados pelas monções. 23. Com relação à mineração colonial, assinale a alternativa correta. a) No período em que Rodrigo César de Menezes governou a Capitania de Mato Grosso, as minas de MT já se encontravam em decadência. b) O trabalho nas minas era executado exclusivamente por trabalhadores livres pobres. c) O ouro em Mato Grosso trouxe, dentro das possibilidades da época, a evolução e o desenvolvimento da vida urbana. d) A Intendência das Minas sempre foi responsável pela arrecadação do Quinto. e) Com a chegada de Rodrigo César de Menezes foram extintos os cargos de Provedor da Fazenda Real, Provedor dos Quintos e do Registro e Entradas. 24. O governador que levou Cuiabá à categoria de Vila Real de Bom Jesus de Cuiabá, aumentou o Quinto e as taxas tributárias referentes às passagens pelos rios. Estamos nos referindo a a) Manoel Carlos de Menezes. b) Pedro de Toledo. c) Luiz Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. d) Rodrigo César de Menezes. e) Antônio Rolim de Moura. 25. Assinale a alternativa falsa, com relação a Vila Bela da Santíssima Trindade: a) Antônio Rolim de Moura foi nomeado governador da Capitania de MT, com a função de escolher o local para ser construída a capital. b) Para promover a ocupação da região, o governador determinou a isenção do pagamento dos Dízimos e entradas e suspendeu as dívidas para com a Coroa Portuguesa por três anos. c) O local escolhido para ser construída a capital era saudável e de clima ameno. d) O abastecimento da capital era feito pela Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão. e) O roteiro seguido pela Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão passava pelos rios Amazonas, Madeira e Guaporé. 26. Com relação à produção dos diamantes assinale a alternativa correta: a) A produção de diamante foi estimulada pela Coroa Portuguesa, desde a ocupação da região. b) A descoberta das minas do rio Arinos e do Alto Paraguai levou a população à sua exploração, contrariando, portanto, os interesses da Coroa Portuguesa. c) Rodrigo César de Menezes estimulou a produção de diamantes. d) A extração de diamantes provocou o surgimento de núcleos populacionais como Vila Maria de Cáceres e São Pedro Del Rey.
  8. 8. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 27. Com relação à questão indígena, assinale a alternativa incorreta: a) As primeiras nações indígenas a resistirem às dominações do colonizador foram os Paiaguás, os Guaicurus e os Caiapós. b) Os índios Guaicurus foram conhecidos como cavaleiros, pois eram hábeis em montarias. c) Os Paiaguás, ao atacarem as monções, não davam importância ao ouro; Seu interesse era somente com a tripulação que seria vendida aos espanhóis pela troca de armas e munições. d) Os índios foram utilizados na defesa das fronteiras, na construção de fortes e fortalezas. 28. Durante seu governo foi assinado o Tratado de Paz com os índios Guaicurus. Estamos nos referindo a a) Pedro da Câmara. b) Luiz Pinto de Albuquerque. c) Luís de Albuquerque Melo Pereira e Cáceres. d) Augusto Leverger. e) José Bonifácio de Andrade e Silva. 29. “Para a economia decadente do litoral vicentino, a utilização da mão-de-obra indígena era uma das alternativas possíveis a serem adotadas” VOLPATO, 1985. Com relação às bandeiras assinale a alternativa incorreta. a) A escravidão dos índios era camuflada pelo compromisso da evangelização. b) A marcha para o sertão simbolizava a esperança de encontrar metais e pedras preciosas. c) A Coroa Portuguesa não aceitava as bandeiras, chegando a criar milícias para combater as expedições. d) As bandeiras aumentaram os domínios portugueses na América. e) O apogeu da caça ao índio se deu no período da União Ibérica. 30. “As Minas de Ouro na região cuiabana floresceram no período em que governava a Capitania de São Paulo, Rodrigo César de Menezes representava o poder absolutista da metrópole portuguesa e lhe coube administrar uma extensa Capitania, potencialmente rica, na qual Mato Grosso fazia parte” SIQUEIRA, 1990. Baseado no texto acima julgue as afirmações. ( ) Rodrigo César pretendia passar a residir em Cuiabá, objetivando verificar pessoalmente a real situação das minas, tanto no aspecto referente à arrecadação dos impostos como também desejava implantar o poder administrativo na região. ( ) Durante dezoito meses Rodrigo César de Menezes residiu em Cuiabá, mas antes de vir para a região aurífera contou com o apoio político dos irmãos Lemes, que o ajudara na administração pública. ( ) Rodrigo César de Menezes elevou Cuiabá a categoria de Vila Real do Senhor Bom Jesus, período em que ocorreu um violento aumento dos quintos, taxas tributárias e demais impostos. 31. “A descoberta de ouro na Baixada Cuiabana havia atraído grandes levas de mineradores, que penetravam pelo interior em busca de um rápido enriquecimento. O declínio marcante da população causou abandono na Vila por parte de seus habitantes, outros, no entanto, passaram a compor uma população itinerante, que, tendo Cuiabá como referencial, penetravam em áreas não exploradas, em busca de novas jazidas, concorrendo assim com o seu devassamento.” VOLPATO, 1987. Tendo como referência o texto acima, assinale a afirmativa incorreta. a) Depois da região de Cuiabá, novos veios auríferos foram encontrados sendo os mais importantes os das Minas de Mato Grosso que se situavam no Vale do Rio Guaporé, região insalubre e dotada de difíceis condições para fixação do povoamento. b) A existência de uma população itinerante atingia mais diretamente o interesse da política colonial portuguesa. c) A procura constante por um novo achado concorria para que pequenos núcleos urbanos fossem se formando, onde a descoberta tivesse sido bem sucedida, conquistando assim, áreas da Espanha. d) Cuiabá foi rica e bem sucedida no século XVIII, atingindo em 1740, quarenta mil habitantes. e) As condições territoriais da Capitania, possuidora de mais de quinhentas léguas de fronteira, imprimiu à administração, um caráter nitidamente militar, cujo ônus maior recaiu sobre a própria população. 32. Sobre a organização do trabalho e da produção de ouro no período colonial mato- grossense, assinale a alternativa incorreta. a) Paralelamente à produção de ouro formou- se uma agricultura de subsistência que conseguia abastecer toda demanda local.
  9. 9. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com b) Para o seu desenvolvimento foram importados instrumentos de trabalho e mão- de-obra. Em 1727, existiam em Cuiabá dois mil, seiscentos e sete escravos, trabalhando principalmente na mineração. c) As técnicas empregadas na extração do ouro eram muito rudimentares e pouco evoluíram durante o transcurso do século XVIII. d) A utilização do silvícola (índio) na mineração era uma das medidas utilizada pelos mineradores de MT, na tentativa de se equilibrar durante a fase crítica dessa exploração. e) A Coroa portuguesa tentou proibir a instalação de engenhos de açúcar na zona de mineração. 33. “De que nos servem (diríamos hoje) estas selvas incomensuráveis como a alma heróica de nossos antepassados, se já não nos anima o espírito bandeirante [...] A chama bandeirante ainda está latente nos nossos corações [...] é urgente salvar o sertão, curar seu povo, instruí-lo, rasgar estradas, povoar, despertar as fontes adormecidas de prosperidade [...]” RONDON, Gen. Frederico. Pelos sertões e fronteiras do Brasil. Rio de Janeiro: Reper Editora, 1969, p.109-10. O texto acima escrito por um General, em 1969, em plena Ditadura Militar, permite perceber o discurso político usado pelas Forças Armadas para justificar a ocupação do interior do Brasil. Em Mato Grosso, esse discurso teve como consequência a) o isolamento e fixação dos limites da Amazônia Legal, garantindo sua posse aos índios e extrativistas. b) a organização de expedições para o reconhecimento e delimitação das fronteiras entre os estados e países limítrofes. c) um conjunto de políticas públicas que estimularam Projetos de Colonização e Agropecuários visando sua fixação no estado. d) a abertura da região à imigração de população sul-americana para trabalhar na terra e garantir o povoamento da Amazônia. 34. O uso da mão de obra escrava em Cuiabá apresentou algumas peculiaridades que podem ser atribuídas à capacidade da economia local em absorver essa força de trabalho ou à pequena inserção dessa economia no mercado externo. Sobre o assunto, assinale a afirmativa correta. a) Os escravos viviam em profundo isolamento social, havendo mesmo um arraigado preconceito à sua presença. b) Os escravos constituíram um grupo merecedor de tratos privilegiados pela sociedade local, dada a relação pequeno número e alto custo. c) As condições de vida dos escravos eram muito melhores que as dos brancos pobres, o que os distinguia socialmente. d) As condições de vida de livres pobres e escravos eram muito próximas, chegando a constituir laços de solidariedade. 35. Antonio Rolim de Moura recebeu a tarefa de deslocar-se para a fronteira oeste do Brasil e dar os contornos administrativos à recém criada capitania de Mato Grosso. Qual medida foi tomada nesse sentido? a) Fundação da Vila Bela da Santíssima Trindade. b) Abertura do comércio pelos rios platinos entre brasileiros e argentinos. c) Abertura de acessos terrestres entre a nova capitania e o interior do Brasil. d) Fim das altas taxas alfandegárias entre o litoral e a nova capitania. 36. “[...] Concitando a essa marcha, em que assim se renova A avançada genial das velhas gerações Que recuaram a linha ideal de Tordesilhas Anexando ao Brasil todas as maravilhas Do eldorado, que são nossos verdes sertões!” CORRÊA, Dom Francisco de Aquino. Terra natal. Poética. Vol. 1. Os versos acima fazem menção a uma iniciativa de integração nacional do governo Getúlio Vargas, durante o Estado Novo, com particular importância para Mato Grosso, denominada a) Soldados da Borracha. b) Marcha para o Oeste. c) Governar é abrir Estradas. d) Integrar para não Entregar. 37. (EJM) "A grande preocupação do ministro Pombal com a preservação e ocupação do espaço geográfico da América Portuguesa, além das óbvias razões político-econômicas, tinha um motivo simples e prático: os limites do território colonial acabavam de ser oficialmente definidos, em 1750, mediante negociações e acertos entre Portugal e Espanha. Agora era preciso consolidá-los."
  10. 10. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com TEIXEIRA, Francisco. Brasil: História e Sociedade. São Paulo: Ática, 2000, p. 100. A respeito do tema exposto acima, assinale a alternativa incorreta. a) O Tratado de Madri reconhece, com base no direito de posse da terra por quem a usa (o uti possidetis do Direito romano), a presença luso-brasileira em grande parte dos territórios coloniais. b) Na fronteira Oeste, a negociação é extremamente conturbada em virtude da exigência espanhola em controlar a navegação pela bacia Amazônica, devido à sua importância econômica e estratégica. c) No Sul houve grande dificuldade em se aceitar os limites em decorrência do grande interesse hispânico em controlar a região do rio da Prata, geopoliticamente importante para a Coroa espanhola. d) O Marco do Jauru erigido em 1754 próximo à localidade de Cáceres (MT), demarcava os limites das terras de Portugal e Espanha, em consequência do Tratado de Madri. e) Com pequenas modificações, os demais tratados limítrofes que se sucederam, mantiveram intactos as terras à Oeste conquistadas pelos bandeirantes paulistas e nas quais se configura, atualmente, o estado de Mato Grosso. 38. Para colocar em prática a estratégia de defesa da Capitania de Mato Grosso foram construídas, durante o período colonial, diversas fortificações militares ao longo da fronteira com o domínio colonial espanhol. A respeito desse assunto é incorreto afirmar que a) a fundação dessas edificações deveu-se principalmente, à questão da garantia dos territórios situados entre as duas principais vilas mato-grossenses no século XVIII, Vila Bela e Cuiabá. b) Luís de Albuquerque foi o capitão-general que mais guarneceu a fronteira Oeste da colônia, tendo fundado Vila Maria (Cáceres), Registro do Jauru (Porto Esperidião), Albuquerque (hoje Corumbá) e Poconé. c) a Capitania de Mato Grosso, após o Tratado de Santo Ildefonso (1777), já possuía grande parte de sua fronteira Oeste guarnecida com fortes, fortalezas e prisões. d) a raia máxima ao sul da Capitania de Mato Grosso permanecia desguarnecida e sujeita aos ataques espanhóis no final do século XVIII. 39. Em relação às condições de vida sociedade mato-grossense ao longo do século XVIII é correto afirmar que a) a pobreza na sociedade mato-grossense, visto que a maioria da população não possuía bens, fazia com que houvesse uma aproximação entre homens livres pobres, índios e escravos, mantendo esses grupos relações de ajuda e solidariedade. b) a pobreza na região da minas cuiabanas era amenizada graças à grande produção local de gêneros alimentícios, fato que garantia o sustento da maioria da sua população. c) apesar de sua composição ser heterogênea, a sociedade cuiabana era caracterizada pela grande ascensão social possibilitada pela grande quantidade de ouro existente no local. d) as cidades mato-grossenses, surgidas no período da mineração, evidenciam um passado farto e em muito lembram a arquitetura barroca de Minas Gerais, do mesmo período histórico. 40. (NCE/UFRJ) A expansão territorial promovida pelos bandeirantes saídos de São Paulo ultrapassava a linha estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas. Com a fundação de Cuiabá, em 1719, e da Vila Boa de Goiás, em 1723, os paulistas estavam ocupando território espanhol. A incorporação desses territórios ao domínio português ocorreu, em 1750, graças ao a) tratado de Madri, que afirmava o princípio do uti possidetis, ita possideatis. b) tratado de Badajóz, que estabelecia as compensações devidas à coroa espanhola. c) tratado de Methuen, que privilegiava os interesses comerciais portugueses. d) tratado de Santo Ildefonso, que recuperava os territórios fronteiriços em litígio. e) tratado de Utrecht, que garantia a independência das colônias espanholas. 41. (NCE/UFRJ) O Mato Grosso passou a pertencer ao Brasil através do Tratadi de a) Mato Grosso. b) Trindade. c) Madri. d) Guaporé. e) Methuen. 42. (UNEMAT) As questões em torno do estabelecimento de limites fronteiriços nas terras da América entre espanhóis e portugueses precederam a própria colonização e se estenderam durante o período colonial. Especificamente com relação às terras mato- grossenses, uma série de medidas foram tomadas no sentido de garantir o controle sobre as regiões limítrofes.
  11. 11. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com Sobre o tema, assinale a alternativa incorreta. a) Uma das formas de incrementar o povoamento na região mato-grossense era incentivar os colonos com redução de impostos e doação de patentes e também de cargos. b) A construção de fortificações como o de Nossa Senhora da Conceição, em 1754, e do Presídio de Nova Coimbra, em 1775, visava entre outros objetivos resguardar áreas ocupadas pelos colonos. c) A partir de 1750, a Coroa portuguesa determinou que todos os negros africanos escravizados, interessados em povoar terras mato-grossenses, seriam imediatamente alforriados. d) A criação da Capitania de Mato Grosso, em 1748, tinha como um dos objetivos garantir as regiões já conquistadas e povoadas pelos colonos, para conter a ameaça dos espanhóis. e) A consolidação das fronteiras em Mato Grosso deu-se durante a gestão de Luís de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, 4º governador da Capitania. 43. (UnB/CESP) A criação da Capitania de Mato Grosso, em meados do século XVIII, atendeu, entre outras razões, a um importante objetivo estratégico da metrópole portuguesa, que era o de a) garantir a continuidade da mineração, que vivia seu apogeu naquele momento. b) estabelecer um núcleo do governo colonial em extensa área de fronteira que seria ocupada para se deter eventual avanço espanhol. c) fixar o domínio português sobre uma região fronteiriça que, pelo Tratado de Madri, não mais pertencia a Portugal. d) assegurar que os indígenas de Mato Grosso ficariam restritos aos aldeamentos fundados e dirigidos pelos jesuítas espanhóis. 44. (UNIR) A criação da Capitania de Mato Grosso e Cuiabá, em 1748, era parte da estratégia de Portugal diante das ameaças permanentes de disputas fronteiriças com a Espanha. A fundação de Vila Bela da Santíssima Trindade, em 1752, foi uma das muitas consequências deste processo de colonização do vale do Guaporé. Sobre o assunto, assinale a afirmativa correta. a) A rota fluvial de Belém do Pará até Vila Bela era percorrida sem maiores perigos, estando disponível à navegação comercial e militar ao longo de todo o ano. b) A mineração aurífera ocupou um lugar subalterno neste contexto diante da premência do abastecimento de produtos agrícolas e da pecuária, cujos excedentes eram enviados para Belém do Pará. c) A mais importante característica do urbano colonial do Vale do Guaporé foi o emprego majoritário de mão-de-obra branca livre, uma vez que os europeus monopolizaram os postos de trabalho. d) O Capitão-General D. Antônio Rolim de Moura fundou os povoados de São João do Crato e São José de Montenegro no Rio Madeira, almejando reforçar a segurança da navegação fluvial. e) Luís Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres foi o Capitão-General que governou a capitania durante a construção do Real Forte Príncipe da Beira no Guaporé. 45. (UnB/CESP) Uma corrente historiográfica defende a tese de que a criação da capitania de Mato Grosso tinha, entre outras, a finalidade de caracterizar a posse portuguesa da região. Desse modo, o que Portugal pretendia com essa decisão era tornar mais consistente e efetivo o princípio que sua diplomacia utilizara na celebração de tratados de limites com a Espanha, o uti possidetis, o qual estabelecia que a) Portugal garantia como sua a área que os habitantes da colônia haviam ocupado de fato ou, pelo menos, tornado questionável a posse espanhola. b) os indígenas da região seriam transferidos para os aldeamentos criados por religiosos no sul da colônia, as conhecidas missões ou reduções jesuíticas. c) o governo de Lisboa aceitava entregar aos espanhóis o domínio da bacia amazônica em troca da posse da região de Mato Grosso. d) Mato Grosso seria isolado do restante da colônia, sobretudo de São Paulo, para impedir as incursões de aventureiros sobre os territórios pertencentes à Espanha. 46. (UnB/CESP) Na segunda metade do século XVIII, quando mais tensas eram as relações entre portugueses e espanhóis na América, Portugal decidiu construir o Presídio de Nova Coimbra, ao sul de Mato Grosso, e o Forte do Príncipe da Beira, às margens do Guaporé, com o objetivo de, respectivamente, a) garantir aos portugueses a navegação no rio Paraguai e manter livre acesso entre Vila Bela e Belém. b) isolar Mato Grosso das demais capitanias e impedir o acesso fluvial com a parte mais setentrional da colônia.
  12. 12. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com c) estender as áreas reservadas à mineração e promover a ocupação da franja meridional do território da capitania. d) dominar a navegação no Prata e adensar a presença de colonos brasileiros em Sacramento e nos Sete Povos das Missões. 47. (NCE/UFRJ) “(...) se procura fazer a colônia de Mato Grosso tão forte e poderosa que contenha os vizinhos em respeito e organize a administração.” Conselho Ultramarino. A partir do texto acima, pode-se afirmar que a criação da capitania de Mato Grosso, em 1748, está ligada ao interesse português em a) garantir a posse da região que pertencia a Portugal desde a assinatura do Tratado de Tordesilhas (1494), mas que fora relegada a segundo plano durante os séculos XVI e XVII. b) afirmar o poderio da Coroa portuguesa na região após o fracasso do empreendimento do donatário da capitania de Minas Gerais que englobava a região mato-grossense. c) consolidar o domínio no território a oeste da linha de Tordesilhas, conquistado e ocupado pelos colonos portugueses, evitando o avanço das missões jesuíticas espanholas sobre essas terras. d) combater os sucessivos conflitos entre colonos portugueses e os comerciantes espanhóis que desde meados do século XVII pretendiam explorar as riquezas da floresta. e) neutralizar a ação dos comerciantes franceses, pois desde o fim da França Equinocial faziam investidas sobre a região mato-grossense com o objetivo de aí instalar uma nova colônia. 48. (UFMT) As populações dos atuais territórios do Brasil e da Bolívia relacionam-se desde o século XVII, quando ocorreram as primeiras gestões da Coroa Portuguesa para tornar essa região o “antemural de todo o interior da colônia”. Assinale a medida que não faz parte das adotadas pela Coroa Portuguesa. a) Após 1777, com o tratado de Madri, D. João V ordenou a fundação de uma vila na região do Guaporé que, fundamental para assegurar a posse portuguesa naquele sítio, viria se constituir a capital da província. b) Da região de Cuiabá, o povoamento se expandiu em direção ao Rio Guaporé e deparou-se com a ocupação espanhola na sua margem oeste referente ao então Vice-Reinado do Peru. c) Entre as atribuições recebidas por Antonio Rolim de Moura, estava a de estabelecer relações comerciais da futura capital (que ele iria fundar na região) com o extremo norte da colônia. d) Para poder controlar toda a extensão da imensa capitania, articulou-se a ligação da capital, Vila Bela da Santíssima Trindade, com as demais vilas, via fluvial ou terrestre, além da fortificação da fronteira. e) Após fundar Vila Bela da Santíssima Trindade, foi transplantada para lá toda a máquina administrativa e fiscal que, em parte, já existia na Vila de Cuiabá. 49. (UNIR) No governo de Luís Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres foi construído às margens do rio Guaporé um forte estratégico para apoio da rota das Monções do Norte, que estabeleciam ligações comerciais e administrativas entre Belém e Vila Bela da Santíssima Trindade. Atualmente existem projetos de restauração desse monumento para torná-lo atração turística. Trata-se do Forte de a) Coimbra. b) Iguatemi. c) Príncipe da Beira. d) Guajará-Mirim. 50. O caráter litorâneo da colonização portuguesa e as imposições do Tratado de Tordesilhas foram fatores importantes para que, apenas no século XVIII, áreas interioranas, até então sob domínio oficial da Espanha, fossem incorporadas ao território brasileiro. As principais razões para que a região do atual estado de Mato Grosso se tornasse efetivamente brasileira incluem a) o desinteresse espanhol e as ações militares portuguesas. b) a pressão da Igreja Católica e o prestígio dos juristas lusos. c) a cana-de-açúcar e a indústria madeireira. d) o bandeirantismo e a descoberta do ouro. 51. Embora várias bandeiras preadoras de índios — como as de Raposo Tavares (1648), Manuel Bicudo (1660) e Bartolomeu Bueno da Silva (1682) — já tivessem percorrido o território de Mato Grosso, foi apenas em 1719 que se descobriu ouro no sítio onde hoje se ergue a cidade de Cuiabá (rio Coxipó-Mirim). A primazia dessa descoberta coube ao sertanista a) Artur Pais de Barros. b) Fernão Dias Pais. c) Pascoal Moreira Cabral. d) Fernando Moreira de Barros. 52. Como em outras províncias, também em Mato Grosso ocorreram, nos primeiros anos
  13. 13. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com pós-independência do Brasil, violentos embates entre brasileiros e portugueses. Conhecido como a “noite de São Bartolomeu mato-grossense”, a 30 de maio de 1834 irrompeu vigoroso movimento armado em Cuiabá, quando populares exigiram a retirada dos portugueses. Esse episódio é denominado a) A Rusga. b) Insurreição Cuiabana. c) A Guaíra. d) Inconfidência Mato-Grossense. 53. A Guerra da Tríplice Aliança, ou Guerra do Paraguai, foi o mais importante conflito envolvendo o Império do Brasil. O início das hostilidades deveu-se, entre outras razões, à decisão do governo do Paraguai de a) invadir o território argentino com o objetivo de controlar a navegação no rio da Prata. b) anexar a Cisplatina (atual Uruguai) na condição de colônia. c) aprisionar o vapor que conduzia o presidente nomeado da província de Mato Grosso. d) garantir uma saída para o mar a partir do domínio do vale amazônico. 54. Respeitado no país e no exterior, o marechal mato-grossense Cândido Mariano da Silva Rondon notabilizou-se por seu trabalho de proteção aos povos indígenas. Assinale a opção que apresenta a frase, entre algumas importantes que ficaram gravadas na História do Brasil, que identifica o caráter humanista de Rondon. a) Sigam-me os que forem brasileiros. b) Morrer, se preciso for; matar, nunca. c) O Brasil espera que cada um cumpra seu dever. d) Como é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico. 55. Leia o texto abaixo: “A colonização na década de 1970 teve um peso determinante para essas regiões. Expressando a realidade da ‘nova ocupação’, Rondônia e Mato Grosso viram nascer cidades e municípios, cuja expansão e organização foram fundamentais à conformação de um espaço social, em que os investimentos capitalistas, a constituição de um mercado de mão-de-obra e a extensão de um poder político tiveram um lugar privilegiado.” GUIMARÃES NETO, Regina Beatriz. A lenda do ouro verde: política de colonização no Brasil contemporâneo. Cuiabá: Unicen, 2002. p. 144. Sobre o tema, assinale a alternativa correta. a) As novas cidades a que o texto se refere são Alta Floresta, Sinop e Vila Bela da Santíssima Trindade. b) O atual estado de Rondônia, referido no texto, foi desmembrado de Mato Grosso em 13/09/1943 pelo Decreto-lei 5.812. c) O espaço social e geográfico mato- grossense, na década de 1970, era ocupado por diversos povos indígenas, dentre eles os Bororo e os Paiaguá. d) A ‘nova ocupação’ a que o texto se refere foi um exemplo de colonização racional dos recursos naturais quando esta optou pela pequena propriedade da terra e pela diversificação da lavoura. e) Os antigos caboclos que moravam nessa região, sobretudo no norte de Mato Grosso, e que viviam da agricultura de subsistência e do extrativismo, foram os mais beneficiados com essa ‘nova ocupação’. 56. A crise econômica mundial deflagrada no segundo semestre de 2008 deixou em alerta os agricultores e pecuaristas de Mato Grosso. Nesse sentido, é correto afirmar que a) a totalidade dos produtos do campo matogrossense é vendida no mercado interno e, portanto, não tem qualquer relação com a crise internacional. b) a agricultura e a pecuária mato-grossenses são subsidiadas pelo governo federal e por isso estão imunes a qualquer diminuição do consumo dos países estrangeiros. c) a agricultura mato-grossense tem por base a diversificação da produção em pequenas e médias propriedades, o que a torna adaptável às mudanças externas. d) o maior mercado dos produtos do campo matogrossense é a União Europeia que, até este momento, está imune à crise econômica norteamericana. e) uma parte significativa da produção agropecuária de Mato Grosso é exportada para os mercados europeu e asiático que foram, em diferentes níveis, afetados pela atual crise econômica. 57. A escravidão negra em Mato Grosso teve início concomitantemente com a mineração no século XVIII e continuou a existir em outras atividades econômicas mesmo depois da decadência das minas. Na segunda metade do século XIX, a cidade de Cuiabá concentrava uma quantidade expressiva de escravos. Sobre o tema, assinale a alternativa incorreta.
  14. 14. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com a) Os escravos que viviam na cidade, longe de feitores e capatazes, eram vigiados pela polícia que era responsável pela conservação da ordem e dos interesses dos seus proprietários. b) Muitos escravos que trabalhavam no campo, algumas vezes, cultivavam um pequeno roçado, cujo excedente era vendido, obtendo-se assim um pequeno pecúlio. c) O aluguel de escravos foi uma prática muito comum em Mato Grosso e era realizado tanto por particulares como por órgãos provinciais. d) O escravo de ganho era uma prática predominantemente urbana e dentre as principais atividades que realizava, destacam- se a venda de doces e quitutes e o abastecimento das casas de água potável. e) Os escravos podiam ter ‘casas de negócio’, uma atividade à parte, que não era condicionada à autorização do seu senhor. 58. Para muitos historiadores, as práticas políticas durante a Primeira República em Mato Grosso (1889-1930) tiveram algumas características que as aproximavam das de outras unidades da federação e de outras que as singularizavam. Com relação ao tema, assinale a alternativa correta. a) O confronto armado entre grupos políticos rivais foi uma exceção em Mato Grosso, durante esse período. b) A violência política em Mato Grosso, nesse período, pode ser explicada pela existência de uma sociedade urbana e industrial. c) A propriedade de grandes extensões de terra e o controle de um considerável contingente de trabalhadores constituíram nos pilares do mandonismo dos chefes políticos do período no Estado. d) A violência política do período foi, em grande medida, amenizada devido à organização dos trabalhadores rurais que exigiam maior transparência nas ações políticas. e) Mesmo devido à predisposição para o conflito armado, os partidos políticos rivais no Estado possuíam um programa amplo de reformas das bases econômicas e sociais que incluía a participação efetiva das mulheres. 59. (UFMS) A história de Mato Grosso do Sul (antigo sul de Mato Grosso) não pode ser apreendida na sua riqueza temática e, sobretudo, na sua diversidade étnica e cultural, se a ela não incorporarmos a história dos povos indígenas. Sobre a presença constante dos povos indígenas na história do Mato Grosso do Sul, é incorreto afirmar que a) a presença indígena no território do atual Mato Grosso do Sul data de até trinta mil anos; para o Pantanal essa presença é de até vinte mil anos. b) mesmo depois da chegada de elementos europeus na região, foram intensas as relações dos povos indígenas entre si. Às vezes conflituosas, às vezes complementares, são conhecidas, dentre outras, as relações entre os grupos Guaná, Guaicuru e Guarani. c) nas disputas entre portugueses e espanhóis pela fixação dos limites territoriais de suas colônias americanas, foram visíveis as preocupações de ambos em atrair para si o apoio dos povos indígenas que ocupavam a região. d) apesar da brutalidade do processo de conquista e da consequente ocupação de seus territórios, a existência atual de vários povos indígenas em Mato Grosso do Sul indica que suas diferentes formas de resistência garantiram pelo menos a sua sobrevivência. e) com mais de cinquenta mil índios, Mato Grosso do Sul é atualmente o segundo estado do Brasil em população indígena. 60. (UFMT) Em Mato Grosso, a relação entre índios e colonizadores foi geralmente conflituosa e marcada pela violência. A respeito do tema, assinale a afirmativa incorreta. a) Os índios Paiaguá foram os primeiros a atacar as monções e o faziam quando as embarcações estavam transitando pelos rios. b) Governos da Capitania de Mato Grosso utilizaram índios, capturados na defesa da fronteira, na construção de fortes, fortalezas e em outras atividades militares. c) Algumas nações indígenas, como Guaicuru e Caiapó, habitavam a periferia da capitania e estabeleceram relações de escambo com o colonizador português. d) Por meio das Cartas Régias, a Coroa Portuguesa permitia, em casos específicos, a "guerra justa" aos índios. 61. O texto e a figura que se seguem dizem respeito à uma nação indígena que habitava a Capitania de Mato Grosso e que empreendia ataques às monções paulistas que se dirigiam para Cuiabá durante o período colonial. "(...) foram conhecidos como cavaleiros, uma vez que se utilizavam, com destreza e agilidade, da arte hípica. Montados a pêlo, debruçavam-se no dorso do cavalo parecendo, a quem observava de longe, tratar-se de uma correria de animais, sem cavaleiro. No momento em que atingiam o ponto a ser atacado, montavam rapidamente nos cavalos,
  15. 15. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com já armados de lanças e, urrando, desfechavam o ataque." SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002, p. 61. Tela de Jean Baptiste Debret (1834). O texto e a figura se referem aos a) Paiaguá. b) Guaicuru. c) Bororo. d) Caiapó. e) Bakairi. 62. Leia o fragmento abaixo: “(...) eram conhecidos como exímios canoeiros, pois sulcavam as correntezas como agilidade e destreza, tendo ficado famosos pelos ataques que empreendiam as monções. A tática utilizada tinha por base o fator surpresa: como exímios nadadores, viravam as canoas de cabeça para baixo e mantinham-se escondidos sob elas. No momento em que se aproximavam do alvo a ser atingido, desviravam as embarcações e com rapidez, nelas subiam já armados de arcos, lanchas e flechas. Emitindo sonoros urros, lançavam-se sobre o inimigo, surpreendentemente.” SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002, p. 61. O fragmento está se referindo aos a) Paiaguá. b) Cinta-Larga. c) Iranxe. d) Caiapó e) Guaná. 63. (UNEMAT) TERCEIRO DIA "Nuvens me cruzam de arribação. Tenho uma dor de concha extraviada. Uma dor de pedaços que não voltam. Eu sou muitas pessoas destroçadas. Diviso ao longe um ombro de barranco. E encolhidos na areia uns jaburus. Chego mais perto e estremeço de espírito. Enxergo a Aldeia dos Guanás. Imbico numa lata enferrujada. Um sabiá me aleluia." BARROS, Manoel de. Livro das Ignoranças. p. 61. Nesse poema de Manoel de Barros, o autor enxerga uma aldeia Guaná, possivelmente perto de Corumbá, Cuiabá ou qualquer outra cidade mato-grossense fundada no período colonial, visto que o indígena era presença constante em nossa história. Sobre isso julgue os itens abaixo. ( ) Das nações indígenas que mais auxiliaram no processo de colonização de Mato Grosso pode-se destacar: Paiaguá, Guaicuru e Caiapó. ( ) A presença indígena era fundamental para a colonização de Mato Grosso, praticamente a mão-de-obra escrava dos garimpos era predominantemente indígena. ( ) A presença indígena na sociedade mato- grossense sempre foi constante, muitas cidades coloniais viviam próximas a aldeamentos indígenas, que costumavam ser fornecedores de alimentos. 64. (UFMS) Sobre a conquista e colonização luso-castelhana da bacia do Alto Paraguai, é correto afirmar que ( ) entre as décadas de 1520 e 1540, os primeiros europeus que atingiram a região ali encontraram vários povos indígenas, muitos dos quais formados por grupos classificados, linguisticamente, como Aruaque, Guaicuru e Guarani. ( ) as primeiras expedições que partiram de Assunção rumo à região hoje em dia conhecida como Pantanal, como a expedição comandada pelo adelantado Alvar Nuñes Cabeza de Vaca, na década de 1540, também foram motivadas pela procura das minas de prata do Peru. ( ) no século XVII, nenhum dos povos indígenas estabelecidos no Pantanal chegou a participar de qualquer missão ou redução dos padres da Companhia de Jesus, haja visto que a região estava muito distante das províncias jesuítica do Guairá e do Itatim. ( ) até fins do século XVII, os bandeirantes de São Paulo não ultrapassavam os limites geográficos da Bacia do Paraná, cujos afluentes eram dominados pelo povo Paiaguá, os temido índios canoeiros; portanto, não atingiram a baixada paraguaia antes do século XVIII, quando os castelhanos de Assunção descobriram ouro na região dos rios Coxipó e Cuiabá. ( ) assim como os europeus fizeram em outras regiões da América do Sul, no Alto Paraguai eles também se valeram das antigas rivalidades existentes entre os povos indígenas para assegurarem a conquista e a colonização daquela porção central da América do Sul. 65. (UFMS) Sobre a ocupação humana do território correspondente, nos dias de hoje,
  16. 16. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com aos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, é correto afirmar que a) ela se deu após a chegada dos bandeirantes paulistas, logo no início do século XVIII, com a fundação de povoado que hoje em dia correspondem às cidades de Corumbá e Miranda. b) ela se deu com a chegada dos espanhóis que procuravam o caminho que os levasse às minas de prata do império Inca. c) ela somente foi possível após o aniquilamento do "selvagem gentio" Cayapó. d) ela somente foi possível após a chegada dos jesuítas ao Brasil, religiosos que para protegerem os índios das perseguições dos bandeirantes estabeleceram várias missões nesses territórios. e) mesmo antes da chegada dos europeus, toda essa região já era habitada por diversos povos indígenas, entre eles os Bororo, Cayapó, Guaná-Chané, Kaiowá e muitos outros. 66. “A cidade de Cuiabá situava-se em um pequeno vale formado por morros de elevação modesta, cortada por córregos, sendo o principal deles o ribeirão da Prainha que, correndo no leito desse vale, ia jogar suas águas no rio Cuiabá.” VOLPATO, Luiza Rios Ricci. Cativos do Sertão: vida cotidiana e escravidão em Cuiabá em 1850-1888. São Paulo/Cuiabá: Ed. Marco Zero/EdUFMT, 1993. P.27. A historiadora narra os aspectos físicos da cidade de Cuiabá na fase inicial de sua colonização. Sobre as características desse período histórico, é incorreto afirmar que a) em 1722, Miguel Sutil encontrou uma jazida de ouro nas imediações do córrego da Prainha, junto ao morro do Rosário. b) a descoberta de Miguel Sutil atraiu a essa região os moradores do arraial da Forquilha, como também aventureiros de outras regiões interessados na exploração do ouro. c) o interesse pelo ouro estava relacionado as diretrizes metropolitanas, uma vez que a colonização seguia os pressupostos da política mercantilista, na qual uma de suas principais características era o metalismo. d) Salvador, capital do Brasil, tomava todas as decisões administrativas e econômicas sobre as minas de Cuiabá. 67. “A expansão geográfica rumo a região central insere-se no quadro das pretensões geopolíticas portuguesas, orientadas pelo alargamento e defesa das fronteiras contra os espanhóis. A objetivação desses propósitos dá- se em meados do século XVIII e emerge do debate luso-espanhol acerca dos limites das respectivas áreas ultramarinas na América.” PERARO, Maria Adenir. Bastardos do Império. São Paulo: Contexto, 2001. P. 25. Em relação a colonização de Mato Grosso assinale a alternativa correta. a) As descobertas auríferas na Baixada cuiabana e no Vale do Guaporé lançaram as bases para a posse e ocupação da região mato-grossense. Entretanto a preocupação efetiva com a fronteira oeste consubstanciou na criação da capitania de Mato Grosso e posteriormente do Pernambuco, uma vez que estas eram as maiores produtoras de açúcar da colônia. b) As instruções de Rolim de Moura e dos seus sucessores continham o propósito de dotar a capitania de um aparato administrativo autônomo, desvinculado dos mandos da metrópole lusa. c) Dentre as medidas tomadas que deveriam ser tomadas por Rolim de Moura, primeiro governador, empossado em 1751 estavam a fundação da capital de Mato Grosso e estabelecer privilégios e isenções fiscais para os moradores de Vila Bela. d) Vila Bela era abastecida pela Companhia de Comercio do Maranhão, que através da navegação pela bacia Platina abastecia a capital com artigos de luxo, remédios, ferramentas de trabalho e principalmente de negros. 68. (SEDUC-MT) Esse governador elevou Cuiabá à categoria de Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá, aumentou os quintos e as taxas tributárias referentes às passagens pelos rios. Estamos nos referindo à a) Manoel Carlos de Abreu Menezes. b) Pedro de Toledo. c) Luís Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. d) Rodrigo César de Menezes. e) Antônio Rolim de Moura. 69. “Mas para facilitar o dito comércio é circunstância essencial a introdução de negros, pois como V. EXª sabe muito bem os brancos sem eles em toda a parte da América, e principalmente em minas quase se pode dizer que são inúteis.” MOURA. Antonio Rolim de. Correspondências. V. I. A partir da leitura da citação acima e dos seus conhecimentos acerca da história de Mato Grosso, assinale a afirmativa incorreta. a) Rolim de Moura, primeiro capitão-general da Capitania de Mato Grosso determinou
  17. 17. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com várias medidas que visavam garantir o povoamento e a defesa da fronteira oeste. b) A leitura da citação revela a importância do trabalho escravo na colonização, além disso, o trafico negreiro representava para a metrópole uma fonte de acumulação de capital. c) Os trabalhos executados pelos cativos eram bastante árduos e desgastantes, e ainda no seu cotidiano tinham que se submeter as violências dos feitores e por isso resistiam, fugindo para os quilombos como o do Piolho, localizado em Chapada dos Guimarães. d) Em 1821, durante o processo de Independência do Brasil, Vila Bela deixou de ser a capital de Mato Grosso. A transferência foi articulada por elementos da elite cuiabana, do clero e dos militares, que justificaram a mudança apresentando como um dos argumentos, a insalubridade de Vila Bela. 70. Segundo a historiografia oficial a expansão geográfica luso-brasileira aconteceu devido ao desprendimento dos paulistas. A respeito da colonização de Mato Grosso no século XVIII é incorreto afirmar que a) as monções abasteciam as minas de Cuiabá de ferramentas, artigos de luxo, produtos alimentares. Esses produtos eram vendidos nas minas por preços modestos podendo ser consumido por toda a população. b) as monções para chegar a Cuiabá usavam os caminhos fluviais. Ao chegar a região do Pantanal enfrentavam vários perigos como o ataque dos índios paiaguás (remadores) e dos guaicurus (Cavaleiros ). c) em 1752, com o propósito de efetivar o uti possedetis, o governo metropolitano resolveu fundar a primeira capital de Mato Grosso, Vila Bela da Santíssima Trindade. d) Antonio Rolim de Moura foi nomeado como o primeiro capitão-general de Mato Grosso. Esta autoridade desenvolveu uma política voltada para o povoamento e militarização da fronteira Oeste. 71. A atual configuração geográfica do Brasil, com pequenas exceções, deve-se a um tratado assinado entre Portugal e Espanha, no qual os interesses portugueses foram defendidos por Alexandre de Gusmão, que se utilizou de um principio do antigo direito romano, conhecido como Uti Possedetis, do Direito Romano. Estamos nos referindo ao Tratado a) de Methuen. b) de Madri. c) de Santo Ildefonso. d) de Badajós. e) do El Pardo. 72. Foi o governador responsável formação da Aldeia da Carlota que era composta por negros idosos e alforriados, que receberam a missão de defender a fronteira contra o avanço dos espanhóis. Estamos nos referindo ao governador a) Luís de Albuquerque Melo Pereira e Cáceres. b) João de Albuquerque Melo Pereira e Cáceres. c) Francisco de Paula Magessi. d) João Carlos de Oyenhausen. e) Antônio Rolim de Moura 73. A respeito dos primórdios do período colonial em Mato Grosso, assinale a alternativa incorreta. a) Em 1719, Pascoal Moreira Cabral descobriu ouro no rio Coxipó. Neste local surgiu o Arraial da Forquilha. b) O surgimento do Arraial de Cuiabá relaciona-se as descobertas de ouro por Miguel Sutil. c) Para governar a região, o governo português enviou para a região o Marquês de Pombal que recebeu a tarefa de cuidar da fiscalização das minas. d) Cuiabá e seus arredores estavam subordinados a Capitania de São Paulo. 74. Habitavam o pantanal mato-grossense, comercializavam com os espanhóis em Assunção, eram denominados de índios remadores e representaram um empecilho à colonização portuguesa. Estamos nos referindo aos a) Guaicuru; b) Xavante; c) Pareci; d) Cinta-Larga; e) Paiaguá. 75. Em 1750, os portugueses e os espanhóis assinaram o Tratado de Madri. Sobre esse contexto histórico, assinale a alternativa incorreta. a) assegurou a posse do oeste da colônia e da bacia Amazônica. b) garantiu praticamente a configuração do Brasil atual. c) os interesses de Portugal foram defendidos por Alexandre de Gusmão. d) para garantir a posse do território, o governo português enviou para governar o Mato Grosso, Luis de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. 76. Em 1748, o governo português criou a Capitania de Mato Grosso e nomeou como o seu primeiro capitão-general a) Pedro de Alcântara.
  18. 18. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com b) Pascoal Moreira Cabral. c) Antonio Rolim de Moura. d) Francisco Magessi. e) João de Albuquerque. 77. Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira: (1) Serra Acima (2) São Pedro D’El Rey (3) Rio Abaixo (4) Cocais (5) Rio Acima (6) Albuquerque ( ) Corumbá ( ) Livramento ( ) Poconé ( ) Chapada dos Guimarães ( ) Rosário Oeste ( ) Santo Antonio do Leverger. 78. Relacione as colunas corretamente. (1) Rapadura (2) Pascoal Moreira Cabral (3) Tordesilhas (4) Miguel Sutil (5) Mel (6) Prainha (7) São Gonçalo ( ) Nome do bandeirante que, junto ao rio Coxipó-Mirim, em 1719, descobriu ouro, marcando o início oficial da conquista e colonização de Mato Grosso. ( ) Bandeirante, cujo índios descobriram ouro junto ao rio Cuiabá, em 1722. ( ) Nome do 1º arraial fundado junto ao rio Coxipó. ( ) O que os índios de Sutil foram buscar nas matas, para saciar a fome dos integrantes da bandeira. ( ) Nome do Tratado firmado entre Portugal e Espanha, dividindo as terras descobertas e por descobrir no Novo Mundo. ( ) Nome do córrego através do qual as mercadorias chegavam ao centro de Cuiabá. ( ) Produto fabricado nos engenhos e que servia de alimento para a população mineira. 79. (FAP-2009) Como marco oficial, a História de Mato Grosso iniciou-se, em 1719, nas margens do rio Coxipó-Mirim, com a descoberta de ouro pelos homens que acompanhavam o bandeirante Pascoal Moreira Cabral. Com o sucesso da mineração e a necessidade de garantir para Portugal, a posse de terras além Tratado de Tordesilhas, foi criado em 1748 a Capitania de Mato Grosso, sendo a primeira capital Vila Bela da Santíssima Trindade, na extremidade oeste do território colonial. Para trabalhar na mineração, chegaram, no século XVIII, em Mato Grosso, os primeiros escravos de origem africana. Como resistência à escravidão, as fugas foram constantes, sendo individuais ou coletivas, formando diversos quilombos. Por ocasião da presença da capital, Vila Bela da Santíssima Trindade, a região do vale do rio Guaporé foi onde houve maior concentração dessas aldeias de escravos fugitivos. O quilombo do Piolho ou Quariterê, no final do século XVIII, reuniu negros nascidos na África e no Brasil, índios e mestiços de negros e índios (cafuzos). José Piolho, provavelmente foi o primeiro chefe do quilombo. Depois, assumiu o poder sua esposa, Teresa. Sobre os quilombos, assinale a alternativa incorreta. a) A população quilombola era constituída por brancos, índios, mestiços e negros. b) Dentro dos quilombos existia o sistema de escravidão. c) Apesar de Palmares ser o mais famoso, existiram diversos quilombos espalhados pelo Brasil. d) Os quilombos praticavam comércio com os engenhos. e) O sistema republicano era adotado nos quilombos, reproduzindo as tradições africanas. 80. (UNEMAT) Durante o Império, Mato Grosso vivenciou um importante movimento social em 1834, conhecido como Rusga. Sobre este acontecimento, assinale a alternativa correta. a) O movimento ocorreu em Mato Grosso em virtude de desentendimentos políticos no Rio de Janeiro entre Liberais Radicais e Liberais Moderados. b) A Rusga teve, como uma de suas principais características, as profundas reformas sociais que os seus líderes pretendiam implantar. c) Mesmo com a intensidade das disputas entre Liberais e Conservadores, não ocorreram atos de violência em virtude da enérgica repressão do presidente da Província Antonio Corrêa da Costa. d) Apesar das ações de violência, em síntese, o movimento não defendia nenhuma alteração significativa nas relações de trabalho, no regime político ou mesmo no processo eleitoral. e) Os membros da Guarda Nacional, em Mato Grosso, decidiram não se envolver na revolta por considerá-la ilegítima em suas reivindicações.
  19. 19. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 81. (NCE - SAD 2006) “Viva a Constituição brasileira Viva D. Pedro II Morram os bicudos pés de chumbo” Os gritos dos revoltosos ecoavam pelas ruas.... “Na escuridão da noite apenas se ouvia o barulho dos machados e das alavancas arrombando portas...” Os trechos acima fazem referência à “Rusga”, movimento político-social que eclodiu em 30 de maio de 1834, em Cuiabá. É correto afirmar que essa rebelião a) foi liderada por negros libertos e brancos pobres e influenciada pelo ideário positivista, exigiu a imediata abolição da escravidão e o congelamento dos preços de aluguéis e alimentos. b) representou os interesses dos partidários da Junta Governativa de Vila Bela que promoveram a separação da região do resto do Brasil, pois não aceitavam a independência proclamada por D. Pedro I. c) articulada pela Sociedade dos Zelosos da Independência, tinha inicialmente, objetivos políticos moderados, mas assumiu um caráter violento na medida em que grupos radicais exigiam a expulsão dos portugueses. d) obteve grande apoio das camadas médias urbanas e da burguesia manufatureira que, influenciadas pelo liberalismo, defendiam a imediata proclamação da República. e) refletiu a ação do Partido Brasileiro, pois os proprietários rurais de Mato Grosso defendiam o fortalecimento do poder imperial, contrariando a orientação federalista do Nordeste. 82. (UnB/CESP) Em meio a muitos atos de violência, um episódio sangrento notabilizou- se na história de Mato Grosso. Trata-se da Rusga, nome pelo qual ficaram conhecidos os sangrentos acontecimentos de 30 de maio de 1834, quando a) espanhóis vindos da Bolívia, em sua maior parte, atacaram Mato Grosso para reaver o território que consideravam pertencer-lhes de direito. b) guerreiros paiaguás invadiram a capital da província e encontraram inesperada e poderosa reação por parte da população local. c) brasileiros de Mato Grosso se lançaram armados contra portugueses que viviam na província, os chamados adotivos, o que, para alguns, foi gesto típico de revanche à tirania lusa. d) as tropas enviadas pelo governo regencial atacaram Cuiabá com o objetivo de desalojar do poder o presidente da província. 83. (UFMT) A Rusga em Mato Grosso, portanto, foi um dos mais precoces movimentos regenciais, visto que deflagrado em 1834. Mesmo tendo sido uma luta armada travada no interior das elites, ela engrossou uma movimentação mais ampla, tendo sido plural em suas reivindicações e expressões. SIQUEIRA, E. M. História de Mato Grosso. Cuiabá: Entrelinhas, 2002. Sobre o movimento A Rusga, assinale a afirmativa correta. a) Propôs a abolição do trabalho escravo com o objetivo de conseguir a adesão não só dos cativos, mas também dos grupos abolicionistas. b) Foi também impulsionada pela questão da cor, pois os revoltosos, em sua maioria mulatos ou crioulos, sentiam-se inferiorizados em relação à população branca. c) O principal alvo dos revoltosos foi a elite comercial e os pequenos proprietários. d) Em seu momento de maior radicalização, os líderes do movimento pretenderam a independência da província. e) Significou a reação das elites da província à promulgação da Constituição Imperial. 84. (UnB/CESP) Um dos mais violentos episódios da história de Mato Grosso ficou conhecido como A Rusga, que explodiu no contexto da independência e da constituição do Estado brasileiro, processo que se estendeu pelo Primeiro Reinado (1822-31) e pelo período regencial (1831-40). Denominada por alguns de a Noite de São Bartolomeu da História Mato-Grossense, A Rusga correspondeu ao a) choque de interesses entre naturais da província e forasteiros, sobretudo paulistas, que para ela convergiam em busca do ouro. b) confronto entre brasileiros de Mato Grosso e portugueses, sendo estes identificados como estrangeiros que já haviam explorado em demasia as riquezas locais. c) movimento de insurreição promovido pelos escravos de origem africana, que fundaram, pouco antes, em Mato Grosso, o maior quilombo que o Brasil conheceu. d) levante indígena na região do Guaporé, o qual obrigou D. Pedro I a decretar a intervenção imperial no governo da província de Mato Grosso.
  20. 20. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 85. (UNEMAT) Quanto à Rusga, revolta que se desenvolveu em Mato Grosso durante a Regência, pode-se afirmar que a) foi composta majoritariamente pelos Caramurus, grupo político que desejava o retorno de Dom Pedro I e a volta do Brasil à condição de colônia. b) havia uma forte articulação dos revoltosos com movimentos semelhantes que se desenvolviam no Pará, na Bahia e no Rio Grande do Sul. c) foi um movimento popular, tendo sido plural em suas reivindicações, como a defesa da abolição da escravatura. d) os liberais radicais, liderados por Poupino Caldas, desejavam, com a Rusga, expulsar da província e exterminar o poder dos grandes comerciantes, proprietários de terras e de escravos. e) foi organizada pela Sociedade dos Zelosos da Independência, composta por elementos da elite burocrática, profissionais liberais e componentes da Guarda Nacional. 86. (VUNESP) “Espalhada a notícia de que os adotivos, que formavam o “poder econômico” da Província, preparavam-se para eliminar as mais importantes figuras ligadas à exaltação nacionalista, os ‘zelosos’ decidiram tomar a dianteira. (...) Reunidos na residência de Joaquim de Almeida Falcão, presidente da Câmara de Cuiabá e dos ‘zelosos’ (...) deliberaram agir imediatamente. E na noite de 30 de maio de 1834, tomado pela Guarda Nacional o quartel dos Municipais Permanentes, armada a tropa desenfreada, cercadas as casas dos adotivos de maior evidência, a um toque de clarim, que era o sinal combinado, iniciou-se a desordem: assaltos às residências de adotivos, ataques e saques no comércio.” REIS, Arthur Cezar Ferreira. Mato Grosso e Goiás. In: História Geral da Civilização Brasileira. O fragmento faz referência a) à Rusga. b) à rebelião do Tanque Novo. c) ao conflito de limites com o Amazonas. d) à rebelião comandada pelo coronel Mascarenhas. 87. (UFRJ) “Os escravos negros chegaram a Mato Grosso concomitantemente à fixação do povoamento. A primeira monção proveniente de São Paulo trazia o necessário para a exploração do ouro: além de mantimentos e ferramentas, escravos. Estes foram direcionados para os trabalhos de mineração.” REIS, J. e GOMES, F. (orgs). Liberdade por um fio. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. Em relação à presença de escravos africanos na vida social mato-grossense, nos séculos XVIII e XIX, pode-se afirmar que a) caracterizou-se pela passividade dos negros na aceitação da escravidão. b) contribuiu para uma violenta revolta negra, baseada no exemplo haitiano, a Revolta dos Haussás. c) foi insignificante do ponto de vista demográfico, pois predominou a mão-de-obra dos imigrantes europeus. d) foi marcada por atos de resistências à escravidão, formando quilombos como os de Quariterê e Sepotuba. e) desapareceu com o declínio da atividade mineradora. 88. Segundo a historiadora Elizabeth Madureira (2002:120), "os escravos constituíam aquilo que o cronista Antonil denominou, em sua obra Cultura e opulência do Brasil (1967), 'as mãos e os pés dos senhores de engenho'. No caso de Mato Grosso, os negros africanos atuavam como trabalhadores dos engenhos de açúcar, das fazendas de lavoura e, sobretudo, junto aos trabalhos de mineração." Com relação aos aspectos referentes à vigência da escravidão na história de Mato Grosso é correto afirmarmos que a) ser escravo significava aceitar estar nessa condição, uma vez que os castigos físicos e a constante vigilância impediam que o negro transgredisse a ordem vigente. b) o escravo africano constituía-se num símbolo de poder dos colonizadores, sendo assim muitos elementos vindos do continente europeu adquiriram negros africanos para efetuarem em solo mato-grossense as tarefas de mineração, agricultura, além das tarefas domésticas. c) a utilização dos escravos africanos esteve restrita às atividades relativas à mineração e ao plantio de cana-de-açúcar, visto que os serviços urbanos estavam reservados apenas aos livres pobres. d) as fugas de escravos para o Quilombo do Piolho eram patrocinadas por autoridades espanholas interessadas em desguarnecer a fronteira oeste para depois anexar o Vale Guaporeano ao Império Colonial espanhol. e) os escravos introduzidos em Mato Grosso pela Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão pertenciam à mesma etnia.
  21. 21. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 89. (UNEMAT) Como resultado do movimento de resistência à escravidão, às constantes humilhações e os maltratos praticados pelos senhores de escravos, os africanos de Mato Grosso se utilizaram de vários recursos para sobreviverem, dentre eles, assassinatos de feitores, as constantes fugas e constituição de quilombos que se espalharam pelo vasto território mato-grossense. Assinale a opção que corresponde aos dois mais importantes e maiores quilombos de Mato Grosso. a) Mundéu e Cansanção; b) Piolho ou Quariterê e Cansanção; c) Piolho ou Quariterê e Kundiru; d) Kalunga e Cansanção; e) Mkulelê e Cansanção. 90. (UFMT) Os itens abaixo estão relacionados com a escravidão em Mato Grosso. Julgue-os. ( ) Por volta de 1770/71, na região do Guaporé, próximo ao rio Piolho ou Quariterê, formou-seu um quilombo composto de negros fugidos, índios, crioulos e caburés, demonstrando que não apenas os negros fugiam da dominação branca. ( ) A abolição da escravidão na província de Mato Grosso, ao contrário do que aconteceu no restante do Brasil, ocorreu em meio a graves convulsões sociais que ameaçaram a unidade territorial. ( ) A proximidade com o domínio espanhol dificultou a concretização de fugas de escravos devido ao intenso policiamento da fronteira, efetuado pelas autoridades lusitanas e espanholas. ( ) Enquanto forma de resistência à violência, os quilombos proliferaram em Mato Grosso. Entre outros, Rio Manso, Mutuca e Pindaítuba, na Chapada dos Guimarães, e o do Rio Sepotuba em Cáceres. ( ) Em Mato Grosso, a mão-de-obra foi definida pelo caráter da atividade econômica. Assim, a utilização do africano ocorreu na mineração do ouro, na exploração da cana-de- açúcar e nas atividades agrícolas e urbanas. 91. (UNEMAT) Durante a vigência do sistema escravista no Brasil, várias formas de luta foram empreendidas pelos escravos contra o poder senhorial. Em Mato Grosso existiram inúmeros quilombos construídos por escravos negros e seus descendentes (africanos e crioulos), indígenas e pobres livres, além de soldados desertores. Na Vila Maria do Paraguai (1778) existia um quilombo, que se localizava próximo a um rio. Informações apontam sua existência desde meados do século XVIII até o século XIX. Sobre o assunto, julgue os itens. ( ) Quariterê foi o mais famoso de todos os quilombos do país. ( ) O quilombo do Seputuba abrigava inúmeros quilombolas, além de outros indivíduos. ( ) A Aldeia Carlota situava-se próxima a Vila Maria do Paraguai, sendo conhecida na historiografia brasileira como o quilombo de maior densidade populacional. ( ) Não existiram quilombos em Mato Grosso. ( ) Existem, na atualidade, remanescentes de quilombolas próximos a cidades como Livramento e Poconé (MT). 92. (UNEMAT) "Ser escravos não significava aceitar estar nessa condição. O corpo, os ossos, a pele dos escravos pertenciam a outrem, porém sua vontade, seus sentimentos e suas paixões só a ele pertenciam. Por isso ele reagiu e se aquilombou." MADUREIRA, 1990. Em Mato Grosso, as fugas eram constantes, originando-se diversos quilombos, dentre eles, um surgido por volta de 1770/71, na região guaporeana, o qual se destacou devido a sua característica, ou seja, foi formada por negros, índios, crioulos e caburés que fugiam da dominação branca. O texto refere-se ao quilombo do a) Mutuca. b) Pindaituba. c) Rio Manso. d) Piolho ou Quariterê; e) Palmares. 93. Em relação à utilização do trabalho escravo e ao estabelecimento de quilombos em território mato-grossense, é incorreto afirmar que a) em Mato Grosso a utilização dos escravos africanos se deu na atividade açucareira, nas lavouras das fazendas, nos trabalhos domésticos e, especialmente nos penosos trabalhos de mineração. b) os quilombos foram uma característica marcante da região guaporeana, especialmente no período em que Vila Bela foi a capital de Mato Grosso, entre 1752 e 1821. c) por conviverem índios, negros, crioulos e caburés, os hábitos e costumes indígenas, mesclados aos africanos, propiciou o surgimento de vida social bastante interessante, uma vez que as culturas e as tradições de seus habitantes eram colocadas em prática em sua convivência comunitária.
  22. 22. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com d) devido ao fato de Vila Bela ter sido a sede administrativa de Mato Grosso, e ainda por ter recebido um grande contingente de mão-de- obra escrava, os quilombos acabaram sendo uma característica singular da região guaporeana, não se proliferando para outras regiões de Mato Grosso. e) o fenômeno da formação de quilombos marcou profundamente a reação da camada mais pobre da sociedade, pois além de se apresentarem como refúgio de negros escravos, representou também um espaço conquistado pelos excluídos: negros, índios e brancos pobres. 94. De acordo com a historiadora Elizabeth Madureira Siqueira, "em Mato Groso, assim como em todo o Brasil, o número de quilombos foi grande, o mais famoso dos quilombos mato-grossense foi o chamado Piolho ou Quariterê, situado na região do rio Guaporé, próximo ao rio Piolho, erguido entre os anos de 1770/1771." SIQUEIRA, 2002. P. 122. Em relação ao Quilombo do Piolho ou Quariterê, julgue as proposições: ( ) Esse quilombo era uma aldeia composta exclusivamente por negros escravos foragidos dos domínios de seus senhores e que formaram uma comunidade longe do alcance dos brancos. ( ) Considerando que a região guaporeana se avizinhava com terras pertencentes ao Império Colonial Espanhol, os colonos desse território resolveram recapturar os escravos fujões, pois, a cada dia, esse espaço se tornava mais despovoado devido às constantes fugas. ( ) Essas fugas em direção à esse quilombo eram patrocinadas por autoridades governamentais espanholas, visto que os quilombolas efetuavam constantes relações comerciais com o espanhóis contrabandeando ouro em troca de armas e munições. ( ) Esse quilombo foi inicialmente chefiado por José Piolho, entretanto, com o seu falecimento, assumiu seu posto a sua esposa, Tereza de Benguela, conhecida como "Rainha Tereza", que liderou essa comunidade até que as forças governamentais a destruíram. 95. Relativamente a fatos, personagens e contextos da história de Mato Grosso, assinale a opção incorreta. a) Dois fatos protagonizados pelo Paraguai deram início à Guerra da Tríplice Aliança: o aprisionamento do navio que conduzia o futuro presidente da província de Mato Grosso e a invasão do território brasileiro. b) A figura do marechal mato-grossense Cândido Mariano da Silva Rondon identifica-se, na história brasileira, fundamentalmente pelo esforço de interligar o interior do país por meio das comunicações e pela preocupação em proteger as populações indígenas. c) Diferentemente do ocorrido em outras regiões do Brasil colônia, em Mato Grosso foram irrelevantes os conflitos entre conquistadores brancos e populações indígenas, tendo sido estas facilmente atraídas para o trabalho nas minas e na lavoura. d) De maneira geral e quanto à repercussão econômica, a mineração em Mato Grosso foi de curta duração, marcada por descobertas intermitentes e pelo rápido esgotamento. 96. Em outubro de 1977, foi sancionada a Lei Complementar que criou o estado de Mato Grosso do Sul pelo desmembramento de área do estado de Mato Grosso. A respeito do processo que resultou nessa divisão, é correto afirmar que a) por meio de plebiscito, as populações nortista e sulina de Mato Grosso aprovaram a divisão desse estado. b) a decisão de dividir o estado aconteceu em pleno Regime Militar. c) o marechal Rondon foi o maior defensor dessa divisão. d) o sul foi a área mais refratária à divisão do estado. 97. A Guerra da Tríplice Aliança foi o maior conflito em que o Brasil se envolveu no século XIX. Por ser área de fronteira com o inimigo, Mato Grosso dele participou intensamente. Relativamente ao tema, assinale a opção incorreta. a) O aprisionamento pelas forças paraguaias do vapor Marquês de Olinda, que conduzia o presidente nomeado de Mato Grosso, é considerado o ato inicial da guerra. b) Francisco Solano López era o governante paraguaio que conduziu seu país durante o conflito contra Argentina, Brasil e Uruguai (Tríplice Aliança). c) Após a guerra, a crescente força do exército brasileiro representou a ampliação de focos de atrito com o Império, o que contribuiu para a queda do regime. d) A maior resistência encontrada pelos paraguaios em Mato Grosso foi a oferecida pela guarnição de Corumbá, que impôs severas perdas ao exército inimigo. 98. Reproduziu-se em Mato Grosso o quadro de turbulência que, não raro, assinalou a
  23. 23. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com trajetória da Primeira República (1889-1930) no Brasil. Choques entre facções das elites, tentativas de golpes e pretensas revoluções e intervenção do poder central marcaram esse período. Em meio a uma dessas crises, uma solução típica da política brasileira — a conciliação — foi buscada para apaziguar o Estado: em plena Primeira Guerra Mundial, um membro do clero católico foi escolhido para presidir Mato Grosso. Trata-se de a) Filinto Muller. b) Aquino Correa. c) Augusto Leverger. d) Manoel Murtinho. 99. De formação positivista e dotado de visão humanista da cultura, um brasileiro se notabilizou pelo esforço de integração de áreas interioranas do país, via fixação de linhas telegráficas, e pelo trabalho de contato com povos indígenas de modo diferente do modelo que prevalecera em quatro séculos de História. Natural de Mato Grosso, militar, esse sertanista era a) João Poupino Caldas. b) João de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. c) Cândido Mariano da Silva Rondon. d) Mário Corrêa da Costa. 100. Tese antiga, defendida desde fins do século XIX, a divisão de Mato Grosso suscitou debates e, por muito tempo, foi defendida com ênfase por lideranças do sul do estado. Foi preciso que se ultrapassasse a segunda metade do século XX para que ela se concretizasse. A formalização do ato que criou o Estado de Mato Grosso do Sul foi tomada no governo de a) Getúlio Vargas, no contexto da Marcha para o Oeste. b) JK, dentro de seu Plano de Metas (50 anos em 5). c) Ernesto Geisel, durante o regime militar instaurado em 1964. d) José Sarney, por decisão da Assembleia Constituinte de 1987-1988. 101. O padrão da atuação oficial em relação aos povos indígenas começa a ser alterado, inclusive por pressão de setores da sociedade civil, especialmente via imprensa, a partir de famosa expedição liderada por dois respeitados sertanistas. Dela decorreu o anteprojeto que criava o Parque do Xingu (1952), efetivamente criado apenas em 1961. Essa expedição e seus líderes denominam-se, respectivamente, a) Kayapó-Timbira, Sidney Possuelo e Luís Bueno Horta Barbosa. b) Terra Brasilis, Lydia Poleck e Ujatu Tamalisyn. c) Noroeste do Brasil, Carlos Fausto e Manuela Carneiro da Cunha. d) Roncador-Xingu, irmãos Villas-Boas. 102. (UFRJ) O Tratado de Madri praticamente definiu a atual configuração do território brasileiro, estabelecendo as fronteiras entre terras espanholas e portuguesas. O princípio que orientou os negociadores desse tratado estabelecia que a) as populações locais, nas regiões em litígio, podiam escolher a metrópole à qual se submeteriam. b) a ocupação das regiões fronteiriças seria resolvida mediante intervenção militar. c) a posse definitiva das áreas em litígio seria definida por compra e indenizações. d) a demarcação da fronteira nas regiões litigiosas seria estabelecida pelas populações locais. e) a posse das terras caberia àqueles que as estivessem ocupando. 103. (UFRJ) “Em uma sociedade não industrializada, o núcleo urbano tem variadas funções – centro comercial, pólo de relações e comunicações, sede dos organismos de educação, entre outras. Ele é sempre um elemento de organização do meio rural circundante e sede do poder político. Nele se concentra a autoridade sobre a redondeza”. QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. in HGCB, volume I, cap.III. Pág. 180. No Brasil, na passagem do Império para a República persistia essa estrutura econômico- política e com ela persistiam os “coronéis”. A origem dessa denominação marcial está a) nos títulos da Guarda Nacional criada, depois da independência, para auxiliar na manutenção da ordem e para defender a Constituição. b) na hierarquia dos postos do exército brasileiro surgida, após a Guerra do Paraguai, para promover o policiamento local. c) no prestígio dos líderes políticos, no final do Império, devido aos direitos de herança e à capacidade de prestar favores. d) na concessão de títulos de nobreza pelo imperador, depois da maioridade, para prevenir revoltas regionais. e) na ação da Igreja, desde o período colonial, determinada a manter a hierarquia social e o prestígio dos “homens bons”.
  24. 24. História de Mato Grosso em Exercícios... – www.historiasdomedeiros.blogspot.com 104. Em 1834 eclodiu em Cuiabá, o movimento social denominado de Rusga. Com relação a esse movimento social, é valido afirmar que a) foi resultante da insatisfação das camadas populares, devido a aprovação do Ato Adicional. b) foi organizada pelos liberais radicais, que defendiam o federalismo e os princípios democráticos. c) havia um forte sentimento de xenofobia, especialmente com relação aos adotivos estabelecidos na Província. d) o movimento social ficou restrito a Cuiabá, pois no restante da província o movimento foi controlada facilmente pela Guarda Nacional. e) ocorreu durante o Segundo Reinado e refletiu a insatisfação das elites e das camadas populares em virtude do excesso de centralização. 105. A ocupação do território mato-grossense estava intimamente relacionado a expansão bandeirante. Sobre esse contexto histórico, é correto afirmar que a) as primeiras bandeiras que penetraram em Mato Grosso tinham como principal objetivo a descoberta de metais preciosos. b) as bandeiras eram expedições particulares e representaram para os paulistas uma alternativa de sobrevivência. c) além das bandeiras, a Capitania de São Paulo tinha uma economia pautada na empresa açucareira de exportação. d) Antonio Pires de Campos foi o sertanista de contrato, responsável pela descoberta de ouro no Arraial de São Gonçalo. e) não há nenhuma relação entre a Guerra dos Emboabas e a penetração dos bandeirantes em território mato-grossense. História de Mato Grosso em Exercícios... – Gabarito 1. F, V, V, F, F / Comentários: As bandeiras possuíam variados objetivos, entre eles, o apresamento indígena, o sertanismo de contrato e a prospecção de metais e pedras preciosas. O movimento dos bandeirantes pelos sertões do Brasil contribuiu para a expansão territorial dos domínios lusitanos na América, na medida em que devassou terra localizadas à Oeste do Tratado de Tordesilhas. A caça ao índio, destinado à atender as necessidades de mão-de-obra, sobretudo no período da União Ibérica (1580-1640) foi uma atividade extremamente lucrativa para os bandeirantes. O ataque às missões jesuítas espanholas foi o principal alvo dos bandeirantes que se dedicavam ao aprisionamento dos silvícolas, uma vez que era nas reduções jesuíticas que se encontravam os índios "ladinos", ou seja, habituados ao trabalho agrícola e aculturado, sendo assim os bandeirante entraram em atrito com a Companhia de Jesus, um exemplo desse conflito é visualidade no filme "A Missão". 2. E / Comentários: A bandeira de Pascoal Moreira Cabral, bem como as que aqui estiveram antes dele, tinham por objetivo principal o preamento de índios para serem escravizados. A descoberta de ouro, nas margens do Coxipó-Mirim acabou ocorrendo de maneira ocasional. 3. B / Comentários: Os indígenas, chamados de "negros da terra" também foram utilizados na mineração como mão-de-obra compulsória, ou seja, escravos. 4. D / Comentários: Ao bandeirante Pascoal Moreira Cabral é atribuída a descoberta de ouro às margens do Coxipó e a fundação do Arraial da Forquilha, marco inicial do povoamento efetivo da região cuiabana. 5. D / Comentários: A descoberta de ouro marca o início do efetivo povoamento de Mato Grosso, primeiramente nas margens do rio Coxipó-Mirim (1719) com a fundação do Arraial da Forquilha, em seguida com as "Minas do Sutil" (1722) no córrego da Prainha e finalmente com os achados dos irmãos Paes de Barros no vale do Guaporé, as "Minas de Mato Grosso". 6. D 7. E 8. E 9. C 10. C / Comentários: As monções eram expedições comerciais que partiam do porto de Araritaguaba (atual Porto Feliz) em São Paulo e através de um trajeto quase que exclusivamente fluvial abasteciam as regiões mineradoras em Mato Grosso, para onde traziam uma grande gama de mercadorias, tais como: roupas, bebidas, medicamentos, ferramentas de trabalho, alimentos variados, dentre os quais se destacava o sal, produto indispensável ao bem-estar da população do arraial. A esse sistema de abastecimento e de transporte de pessoas, deu-se o nome de monções.

×