SlideShare uma empresa Scribd logo
Ferramentas gerenciais 
SUPERVISÃO DE ENFERMAGEM
O enfermeiro é responsável por: 
Avaliar se a equipe está cumprindo corretamente suas atividades 
Elencar atividades prioritárias diante da grande demanda de trabalho no serviço de emergência. 
Para conseguir estes objetivos utiliza a supervisão: 
Instrumento do processo de trabalho gerencial do enfermeiro em emergência com base no acompanhamento do cotidiano do trabalho. 
Geralmente lembrada pelos enfermeiros apenas na sua dimensão de controle.
Atividades de supervisão 
Integram um importante eixo do gerenciamento do cuidado; 
Grande quantidade de atividades desenvolvidas sob coordenação dos enfermeiros.
Processo de supervisão 
Instrumento para a prática gerencial do enfermeiro 
Visa uma assistência de enfermagem livre de danos, riscos e agravos aos usuários; 
Melhoria dos processos; 
Desenvolvimento da equipe. 
Papel de orientador e facilitador, co-responsável pela manutenção de um serviço de qualidade.
Características da supervisão
Características da supervisão
Características da supervisão
Técnicas de supervisão: 
•Observação direta; análise de registros; entrevistas; reunião e discussão em grupo; demonstração; orientação; estudo de caso. 
Técnicas 
•Prontuário do paciente; prescrição de enfermagem; plano de supervisão (constam objetivos e atividades de supervisão), cronograma (constam a relação de atividades e os dias ou períodos em que serão executados), roteiro; manual do Serviço de Enfermagem com normas, procedimentos e rotinas. 
Instrumentos utilizados
O supervisor 
Referência para a equipe 
Não basta competência técnica 
firmeza e sensibilidade (usadas na quantidade e momento certo) 
Reciprocidade, pois trata-se de uma relação que depende da capacidade de interação e de mútua influência.
Supervisão de enfermagem 
Processo de trabalho 
Diferentes agentes 
Prática diária
Papéis do supervisor/gerente 
Análise permanente do contexoorganizacional 
Articulação com politicas de saúde 
Intervenções e resultados 
Aprimoramento e qualificação dos agentes 
Articulação política 
garantir a qualidade da assistência prestada.
Para saber mais 
•Para aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto consulte os seguintes materiais: 
•Finalidade das estratégias de supervisão utilizadas em ensino clínico de enfermagem. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072007000400003 
•LiberaliJ, Dall’AgnolCM. Supervisão de enfermagem: um instrumento de gestão. RevGaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 29, n. 2, p.276-82, jun. 2008. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/55 92/3202 
•Scarparo AF, Ferraz CA. Auditoria em enfermagem: identificando sua concepção e métodos. RevBrasEnferm, v. 61, n. 3, 302-5, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n3/a04v61n3.pdf
Referências 
•HAUSMANN, M.; PEDUZZI, M. Articulação entre as dimensões gerencial e assistencial do processo de trabalho do enfermeiro. Texto e Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 258-265, 2009. 
•DAL SASSO, G. T. M.; DARLI, M. C. B. C., LUCIELI DIAS PEDRESCHI.; et al.Cursode EspecializaçãoemLinhasde CuidadoemEnfermagem: MóduloV -Classificaçãode riscoe acolhimentoFlorianópilis-SC: UniversidadeFederal de Santa Catarina-UFSCProgramade Pósgraduaçãoemenfermagem, 2013. 
•SANTOS, J. L. G. A dimensão gerencial do trabalho do enfermeiro em um serviço hospitalar de emergência. 2010, 135p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) –Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010. 
•LIBERALI J, DALL’AGNOL CM. Supervisão de enfermagem: um instrumento de gestão. RevGaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 276-82, jun./ 2008. 
•SILVA, E. M.. Supervisão em enfermagem: análise crítica das publicações no Brasil dos anos 30 à década de 80. Ribeirão Preto, 1991. 158p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) -Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. 
•CUNHA, K.C. Supervisão em enfermagem. In: KURCGANT, P. (coord.). Administração em enfermagem. São Paulo, EPU, 1991, cap. 10, p.117-32.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
joselene beatriz
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
fnanda
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
naiellyrodrigues
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
Ivanete Dias
 

Mais procurados (20)

Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
 
Ética Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagemÉtica Profissional de enfermagem
Ética Profissional de enfermagem
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
 
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de EnfermagemA Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
A Qualidade e a Avaliação dos Serviços de Saúde e de Enfermagem
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
 
Enfermagem o papel e a importância
Enfermagem   o papel e a importânciaEnfermagem   o papel e a importância
Enfermagem o papel e a importância
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Teorias de enfermagem
Teorias de enfermagemTeorias de enfermagem
Teorias de enfermagem
 
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEMPROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
PROCESSO DE PLANEJAMENTO EM ENFERMAGEM
 
Aula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do pacienteAula introducao à segurança do paciente
Aula introducao à segurança do paciente
 
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisãoGerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
Gerenciamento de enfermagem: tomada de decisão
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 

Destaque

Administração apliacada à enfermagem apostila
Administração apliacada à enfermagem   apostilaAdministração apliacada à enfermagem   apostila
Administração apliacada à enfermagem apostila
Wilma Medeiros
 
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
Andressa Giovanni
 
Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012
Ismael Costa
 
Teorias da administração
Teorias da administraçãoTeorias da administração
Teorias da administração
Ester Santiago
 
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
biblisaocamilo
 
Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalar
Renata Cristina
 
Gestão de Qualidade em Serviços de Saúde
Gestão de Qualidade em Serviços de SaúdeGestão de Qualidade em Serviços de Saúde
Gestão de Qualidade em Serviços de Saúde
Alex Eduardo Ribeiro
 

Destaque (19)

Administração apliacada à enfermagem apostila
Administração apliacada à enfermagem   apostilaAdministração apliacada à enfermagem   apostila
Administração apliacada à enfermagem apostila
 
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
Gerenciamento de enfermagem e trabalho em equipe.
 
Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012Administração em enfermagem hupe 2012
Administração em enfermagem hupe 2012
 
livro-administracao-aplicada-a-enfermagem-2
livro-administracao-aplicada-a-enfermagem-2livro-administracao-aplicada-a-enfermagem-2
livro-administracao-aplicada-a-enfermagem-2
 
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALARORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR
 
Competências do Enfermeiro e do gerente da Estratégia Saúde da Família: uma a...
Competências do Enfermeiro e do gerente da Estratégia Saúde da Família: uma a...Competências do Enfermeiro e do gerente da Estratégia Saúde da Família: uma a...
Competências do Enfermeiro e do gerente da Estratégia Saúde da Família: uma a...
 
Aula 5 metodologia do planejamento em enfermagem ppt
Aula 5 metodologia do planejamento em enfermagem pptAula 5 metodologia do planejamento em enfermagem ppt
Aula 5 metodologia do planejamento em enfermagem ppt
 
Teorias da administração
Teorias da administraçãoTeorias da administração
Teorias da administração
 
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
 
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e EmergênciaGerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Administração hospitalar
Administração hospitalarAdministração hospitalar
Administração hospitalar
 
Gerenciamento do serviço de urgência e emergência: previsão e provisão de rec...
Gerenciamento do serviço de urgência e emergência: previsão e provisão de rec...Gerenciamento do serviço de urgência e emergência: previsão e provisão de rec...
Gerenciamento do serviço de urgência e emergência: previsão e provisão de rec...
 
Aula 08 (4)
Aula 08 (4)Aula 08 (4)
Aula 08 (4)
 
Motivação equipe de enfermagem
Motivação equipe de enfermagemMotivação equipe de enfermagem
Motivação equipe de enfermagem
 
Gestão de Qualidade em Serviços de Saúde
Gestão de Qualidade em Serviços de SaúdeGestão de Qualidade em Serviços de Saúde
Gestão de Qualidade em Serviços de Saúde
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Paulina Kurcgant
Paulina KurcgantPaulina Kurcgant
Paulina Kurcgant
 
Administração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisãoAdministração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisão
 

Semelhante a Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem

Auditoria em Enfermagem
Auditoria em EnfermagemAuditoria em Enfermagem
Auditoria em Enfermagem
ivanaferraz
 
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinica
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinicaAspectos positivos e negativos da simulacao clinica
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinica
MariaErcilia1
 

Semelhante a Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem (12)

Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à SaúdeBanners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
Banners – II Seminário da Planificação da Atenção à Saúde
 
Aula 6 - Gestão dos Serviços de Enfermagem.pdf
Aula 6 - Gestão dos Serviços de Enfermagem.pdfAula 6 - Gestão dos Serviços de Enfermagem.pdf
Aula 6 - Gestão dos Serviços de Enfermagem.pdf
 
Auditoria em Enfermagem
Auditoria em EnfermagemAuditoria em Enfermagem
Auditoria em Enfermagem
 
Trabalho em equipe e comunicação no ambiente hospitalar: hospitalistas e outr...
Trabalho em equipe e comunicação no ambiente hospitalar: hospitalistas e outr...Trabalho em equipe e comunicação no ambiente hospitalar: hospitalistas e outr...
Trabalho em equipe e comunicação no ambiente hospitalar: hospitalistas e outr...
 
Qsgc
QsgcQsgc
Qsgc
 
Anais
AnaisAnais
Anais
 
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinica
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinicaAspectos positivos e negativos da simulacao clinica
Aspectos positivos e negativos da simulacao clinica
 
A Comunicação Clínica como instrumento de qualificação da Consulta de Enfer...
A Comunicação Clínica como  instrumento de qualificação da  Consulta de Enfer...A Comunicação Clínica como  instrumento de qualificação da  Consulta de Enfer...
A Comunicação Clínica como instrumento de qualificação da Consulta de Enfer...
 
Qualidade em saúde
Qualidade em saúdeQualidade em saúde
Qualidade em saúde
 
Universidade Corporativa para Área da Saúde
Universidade Corporativa para Área da SaúdeUniversidade Corporativa para Área da Saúde
Universidade Corporativa para Área da Saúde
 
Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho
Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho
Como gestores hospitalares utilizam indicadores de desempenho
 
Unidade de Internação Pediátrica - Projeto.pptx
Unidade de Internação Pediátrica - Projeto.pptxUnidade de Internação Pediátrica - Projeto.pptx
Unidade de Internação Pediátrica - Projeto.pptx
 

Mais de Aroldo Gavioli

Mais de Aroldo Gavioli (20)

Transtornos mentais orgânicos
Transtornos mentais orgânicosTranstornos mentais orgânicos
Transtornos mentais orgânicos
 
Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
 
Síndrome de dependência de substâncias – aspectos neurobiológicos
Síndrome de dependência de substâncias – aspectos neurobiológicosSíndrome de dependência de substâncias – aspectos neurobiológicos
Síndrome de dependência de substâncias – aspectos neurobiológicos
 
A Política Nacional de Saúde Mental e a Organização da Rede de Atenção Psicos...
A Política Nacional de Saúde Mental e a Organização da Rede de Atenção Psicos...A Política Nacional de Saúde Mental e a Organização da Rede de Atenção Psicos...
A Política Nacional de Saúde Mental e a Organização da Rede de Atenção Psicos...
 
psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2psicofarmacologia 2
psicofarmacologia 2
 
Grupos terapêuticos e intervenção em família
Grupos terapêuticos e intervenção em famíliaGrupos terapêuticos e intervenção em família
Grupos terapêuticos e intervenção em família
 
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mentalO diagnóstico de enfermagem em saúde mental
O diagnóstico de enfermagem em saúde mental
 
Exame Físico em Saúde Mental
Exame Físico em Saúde MentalExame Físico em Saúde Mental
Exame Físico em Saúde Mental
 
Rede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mentalRede de atenção em saude mental
Rede de atenção em saude mental
 
Drogas psicotrópica
Drogas psicotrópicaDrogas psicotrópica
Drogas psicotrópica
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativaTranstornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
Transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substância psicoativa
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia IntensivaCritérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
Critérios de admissão em Unidade de Terapia Intensiva
 
Intervenção em crises
Intervenção em crisesIntervenção em crises
Intervenção em crises
 
Segurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgênciaSegurança do paciente em unidades de urgência
Segurança do paciente em unidades de urgência
 
Métodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentesMétodos dialíticos intermitentes
Métodos dialíticos intermitentes
 
Métodos dialíticos contínuos
Métodos dialíticos contínuosMétodos dialíticos contínuos
Métodos dialíticos contínuos
 
Transtornos do humor
Transtornos do humorTranstornos do humor
Transtornos do humor
 
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mentalO Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
O Processo de enfermagem na enfermagem em saúde mental
 

Último

CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
AdivaldoSantosRibeir
 

Último (10)

Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdfAnticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdfManual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
 

Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem

  • 2. O enfermeiro é responsável por: Avaliar se a equipe está cumprindo corretamente suas atividades Elencar atividades prioritárias diante da grande demanda de trabalho no serviço de emergência. Para conseguir estes objetivos utiliza a supervisão: Instrumento do processo de trabalho gerencial do enfermeiro em emergência com base no acompanhamento do cotidiano do trabalho. Geralmente lembrada pelos enfermeiros apenas na sua dimensão de controle.
  • 3. Atividades de supervisão Integram um importante eixo do gerenciamento do cuidado; Grande quantidade de atividades desenvolvidas sob coordenação dos enfermeiros.
  • 4. Processo de supervisão Instrumento para a prática gerencial do enfermeiro Visa uma assistência de enfermagem livre de danos, riscos e agravos aos usuários; Melhoria dos processos; Desenvolvimento da equipe. Papel de orientador e facilitador, co-responsável pela manutenção de um serviço de qualidade.
  • 8. Técnicas de supervisão: •Observação direta; análise de registros; entrevistas; reunião e discussão em grupo; demonstração; orientação; estudo de caso. Técnicas •Prontuário do paciente; prescrição de enfermagem; plano de supervisão (constam objetivos e atividades de supervisão), cronograma (constam a relação de atividades e os dias ou períodos em que serão executados), roteiro; manual do Serviço de Enfermagem com normas, procedimentos e rotinas. Instrumentos utilizados
  • 9. O supervisor Referência para a equipe Não basta competência técnica firmeza e sensibilidade (usadas na quantidade e momento certo) Reciprocidade, pois trata-se de uma relação que depende da capacidade de interação e de mútua influência.
  • 10. Supervisão de enfermagem Processo de trabalho Diferentes agentes Prática diária
  • 11. Papéis do supervisor/gerente Análise permanente do contexoorganizacional Articulação com politicas de saúde Intervenções e resultados Aprimoramento e qualificação dos agentes Articulação política garantir a qualidade da assistência prestada.
  • 12. Para saber mais •Para aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto consulte os seguintes materiais: •Finalidade das estratégias de supervisão utilizadas em ensino clínico de enfermagem. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072007000400003 •LiberaliJ, Dall’AgnolCM. Supervisão de enfermagem: um instrumento de gestão. RevGaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 29, n. 2, p.276-82, jun. 2008. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/viewFile/55 92/3202 •Scarparo AF, Ferraz CA. Auditoria em enfermagem: identificando sua concepção e métodos. RevBrasEnferm, v. 61, n. 3, 302-5, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n3/a04v61n3.pdf
  • 13. Referências •HAUSMANN, M.; PEDUZZI, M. Articulação entre as dimensões gerencial e assistencial do processo de trabalho do enfermeiro. Texto e Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 258-265, 2009. •DAL SASSO, G. T. M.; DARLI, M. C. B. C., LUCIELI DIAS PEDRESCHI.; et al.Cursode EspecializaçãoemLinhasde CuidadoemEnfermagem: MóduloV -Classificaçãode riscoe acolhimentoFlorianópilis-SC: UniversidadeFederal de Santa Catarina-UFSCProgramade Pósgraduaçãoemenfermagem, 2013. •SANTOS, J. L. G. A dimensão gerencial do trabalho do enfermeiro em um serviço hospitalar de emergência. 2010, 135p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) –Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010. •LIBERALI J, DALL’AGNOL CM. Supervisão de enfermagem: um instrumento de gestão. RevGaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 29, n. 2, p. 276-82, jun./ 2008. •SILVA, E. M.. Supervisão em enfermagem: análise crítica das publicações no Brasil dos anos 30 à década de 80. Ribeirão Preto, 1991. 158p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) -Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. •CUNHA, K.C. Supervisão em enfermagem. In: KURCGANT, P. (coord.). Administração em enfermagem. São Paulo, EPU, 1991, cap. 10, p.117-32.