Trabalho francine gestao_de_materiais_corrigido_marirosa

1.336 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho francine gestao_de_materiais_corrigido_marirosa

  1. 1. Fórum de discussão: Administração de recursos materiais em serviço em saúde 23/09/13
  2. 2. Faculdade São Camilo Bahia Curso: Enfermagem/Matutino Semestre: 7º. Gerenciamento da Assistência de Enfermagem Docente: Francine Paixão Farias Discentes: Mariana Freire/Rosane Santos.
  3. 3. O Histórico da administração de recursos matérias na saúde  A atividade de GESTÃO DE MATERIAIS existe desde a mais remota época, através das trocas de caças e de utensílios até chegarmos aos dias de hoje, passando pela Revolução Industrial.  A Revolução Industrial, meados dos séc. XVIII e XIX, acirrou a concorrência de mercado e sofisticou as operações de comercialização dos produtos, fazendo com que “compras” e “estoques” ganhassem maior importância. 23/09/2013
  4. 4. A administração de recursos matérias na saúde Os recursos humanos e financeiros, são essenciais para o funcionamento de qualquer tipo de organização, privada ou publica,com finalidade lucrativa ou não,e constituem fator que possibilita o alcance dos objetivos propostos por essas organizações. A administração de materiais “É um ramo especializado da ciência da administração,pois trata especificamente de um conjunto de normas relacionadas com a gerencia de artigos essencial á produção de um determinado bem ou serviço. 23/09/2013
  5. 5. Objetivos da administração de materiais Coordenar as atividades necessárias para garantir o suprimento de todas as áreas da organização, ao menor custo possível e de maneira que a prestação de seus serviços não sofra interrupções prejudiciais aos usuários. Disponibilizar recursos necessários para a realização do processo produtivo – quantidade,qualidade, tempo e menor custo. 23/08/0213
  6. 6. tÁ 23/09/13 Organograma hospitalar DIRETORIA DO HOSPITAL DEPARTAMENTO TECNICO ASSISTENCIAL DEPARTAMENTO MEDICO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENFERMANGEM DIVISÃO DE MATERIAIS SERVIÇO DE COMPRAS SERVIÇO DE ALMOXARIFAD O SERVIÇO DE PATRIMÔNIO Fonte: PAULINA 2010
  7. 7. As Funções do Serviço de Materiais Nas Instituições de Saúde Recebimento, Armazenamento, Compra ,Distribuição e o  Controle dos materiais são efetuado pelo serviço de almoxarifado. Os Serviços que mais utilizam a área de recursos de materiais na unidade hospitalar: Nutrição e dietética; Lavanderia Farmácia Manutenção.
  8. 8. Administração dos Materiais:Atividade do enfermeiro Previsão: Levantamento das necessidades da unidade; Provisão: Consiste na reposição,mediante caminhamento de impressos de solicitações aos serviços; Organização:locais de fácil acesso;  Controle deste materiais. Conservarão e reparo,proteção contra roubo. O enfermeiro pode classifica-lo quanto á : Finalidades,Duração; Porte, Custo; Matéria prima.
  9. 9. Administração ou Gerenciamento de Materiais Compreende o processo gerencial para aquisição e disponibilização de materiais já manufaturados,essenciais para a produção de serviços de saúde. Programação: Começa pela classificação,padronização,especificação dos materiais e estabelecimento da quantidade a ser adquira. Padronização dos materiais: É essencial dada a variedade de bens e produtos que tem a mesma finalidade técnica e indicações de uso. Especificações técnicas: Compreende uma descrição minucioso do material. 23/09//13
  10. 10. Programação do gráfico: PROGRAMAÇÃO COMPRA RECEPÇÃO ARMAZENAMENTO DISTRIBUIÇÃO E CONTROLE •Padronização •Classificação •Especificação •Previsão Controle de qualidade Licitação Controle Poder de decisão Fonte:PAULINA 2010
  11. 11. Previsão de Materiais Quantidade a ser requisitada pelas unidades do almoxarifado, é determinado pelo perfil de consumo de cada unidade. Estoque de segurança:É a quantidade de cada item que mantêm como reserva para garantir a continuidade do atendimento caso haja elevação brusca no consumo ou atraso no suprimento. A forma mais simples e empírica de calcular o Es é acrescentar,á cota mensal,10% a 20% do (CMM+CTR),somado ao consumo diário durante o tempo de reposição(CTR). N= numero de dias de espera para reposição ES=10% A 20% do(CMM+CTR) CTR=CMM/30.N
  12. 12. Estimativa do Material Comprado CM=cota mensal; CMM=consumo médio mensal; ES=estoque de segurança. CM=CMM+ES O consumo médio mensal (CMM) é a media dos valores do material utilizado nos últimos meses,dividido pelo numero de meses.A cota mensal baseada na media aritmética móvel é o método mais usado no meio hospitalar (TOSCAN 1990).
  13. 13. Unidades Mensal Consumidos Material Janeiro Fevereiro Março Seringa 10 ml 200 240 220 Para calcular o CMM de seringas de 10 ml,seria: CMM=Soma do consumo dos 3 meses 3 meses CMM= 660 = 200 3 Controle de Estoque Fonte: CHIAVENATO,1991
  14. 14. Curva ABC Classe A a 20% do total; Classe B a 20% a 30% ; Classe C a 50% Classificação ITEM Custo anual Custo anual acumulado % do custo anual acumulado % do nº de itens acumulados Classificação ABC 1 35.250,00 35.250,00 41,60 7,30 A 2 18.640,00 53.890,00 64,00 20,90 A 3 10.631,00 64.521,00 76,14 35,80 B 4 8.000,00 72.521,00 85,58 52,50 B 5 6.034,00 78.555,00 92,70 64,30 C 6 2.880,00 81.435,00 96,10 72,70 C 7 1.940,00 83.375,00 99,03 81,90 C 8 820,00 84.195,00 99,35 88,70 C 9 545,00 84.740,00 100,00 100,00 C Fonte:PAUNILA 2010
  15. 15. O Estoque de Segurança Deverá ser calculado por item e por classe,seguindo as seguintes fórmulas, segundo ROSA ;GOMES;REIS(2001): ES de itens A=CMM .1/3 do TR ES de itens B=CMM .1/2 do TR ES de itens C= CMM .TR TR=tempo de reposição em meses. Estoque de materiais: Representam investimentos significativos para os hospitais;por isso,seu gerenciamento garante tanto a excelência dos serviços como resultado financeiros satisfatório  Objetivo do gerenciamento de estoque:É minimizar o capital investido ,a soma dos custos de manutenção de estoque e os custos para a sua obtenção. Estoque de segurança
  16. 16. Processo de compras dos materiais utilizado nas unidade O enfermeiro sempre participou desse processo,opinando quanto ao tipo a quantidade,qualidade dos materiais. Atuar em comissão de licitação,integrando os grupos de assessoria de compra. No processo de seleção e compra de matérias temos modalidades adotadas pelas instituições. Privadas,a compra e direta;(desburocratização). Públicas as normas legais que regulam a licitação. Processos de compra de materiais
  17. 17. Licitação e suas Modalidades É o processo administrativo regido por legislação especifica,utilizado para aquisição ou alienação de bens e serviço, com o objetivos de garantir a observância do princípio constitucional da isonomia e de selecionar a proposta mais vantajosa para a administração(art.3ºda lei 8.666/93). Modalidade de licitação Lei 8.66/93 convite utilizado entre os interessado. Lei 6.544 objetivo da licitação Licitação e suas modalidades
  18. 18. Padronização dos materiais E a atividade que visa simplificar,este e ,reduzir as variedades eliminado o que não for necessária. Para isso,o enfermeiro deve conhecer os materiais semelhantes e ao que podem ser substituído entre si. Especificação técnica do material : A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). EX:Seringa de plástico estéreis de uso único. Controle de qualidade do material a se adquirido: O enfermeiro e responsável pelo controle de material, seleção de material,avaliação do produto,método de esterilização,data de validade,acabamento do material,segurança,realização dos teste. Padronização dos materiais
  19. 19. O Papel do Enfermeiro Mantenha-se atualizado em relação aos novos produtos lançados no mercados e as novas técnicas terapêuticas, e lembrar de prover medidas de contenção de gostos de materiais.para a qualidade da assistência de enfermagem. O profissional de enfermagem, juntamente com o serviço de educação continuada,promove estratégias de orientação e capacitação dos profissionais de enfermagem do que se refere do uso racional do material disponível e a otimização dos recursos. O papel do Enfermeiro
  20. 20. Considerações Finais A atuação de enfermeiro na administração de recursos materiais constitui conquista nas esferas da tomada de decisão ,destacando,portanto,o importante papel do enfermeiro na dimensão técnico – administrativo inerente aos processo de cuidar e gerenciar e não apenas na concepção de mais uma atividade burocrática que não agregar valor á profissão e ao cuidado. Considerações Finais
  21. 21. Revista de Enfermagem Referência - III - n.° 2 - 2010 Florence Nightingale Revelar-se uma mulher com grande capacidade de trabalho, de determinação, de gestão e de liderança. É desta experiência brutal,no estrangeiro, numa cultura hostil como a castrense e, ainda por cima,no teatro de guerra, que Florence retira o conhecimento prático que lhe vai permitir criar as bases para a reforma hospitalar da segunda metade do Século XIX (incluindo a reorganização dos serviços de enfermagem).
  22. 22. Referencia Bibliográficas 1. Kuregant,Paulina,Gerenciamento em enfermagem/2ªEdição-Rio de janeiro:Guanabara Koo gan,2010; 2 . Kuregant,Paulina, Administração de Enfermagem /editora pedagógica e universitária Ltda.,São Paulo,1991; 3. Lúcia M,M Lopes,Sandra Mª P,S Apontamentos sobre a fundadora da Enfermagem Moderna,Revista de Enfermagem Referência II Série - n.° 2 - Dez. 2010 ; Referencia Bibliográficas
  23. 23. Obrigado !

×